Velocidade Online

Diversos - Diversos

DIVERSOS - CONEBI PUBLICA

Sexta, 29 Novembro 2019 19:52 | Actualizado em Segunda, 03 Agosto 2020 20:41

CONEBI publica comunicado sobre trotinetas eléctricas

A Confederação Europeia da Indústria de Bicicleta (Confederation of European Bicycle Industry) publicou um comunicado, em que define o conceito de veículos e aponta riscos de utilização, que veiculamos na íntegra.

  • Visão global:

1) A Confederação da Indústria Europeia de Bicicleta (CONEBI) é uma associação europeia líder, cujos membros são as associações nacionais da Indústria de Bicicletas da União Europeia. As empresas da União Europeia (EU) são membros das associações nacionais da indústria de bicicletas mencionadas.

2) A CONEBI representa as suas associações de membros - que incluem as indústrias de bicicletas da UE, EPAC’s assistidas e peças e acessórios - para a UE e instituições internacionais. Isso foi conseguido através da manutenção de contactos regulares com os responsáveis ​​políticos e autoridades reguladoras europeias e internacionais, bem como com outros órgãos e associações da indústria que buscam objetivos semelhantes.

3) Embora ainda não exista uma definição padronizada de uma trotineta elétrica, para os fins deste documento, definiremos uma trotineta elétrica como um veículo de duas rodas que é acionado por um motor elétrico. Geralmente é projetado com uma plataformas sobre o qual o utilizador se apoia.

  • Posição:

Como representantes da indústria europeia de bicicletas, respeitamos a legislação da UE e cumprimos os regulamentos e diretivas da UE. Nos termos do regulamento da UE relativo à homologação e fiscalização do mercado de veículos e quadriciclos de duas ou mais rodas (UE N. 168/2013), qualquer veículo com um acelerador que atinja velocidades superiores a 6 km/h deve ser homologado.

O número cada vez maior de acidentes envolvendo o uso não regulamentado de trotinetes elétricas resultou numa opinião pública negativa, o que é evidente nos inúmeros artigos de jornal sobre segurança dos utilizadores vulneráveis ​​da estrada. A indústria europeia de bicicletas manifesta grande preocupação com a situação, devido ao impacto que pode ter na imagem da micro-mobilidade como um todo e, consequentemente, no uso de bicicletas elétricas com auxílio de pedais.

Além disso, existe um equívoco público sobre o que exatamente é uma trotineta elétrica e muitos confundem-nas erroneamente com e-bikes. A CONEBI gostaria de declarar claramente a diferença fundamental entre uma trotineta elétrica e uma e-bike com assistência a pedais (que chamaremos aqui EPAC’s de Ciclos Assistidos Elétricos):

- Uma EPAC é uma bicicleta eletricamente assistida que fornece assistência elétrica ao ciclista apenas enquanto pedala e apenas até uma velocidade de 25 km/h. Possui capacidade máxima do motor de 250 W.

- Uma trotineta elétrica é um motociclo ou ciclomotor elétrico, de duas rodas, sem pedais e a assistência elétrica é ativada simplesmente por meio de um acelerador, independentemente da atividade do condutor. Assim, para uma trotineta elétrica, a assistência elétrica é automática e independente.

Como representante da indústria europeia de bicicletas, a CONEBI pretende evidenciar claramente sua posição e não pode ser responsabilizada por quaisquer problemas decorrentes do uso de trotineta elétrica. A indústria europeia de bicicletas não representa os produtores ou fornecedores de trotinetas elétricas.

  • Preocupações relacionadas com a trotineta elétrica:

1) Qualquer veículo com acelerador que exceda 6 km/h na UE deve ser homologado e ter características de segurança adequadas, se usado na via pública. Atualmente, as trotinetas elétricas não são homologadas.

2) As trotinetas elétricas, dada a sua pequena base de roda, são muito instáveis ​​e, geralmente, em relação à sua velocidade, possuem um sistema de travões inadequado. Consequentemente, os acidentes são frequentes. Além disso, houve incidentes em que o acelerador ficou encravado ou a trotineta elétrica reduziu a velocidade, ou acelerou em excesso de velocidade ou até travou forma autónoma. Algumas mudanças automáticas de velocidade ocorrem devido à localização geográfica de algumas áreas, motivadas pela localização por GPS, que altera os limites de velocidade.

3) O uso de trotineta elétrica em ciclovias cria congestionamento e é perigoso para ciclistas e ciclistas de EPAC´s, já que as trotinetas geralmente excedem 25 km/h e são baseadas apenas no acelerador.

4) Assim, toda a imagem da micro-mobilidade é posta em risco. A partilha e o uso e venda apropriados de bicicletas ficam também em risco, trazendo o perigo de danos significativos ao mercado da indústria de bicicletas.

5) As indústrias europeias de bicicletas e EPAC´s estão comprometidas em produzir veículos de duas rodas seguros, duradouros, sustentáveis ​​e ecológicos, que podem ser reparados e proporcionam uma vida média de vários anos. As bicicletas e EPAC’s podem ser recicladas (incluindo as baterias) e, portanto, fazem parte da economia circular da indústria da UE. Até agora, as trotinetas elétricas são operadas com uma lógica de utilizar e descartar. Temos conhecimento de empresas que, em alguns casos, não mantêm suas frotas, nem as reparam ou reciclam, o que resulta numa pegada ambiental negativa.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos