Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - A HAAS NO GRANDE PRÉMIO DA RUSSIA

Sexta, 12 Outubro 2018 13:16 | Actualizado em Sábado, 18 Janeiro 2020 20:23

Evento:  Grande Prémio da Rússia (16º Round de 21)

Data:  Domingo, 30 de Setembro

Local:  Sochi Autodrom

Layout:  5,848 quilómetros, 18 curvas

Condições Climatéricas:  Céu parcialmente encoberto

Temperatura do Ar:  23,3-26ºC

Temperatura da Pista:  24,3-32,3ºC

Vencedor:  Lewis Hamilton da Mercedes

Haas F1 Team: 

●  Kevin Magnussen – Arrancou de 5º, terminou em 8º (completou 52/53 voltas)

●  Romain Grosjean – Arrancou de 9º, terminou em 11º (completou 52/53 voltas)

 

 

 

A Haas F1 Team aproximou-se quatro pontos da Renault no Campeonato de Construtores, depois de Kevin Magnussen ter conquistado um bom oitavo lugar no Grande Prémio da Rússia, que se realizou no domingo no Sochi Autodrom. Romain Grosjean terminou à porta dos pontos, no décimo primeiro lugar.

 

A equipa americana mantém o quinto lugar no Campeonato de Construtores, mas diminuiu para onze pontos a sua desvantagem para a Renault, depois de Magnussen ter conquistado o seu nono resultado dentro dos pontos na temporada deste ano do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1. A Haas F1 Team estendeu também a sua vantagem para a sexta classificada, a McLaren, que agora é de vinte e dois pontos.

 

Magnussen iniciou a corrida de cinquenta e três voltas ao circuito de 5,848 quilómetros e dezoito curvas traçado na cidade que albergou os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014 no quinto ludar da grelha de partida. Manteve o lugar durante as lutas da volta de abertura, mas na segunda, Charles Leclerc, no seu Sauber, passou Magnussen na longa Curva 3. Grosjean, entretanto, manteve-se estoicamente em nono.

 

O sempre competitivo, Max Verstappen, que arrancou do décimo nono lugar da grelha de partida, devido a uma penalização, estava em recuperação para as posições da frente. Na terceira volta, ultrapassou Grosjean, para subir a nono, e depois, na sexta, roubou o sexto posto a Magnussen.

 

Isto deixou a Haas F1 Team em sétima e décima, respectivamente, com o duo da Force India no oitavo e nono lugares.

 

Tanto Magnussen como Grosjean começaram a corrida com pneus Pirelli P Zero Cor-de-Rosa/Hipermacio, que é o pneu mais rápido da gama da Pirelli, mas tem uma esperança de vida muito limitada.

 

Isto ficou patente na oitava volta, quando Grosjean perdeu duas posições – décimo para o Sauber de Marcus Ericsson e décimo primeiro para o Red Bull de Daniel Ricciardo, que se juntou ao seu colega de equipa, Verstappen, no final da grelha de partida devido a uma penalização.

 

A Haas F1 Team decidiu chamar Grosjean às boxes no final da volta. Grosjean trocou os hipermacios que usou na qualificação e para arrancar para a corrida por macios que o levariam até à bandeirada de xadrez. Isto atirou-o para décimo sexto.

 

Magnussen tinha a mesma estratégia que o seu colega de equipa. Realizou a sua paragem nas boxes, montando macios no lugar dos hipermacios. Magnussen regressou à pista em décimo terceiro.

 

Com o decorrer das paragens nas boxes, Magnussen e Grosjean subiram na classificação até às suas posições finais, oitavo e décimo primeiro, com o duo da Force India, Ocon e Pérez, a permanecerem entre os pilotos da Haas F1 Team.

 

Lewis Hamilton venceu o Grande Prémio da Rússia, depois de arrancar da segunda posição da grelha de partida. Foi a sua septuagésima vitória na Fórmula 1, a sua oitava esta temporada e a terceira consecutiva. Hamilton bateu o seu colega de equipa na Mercedes, Valtteri Bottas, por 2,545s, alcançando a sua terceira vitória em Sochi e mantendo o domínio da Mercedes nesta pista, uma vez que nenhuma outra venceu o Grande Prémio da Rússia.

 

A vitória de Hamilton, combinada com o terceiro lugar de Sebastian Vettel, permitiu-lhe estender a sua liderança no Campeonato de Pilotos para cinquenta pontos, sendo o piloto da Scuderia Ferrari o mais próximo perseguidor de Hamilton na corrida pelo título deste ano.

 

Magnussen está no sétimo lugar do Campeonato de Pilotos com cinquenta e três pontos e Grosjean em décimo quarto com vinte e sete.

 

Faltam apenas cinco corridas para o final da temporada, realizando-se a próxima a 7 de Outubro no Suzuka Circuit, o Grande Prémio do Japão.

 

 

 

Fique muito desapontado. Penso que realizei uma boa corrida. Tenho tido dificuldades ao longo de todo o fim-de-semana, mas senti que na corrida estava melhor. Estava satisfeito por manter o Marcus (Ericsson) atrás de mim e lutar para ultrapassar os Renault. Depois percebi que era apenas décimo primeiro. Penso que os Red Bull arrancaram do final da grelha, mas depois de cinco voltas estavam já entre os seis primeiros. Os Sauber estavam muito rápidos e os Force India eram rápidos. Mantivemos as nossas posições. Infelizmente, dois carros ultrapassaram-me.”

 

 

 

Foi uma corrida dura. Não tinha ritmo – estávamos com algumas dificuldades – portanto, encontrei-me a defender-me dos Force India desde a primeira volta. Penso que fizemos tudo o que podíamos. O Leclerc era demasiado rápido para nós. Ultrapassou-nos e afastou-se facilmente. Portanto, penso que manter os Force India atrás de mim era o máximo que podíamos fazer. O ritmo de ontem na qualificação era melhor que o ritmo de corrida, hoje. Estou ansioso por Suzuka. Penso que seremos fortes, lá, e é um pista fenomenal onde se pilotar. Penso que todos estamos ansiosos.”

 

 

 

Voltámos a marcar pontos. Vamos aumentando a nossa conta. Ambos os pilotos realizaram um bom trabalho, hoje. Quase terminámos nas posições de onde arrancámos, se descontarmos os dois Red Bull, que nós já sabíamos que recuperariam. Sem que ninguém abandonasse à nossa frente, foi o melhor resultado ao nosso alcance, ou quase. O Leclerc realizou um grande trabalho, também. No geral, foi um bom fim-de-semana. Estamos sempre na luta pelos pontos, como se verificou hoje.”

 

 

 

O décimo sétimo round do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 é o Grande Prémio do Japão e disputa-se no Suzuka Circuit. Os treinos-livres iniciam-se no dia 5 de Outubro, a qualificação realiza-se no dia 6 e a corrida terá o seu arranque a 7.

 

 

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

http://staticapp.icpsc.com/icp/loadimage.php/mogile/1568606/93f9180626a79ca102852402f05fced0/image/jpeg

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.      

 


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos