In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


HOJE CONDUZIMOS - ALFA ROMEO GIULIA QUADRIFOLIO

 

HOJE CONDUZIMOS

 

ALFA ROMEO GIULIA QUADRIFOLIO

 

PURO CUORE SPORTIVO

 

Depois de tanto anos, a Alfa Romeo lançou no mercado um verdadeiro “puro sangue”, um modelo com muito “cuore sportivo”, eis o novo Giulia Quadrifolio.

 

Uma vez mais os estilistas italianos foram autores dum carro muito bonito, sob o ponto de vista estético foram eximios, na qual sobressaem linhas muito próprias, com uma frente única, bem diferente do seu antecessor 156 por exemplo.

 

Este “puro sangue” da Alfa Romeo surge equipado com um motor de 2,9 litros com “ apenas “ 510 cv de potência, com uma caixa de seis velocidades, que dá a “alma “ a este modelo da casa italiana de Varese.As linhas do novo Alfa Romeo Giulia Quadrifolio não escondem a “pinta, pois a frente é inconfundivel, com a grelha em triangulo invertido com o simbolo da marca, surgindo depois abaixo um pequeno spoiler aerdinamico muito esguio.Depois aparece uma saida de ar junto das rodas da frente, para além de surgir nas partes laterias o simbolo do trevo de quatro folhas.A traseira em si também é muito bonita, agressiva quanto basta, com um spoiler muito util, e depois …quatro “bufas”, digo quatros canos de escape, que lhe dão um verdadeiro cariz desportivo.

 

Os interiores em si conjugam o factor desportivo, e o cariz familiar, onde os bancos todos em couro preto com o simbolo da Alfa Romeo que lhe dão uma personalidade muito própria.O tablier em si, compacto, mas de fácil consulta e utilização.O botão do strart  está instalado no volante, mais outro toque desportivo…..

 

De referir que o propulsor do Alfa Romeo Giulia Quadrofilio é “descendente “ do Ferrari Califórnia, mas com menos potencia.Os bancos dianteiros são muito envolventes, e embora possuam uma forte tónica desportiva, são confortaveis e envolventes.Para quem viaja nos bancos de trás, espaço para as pernas é algo que existe, embora não seja muito abundante, mas estamos a falar dum desportivo que pode transportar com comodidade e segurança quatro passageiros.O banco de trás embora não seja nada envolvente, é confortável.Quanto à bagageira é bem generosa, isso tendo em conta as dimensões do Alfa Romeo Giulia Quadrifolio.

 

Ao abrir a porta do lado do condutor, o aspecto interior do Alfa Romeo Giulia Quadrifolio é muito bonito, onde as côres preto e vemelho são a nota dominante de muito bom gosto.O simbolo da marca , surge nos bancos, dando classe ao carro, sendo mais um detalhe importante a ter em consideração em termos de personalidade muito própria.Sentado ao volante, depois de colocar o cinto de segurança, é então chegado a altura de colocar o dedo no botão do start, e de imediato se ouve o roncar do motor V 6, que nos diz logo “ anda, vou-te mostrar o que valho… e prepara-te para as emoções…se logicamente tiveres unhas…anda vamos divertir”,e  a verdade é que nos divertimos, e muito com os 510 cv, por sinal a “relinchar e a mostrar o que valem….Engrenando a 1ª velocidade, das seis existentes na caixa de velocidades, o Alfa Romeo Giulia Quadrofolio começa logo por nos mostrar o seu “pedigree”, a solicitar sempre para acelarar mais, mas a verdade é que este modelo está equipado de origem com quatro modos de condução – o Advance –Efficiency – Natural Dynamic e Race, que perantes diferentes tipos de condução (não existe modo de poupança ou económico ), onde o destaque vai para o Dynamic, onde o “pedigree” vem ao de cima, podendo chegar à velocidade máxima de 307 km/h.A curvar e a travar é qualquer coisa, sempre com grande estabilidade, mesmo com tração traseira.Um conselho, cuidado ao desactivar os controles de tracção, pois caso o faça, depois está perante uma “besta”, e depois para parar….é que são elas, pois não é fácil domesticar tanto cavalo junto.

 

Escusado será dizer que perante um desportivo de cariz familiar, poupança de combustivel, é algo que não há, nem pode haver, pois no nosso caso quando entregamos o “brinquedo”, os consumos foram sempre acima dos 20 litros, mas a verdade é que não se pode ter tudo, pois estamos perante um desportivo de quatro lugares, que conseguiu na pista de Nurburgring fazer o melhor tempo que outros desportivos, nomeadamente o Mercedes SLS e o Porsche 991, que foram assim batidos no seu próprio território.Não nos queremos alongar muito mais sobre a ultima obra prima da Alfa Romeo, mas acomselhamos a todos a solicitar um teste junto dum concessionário junto de si, e depois experimente as emoções ao volante do novo Giulia Quadrifolio.

 

Teste e fotos de João Raposo Photography – www.velocidadeonline,.comFOX 5178.a_CopyFOX 5179.a_CopyFOX 5180_CopyFOX 5182.a_CopyFOX 5236.a_Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - MERCEDES CLASS E

 

HOJE CONDUZIMOS

 

MERCEDES CLASS E

 

O GRANDE SALTO QUALITATIVO DA MERCEDES

 

Não temos a menor dúvida em afirmar que a Mercedes deu um grande salto qualitativo no seu novo Class E, um dos mais importantes segmentos no seio do construtor de Estugarda.

 

No aspecto geral, o novo Mercedes Class E, mostra a sua força, determinação e espirito  de iniciativa, com uma harmonia de linhas aerodinamica mais forte do que estavamos habituados nas series anteiores.Todo o novo Mercedes Class E, mostra grandiosidade com linhas acentudas da silhueta lateral, onde se conjuga a dinamica e potencia, com motores resistentes, e acima de tudo eficientes, oferecendo uma conduição descontraida, tendo o novo Class E uma série de sistemas de apoio, como por exemplo poder-se ler no painel de instrumentos os limites de velocidade actuais, e as estradas onde não  é permitida a ultrapassagem.No entanto o novo Mercedes Class E, usufrui dum sistema electrónico, que detecta sinais de fadiga no condutor, situação essa que testamos , pois depois de ter percorrido 500 quilómetros, na qual surgui um alerta para pararmos, o que acatamos a sugestão.Outro dos pontos fortes deste novo Mercedes Class E, é a sua autonomia, pois fizemos com um depósito cerca de 1300 km, o que não deixa de ser extraordinário, face ao carro que estamos a falar.

 

Este nosso teste, pecorrermos cerca de 1600 km, em circuito urbano e  auto estrada, e a nota que atribuimos a este modelo é de cinco estrelas mais. A Mercedes não pára de revolucionar os seus modelos, e o novo Class E não é de modo algum excepção, pois a fasquia do construtor alemão está muito alta, e os seus mais directos concorrentes vão ter muito que andar para superar esta fasquia imposta pela Mercedes com o novo Class E.

 

Quanto a motorizações o novo Mercedes Class E na versão equipada com um motor diesel, usufrui de três niveis de potência, enquanto nos propulsor a gasolina, existem três motorizações distintas, para além duma versão hibrida e a gás.

 

O novo Mercedes Class E 220 Blue Tec, está equipado com muma caixa manual de seis velocidacdes, para além do sistema Pre-Safe, que entra em acção em situações de perigo, acionando medidas preventivas para protecção dos passageiros.Em caso de colisão o novo Mercedes Class E está equipado com outras tecnologias para oferecer maior protecção.De origem o novo Mercedes Class E surge equipado com o sistema Attention Assist, que é um sistema que reconhece a fadiga ao condutor(testemunhamos uma situação desta, depois de 500km percorridos sem paragem, no qual o computador de bordo observou um comportamento não muito habitual da minha parte, surgindo logo um estridente sinal sonoro, para alertar para o facto, sugerindo uma paragem, o que logo foi feito), sendo este sistema muito util em viajens prolongadas, onde vários sensores instalados no novo Mercedes Class E analisam todo o comportamento em velocidades comprendidas entre os 60 e os 220 km /h, podendo de forma antecipada emitir um aviso no caso do aumento de fadiga.Outro equipamento de série que surge no novo Mercedes Class E, são os faróis parcialmente em LED, que surge para as luzes dos médios, diurna e nocturna, oferecendo logo uma luminosidade máxima.

 

A segurança é um dos pontos altos do novo Mercedes Class E, com a instalação de série do sistema de protecção preventiva dos ocupantes, podendo reconhecer de forma antecipada situações de condução critica, analisando de forma continua os dados dos sistemas ESP ,identificando por exemplo travagens de emergencia, ou subviragens acentuadas, originando tudo isto que os cintos de segurança fiquem tensos.Outro sistema de segurança que surge no equipamento de série é o Collision Preventition Assist Plus, que é um sistema que reconhece as distancias muito curtas entre os veiculos que circulam à nossa frente.Curiosamente no caso dum acidente, o novo Mercedes Class E já vem equipado com o capot activo do motor, que reduz assim de forma acentuada os riscos em caso de embate,elevando-se na zona traseira, amortecendo o embate, e reduz o risco de ferimentos graves.Ainda no caso de acidente o novo Mercedes Class E dispõe de cintos de segurança  de três pontos,estando sincronizados com os air bags, num total  de nove, dois dianteiros que se activam perante a gravidade, surgindo depois os airbags laterais  nas barras da frente, assim como dois windowbags.Há ainda o airbag para os joelhos, para além dos apoios de cabeça Nec-pro.

 

Quanto a conforto, é o que existe em grande quantidade, pois no interior do novo Mercedes Class E, o construtor pretende facilitar acima de tudo a vida ao condutor, surgindo por exemplo o assistente de estacionamento activo com o Parktronic, que é composto por doze sensores que analisam toda a área circundante, dando essa informação no painel de instrumentos.Para incrementar ainda mais o conforto, surge o sistema de climatização Thermatic, que não é mais do que a climatização automática que regula de forma automática a temperatura e a ventilação para o condutor e restantes acompanhantes.Os bancos em si, são muito  confortáveis, envolventes, ergonómicos, e são ajustados electricamente, só os dianteiros.

 

Em termos de equipamento de série, o novo Mercedes Class E surge com muito tempo de equipamento, com o painel de instrumentos tubular, com cinco instrumentos analógicos, volante multi funções de quatro raios, com doze teclas.Os estofos são em tecido, e como já dissemos os bancos dianteiros são ajustaveis electricamente.A nível do exterior de salientar o friso ornamental, suspensões direct control, farolins com tecnologia LED, luzes de condução diurna com LED, e jantes de liga leve, isto na versão do equipamento base.Em termos de  de gamas do Mercedes Class E, temos de seguida a linha Elegance (modelo ensaiado), que surge carregado ainda com muitos extras, tais como o porta-objectos na consola central, à frente do apoio de braços central iluminado, compartimento porta-objectos debaixo dos bancos da frente, iluminação ambiente com três tonalidades e intensidade, estofos em tecido, alavanda de velocidades em pele e elementos ornamentais em raiz de nogueira.Em termos exteriores de referir os frisos ornamenatis laterais  e pára-choques, suspensaão direct control com afinação, grelha do radiador de tres lamelas, e jantes de liga leve de 17 polegadas.Escusado será dizer que nas gamas seguintes, Avantgarde os extras são mais do que muitos.De referir o pack Exclusive, que poderá ser acrescentado às gamas Elegance e Avantgarde, para além dum pack desportivo exterior.Por ultimos temos os pack desportivos da AMG, o “braço “ de competição da Mercedes.Ainda em termos de equipamento há a salientar os farolins com tecnologia LED, retrovisores exteriores aquecidos, e ajustaveis electricamente a partir do interior.Audio, climatização autonoma, Thermatic, apoios de cabeça Neck-Pro à frente, painel de instrumentos com design tubular com instrumentos redondos, selector Direct Select e unidade acionamento no apoio de braços.Em termos de jantes, a Mercedes dispõe de dezasseis modelos diferentes, para além dum ilimitado numero de acessórios como por exemplo o sistema de entretenimento traseiro para as crianças, mas isto é um extra pago à parte.

 

A versão por nós ensaiada estava equipa com um propulsor de 2.200 c.c, que atinge uma velocidade maxima de 228 km/h, e 170 cv de potencia.Com um  comprimento de 4,8 metros, a Mercedes tem para o novo Class E disponivel em Portugal duas cores sólidas, oito metalizadas, duas cores designo e cinco designo manufactura.

 

Ao volante o novo Mercedes Class E , apenas encontramos  um termo – FABULOSO. Por mais que quisessemos não encontramos feitos, desta feita o construtir alemão subui a fasquia a todos os niveis.Espaço e conforto interior é o que não falta, existindo em grande abundancia.Para quem viaja atrás, espaço para as pernas é o que não falta.A bagageira em si é soberba.O tablier do Class E tem toda a informação à `”mão de semear”, de fácil acesso a todos os manipulos.De referir a excelente aparelhagem sonora que equipa este carro, e que foi muito do nosso agrado.A curvar e  a travar é impecável, aliás sobre o seu comportamento não temos nada de negativo a dizer, aliás como já aqui disse tivemos muitas dificuldades em encontrar defeitos….ah já encontramos, o seu preço final….mas grande parte da culpa é das taxas que esta carro sofre na sua legalização, aliás os governos em Portugal continuam a achar que o automóvel é a “galinhas do ovos de ouro”.Para terminar convidamos todos os leitores a deslocar-se a um concessionário e testar o novo Mercedes Class E.

 

Texto e fotos de João Raposo – FOX 4926_CopyFOX 4930_CopyFOX 4934_CopyFOX 4935_CopyFOX 4937_CopyFOX 4939_CopyFOX 4941_CopyFOX 4942_CopyFOX 4944_CopyFOX 4948_CopyFOX 4951_CopyFOX 4953_CopyFOX 4955_CopyFOX 4958_CopyFOX 4959_CopyFOX 4963_Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN JUKE NISMO

HOJE CONDUZIMOS

 

NISSAN JUKE NISMO -  A SURPRESA NIPÓNICAn1 Copyn2 Copyn4 Copyn5 Copyn6 Copyn7 Copyn8 Copyn9 Copyn10 Copyn12 Copyn13 Copyn15 Copyn16 Copyn18 Copy

 

 

Uma vez mais a Nissan inovou com a sua ultima versão do Juke Nismo, que desta feira recebeu a designação de RS, ao contrário do seu antecessor que apenas era conhecido por Juke Nismo.

 

Existente em apenas duas côres, branco e preto, a versão por nós ensaiada era de côr branca com os retrovisores vermelhos.Olhando bem para o novo Nissan Juke Nismo RS, há algumas diferenças estéticas em relação ao modelo anterior.Abrindo a portda do lado do condutor, a tónica desportiva está em grande destaque, onde se vê logo os bancos dianteiros que não são mais do que duas bacquets muito identicas aos habituais bancos existentes nos carros de comeptição.Por isso embora sejam envolventes, não são assim tão cómodas, mas a verdade é que não se pode ter tudo.....

 

O tablier é todo forrado em tecido preto, estando bem à vista os manómetros que ostentam o simbolo RS mesmo no fundo.Com toda a informação concentrada, é de fácil acesso e manuseio, o Nissan Juke Nismo está equipado com uma caixa de seis velocidades, e mais a marcha atrás, com o punho da alavanca nas cores preto e vermelho.De referir os diferentes locais para colocar os objectos habituais que trazemos no nosso carro.Para quem viaja nos bancos de trás, gostamos do espaço existente entre o bancos dianteiros e traseiros, onde o espaço por exemplo para as pernas é mais do que suficiente.Quanto à bagageira em si, tendo em conta as suas dimensões, está bem aproveitada, e ususfrui dum bom espaço.

 

Ao volante o novo Nissan Juke Nismo é um autêntico "brinquedo", que pouca gente reconhece, isso motivado por não haver ainda muitos exemplares nas estradas portuguesas.No teste que fizemos ao Nissan Juke Nismo, coincidiu com o fim de semana da passagem do WTCC pelo circuito de Vila Real, e na véspera dos treinos livres, portanto na 5ª feira na chegada à capital transmontana, bem perto do Hotel Miracorgo, tivemos de parar junto duma passadeira para deixar passar importantes peões, eram eles Tiago Monteiro e a sua familia, Tarquini, Michelisz,  e Rob Huff, colegas de equipa  na Honda com o piloto portugues.Na altura em que Huff atravessava a passadeira, este apercebe-se do novo Nissan Juke Nismo, e apontando para o carro a explicar  à sua mulher qual era o modelo que ali estava, de repente acena-me e diz "que carro fixe".Pelos vistos o Campeão inglês saba do que se trata.....

 

Mas de novo ao volante do novo Nissan Juke Nismo, encontarmos apenas um defeito, pois qualidades são mais do que muitas...mas como estavamos a dizer, o unico defeito que encontramos...é um bocado gastador, em termos de combustivel, mas não podemos pedir milgares a um SUV que é sem duvida alguma um dos mais rápido no seu segmento, com um motor de 2 litros e uma potencia de "apenas " 218 cv de potencia.Mas esta máquina também é exigente em termos de produto, pois apenas usa gasolina de 98 octanas...Quanto a andamento estamos falados, pois é qualquer coisa, com uma capacidade de travagem e a curvar fora do comum para um SUV, numa só palavra classificamos o mesmo de assombroso.

 

È um carro que engana pelo seu aspecto, pois é debaixo da carroçaria que se esconde todo o segredo deste carro, e apenas é identificado pelos retrovisores e pelo simbolo que se encontra na grelha dianteiro e na traseira.No capitulo da segurança , nada foi descurado com air bags frontais e laterais e cortina, para além do ABS e ESP, indicador de baixa pressão dos pneus, sistema isofix, faróis de activação, sensor de chave, direcçao assistida electrica e sensivel  a velocidade, cruise control, um tipo de jante de ligaleve, bancos Recaro em alcantara preto e vermelho .Mas deixemos de mais tretas, procure um concessionário Nissan, e caro leitor solicite um teste e depois verá como irá ficar surpreendido.

 

Quanto a preços varia entre os 34.500 e os 37.260 euros

 

Texto e fotos de João Raposo Photographic - www.velocidadeonline.com

 

 

 

HOJE CONDUZIMOS - MERCEDES CLASS C COUPÉ

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

MERCEDES CLASS C COUPE

 

 

CHARME AO MAIS ALTO NÍVEL

 

 

Não Temos a menor dúvida em afirmar que a Mercedes atingiu um patamar com o novo C Coupé. Um carro pleno de classe, distinto no seu aspecto, e facilmente detectável no meio do tráfego. Olhando para o novo Mercedes C Coupé, usufrui dum design empolgante, com a tradicional frente utilizada pela marca alemã, que recebeu a designação de Diamond. As linhas gerais são fluidas, com ópticas em Led, a traseira é muito bonita, diria mesmo apaixonante, a lembrar o design italiano.

 

 

O interior está na melhor tradição da Mercedes, com uma interessante disposição do instrumentos, sendo perfeita e a utilização intuitiva. O head display oferece as informações mais importantes, nomeadamente a velocidade, os seus limites, e indicações de navegação, tudo isso em função dos equipamentos de cada versão disponível. Os bancos todos em pele, muito envolventes, oferecem um apoio lateral ideal, e um visual com uma componente desportiva, com cores marcantes e uma posição rebaixada dos assentos, retrovisores exteriores estão posicionados directamente  nas portas, sem moldura, em suma mais uma personalização para este Coupé da Mercedes.

 

 

Os motores que equipam o novo Mercedes Class C Coupé, tem à disposição quatro versões a gasolina – C 180, C 200 – C 250 – C 300, e na versão diesel as versões C 220 – C 250.Já que falamos de motores, a Mercedes continua a inovar, pois na versão a diesel C 250, permite saltos de rotações reduzidas e mudanças de velocidades mais rápidas. A caixa automática 9 G-TRonic disponível para os propulsores a diesel, oferecendo acima de tudo agilidade. O sistema 9 G Tronic permite a redução directa de várias velocidades, e acelerações mais rápidas e potentes. No pack de condução dinâmica Airmatic, surge a suspensão com regulação continua do amortecimento, sendo totalmente automática, adaptando-se a cada roda, e ao estado do piso. O comand online, possui navegação, telefone, áudio, vídeo e internet, com o sistema de comando, na qual o condutor tem acesso directo a tudo isto. AS indicações apresentadas no display com 21,3 cm ou 8 “, permite com o novo touchpad com sensores multititouch das as instruções desejadas. O sistema áudio, que é absolutamente fabuloso, no interior do Mercedes Class C Coupé, parece mesmo que estamos no meio de uma orquestra, tal a sonoridade que oferece. Este sistema multimédia combina três componentes, rádio, sintonizador duplo entre outros. Usufrui igualmente dum sistema de som Surrond Burmester, que é composto por treze altifalantes, com um amplificador DSP de nove canais e uma potência na ordem de “apenas” 590 watts. De referir que a função Surround  traduz-se numa sensação de bem estar sonoro, quer nos lugares dianteiros, quer nos traseiros, oferecendo logicamente uma excelente sonorização, mesmo a alta velocidade.

 

 

Extras é o que não falta neste Mercedes, tal a tecnologia com que está bem equipado, começando pelo pack de assistência à condução Plus, que é uma combinação de sistemas de assistência à condução e segurança inteligentes que diminuem a sobre carga sobre o condutor, oferecendo apoio. Depois temos o Distronic Plus, que mais não é do que um assistente de direcção e sistema stop&Go, que permite ao condutor manter a distância para o veículo da frente, e permanecer na faixa de rodagem.

O novo Mercedes C Coupé já vem equipado com o sistema de assistência à travagem Bas Plus, que com os travões Pré Safe reduz os riscos de acidentes., em cruzamentos, colisões frontais frontais, para além de evitar um eventual embate num peão. Depois temos ainda o assistente activo da faixa de rodagem, e o assistente activo do ângulo morto.

 

 

A segurança não foi minimamente descurada, mas queremos chamar à atenção que este novo Mercedes C Coupé já vem equipado com o Attention Assist, que oferece maior segurança para o condutor e acompanhante em percursos nocturnos. Este sistema do Attention Sistem é  deveras curioso, pois com base no comportamento de direcção do condutor, consegue recolher os sintomas de cansaço, alertando o condutor com sinais sonoros para evitar que o mesmo adormeça ao volante. Depois há o assistente activo da faixa de rodagem, que reconhece a saída involuntária de faixa de rodagem, alertando o condutor com vibrações ao volante, e auxilia o mesmo a colocar mo carro na direcção correcta. Outro factor de segurança curioso, sendo ao mesmo tempo inovador, em caso dum um ciclista ou mesmo um peão terem a pouca sorte de baterem no novo Mercedes Class C Coupé, o capot activo do motor, poderá ser elevado em diferentes variantes, pois o aumento de distância em relação aos componentes do compartimento do motor, faz surgir um espaço de deformação adicional, amortecendo assim o embate, com uma redução lógica de lesões. No caso dum, acidente de maior gravidade, o novo Mercedes C Coupé, o motor desliga-se automaticamente, e o sistema de luzes intermitentes actua logo de imediato, na qual depois o fecho centralizado de portas é desbloqueado, aparecendo depois o sistema de chamada da Mercedes que informa as autoridades do posicionamento do carro e outros informações sobre o carro.

A nova versão do Mercedes Class C Coupé, aparece no mercado português com diferentes níveis de equipamento. O modelo de série, vem com uma grelha Diamond com raios em preto, jantes de liga leve de 17 polegadas, luzes traseiras com Led, suspensão agility controla rebaixada, bancos de design integral, volante multi funções, encosto do banco traseiro rebatível, e estofos em pele sintética. Outra das versões disponíveis do Mercedes Class C Coupé é a AMG Line.A sigla AMG significa o departamento desportivo da marca alemã, daí esta versão dispor duma tónica desportiva, com destaque para a saia dianteira, com entradas de ar, jantes de liga leve com cinco raios com pneus 245 na retaguarda. Outro dos extras que possui é a suspensão com direcção directa desportiva, sistema de escape integrado no pára-choques. Em termos de interiores, os estofos são  todos em pele, volante multi funções desportivo, painel de instrumentos, com elemento ornamental, pedais desportivos em aço inoxidável, e pack de luzes interiores. O tecto de abrir panorâmico é um extra, que proporciona uma sensação de conduzir a “céu aberto”. A persiana eléctrica assegura a sombra necessária. Outro extra que a Mercedes tem no novo Class C Coupé, são os spoilers no tejadilho e traseiro, que dão “uma certa pinta desportiva” ao bonito carro.

 

 

Para o mercado português, a Mercedes tem disponível dezasseis referências diferentes, que equipas as diferentes versões. Em termos de motorizações, a versão diesel, apenas tem disponível o C 220 D e C 250 D.Nas versões a gasolina, são seis propulsores distintos, o C 180, C 250, C 300, AMG 6.3 e AMG 6.3 S. Quanto à panóplia de cores há duas sólidas, sete metalizadas.

Não temos a menor dúvida, que uma vez mais a Mercedes inovou, e face à concorrência este C Coupé quase diríamos que não tem adversários à sua altura. Fizemos largas centenas de quilómetros, quer em estrada quer em cidade, e francamente não encontramos defeitos, quase diríamos um carro perfeito.

 

 

A frente deste Mercedes é típica da marca, mas a traseira é muito bonita com muito charme e distinção. O departamento de design da Mercedes inovou  muito, criando um coupé com uma personalidade muito própria, com umas linhas fluidas. Mal se abre a porta do lado do condutor, o conforto salta logo à vista, assim como a qualidade dos acabamentos. Tratando-se de um coupé com quatro lugares, que oferece todo o conforto e segurança para os ocupantes. Mal se coloca o motor em funcionamento, mesmo tratando-se de um propulsor a diesel, a versão por nós ensaiada, mal de nota o ruído do motor, tal é a qualidade de insonorização interior. Os bancos dianteiros são muito confortáveis, e envolventes. Então a aparelhagem sonora deste Mercedes, apenas uma palavra para o definir – SOBERBBA.

 

 

Para quem viaja nos bancos de trás, espaço para as pernas existe em abundancia. A bagageira e enorme tendo em conta as dimensões do novo Mercedes C Coupé, aliás todo o espaço inteiro deste carro está muito bem aproveitado.

Ao volante, o comportamento do novo Mercedes C Coupé é qualquer coisa, é um carro que pelas suas linhas chamo logo à atenção .Embora a versão por nós ensaiada fosse um 2.2, não achamos um carro gastador, mas a verdade é que o “pedigree” deste Mercedes vem ao de cima na auto estrada, onde o conforto e a segurança se juntam às altas performances. Apontar defeitos a este carro, há apenas  um, mas a culpa não é do construtor, mas sim do Estado Português, que continua a achar que o automóvel em Portugal terá de ser a “galinha dos ovos de ouro”, para os cofres do Estado.

 

 

Por isso para terminar, siga uma sugestão, dê uma saltada a um concessionário da marca perto de si, e faça um test drive, aconselhamos isso vivamente, e depois tira as suas conclusões para uma máquina cujo custo começa nos 45.000 euros, infelizmente só ao alcance de alguns, mas seu eu pudesse ter um…..garanto….não me importava.

 

FOX 9068_CopyFOX 9069_CopyFOX 9072_CopyFOX 9075_CopyFOX 9076_CopyFOX 9077_CopyFOX 9079_CopyFOX 9082_CopyFOX 9084_CopyFOX 9086_CopyFOX 9088_CopyFOX 9090_CopyFOX 9091_CopyFOX 9093_CopyFOX 9099_CopyFOX 9101_CopyFOX 9103_CopyFOX 9105_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NOVO TOYOTA PRIUS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

TOYOTA PRIUS

 

 

BEM VINDO AO FUTURO….. NUM AUTOMÓVEL

 

 

A Toyota tem sido preconizadora dos motores híbridos, e quando o Prius foi lançado, foi uma autêntica “ revolução” na industria automóvel, um veiculo com motor de combustão e um propulsor a electricidade.

Curiosamente o nome Prius significa em latim “ antes de “, e nesse aspecto o carro que hoje testamos foi um pioneiro. Equipado com um propulsor de 122 cv de potência, com um consumo de combustível de 3 litros por cada 100 km percorridos, isso num circuito urbano, o Toyota Prius faz dos 0 aos 100 km em “apenas” 10, 6 segundo.

 

 

A versão do Toyota Prius por nós ensaiada é da ultima geração, que surge com baterias com maior autonomia. Por outro lado o consumo de combustível em cidade e na estrada também foi alvo de redução. Há também a realçar que as novas baterias que equipa o Toyota Prius recuperam mais energia, e com isso o consumo de combustível na cidade e na auto estrada ou mesmo estrada é reduzido de forma significativa. Por seu lado o novo Toyota Prius estreia uma nova arquitectura global, que centra-se na padronização de peças e componentes, melhorando a forma de construção dos carros.

 

 

O design deste Toyota Prius é inovador com uma silhueta triangular, icónica, oferecendo um looking mais fluido e desportivo, não esquecendo as luzes lead dianteiros, o capot rebaixado e a linha do tejadilho até aos farolins. Depois temos o sistema Follow-me-home, que é um auxiliar durante o período nocturno. Quanto a tecnologia, o novo Toyota Prius é aquilo que podemos de apelidar “barra”, pois desde que nos sentamos, tudo à nossa volta é tecnologia do futuro, onde se destaca o Toyota Safety Sense, que é composto pelo sistema inteligente de ajuda ao estacionamento, reconhecimento de sinais de transito, sensor de chuva, sistema de pré-colisão com detecção de peões, alerta de mudança de faixa de rodagem, luz de máximos com controle automático. Há ainda um sofisticado conjunto de vinte e dois sensores colocados em volta do Prius, que funciona com um sexto sentido, alertando o condutor para qualquer tipo de perigo. Quanto a sistemas, o novo Toyota Prius dispõe de sistemas safety sense, que conjuga sistemas de segurança activos, avançados para um condução mais segura, sendo estes cinco sistemas – pré-colisão com detecção de peões, alerta de mudança de faixa de rodagem, luz de máximos com controle automático, reconhecimento de sinais de transito e cruise control adaptativo.

 

 

DE referir ainda da detecção traseira de aproximação, que permite ao condutor fazer inversão de marcha de segurança,  a partir do lugar de estacionamento, detectando os veículos que se aproximam do seu ângulo morto, recorrendo por isso a um radar de ondas milimétricas, alertando o condutor através dum alarme sonoro e indicadores luminosos nos retrovisores exteriores. Mas em termos de sistemas o novo Toyota Prius usufrui do BSM que permite ao condutor realizar manobras de mudanças de faixa de rodagem. No campo das inovações, o novo Toyota Prius, difere da concorrência, dispondo do sistema Head Up Display a cores que é projectado no pára-brisas e directamente no seu campo de visão, para além de dois ecrãs TFT de 4,2 “ no painel de instrumentos, que permitem um acesso fácil a informação, tais como, navegação, áudio,  e controle de climatização, para além dos sistemas de auxilio à condução.

 

 

Em termos de interiores, o conforto e o luxo são a tónica dominante, mal se fecha a porta do lado do condutor e nos sentamos ao volante e olhamos para o painel de instrumentos, ficamos com a sensação duma viajem ao futuro. O interior é fruto dum estilo contemporâneo, reforçado por materiais suaves, sofisticados acabamentos metálicos, com o logótipo Pruis nas saídas de ar, tornando o painel de instrumentos mais simples e moderno. A posição de condução é rebaixada com um design ergonómico , aliado a um volante que pode ser reajustado de acordo com as necessidades. Por outro lado, o sistema inteligente de ar condicionado, permite uma maior economia de combustível e um maior conforto para os cinco passageiros, direccionando o fluxo de ar apenas para os lugares ocupados, isso através de sensores existentes. Ainda sobre o ar condicionado existente no Prius, é compacto e silencioso. Os cromados instalados no volante, permitem diferentes funções, tais como o áudio, voz, telefone e multi informações, e cruise control adaptativo. A alavanca das velocidades, dispõe duma tecnologia de transmissão controlado electronicamente, utilizando sinais eléctricos para transmitir os movimentos da alavanca de velocidades, permitindo mudar de velocidade apenas com a ponta dos dedos, enquanto no painel, surge a informação sobre a mudança.

 

 

Por sua vez o sistema Toyota Touch 2, é um sistema multimédia intuitivo e fácil de usar, fornecendo muito tipo de informação com um ecrã táctil, estilo tablet de  7” com controles Drag@Flick, que inclui um avançado sistema áudio que é compatível com os dispositivos USB, Ipods e smartphones, incluindo ainda o Bluetooth para chamadas em modo de mãos livres. O sistema de navegação Toyota Touch, vem equipado com mapas da Europa, funções de desvio e percursos ecológicos, para além da visualização de mapas em 2 D e 3 D, com actualizações de trânsito em tempo real. O reconhecimento de voz, permite a busca do destino, solicitar a reprodução de música, e até mesmo efectuar chamadas telefónicas, utilizando apenas a voz, minimizando as distracções do condutor.

 

 

O interior do novo Toyota Prius é futurista, mal nos sentamos no banco do condutor e olhamos à nossa volta, verificamos que este carro é diferente daquilo que estamos habituados. Podendo transportar cinco adultos com todo o conforto e segurança, o espaço interior está muito bem aproveitado. A mala em si, desfruta dum bom espaço, isso tendo em conta as dimensões do Toyota Prius. A qualidade e funcionalidade estão interligadas no interior do Prius, onde se destaca uns acabamentos metálicos com o logo Prius nas saídas de ar, tornando o painel mais simples e mais moderno. De salientar a posição rebaixada do banco do condutor, com os bancos com um desenho ergonómico, que garante as melhores condições para uma condução híbrida. O sistema inteligente do ar condicionado, permite uma maior economia de combustível, para além de incrementar o conforto dos passageiros, isso porque o ar é direccionado para os lugares dos ocupantes. Ainda sobre o ar condicionado, que equipa o novo Toyota Prius, o mesmo é silencioso, é o mais avançado que existe na industria automóvel. O volante em si, com os comandos posicionados, permitem ajustar uma série de funções, tais como o telefone, cruise control e multi-informações.

 

 

O novo Toyota Prius está disponível em Portugal nas versões Exclusive, Luxury, cada uma equipada com uma série de extras. O Prius permite ao seu proprietário criar o seu embelezamento, com frisos laterias e inferiores, frisos inferiores no pára choques, contorno dos faróis de nevoeiro, e aplicações para as jantes. Depois há ainda o gancho de reboque destacável, barras no tejadilho, suporte para o transporte de bicicletas no tejadilho, protecção de bagageira, Toyota Hotsport, rodapés das embaladeirasa iluminados .Quanto a cores o novo Toyota Prius tem em Portugal sete cores, com dois tipos de jantes de liga leve de 15” e 17”, com os bancos em tecido preto, ou em pele natural. Como extra surgem aplicações para jantes e estofos em pele preta com pesponto cinza, ou inserção cinza.

 

Por isso caro leitor, se procura um carro amigo do ambiente, de aspecto futurista, o novo Toyota Prius é a escolha indicada, por isso sugerimos que vá a um concessionário da marca, e peça para fazer um testes, depois tire as suas conclusões, e veja se estamos longe da realidade.

FOX 7295_CopyFOX 7296_CopyFOX 7297_CopyFOX 7298_CopyFOX 7299_CopyFOX 7300_CopyFOX 7301_CopyFOX 7302_CopyFOX 7305_CopyFOX 7306_CopyFOX 7307_CopyFOX 7309_CopyFOX 7310_CopyFOX 7311_CopyFOX 7312_CopyFOX 7313_CopyFOX 7315_CopyFOX 7316_CopyFOX 7317_CopyFOX 7319_CopyFOX 7321_CopyFOX 7323_CopyFOX 7324_CopyFOX 7325_CopyFOX 7326_Copy

Texto de fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - MASERATI GHIBLI

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

MASERATI GHIBLI Q 4

 

 

A” BELA DONNA” DA MASERATI

 

 

Depois do teste que fizemos há uns meses atrás ao Maserati Ghibli S equipado com um propulsor diesel, recentemente tivemos a oportunidade de poder testar o mesmo modelo, mas com o propulsor a gasolina, e tracção às quatro rodas, daí a designação de Ghibli S Q 4.

Este Maserati é aquilo que podemos de apelidar de “loucura total”, pois estamos a falar dum “puro sangue”, ao melhor estilo da marca do tridente. Logicamente que quem pode ter uma máquina deste calibre, não se pode preocupar com consumos, o que pretende é um carro em que se mistura uma componente familiar e a outra parte duma componente desportiva, como é o caso deste Ghibli S Q 4.

Em circuito urbano, em termos de consumos, por cada 100 km percorridos consome “qualquer coisa” como 15,7 litros( não exagerando nas acelerações, nem nos arranques muito rápidos).NO entanto em estrada os consumos baixam  para os 7,3 litros, e num percurso misto sobe até aos 10,4 litros.

O motor que equipa o Maserati Ghibli S Q 4, é um V6  com 2979 c.c., com uma transmissão automática de oito velocidades, e “apenas” 410 cv de potencia, atingindo uma velocidade de 284 km/h, fazendo dos 0 aos 100 km/ em 4,8 segundos, necessitando de 36 metros para imobilizar este carro, com uma velocidade dos = aos 100 km/h.

Escusado será dizer que  o requinte, muita classe, é tudo que existe dentro deste Ghibli, e neste caso os projectistas italiana não descuraram em nada.

Ao volante, este Maserati Ghibli  é qualquer coisa, com a repartição de potência pelo eixo traseiro me dianteiro. Um  verdadeiro espectáculo, e uma grande aposta por parte da Maserati, que tem vingado um pouco por todo o mundo, e Portugal não é excepção pois no ano passado foram matriculadas quase quatro dezenas de unidades, por isso este é um modelo que é um marco de vendas para a marca italiana.

Por último os nossos agradecimentos à  Tridente, representante, representante da marca em Portugal, pára além de estendermos os nossos agradecimentos a Miguel Bianchi.

 

FOX 0274_CopyFOX 0275_CopyFOX 0276_CopyFOX 0278_CopyFOX 0279_CopyFOX 0280_CopyFOX 0281_CopyFOX 0282_CopyFOX 0283_CopyFOX 0284_CopyFOX 0285_CopyFOX 0297_CopyFOX 0298_CopyFOX 0300_CopyFOX 0301_CopyFOX 0306_CopyFOX 0309_CopyFOX 0310_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN PULSAR

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

NISSAN PULSAR 1.9

 

 

UM “LOBO” COM PELE DE CARNEIRO….

 

 

Depois de termos ensaiado as versões menos motorizadas do Nissan Pulsar, tivemos a oportunidade  de durante uns dias testar  este modelo equipado com um motor de 190 cv.

 

 

O mais curioso é que o Nissan Pulsar   mantém a mesma fisionomia, mas o grande segredo esta na sua “alma”, isto é, no motor.Com um design que já aqui falamos, na nossa opinião é ousado e interessante, o Nissan Pulsar  surge com a utilização de novas tecnologias. Em termos de interiores já aqui falamos, este modelo é similar aos ensaiados anteriormente, no entanto gostaríamos de chamas a atenção que o Pulsar  é o melhor em termos da sua classe, pois quem viaja no banco de trás, tem mais espaço   mais do que suficiente para as pernas, espaço esse que se cifra em 692 mm, oferecendo assim mais conforto para os passageiros. O tablier em si, é elegante com requinte, no Pulsar uma série de itens valorizam este carro, nomeadamente os apoios de braços de grandes dimensões nas portas, mas há também que referir o uso de outros equipamentos, como por exemplo a chave inteligente da Nissan, lava faróis automático e o controle de climatização dual zone.

Outro dos detalhes do Nissan Pulsar usufrui, é o avançado  ecrã de assistência à condução, onde se sobressai o ID de chamada, que permite  ao condutor verificar   as suas chamadas   sem tirar os olhos da estrada. No áudio poderá escolher quais o itens musicais que mais gosta de ouvir, para além do escudo de protecção inteligente da Nissan, que permite que se evitem problemas, através de sinais sonoros e visuais. Depois  pode-se combinar a cor do ecrã, para além da navegação curva a curva, e finalmente o sistema de monitorização de pressão dos pneus. O Nissan Connect permite  o uso da aplicação para telemóvel, sendo este  sistema funcional e inteligente, oferecendo uma vasta gama de funções, e com toda a facilidade  de uso, graças ao ecrã táctil anti-reflexo de alta resolução, oferecendo uma combinação de funções de áudio, navegação e comunicações, não descurando a integração do sistema do smartphone de ultima geração. Na assistência à condução e navegação auxiliar  em todos os tipos de condições de tráfego , não esquecendo  a entrada para o Ipod/USO. Outro extra que equipa o Pulsar da Nissan é a câmara de visão de 360 graus, que recorre a quatro câmaras, que assim se tornam um valioso auxiliar no estacionamento, e quando se faz marcha-atrás.

A versão por nós ensaiada, trata-se da DIG-T com 190 cv de potência, com transmissão Manuel, um binário de 240 nm, equipado com jantes de 18 polegadas, e um consumo na ordem dos seis litros por cada cem percorridos.

 

 

Disponível em Portugal em nove cores diferentes de carroçaria, três tipos de jantes de liga leve, três tipos de revestimento  interior, tendo o Nissan Pulsar um comprimento de quatro metros e trinta com uma largura de 1,76 metros.

Ao volante a versão a gasolina do Nissan Pulsar é uma surpresa, pois é aquilo que apelidamos dum lobo com pele de cordeiro, pois engana mesmo. Por fora não há diferenças para os modelos mais fracos em termos de motorização, por isso caro leitor, se um dia for atrás  dum Pulsar deste tipo, tenha cuidado  pois poder um similar ao que hoje testamos, que é mesmo endiabrado. Já aqui dissemos que a versão diesel que já testamos, é um carro equilibrado, mas a versão 19, é que se nota o quanto é equilibrado, com um propulsor que lhe dá uma alma, que foi muito do nosso agrado. Para terminar caso haja duvidas caro leitor, deixamos uma sugestão de se deslocar a um concessionário da marca, solicite um test drive…e depois verifique se aquilo que aqui dissemos está de acordo com a sua opinião.

 

FOX 2652_Copy_CopyFOX 2653_Copy_CopyFOX 2655_CopyFOX 2656_CopyFOX 2659_CopyFOX 2660_CopyFOX 2661_CopyFOX 2663_CopyFOX 2664_CopyFOX 2667_CopyFOX 2668_CopyFOX 2671_CopyFOX 2672_CopyFOX 2675_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN NAVARA

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

NISSAN NP 300 NAVARA

 

 

O “PANZER   NIPÓNICO”

 

 

Já tivemos a oportunidade de poder testar para os nossos leitores muitos modelos que chegam ao mercado Português, entre eles diversos 4x4, mas durante os três dias que testamos a nova Nissan Navara, ficamos impressionados muito positivamente  sobre este “Panzer” de concepção nipónica.

 

Vendo bem, a nova Nissan Navara   , impressiona pelas suas dimensões, nela tudo é grande, e à primeira vista fiquei com a sensação que esta pick-up foi mais concebida para o mercado norte americano, do que propriamente para o mercado europeu, por sinal mais comedido em termos de dimensões exteriores. Dando uma volta à nova Nissan Navara, fica-nos a sensação dum veiculo inovador, na qual a marca japonesa aplicou a sua experiência  neste tipo de veículo, que produz desde 1935, tendo já produzido qualquer coisa como 14 milhões de exemplares distribuídos por cento e oitenta países. Por isso a “fasquia”  que a Nissan colocou foi alta, e depois de testarmos, podemos dizer APROVADO.

Sobre a nova Nissan Navara   está equipada com um chassi autoportante, com longarinas fechadas, usufruindo dum novo sistema de suspensão traseira  de cinco braços , oferecendo aos cinco passageiros  um maior conforto e melhor manobralidade, embora o raio de acção do volante seja em nossa opinião limitado, mesmo tendo em consideração as suas dimensões, pois tudo nesta Navara      é grandeeeee.Já que falamos em grande, no decorrer do nosso testes, num dos dias tivemos de nos deslocar a uma grande superfície nos arredores do Porto, e o parque em si estava lotado, até que encontramos um lugar adequado para a Navara. Só que pelas suas dimensões, a mesma ocupava um lugar e meio dum veiculo normal, até que uma senhora, também á procura dum lugar para poder aparcar a sua viatura ainda resmungou, dizendo “ poça, tão grande a ocupar tanto espaço.Com o espaço que ocupa ponho lá o meu carro e mais outro…”.Isto demonstra na realidade as dimensões brutais e o looking da nova Navara, que foi muito apreciado por onde passamos, em especial para os detentores doutras Navara, mas de modelos anteriores.

 

Com um ângulo  de saída de 25,6 graus, coim uma altura ao solo de 232 mm, com um ângulo de aproximação de 30, 4 gramas, e finalmente a profundidade de passagem a vau de 600 mm. A nova Nissan Navara pode fazer um reboque até 3,5 toneladas, podendo transportar carga de uma tonelada na sua caixa de carga. Um verdadeiro 4x4, a Nissan Navara está equipada com um sistema ao arranque na subida, mudança instantânea parta modo de tracção integral, ou tracção 4x4 ou total. Outra tecnologia que equipa a Nissan Navara é o ABLS, que é um sistema  de limitação activo para modo de tracção integral. Já que estamos a falar de tecnologia, a Nissan Navara aos circuito urbanos ou campo, e está equipada com três modos de condução, a 4xe4   altas para uma condução fora de estrada, em que também é necessário   toda a tracção, seja o piso de terra, lama ou neve e mesmo areia. Equipado  com um sistema de arranque para subidas mais pronunciadas, tem ainda o controle assistido de descida, não esquecendo a tracção a duas rodas com o auxilio do LSD.Por outro lado os técnicos da Nissan não esqueceram o sistema de controle de descida, ajudando o condutor  a ter uma velocidade estável e equilibrada, e a  travar para que possa circular em descidas acentuadas.

 

 

A nova Nissan NP 300 Navara, mistura um verdadeiro todo o terreno com um crossover.De referir o novo tipo de bancos, com suporte lombar, com inspiração nas viagens dos astronautas, usufruindo de duas zonas de climatização automática, para além            conforto da suspensão multi-link.

A versão por nós ensaiada, estava equipada com um  propulsor diesel de 2298 cc, com 190 cv de potencia, com um consumo estimado de 6,3 litros, por cada 100 km percorridas, com um binário espectacular de 450 nm.A versatilidade  da caixa de cargo do Nissan Navara foi concebida para suportar        todo o tipo de trabalho árduo do dia a dia, com uma porta traseira que simplifica as operações de carga e descarga.

Em termos de interiores, a versão por nós ensaiada foi a intermédia com os bancos e estofos em tecido. Os bancos dianteiros dispõem de gravidade   zero, inspirados na astronáutica, oferecendo uma postura neutra, ajudando  a tornar as viagens mais longas, mais confortáveis. Espaço é o  que não falta no habitáculo da Navara, com destaque para os inúmeros locais para arrumar a tralha que habitualmente trazemos no carro. Locais para arrumar nas portas dianteiras, porta luvas, e na consola central.

 

Por outro lado o controle automático  de temperatura dual-zone, permite ao condutor e passageiros manterem-se     frios ou quentes, dando assim um contributo decisivo no habitáculo da Navara. O conta quilómetros e o conta rotações, são fruto de novas inovações em termos de marca, são de fácil consulta e leitura das informações que presta. À juntar a isto  surge um ecrã avançado de assistência á condução, oferecendo toda a informação, sem obrigar o condutor a tirar os olhos da estrada. O novo Nissan Navara dispõe dum sistema Nissan Connect.

Em termos de chassi a Nissan Navara surge em duas versões, de cabine dupla, ou a versão King cab (apenas duas portas), quanto a extras a Nissan Navara pode estar equipada com uma cobertura flexível, ou tipo persiana. Existe ainda o hard top,e as barras laterais no tejadilho. Depois surge  a barra da frente em aço inox, revestimento para a caixa de carga em plástico, protecção  do portão de trás, e o revestimento para a caixa de carga em alumínio.

 

Em termos de cores, para o mercado português, o potencial comprador poderá optar  pelo bronze terra(a versão por nós ensaiada foi desta cor), preto, cinzento, amarelo savana, branco, vermelho, prateado e azul. Quanto á gama de jantes dispõe de três referencias diferentes. Quanto aos interiores, os potenciais clientes tem á sua disposição três opções diferentes. Por ultimo surge uma panóplia de acessórios para a caixa de carga, e os estribos, para além de pequenas peças que dão um toque mais desportivo à Navara.

Com preços a partir dos 42.000 euros, a nova Nissan Navara, um autêntico Panzer da marca nipónica, com um torque fabuloso, esta incrível pick up consegue arrancar em 4º velocidade…..Potência tem mais do que suficiente, pois os 190 cv são muito bem aproveitados, com uma direcção assistida excelente, boa aparelhagem sonora interior, no entanto o único ponto negativo a apontar é o raio de acção para virar, obrigando a certas alturas a ter de fazer diversas manobras. Podendo transportar cinco passageiros com todo o conforto e segurança, a nova Nissan Navara é assim uma excelente aposta num veiculo desta categoria.

 

Por ultimo os nosso agradecimentos ao Entreposto Auto situado na cidade do Porto, na pessoa do Sr. José António       na cedência desta viatura  para estes teste que hoje oferecemos aos nossos leitores.

 

FOX 7230_CopyFOX 7231_CopyFOX 7232_CopyFOX 7235_CopyFOX 7236_CopyFOX 7237_CopyFOX 7241_CopyFOX 7242_CopyFOX 7243_CopyFOX 7248_CopyFOX 7249_CopyFOX 7250_CopyFOX 7251_CopyFOX 7252_CopyFOX 7274_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - MASERATI GHIBLI

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

MASERATI GHIBLI – UMA SURPRESA INESPERADA

 

 

Pois é caro leitor, quer um carro exclusivo em tudo? Face ao que existe no mercado mundial dentro dum certo segmento por vezes a oferta é muita, e muito variada, mas o que mais nos intrigou no teste que fizemos ao novo Maserati Ghibli, é que o carro de origem italiana consegue congregar tudo isto, num modelo só, sendo por isso uma excelente escolha, dum modelo bem construído, quase se poderá dizer, que o novo Ghibli tem  tudo no seu respectivo lugar.

 

 

A Maserati num processo de reconquista de mercado, esteve nos últimos anos um pouco abaixo em termos de imagem, mas com o nascimento do novo Ghibli a marca italiana fez uma viragem de muitas centenas de graus, e neste momento tem um modelo que faz frente sem problemas de maior com os maiores construtores de veículos no seu segmento. Onovo Maserati GHibli faz parte dum programa de recuperação da marca do Tridente, e mesmo o mercado em Portugal, que é um mercado pequeno, já estão matriculadas quase duas dezenas e meia de unidades, o que vem demonstrar o interesse dos  proprietários neste carro. Aliás o novo Ghibli da Maserati, tem de tudo, isto é, classe, exclusividade, linhas aerodinâmicas cuidadas, personalidade muito própria.

 

 

O novo Maserati Ghibli está à venda em Portugal com quatro motorizações diferentes, surge o Ghibli , Ghibli S, Ghibli SQ 4, todos estes com propulsores a gasolina, restando apenas a versão Ghibli Diesel, que foi a versão por nós ensaiado. O Maserati Ghibli diesel, está  equipado com um propulsor V 6- 60, e 2.967 centímetros cúbicos de potência. Transmissão automática com oito velocidades, potencia na ordem dos 275 cv, e uma velocidade máxima de 250 km/h, fazendo dos 0 aos 100km/h em apenas 6,3 segundos. Em contrapartida em termos de travagem com uma velocidade de 100 km/h, aos 0 km ,precisa um condutor dum Ghibli de 36 metros para poder parar. Em termos de consumo, num circuito urbano o Ghibli gasta 7,6 litros por cada 100 km percorridos, enquanto em estrada o consumo baixa para os cinco litros por cada cem quilómetros percorridos, o que se torna deveras generoso, tendo em conta o carro que é, peso, potência, entre outros factores.

 

 

Em termos estéticos o novo Maserati Ghibli é muito bonito, vendo bem a frente, em nada se identifica com os seus mais directos concorrentes, onde a grelha de grandes dimensões tem mesmo a meio o símbolo da marca o Tridente, que foi concebido pelo fundador da marca  Alfieri  Maserati. Aliás esta nova grelha bem distinta foi buscar a inspiração nos modelos mais antigos da marca. Os led dianteiros dão-lhe um aspecto único e agressivo as linhas são muito fluídas, respeitando a  aerodinâmica.A traseira em si, é também muito bonita, onde se destaca os quatro escapes, que lhe dão uma distinção muito própria. O Ghibli em nossa opinião alia uma componente desportiva, ao conforto e segurança, no melhor estilo  italiano.

 

 

Transportando cinco adultos com todo o conforto e segurança,para quem viaja nos bancos de trás, espaço para as pernas não falta, no entanto os testes a que o novo Ghibli foi sujeito no final  da sua montagem, feito em diferentes latitudes mundiais, especialmente em países como a África do Sul, Marrocos, Suécia e Nova Zelândia, obtendo desde logo uma nota elevada em termos de resistência, estado assim apto a encarar as diferentes realidades em qualquer ponto do globo.

 

 

Abrindo a porta do condutor, sente-se logo o cheiro a pele da melhor qualidade que forra os bancos,  o tablier, e portas. Tudo cosido à mão, como aliás não poderia deixar se ser, para o felizardo que possa adquirir este carro, poderá escolher as diferentes cores que poderão vir a fazer parte do seu carro. O banco do condutor, é muito envolvente, e cómodo, sendo um extra o sistema, em que nos sentamos e o volante vem ter com o condutor, fazendo depois o banco os reajustes necessários(a versão por nós testada não dispunha deste sistema).Gostamos muito do trabalho feito nos assentos, com tudo cozido á mão, tudo feito com um cuidado, que salta logo à vista. O tablier em si, é muito bonito, com toda a informação necessária ao condutor bem à vista, e de fácil acesso e manuseio. Os mostradores de velocidade e conta rotações, todos em fundo azul, dão muita classe e distinção, outro factor que apreciamos e muito. O relógio instalado a meio do tablier é qualquer coisa, com um estilo dos anos 50, mas adaptado aos tempos de hoje, dão um toque de charme ao carro de origem italiana, aliás diga-se de passagem que o Maserati Ghibli cumpre todos estes requisitos, na qual os engenheiros deram largas á sua imaginação para fazer uma obra prima que está aqui bem á vista…a concorrência que se cuide. A consola central, é muito bonita, e em termos de aspecto bem conservadora, mas acima de tudo funcional. Todos os botões e manípulos são de fácil manuseio, algo que apreciamos. Indo até á retaguarda do Maserati Ghibli, ficamos de boca aberta com a bagageira de enormes dimensões podendo transportar 500 litros,  esta bagageira está habilitada a transportar malas de grandes dimensões, e é de grande versatilidade. Voltando ao interior do Maserati Ghibli, de referir os inúmeros locais para arrumar a “habitual tralha”, que transportamos no nosso carro, e nesse aspecto este carro é deveras generoso.

 

 

Outro item que equipa o Maserati Ghibli é a climatização interior, pois dentro do carro, cá fora nada se passa, aliás o dia em que fizemos este teste, chovia, mesmo assim só nos apercebíamos o que se passava no exterior, pelos pingos de chuva que caiam no vidro dianteiro. Toda a zona em que os passageiros se encontram é climatizada, pois o Ghibli usufrui dum sistema controlado, que coloca a temperatura interior de acordo com o que se passa no exterior, tudo isso com o auxilio de treze ventiladores, que rapidamente oferecem o maior conforto aos ocupantes. Mas entretenimento a bordo é algo que não falta, e neste caso, as ultimas novidades já fazem parte deste modelo. A aparelhagem de som, é qualquer coisa,,pois são treze colunas Bowers & Wilkins, que nos permite ouvir todo o tipo de som com uma nitidez fabulosa, quase diria que estamos mesmo defronte do interprete....

 

 

Já aqui falamos de consumos do Maserati Ghibli, mas esqueci-me de mencionar que este carro já usufrui do sistema Start/Stop, que permite uma poupança de combustível , por exemplo nos semáforos.Com uma caixa automática de oito velocidades, com uma transmissão revolucionário sob o ponto de vista técnico, por sinal muito leve e funcional. A consola central, é simples, de fácil acesso e manuseio, mas neste ponto, de referir a manete, que permite utilizar as diferentes versões em termos de andamento, com uma auxilio de quatro botões, que permite ao condutor escolher o tipo de condução, perante o percurso que irá fazer. Assim o feliz condutor tem á sua disposição cinco tipos diferentes, a auto normal, manual sport, auto sport, I.C.E ( controle de eficiência para situações de neve ou outro tipo de piso mais escorregadio ).Todas as versões vem equipadas com cruise control, e o Maserati Ghibli é feito com diferentes combinações de alumínio. O mesmo acontece com os sensores de parqueamento.

 

 

O factor segurança, tão importante nos dias de hoje não foi de modo algum descurado, e o Ghibli vem equipado com sete airbags, dois dianteiros, e mais dois laterais tipo cortina, dando assim uma segurança absoluta para os passageiros. Outro factor que gostamos, é que os faróis xénon que equipa o Maserati Ghibli adaptam-se à luminosidade exterior, permitindo assim ser  visto pelos outros automobilistas, e ao mesmo ter uma melhor visão do caminho que está a percorrer.

Mas um cliente Maserati, poderá fazer do seu Ghibli um  modelo único e exclusivo, pois na altura da sua encomenda, tem á sua disposição três cores sólidas,  mais quatro cores variáveis e três cores metálicas. Para além disso, existe cinco tipos diferentes de interiores, com tons diferentes para o chão e encostos de cabeça. Quanto aos bancos, existem catorze tipos de padrões diferentes, que poderão ser utilizados conforme os desejos do cliente, havendo ainda sete tipos de jantes e outras sete cores de pinças de travões.

Por curiosidade a Maserati tem representantes em vinte e oito países da Europa e mais trinta e quatro por todo o mundo. Em Portugal, a Maserati é representada pela empresa Tridente, que está sedeada na cidade do Porto.

 

 

AO VOLANTE

 

Bem…um Maserati…é um Maserati, e está tudo dito. Se dizem que um Alfa Romeo tem cuore sportivo, então o que dizer dum  Maserati, é isso e muito mais, quase diria que é um cuore sportivo do mais alto nível. Já tivemos oportunidade de poder testar muitos carros, mas encontrar defeitos neste Maserati Ghibli é difícil, difícil mesmo, pois a construção deste carro em nada fica a dever aos carros de origem alemã, isto somente por uma mera orientação. Exclusivo, isso sim, com muita personalidade, muito charme, muita pinta, são os sinónimos que encontramos para caracterizar o Maserati Ghibli, mas tentamos encontrar um defeito…alto, encontramos um, ….o seu preço, pois este “brinquedo” custa apenas 108.000 euros, mas isso por culpa da política fiscal existente em Portugal, que é das mais severas que existe na Europa, e que penaliza e muitos os carros de maior potencia, mas enfim….

 

Mas poder estar ao volante dum Maserati, é o sonho de qualquer jornalista, pois mesmo nas grandes cidades não se vêm muitos Maserati Ghibli, mas a verdade é que a Tridente só este ano já matriculou e colocou nas estrada portuguesa quase 25 unidades, , o que temos de considerar que é obra…e também sabemos que o objectivo do representante para este ano é chegar às três dezenas de unidades, o que não duvidamos que lá cheguem e até poderão ultrapassar, quase arriscávamos a dizer que com o produto que dispõem poderão chegar às quatro dezenas de unidades, só esperemos que a fábrica  dê resposta, pois o tempo de espera ronda os três meses aproximadamente.

Mas ao abrirmos a porta do condutor do Maserati Ghibli, ajustamos o banco, colocamos o cinto, e carregamos no botão de ignição e logo se ouve o ronco do motor Maserati, engrenamos o drive, e logo a máquina italiana começa a andar. Fala-se que carros com características desportivas, poderão ser duros, a verdade é que o Maserati até em pisos mais degradados, mostrou o seu conforto, embora este carro não seja nada apreciador de pisos em paralelo (pudera não foi concebido para este tipo de piso), muito habitual na cidade do Porto. Em cidade é um carro dócil, sempre com a potência debaixo do pé, sempre com uma resposta rápida e eficiente. Em auto estrada é qualquer coisa, o problema é que quando olhamos para o conta quilómetros, vemos que já passamos a velocidade máxima permitida por lei, e nem se sente nada. Gostamos muito de ter premido o botão auto sport, que dá “outra alma” ao Maserati Ghibli, para começar o barulho do motor é alterado dando-lhe uma tónica desportiva, aliás todo o carro se transforma, tornando-o mais rápido, sem perder o conforto, mas depois temos também um maior consumo, mas a verdade é que não se pode pedir tudo…..

 

Por ultimo os nossos agradecimentos à Tridente, empresa que representa a Maserati em Portugal, na cedência deste Ghibli para este teste. Por isso caro leitor, se quiser saber mais, e se quiser um teste aconselhamos o contacto com a Tridente, para assim poder marcar e poder ver o que é um carro no mais puro estilo italiano, ou no estilo Maserati…

 

Os nossos agradedcimentos ao Vale Pisão na cedencia das instalações para as fotografias que hoje publicamos, os nossos agradecimentosFOX 8886_CopyFOX 8887_CopyFOX 8889_CopyFOX 8892_CopyFOX 8894_CopyFOX 8895_CopyFOX 8897_CopyFOX 8898_CopyFOX 8899_CopyFOX 8900_CopyFOX 8907_CopyFOX 8909_CopyFOX 8919_CopyFOX 8920_CopyFOX 8923_CopyFOX 8933_CopyFOX 8935_CopyFOX 8940_CopyFOX 8942_CopyFOX 8946_CopyFOX 8948_CopyFOX 8950_CopyFOX 8954_CopyFOX 8959_CopyFOX 8963_CopyFOX 8964_CopyFOX 8968_CopyFOX 8974_CopyFOX 8976_CopyFOX 8977_CopyFOX 8978_Copy

 

 

Texto e fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - PEUGEOT 308 - 1.2

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

PEUGEOT 308 – 1.2

 

 

Herança do 307 que não perdeu qualidades

 

 

O NOVO Peugeot 308 mais não é que o seguimento da herança do anterior modelo o 307, que foi um modelo bem sucedido na história da marca francesa. O novo Peugeot 308 está disponível em Portugal com uma panóplia de cores, duas opacas e nove metalizadas, enquanto em termos de interiores existem três categorias distintas; Access- Active - Allure, e finalmente a versão desportiva, designada por GTI. Em termos de motores, o novo Peugeot 308, dispõe de sete propulsores com a potência mais baixa de 110 cv (a versão por nós ensaiada a gasolina), chegando á versão 2.0 HDI com 150 cv  de potência.

Em termos de equipamento, o novo Peugeot 308 dispõe de diferentes versões, variando conforme as diferentes versões, nomeadamente o ABS, acendimento automático em termos de forte desaceleração, alerta para a colocação de cintos de segurança dianteiros, alerta de extracção dos cintos de segurança da retaguarda, cinto de segurança traseiro central com três pontos de fixação. A coluna de direcção é regulável em altura e profundidade, controle de tracção, cruise control, ESP, fecho central de portas com comando à distância (em algumas versões).Quanto a equipamentos de segurança, de referir as fixações Isofix de três pontos nos bancos traseiros, Hill Assist (em algumas versões), travão de estacionamento eléctrico, indicador de mudança de velocidade, e finalmente o trancamento automático das portas e da bagagem em andamento com a desactivação em caso de acidente.

 

 

Voltando aos extras, o novo Peugeot 308 tem disponível para o mercado em Portugal, seis tipos de jantes, surgindo ainda uma versão com tampão para as rodas. O conforto sempre foi o “cartão” de visita da Peugeot, e em termos de interiores, espaço é algo que não falta, mas tudo muito bem aproveitado, nenhum milímetro foi desperdiçado. Os bancos em si são confortáveis, embora os da frente não sejam muito envolventes. O tablier em si fornece todas as informações, com todos os manípulos e botões de fácil acesso e consulta. Já que falamos em extras, de realçar que o novo Peugeot 308 está bem equipado, e destacamos a ajuda ao estacionamento traseiro (isso conforme as versões), câmara de visão traseira (opcional), apoios de cabeça dianteiros reguláveis em altura. Ar condicionado manual e automático, banco do condutor regulável em comprimento, altura e inclinação, banco do passageiro regulável em comprimento, altura e inclinação. O banco traseiro é rebatível 1/3 – 2/3.Outro extra é o mostrador multi funções que informa a temperatura exterior, data e hora, mensagens de alerta, personalização e configuração do computador de bordo e rádio. O painel de instrumentos tem iluminação LED branco, com agulhas vermelhas e fundo preto. O volante é de três braços com friso cromado. Em termos de faróis, o novo Peugeot 308 surge equipado com faróis de halogéneo, com faróis dianteiros full led(conforme a versão), farolins traseiros em led.

O pára-choques dianteiro tem os faróis integrados com faróis diurnos, puxadores das portas à cor da carroçaria (conforme as versões), vidros dianteiros e traseiros eléctricos e sequenciais. Com anti-entalamento e finalmente os vidros traseiros escurecidos (conforme a versão).

 

 

Em termos de conforto interior, os projectistas da Peugeot foram autores dum excelente trabalho, pois o incremento em termos de qualidade é top, senão vejamos, o rádio que equipa o 308, dispõe de CD e MP 3, com ligação USB e Jack, kit de mãos livres, Bluetooth e comando no volante. Em termos de som está equipado com quatro altifalantes e dois tweeters.Nas versões mais equipadas, de referir o touch screen de 9”, com navegação. Depois a Peugeot dispõe de diferentes packs de equipamentos do novo 308, num total de dez. Ainda sobre os propulsores, o novo Peugeot 308 oferece aos clientes um propulsor a gasolina de 1,2 litros com 110 e 130 cv de potência, um propulsor a diesel de 1,6 litros com 100 cv e 120 cv de potência. Por ultimo há ainda um propulsor a diesel de 2.0 litros com 150 cv de potência. Em relação a consumos e velocidades, os motores a gasolina de 1,2 litros com 110 e 120 cv de potência tem excelentes consumos na ordem dos seis litros em cada 100 km percorridos em cidade, no entanto em estrada os valores baixam de forma significativa para os quatro litros, o que não deixa de ser notável. Já num percurso misto de cidade e estrada, o consumo fica  na ordem dos 4,7; 4,8 litros.

 

 

Já nos motores 1.6 a diesel, os consumos são deveras interessantes, pois em cidade ficam na ordem dos 4,4 litros para cem quilómetros percorridos. Já em estrada baixam para os 3,2 litros, e num percurso misto ficam pelos 3,7 litros de combustível gasto por cada cem quilómetros percorridos. Curiosamente o propulsor mais potente, o de 2 litros a diferença não é muito significativa, pois em percurso citadino fica pelos 4, 1 litros, baixando paras os 3,4 litros em estrada, subindo para os 3,7 litros para um percurso misto.

 

 

Os travões que equipam o novo Peugeot 308 são comuns a todas as versões, e são ventilados de prensa flutuante e afinação automática, enquanto os discos traseiros são de prensa flutuante. Tal como o habitual, a Peugeot continua a conceber boas suspensões., muito macias, na melhor tradição francesa da Peugeot. O trem dianteiro e do tipo Macpherson, e amortecedores hidráulicos.

Por ultima a versão por nós ensaiada, a gasolina com 1,2 litros e 110 cv de potência, é uma aposta interessante do construtor francês. Em estrada estávamos à espera dum carro digamos; “pastelão”, mas nada disso, esta versão despacha-se muito bem, com consumos interessantes, transportando cinco adultos com todo o conforto e segurança. Espaço interior para quem viaja nos bancos de trás, existem em boa quantidade, sucedendo o mesmo com a bagageira, que é sem duvida uma das melhores em termos de segmento. Para uma família de 4/5 pessoas o novo Peugeot 308 será uma boa aposta, mas perante todos estes factos, nada melhor do que sugerir aos nossos leitores uma visita a um concessionário mais próximo e ver, assim como sentis o que é na realidade o novo Peugeot 308.

 

FOX 5737_-_Cpia_Copy

FOX 5738_-_Cpia_CopyFOX 5739_CopyFOX 5740_-_Cpia_CopyFOX 5742_-_Cpia_CopyFOX 5743_-_Cpia_CopyFOX 5746_CopyFOX 5748_-_Cpia_CopyFOX 5749_CopyFOX 5750_-_Cpia_CopyFOX 5753_-_Cpia_CopyFOX 5753_-_Cpia_CopyFOX 5754_CopyFOX 5756_-_Cpia_CopyFOX 5756_-_Cpia_CopyFOX 5761_CopyFOX 5762_CopyFOX 5774_CopyFOX 5778_CopyFOX 5779_CopyTexto, ensaio e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN PULSAR

 

HOJE CONDUZIMOS

 

NISSAN PULSAR 1.5 DCI

 

EXCELENTE APOSTA DA MARCA JAPONESA

 

Foi apresentado em Portugal em Setembro do ano passado, mas a verdade é que este modelo da Nissan não tem granjeado grande sucesso em termos de vendas, mas depois do teste que fizemos, concluímos que estamos perante um excelente modelo do construtor japonês com todos os ingredientes para se tornar um modelo de grande sucesso.

O Nissan Pulsar é no nosso ponto de vista um modelo sofisticado e autoconfiante, equipado com algumas das técnicas mais evoluídas.Com uma silhueta elegante, fluida e esbelta,  com linhas aerodinâmicas e ousadas.Com um habitáculo muito espaçoso, leve e arejado, com espaço generoso para o corpo e cabeça, sem dúvida alguma que o espaço interior é um dos melhores do segmento em que o Nissan Pulsar se integra, pois somente por curiosidade o espaço para as pernas para quem viaja nos bancos de trás é de 692mm.No interior o requinte é a palavra de ordem, aliado a uma certa classe e escolha dos materiais, pormenores cromados, apoios de braço de grandes dimensões nas portas, e boa visibilidade em todas as direcções.Com o uso de chave inteligente Nissan, o botão de arranque do motor, controle de climatização, dual zone, são alguns dos extras que equipa o novo Nissan Pulsar.

 

 

Inovação é a palavra de ordem, e o avançado ecrã de assistência à condução Nissan Drive Assist, permite com um ecrã TFT policromático de 5”, dá toda a informação à sua frente, como por exemplo o Id de chamada, que ajuda a verificar as chamadas sem tirar os olhos da estrada. O sistema áudio que informa tudo sobre os artistas, e as músicas que se ouvem, enquanto se conduz. Outra das inovações, é o escudo de protecção inteligente da Nissan, podendo combinar o ecrã à cor programado O sistema  de navegação  é de acesso rápido, faltando ainda referir o sistema de monitorização da pressão dos pneus. Inúmeras câmaras equipam o Nissan Pulsar, na frente existe um monitor que mostra a frente e a traseira, ficando a imagem completa com outra câmara de vista panorâmica de 360”, tanto ao avançar como a recuar.

Curiosamente o condutor pode carregar no botão para mudar para uma vista lateral, sendo muito útil para ver a distância que vai para o passeio, por exemplo. Em marcha-atrás, o visor permite ver o que está atrás, permitindo ver os obstáculos.

Quanto às motorizações disponíveis e, Portugal, o novo Nissan Pulsar tem disponível três propulsores , começando pela versão DIG-T com 115 cv, transmissão manual, surgindo o mesmo motor com a transmissão Xtronic.Existe ainda uma outra versão, DIG-T com 190 cv e finalmente um DCI com 110 cv, com transmissão manual. Estes motores  turbo comprimidos são muito económicos, sendo o Nissan Pulsar equipado com a transmissão Xtronic, oferecendo uma aceleração mais enérgica, não esquecendo o sistema start/stop, que pára o motor quando não é necessário, por exemplo nos semáforos, e engrenando a primeira velocidade, o motor volta a funcionar.

Em termos de auxiliar de condução, o Nissan Pulsar está equipado com controle activo de trajectória, que controla individualmente a pressão da travagem de cada roda. Para auxiliar  a  contornar as curvas, e a conseguir um comportamento mais suave do veiculo.

 

 

Por outro lado, o escudo de protecção inteligente da Nissan, utiliza um conjunto de sensores, incluído a Câmara de visão traseira, e o radar dianteiro, assim como os sistemas de segurança que funcionam em conjunto, para alertar potenciais perigos. Ainda sobre alguns dos sistemas de segurança, há que referir o sistema anti-colisão, o sistema emite um aviso sonoro e visual, caso o condutor não reaja de imediato, a travagem automática é logo activada, para fazer o veiculo abrandar. À detecção de objectos em movimento com uma cobertura de 360”, esta função informa se foi detectado algum movimento  próximo do carro. Este sistema avisa o condutor, mas também actua no caso de mudança involuntária de faixa de rodagem, isso caso se desvie da sua faixa de forma involuntária, e caso não esteja a fazer o sinal, o sistema alerta para que possa voltar de novo para a sua faixa.

NO capitulo da segurança, existem seis airbags de origem, que equipam o novo Nissan Pulsar, sendo estes airbags laterais e de cortina, para além do escudo de protecção Nissan. Há ainda a acrescentar diversos equipamentos de segurança activa e passiva, com o objectivo de proporcionar a máxima segurança.

 

 

 

Em termos de interiores, o espaço para os arrumos no seio do Nissan Pulsar, dispõe de 385 litros, no entanto rebatendo o banco traseiro, o mesmo poderá ser incrementado em mais de 1000 litros. Mesmo assim com os bancos rebatidos 40/60 permite a combinação de quatro módulos distintos, oferecendo opções para transportar objectos mais volumosos. Ainda no capitulo do conforto, de referir os apoios dos copos na consola central, assim como o local para arrumar os óculo. O Nissan Pulsar usufrui duma série de extras, tais como o embelezador do pára-choques, jantes de liga leve de 17”, tapete velour e protecção à  entrada. Para além disso, existe um jogo de pedais desportivos, ponteiras de escape cromados, barras de cargo em alumínio. Quanto a cores o Nissan Pulsar para o mercado português  dispõe de nove cores distintas, e três tipos de revestimento. O Nissan Pulsar está disponível em diferentes pack, Style e Premium.Sete tipos de jantes equipas as diferentes versões do Pulsar.

Ao volante o novo Nissan Pulsar foi uma tremenda surpresa pela positiva, pois estávamos muito longe de imaginar o que os projectistas da marca nipónica conseguiram levar a efeito. Em termos de consumos o novo Pulsar é muito económico, a curvar e a travar é fabuloso, em suma um utilitário familiar que não tem defeitos.

Para terminar deixamos aqui o desafio de se deslocar um concessionário da marca, e testar o Pulsar, para depois ficar com uma ideia do que na realidade esta utilitário nipónico.

Por ultimo agradecemos à Rótor no Porto, a cedência deste modelo do Pulsar para testes, nas pessoas do Sr. Ângelo Fontes e José António.

 

FOX 5423_Copy

FOX 5424_CopyFOX 5425_CopyFOX 5428_CopyFOX 5429_CopyFOX 5431_CopyFOX 5435_CopyFOX 5436_CopyFOX 5435_CopyFOX 5436_CopyFOX 5436_CopyFOX 5438_CopyFOX 5439_CopyFOX 5441_CopyFOX 5442_CopyFOX 5453_CopyFOX 5457_CopyFOX 5458_CopyFOX 5459_CopyFOX 5470_CopyFOX 5471_CopyFOX 5472_CopyTexto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com
 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

EXCELENTE PRESTAÇÃO DOS PILOTOS PORTUGUESES

 

 

Tanto Alvaro Parente como António Felix da Costa alinharam no passado fim de semana numa prova de stock car no Brasil, onde conseguiram obter posições de destaque.fc1 Copyfc2 Copyfc3 CopyFELIXCOSTA1 Copystock1 Copystock2 Copystock3 Copystock4 Copystock5 Copystock6 Copystock7 Copystock8 Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN X-TRAIL

 

HOJE CONDUZIMOS  

 

                                                                                                                                     

NISSAN X-TRAIL – UM QASHQAI DE MAIORES DIMENSÕES

 

 

A Nissan graças ao Qashqai tem obtido um grande sucesso, mas desde já podemos apostar que com o lançamento da derradeira linha do Qashqai, na versão de sete lugares, acabou por ser atribuída ao X-Trail, que em nossa opinião é uma escolha perfeita por parte do construtor nipónico. Podendo transportar sete passageiros com toda a segurança e conforto, usufruindo dum fabuloso tecto panorâmico eléctrico, com os bancos todo em pele, e iluminação interior em led.Oa bancos que equipam o Nissan X-Trail são inspirados na gravidade zero com apoio para a coluna. Curioso é o suporte dos copos que é aquecido ou refrigerado, sucedendo o mesmo com os bancos dianteiros. Graças à sua versatilidade interior, a segunda linha de bancos no inteiro do Nissan X-TRail, que são rebatíveis em 40/60,  e podem deslizar para a frente para facilitar o acesso, e assim proporcionar um maior espaço de carga, além de permitir um maior ou menos espaço para as pernas dos passageiros de  trás, podendo esta fila de bancos serem reclinados. A terceira fila de bancos, poderá ser opcional, dispõe duma modularidade de 50/50, permitindo o transporte de passageiros e bagagens, que ao rebater-se, forma um piso plano. Por seu lado, a porta da bagageira é eléctrica, com um ângulo de abertura de 77%.Rebatendo as duas filas de bancos, fica com um espaço de 1982 litros, enquanto o transporte de cinco adultos fica com 550 litros. São dezoito as configurações em termos de mala, que permite ter um maior, ou menor espaço.

Em termos de propulsores, o novo Nissan X-Trail usufrui de três motorizações, a primeira para a versão DCI 4x2, com caixa de seis velocidades, e um motor de 130 cv.Depois surge a versão dci 4x2 tronic, DCI 4x2 tronic e DCI 4x4 com caixa manual de seis velocidades. Este propulsor de 1,6 litros é simplesmente fabuloso, e está equipado com o sistema start/stop, que serve para poupar combustível, desligando o motor quando não é necessário o seu funcionamento. Logo no arranque, volta a trabalhar. A versão X-Tronic (transmissão de variação continua) que se caracteriza por uma redução na ordem dos 40% de fricção, com transmissões automáticas de oito velocidades, não esquecendo o novo modo Eco, que melhora a economia de combustível, com um simples toque de botão.

 

 

A versão por nós ensaiada, dispunha apenas de duas rodas motrizes, no entanto na versão All-Mode 4x4, o Nissan X-Trail pode escolher a versão 4x2, enquanto o modo auto, que controla  continuamente as condições e distribui a potência entre as rodas dianteiras e traseiras, oferecendo uma melhor tracção.

Mas no ponto de vista técnico, o novo Nissan X-Trail inova com alguns extras, nomeadamente o travão activo do motor, o sistema X-Tronic, que aplica o travão do motor, um efeito muito semelhante ao engrenar uma mudança mais baixa, contribuindo assim para uma desaceleração mais serena. Depois temos o controle activo de trajectória, que oferece uma melhor aderência em condições de piso escorregadio, onde este sistema pode aplicar o travão a uma roda, quando começa a derrapar. Outro dos extras é o controlo activo de condução, ao passar por uma lomba ou um buraco, o X-Trail da Nissan pode accionar automaticamente os travões, e fazer o ajuste automático do binário, e suavizar o andamento. Por ultimo o assistente de arranque em subida, que ajuda a n´~ao deixar descair o veículo ao arrancar numa subida.

O ecrã que que equipa o tablier do Nissan X-Trail é dos mais completos que tivemos oportunidade de ver num carro deste segmento, por isso deveras completo, oferecendo aos condutores a informação sobre o que está a ouvir no rádio, CD, ou mesmo pen, isso para além do sistema de monitorização da pressão dos pneus. Para além disso pode combinar a côr do ecrã, para além de usufruir dos assistentes de condução e navegação, passo a passo.

 

 

O sistema Nissan Connect é acima de tudo funcional e inteligente, usufruindo duma vasta gama de funções, de fácil manuseio, isso graças a um ecrã táctil anti-reflexo de 5,8” de alta resolução, incluindo uma potente combinação da função e áudio, navegação e comunicação, podendo já integrar o smart phone de ultima geração. Para além disso surgem outras funções inteligentes de assistência à condução e navegação, prestando um inegável serviço em todos os tipos de condições de tráfego. Depois temos a recepção áudio, via Bluetooth, permitindo o uso do rádio digital, rádio internet móvel, ou mesmo musica a partir do seu próprio telemóvel. Para além disso, existe ainda a entrada para o ipod/usb, para aceder à musica que pretende, que foi o que fizemos no decorrer deste teste com o novo Nissan X-Trail.

 

 

Uma das inovações que equipa o Nissan X Trail, é a câmara de visão 360”!, que é um valioso auxiliar no estacionamento, isso tendo em conta as reais dimensões deste SUV.Mas neste mesmo ecrã, mais quatro câmaras dão-lhe uma vista panorâmica, permitindo ver a frente, lados, dispondo dum sensor para a detecção de objectos em movimento, que avisa o condutor do que se passou.

Na versão por nós ensaiada, não estava equipada com o sistema de estacionamento automático, mas as unidades que usufruem deste equipamento, o X-Trail mede o lugar disponível, realizando todas as manobras pelo condutor, estacionando o carro no lugar. As tecnologias que o Nissan X-Trail usufrui são as seguintes, sistema anti colisão, aviso de ângulo morto, aviso de mudança involuntária de faixa, câmara de visão 360”, alerta de fadiga, identificador dos sinais de trânsito, regulador automático das luzes dos máximos, e sistema de monitorização da pressão dos pneus, controlo activo de trajectória, ABS, assistência à travagem, seis airbags de série.

Mas o novo Nissan X-Trail, dispõe duma série de extras, para o embelezamento do carro. Em termos de cores o Nissan X-Trail existe em oito referencias diferentes, com bancos em revestimento em pele e em tecido.

Ao volante foi uma surpresa, porque não esperava um veículo  tão despachado, isso tendo em conta a sua volumetria. Numa primeira impressão fiquei com a ideia que o novo Nissan X-Trail estava equipado com moto de 2 litros, mas a verdade é que estávamos enganado, mas posteriormente fui informado que o propulsor é um 1,6 litros, com 130 cv de potência que nos deixou deveras surpreendido. O Nissan X-Trail está “super equipado” com muitos extras, os bancos (sete) são todos em couro de grande qualidade. O banco do condutor é envolvente e confortável totalmente eléctrico. O X-Trail oferece uma excelente posição de condução, que gostamos muito. Espaço interior é o que não falta na X-Trail, então para quem viaja atrás, espaço para as pernas é o que não falta. De referir os inúmeros locais para arrumar os diferentes objectos. Gostamos muito do tecto panorâmico, que em nossa opinião é mais um incremento para o conforto interior. Na bagageira que pode ser utilizada em multiopções, existe mais dois lugares, pois o Nissan X-Trial, pode transportar cinco ou sete adultos com todo o conforto e segurança.

 

 

O conforto interior é soberbo, com uma excelente posição de condução, em termos de consumo o Nissan X-Trail, tendo em consideração a sua volumetria e peso. Equipado com um excelente propulsor de 130 cv, por sinal bem ajustado ao modelo em questão. Mesmo assim em termos de consumo é económico, o que incrementa o interesse neste modelo do construtor nipónico.

A curvar e a travar nada a dizer, apreciamos a excelente aparelhagem sonora, assim como as câmaras existentes no auxilio ao estacionamento.

FOX 4851_Copy

FOX 4854_CopyFOX 4855_CopyFOX 4856_CopyFOX 4858_CopyFOX 4860_CopyFOX 4862_CopyFOX 4864_CopyFOX 4870_CopyFOX 4871_CopyFOX 4873_CopyFOX 4875_CopyFOX 4877_CopyFOX 4878_CopyFOX 4879_CopyFOX 4888_CopyFOX 4889_CopyFOX 4892_CopyFOX 4893_CopyFOX 4895_CopyFOX 4896_CopyFOX 4900_CopyFOX 4902_CopyFOX 4903_CopyFOX 4909_CopyFOX 4921_CopyFOX 4922_CopyFOX 4923_CopyFOX 4926_CopyFOX 4927_CopyFOX 4928_CopyFOX 4936_CopyNão queremos terminar sem agradecer ao Sr. Ângelo Fontes e José António da concessão Nissan na cidade do Porto – Rótor – Rua Campo Alegre na cedência deste modelo da sua frota para teste, para todos os nossos leitores.

Por último sugerimos a todos os nossos leitores uma visita  a um  concessionário mais próximo para fazer um test-drive.

 

Texto e fotos de João Raposo –www.velocidadeonline.com

 

CONCEPT BY FERRARI

CONCEPT BY FERRARI

 

Os engenheiros da Ferrari não tem limites, e basta ver estes desenhos dum modelo que em breve poderá ser realidade.fer1-concepptf80 Copyfer2 Copyfer3 Copyfer4 Copyfer5 Copyfer6 Copyfer7 Copyfer8 Copyfer9 Copyfer10 Copyfer11 Copyfer12 Copyfer13 Copyfer14 Copyfer15 Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - MERCEDES GLA 220 D

 

HOJE CONDUZIUMOS

 

 

MERCEDES GLA 220 D

 

 

 

O PANZER ALEMÃO

 

 

Ao longo dos últimos anos tivemos a oportunidade de conduzir muitos modelos de automóveis de diferentes marcas, mas depois do testes que fizemos ao novo Mercedes GLA 220 D, ficamos com uma ideia que tivemos na mão durante uns dias um  verdadeiro “Panzer”, tal a robustez e a construção deste mini-suv da marca de Estugarda.

Segundo os projectistas da marca, o GLA é mesmo um SUV, que se caracteriza pela estrela integrada no centro da grelha, e pela designada “Dropping-line”, com uma linha de design, cujos faróis se estendem até ao eixo traseiro, oferecendo uma dinâmica fluida, e uma postura soberba. Os grandes faróis instalados na frente do GLA, de grandes dimensões, graças à tecnologia Led, dão luz de dia e de noite, sendo mais eficientes e com maior vida útil.

O Mercedes GLA está equipado com seis motorizações distintas, existindo um pack de tecnologia que inclui turbo de injecção directa. O GLA pode usufruir de tracção dianteira, ou integral 4 Matic, que pode ter caixa de seis velocidades, ou caixa automática de sete velocidades.

 

 

Em termos de interiores, o Mercedes GLA transporta cinco adultos com toda a segurança e conforto. O cockpit tem um atractivo display de cores de grandes dimensões, mas graças à panóplia do equipamento, no seio do GLA da Mercedes, podem surgir informações desportivas, rádio digital com um som surround..Curioso a nível exterior, é o capot dianteiro com duas bossas e a grelha do radiador com duas lamelas, dando um visual mais amplo, e o pára-choques dispõe duma grelha de formato especifico, para além da protecção inferior, característica nos SUV, que surge em prateado, cromado ou preto brilhante. Na retaguarda, de referir o friso cromado entre a cuidada óptica, o spoiler do tejadilho, e a robusta protecção da plataforma de carga, isso em opção. Voltando aos interiores do Mercedes GLA 220 D, todo o espaço foi muito bem aproveitado, surgindo um extra, o tecto panorâmico, que dá um importante incremento em termos de conforto interior.

A tracção integral 4 Matic, dispõe duma embraiagem no diferencial traseiro, com regulação electrodinâmica, permitindo a distribuição do binário. A distribuição realiza-se do nível seleccionado no ESP, desde a segurança desportiva até à melhor performance em critérios de competição. De referir que a versão GLA 45 Amg Matic, a componente desportiva está bem em destaque.

Quanto a motores diesel, o GLA tem à disposição dos seus clientes a versão 180 CDI com 109 cv de potência, a versão 200 CI/CDI Matic, com 136 cv de potência, e finalmente a propulsão 220 CDI / GLA 220 CDI Matic com 170 cv (versão por nós ensaiada).Nos motores a gasolina, surgem diferentes propulsores, nomeadamente o 180 com 122 cv de potência, o 200 com 156 cv, e finalmente o 250/250 4 Matic com 211 cv de potência. Todos estes motores são construídos com a tecnologia mais evoluída, com materiais leves e compactos. Nos motores a diesel, com a injecção common rail, permite uma eficiente combustão do motor e um silencio a trabalhar.

A versão por nós ensaiada, dispunha de caixa automática, de sete velocidades de dupla embraiagem 7 G-DCT, que é constituída por duas caixas de velocidade parciais, cada uma com embraiagem própria, que usufrui duma vantagem, pois a velocidade seguinte fica logo engrenada, e a mudança muda sem interrupção da força de tracção, tornando a condução mais confortável, para além de que a mudança de velocidade seja tão rápida que a Manuel, embora o Mercedes GLA esteja equipado com as patilhas no volante.

A tracção integral 4Matic é opcional para os Mercedes GLA 200, 220 CDE e GLA 250, tem o mesmo comportamento que um 4x4, onde a segurança de condução em piso molhado ou mesmo neve, é optimizada, porque em curva é distribuído de forma variável, a força de tracção entre o eixo da frente e o traseiro, incrementando a estabilidade a alta velocidade, permitindo uma melhoria de aceleração no piso solto, impedindo a sobreviragem de cada uma das rodas, ao interferir na travagem. Por outro lado, o sistema 4 Matic inclui um programa off road, com software adaptado à tracção em especial em, piso solto. Resta acrescentar o sistema DSR – Downhill Speed REgulation, que ajuda o condutor a  dominar o GLA em descida ingreme. Mas o Mercedes GLA continua a inovar, e está equipado  com o sistema Collision Preventition Assist Plus, que alerta o condutor que em caso de distancia curta em relação ao carro que vai á sua frente, e mesmo em caso desta mesma distância diminuir, surge um alerta sonoro. Quando travamos, o assistente de travagem adaptativo sabe dosear a força da travagem necessária para evitar uma colisão, tendo como objectivo prevenir o embate de veículos, que circulam atrás. No caso do Collision Prevention Assist Plus, existe a possibilidade de realizar uma travagem parcial, autónoma, para evitar a colisão, ou pelo menos minimizar. Por outro lado no capitulo da segurança, a Mercedes não descura nada, e surge com o Attention Assist, que aumenta a segurança de condução, em especial em viagens de longa distância, pois em função do comportamento do condutor, permite detectar sinais de fadiga, e desconcentração, lançando um alerta visual na primeira fase, e numa segunda fase um alerta acústico, isto no caso de adormecer ao volante…..

Depois temos o sistema Adptative Break, que incrementa a força de travagem através da intervenção inteligente com piso molhado, mas mantém os discos de travões secos, e o mais curioso deste sistema, é que as pastilhas de travões encostam automaticamente, quando o condutor retira o pé de forma repentina do acelerador sistema de regulação de distancia Distronic Plus, ajuda a manter a distancia de segurança ao carro que vai á frente, principalmente no tráfego do pára-arranca. Se necessário o sistema pode travar automaticamente e voltar a acelerar de novo. De referir ainda o assistente de Ângulo morto, que equipado com sensores de radar, permite visualizar e detectar um veículo na zona de ângulo morto. Nessa altura surge um triângulo vermelho no retrovisor exterior, podendo também surgir um aviso sonoro, estando este sistema activado entre os 30 e os 250 km/h.Depois existe ainda o assistente de faixa de rodagem opcional, reconhece os desvios involuntários da faixa de rodagem, avisando o condutor através de vibrações no volante. Numa situação de risco, o Mercedes GLA está equipado com o sistema de protecção dos ocupantes Pre Safe, que reconhece de forma antecipada as situações de condução critica, ou em caso de perigo eminente.

O Mercedes GLA dispõe de nove airbags ( dois são airbags laterais opcionais na traseira)., para além do capot activo do motor, que se eleva automaticamente alguns centímetros em caso de colisão, ajudando a proteger os peões e os ciclistas. Após o acidente, o motor do Mercedes GLA, desliga-se automaticamente, e o  fecho centralizado desbloqueia-se. Por outro lado o sistema de chamada de emergência integrado no Command Online, transmite a posição no GPS.

 

 

No interior, o Mercedes GLA, o sistema multimédia Command Online, o condutor visualiza inúmeras funções, tais como a navegação, telefone, áudio e vídeo, internet, e tudo é apresentado em alta resolução, e a cores na central media, com um display de grandes dimensões 7,1”, sendo de utilização simples e intuituva.É possível aceder com um telemóvel com acesso à net, sendo o entretenimento assegurado por um leitor de dvd,

Rádio e uma memória de 10GB para ficheiros áudio. Em termos de aparelhagem sonora, o Mercedes GLA 220 surge com doze altifalantes com o sistema de som surrond Harman Kardou Logic 7 com 450 watts de potencia. Quanto â luminosidade, o GLA esta disponível em opção iluminação inteligente, para oferecer melhores condições de visibilidade com o sistema Intelligent Light System com faróis bi-xenon adaptativos, ajustando automaticamente às condições de condução, sendo os farolins de design S em tecnologia de fibra óptica, enquanto os piscas, luz de travão e os farolins de nevoeiro são em tecnologia Lee Equipado com a câmara de marcha atrás, acciona-se automaticamente ao engrenar a marcha atrás, apresentando ao condutor no Central Media Dispaly.

O tecto de abrir panorâmico, é uma das mais valias que equipa o Mercedes GLA 220 D, é em vidro, e de grandes dimensões, oferecendo um ambiente especial e deveras agradável. Duas persianas permitem encerrar o tejadilho.

 

 

A mala em si é espaçosa, isso tendo em conta as reais dimensões do GLA, que tem uma capacidade de 481 litros.

Quanto a versões do Mercedes GLA usufrui de quatro diferentes, no entanto a 45 AMG 4 Matic é a tónica desportiva que surge com a estética e a grelha do radiador AMG com a lamela dupla. Outro detalhe é o escape desportivo, e as jantes de liga leve AMG com cinco raios duplos, Sobre o propulsor desta versão do GLA, tem uma cilindrada de 2 litros, com 360 cv de potência, fazendo dos  o aos 100 km/h em 4,8 segundos..

Em termos de equipamento o GLA está muito bem equipado, com muitas opções, mas há que referir as jantes com tampões, grelha no radiador, vidros atérmicos, suspensão conforto, direcção com assistência variável, pára-choques com protecção inferior simulada e embaladeiras com a inscrição Mercedes Ag.No  interior de referir os bancos de formato clássico, com estofos coari, volante multifunções, forro no tejadilho, painel de instrumentos com display colorido, ar condicionado, e rádio áudio 20 CD.Já a versão Style esta já equipado com jantes de liga leve, protecção da zona de carga em cromado, barras longitudinais no tejadilho em preto polido, e pára choques com protecção inferior isso no exterior. Quanto ao interior, os bancos de formato clássicos com estofos em pele, pack de bancos conforto, volante multi funções e painel de instrumentos tubular conteiros vermelhos.A versão Urban, que usufrui dos extras das versões anteriores, mas há que acrescentar os bancos desportivos. Em relação aos pack, existe ainda o Exclusive, Night e AMG.

Acessórios é algo que não falta, e há a destacar o funda da bagageira, porta-esquis e porta snowboard, caixa do tejadilho e suporte para bicicletas traseiro. Quanto a jantes a gama do GLA usufrui de dezasseis referencias distintas, enquanto a panóplia de cores dispõe de três cores sólidas, sete metalizadas.

 

FOX 4768_Copy

FOX 4769_CopyFOX 4770_CopyFOX 4772_CopyFOX 4775_CopyFOX 4780_CopyFOX 4782_CopyFOX 4783_CopyFOX 4785_CopyFOX 4786_CopyFOX 4787_CopyFOX 4788_CopyFOX 4789_CopyFOX 4790_CopyFOX 4792_CopyFOX 4794_CopyFOX 4796_CopyFOX 4802_CopyFOX 4808_CopyFOX 4809_CopyFOX 4811_CopyFOX 4813_CopyFOX 4815_CopyFOX 4817_CopyFOX 4818_CopyFOX 4820_CopyFOX 4824_CopyGostamos muito do comportamento do Mercedes GLA 220 D, com um comportamento muito são em estrada, sendo num carro económico. Só é pena o seu valor de venda que ronda os 60.0000 euros, que em nossa opinião é sem duvida alguma um exagero. A curvar e a travar o comportamento é irrepreensível, e usufrui dum novo estilo de vida .Ao andar neste carro, fica-se com a sensação de estar num autentico “Panzer” de construção muito sólida, com excelentes materiais, mas nada melhor do que os nossos leitores fazerem uma visita a um concessionário da Mercedes, e fazer um test drive, e poder assim tirar as suas conclusões, a ver se estamos ou não longo da realidade de cada um, mas este mesma realidade dá-se pelo nome de Mercedes GLA 220 D.

 

VELOSO MOTORSPORT COM NOVO PROJECTO

VELOSO MOTORSPOR COM NOVO PROJECTO

 

 

A Veloso Motorspor fechou este fim de semana negócio, com os irmãos Montez, para esta época participarem no Lamborghini Blancpain Super trofeo, uma competição monomarca aberta  apenas aos novos Lamborghini Uracan, a ultima novidade da casa italiana.Não será demais recordar que Sergio e Eugénio Montez participaram no ano passado no Campeonato Nacional de Velocidade ao volante dum Norma, onde foram protagonistas de algumas saídas aparatosas  de pista . O seu antigo carrro ainda está nas instalações da Veloso Motrosport podendo ser entregue muito em breve a Pedro Salvador.

 

Sobre este novo projecto da Veloso Motorsport, a equipa de Póvoa de Lanhoso vai participar em cinco provas, passando pelas pistas de Silverstone (Inglaterra), Paul Ricard (França), Spa (Bélgica), Nurbrugring (Alemanha) e Sebring (Estados UNidos), onde irá decorrer a final.

 

Os primeiros testes estão já marcados para o próximo mês de Abril, na pista italiana de Vallelunga.velosouracan1 Copyvelosouracan2 Copyvelosouracan3 Copyvelosouracan4 Copy

 

CARINA LIMA REPETE TROFÉU LAMBORGHINI

CARINA LIMA REPETE TROFÉU LAMBORGHINI

 

 

Foi no ano passado que a piloto portuguesa se esetrou no Troféu Lamborghini, e pelos vistos, gostou, pois irá repetir de novo esta coimpetição monomarca para super bólides, utilizando esta época o novo Huracan.CARINANOTORFEULAMBO Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - PEUGEOT RCZ - R

 

HOJE CONDUZIMOS

 

PEUGEOT RCZ – R

 

O LEÃO MOSTRA AS SUAS GARRAS

A Peugeot lançou ao longo de 2014 uma nova versão do RCZ, que recebeu a designação de R, que para todos os efeitos trata-se duma versão bem “musculada” deste desportivo da marca francesa.Com um preço de venda ao público, o novo Peugeot RCZ – R custa 46.785 euros. Estamos perante um carro com uma personalidade muito própria, não sendo muito dispendioso, isso tendo em conta as características desportivas entre outros atributos.

Olhando bem para o Peugeot RCZ R, a única diferença exterior é o aileron de grandes dimensões fixo e móvel em andamento, mas há outras diferenças não tão visíveis, como os arcos do tejadilho que são em preto matte, bancos desportivos tipo bacquet em couro e alcântara, saída de escape dupla, frisos no pára choques com o logo R e Peugeot, para além do indicador de velocidade, jantes em liga leve de 19 polegadas, monograma RCZ-R na traseira, navegação WIP Nav Plus, pack sport, pinças de travões vermelhas, placa RCZ R em alumínio escovado, punho da alavanca de velocidades RCVZ – R, soleira das portas com um design especifico, e faróis em xenon.Para além disso, o novo Peugeot RCZ R dispõe de ABS e ESP, airbags frontais e laterais, ar condicionado automático, ajuda ao estacionamento traseiro, cruise control, luzes diurnas em led, pedaleira, apoio do pé esquerdo e soleira das portas em alumínio, vidros dianteiros com comando eléctrico.

 

Com este novo modelo do Peugeot RCZ R, a marca francesa mostra a sua garra e a componente desportiva está bem patente neste desportivo de quatro lugares.

Sentado ao volante do RCZ R, ao bancos dianteiros, que para todos os efeitos são autenticas bacquets, são muito envolventes e confortáveis, sucedendo o mesmo com o banco do passageiro. Todo o tablier está bem inserido, com todos os comandos à mão, e fácil de manusear. Aliás o volante dispõe de toda a panóplia de botões para se poder fazer uma condução segura. Para quem viaja atrás, o espaço é que não abunda, pois é diminuto, podendo apenas transportar duas crianças, pois dois adultos, seguramente viajam bem apertados.

 

O volante vincadamente desportivo é de três raios, sport, todo forrado a couro, de diâmetro reduzido e regulável em altura e profundidade, com pespontos em vermelho.

No capitulo da segurança nada foi descurado, e assim o Peugeot RCZ R está equipado de origem com ABS com repartidor electrónico de travagem, e acendimento automático dos sinalizadores de emergência. Em termos de airbags existem apenas os frontais, no entanto para o condutor e passageiro do lado, surgem os airbags lateria e de tórax.   Usufruindo de origem de alarme periférico e volumétrico, alerta para a colocação de cintos dianteiros e extracção dos cintos de segurança traseiros. O cruise control faz parte do equipamento de série, existência do sistema isofix nos bancos de trás, sistema de assistência do arranque em rampa. O computador de bordo faz parte da instrumentação, assim como a consola central que é em preto brilhante, assim como o indicador de mudança de velocidade, temperatura exterior, relógio analógico muito bonito com decoração em carbono, e inserções de metal, e por ultimo o revestimento com material semelhante ao couro. A iluminação é fabulosa com o acendimento automático dos faróis com o sistema “Follow Me Home”, faróis diurnos DRL, faróis de xénon direccionais com correcção automática de altura e lava faróis. Os faróis dianteiros são de halógeno e com dupla óptica. Os indicadores de mudança de direcção de LED, iluminação interior com espelhos, consola, soleira das portas e da cava dos pés.

 

 

Em termos exteriores, de referir o aileron traseiro de grandes dimensões, arcos do tecto em preto matte e, fecho central de portas com comando à distância e supertrancamento.O óculo traseiro é de dupla saliência, pára-brisas atérmico e acústico, pára-choques dianteiro desportivo, pintado á côr da carroçaria, com grelha de entrada de ar a cromado, sendo o pára-choques traseiro também pintado à côr da carroçaria.

As pinças dos travões do Peugeot RCZ R são pintadas em vermelho, sendo os puxadores das portas pintados á côr da carroçaria. Esta versão surge equipada com o pack sport e visibilidade. O pack sport é constituído pelo volante de três raios, sport em couro, de diâmetro reduzido, alavanca de velocidades de tamanho mais reduzido e regulável em altura e profundidade. O painel de instrumentos, sport com design especifico, acendimento automático de faróis, limpa pára brisas dianteiro automático com sensor de chuva e retrovisor interior electrocromático.

 

 

Olhando para o Peugeot RCZ R de frente, a pinta desportiva está bem patente, com uma frente muito bonita, com as jantes e as pinças dos travões de grandes dimensões. Para quem entende pouco sobre carros desportivos, o novo Peugeot RCZ R pode ser facilmente confundido com desportivos doutra marca especial, por exemplo um Ferrari isso pelas suas formas. A posição de condução é excelente, com um banco bem envolvente e confortável. Ao volante os 270 cavalos de potência do Peugeot RCZ R são qualquer coisa, fabuloso, com uma resposta por parte do motor muito rápida e com um equilíbrio espantoso, só é pena os consumos de gasolina sem chumbo 95, que em cidade são mais elevados, mas a verdade é que não se pode ter tudo, pois estamos perante um desportivo “puro sangue”. Para transportar quatro adultos de maiores dimensões, o espaço nos bancos de trás não abunda, pois embora o RCZ – R seja um desportivo de quatro lugares, o mais indicado é ser para dois passageiros. De salientar a excelente aparelhagem sonora que equipa este carro, simplesmente fabulosa.

Para quem quer um desportivo com todos os predicados, e mais acessível, isso comparando com outros modelos doutras marcas, o Peugeot RCZ R poderá ser uma excelente escolha por mais de 46.000 euros, embora em minha opinião o adversário mais directo será o Audi TT, que tem um preço mais alto. Em Portugal não devem existir muitas unidades do RCZ R, mas para quem puder investir numa máquina deste tipo, será algo a não perder, e perante este facto, sugerimos, que tal dar uma saltada a um concessionário perto de si, solicitar um test drive, e depois…prepare-se, pois emoções e a adrenalina são factores que não irão falta a bordo, e já agora ao fazer um arranque, desligue a música da aparelhagem sonora, e sinta a outra “musica”, a do acelerador a carregar, e os 270 cv a zumbir, e depois fica com uma ideia do que é um “leão” a rugir e a mostrar as garras, e depois com certeza se dirá duas palavras para si, Oh my God…..

 

 

FOX 4365_CopyFOX 4366_CopyFOX 4367_CopyFOX 4368_CopyFOX 4369_CopyFOX 4370_CopyFOX 4371_CopyFOX 4372_CopyFOX 4374_CopyFOX 4375_CopyFOX 4376_CopyFOX 4377_CopyFOX 4378_CopyFOX 4381_CopyFOX 4382_CopyFOX 4384_CopyFOX 4385_CopyFOX 4388_CopyFOX 4389_CopyFOX 4390_CopyFOX 4391_CopyFOX 4392_CopyFOX 4394_CopyFOX 4395_CopyFOX 4396_CopyFOX 4399_CopyFOX 4400_CopyFOX 4402_CopyFOX 4403_CopyFOX 4407_CopyFOX 4409_CopyFOX 4412_CopyFOX 4417_CopyFOX 4418_CopyFOX 4419_CopyFOX 4420_CopyFOX 4424_CopyFOX 4426_CopyFOX 4428_CopyFOX 4429_CopyFOX 4431_CopyFOX 4432_CopyFOX 4433_CopyFOX 4510_CopyFOX 4511_CopyFOX 4512_CopyFOX 4513_CopyFOX 4520_CopyFOX 4519_CopyFOX 4518_CopyFOX 4517_CopyFOX 4516_CopyFOX 4515_CopyFOX 4514_CopyFOX 4513_CopyFOX 4512_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                  

 

HOJE CONDUZIMOS - NOVO TOYOTA AYGO

 

HOJE CONDUZIMOS

 

TOYOTA AYGO

 

 

INDICADO PARA TEENAGERS

 

FOX 3486_CopyFOX 3487_CopyFOX 3488_CopyFOX 3489_CopyFOX 3490_CopyFOX 3491_CopyFOX 3492_CopyFOX 3494_CopyFOX 3495_CopyFOX 3498_CopyFOX 3499_CopyFOX 3500_CopyFOX 3501_CopyFOX 3502_CopyFOX 3503_Copy

O novo Toyota Aygo aí está, um modelo da marca nipónica dirigido aos jovens, onde possui tudo adaptado aos dias de hoje.Com um design inovador e diferente do que se tem visto no mercado, o novo Toyota Aygo surge com uma nova frente com linhas marcantes e um revolucionário tejadilho. Cinco itens preenchem o novo Toyota Aygo, que e um modelo simplesmente divertido para o ritmo quente dos centros urbanos “exclusiv”, para uma verdadeira sofisticação e finalmente a versão “X Wave” para ser usufruída ao ar livre.

Sendo um utilitário compacto, o novo Toyota Aygo transporta quatro passageiros com todo o conforto, usufruindo duma certa compactez no exterior, mas com um interior muito amplo, onde nenhum milímetro foi desperdiçado, bem pelo contrário foi tudo aproveitado ao máximo. Tendo em conta as dimensões do Aygo, a bagageira em si é generosa. Por outro lado uma das novidades neste Aygo é a sua suspensão que oferece uma condução mais suave, com um raio de viragem de 4,8 metros, tornando-o assim mais ágil. Em termos de interior o novo Toyota Aygo mé muito espaçoso, tudo foi aproveitado ao máximo, surgindo um painel de instrumentos individual, alongado com um aspecto futurista, isso fruto das inúmeras funcionalidades avançadas, como por exemplo o sistema multimédia x-touch com um contraste de côr, e caso o cliente pretenda, pode ser personalizado e único.

Equipamento é algo que não falta no Toyota Aygo que surge com uma panóplia própria de cores, jantes em aço de 14”, X frontal em preto carbono, espelhos retrovisores e puxadores em preto, volante de três braços em uretano, e direcção assistida. Por seu lado o contorno da alavanca de velocidades, assim como o painel em preto.Com a mesma côr surge o contorno das entradas de ar e consola central, airbags dianteiros e de cortina, controle de estabilidade, e indicador de baixa pressão dos pneus, e finalmente o aviso de colocação dos cintos de segurança. Os bancos dianteiros são confortáveis, um pouco envolventes e de série são em tecido cinza escuro.

Mas a verdade é que a Toyota quis revolucionar o Aygo com uma versão personalizada que recebeu a designação de X Play ( que foi a versão por nós ensaiada).Em termos de carroçaria, está disponível em cores próprias a escolher, jantes em aço de 15”,  X frontal em preto, assim como os espelhos retrovisores. Os puxadores das portas são em côr cinza, volante em pele de três braços, sendo o contorno da alavanca de velocidades, painel de instrumentos e comando central em cinza. Os comandos do rádio/leitor surgem no volante, com este aparelho com capacidade para o MP 3.Em opção surge o ar condicionado manual, jantes de liga leve de 15”, e faróis de nevoeiro dianteiro e sistema multimédia touch. No sentido de fazer chegar o novo Toyota Aygo ao maior numero de clientes, assim surge uma série especial que recebeu a designação de X Cite, q        eu surge com uma côr atraente, na qual a carroçaria surge em côr laranja pop, jantes em liga leve de 15” de côr preta, faróis de nevoeiro dianteiros, espelhos e retrovisores exteriores em gold black, câmara traseira de estacionamento, tecido cinza com apoios em cinza claro e laranja, e detalhe cromado na alavanca da caixa de velocidades em preto, puxadores interiores das portas em cromado, e sistema multimédia X touch. Por encomenda qualquer cliente interessado no novo Toyota Aygo, dispõe duma série especial X-Clusiv que surge por encomenda, e em teremos de extras dispõe do mesmo equipamento que a versão X-Play, havendo um acréscimo de equipamento com a carroçaria em apenas uma côr preto carbono, jantes de liga leve de 15”, faróis de nevoeiro, sensor de luz, X frontal prateado, câmara traseira de estacionamento, tecido cinza escuro, com apoios em cinza claro, e o detalhe do cromado na alavanca da caixa de velocidades, entradas de ar com contorno em cinza, ar condicionado automático, e sistema multimédia X-touch.

Um detalhe técnico que equipa o novo Toyota Aygo é o painel táctil X touch, dispõe de sistema de navegação Full Map, orientação clara Pan European, mapas optimizados, lista de percurso “leva-me a casa”, favoritos, locais de interesse e avisos sobre limites de velocidade, para além da câmara de segurança e controle, através de ecrã táctil.

Em termos de motorização o novo Toyota Aygo está equipado com um propulsor de três cilindros com 69 cv de potência, e caixa de cinco velocidades Manuel robotizada, havendo em opção as patilhas de mudança de velocidade.

O capitulo de segurança não foi de modo algum descurado, e o novo Toyota Aygo usufrui da mais recente tecnologia, e está equipado com seis airbags, entre eles os SRS para o condutor e passageiro do lado, airbags frontais e laterais para os bancos da frente, e cortina para os bancos de trás. Outro item é o sistema de aviso da pressão dos pneus, assim como o controle de estabilidade do veículo, que actua automaticamente e controla a potencia do motor, ajudando assim a manter a estabilidade e a  evitar derrapagens em curvas apertadas, ou superfícies escorregadias.

Para o cliente dum Toyota Aygo, poderá personalizar o mesmo a seu gosto, começando pela escolha da côr da carroçaria, côr de contraste, escolha do pack e por último a selecção das jantes. O pack outstand é a decoração do tejadilho que poderá ser em seis cores distintas, havendo depois diversos pack e diversas linhas de acessórios com destaque para os frisos laterais cromados, faróis de nevoeiro, guarnição cromada X frontal e traseira, assim como conjunto de decoração com uma gama de aplicações para o tejadilho, rodapé das embaladeiras e hotspot Toyota que consta na conectividade móvel com cinco dispositivos com ligação Wifi.Por outro lado surge ainda a protecção da mala, tapetes de borracha, sensores de estacionamento, palas para lamas, cadeira para crianças e alarme.

Em termos de Cores, a nível de base aparecem cinco  surgindo mais duas côres para séries especiais, e cinco tipos de jantes distintas. Os tecidos para os estofos podem ser escolhidos pelo cliente. Equipado com um motor de 1 litro, com uma velocidade máxima de 160 km/h, tem um consumo combinado de 4,1 litros por casa 100 km percorridos. Voltando à tecnologia que equipa o novo Toyota Aygo, de salientar a câmara auxiliar traseira, sensor de luminosidade activado automaticamente, no caso de luminosidade mais reduzida. Para além disso o Aygo surge com um extra não muito usual em veículos desta gama, que é a luz indicadora da baixa pressão dos pneus. Há ainda a referir o sinal de travagem de emergência, controle de arranque em subida, aviso de colocação dos cintos de segurança, sistema de fixação isofix, pré tensores e limitadores de   força, dependendo das versões há a caixa manual e automática – multimode.

Para quem viaja no novo Toyota Aygo, os bancos dianteiros são confortáveis e envolventes, tendo um tablier de fácil acesso e manuseio. Para quem viaja atrás há algum espaço para as pernas, e esta versão do Aygo já contempla os jovens adultos com pernas grandes…..De condução muito agradável, o Aygo mexe-se muito bem, embora seja um citadino por excelência, na estrada é deveras agradável a sua condução, mas deixamos aqui um desafio aos nossos leitores no sentido de visitarem um concessionário, e fazerem um test drive, para assim verificar po si próprio, se aquilo que dizemos é ou não verdade.

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

E MIGUEL RAMOS NÃO RESISTIU

E MIGUEL RAMOS NÃO RESISTIU

 

O piloto portugues Miguel Ramos esteve no passado a participar nas 24 HOras do Dubai, onde a sorte nada quis com o piloto de Vila NOva de Gaia, que ao volante do seu Corvete não teve grade sorte.Tendo largado da 8º linha da grelha, foi no turno de um dos colegas de equipa, que um toque num Porsche, acabaria por provocar danos no Corvette, que começou por não ter direcção asssitida, para depois acabar por encostar nas boxes após 12 horas de corrida com mais problemas.b6515vdceaatgjl-f9ed Copydubai1 Copydubai2 Copydubai3 Copy

 

HOJE CONDUZIMOS - PEUGEOT 5008 HIBRIDO

 

HOJE CONDUZIMOS

 

PEUGEOT 5008 HYBRID

 

NOVA APOSTA DA MARCA DO LEÃO

peu1 Copypeu2 Copypeu3 Copypeu4 Copypeu5 Copypeu6 Copypeu7 Copypeu8 Copy

A Peugeot foi outra das marcas que começou a dispor de híbridos na sua gama de monovolumes, e neste caso no 5008, que recebeu um propulsor a gasolina e eléctrico.

Em termos estéticos o Peugeot 5008 pouco difere do seu “irmão” equipado com os motores a combustão ( diesel o0u gasolina).Com um aspecto possante, o Peugeot 5008 usufrui duma personalidade própria, sendo facilmente identificável no meio do trânsito urbano.Com características familiares, o conforto e o espaço interior são factores determinantes, não descurando o factor segurança. Em termos estéticos, a  frente em si é muito bonita com um grupo óptico de grandes dimensões, surgindo na grelha o símbolo do leão. As linhas em si do Peugeot 5008 são bonitas e atractivas, mas também gostamos muito da retaguarda com um grupo óptico de grandes dimensões.

Tal como já aqui escrevemos, o conforto , o espaço interior e a segurança ao a tónica dominante no 5008, onde os bancos dianteiros são muito confortáveis e envolventes, na melhor tradição francesa. Muitos locais para arrumar a habitual “tralha” que habitualmente trazemos no carro, um tablier de grandes dimensões, com toda a informação concentrada de fácil acesso , consulta e manuseio. De salientar a excelente aparelhagem sonora, assim como o tecto panorâmico, que muito apreciamos. O factor segurança não foi de modo algum descurado, podendo transportar cinco adultos com todo o conforto. O Peugeot 5008 está equipado com diversos airbags, que oferecem uma segurança acrescida aos ocupantes. O espaço para as pernas para quem viaja no banco de trás é abundante. A bagageira em si é impressionante, com o espaço que oferece, isso tendo em conta as reais dimensões desta monovolume de dimensões médias.

Tal como tínhamos informado a propulsão hibrida permite uma acentuada poupança de combustível, então ao circular até 50 km/h com a energia eléctrica em circuito citadino, o seu comportamento é simplesmente fabuloso, muito confortável, silencioso, chegando por vezes a assustar um pouco perante tanto silencio, isso fruto da excelente insonoridade que equipa o  Peugeot 5008.Em termos de consumos, o Peugeot 5008 a partir dos 60 km/h entra em “acção” o propulsor a gasolina, cujo consumo é igualmente moderado, desde que não se abuse do acelarador.Gostamos muito do desempenho da caixa automática, muito confortável, prática e dócil.

Como já dissemos o conforto interior é a tónica dominante, com uma insonorização impressionante, e uma direcção assistida espectacular. De referir o vidro dianteiro de grandes dimensões que oferece uma excelente luminosidade para o interior. Por isso na nossa opinião o novo Peugeot 5008 hibrido é uma excelente aposta por parte da marca francesa, mas antes de mais sugerimos a todos os nossos leitores no sentido de darem uma saltada ao concessionário mais próximo de si, com o objectivo de poder fazer um test drive, e assim poder aquilatar os predicados que este carro oferece no seu conjunto.

Texto de João Raposo – Fotos Peugeot – www.velocidadeonline.ocm

 

MIGUEL RAMOS SAI DE 4º NO DUBAI

MIGUEL RAMOS SAI DE 4º NAS 24 HORAS DO DUBAI

 

O piloto português Miguel Rramosem4-1 Copyramosem4-2 Copyamos está a participar este fim de semana nas 24 Horas do Dubai ao volante dum Corvette, saindo da 4ª linha para a corrida que terá o seu iniciop dentro de algumas horas.

 

CARLOS VIEIRA VAI TESTAR SEAT LEON DE TROFÉU

CARLOS VIEIRA VAI TESTAR SEAT LEON DE TROFÉU

 

O piloto português Carlos Vieira, tal como já tinhamso anunciado recentemente nestas paginas, para 2015, quer ir correr para fora de Portugal, e uma das alternativas poderá ser o EurocupVIEIRA Copy da Seat.Por isso Carlos Vieira irá fazer este fim de semana um teste na pista de Barcelona, para aquilatar as possibilidades de poder participar nesta compoetição monomarca.

 

MERCEDES BENZ CHALLENGE

 

Cesare Marrucci é vice-campeão na Mercedes-Benz Challenge

Piloto conquista primeira vitória do ano e encerra temporada com chave de ouro o ano

 

Cesare Marucci venceu a corrida válida pela oitava etapa da Mercedes-Benz Challenge e terminou como vice-campeão na categoria C250. A conquista, que marcou sua primeira vitória no ano e o encerramento da temporada, aconteceu neste último domingo (30), no Autódromo Internacional de Curitiba/PR.

 

Chegando para a disputa da última etapa na quinta colocação do certame, para ficar com o título o piloto precisava vencer e contar com uma complicada combinação de resultados. A vitória foi conquistada, mas o campeonato acabou ficando com Cristian Mohr, que garantiu o título ao terminar a corrida na terceira posição.

 

“Todos sabiam que era muito difícil, mas também tínhamos consciência de que poderíamos vencer a prova, pois chegamos até aqui em condições de brigar pelo título sem ter vencido nenhuma etapa, até então. Acho que poderíamos ter ido mais longe, mas estou muito contente com o resultado final”, afirmou.

 

Em sua quarta temporada na categoria monomarca mais charmosa do país, este é o melhor resultado obtido pelo piracicabano que compete pela equipe Cordova Motorsports. Ao longo da competição, Marrucci venceu uma corrida, em oito disputadas, tendo ido ao pódio em cinco provas, sendo três delas na segunda colocação e uma em terceiro lugar.

 

“Foi uma temporada difícil, pois demoramos a encontrar o acerto do carro. Mas, na medida em que fomos evoluindo passamos a acreditar que tínhamos algumas chances. Infelizmente vieram duas quebras em que, praticamente, não pontuamos e que nos deixou muito longe dos líderes”, lembrou.

 

A prova

O piracicabano partiu do segundo posto no grid e perdeu duas posições logo na largada, mas teve frieza para reconquistar as posições com duas boas ultrapassagens e contar com um ótimo pitstop, para concluir as 27 voltas da prova na frente. Logo atrás vieram Luiz Sena Jr. e Cristian Mohr. Já na classificação geral, Mohr ficou na primeira posição, com 106 e Cesare Marrucci com 99.

 

Os demais três pilotos que chegaram para a última etapa à frente de Cesare Marrucci na tabela de classificação, terminaram atrás, Luiz Sena Jr. ficou com 97, Peter Michel Gottschalk, com 92 e a dupla formada por Marcos Paioli e Peter Gottschalk, com 85.

 

“O poder de reação apresentado nas últimas três etapas foi muito bom. Conquistamos três pódios seguidos, com dois segundos lugares e agora esta vitória. Descontamos os 28 pontos que nos distanciavam do então líder do campeonato, situação da classificação após a quinta etapa, para alcançar este vice-campeonato, meu melhor resultado na categoria”, disse satisfeito. “Tinha uma missão, que era vencer uma prova em 2014, e consegui cumprir. Posso dizer que encerrei a competição com chave de ouro e sensação de dfoto vice_campeao_Copy
 

PROJECTO OU REALIDADE ?

PROJECTO OU REALIDADE

 

Aluma imprensa italiana fez ontem eco, do que poderá ser um novo Lancia Delta que poderá eveentualemtne vir a participar no Mundial de Ralis.A marca em si nada confirmou, mas o desenho do carro é deveras bonito, por isso questionamos se isto é apenas um projecto, ou irá ser mesmo realidade?PROJECTOOUREALIDADE Copy

 

ONDE ESTÃO OS REGULAMENTOS?

ONDE ESTÃO OS REGULAMENTOS?

 

Não deixa de ser curioso que o Presidente da FPAK prometeu que os regulamentos estariam prontos em inicio de Outubro, mas a verdade é que caminhamos rápidamente para o final do mês e de regulamentos, nem vê-los.....cerimonia manuel_de_mello_breyner2_Copy

 

DANIEL VIDAL JUNIOR É NOTICIA

DANIEL VIDAL JÚNIOR É NOTICIA

 

 

O piloto português encontra-se na cidade do  Porto de férias, no entanto tivemos conhecimento que a vinda de Daniel Vidal Junior de Luanda até à Europa, prende-se com a constrcução do seu novo sport prototipo com que irá correr no Campeonato Angolano de Velocidade em 2015, depois duma época sabáttica em 2014.

 

A nova máquina foi comprada a Juno-Ginetta, já iniciou a construção em Inglaterra, estando previsto que o carro esteja pronto para inicios de Dezembro, havendo a possibilidade do mesmo ser testado em Portugal, embora nada esteja ainda confirmado.

 

Sobre este novo Juno-Ginetta, irá ser exemplar único, é um carro feito para o piloto que irá correr em Angola, em termos técnicos poderá ser uma mistura entrte um LMP 3 e 2, sendo um carro aberto.Em termos de propulsor, nada está ainda defenido, mas já nos foi asssegurado que o motor terá mais de 3 litros de cilindrada.Por outro lado a assistência deste novo carro para D01 Ginetta_Zytek_David_Merr-L_Copy1407338709Ginetta-Juno LMP3_Render_1_Copyaniel Vidal Junior ficará a cargo da Comval Racing.

 

UM EXEMPLO PARA OS PILOTOS PORTUGUESES

UM EXEMPLO PARA OS PILOTOS PORTUGUESES

 

 

João Barbosa é sem dúvida alguma um dos exemplos para os pilotos portugueses, que só pensam na Fórmula 1, quando em termos de carreiras poderão fazer o mesmo precurso que fez o piloto originário de Valongo, e que agora dá os seus frutos, sendo um dos pilotos mais cotados nos Estados Unidos, aliás não deixa de ser curioso, que a dupla campeã, fala português, pois o companheior de equipa de Barbosa, é Christian Fitipaldi, sobrinho do ex piloto de Fórmula 1 Emersom Fitipaldi.Pode não parecer mas singrar numa carreira nos Estados Unidos pdoerá ser uma boa forma de poder correr num país com horizontes completamente diferentes daqueles que a actual Europa oferece.joaobarbosa1 Copyjoaobarbosa2 CopyJOOBARBOSANOSPRINICPAISCANAIS USA_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

RED BULL AIR RACE

 

 

Conjunto de imagens da prova que teve lugar este fim de semana em Las Vegas nos Estados Unidos.red1 Copyred2 Copyred3 Copyred4 Copyred5 Copyred6 Copyred7 Copyred8 Copyred9 Copyred10 Copyred11 Copyred12 Copyred14 Copyred15 Copyred20 Copyred21 Copyred22 Copyred24 Copyred25 Copyred26 Copyred27 Copy

 

DANIEL VIDAL JUNIOR DE JUNO

DANIEL VIDAL JUNIOR DE JUNO

 

Daniel Vidal Junior, filho do conhecido campeão Portugues, por razões profissionais está radicado em Angola, onde tem como hobby a participação em corridas de automóveis, onde nos ultimos anos tem andado fiel à Radcial, tendo para venda um radcial SR 8 com que correu no ano passado.

 

 

Mas tudo indica que em breve Daniel Vidal Júnior poderá ter já encomendado na Juno em Inglaterra um protótipo de ultima geração, para assim poder participar nas provas em Angola, onde irá defrontar três Radicais SR 8 que habitualemtne participam.Em termos de motorização, tudo indica que o Juno tenha um propulsor de 3 litros, Pelos vistos, e embora nada fosse ainda confirmado pelo piloto português a assistência deste Juno ficará a cargo da Conval racingvidal Copy

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

NOVO PORSCHE MACAN

 

UM CAYENNE EM TAMANHO REDUZIDO, MAS MUITO EFICIENTE

 

 

 

Depois  do lançamento do Porsche Cayenne há uns anos atrás, que marcou a estreia da marca de Estugarda no segmento dos SUV, levou a que a marca alemã renovasse com uma nova aposta no segmento, com a criação dum SUV de dimensões mais reduzidas, e assim nasceu o Macan, um SUV compacto com cinco portas, cinco lugares, com tracção integral permanente, com toda a adrenalina que a Porsche Proporciona, não esquecendo logicamente a veia desportiva.

 

Para o mercado português a Porsche tem disponível três versões distintas do Macan, a versão S, em que a componente desportiva vem ao de cima, versão diesel e a versão Turbo.

 

Em termos estéticos o novo Porsche Macan surge com uma personalidade muito própria, embora em certos aspectos similares ao seu irmão mais velho, o Cayenne. Os faróis dianteiros estão integrados no capot com as entradas de ar. A linha do tejadilho descai para a traseira, obtendo uma silhueta dum desportivo, recebendo a designação de Porsche Fly Line, tendo também alguma identificação com o Porsche 918 Spyder.

É lógico que o Porsche Macan tem como principal adversário no mercado o Audi Q 5, estando o Macan em perfeitas condições para se bater pela liderança do segmento. As jantes que dão um aspecto impressionante ao “pedigree” do Macan, pode este modelo ser equipado com jantes de 21 polegadas, e é através das pinças dos travões que se poderá identificar as três versões do Macan, na qual a cor prata identifica o Macan S, a vermelha  o Turbo e a amarela a versão diesel.AQ traseira do Porsche Macan é muito bonita, dando uma linha harmoniosa que existe ao longo do carro. De referir que a porta da bagageira é automática, e os led traseiros tridimensionais. Quanto ao interior, o Porsche Macan surge com tudo de bom e do melhor, com bancos desportivos, muito envolventes, com um painel de instrumentos que apresenta três mostradores centrais. O do lado direito tem o ecrã do computador de bordo, a consola central com uma inclinação para a frente, onde se encontra entre outros a alavanca selectora, PDK, assim como o acesso às funções mais importantes do veículo. A ignição encontra-se do lado esquerdo do volante, algo já tradicional nos Porsche. O volante desportivo, multi funções de três raios, inspira-se no 918 Spyder, de forma as mãos do condutor nunca saírem do volante, existindo ainda duas patilhas de comando, com passagens de caixa de cariz desportivo e muito rápido. Os bancos traseiros dispõem de três posições, podendo ser rebatidos na totalidade, ou parcial. Ao comprar um Porsche Macan, o mesmo poder ser completamente personalizado ao gosto do seu novo proprietário, onde a palete de materiais varia entre o clássicos e o desportivo, na qual os desejos do novo proprietário não tem limites…..

 

 

Quanto aos motores que equipam o novo Porsche Macan, o turbo diesel e o biturbo, surgem todos com tracção integral activa que garanta tracção e agilidade acrescida. Graças à transmissão Porsche de sete velocidades, que permite fazer as passagens de caixa como na competição automóvel, isto é, em milésimos de segundo. Depois há a registar a redução dos valores de consumo, assim como as emissões, recebendo o contributo da função Auto Star-Stop, um sistema de gestão térmica inteligente.

 

O chassi equipado de série com molas de aço, oferece a precisão e a performance, que tem caracterizado a Porsche. No campo da suspensão, há um extra que a marca alemã proporciona, que é o PASM – Porsche Active Suspension Management, que nas versões do Porsche Macan Turbo já está incluido.Basta carregar no botão, e os amortecedores adaptam-se de acordo com o tipo de condução, existindo uma suspensão automática, permitindo rebaixar o Macan em quinze milímetros, aliás a regulação em altura do chassi permite optar por três níveis, para uma adaptação ideal às diferentes situações de condução. De forma a melhorar a forma de curvar do Porsche Macan, este vem equipado com o Porsche Torque Vectoring Plus, que é uma opção, fazendo uma distribuição variável do binário nas rodas de trás, com um bloqueio transversal electrónico do diferencial traseiro, melhorando o comportamento e a precisão da direcção, incrementando a agilidade do veículo nas curvas.

No campo da segurança em que a Porsche nada descura, para o condutor há diversos sistemas de assistência que dão um maior prazer de condução nomeadamente o PAS – Porsche Active Safe, que perante o controlar a velocidade em função da distância em relação ao carro da frente. Por outro lado, o assistente de mudança de faixa, controla o ângulo morto, e o assistente de faixa de rodagem controla a distância em relação às marcas rodoviárias.

 

 

As diferentes versões do Porsche Macan, na versão Turbo surge equipado com um motor de 3,6 litros com 400 cv de potência, fazendo dos = aos 100 km/h em “apenas” 4,8 segundos, que curiosamente foi a versão por nós ensaiada. Todas as versões do Porsche Macan surgem equipadas com a função Auto Star-Stop, que desliga o motor na aproximação dum semáforo, assim como outro sistema, o Variocom que é um regulador que permite visionar de forma continua as árvores de cames de admissão e de escape em todas as versões do Macan, garantindo uma potência especifica e um elevado binário, mesmo em regimes de rotação mais baixas, dando o seu contributo na redução dos valores de consumo e emissões. Curioso é sem duvida alguma o outro sistema que equipa o Porsche Macan, que utiliza o modo “velejar”, tratando-se duma aplicação electrónica, em que o motor é desacoplado para evitar o efeito de travagem, podendo assim tirar partido da energia cinética, podendo assim rodar largas distâncias com o consumo a ser reduzido, isso sem alterar as performances desportivas.

 

Por outro lado o sistema de injecção directa de gasolina, garante uma combustão eficaz, isto para os propulsores a gasolina, enquanto as versões a diesel usa um sistema commom rail.

 

A componente desportiva não foi descurada no Porsche Macan, onde a redução de peso é essencial, isso graças ao recurso de utilização de materiais leves, permitindo uma elevada dinâmica de condução, conforto, assim como nos consumos. A afinação do chassi do Porsche Macan tem um caracter desportivo, aliás a “costela” Porsche está bem vincada, podendo o condutor optar por uma condução desportiva ou na versão de conforto. Na versão puramente desportiva, o Porsche Macan baixa 15 mm, melhorando assim a sua aerodinâmica. Mas o proprietário do Porsche Macan pode ainda ajustar a suspensão a três níveis, TT, normal e baixo. O nível todo o terreno – TT, o Macan sobe 40mm, e no nível baixo fica 10mm abaixo do normal. Embora não tivesse sido concebido para o chamado todo o Termo puro e duro, o Porsche Macan permite ao condutor accionar o botão off-road, adaptando um programa mais adaptado ao tipo de terreno a percorrer.

 

O Porsche Macan tem disponível para os seus clientes, seis tipos de jantes distintas, com os pneus mais largos atrás, incrementando assim a superfície de apoio traseira. As jantes variam entre as 18 e 21 polegadas. Por exemplo o Porsche Macan S e S diesel surgem equipados de origem com jantes de 18 polegadas, enquanto o Turbo surge com 19”.Os faróis que equipam o Porsche Macan são bi-xenon, com sistema de regulação automática, oferecendo uma iluminação homogénea na estrada, virando os faróis com o feixe de luz para a curva, iluminando a mesma com antecedência. Fruto dos seus atributos desportivos, o Porsche Macan consegue parar num espaço curto, por isso os seus sistemas de travagem são de grandes dimensões, e o mais curioso são as côres das pinças que se diferenciam, perante as versões existentes. Como opção o Macan pode ser equipado com discos em cerâmica, ou de origem com discos perfurados. Depois não nos podemos esquecer do PSM, que é um sistema electrónico de estabilidade, que fruto da utilização de muitos sensores, oferece toda a segurança ao condutor. Todos os Porsche Macan possuem de origem airbags de grandes dimensões para o condutor e passageiros, para além da protecção contra impactos laterais. Por seu lado houve um certo cuidado na construção da carroçaria com a utilização de aços de grande resistência, originando elevada rigidez e resistência à deformação. Os efeitos para respeitar o meio ambiente são escrupulosamente respeitados pela marca alemã, respeitado os níveis exigidos na comunidade europeia.

 

O conforto a bordo do Porsche Macan é fabuloso, aliás a insonorização é perfeito, e para se ouvir o roncar do motor, torna-se necessário abrir a janela, e desligar a aparelhagem sonora, e então aí sim, pode-se sentir e auscultar o que é o desempenho sonoro e não só do Porsche Macan.O habitáculo do Porsche Macan transporta cinco adultos sem problemas de maior, com todo o conforto e segurança, não esquecendo a componente desportiva, onde o banco do condutor é uma autêntica bacquet de competição, mas devidamente adaptada às vida civil. Outro detalhe é o volante “herdado” do 918 Spyder4, onde surgem as patilhas de comando, e botões multifunções adicionais para o telefone, rádio-leitor e computador de bordo, com o conta rotações numa posição central, oferecendo ao condutor toda a informação com rapidez e eficiência. De salientar o ecrã de alta definição de 4,8”.De referir que há diferença entre o banco do conduto e do passageiro do lado, mas no seu inteiro, o Macan tem muito espaço para arrumar “a tralha” que habitualmente trazemos no carro. A bagageira tendo em conta as dimensões do Macan, está bem aproveitada, com uma capacidade de 500 litros, podendo os bancos de trás serem rebatidos 40/20/40, incrementando assim o espaço para os 1500 litros.

 

A aparelhagem sonora que equipa o Porsche Macan é qualquer coisa de fabuloso, e assim dispõe de onze altifalantes, com uma potência de 235 watts com leitor de CD/DVD, para além do dispositivo USB, em suma não falta nada…..havendo ainda a acrescentar que o sistema de som Bose, é qualquer coisa….

 

Em termos de opções para o Porsche Macan, surge o tecto de abrir panorâmico, barras no tejadilho, gancho do atrelado. Em termos de côres disponíveis para o mercado em, Portugal, surgem duas cores lisas , sete metalizadas e duas cores especiais. As combinações em termos de interiores são as mais variadas.

 

Em termos de predicados, o Porsche Macan Turbo dispõe de 400 cv de potencia, com uma velocidade máxima de 260 km/h.Já a versão por nós ensaiada, a versão S tem 340 cv de potencia, e uma velocidade máxima de 254 km/h.Por fim a versão diesel tem 340 cv, e uma velocidade máxima de 258 cv.

 

Ao volante e difícil apontar defeitos ao Porsche Macan, pois o carro não tem nada a apontar, talvez o seu preço, mas isso por culpa da legislação existente em Portugal. A aceleração e a travagem são impressionantes, a curvar tem uma estabilidade fabulosa, em sum um carro incrível.

Para terminar resta agradecer ao Centro Porsche Porto na pessoa de Carlos Silva,  na cedência do Porsche Macan, cujo teste apresentamos hoje aos nossos leitores.

FOX 1983_CopyFOX 1984_CopyFOX 1985_CopyFOX 1986_CopyFOX 1987_CopyFOX 1988_CopyFOX 1989_CopyFOX 1990_CopyFOX 1991_CopyFOX 1992_CopyFOX 1993_CopyFOX 1994_CopyFOX 1995_CopyFOX 1996_CopyFOX 1997_CopyFOX 1998_CopyFOX 1999_CopyFOX 2000_CopyFOX 2001_CopyFOX 2002_CopyFOX 2003_CopyFOX 2005_CopyFOX 2007_CopyFOX 2008_CopyFOX 2012_CopyFOX 2013_CopyFOX 2014_CopyFOX 2015_CopyFOX 2017_CopyFOX 2018_Copy

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HYUNDAI I 30

 

EXCELENTE APOSTA NO SEGMENTO MÉDIO NA HYUNDAI

 

O Hyundai I 30 é a grande aposta da marca coreana no segmento médio, onde o design é em nossa opinião ousado, com um novo estilo e elegância, sendo concebida dentro do gosto dos europeus. As linhas convergentes foram esculpidas, jogando com as luzes e as sombras, sendo esta geração um marco em termos estéticos no seio da marca.Com uma grande qualidade de construção, a Hyundai dá garantias de cinco anos integral, sem limite de quilómetros, abrangendo a assistência em viajem e o mesmo período de  verificações anuais.

O Hyundai I 30 vem equipado de origem com o Flex Steen, que incorpora três modos de condução com a direcção assistida com três níveis de resposta, com o modo normal que oferece um suporte perfeito para percursos citadinos, ou estradas sinuosas. Há ainda a versão Confort, que facilita o estacionamento, e finalmente a versão Sport que torna a condução mais precisa. Em termos de equipamento, tendo em conta o segmento em que o Hyundai I 30 está integrado, surpreende em termos de equipamento, sendo bem superior a outros modelos de segmento superior. De destacar os faróis xénon com luzes adaptativas, que segue o sentido da direcção do I 30, enquanto a iluminação estática ilumina tudo que está envolvente. O sistema de navegação está  integrado num ecrã táctil de sete polegadas, assim como o Bluetooth, cujos comandos estão incorporados no volante com microfone incorporado, sendo uma solução de mãos livres. Quando se faz marcha atrás, surge a câmara, onde surge no ecrã tudo quanto se passa na retaguarda. Para accionar o motor, existe o botão do “engine start &Go”, que evita a introdução da chave na ranhura. Outro extra, é o cruise control com limitador de velocidade, que permite a obtenção duma velocidade constante, sem a preocupação de exceder o limite de velocidade, sendo este extra muito útil em viagens mais longas. Os mostradores com indicadores supervisionam com um tft de elevada resolução, e incorpora toda a informação relevante para o condutor. A estabilidade total surge com o sistema ESP – controle electrónico de estabilidade, que monitoriza a estabilidade direccional, e a tracção do veiculo, no entanto o Hyundai I 30 desfruta ainda de ABS e MPS.

 

 

A iluminação tão necessários nos dias de hoje, com as luzes adaptativas, que oferece ao condutor uma melhor visibilidade ao fazer as curvas, ou mesmo executar certo tipo de manobras, que ligado a um mecanismo giratório da direcção do veiculo. Por sua vez o sistema HID com luzes xénon, tem incorporado um dispositivo de auto nivelamento, e lava faróis, havendo ainda o sistema de controle automático que acciona os faróis ao crepúsculo e ao nascer do sol.

No Hyundai I 30, nada é deixado ao acaso, e o conforto é a tónica dominante, neste carro de origem coreana, que graças ao desenho ergonómico e inteligente oferece muito espaço para a bagagem, podendo transportar objectos de apreciável dimensão. Em termos ed extras o Hyundai I 30 dispõe de tecto eléctrico e panorâmico ( opção), acompanhado por uma cortina interna totalmente retráctil. Quanto a modelos de jantes, o Hyundai I 30 dispõe de quatro referencias distintas, onze cores externas, e oito tipos de tecido para os estofos que podem ser em tecido ou em pele.

 

 

Em termos de garantias, a Hyundai oferece cinco anos de garantia ilimitada, sem limite de quilometragem, garantia integral do motor, e doze anos de garantia anti corrosão. Para a assistência em viajem são cinco anos de garantis.

O Hyundai é um excelente carro adaptado para uma família portuguesa, económico, com grande versatilidade, cómodo, em suma uma excelente escolha que nos deixou surpresos, e muito pela positiva, pois não estávamos `*a espera deste tipo de veiculo. Espaço interno há muito, diremos quanto basta…., muitos extras, que só surgem em veículos de segmento superior. Mas no meio disto tudo não há nada como solicitar junto dum concessionário da marca um teste drive, como nós fizemos para si caro leitor, para ver se aquilo que agora lhe transmitimos é verdade, e estará de acordo.

 

 

Este teste ao Hyundai I 30 foi possível, graças ao Entreposto Porto, na cedência deste carro da marca coreana, por isso os nossos agradecimentos na pessoa do Sr. Paulo Alegria, responsável comercial da concessão em Vila Nova de Gaia.

 

HY1 CopyHY2 CopyHY3 CopyHY4 CopyHY5 CopyHY6 CopyHY7 CopyHY8 CopyHY9 CopyHY11 CopyHY12 CopyHY14 CopyHY15 Copy

Texto de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA D EIMAGENS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

LEXUS GH 3000lexus1 Copylexus2 Copylexus3 Copylexus4 Copylexus5 Copylexus6 Copylexus7 Copylexus8 Copylexus9 Copylexus10 Copylexus11 Copylexus12 Copylexus14 Copylexus15 Copylexus16 Copylexus17 Copylexus18 Copylexus19 Copylexus20 Copylexus21 Copylexus22 Copy

 

PROVAS EM PORTUGAL PASSARAM NA DISCOVERY HD SHOW CASE

PROVAS EM PORTUGAL PASSARAM NO DISCOclassicos circuito_boavista_25062013_CopyVERY HD SHOW CASE

 

O canal por cabo, Discovery HD Show Case têm estado a passar provas de automobilismo de clássicos em Portugal.Assim o primeiro programa refere-so ao circuito da Boavista de 2011, onde é retratado  a participação de equipas inglesas ao volante de diferentes carros, surgindo referencoa ao piloto português Carlos Barbot, que nessa prova alinha ao volante dum AC Cobra.O segundo programa emitido refere-se ao Algarve Historic Festival, que teve lugar no autódromo de Portimão em 2010.

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

NISSAN REFINA QASHQAI

 

O Nissan Qashqai ao longo da sua existência revelou-se como um dos melhores produtos da marca nipónica, onde na sua quarta série melhorou e muitos os seus predicados.

 

O Nissan Qashqai liderou e continua a liderar os segmento dos cross over, surgindo esta nova versão com um novo design, um pouco diferentes dos seus antecessores, incrementando a sua tecnologia interactiva, conectividade avançada e uma resposta dinâmica que proporciona ao condutor um controle total. A versão por nós ensaiada, dispunha de estofos interiores em pele, usufruindo do Advanced Confort com apoio de coluna, apoio de joelho e luz ambiente. Mas tecnologia é algo que não lhe falta ao Qashqai, na qual uma série de extras dota este cross over de algo que a sua mais directa concorrência não consegue para já dar uma resposta certeira. Por exemplo este modelo da Nissan já vem equipado com um identificador de chamadas, permitindo ao condutor poder fazer os contactos sem tirar os olhos da estrada. Por outro lado o Qashqai vem já equipado com o escudo de protecção inteligente composto por avisos visuais e sonoros, navegação curva a curva, que permite ao condutor visualizar p trajecto com antecedência, orientando-se sem problemas. Outro dos extras do novo Nissan Qashqai, é o indicador da baixa pressão dos pneus, assim como o sistema áudio que permite a selecção das musicas e cantores preferidos. Por outro lado todos os ecrãs do Qashqai permite a selecção de cores, que se combina com a iluminação ambiente. Por outro lado, o volante já dispõe dum modo de condução suave que incrementa o conforto da cross over.Por ultimo de referir os sensores de ajuda ai estacionamento.

 

Mas já que estamos a falar do mundo da tecnologia, de salientar o regulador automático das luzes dos máximos, se por acaso o leitor está a percorrer uma estrada rural, este sistema maximiza a visibilidade, activando os faróis nos máximos, reduzindo a intensidade no caso de cruzar com outro veículo em sentido contrário. De salientar as luzes led, que oferecem uma melhor visibilidade. Outra inovação do novo Nissan Qashqai, é o sistema de anti-colisão frontal, pois caso haja risco de colisão com o veículo que rode á frente, este sistema emite um sinal sonoro de alerta. Mas as inovações técnicas não se ficam por aqui, pois o Nissan Qashqai vem equipado de origem com o identificador de sinais de transito, que informa o condutor dos limites de velocidade existentes nos locais por onde está a passar. Graças aos inúmeros sensores instalados, permite ao condutor a detecção de objectos em movimento, que podem ser animais, ou crianças por exemplo. Outro aspecto curioso é o alerta de fadiga, pois caso o computador veja que acusa sinais de fadiga, de imediato emite um sinal sonoro e visual a alertar para parar e fazer uma pausa. Mas inovações é algo que não falta ao novo Nissan Qashqai, onde surge o sistema de aviso de mudança de faixa de rodagem involuntária, isto é, caso o condutor saia da sua faixa de rodagem, sem ter sinalizado com o pisca, o sistema alerta-o, e pede que corrija a trajectória.

 

Em termos de segurança, tão importante nos nossos dias, de referir a existência de seis airbags de série, para além do aviso de ângulo morto.

Dependendo da versão seleccionada, o Nissan Qashqai dispõe dum sistema de estacionamento automático, isso graças ao auxilio de quatro câmaras com o sistema de visão de 360 graus, que oferece uma visão panorâmica, facilitando as manobras ao máximo, nomeadamente a marcha-atrás e o estacionamento. No caso do condutor estacionar em paralelo, caso o sistema indique ok, basta posicionar o Nissan Qashqai nas linhas de orientação que delimitam o espaço de estacionamento, e pode aparcar de forma perfeita. No caso de estacionar num parque de estacionamento de cariz urbano, a câmara de visão 360 graus ajuda o condutor a encontrar o lugar adequado, bastando estar atento ao ecrã, e manobrar a caixa de velocidades, conforme o que for indicado. Depois o sistema de estacionamento automático irá aparcar o Qashqai por sua vez. Não deixa de ser incrível as inovações que este cross over possui, como por exemplo os sistemas de chassis control, que podem ser visualizados no ecrã, tendo sempre assim o controle do carro. Por sua vez o controle activo de trajectória, proporciona segurança nas curvas, controlando a pressão do travão aplicada a cada roda, para uma resposta mais suave do veículo.

 

Quanto à motorização do novo Nissan Qashqai, surge para o mercado português com três propulsores distintos, dois a diesel com 1.5, e 1.6 com potência compreendidas entre os 110 e os 130 cv.No motor a gasolina, apenas está disponível a versão com 115 cv de potencia. Todas as versões propulsoras do Nissan Qashqai usufruem duma performance dinâmica de tecnologia Pure Drive, que polui muito menos, com o precioso auxilio da função stop&Start.

 

Arrumação é algo que não falta no inteiro do novo Nissan Qashqai, na qual os bancos traseiros rebatidos, oferecem um piso plano, que pode transportar todo o tipo de bagagem, para além dum espaço de arrumação oculto, tipo fundo falso.Com os bancos numa posição vertical, permite a obtenção de dezasseis configurações de arrumação, para além do novo design que oferece mais espaço de arrumação.

Para o mercado português, em termos de cores o novo Nissan Qashqai usufrui de nove cores exteriores, e quatro combinações de tecido em pele para os assentos.Com três anos de garantia o Nissan Qashqai só terá de efectuar revisões de 30.000 em 30.000 km.

 

Para além de toda a panóplia de equipamento, o Nissan dispõe duma série de extras que são vendidos separadamente, nomeadamente as capas para os espelhos retrovisores exteriores, embelezador de pára-choques dianteiro, jantes de liga leve de 19 polegadas, frisos laterais com cromado, tapete da bagageira em veludo preto, organizador de bagageira, gancho de reboque removível com kit eléctrico, barras de carga, embelezador de porta bagagens, e tapetes interiores em veludo e borracha. Em termos de jantes exteriores o Nissan Qashqai dispõe de onze referencias distintas, com diferentes medidas.

 

Ao volante do nov0o Nissan Qashqai,  foi uma novidades deveras agradável que não estávamos à espera, pois nesta versão não conseguimos encontrar defeitos, aliás sugerimos todos os nosso leitores a poderem fazer um teste e viram a mais valai que este cross over oferece, com os preços a terem o seu inicio nos 25.000 e a terminar nos 32.000 euros.

FOX 2027FOX 2029FOX 2031FOX 2032FOX 2036FOX 2039FOX 2044FOX 2046FOX 2053FOX 2054FOX 2056FOX 2094FOX 2096FOX 2097FOX 2106FOX 2107

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - HYUNDAI I 10

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HYUNDAI I 10

 

A GRANDE APOSTA DA MARCA COREANA PARA O SEGMENTO BAIXO

 

O Hyundai I 10 é um autêntico “cavalo de batalha” da marca coreana, sendo assim a grande aposta em termos de segmento mais baixo. Sendo um citadino por excelência, surge como novos patamares em termos de estilo, tendo sido concebido para os gostos europeus(aliás é produzido na Europa e não na Coreia).Com umas linhas atractivas, o I 10 é o resultado de harmonia e perfeição, com um looking mais baixo e largo, conjugando um toque desportivo, nas suas aerodinâmicas linhas.

Um dos aspectos que mais nos agradou é o aproveitamento do espaço interior, em que nada é  desperdiçado. Mas  o I 10 também surpreende pela tecnologia que o equipa, pois estamos a falar dum automóvel que pertence ao segmento mais baixo, mas a verdade é que surge equipado com uma série de extras, que só aparece em modelos de categoria superior. O volante por exemplo pode ser aquecido, o controle de áudio, pode ser ajustado e manuseado no meio do volante, assim como o cruise control com limitador de velocidade, estando instalado no lado direito do volante. Ainda no volante, surge a conectividade Bluetooth que permite o uso de telemóvel com segurança. Outro detalhe é o botão “engine/start/stop, não havendo necessidade da chave de ignição. O Hyundai I 10 surge também com o USB e AUX.

O factor segurança está presente no I 10, e surge equipado com o ESP – programa electrónico de estabilidade, controlando a velocidade e o ângulo da “guinada”, aplicando impulsos variáveis ao travão, de forma a evitar derrapagens descontroladas em situações de condução mais adversas. Por sua vez o VSM que coordena o sistema ESP a direcção que é assistida, adicionando impulsos à direcção para manter a estabilidade nas curvas, nas súbitas mudanças de faixa e superfícies com aderência desigual. O HAC também equipa o Hyundai I 10, que consiste que prime os travões no momento do arranque, mas este “extra” surge apenas na versão style.Seis airbags equipam o Hyundai I 10, com dois airbags frontais, dois laterais e dois de cortina. Cintos de segurança reguláveis em altura, incrementando assim o conforto.

O espaço interior do Hyundai I 10, foi sobejamente aproveitado, sendo o habitáculo mais espaçoso, dispondo duma capacidade de  carga de 2523 litros, mas rebatendo os bancos traseiros, o espaço aumenta para 1046 litros. Por seu lado a cobertura da bagageira protege tudo quanto é transportado na mala e levanta em conjunto com o porta bagagens. Os bancos traseiros rebatem 60/40.

Na paleta de cores, o Hyundai I 10 está disponível em onze cores distintas com quatro tipos de jantes com diferente ergonomia. Ainda em termos de interior, os bancos dianteiros são confortáveis, embora não muito envolventes. O tablier em si é de fácil consulta e manuseio, com todos os botões á “mão de semear”.De referir a excelente aparelhagem sonora que equipa o Hyundai I 10.Para quem viaja no banco de trás, espaço para as pernas é algo que não falta, oferecendo assim mais conforto para os cinco passageiros que pode transportar com todo o conforto e segurança. A mala em si está muito bem aproveitada.

Ao volante o Hyundai I 10 tem um comportamento curioso, para além de ser muito económico, é bem “despachado”, sendo muito interessante o seu comportamento em cidade assim como em estrada.Com vocação citadina, o Hyundai I 10 em estrada tem um desempenho fabuloso, que apreciamos muito.Com uma caixa de velocidades muito dócil, para quem procura um citadino polivalente, o Hyundai I 10 é uma excelente alternativa e escolha.

Este teste foi possível graças ao Entreposto Auto na cedência deste carro, o que desde já agradecemos esta oportunidade.

FOX 5398FOX 5399FOX 5400FOX 5401FOX 5402FOX 5403FOX 5404FOX 5405FOX 5406FOX 5407FOX 5408FOX 5409FOX 5410FOX 5412FOX 5413FOX 5414FOX 5415FOX 5417FOX 5418FOX 5419

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - TOYOTA AURIS TOURING SPORTS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

TOYOTA AURIS TOURING SPORTS

 

 

O Toyota Auris é sem duvida alguma a grande aposta da marca japonesa, que tem dado frutos, aliás na melhor tradição da marca nipónicas.

Um dos melhores factores da Toyota Auris Touring Sports, e á sua versatilidade, onde surge um amplo espaço na bagageira que poderá ser incrementada com o rebatimento dos bancos traseiros, sem modificar o conforto a bordo. Sendo um modelo totalmente novo no sedio da gama Toyota, a frente a grelha é rebaixada, ladeada pelos faróis que integram as luzes led.Em termos de tejadilho surge um spoiler integrado que dá o seu contributo em termos de aerodinâmica.

O novo Toyota Auris Touring Sports já é uma referencia no mundo automobilístico em Portugal, e na versão que ensaiamos, estava equipada com um propulsor a diesel, por sinal muito económico, com um consumo estimado de 3,7 litros por cada cem quilómetros percorridos, o que consideramos excelente, tendo em conta a massa e o peso a deslocar.

Mas outro dos “pontos-fortes” deste Auris que ensaiamos é o espaço e a funcionalidade, onde a versatilidade é a palavra de ordem, com uma capacidade de carga que varia entre os 530 e os 1658 litros (esta ultima com os bancos traseiros rebatidos), podendo transportar objectos maiores sem qualquer tipo de problema. A Auris por sua vez vem equipada de origem com o sistema Easy Flaty nos bancos, na qual não há necessidade de remoção dos encostos de cabeça, beneficiando do sistema “one-touch folding – dobragem com um só toque, auxiliando na criação da zona de carga plana. Outro aspecto curioso do espaço de carga, é o que o piso da mala pode ser rebaixado para incrementar ainda mais o espaço, e pode ser utilizado para manter a bagagem longe de olhares insdiscretos.Por outro lado a chapeleira tem duas posições, pois numa altura em que se esteja a carregar, esta pode ser elevada parcialmente. Depois existe a rede de carga vertical, que protege os ocupantes dos objectos transportados na bagageira, aliás a rede de carga pode ser ajustada em duas posições, com os bancos para cima e para baixo.

Mas o Toyota Auris transporta cinco adultos com todo o conforto e segurança. Em termos de interiores de salientar a posição desportiva do banco do condutor, para além do tecto panorâmico que dá o seu contributo definitivo em termos de conforto e ambiente interno. Ainda sobre o banco do condutor foi concebido para oferecer o máximo conforto, pois o centro de gravidade foi ajustado de forma a obter uma altura menos do banco, criando uma posição bem apoiada e desportiva.

Depois temos o ecrã Toyota Touch e Go, com 6.1” com capacidade multimédia, que inclui o sistema de navegação por satélite, apresentando todas as informações do veículo, podendo estar ligado a um dispositivo MP 3 e ipod, de forme remota, através de bluetooth, ou ligação usb.Para auxiliar no parqueamento de referir a  câmara auxiliar traseira, na qual surgem as linhas orientadoras, e ajuda a estacionar sem problemas com a Auris Touring.Por outro lado os engenheiros das Toyota não se esqueceram de aproveitar todo o espaço interior, e assim o Auris surge com pequenos compartimentos na mala, ganhos para os sacos das compras, e um compartimento para guarda-chuva, suportes para copos e três tomadas eléctricas.

Como não poderia deixar de ser a Toyota em termos de motorizações tem muitas opções, e o Auris logicamente que beneficia disso, e para o mercado português dispõe de duas motorizações a gasolina e três a diesel. Nos motores a gasolina, dispomos dum propulsor de 1.33 com 99 cv de potencia, enquanto a versão 1.6 fica pelos 132 cv.Já nos motores a diesel começa-se pelo 1.4 com 90 cv, surgindo depois o 2.0 litros com 124 cv, e finalmente o 1.8 HSD com 136 cv.

Outra das grandes apostas da Toyota para o Auris, é o factor segurança, onde nenhum detalhe escapou. Assim o Auris surge com ABS(sistema de travagem anti bloqueio), EBD ( distribuição electrónica de força de travagem), BA (travagem assistida), controle de estabilidade de veiculo (USC) controle de tracção, e sinal de luz de travagem. O Auris dispõe de sete airbags, SRS incluindo o airbag para condutor/passageiro dianteiro, incluindo o airbag para os joelhos, airbags laterais e de cortina. Depois a configuração do capot dianteiro e a posição do motor, foram concebidos para assegurar a melhor protecção possível aos peões, por isso este foi um dos motivos porque o Auris recebeu as cinco estrelas do Euro ncap.

Em termos de versões existem seis para o mercado português, começando na versa Active, que dispõe de jantes de 15”, luzes de circulação diurna LED, espelhos retrovisores eléctricos e pintados à cor da carroçaria, faróis com sistema follow-me, sendo esta a versão base. Depois temos as versões que vão surgindo com mais equipamento, a Confort, versão Confort + Pack Sport, versão Exclusive, versão Hybrird confort, e versão hybrid Exclusive.

Outra das apostas da Toyota são os extras, com o alarme VSS, suporte para bagagem, caixa para esquis, frisos laterais cromados, rodapés das embaladeiras em alumínio, protecção da mala e da carga horizontal, e para choques traseiro em alumínio escovado. Em termos de cores há disponibilidade de dez cores, seis tipos de jantes, e quatro tipos de tecidos para os estofos.

Ao volante o Toyota Auris Touring Sport é muito agradável, económico e muito fiável.Com uma excelente aparelhagem sonora, o ambiente interior é soberbo, mas aconselhamos aos nossos leitores a testarem esta carrinha para ficarem admirados com a versatilidade da mesma.

FOX 4833FOX 4834FOX 4835FOX 4836FOX 4837FOX 4838FOX 4839FOX 4840FOX 4841FOX 4842FOX 4843FOX 4844FOX 4845FOX 4846FOX 4847FOX 4848FOX 4849FOX 4850FOX 4851FOX 4852FOX 4853FOX 4854FOX 4855FOX 4857FOX 4858FOX 4859FOX 4860FOX 4861FOX 4863FOX 4864FOX 4866FOX 4868FOX 4869FOX 4871FOX 4872

Texto de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - PEUGEOT 2008

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

PEUGEOT 2008

 

A ENTRADA EM GRANDE DA PEUGEOT NO SEGMENTO DOS SUV

 

 

A entrada da Peugeot no segmento dos SUV com o 2008, ultrapassou as melhores expectativas por parte da marca do leão, ao conseguir elaborar um modelo audacioso na sua concepção, na qual o conforto continua a ser a tónica dominante. Este cross over adaptado às grandes cidades, beneficia dum design forte, robusto e elegante. A habitabilidade e a modularidade são outros dos pontos fortes do Peugeot 2008, com a posição de condução elevada, permitindo a quem o conduz usufrui dum ângulo de visão muito amplo..Sentado ao volante do Peugeot 2008, todos os comandos estão ao alcance da mão, por exemplo no volante de pequenas dimensões, permite uma condução ágil e desinibida, o painel de instrumentos é elevado com um touch screen.

Olhando para o Peugeot 2008, as suas linhas chamam à atenção, isso pela elegância, aliado a um novo design no seio da marca, onde o capot transmite requinte, com um movimento dinâmico e elegante do tejadilho. Olhando para a traseira, a mesma conjuga elegância, dinamismo e robustez. O acesso ao porta bagagens é fácil, com um tejadilho com parecenças com o Peugeot RCZ( o desportivo da marca).A frente é emoldurada por faróis  firmemente ligados à carroçaria e equipados com três garras iluminadas por leads.O design minucioso das barras de tejadilho, oferecem um aspecto de lazer, tendo o contributo do tecto panorâmico, e as grandes zonas vidradas, que dão muita luz para os interiores. O interior do Peugeot 2008 é sumptuoso, onde a  atmosfera é elegante, onde os mostradores em led azuis, assim como a iluminação do tecto, onde surgem as garras do leão, oferece assim um ambiente luminoso e não muito habitual num automóvel deste segmento.

O Peugeot 2008 vem equipado com um grip control – motricidade reforçada, permitindo que o utilizador possa andar na neve, lama, areia sem grandes problemas. As qualidades do Grip-control, sobressaem com o auxilio dos pneus específicos “must and snow”, facilita a motricidade do Peugeot de duas rodas motrizes, que por vezes até parece que dispõe de quatro rodas motrizes, o que se chama de motricidade total e completa. Junto à alavanca de velocidades surge um selector, que permite ao condutor escolher a motricidade, de acordo com a natureza do terreno a percorrer, sendo uma mais valia para este cross-over.

  • Extras é algo que não falta ao Peugeot 2008, que está nas melhores das tradições da marca do leão. O touch screen que surge instalado no Peugeot 2008, está posicionado de forma a permitir o seu manuseio sem grande esforço, permitindo aceder às diversas funções, como por exemplo o kit de mãos livres, rádio, Bluettooth, leitura de ficheiros de musica através duma ligação de USB, computador de bordo e navegação. Não gostamos da posição do leitor de CD instalado no porta luvas, que em nosso entender é o único ponto negativo em termos de conforto interior, e fica fora de mão sempre que se quiser mudar o CD de musica, obrigando inclusivamente a ter de parar, isso no caso de se viajar sozinho. Graças à tomada USB, pode ligar os leitores digitais, smartphones ou mesmo as pen´s USB ( o que nós utilizamos).Se utilizar uma ligação através de tomada USB, todas as informações surgirão no ecrã multi funções, e o acesso às diversas funções podem ser efectuadas a partir do volante do condutor. Por outro lado o Peugeot 2008 dá-lhe a possibilidade de entrar no universo da alta fidelidade com o sistema Hi-Fi da JBL, que graças aos tweeters também poderão debitar cerca de 240 watts.

Em relação ao Peugeot 2008, o sistema  connect Apps, oferece ao condutor uma ligação inédita com base nas aplicações concebidas para a utilização automóvel, bastando para tal ligar a pen de 3 G, na porta USB para aceder a uma série de informações, que surge no ecrã onde poderá ver locais para parquear, estações de serviço, meteorologia, guias Michelin, entre outros. Outro extra é o Park Assist, que existe conforme as versões seleccionadas, permitindo que o condutor possa estacionar, sem que seja ao necessário ao condutor segurar o volante, cabendo ao condutor apenas o controle de mobilidade do 2008, através da embraiagem, caixa de velocidades, travagem e acelerador, podendo a qualquer momento retomar o controle do volante.

O conforto interior sempre foi um dos cartões de visita da Peugeot e o 2008 não é de modo algum excepção, onde a habitabilidade para os cinco passageiros é generosa. O acesso ao porta bagagens a partir do banco traseiro é possível, graças à chapeleira bi-partida que poderá ser 1/3 ou 2/3, podendo os bancos serem rebatíveis, originando uma área plana, onde poderá transportar certo tipo de objectos, existindo no chão cinco calhas que correm ao longo do chão, até aos lugares da frente, tendo seis ganchos que permitem fixar os objectos, contendo duas zonas laterais para arrumação e uma cinta de fixação e rede para arrumação.

Tendo em vista o factor poluição o Peugeot 20008 em nada descura o ambiente, e assim a marca francesa conseguiu reduzir as emissões de CO 2, tendo uma nova geração de motores de três cilindros, na qual surge já a tecnologia stop & Start nos motores diesel, sendo um propulsor eficaz, silencioso e rápido, permitindo a diminuição do consumo, e das emissões de CO 2, e utilização máxima, graças à paragem do motor, e arranque instantâneo sem vibrações.

O factor segurança, algo imprescindível nos carros do dia a dia, todas as versões do Peugeot 2008 tem um alto nível de segurança com destaque para o ESP, ABS, ASR, REF, tudo sistemas de auxilio à travagem. Outro extra que equipa o Peugeot 2008 é o hill assist, que é uma ajuda ao arranque em subida, em que este sistema imobiliza o veiculo num curto espaço de tempo, na altura do arranque em plano inclinado, sendo o tempo necessário para passar do pedal do travão para o pedal do acelerador. O  Peugeot 2008 vem equipado de origem com seis airbags, sendo dois frontais, dois laterais e dois tipo cortina. Outra inovação que surge no Peugeot 2008 é a nível dos faróis, na posição de médios/Máximos, permite que um feixe de luz do farol de nevoeiro das frente ilumine o interior duma curva, quando a velocidade for inferior a 40 km/h.

Por ultimo a linha de produtos para o Peugeot 2008 usufrui de malas de viagem , maletas, pochetes, esferográficas e porta-chaves.Para embelezamento exterior o Peugeot 2008 usufrui de cinco tipos de jantes distintas, e cinco cores metalizadas. Em relação aos bancos estão disponíveis sete tipos de pele e tecido, .Por ultimo existe a possibilidade duma série de acessórios de personalização exterior, composto por jantes de liga leve, soleira da porta, soleira do porta bagagens, barras no tejadilho, protecção do pára-choques e personalização interior. Por isso caro leitor, agora perante todos estes factos, que tal uma visita ao concessionário mais próximo para poder conduzir o Peugeot 2008.

 

FOX 5148FOX 5148FOX 5149FOX 5150FOX 5150FOX 5151FOX 5152FOX 5153FOX 5154FOX 5155FOX 5156FOX 5157FOX 5158FOX 5159FOX 5160

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

HYUNDAI VELOSTER

 

UMA SURPRESA COREANA POUCO RECONHECIDA EM PORTUGAL

 

NOVO CONCEITO REVOLUCIONÁRIO PARA UM COUPÉ DE….TRÊS PORTAS

 

Quando tivemos a oportunidade de testar o Hyundai Veloster, estávamos longe de imaginar o carro que estamos a conduzir, isso pelos mais diferentes motivos. O primeiro aspecto do Veloster que é um coupé de três portas…sim caro leitor, o carro tem três portas de acesso ao seu interior. Uma do lado do condutor, e duas do lado direito…original sem dúvida alguma, mas um com um conceito um pouco confuso para os europeus…O Hyundai Veloster, é em nossa opinião um excelente carro, e só não vende mais em Portugal, pois apenas está disponível nas versões a gasolina., com duas motorizações distintas, o que logicamente o penaliza.

 

È um, carro com uma personalidade muito própria, quase diríamos única, é um modelo que facilmente se distingue entre o tráfego citadino. O estilo do Veloster é dominante e de forma deliberada afasta-se das normas aceites, para atingir uma nova dimensão Hyundai Veloster introduz no seio da industria automóvel um novo conceito, combinando o estilo dum coupé, com a funcionalidade dum carro de quatro portas.

As linhas em si são deveras curiosas, sendo ousadas e cheias de dinamismo, com uma grelha hexagonal do radiador com um design atraente dos faróis. A configuração única das portas de acesso ao inteiro 1+2 é o seu ponto máximo de estilo para um coupé, que usufrui duma característica desportiva, nume estilo muito próprio, bem diferente de todo o tipo de coupé produzido até aos dias de hoje. O tecto panorâmico que equipa o Hyundai Veloster é fabuloso, deixando entrar ,muita luz e ar fresco….Personalidade e estilo é o que não falta no Veloster com uma frente curta e uma traseira com outro estilo, do tipo que se gosta ou se detesta. Por cima a linha do tejadilho inclina-se e arredondada para baixo de frente para trás com linhas laterais em arco em toda a carroçaria, enquanto os pilares da frente, dão-lhe uma sensação desportiva, sendo uma personificação duma elegância dum coupé de porte atlético. As linhas aerodinâmicas Hyundai Veloster são fluidas e bem esculpidas, dão um sentido de movimento e equilíbrio. Equipado com  rodas de 18 polegadas que completa a sua envolvência, onde os escapes traseiros chamam à atenção com acabamentos em cromado, incorporados no centro do pára-choques traseiro.

 

As portas assimétricas do Hyundai Veloster, uma do lado do condutor, e duas do lado do passageiro, fazem a grande diferença em relação à concorrência, que quase não existe com este tipo de modelo. Outros detalhes é o botão de arranque/paragem do motor (isso depende da versão) que foi concebido para parecer um olho de gato, especialmente no período nocturno. Por sua vez a grelha do altifalante é transparente e permite ao condutor e passageiro observar o mecanismo de alta tecnologia instalado no seu interior.

 

Sobre a bagageira é generosa tendo em consideração as dimensões do Hyundai Veloster, mas os projectistas da marca maximizaram o espaço que permite assim arrumar todas as malas. Outro aspecto curioso, são os puxadores das portas de trás ocultos, que permite que o aspecto suave e uniforme da carroçaria não seja interrompido. O Veloster já vem equipado de origem com um ecrã táctil tft de sete polegadas com porta usb /aux (ipod), áudio/CD/MP3 e controlo remoto no volante. O bluetooth integrado permite ouvir musica nas melhores condições, mas também fazer e receber chamadas utilizando qualquer dispositivo externo compatível. Por seu lado o ecrã táctil de sete polegadas tem um sistema multimédia que permite visualizar a informação, suportando uma série de sistemas e aplicações avançadas. Ainda falando nos interiores do Hyundai Veloster, apenas transporta quatro passageiros com segurança e conforto , no entanto estamos a falar dum “falso coupé”, que no caso dos passageiros que vão ocupar os bancos de trás, caso sejam de estatura elevada, viajam com certeza um pouco apertados, pois espaço é o que não abunda nestes dois lugares. Mas o Veloster tem ainda outros detalhes em termos de conforto, com os vidros eléctricos a incluir a função “auto” e ainda a possibilidade de bloquear a abertura, ou o fecho de vidros. Os assentos dianteiros em si são muito envolventes com uma tónica desportiva. Os bancos traseiros são reclináveis, com separação 60-40, oferecendo uma grande versatilidade de arrumação de bagagem. O interior do Hyundai Veloster é bem conseguido, tem o espírito dum verdadeiro coupé, por sinal bem conseguido, resultando em detalhes bem ricos. Um aspecto curioso que merece referencia, o cinto de segurança do condutor possui uma guia que visa facilitar a colocação. Para além disso há ainda os puxadores das portas, banco do condutor com apoio lombar que incrementa o conforto interior, e o botão de start/stop, assim como o logo Veloster impresso nos bancos da frente, dando-lhe um aspecto mais exclusivo.

 

No volante do Hyundai Veloster, surgem os botões de controlo remoto que permite controlar as funções do sistema multimédia, para alem do cruise control.O ar condicionado automático, bastando para tal fixar a temperatura pretendida, deixando que o sistema tome conta do resto, assegurando no interior um ambiente à sua medida com total conforto. De salientar que o ar condicionado automático surge apenas na versão Style.Os mostradores dos conta quilómetros e conta rotações fazem lembrar dois escapes de motos, surgindo a velocidade e as referencias do exterior. O sistema de som que equipa o Hyundai Veloster é soberbo, e inclui o sistema Autonet, que inclui uma coluna altifalante central, um amplificador externo e um subwoofer. No volante o condutor pode controlar o sistema áudio, isso graças aos botões que se encontram do lado esquerdo do volante. Por seu lado tanto o condutor como o passageiro podem ligar um dispositivo externo, como por exemplo uma câmara de vídeo, utilizando o cabo que acompanha o dispositivo com a ligação usb simples. O painel central faz lembrar um pouco a forma dum depósito de combustível duma moto, que por sua vez concilia a operacionalidade com a estética, obtendo um resultado perfeito, no entanto cada elemento no interior do Veloster transmite uma sensação de solidez, a começar pelo painel central, até aos detalhes metalizados em redor do painel central, selector de velocidades, puxadores interiores das portas, ventiladores e mostradores – indicadores.

 

Falando dos exteriores do Hyundai Veloster tem um perfil baixo, e uma resistência aerodinâmica menor, dando o seu contributo na diminuição do consumo de combustível. O ailleron traseiro melhora a eficiência e a estabilidade na condução, enquanto uma escova limpa vidros, plana, harmoniza o conjunto. Equipado com um propulsor Gamma 1.6 GDI, sendo leve, rígido e sem vibrações, tendo como potencia cerca de 140 cv, mais do que suficiente para fazer mexes e de que maneira o Veloster.A transmissão Manuel de seis velocidades, oferece uma condução da melhor qualidade, ruído reduzido e maior eficiência no consumo de combustível.

 

Em termos de suspensões, o Veloster usa o sistema McPherson, que facilita as manobras e permite uma condução mais suave. O factor segurança não foi de modo algum descurado, e motivado pela configuração do Veloster, surge no pilar B que oferece uma melhor protecção no caso de colisão, com barras transversais e laterais, com a estrutura do tejadilho e os pilares são de chapa de aço reforçada. Para além do sistema de controle de tracção que impede que as rodas patinem no arranque, na aceleração e nas subidas mais íngremes. Para ajudar na travagem, o Veloster está equipado com discos de travão de dez polegadas de diâmetro, que no caso duma travagem repentina, o sistema de assistência à travagem diminui a distancia de paragem, e aumenta a potencia dos travões.

 

Em termos de airbags o Hyundai Veloster surge equipado com airbags frontais, laterais e de cortina, que são activados em caso de colisão. Para um comprador dum Veloster, a Hyundai dispõe de cinco anos de tripla confiança, onde integra uma garantia de cinco ano, sem limite de quilometragem, onde inclui igualmente o propulsor e mais uma garantia adicional de doze anos anti-corrosão.No seio da garantia de cinco anos de destacar que os concessionários da marca coreana oferecem uma verificação dos elementos chave, tais como motor, transmissão, direcção, suspensão e sistema de travagem. Mas há que referir ainda outras características, como por exemplo os faróis dianteiros que tem LED, projectando um feixe de luz brilhante e preciso, que ilumina a via por onde circula. Os faróis nos máximos têm um dispositivo que baixam continuamente, sempre que outro veiculo se aproxime, com o intuito de não encadear os condutores que circulam em sentido contrário. Por sua vez as luzes traseiras são cavadas e acompanhando a carroçaria, onde o painel traseiro encontra os painéis laterais do automóvel, e o estilo asa consegue aliar o estilo e a tecnologia. Outro aspecto interessante no Hyundai Veloster que apreciamos, são os indicadores nos espelhos laterais, de formato elegante, com os indicadores de mudança de direcção por led´s de alta tecnologia e maior visibilidade nas curvas. Os faróis de nevoeiro estão colocados na parte inferior do pára-choques, vêm assim complementar os faróis principais com um design elegante. Quando se faz marcha atrás o Veloster está equipado com uma câmara que está instalada no puxador do porta bagagem, que permite visualizar tudo o que se passa atrás no ecrã Lcd de sete polegadas, sendo um valioso auxiliar no estacionamento.

 

Por seu lado o capot tem dois planos com cortes simétricos, bem integrados nas linhas desportivas. Os escapes são duplos e centrais, com acabamento em cromado, sendo deveras cativante o looking, estando integrados no pára-choques traseiro, oferecendo uma raça desportiva. Outra das características interiores, de referir a consola superior para a caixa para óculos de sol, tendo perto duas luzes individuais para leitura. Os espelho retrovisores são eléctricos, e aquecidos, permitindo um rápido desembaciamento. Outro detalhe é o porta-copos e o espaço de arrumação, para alem do banco eléctrico regulável em quatro posições. Em termos de cores interiores o Hyundai Veloster está disponível para o mercado português em três cores, preto, cinzento e vermelho, dispondo em todas as versões dos estofos em tecido, e tecido com rebordo a pele, e em 100% pele. Quanto a cores exteriores, estão disponíveis uma dezena, com cinco tipos de jantes distintas.

 

Ao volante o Hyundai Veloster é uma verdadeira máquina cheia de raça e pinta. É um coupé muito interessante, gostamos do seu comportamento a curvar e a travar, a sua potência, aliás a sua capacidade de travagem é em nossa opinião fabulosa, e o Veloster é um carro que chama a atenção no meio do tráfego citadino. Sobre os seus préstimos gostamos muito, muito despachado, sempre com a potência a responder, em suma só é +ena não ser um sucesso de vendas em Portugal. De salientar que o carro acaba por ser exclusivo, ao ponto de na cidade do porto, apenas rodarem cerca de seis unidades.

 

Por ultimo os nosso agradecimentos ao Entreposto na cidade do Porto na cedência do Hyundai Veloster para este teste.

FOX 4675FOX 4676FOX 4677FOX 4678FOX 4679FOX 4680FOX 4681FOX 4682FOX 4683FOX 4684FOX 4685FOX 4687FOX 4689FOX 4690FOX 4691FOX 4692FOX 4693FOX 4694FOX 4695FOX 4698FOX 4699

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN MICRA

 

HOJE CONDUZIMOS

 

NISSAN MICRA

 

UM PEQUENO, MAS “GRANDE” UTILITÁRIO

 

O Micra é a base da gama da Nissan, e uma vez mais a marca japonesa concebeu um modelo que poderá ser um recorde de vendas.

A versão por nós ensaiada era a mais potente da gama, por isso ficamos surpreendidos como o novo Nissan Micra se “mexe”.Em termos estéticos. O novo Nissan Micra é muito bonito, pois o novo pára-choques dianteiro dá uma entidade muito própria, para além da grelha em forma dum favo de mel. O pára-choques traseiro contribuiu para o aspecto geral do carro, com as luzes led, e as novas jantes de liga leve de 16”.Todo o espaço interior foi devidamente aproveitado com requintados bancos e painéis das portas de acordo com a cor exterior do carro. Outros detalhas interiores que queremos salientar são os apoios de braço, assim como a alavanca das mudanças prateadas, e uma consola central com o mesmo tom. Os interiores foram melhorados, com uma consola central redesenhada, novos gráficos no ecrã multifunções. Pela primeira vez a gama Micra da NIssan surge com uma chave inteligente, isto é, graças à tecnologia de identificação de rádio frequência, podendo destrancar as portas com um simples toque no botão do manipulo da porta da frente, ou bagageira. Pode ligar o motor sem utilizar a chave, basta pôr o pé no travão e carregar no botão do start& go.Por seu lado o computador de bordo com ecrã multifunções, dá informações como o consumo de combustível, autonomia, temperatura exterior, e a dimensão do lugar de estacionamento ( atenção que nem todas as versões possuem este extra).

 

A nova versão do Nissan Micra já vem equipado com o Nissan Connect, um sistema de navegação, comunicação e áudio, um entretimento totalmente integrado. O Google “send-to-car” permite planear o itinerário no seu pc ou smartphone, e de seguida pode enviar o mesmo para o aparelho do Micra.Esta informação surgirá de imediato no ecrã táctil, e este envia-lhe pontos de interesse, boletins meteorológicos, preços de combustíveis, e por exemplo informações sobre voos. A ligação usb permite acessar a uma autentica biblioteca musical. O espaço perfeito, é um novo sistema que o Micra usufrui, permitindo que qualquer condutor possa estacionar sem problemas de maior. O sistema PSM – Sistema de medição do lugar de estacionamento é uma revolução neste segmento, pois com um toque num botão, o assistente de estacionamento mede o local escolhido, e indica-lhe se dispõe de espaço suficientes. Assim, depois de aproximar do espaço, o condutor tem de carregar no botão P.Depois de ver uma luz verde, poderá então estacionar o NIssan Micra, contando com os sensores de ajuda ao estacionamento físico. Uma evolução que o NIssan Micra sofreu, foi o incremento do diâmetro de viragem com apenas 9,3 metros, sendo o melhor do segmento.

O NIssan Micra em Portugal está disponível com dois motores 1.2 a gasolina, um com 80 cv, e outro com 98 cv de potência (foi este que testamos).Outra das inovações no novo Nissan Micra é estar equipado com o Eco, do qual falaremos mais adiante. Sobre o botão stop&start, equipa toda a gama do Nissan Micra; o motor desliga-se quando o carro pára, por exemplo num semáforo ou numa fila de trânsito, e volta a ligar-se suavemente ao pisar o pedal de embraiagem, proporcionando uma economia na ordem dos 4%.Sobre o novo motor DIG-S usufrui da mesma economia dum diesel, mas trata-se dum propulsor a gasolina de 1.2, com transmissão manual que integra novas tecnologias e reduzem as perdas de potência derivadas a perdas de calor, bombagem ou fricção, o que em conjunto faz uma gestão optimizada de energia, melhorando a poupança de combustível.

 

Embora o Nissan Micra seja a base da gama, o factor segurança não foi de modo algum descurado, e assim surge equipado com seis airbags dianteiros, laterais e cortina. Caso seja necessário, há um interruptor no interior do porta-luvas que permite desligar o airbag dianteiro para assim poder instalar a cadeira do bebé. Outro elemento de segurança que o Nissan Micra possui é o ABS que é um sistema de anti bloqueio, limitando o bloqueio das rodas de forma a poder evitar a perde de controlo, para além do ESP, que é um sistema electrónico de estabilidade, que controla a pressão da travagem aplicada em cada uma das rodas, e ajuda a estabilizar a direcção do veículo, em caso de perda de aderência dos pneus. Outro sistema que o Micra usufrui é o controle de tracção, que reduz o binário do motor em caso de perda de tracção, e aplica pressão na travagem na roda que perdeu aderência, permitindo assim um melhor controle do veiculo.

 

Em termos de interiores nenhum milímetro foi desperdiçado, podendo o Nissan Micra transportar cinco adultos, com todo o conforto e segurança. Como nenhum espaço foi desperdiçado, de referir a existência de diversos espaços de arrumação, não esquecendo que no caso de ser necessário, os bancos traseiros podem ser rebatidos, criando um espaço plano .

Abrindo a porta do lado do condutor, os bancos dianteiros são confortáveis, embora não muito envolventes. A informação do tablier está toda concentrada, com grande visibilidade e de fácil consulta e manuseio. O conta quilómetros está colocado mesmo a meio, com o conta rotações do lado esquerdo, existindo no meio do painel do conta quilómetros uma série de indicações do computador de bordo, nomeadamente os quilómetros percorridas na totalidade ou parcial. Do lado direito surge no painel outras informações, nomeadamente a quantidade de combustível existente. O leitor de cd é de excelente qualidade, o que apreciamos muito.

 

A versão ensaiada beneficia de tecto panorâmico, que dá um importante incremento no conforto interior. Muito bem situado é o ecrã que surge no meio do tablier. De fácil acesso e consulta, não descurando o manuseio. Diversas opções estão disponíveis para o Micra, nomeadamente o punho da alavanca de velocidades, que tem um aro cromado, tapetes luxury com debruado a condizer. Outro dos extras são as opções de personalização exterior, com as jantes de liga leve e as capas de espelhos retrovisores exteriores.

Mas o Nissan Micra pode ser equipado com outros extras, como por exemplo o porta-bicicletas, barras de carga, protecção de entrada e flexível da bagagem, palas nas rodas, e ponta de escape cromada. O NIssan Micra está disponível em sete cores, com uma gama de jantes com quatro referencias diferentes.

 

Este teste foi possível, graças à Rotor no Porto, na cedência deste Nissan Micra para este teste.

Para terminar sugerimos aos nossos leitores uma visita a um concessionário próximo, para assim poder testar a última versão do Nissan Micra, um utilitário com muita alma, e muito style.

FOX 1963FOX 1964FOX 1965FOX 1967FOX 1968FOX 1969FOX 1970FOX 1973FOX 1974FOX 1976FOX 1978FOX 1981FOX 1982FOX 1985FOX 1986FOX 1988FOX 1990

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - LEXUS IS 300 HF

 

HOJE CONDUZIMOS

 

LEXUS IS 300 H F SPORT HYBRID

 

MAIS UM EXCELENTE PRODUTO  DA LEXUS

 

Ao longo dos anos em que tive a oportunidade de conduzir inúmeros modelos de diferentes marcas e segmentos, há carros que nos marcam, por um ou outro motivo, por isso na altura da entrega deste Lexus, custou um bocado, e foi esse o caso deste teste com o novo Lexus IS 300, na qual não encontramos defeitos para apontar. A Lexus, uma vez mais produziu um modelo fora de série, com uma excelente concepção e construção a todos os níveis.

 

 

Para já o Lexus IS 300 H F Sport Hybrid vai de certeza fazer “mossa” às marcas concorrentes, nomeadamente à Audi, Mercedes, BMW, Jaguar, assim como outras marcas nipónicas e americanas.  Aliás a Lexus tem no mercado americano uma excelente posição.

Em termos estéticos o novo Lexus IS 300 H F é deveras bonito, e neste aspecto os projectistas foram muito felizes, pois fizeram um produto deveras atractivo.  Olhando bem para o Lexus, a nova frente é muito bonita, com uma grelha de grandes dimensões, aliás este looking teve origem num concept que a marca apresentou há um ano atrás, na qual acabou por ser aplicado nos novos modelos a serem lançados este ano e no próximo. Gostamos muito desta frente, com o grupo óptico bem integrado. Curioso são as tomadas de ar, existentes no spoiler dianteiro, que dão assim o seu contributo no aspecto geral do Lexus IS 300.Com linhas aerodinâmicas bem fluidas, a traseira em si também é bonita, com um novo grupo óptico. As jantes em si são também bonitas, e nesta versão do  IS 300 H F Sport, que surge nesta versão com um looking mais desportivo. O interior em si, em nada fica a dever aos seus concorrentes de origem alemã e japoneses, onde tudo ´é cuidado e concebido ao pormenor. Os bancos dianteiros são muito confortáveis e envolventes, forrados a couro de excelente qualidade. O tablier em si tem toda a informação bem concentrada e de fácil acesso, manuseio e consulta. Apreciamos a posição do relógio, que dá uma personalidade muito própria. Ainda sobre o tablier, por sinal com um toque futurista, indo buscar alguns detalhes ao Lexus LFA, considerado por inúmeros jornalistas como um dos melhores carros do mundo. De salientar os inúmeros locais de arrumação, onde se pode colocar um certo numero de objectos que habitualmente trazemos no carro.

 

 

O Lexus IS 300  H F Sport Hybrid transporta cinco adultos com todo o conforto e segurança. Já que falamos de segurança, de realçar os air bags que equipam o habitáculo num total de oito. Para quem viaja atrás no Lexus, espaço para as pernas é algo que não falta. Outro factor que dá o seu contributo no incremento do conforto, é a excelente aparelhagem sonora que equipa o Lexus. Em relação á bagageira, espaço é algo que não falta, aliás inicialmente estávamos á espera que o espaço da mesma fosse penalizado para dar lugar ao espaço p+ara as baterias, mas tal não aconteceu. Este Lexus IS 300, sendo um híbrido, as baterias estão colocadas por baixo dos assentos, ficando assim a bagageira como uma das melhores em termos de segmento.

 

Ao volante do Lexus IS 300 é um carro fabuloso a muitos níveis.  Como híbrido que é, mal se carrega no botão do start&Go, só notamos que está apto a arrancar, através da sinalização que surge no tablier, junto dos indicadores. O arranque em si é muito suave, e apenas se ouve o calcar dos pneus no asfalto. Até aos 50 km/h o Lexus desloca-se com energia eléctrica, mas para uma velocidade superior, entra o motor a gasolina em funcionamento, mas achamos o Lexus económico em termos de consumo .Bem adaptado a um circuito citadino e estrada, à primeira  vista pode-se dizer que o Lexus está adaptado a qualquer meio, é um excelente estradista, é um excelente citadino, merecendo da nossa parte nota máxima.

 

Equipado com um propulsor de 2,5 litros com uma potência total de 220 cv, oriundos dos 181 cv do motor movido a gasolina, e os restantes do motor eléctrico. Em termos de velocidade de ponta, segundo o fabricante atinge os 200 km/h, mas no teste que fizemos conseguimos ultrapassar esta marca com toda a segurança e conforto. Apreciamos o sistema “drive mode select”, na qual na versão sport, é a mais atractiva, com o auxilio das patilhas no volante. Num circuito citadino sugerimos o uso da versão eco ou normal.

Assim este Lexus é uma excelente aposta, na qual em Portugal já estão matriculadas e a circular cerca de trinta unidades. Para informação aos nossos leitores, esta versão tem um custo aproximado de 50.000 euros, que são bem merecidos, mas nada melhor do que lhe lançar o desafio, e fazer uma visita a um concessionário da marca, e faça um test drive, e depois tire as suas conclusões.

 

FOX 2735FOX 2736FOX 2738FOX 2739FOX 2740FOX 2741FOX 2743FOX 2745FOX 2746FOX 2747FOX 2749FOX 2754FOX 2755FOX 2758FOX 2759FOX 2761FOX 2763FOX 2764FOX 2766FOX 2767FOX 2768FOX 2769FOX 2770FOX 2772FOX 2774FOX 2778FOX 2780FOX 2781FOX 2784FOX 2786FOX 2787FOX 2788FOX 2790FOX 2806

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonbline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - NISSAN JUKE NISMO

FOX 2902FOX 2904FOX 2906FOX 2907FOX 2908FOX 2909FOX 2910FOX 2912FOX 2923FOX 2924FOX 2925FOX 2927FOX 2931FOX 2933FOX 2933FOX 2935FOX 2936FOX 2937FOX 2938FOX 2939FOX 2940FOX 2941FOX 2942FOX 2944FOX 2946FOX 2948FOX 2949FOX 2951FOX 2952FOX 2955FOX 2958FOX 2960FOX 2963 

HOJE CONDUZIMOS

 

NISSAN JUKE NISMO

 

UM LOBO COM PELE DE CARNEIRO

 

 

Estávamos longe de imaginar, o que é conduzir um Nissan Juke Nismo, mas a verdade é que depois de três dias de teste ficamos deslumbrados com as performances deste pequeno SUV, que nesta versão “musculada”é uma máquina  a bater.

 

O Nissan Juke Nismo, tal como o titulo indica, é um lobo com uma pele de carneiro vestida, pois para o comum dos condutores, este Juke, parece á primeira um Juke normal, mas não, bem pelo contrário, pois engana e bem .A única maneira de poder distinguir em relação à restante família, começa pelo pequeno símbolo que ostenta na grela com a palavra Nismo, surgindo a mesma placa na retaguarda.

 

O Nissan Juke, é um tipo de SUV; que se gosta ou se detesta, não há meio termo para definir este carro. Equipado  com um motor 1.6, com  200 cv de potência, um toque desportivo, graças uma série de extras, e temos o “cocktail” para esta fabulosa máquina. Em termos estéticos, o Nissan Juke Nismo, surge no mercado mundial em apenas duas cores, o pearl/white(branco), e o preto que recebe internacionalmente a designação de Campeão inato…..O  Nissan JUke Nismo recebe assim um kit aerodinâmico que caracteriza esta série especial, sem limitação de fabrico, mas como estávamos a dizer surge um novo pára-choques dianteiro e traseiro, com as abas das cavas das rodas e saias laterais mais destacadas, não esquecendo o spoiler no tejadilho, que dá assim o seu contributo na estabilidade do Juke Nismo. Equipado com luzes Led, de resto em termos exteriores é mais ou menos similares aos seus irmãos, por sinal bem menos “dotados”.Equipado com jantes especiais de liga leve de 18 polegadas, outro detalhe que chama a atenção em termos de exterior é a linha vermelha que surge na parte inferior, com os espelhos retrovisores exteriores pintados de vermelho, que o ajuda a distinguir face aos demais Juke, que circulam diariamente nas ruas em Portugal.

 

 

 Em termos de interior, o Nissan Juke Nismo  não esconde a “pinta desportiva”, onde o preto e o vermelho combinam as cores, de forma bem simpática, e com uma excelente conjugação de cores. Os bancos com características tipicamente desportivas, são todos em camurça, com o volante também desportivo em pele e alcântara. Os bancos em si, são confortáveis e acima de tudo envolventes, que gostamos muito. Toda a consola central e o apoio de braço são em preto, dando um aspecto deveras bonito, combinando com as costuras vermelhas que surgem nos bancos dianteiros, volante, punho e alavanca de velocidades.  Por outro lado, os pedais são desportivos, concebidos pela Nismo, para além dos tapetes que são personalizados. Podendo transportas cinco adultos sem problemas de maior de forma confortável, e segura o Nissan Juke Nismo é um brinquedo, que poderá ser utilizado no dia a dia sem qualquer tipo de restrição, até mesmo nos pisos mais degradados, e tendo em conta o tipo de suspensão dura com que vem equipado não se sente muito. A mala em si, e tendo em conta o espaço da bagageira está muito bem aproveitada, beneficiando inclusive dum pequeno fosso, que sempre permite arrumar mais bagagem, caso seja necessário. Sentado no banco do condutor, todo o painel informativo é atractivo, vendo-se bem toda a informação necessária para o condutor, onde no volante tem acoplada uma série de funções, alias o design utilizado no interior do Juke Nismo é deveras elegante e espaçoso, nenhum milímetro foi desperdiçado, algo que os designers nipónicos são especialistas. A consola central em forma dum depósito duma moto, tem a alavanca de velocidades desenhada para um controlo mais preciso, algo necessário perante este “monstro” da estrada, que deixa muitas maquinas bem superiores em sentido, como mais adiante veremos. Equipado com seis airbags, os bancos desportivos que equipam o Nissan Juke Nismo estão situados numa posição elevada, que permitem uma excelente visão na estrada, não esquecendo o excelente sistema ESP, programa  electrónico de estabilidade, por sinal deveras eficiente.

 

 

Bem…ao volante, que brinquedo. Os projectistas da Nissan estão de parabéns, pois adrenalina é o que não falta ao conduzir-se um Nissan JUke Nismo, pois este “brinquedo” possui grande agilidade, grande performance em curvas, e uma sensação de direcção precisa, o que lhe dá todos os predicados desportivos, mas aplicado ao dia a dia.

 

 

Sobre o seu motor, foi o que equipou o 350, mas adaptado ao Juke, trabalho esse mais do que perfeito, pois o Juke despacha-se e muito bem, sempre com a potência pronta para ser debitada. Ao entrar em certas curvas, mais apertadas, pensávamos que pela sua altura, o Juke Nismo se poderia inclinar em demasia, mas rapidamente vimos que estávamos errados, pois o carro não adorna em nada, sempre a pedir mais. A forma como curva e trava é exímio, fabuloso, então em piso molhado, foi dos melhores carros que conduzimos até hoje, pois a segurança é muito grande. Tal como dissemos no inicio desta nosso artigo, o Nissan JUke Nismo, é um verdadeiro lobo, com pele de carneiro, mas deixamos aqui uma sugestão, dirija-se a um concessionário, peça para fazer um test drive, e quando se sentar ao volante não tenha compaixão,  rapidamente sente uma adrenalina fora do comum, ao volante deste “brinquedo”.Outro detalhe, o Nissan Juke Nismo, anda muito bem, mas atenção aos consumos, poderá achar que são elevados, mas inicialmente pensamos que carregando bem no acelerador, nos 300 km que percorremos, que os consumos seriam elevados, mas nesse campo erramos por completo, pois tendo em conta tudo, o Nissan Juke Nismo, anda e muito bem, e não é gastador por aí além, por isso é um SUV que aconselhamos vivamente aos nossos leitores, mas antes de tomar uma decisão definitiva, dê uma saltada a um concessionário perto de si, e veja.

 

 

Este teste foi possível, graças à cedência do Nissan Juke Nismo da Entreposto – Porto, que assim possibilitou levar este teste até junto dos nossos leitores.

 

 

 

Texto de João Raposo e fotos de João raposo e Carolina Duarte – www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS - TOYOTA YARIS HIBRIDO

 

HOJE CONDUZIMOS

 

 

TOYOTA YARIS HIBRIDO

 

 

APOSTA DEVERAS INTERESSANTE

 

FOX 4183FOX 4184FOX 4185FOX 4186FOX 4186FOX 4187FOX 4188FOX 4189FOX 4190FOX 4191FOX 4192FOX 4193FOX 4194FOX 4195FOX 4196FOX 4197FOX 4198FOX 4199FOX 4200FOX 4202FOX 4203FOX 4204FOX 4205FOX 4206FOX 4207

Deveras interessante esta aposta da Toyota no campo dos híbridos, nomeadamente na gama mais baixa, o Yaris, sendo assim uma excelente oportunidade do “comum dos mortais” ter acesso a um carro utilitário equipado com a última tecnologia, como é o caso deste Yaris.

Em termos estéticos, o Toyota Yaris híbrido, é muito semelhante aos seus irmãos “comuns”, isto é, os Yaris equipados com motores a gasolina e diesel. O Toyota Yaris é um “verdadeiro ponta de lança” do construtor nipónico, sendo mais um “best seller” de vendas não só em Portugal, como em toda a Europa. Por pouco mais de vinte mil euros, poderá ter acesso.

Não deixa de ser curioso observar a evolução que o Toyota Yaris  tem sofrido ao longo da sua existência, e esta última versão é sem duvida alguma a mais atractiva, com uma aerodinâmica bem cuidada, com um grupo óptico dianteiro bem integrado, dando assim o seu contributo efectivo para o bom aspecto geral do carro .A traseira também tem um óptimo looking, com um novo grupo óptico.

Falando dos interiores do Toyota Yaris híbrido, chegamos rapidamente à conclusão que todos os milímetros  foram devidamente aproveitados, não havendo lugar para desperdícios. Os bancos dianteiros são confortáveis, embora não muito envolventes, mas é preciso ver que não estamos perante um veículo  de características desportivas, mas sim um veículo utilitário,  vincadamente familiar.

De referir o tablier, com excelente visibilidade, de fácil manuseio e consulta, com tudo no seu respectivo lugar. Abundante os diferentes locais para guardarmos as “tralhas”, que habitualmente trazemos no carro.  A aparelhagem sonora  que equipa o Toyota Yaris híbrido é de excelente qualidade. Para quem viaja nos bancos de trás, o Toyota Yaris híbrido transporta cinco adultos sem problemas de maior, com conforto e segurança, oferecendo um bom espaço para as pernas. Quanto ao espaço da bagageira, tendo em conta as dimensões do carro, está bem aproveitada, embora não seja muito generosa.

Ao volante    não temos a menor duvida  em afirmar que a tecnologia    híbrida automóvel  está num desenvolvimento galopante, e este Toyota Yaris é um exemplo disso, pois trata-se dum veículo familiar, que já usufrui de tecnologia que existe em carros de segmento superior. Em termos  citadinos, o Toyota Yaris é perfeito, pois a 50km/h é parte eléctrica que move o carro, com um silêncio que por vezes é assustador, e para quem não está habituado, até parece que o carro se desligou, o que não corresponde à verdade. Em cidade o desempenho do Toyota Yaris é fabuloso, gostamos muito, mas na estrada, que não é o seu território predilecto, o pequeno carro nipónico    também tem um excelente comportamento, mas a verdade  é que em velocidades mais elevadas em auto estrada, numa velocidade a rondar os 150 km/h, a economia do Yaris híbrido é colocada em dúvida, pois na nossa opinião é gastador em termos de gasolina.   A poupança que se verifica no funcionamento a baterias, não se verifica a grande velocidade com  o uso de gasolina. A verdade é que o Toyota Yaris híbrido anda muito bem, mas os consumos a grandes velocidades é elevado, é o  único senão que encontrámos neste teste ao Toyota Yaris híbrido.                       De resto é um excelente carro, com tecnologia híbrida de última geração, que gostamos muito, e o preço final do carro não é assim tão proibitivo. Para terminar, nada melhor do que os nossos leitores  se deslocarem a um concessionário próximo, e pedem para fazer um test drive e depois podem tirar as vossas conclusões e verificar se estamos ou não longe da realidade.

Texto e fotos de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

HONDA CIVIC 2.2 DIESEL SPORT

 Honda Civic 2.2 Diesel Sport

O puro ADN de um desportivo surpreendentemente económico e inovador.

altNo novo Honda Civic todos os detalhes foram desenvolvidos para optimizar o fluxo de ar, originando uma condução mais estável e suave. O inovador sistema de suspensão é mais eficaz ao proporcionar o equilíbrio perfeito entre condução confortável e comportamento ágil. A conjugação destas características, melhora a eficiência do combustível, reduz o nível de ruído, além de conferir uma forma inovadora, atlética e distinta.

O design de "cabine avançada" do novo Civic é destacado pela quantidade reduzida de vidro lateral relativamente à superfície lateral da carroçaria, em particular, reduzindo a área do vidro traseiro. Isto produz um habitáculo de aspecto pequeno e esguio, em comparação com os habitáculos de aspecto mais tradicional dos carros de 5 portas do segmento C na Europa.

A forma com as linhas da carroçaria do novo Civic foram concebidas contribui para a aparência rebaixada e firme. Tradicionalmente, o "ponto de pico" das linhas laterais da carroçaria corre em paralelo com o puxador da porta, no entanto, no novo Civic, este ponto está mais baixo, sensivelmente a meia altura do painel da porta. Isto resulta numa linha rebaixada e ininterrupta que percorre o carro desde o pára-choques dianteiro, estendendo-se ao longo de todo o flanco, antes de mergulhar no pára-choques traseiro, dando um aspecto de baixo centro de gravidade. Ao mesmo tempo, a parte superior da lateral da carroçaria adopta um design relativamente simples, em contraste com o aspecto robusto da parte inferior da lateral da carroçaria que, juntamente com as embaladeiras, serve para apanhar a luz, destacando o aspecto sólido e firme do carro.

A frente recorda-nos o "ADN Honda" e apresenta novos faróis tipo projector HID. O sistema automático de suporte dos máximos é integrado, controlado por uma câmara CMOS instalada na zona do pára-brisas por cima do espelho retrovisor interior. A câmara detecta os faróis dos veículos em sentido contrário ou as luzes traseiras do veículo que vai à frente e apaga automaticamente os máximos, caso estejam acesos, mudando para médios. Isto permite ao condutor concentrar-se nas condições da estrada, sem ter de controlar manualmente os máximos. 

Olhando para o carro, os olhos traçam uma linha fluida e elegante, que se alonga na frente rebaixada, passando pelo perfil lateral esguio por baixo dos vidros laterais. Isto é acentuado pela linha complementar dos guarda-lamas aerodinâmicos. 

Na traseira, os exclusivos farolins foram optimizados para terem o máximo impacto visual, bem como uma enorme eficiência aerodinâmica. Tal como no Civic actual, a identidade do design traseiro incorpora elementos horizontais fortes que realçam a presença forte e robusta do carro na estrada. Neste novo veículo, as luzes traseiras estão colocadas mais altas, para assegurarem uma boa visibilidade para quem vem atrás. A combinação horizontal da luz de travagem também "funciona" como spoiler, com função aerodinâmica, gerindo o fluxo do ar sobre o topo do carro. Os farolins combinados também desempenham um papel aerodinâmico, sobressaindo em posição óptima para cortarem o fluxo de ar nas laterais da carroçaria. Três linhas distintas, esculpidas nas laterais das luzes traseiras, reduzem o arrastamento, minimizando a turbulência do ar na traseira.

Estão disponíveis dois novos designs de jantes – uma opção "Desportiva" de 16 polegadas e uma arrojada versão "Dinâmica" de 17 polegadas. De uma forma geral, o estilo exterior é um exemplo perfeito de um design que "trabalha de mãos dadas" com a engenharia – a aerodinâmica de cada componente foi optimizada, juntamente com as formas arrojadas e com as linhas que os designers pretendiam. O layout de depósito central de combustível foi mantido, permitindo obter mais espaço interior e reter a muito apreciada facilidade de utilização e o habitáculo espaçoso do Civic.

Estilo Interior 

• Novo habitáculo de layout funcional (duas zonas de interface de controlo)
• Ecrã i-MID TFT a cores com função de assistência à condução ecológia "Eco driving", mostrador do sistema áudio e suporte ao utilizador
• Sistema de som Premium com subwoofers, de 20 cm de diâmetro e 90W, e tweeters de cúpulas em alumínio e 25 mm de diâmetro (opcional)
• Utilização de novos materiais "touch point" na generalidade das superfícies para uma melhor sensibilidade e qualidade 
• Volante de novo design com comandos de utilização fácil, acabamento em pele extra-suave e costuras mais confortáveis (depende da versão)
• Iluminação azul interior nos forros das portas (depende da versão)

Estilo Exterior

• Perfil monoforma, aerodinâmico, mais baixo e mais largo
• Aparência elegante e ininterrupta, unificando todas as superfícies, incluindo as cavas das rodas e a carroçaria
• Frente de aspecto único, mais baixa e mais larga
• Farolins traseiros largos e aerodinâmicos
• Luzes de travões e piscas combinados de novo design
• Novas cores da carroçaria

Conforto e conveniência

• Banco com suporte de câmara de ar e apoio lombar e lateral
• Sistema áudio com temporizador de chave e lista de estações
• Quebra-luz eléctrico com abertura central e funcionamento suave
• Sistema de navegação HDD com mostrador de seta, 11 idiomas e ecrã WVGA de 800 x 480 mm (depende da versão)
• Vidros eléctricos com accionamento pela chave
• Ligação a botão de função sem chave permite rebater e retrair os espelhos das portas
• Sistema de assistência ao arranque em subida
• Consola de múltiplos espaços, inclui entrada auxiliar AUX e USB/iPod®
• Puxadores interiores e exteriores das portas revistos
• Caixa de velocidades mais suave

Consumos de combustível e performances ambientais

• Função ECO Assist
• Idle Stop (Paragem Automática ao Ralenti)
• Alternador de controlo multi-fase
• Motor de fricção reduzida
• Combustão optimizada
• Grelha tipo "persiana" na versão diesel 

Segurança

• Luzes diurnas de presença, tipo LED, para maior distinção
• Sistema de abastecimento, com protecção contra enganos na escolha do combustível, apenas na versão diesel
• Sistema automático de suporte dos máximos (depende da versão)
• Posicionamento distintivo e elevado da luz de travagem
• Sistema ACC (controlo da velocidade de cruzeiro adaptável) e CMBS (sistema de travagem atenuante de colisões (depende da versão)
• Sistema variável limitador de velocidade 
• Sistema de microfones para sistema de mãos livres (depende da versão)
• Vidro traseiro rebaixado para melhor visibilidade por parte do condutor
• Melhor estabilidade em ventos cruzados

Suspensão

• Casquilhos com fluido para melhor amortecimento na suspensão traseira
• Braço de ligação tipo "travessa em H", com ainda maior rigidez do que o anterior Civic Type R para excelente estabilidade na estrada

Versão ensaiada

Motor
Unidade 2.2 litros i-DTEC diesel, produz 110g/km de CO2 com 150 CV e 350 Nm de binário. 

Versão Sport 

Ao nível de equipamento COMFORT (Jantes em liga leve de 16”, ar condicionado, cruise control, todos os sistemas de segurança, faróis automáticos com temporizador, novo ecrã i-MID) acrescenta ainda, volante e punhos da alavanca de velocidades em pele, ar condicionado de dupla zona, sensor de chuva e de luz, controlo remoto dos vidros eléctricos e espelhos retrácteis, tomada de energia na bagageira, Sistema Bluetooth HFT, jantes em liga leve de 17”, faróis de nevoeiro dianteiros e câmara de estacionamento traseira.



Honda Civic (1) Honda Civic (2) Honda Civic (2)

 

HOJE CONDUZIMOS - HONDA CIVIC 1.6 DIESEL

HOJE CONDUZIMOS

 

HONDA CIVIC 1.6 DIESEL

 

ATENÇÃO CONCORRÊNCIA - CUIDADO

 

O Honda Civic 1.6 diesel, é um marco na história da Honda, que assim entra no segmento dos carros com motor a diesel, e a verdade é que entra pela "porta grande", pois a aposta do construtor japonês é fabulosa.Como é de dominio público testamos muitos carros, ams este deixou-nos marcas, máquina de caracter familiar que conjuga tudo, uma parte desportiva, uma parte famiuliar, em suma tudo, o que torna este Civic uma aposta deveras interessante.

 

O design do novo Honda Civic, é sem duvida alguma arrojado, nesta segunda série, que em nossa opinião melhorou e muito em relação à série inicial.Os farois esculpidos e o spoiler traseiro, dão ao Civic uma personalidade muito própria bem diferente dos outros modelos inseridos no mesmo segmento, tornando-se agradavel para a vista.

 

Vendo bem o novo Honda Civic 1.6 diesel, usufrui de novos conjuntos ópticos dianteiros e traseiros, salientando os dianteiros que são bi-xenon.Por outro lado, as jantes desportivas que equipavam o modelo hoje ensaiado, e  confeririam uma personalidade muito própria ao Civic, acompanhado na parte debaixo os farosi de nevoeiro e as luzes de presença.

 

Em termos de interiores, o Honda Civic é qualquer coisa, pois todo o espaço foi aproveitado ao milimetro, e nada foi desperdiçado, em suma tudo utlizado.O tabler em si, tem uma personalidade muito própria, tendo concentrada toda a informação sobre velocidade, rotações, consumo de combustivel, na qual o visionamento e a leitura torna-se muito fácil.Por outro lado na consola surge um ecran que presta muito tipo de informação util, nomeadamente o ecran quando faz marcha atrás, gps, sistema sonoro musical.De salientar toda uma série de botoes de multipla utilização, com diferentes fins.Os bancos em si são confortáveis, e envolventes, só falta um apoio de braço, nada mais.Para quem viaja atrás, espaço para as pernas é mais do que abundante, aliás cinco adultos viajam sem problemas do novo Honda Civic 1.6 diesel, de forma segura e económica.Outro detalhe que achamos curioso, são os "bancos magicos", em que a Honda uma vez mais inovou, na qual com um simples movimento os bancos traseiros levantam-se e dobram-se, trancando numa posição, permitindo assim fazer multiplas combinações rebatidos em 60 -40,aumentando assim de forma consideravel a bagageira.

 

Sobre o motor de 1.6 diesel, com 120 cv, apenas temos uma palavra - FABULOSO, pois foi com certa frustração que quando entregamos o carroHONDA1 497x332HONDA2 497x332HONDA3 497x332HONDA4 497x332HONDA4 497x332HONDA5 497x332HONDA6 497x332HONDA7 497x332HONDA7 497x332HONDA9 497x332 depois de ter feito 600 km, e o depósito de combustivel estava a meio....o que demonstra os predicados deste propulsor, económico, eficiente até dizer chage, e com potencia suficiente, para chegar aos 200 km/h.Sou de opinião que este novo Honda Civic será uma excelente aposta para o segmento dos táxis em Portugal, sendo para nós uma excelente aposta, numa marca tradicioonal em termos de fiabilidade e num modelo que merece isso e m muito mais.Para terminar, apenas um conselho visite um concessionário e faça um teste e verifique se estamos ou não longe da realidade....

 

Texto e fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

HOJE CONDUZIMOS

HOJE CONDUZIMOS

 

CITROEN C 4 HDI 90 SEDUCTION

 

PROPOSTA MUITO INTERESSANTE

 

Foi com uma certa surpresa que tivemos acesso ao Citroen C 4 HDI 90 Seduction, e para ser franco, não estava à espera dum carro tão equilibrado.

 

ASPECTO

 

Bem diferente do seu antecessor, o novo Citroen C 4 HDI 90 Seduction, à primeira vista tem um aspecto atractivo, com uma personalidade muito próprio, o grupo óptico dianteiro, dá um aspecto muito engraçado ao carro. O símbolo do double chevron surge a meio da frente, na qual as duas setas invertidas vão-se encaixar no capot.A traseira em si também é bonita, com o grupo óptico bem inserido.

 

INTERIORES

 

Nesta capitulo a Citroen operou uma autêntica revolução, pois na minha opinião a construção deste carro apresenta uma robustez fora do comum nos carros desta marca. Os interiores em si, são muito confortáveis, os bancos dianteiros são muito envolventes, mas o corpo do condutor e acompanhante, modelam-se ao assento, aumentado de forma considerável o conforto. O tablier em si, é fácil de consultar, onde nos três manómetros, do lado esquerdo o conta rotações, todo digital. No manómetro do meio, surge o indiciador de velocidade, também, digital, enquanto do lado direito surge toda a restante informação, tais como a quantidade de combustível no depósito, e outras informações de temperatura, etc.Na consola central surge o leitor de CD, rádio e todo o sistema de refrigeração. De salientar o excelente espaço existentes nas portas, onde se poderá colocar muitos tipos de objectos. Para quem viaja nos bancos de trás, espaço para as pernas é algo que não falta, tendo grande conforto. Por último a bagageira, de generosas dimensões.

 

AO VOLANTE

 

Um dos grandes trunfos deste novo Citroen C 4, é o motor 1.6 HDI de 90 cavalos, que é dos motores mais fabuloso que o Grupo PSA construi até aos dias de hoje. Muito elástico, os 90 cv de potência, são mais do que suficientes para fazer rodar este carro, sem grade esforço, e com consumos bem baixos. Gostamos do comportamento em estrada, muito confortável, com uma excelente insonorização, em suma para quem quer trocar de carro, esta aposta da Citroen, é algo a ter em conta.

 

Texto de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

RALI DE LOULÉ CASINO DE VILAMOURA - LIGEIRA SAÍDA DE ESTRADA TRAIU ASPIRAÇÕES A VENCER

Uma ligeira saída de estrada na classificativa de Loulé acabou com as aspirações de João Ruivo e João Peix de tentarem vencer mais uma etapa do Troféu Modelstand que teve lugar em Loulé.

Continuar...

 

COPA ENGEBRAS DE MARCAS E PILOTOS - VINTE E SETE PILOTOS NA 1ª JORNADA EM CURITIBA

O pilotopreparador Fabiano Cardoso ganhou a 1ª bateria.

Hoje, no Autódromo Internacional de Curitiba tivemos o 5º treino livre, classificatório e 1ª bateria da etapa extra campeonato do Marcas e Pilotos Paulista.

Continuar...

 

ATENÇÃOLEITORES: EXCELENTE OPORTUNIDADE PARA CORRER

Pronto a correr, desfruta de nova pintura, excelente estado de conservação, sem acidentes, motor, caixa de velocidades e suspensão revistas , 6 jantes, diversos pneus, e algum material supelente.

Continuar...

 

LEANDRO ROMERA, DA J. STAR RACING, GARANTE 2º LUGAR NA GRELHA DE PARTIDA EM LONDRINA

Corrida da Copa Chevrolet Montana será neste domingo (2), às 14h12

Continuar...

 

VALDENO BRITO DESTACA CHANCES DE VITÓRIA NESTE DOMINGO EM LONDRINA

Piloto paraibano corre em casa, já que há cinco anos é morador de Londrina

Continuar...

 

TRACKDAY BYPOWER - CAMPEONATO ACELARAÇÃO BYPOWER - 16 DE OUTUBRO 2011

Próximo mês, pelo dia 16 Outubro 2011 de manhã iremos realizar mais 1 trackday Bypower no Circuito Vasco Sameiro (Braga), seguindo à tarde com as provas a contar para o Campeonato Aceleração Bypower 2011. Se a inscrição for realizada até ao dia 12 Outubro custa 50.00€, se for feita apartir dessa data custará 65.00€.

Continuar...

 

MELHOR RALI DE CODRIVERS ÁFRICA -ÁSIA - EUROPA - OCEANIA - ORIENTE MÉDIO - AMÉRICA DO NORTE - AMÉRICA DO SUL

Todos os continentes e todas as nações em automobilismo e ralis em particular, tem seus campeões, e muitas vezes há muitos, mas sempre foi difícil determinar quem é o número 1, porque o rali codrivers de uma nação ou um continente nem sempre competir em nacional ou mesmo continental campeonatos.

Continuar...

 

ROSSETTI COM O GRANDE PUNTO ABARTH NO 46ª RALI DÁNTIBVES - COTE DÁZUR EUROPEAN RALLY CHAMPIONSHIP

Luca Rossetti e Matteo Chiarcossi, depois de ter recuperado a liderança na classificação geral do Rally Campeonato da Europa graças aos pontos obtidos no Rally 68 da Polónia, dirigindo o Abarth Grande Punto S2000 com as cores da United Business, será no início do 46 º Rallye Antibes Cote dAzur, que será realizada de 14-16 outubro na França, com início e fim em Antibes e área de serviço em Nice.

Continuar...

 

COPA ECPA DE STOCK JR.: DESCARTE ENTRA NA MATEMÁTICA DOS PILOTOS

Faltando duas etapas, sete pilotos ainda lutam pelo título

Continuar...

 

RALI DE LOULÉ COM MEIA CENTENA DE INSCRITOS

Meia centena de inscritos vindos de todo o país, com especial destaque para o líder do Campeonato, António Rodrigues, num Peugeot 206 GTI e Luis Mota segundo classificado que alinha num Mitsubishi EVO 4, bem como o Antigo campeão Nacional de Ralis Fernando Peres e para o vencedor da edição de 2010, o sempre espectacular Ricardo Teodósio.

Continuar...

 

J.START RACING COMEÇA BEM EM LONDRINA, MAS TREINOS SÃO SUSPENSOS PELA DETERIORAÇÃO DO ASFALTO

Líder do campeonato, Leandro Romera foi o quarto mais rápido do dia. Betinho Gresse ficou na nona colocação e Thiago Penido foi o 18º. Programação deste sábado ainda será confirmada pela organização do campeonato.

Continuar...

 

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt