Velocidade Online

Moto - Mundial

MOTOS - DUARTE CANCELLA DE ABRU FALA DA PROVA DE MIGUEL OLIVEIRA

Terça, 11 Agosto 2020 11:53 | Actualizado em Sábado, 18 Setembro 2021 19:01

Crónica de DUARTE CANCELLA DE ABREU
Grande Prémio da República Checa, Brno
10 Agosto 2020

Uma grande corrida, que o levou ao sexto lugar, o seu melhor resultado de sempre no MotoGP, Miguel Oliveira foi um dos pilotos que mais lugares ganhou nas 21 voltas da corrida de Brno, na República Checa, a 3º etapa do Mundial de Velocidade de 2020, que no passado fim-de-semana teve lugar com uma grande animação. Foi uma espetacular mostra da competitividade da KTM. Na 3ª sessão de treino treinos livres falha por pouco o apuramento para o Q2, que o levou a partir do 13º lugar da Grelha de partida, a primeira posição dos pilotos que não vão à Q2. Mas bastaram 21 voltas, para Miguel Oliveira ter garantido o 6º lugar com que acabou a corrida, a lutar pelo 4º lugar com Valentino Rossi -Yamaha, Alex Rins –Suzuki, atrás de Johann Zarco –Ducati. Ficou a 1,489s. de subir ao Pódio.

Terminou a corrida a menos de meio segundo de Valentino Rossi, depois do o ter tentado passar, o que o italiano fez tudo para não ceder à pressão que Miguel Oliveira lhe colocou
desde que o começou a ter como rival directo na 12ª de 21 voltas. A luta com Valentino Rossi foi intensa, e só a grande experiência do multi-campeão do Mundo que participava no seu G.P.


A aposta do tipo de borracha mais mole ou mais dura, conforme as convicções de cada equipa, foi fundamental numa pista parca em aderência. Na KTM gerida pela Tech3 com o nº88, Miguel Oliveira e os seus engenheiros colocaram Pneus com a borracha mais dura na roda da frente, e médio na traseira. Uma escolha segura, que permitiu que o piloto ataca-se de inicio ao fim da corrida, imiscuindo-se na luta pelo 4º lugar com o seu ídolo da juventude Valentino Rossi e Alex Rins . E o mais impressionante é que Rossi ganhou tempo ao Miguel Oliveira nas suas primeiras cinco voltas, após a partida, em que fez a sua volta mais rápida com 1m57,964s. Na volta inicial Rossi , que partiu de 10º, uma linha da grelha à frente do Português, ganhou 0,840s. e na volta 4 Valentino, faz o seu melhor tempo de toda a corrida com uma diferença de 0,067s. para a melhor de Miguel, realizado na 5ª volta.
Miguel Oliveira, teve algum cuidado na partida, e de 13º da grelha perdeu dois lugares na primeira volta, onde o pneu de borracha média na roda traseira da sua KTM exigia alguma cautela. A partida para a corrida principal, foi dada com o asfalto a 47graus e a temperatura do ar nos 30 graus. As KTM mostraram –se bastante positivas na terceira corrida, Brad Binder que partiu na 3ª linha correu-lhe bem e ganhou algumas posições, no grupo da frente. Na 2ª volta Miguel Oliveira ataca confiante Jack Miller, e ocupa o 14º lugar. Logo na 4ª volta Miguel aproveita bem as qualidades da sua moto, a KTM RC16, chega-se a Mir e passa o piloto da Suzuki, para tomar conta do 13º lugar e fica atento com a hipóteses de estudar a passagem a Petrucci que na Ducati que perde o 12º para o piloto lusitano, que estava com um ritmo fortíssimo a ganhar lugares. O próximo alvo de Miguel Oliveira era o piloto numero um da Ducati Oficial, Andrea Dovizioso aproveitando o ritmo de corrida e a velocidade e equilíbrio das KTM. Na frente Binder também brilha e sobe ao segundo lugar. Pol Espargaró na segunda KTM oficial é o 4º na corrida. Na 9ª volta Miguel sobe ao 8º lugar ao passar Maverick Viñales, e logo a seguir alcança Aleix Espargaró que tinha arrancado bem com a Aprilia. Não chegou a precisar de duas voltas para ganhar o 7º lugar a Aleix Espargaró e fica a 1,323s. de Valentino Rossi que lutava pelo 4º lugar com Alex Rins e Fabio Quartararo o líder do campeonato. Oliveira pressiona Rossi e reduz para os 128 centésimos a diferença para Quartararo que se vê ultrapassado a travagem para a curva 1, a três voltas do fim, Miguel Oliveira é 6º e aproxima-se de Rossi. Brad Binder liderava e garantiu uma boa gestão dos seus pneus até ao fim da corrida, e conquistou a Primeira Vitória no MotoGP para a KTM, enquanto Miguel Oliveira consegue o seu melhor resultado de sempre, o 6º lugar, mas desde a seis voltas do fim com 15 pilotos a rodar em 1m59s Miguel era o piloto mais rápido em pista e apresentou uma regularidade nos seus tempos por volta impressionante. Altura em que a distancia para Binder decrescia. A cinco voltas do final tenta passar Rossi , numa altura em que as KTM de Binder e Miguel eram as duas motos mais rápidas com o Sul-Aficano a distanciar-se na liderança a fazer todo o staff da KTM sonhar. Enquanto Miguel Oliveira estava cada vez mais perto de Valentino Rossi, e Rins enquanto Zarco que era 3º estava a menos de um segundo e meio de Oliveira.
Na 21ª volta terminou a corrida com a vitória de Brad Binder, o futuro colega de equipa de Miguel Oliveira, ficando Franco Morbidelli com uma Yamaha do team Petronas no 2º lugar a já 5,266s. do vencedor. Na última posição do Pódio ficou Johann Zarco em Ducati, a 6,470s. do primeiro e com pouco mais de um segundo para Oliveira. Alex Rins conseguiu levar a sua Suzuki ao 4º lugar a já 6,609s., mas com um parca vantagem para Rossi a 0, 141s. e Miguel Oliveira a acabar a sua 19ª corrida colhendo 10 saborosos pontos, e o seu melhor resultado, o que lhe abrem excelentes expectativas para os dois próximos fins-de-semana no Red Bull Ring, no circuit austríaco de Spilberg, a ferver com as KTM. Mesmo ganhando 7 lugares Miguel Oliveira só ganhou uma posição no Campeonato. A vitória de Brad Binder veio dar mais alento à KTM, e provar que estão no caminho certo para se colocarem entre as outras melhores equipas do plantel. Quartararo mantém a liderança após as 3 primeiras corridas, e agora conta com 59 pontos, mais 17 que Maverick Viñales e mais 28 que Morbidelli e Dovizioso.
O que mostrou Miguel Oliveira? Que é um piloto muito inteligente, e sabe gerir os pneus quando o asfalto atinge altas temperaturas. Apresentou uma regularidade impressionante, mas tem de partir mais à frente do que a 5º linha,(como aconteceu no GP da Andaluzia, que foi o 5º na grelha.)rodou desde a segunda volta entre o segundo 58 e o 59.
Foi rápida esta corrida em que a temperatura do asfalto criou problemas a muitos pilotos, e mais uma luta com Rossi vem ajudar a credibilizar o trabalho de todos os envolvidos neste projecto da KTM, que é pena que não possa vestir as bancadas do Grande Prémio da Austria de Motociclismo, que decorrerá no próximo fim-de-semana.

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos