Velocidade Online

Mundial - Fórmula 1

CAMPEONATO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2018 - A HAAS NO GRANDE PRÉMIO DA BÉLGICA

Domingo, 26 Agosto 2018 17:59 | Actualizado em Domingo, 20 Setembro 2020 20:39

Evento:  Qualificação para o Grande Prémio da Bélgica (13º Round de 21)

Data:  Sábado, 25 de Agosto

Local:  Circuit de Spa-Francorchamps

Layout:  7,004 quilómetros, 19 curvas

Condições Climatéricas:  Parcialmente encoberto, com um aguaceiro na Q3

Temperatura do Ar:  12,4-15,6ºC

Temperatura da Pista:  20-29,1ºC

Pole-Position:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m58,179s)

Recorde da Pista:  1m41,501s, Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, na Q2

Resultado:  Romain Grosjean 5º / Kevin Magnussen 9º

 

 

 

●  Tem a duração de 18 minutos, com a participação de todos os 20 pilotos
●  Os 15 pilotos mais rápidos avançam para a Q2

Grosjean:  6º (1m43,597s), avançou para a Q2

Magnussen:  9º (1m43,834s), avançou para a Q2

Piloto Mais Rápido:  Kimi Räikkönen da Scuderia Ferrari (1m42,585s)

Cutoff:  15º Pierre Gasly da Toro Rosso (1m44,221s)

 

 

 

●  Tem a duração de 15 minutos, com a participação dos 15 pilotos mais rápidos provenientes da Q1
●  Os 10 pilotos mais rápidos avançam para a Q3

Grosjean:  7º (1m43,042s), avançou para a Q3

Magnussen:  10º (1m43,320s), avançou para a Q3

Piloto Mais Rápido:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m41,501s novo recorde)

Cutoff:  10º Kevin Magnussen da Haas F1 Team (1m43,320s)

 

 

 

●  Tem  a duração de 12 minutos, com a participação dos 15 pilotos mais rápidos provenientes da Q2, lutando todos pela pole-position

Grosjean:  5º (2m02,122s)

Magnussen:  9º (2m04,933s)

Pole-Position:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m58,179s)

Segundo:  Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari (1m58,905s)

 

 

 

Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Kevin Magnussen, asseguraram bons lugares na grelha de partida para o Grande Prémio da Bélgica, que se realiza no domingo, tendo chegado ao derradeiro segmento da qualificação que se realizou este sábado no Circuit de Spa-Francorchamps. O duo qualificou-se em quinto e nono, respectivamente, tendo a equipa americana entrado na Q3 pela sexta vez consecutiva e pela oitava esta temporada.

 

A performance de Grosjean igualou o melhor resultado em qualificação da Haas F1 Team até ao momento – o quinto lugar conquistado por Magnussen a 21 de Julho no Grande Prémio da Alemanha. O Grande Prémio da Bélgica é o décimo terceiro evento de 2018 e a quinquagésimo quarto Grande Prémio disputado pela Haas F1 Team desde a sua estreia no Grande Prémio da Austrália de 2016.

 

Grosjean registou o sexto tempo na Q1, com uma volta em 1m43,597s ao circuito de 7,004 quilómetros e dezanove curvas. Magnussen assegurou o nono crono, 1m43,834s. Apenas os quinze mais rápidos passaram à Q2.

 

Na Q2, Grosjean alcançou o sétimo tempo, 1m43,042s, e Magnussen foi o décimo mais rápido, 1m43,320s, o que permitiu que ambos os pilotos passassem à Q3.

 

A chuva marcou a Q3, forçando as equipas a trocar os pneus slicks por Pirelli Cinturato Verde/Intermédio, uma vez que a pista ficou completamente molhada. Os pilotos rodaram cuidadosamente no asfalto escorregadio, tendo Grosjean registado o quinto tempo, 2m02,122s, ao passo que que Magnussen assegurou o nono lugar, 2m04,933s.

 

Magnussen e Grosjean usaram pneus Pirelli P Zero Vermelho/Supermacio enquanto a pista esteve seca, na Q1 e na Q2, para depois montarem intermédios.

 

Lewis Hamilton, da Mercedes, conquistou a pole-position. A sua melhor volta, 1m58,179s, deixou Sebastian Vettel da Scuderia Ferrari, o segundo mais rápido, a 0,726s. Foi a septuagésima oitava pole-position da carreira de Hamilton na Fórmula 1, a sua sexta esta temporada e a sua quinta no Grande Prémio da Bélgica, ultrapassando as lendas Juan Manuel Fangio, Ayrton Senna e Alain Prost, com quatro cada um.

 

Apesar de Hamilton ter assegurado a pole-position, não conquistou o recorde da pista. A sua anterior marca, 1m42,553s, registada o ano passado na Q3, foi batida pelo crono de Sebastian Vettel na Q2, 1m41,501s, melhorando o recorde de Hamilton em 1,052s.

 

 

 

Não foi fácil, mas é fantástico ter uma qualificação como esta – bater algumas das equipas de ponta e terminar logo atrás dos Force Inda, que são muito fortes com a pista molhada. Somos, também, rápidos no seco, o que é bom. Penso que estivemos à frente dos Red Bull na maior parte do tempo – isso é excitante. Estávamos prontos para dar o máximo na Q3, mas chegou a chuva e foi ainda mais divertido. Foi uma decisão no limite, tentar uma volta com pneus slicks no início. Estive tentado a fazê-la, mas penso que estava muita água na pista e todos entraram nas boxes para montar intermédios. Estou satisfeito com a performance, sobretudo porque da última vez que tivemos uma qualificação na chuva não estivemos muito bem.”

 

 

 

Foi uma Q3 agitada. Havia muito potencial para correr bem e nestas condições, podemos fazer uma grande diferença. Também podemos errar, que foi o que fiz. A pista estava seca na última volta. Vamos para a pista com intermédios e está molhado devido ao spray. Não parece que vai secar, portanto, damos o máximo. Depois na segunda volta, os pneus já estavam acabados. Na terceira volta, a pista estava seca e estava muito rápida, mas hoje errei, ao passo que os Force India tiveram a sua oportunidade. Foi excitante, mas obviamente que é desapontante quando não nos corre bem. No final, dois carros na Q3 é positivo e demos bons passos em frente na Q1 e na Q2. Estávamos a rodar consistentemente dentro dos dez primeiros. Penso que o ritmo de corrida do carro é bom, portanto, amanhã deverá ser um dia interessante.”

 

 

 

Penso que a Q3 foi difícil para todos, com a chuva. Foi um pouco de uma lotaria, mas estamos satisfeitos com o resultado. Para entrar na Q3, a equipa realizou um trabalho fantástico, depois do dia de ontem. Não fomos tão fortes como somos habitualmente na sexta-feira, mas recuperámos muito bem e isso deveu-se a muito trabalho de todos. Estamos agora numa boa posição para marcarmos pontos amanhã com ambos os carros.”

 

 

 

A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing. Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team.

 

 

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com, , on Facebook at www.Facebook.com/HaasAutomationInc, on Twitter @Haas_Automation and on Instagram @Haas_Automation.

 

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ ou facebook.com/haasportugal.


Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos