Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - A HAAS NO GRANDE PRÉMIO DE ITÁLIA

Segunda, 03 Setembro 2018 09:25 | Actualizado em Domingo, 09 Agosto 2020 04:37

Evento:  Qualificação para o Grande Prémio de Itália (14º round de 21)

Data:  Sábado, 1 de Setembro

Local:  Autodromo Nazionale di Monza

Layout:  5,793 quilómetros, 11 curvas

Condições Climatéricas:  Sol com períodos encobertos

Temperatura do Ar:  19,5-21,1ºC

Temperatura da Pista:  27,9-34,1ºC

Pole-PositionKimi Räikkönen da Scuderia Ferrari (1m19,119s novo recorde e volta mais rápida da história da Fórmula 1)

Resultado:  Romain Grosjean 6º / Kevin Magnussen 11º

 

 

 

●  Tem a duração de 18 minutos, com a participação de todos os 20 pilotos
●  Os 15 pilotos mais rápidos avançam para a Q2

Magnussen:  9º (1m21,783s), avançou para a Q2

Grosjean:  15º (1m21,887s), avançou para a Q2

Piloto Mais Rápido:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m20,542s)

Cutoff:  15º Romain Grosjean da Haas F1 Team (1m21,887s)

 

 

 

●  Tem a duração de 15 minutos, com a participação dos 15 pilotos mais rápidos provenientes da Q1
●  Os 10 pilotos mais rápidos avançam para a Q3

Grosjean:  6º (1m21,239s), avançou para a Q3

Magnussen:  11º (1m21,669s)

Piloto Mais Rápido:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m19,629s)

Cutoff:  10thº Pierre Gasly da Toro Rosso (1m21,667s)

 

 

 

●  Tem  a duração de 12 minutos, com a participação dos 15 pilotos mais rápidos provenientes da Q2, lutando todos pela pole-position

Grosjean:  6º (1m20,936s)

Pole-Position:  Kimi Räikkönen da Scuderia Ferrari (1m19,119s)

Segundo:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m19,280s)

 

 

 

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, qualificaram-se em sexto e décimo primeiro, respectivamente, para o Grande Prémio de Itália, que se disputa domingo no Autodromo Nazionale di Monza.

 

Magnussen registou o nono lugar na Q1 com uma volta ao circuito de 5,793 quilómetros e onze curvas em 1m21,783s. Grosjean foi o décimo quinto mais rápido, 1m21,887s. Apenas os quinze mais rápidos passaram à Q2.

 

Na Q2, Grosjean assegurou o sexto crono, 1m21,239s, avançando para a Q3. Magnussen acabou por ficar à porta dos dez primeiros, 1m21,669s, depois de Fernando Alonso ter optado por colocar o seu McLaren lado a lado com Magnussen na aproximação à primeira curva, deixando Magnussen fora da trajectória, o que na prática arruinou a possibilidade de ambos os pilotos passarem à Q3.

 

Grosjean qualificou-se na sexta posição, o melhor dos outros atrás das três grandes – Scuderia Ferrari, Mercedes e Red Bull – com uma volta completada em 1m20,936s. Foi a sétima vez consecutiva que Grosjean passou à Q3, uma veia que se iniciou a 23 de Junho no Grande Prémio de França.

 

Tanto Grosjean como Magnussen rodaram exclusivamente com pneus Pirelli P Zero Vermelho/Supermacios.

 

Kimi Raikkonen, da Scuderia Ferrari, conquistou a pole-position para o Grande Prémio de Itália. A sua volta, 1m19,119s, representa um novo recorde para a pista, assim como a volta mais rápida da história da Fórmula 1, batendo a marca registada por Juan Pablo Montoya, quando deu uma volta a Monza no seu Williams em 1m19,525s durante a qualificação para o Grande Prémio de Itália de 2004. Raikkonen suplantou o seu colega de equipa, Sebastian Vettel, por 0,161s, oferecendo à Scuderia Ferrari a primeira linha na sua corrida caseira. Foi a décima oitava pole-position na sua carreira de Fórmula 1, mas é a sua primeira desde o Grande Prémio do Mónaco de 2017. Foi a sua segunda pole-position em Monza, tendo sido a última há doze anos, no Grande Prémio de Itália de 2006. Raikkonen é o piloto mais velho na pole-position desde que Nigel Mansell, em 1994, então com 41 anos, conquistou a sua trigésima segunda e última pole-position na Fórmula 1, no Grande Prémio da Austrália.

  

 

 

Foi positivo. Foi um pouco no limite na Q1. Não funcionou da forma que queríamos – a margem de segurança não foi tão grandes como esperávamos, mas na Q2 correu bem. A Q3 foi muito boa, todos melhoraram, mas sabia que seria duro. Pensei que teria uma margem maior. Fiquei surpreendido por ver os Renault tão rápidos e esperava ver os Force India mais à frente. Estou muito satisfeito por arrancar de sexto e, claro, temos algum trabalho para amanhã, mas penso que temos um bom ritmo de corrida. Há uma grande batalha no meio do pelotão e estamos a adorá-la.”

 

 

 

Deveríamos estar na Q3, hoje. Tínhamos rimto para isso. Estamos em Monza e todos querem um cone de ar e posição em pista. Fiz a munha melhor volta na Q2 sem cone de aspiração. Na verdade eu era o primeiro carro em pista, portanto, estava sozinho, e a volta ficou a um centésimo de me colocar na Q3. Se a minha primeira volta lançada foi assim, estou seguro de que poderíamos ter feito melhor. Infelzimente, na minha última volta lançada da Q2 fui ultrapassado por Fernando Alonso e não consegui realizar uma volta com o segundo jogo de pneus, o que foi crucial. É desapontante, mas temos ainda a possibilidade de realizar uma boa corrida e marcar pontos.”

 

 

 

Provavelmente, foi a qualificação mais intensa do ano. Quase falhámos entrar na Q2. Apenas um milésimo foi o que nos permitiu avançar. Depois tivemos o incidente entre o Kevin e o Alonso na Q2. Havia um pouco de emoção da parte de todos, dado que foi desnecessário. Foi uma situação descnecessária para o Kevin, que foi eleminado por dois milésimos de segundo. Estava alguns milésimo à frente e acabou eliminado, mas tudo correu bem com o Romain, que se qualificou em sexto, e tirou o melhor partido do último sector. Portanto, arrancamos de sexto e décimo primeiro, o que não é perfeito, dado que poderíamos ser sexto e sétimo. Seja como for, vamos à procura do máximo de pontos na corrida de amanhã e reduzir a desvantagem para a Renault.“

 

 

 

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos