Velocidade Online

Comércio e Industria - Novidades

COMÉRCIO&INDUSTRIA - WAY TO ZERO DA VOLKSWAGEN

Segunda, 03 Maio 2021 04:38 | Actualizado em Sexta, 07 Maio 2021 17:49

Pacote extensivo de medidas destinadas a acelerar a produção e utilização sustentável de automóveis elétricos;

 

·     A empresa pretende reduzir as emissões de CO2 na Europa numa média de cerca de 17 toneladas por veículo até 2030, 40% menos do que em 2018;

 

·     Investimento de 14 mil milhões de euros em descarbonização até 2025;

 

·     Eletricidade verde para a fase de utilização do veículo: A Volkswagen é o primeiro fabricante de automóveis a apoiar a expansão extensiva de parques eólicos e centrais solares na Europa;

 

 

 

Na primeira Convenção ‘Way to Zero’, a Volkswagen revelou alguns pormenores sobre como pretende descarbonizar a empresa e os seus produtos até 2050, o mais tardar. Um novo marco intermédio é a meta de redução de 40% das emissões de CO2 por veículo na Europa até 2030 – superando substancialmente a meta do Grupo de 30% (linha de base: 2018). Como resultado, um Volkswagen emitiria cerca de 17 toneladas a menos de dióxido de carbono. Para além de acelerar a transição para a e-mobilidade, a produção (incluindo a cadeia de abastecimento) e o funcionamento dos automóveis elétricos deverá ser tornada neutra em carbono. A isto junta-se a reciclagem sistemática das baterias de alta voltagem de veículos elétricos antigos.

 

 ‘Way to Zero’: Volkswagen apresenta caminho para uma mobilidade neutra do ponto de vista climático • Pacote extensivo de medidas destinadas a acelerar a produção e utilização sustentável de automóveis elétricos; • A empresa pretende reduzir as emissões de CO2 na Europa numa média de cerca de 17 toneladas por veículo até 2030, 40% menos do que em 2018; • Investimento de 14 mil milhões de euros em descarbonização até 2025; • Eletricidade verde para a fase de utilização do veículo: A Volkswagen é o primeiro fabricante de automóveis a apoiar a expansão extensiva de parques eólicos e centrais solares na Europa;


Na primeira Convenção ‘Way to Zero’, a Volkswagen revelou alguns pormenores sobre como pretende descarbonizar a empresa e os seus produtos até 2050, o mais tardar. Um novo marco intermédio é a meta de redução de 40% das emissões de CO2 por veículo na Europa até 2030 – superando substancialmente a meta do Grupo de 30% (linha de base: 2018). Como resultado, um Volkswagen emitiria cerca de 17 toneladas a menos de dióxido de carbono. Para além de acelerar a transição para a e-mobilidade, a produção (incluindo a cadeia de abastecimento) e o funcionamento dos automóveis elétricos deverá ser tornada neutra em carbono. A isto junta-se a reciclagem sistemática das baterias de alta voltagem de veículos elétricos antigos. Ao longo de mais de quatro décadas foram vendidas mais de 35 milhões de unidades do Golf. "A Volkswagen representa a e-mobilidade sustentável para todos. Partimos para o 'Way to Zero' e estamos constantemente a colocar o ambiente no centro de todas as nossas atividades", afirmou Ralf Brandstätter, CEO da Volkswagen. "A nossa grande ofensiva elétrica foi apenas o começo. Estamos a adotar uma abordagem holística da descarbonização: desde a produção, passando pela vida útil, até à reciclagem. E somos o primeiro fabricante de automóveis a apoiar a expansão das energias renováveis a uma escala industrial". A Volkswagen apoia a construção de parques eólicos e centrais solares Um fator chave para alcançar uma e-mobilidade neutra em carbono é ser capaz de carregar os veículos de forma consistente com a eletricidade gerada inteiramente a partir de fontes renováveis. Isto, por si só, reduziria as emissões de CO2 para quase metade em comparação com a mistura de eletricidade padrão da UE. Hoje em dia, a Volkswagen oferece aos seus clientes eletricidade verde para carregamento em casa (Volkswagen Naturstrom) e na estrada (por exemplo, nas estações de carregamento IONITY). A empresa vai agora dar mais um passo em frente, tornando-se o primeiro fabricante de automóveis a apoiar diretamente a expansão das energias renováveis em grande escala. Como resultado, novos parques eólicos e centrais solares deverão ser construídos em várias regiões da Europa até 2025. Os contratos para os primeiros projetos já foram assinados com a empresa de energia RWE. Na Alemanha, a Volkswagen está a apoiar a construção de uma central solar com uma capacidade total de 170 No. 09/2021 Página 3 de 6 milhões de kilowatts/hora por ano. A fábrica será concluída em TrammGöthen no nordeste da Alemanha até ao final de 2021 e está a ser construída sem quaisquer subsídios estatais. Incorporando cerca de 420.000 módulos solares, é o maior projeto solar independente da Alemanha. Está previsto que todos os projetos em conjunto gerem cerca de sete terawatts horas adicionais de eletricidade verde até 2025. A quantidade de eletricidade renovável a entrar na rede irá crescer em paralelo com o número de veículos ID. Desta forma, a Volkswagen está a melhorar a pegada climática da família ID. e a criar a base para a utilização neutra em carbono da sua frota elétrica. Produção verde e cadeia de abastecimento Para além de assegurar a utilização verde dos seus veículos, a Volkswagen está também a trabalhar para descarbonizar tanto a produção como a cadeia de abastecimento. Já hoje em dia, a eletricidade utilizada em todos os locais de produção europeus provém de fontes renováveis. A pioneira aqui é a fábrica de automóveis elétricos em Zwickau, onde a família ID. é produzida. A partir de 2030, todas as fábricas em todo o mundo, exceto na China, deverão funcionar inteiramente com eletricidade verde. No futuro, os maiores contribuintes para as emissões de CO2 na cadeia de abastecimento serão sistematicamente identificados e reduzidos. O modelo a seguir é a produção de células de bateria para o ID.31 e ID.42 , que já utiliza apenas eletricidade verde e, por conseguinte, tem uma pegada de carbono substancialmente melhorada. 1 ID.3 - consumo combinado de energia em kWh/100 km (NEDC): 15,4-13,1, emissões de CO2 em g/km: 0; classe de eficiência: A+. 2 ID.4 - consumo de energia em kWh/100 km (NEDC): combinado 16,9-15,5; emissões de CO2 em g/km: 0; classe de eficiência: A+.No. 09/2021 Página 4 de 6 Já este ano, a Volkswagen vai mudar para outros componentes sustentáveis nos seus veículos ID., incluindo caixas de bateria e jantes de pneus feitas de alumínio verde e pneus produzidos através de baixas emissões. Existem mais de dez componentes de foco que nos permitirão melhorar a pegada de carbono da família ID. em cerca de duas toneladas por veículo nos próximos anos. Quando se tratar de projetos de veículos novos, a Volkswagen fará das emissões de CO2 um critério chave na adjudicação de contratos a fornecedores. Desta forma, a empresa pretende trabalhar com os seus fornecedores para melhorar gradualmente a sua pegada de carbono e assegurar a sustentabilidade da sua cadeia de abastecimento. A empresa está também a seguir uma estratégia clara de descarbonização na produção interna de componentes na Volkswagen Group Components. Como tal, as gigafábricas para a produção de células de bateria anunciadas durante o Power Day deverão ser fornecidas com eletricidade totalmente verde. A reciclagem sistemática das baterias, que permitirá a reutilização de mais de 90% das matérias-primas no futuro, destina-se a dar um contributo adicional para a redução das emissões de CO2. O objetivo é um circuito fechado para a bateria e as suas matérias-primas que a empresa tem à sua própria disposição em todo o Grupo. A Volkswagen Group Components já está a desenvolver uma instalação de reciclagem inicial em Salzgitter. Acelerar a ofensiva elétrica No centro do ‘Way to Zero’ está a nova estratégia ACCELERATE da Volkswagen, que visa acelerar o ritmo da ofensiva elétrica. O objetivo é a eletrificação total da nova frota de veículos. Até 2030, pelo menos 70% de todas as vendas unitárias da Volkswagen na Europa serão veículos exclusivamente elétricos – ou seja, substancialmente mais de um milhão de veículos. Isto significaria que a Volkswagen teria um desempenho muito superior aos requisitos do Acordo Verde da UE. Na No. 09/2021 Página 5 de 6 América do Norte e na China, a percentagem de veículos elétricos nas vendas deverá ser de pelo menos 50%. Além disso, a Volkswagen irá lançar pelo menos um carro elétrico novo por ano. Um dia antes da Convenção, a Volkswagen apresentou o ID.4 GTX3 , o modelo seguinte na família de ID. totalmente elétrico. Convenção ‘Way to Zero’ para um diálogo aberto com o governo, a indústria e a sociedade "O 'Way to Zero' é o nosso caminho para uma proteção climática eficaz, com marcos claros e ambiciosos. Cumprimos a nossa responsabilidade para com o ambiente. O 'Way to Zero' proporcionar-nos-á uma verdadeira vantagem competitiva. No futuro, colaboradores, clientes e investidores darão preferência às empresas que coloquem a sua responsabilidade social e ambiental no centro dos seus negócios. A sustentabilidade tornar-se-á assim um fator crucial para o sucesso empresarial", destacou Ralf Brandstätter. "No entanto, a Volkswagen não pode suportar por si só a descarbonização da mobilidade. O governo, a indústria e a sociedade precisam de se unir para desenvolver boas ideias e fazer investimentos corajosos". Com a Convenção ‘Way to Zero’, a Volkswagen pretende promover um diálogo aberto com o governo, a indústria e a sociedade. O evento de um dia, que foi inteiramente digital devido à pandemia do coronavírus, contou com a presença de mais de 20 oradores de partidos políticos, ONGs, instituições científicas e outras empresas, juntamente com representantes da Volkswagen. Pode encontrar mais informações e outros materiais relacionados com a Convenção ‘Way to Zero’ em www.convention.vw-newsroom.com.

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos