In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


FÁBIO MOTA NO ETCC EM VILA REAL

 

Fábio Mota corre frente ao seu público

 

É já no próximo fim-de-semana que se disputa ronda de Vila Real da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo, estando Fábio Mota determinado em bons resultado frente ao imenso público que sempre o apoiou.

O piloto português chega à sua etapa caseira depois de ter alcançado excelentes resultados no dantesco circuito de Nurburgring – Nordschleife, que se saldaram num terceiro e num segundo lugares, chegando ao clássico traçado transmontano ainda mais entusiasmado e determinado em prosseguir a senda de boas classificações.

A pista citadina de quatro mil e seiscentos metros e vinte e quatro curvas é do agrado de Fábio Mota que no ano passado estava no primeiro lugar da qualificação, na luta pela pole-position, quando uma falha travões na rapidíssima Descida de Mateus o obrigou a um violento embate com os rails.

Apesar da contrariedade, o piloto de Vila Nova de Gaia não virou a cara à luta e na segunda corrida do programa conseguiu recuperar até ao quarto posto, cruzando a linha de meta a pressionar o terceiro classificado.

No próximo fim-de-semana Fábio Mota pretende voltar a mostrar o excelente andamento que evidenciou em 2016 e assegurar resultados semelhantes ou melhores aos que que garantiu em nas montanhas de Eifel. “Nurburgring – Nordschleife e o circuito de Vila Real tem muitos pontos em comum – ambos são rápidos, com muitas curvas cegas, exigentes para os carros e onde os pilotos podem fazer a diferença. Em 2016 estive rápido, mas tive um problema que condicionou todo o meu fim-de-semana, este ano espero continuar competitivo, apesar da concorrência estar mais forte, e poder prosseguir os bons resultados que conquistei na Alemanha”, sublinhou o português.

Regressar a Vila Real é sempre um sentimento muito especial para Fábio Mota, que sempre contou com um forte apoio da população local, esperando retribuir a simpatia dos vila-realenses com o resultado que merecem. “Sempre senti muito carinho em Vila Real, desde os meus tempos do karting, sentimento que se manteve desde a minha primeira corrida de carro na pista transmontana. Seria, portanto, extraordinário poder retribuir todo esse apoio com um triunfo. Sei que não será fácil e nem sequer é algo que posso prometer, as corridas de automóveis são imprevisíveis, mas garanto que vou dar o máximo para que isso aconteça”, assegurou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

O programa da ronda de Vila Real da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC inicia-se no sábado, sendo as corridas realizadas no domingo e transmitidas em directo no Eurosport e no website, TVI Player e Facebook da TVI.ax12 Copy

 

HUGO ARAUJO EM SPA

Hugo Araújo preparado para a Visita a SPA com o R300
 
O Super Seven by KIA 2017 reúne-se este fim de semana no mítico circuito de SPA FRANCORCHAMPS antes de iniciar a sua primeira prova em território nacional.
 
Hugo Araújo mostra-se preparado para o enorme desafio e tem como objectivo lutar pelas vitórias quer entre os portugueses, quer à geral.   Afastado das competições desde a primeira prova em Silverstone, o piloto apoiado pelo Grupo COPEFI, TUDOR, GVB, SEEGNO, TRAMA, RVP, S&B Motors, OPT, Autódromo Virtual de Braga, Playdriver e TheRacingMindCoach e assistido pela CRM Motorsport tem efectuado treinos em simulador para se preparar:
 
“Tenho feito treinos regulares no simulador tendo em conta esta paragem de cerca de 2 meses e meio. O meu patrocinador, Autódromo Virtual de Braga, estreou um novo simulador com movimento e óculos de realidade de virtual, e o facto é que sinto que tenho verdadeiramente estado em pista em treinar. Espero conseguir corresponder a este sentimento logo nos treinos cronometrados”.  
 
Em 2016 o actual campeão em título não conseguiu traduzir em resultados o excelente andamento que evidenciou. Com problemas mecânicos a afetar a equipa nos treinos cronometrados, Hugo Araújo teve de partir de último e realizar uma extraordinária recuperação.
 
“O ano passado tivemos um pouco de falta de sorte. A CRM e toda a sua estrutura trabalha incansavelmente para ter os carros a 100% e não merece quando a mecânica por vezes não colabora. No entanto as corridas são mesmo assim, saímos tristes, mas de cabeça erguida pois sabíamos que tínhamos ritmo para andar na frente da corrida. Agora com o R300 vamos tentar mostrar isso mesmo. Será obviamente um desafio ainda mais complicado, a concorrência é fortíssima mas vamos para lutar como sempre.”
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Hugo Araújo volta a partilhar os comandos do #99 com o experiente e também campeão do Super Seven by KIA, Nuno Santos.
 
Por motivos profissionais Hugo Araújo estará em SPA apenas para realizar os treinos cronometrados e não poderá participar na sessão de treinos extra que decorrerá na quinta-feira dia 22.
 
“Talvez existam equipas com mais kms em SPA do que a nossa mas o nosso espirito combativo certamente irá colmatar essa lacuna “- afirma o piloto.
 
A dupla do Caterham R300 com o número 99 estará em prova de 23 a 25 de Junho podendo a mesma ser acompanhada com o live timing disponível pela organização:
 
 
LIVE TIMING OFICIAL - http://ris-timing.be/circuit/summer/2017/live.htm
 
 
Super 7 by Kia – Spa Francorchamps
 
23 de Junho, Sexta-feira 11h25 – 11h55 – Qualificação
 
24 de Junho, Sábado 16h55 – 17h25 – Corrida 1
 
25 de Junho, Domingo 13h05 – 13h35 – Corrida 2aw17 Copy

 

MAGALHAES NA FRENTE DO EUROPEU

 

Cyprus Rally 2017

 

 

BRUNO MAGALHÃES CONTINUA A LIDERAR O EUROPEU

 

APESAR DE UM RALI DE CHIPRE DEMASIADO AZARADO

 

 

 

Uma prova muito dura e seletiva e uma ocorrência fora do comum, retiraram a Bruno Magalhães a hipótese de conquistar o 4º pódio no ERC 2017 e conquistar mais pontos preciosos para acalentar o sonho europeu. Depois de resolvidos problemas iniciais, e quando o Skoda Fabia R5 da ARC Sport já ocupava o 3º lugar, um verdadeiro golpe de teatro retirou a equipa da prova, quando Bruno Magalhães e Hugo Magalhães saíram de estrada na 6ª especial de classificação.

 

“Estamos totalmente desolados com a situação. Numa altura em que tudo já estava a correr bem, deparámos com o navegador do Kajetanowicz no meio do troço a mostrar a aplaca, a avisar que tinha ocorrido um acidente na curva seguinte. No momento crucial em que estava a tomar atenção à informação do Baran, chegámos à curva em que se tinham dado as saídas do Kajetan e de outro candidato, e acabámos também por sair, só parando em cima de outro carro. Os estragos no Skoda não deram para regressar ao rali, acabando por abandonar de uma forma desconcertante. No entanto, e perante os resultados da principal concorrência, continuamos na liderança do Europeu, numa altura em que chegámos a meio do campeonato. Vamos tentar continuar a defender esta posição, querendo realçar o trabalho fantástico de todos os elementos da ARC Sport”, disse Bruno Magalhães.

 

Depois de três resultados fabulosos, passando pelos três lugares possíveis no pódio, a ARC Sport está igualmente desolada com o desfecho do Rali de Chipre, mas confiante na defesa da liderança do Campeonato da Europa de Ralis.

 

São situações normais no desporto automóvel. O Rali de Chipre começou por ser uma prova complicada para o Bruno, mas depois, com uma excelente recuperação, poderia ter levado a outro desfecho muito positivo. Vamos continuar a criar as condições necessárias para defender a liderança do ERC. Estamos confiantes”, concluiu Augusto Ramiro.

 

 a11 Copy

 

BRUNO MAGALHAES NO RALI DE CHIPRE

  1. Ordem de partida para a 1. etapa no Rali de Chipre após as escolhas dos pilotos. Os pilotos portugueses Bruno e Hugo Magalhães serão os 13. a passar.

 

JOSÉ RODRIGUES NO ETCC EM VILA REAL

 

José Rodrigues presente no ETCC em Vila Real

José Rodrigues vai voltar ao circuito de Vila Real de 23 a 25 de Junho para alinhar na quarta jornada do ETCC (Campeonato da Europa de Viaturas de Turismo), repetindo assim a presença do ano passado, onde venceu uma corrida do Campeonato Nacional de Turismos.

O piloto de Braga direcionou este ano a sua carreira para o TCR Germany, o Campeonato Alemão, mas os acontecimentos das últimas horas proporcionaram a presença também no traçado transmontano nesta competição europeia: “Estou muito feliz por anunciar a minha presença neste circuito incrível com as minhas equipas favoritas: Target Competition e a GEN Motorsport”, começou por afirmar o piloto que conta agora com o apoio da Momo e Restaurante M. Sparken.

José Rodrigues acrescenta ainda os agradecimentos: “Por acreditarem em mim. Isto só é possível graças aos meus patrocinadores, Momo e M. Sparken e todos os outros que me continuam a apoiar”.

O piloto bracarense, que como já se disse, tem excelentes recordações deste circuito citadino, não deixa de sublinhar: “Será um enorme prazer representar os meus patrocinadores perante todo o extraordinário ambiente de Vila Real.Vamos com tudo perante o nosso público. Quero lutar pelos primeiros lugares, como tem sido hábito, mas acima de tudo disfrutar. Agora se houve possibilidades de vencer, não as vamos desperdiçar”, concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Raceland, Duoseg, Ryan Motorsport, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas, Camac, MOMO, Restaurante M. Sparken, GEN Motosport e JAS Motorsport.

 

 ay2 Copyay3 Copy

 

 

ARC DEFENDE LIDERANÇA

 

ARC SPORT E BRUNO MAGALHÃES COM A EUROPA NO CORAÇÃO

 

DEFENDER LIDERANÇA CONTINUA NOS PLANOS DA EQUIPA

 

 

 

É a primeira vez na história do Campeonato da Europa de Ralis que uma equipa portuguesa se mantem na liderança ao fim de três provas disputadas. Bruno Magalhães e Hugo Magalhães conquistaram três pódios em três ralis e abriram o campeonato a vencer em terras açorianas. Agora há que defender essa posição em Chipre, para que seja possível continuar a acalentar o sonho europeu.

 

Tudo é possível! Vamos fazer o que temos feito até aqui e focar o nosso trabalho para que seja possível fazer mais um bom rali. Temos de subir degrau a degrau, e neste momento é mais um rali, onde o objetivo é voltar a ser muito competitivo, tal como aconteceu na Grécia, e com isso sair da primeira metade do campeonato da europa na liderança. Se conseguir dar continuidade ao projeto e começar a pensar que tudo é mesmo possível, então logo se verá. Para já estamos muito concentrados em fazer uma excelente prova, onde a concorrência volta a ser de alto nível”, afirmou Bruno Magalhães.

 

A ARC Sport entrou no ERC 2017 a vencer e acredita que este projeto com Bruno Magalhães e Hugo Magalhães, aos comandos do novo Skoda Fabia R5 da equipa de Aguiar da Beira poderá continuar a dar frutos.

 

Estamos muito confiantes e entusiasmados com os resultados conquistados até aqui. Vamos voltar a dar o nosso melhor para que a equipa continue tão competitiva como demonstrou ser nos Açores, nas Canárias e na Grécia. O Bruno e o Hugo são excelentes profissionais e depositamos total confiança nesta sua participação no Rali de Chipre”, disse Augusto Ramiro.

 

O Rali de Chipre vai estar na estrada a 17 e 18 de junho, conta com 14 especiais de classificação e com uma equipa portuguesa que tem a Europa no coração e pretende continuar a liderar o ERC 2017.

 ar3 Copyar4 Copy

 

BRUNO MAGALHAES NO RALI DE CHIPRE

 

Bruno Magalhães ao ataque no Rali do Chipre Manter liderança do Europeu é objectivo

 

aq34 Copy
  Bruno e Hugo Magalhães já estão no Chipre onde vão disputar a quarta prova do Campeonato da Europa de Ralis de 16 a 18 de Junho. Os 50 quilómetros de teste já efectuado ao volante do Skoda Fabia R5 com que vão disputar a prova foram produtivos, pese embora os pilotos continuem a salientar que há ainda muito trabalho para fazer.   Numa prova que Bruno já disputou duas vezes mas num figurino completamente distinto, o piloto português está ciente da dureza das classificativas sobretudo tendo em conta as altas temperaturas que se registam no Chipre mas também o facto de parte da prova se realizar em asfalto: “O teste correu bem e sentimo-nos muito confortáveis no entanto não tivemos oportunidade de testar em asfalto e só no ‘shake-down’ vamos poder avaliar se o ‘set-up’ que escolhemos se ajusta ou não. Há por isso um longo trabalho a fazer entre pilotos e equipa. As altas temperaturas vão ser desgastantes para máquinas e pilotos e aqueles que melhor souberem gerir a situação sairão em vantagem certamente”, começou por referir.   No entanto, o optimismo da dupla lusa mantém-se inalterável como até aqui: “Mantemos o objectivo de sair do Chipre na frente do Campeonato. Tem sido assim até aqui e esperamos que assim se mantenha. Queremos igualmente manter o bom ritmo das últimas provas e andar na frente a lutar pelos melhores lugares. Estamos todos muito cientes do trabalho que temos de fazer e do potencial que temos”, concluiu Bruno Magalhães.   O Rali do Chipre pode ser seguido de 16 a 18 de Junho em www.fiaerc.com ou na aplicação mobile rally4you. 

 

JOSÉ RODRIGUES NO TCR ALEMÃO

José Rodrigues continua a impressionar com grandes exibições no Campeonato Alemão de TCR

 

 

Um oitavo lugar na segunda corrida foi o melhor resultado que José Rodrigues alcançou em mais uma jornada do TCR Germany, desta vez disputada no circuito de Red Bull Ring, na Áustria.
Foi um fim-de-semana com algumas peripécias que impediram que o piloto de Braga repetisse a excelente estreia em Oschersleben, entre as quais uma penalização na segunda corrida que lhe retirou o sexto lugar em que cortou a meta.
Tudo começou com o 11º tempo mais rápido na qualificação, muito perto de entrar nos dez primeiros, que lhe daria a “pole-position” para a segunda corrida. Mesmo assim, José Rodrigues impressionou ao ser o terceiro da sua série e o mais rápido da sua equipa, o que não deixa de ser assinalável para quem nunca correu nesta pista.
Não baixando os braços, como é seu timbre, o piloto de Braga arrancou para a primeira corrida determinado em chegar o mais à frente possível. Aos poucos, foi cumprindo esse objetivo e viu a bandeira de xadrez na sexta posição, importante para o campeonato. O pior veio depois quando foi penalizado com 30 segundos, baixando assim 22 lugares: “Disseram-se que foi por ter passado no “Pit-Lane” a 64 km/hora, quando o limite é 60. Inacreditável!”, desabafava o piloto que viu assim estragada a sua corrida: “O Safety-Car” entrou duas vezes em pista e eu numa corrida nunca tinha passado pelo “Pit-Lane”. Foi uma prova muito positiva, pois arranquei em modo manual e cheguei a sexto, mas infelizmente esta penalização tirou-me esse lugar. Subia alguns lugares no campeonato, e assim não pontuei. De qualquer forma, provei que o resultado da prova anterior, não foi obra do acaso, mas é frustrante o que me aconteceu por quatro km/hora”, acrescentou o piloto que fez a terceira volta mais rápida da corrida.
Na segunda corrida, voltou a arrancar no 11º lugar e a tarefa era recuperar, o que conseguiu fazer, embora o oitavo lugar em que terminou soubesse a pouco: “Arranquei mal, perdi alguns lugares, mas fui à luta e paulatinamente fui subindo lugares com grandes lutas e guerras com o foco da corrida a residir em mim, pois o primeiro classificado ganhou um grande avanço”, explicou o piloto, destacando: “Foi mais uma corrida no top 10 e provei que Oschersleben não foi obra do acaso. Entre 40 carros sou dos três ou quatro mais rápidos. Este resultado soube a pouco, pois na qualificação Q2 fui o 11º, o primeiro resultado que não inverte a grelha de partida. Se ficasse em décimo, arrancaria em primeiro na segunda prova e podia ter lutado pela vitória. Depois foi a penalização da primeira corrida, que podia ter sido uma multa, mas entenderam que seria uma penalização em tempo e caí na classificação”.
José Rodrigues, explica ainda: “Só para se perceber a competitividade deste campeonato, alguns dos melhores em Oschersleben, andaram agora entre 20º e 30º. Eu continuo entre os mais rápidos, o que me deixa satisfeito”, concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Raceland, Duoseg, Ryan Motorsport, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas, Camac, GEN Motosport e JAS Motorsport.

 

2º LUGAR PARA MAGALHAES

 

Segundo lugar para Bruno Magalhães no Rali da Acrópole Piloto português é mais líder no Campeonato da Europa de Ralis
 
Depois da realização de três ralis do Campeonato da Europa de Ralis, Bruno e Hugo Magalhães lideram a tabela classificativa desde o primeiro confronto. O segundo lugar conseguido hoje no emblemático Rali de Acrópole permite à dupla lusa consolidar a posição nas contas do Campeonato. 
 
Um rali que Bruno Magalhães desconhecia mas ao qual se adaptou com facilidade e exemplo disso foram os tempos conseguidos troço a troço no primeiro dia de competição. infelizmente a segunda etapa não viria a ser tão brilhante já que problemas electricos no Skoda Fabia R5 não permitiram ao piloto português atacar como era sua intenção o primeiro lugar: "Foi uma sucessão de problemas que não conseguimos resolver. Sobreaquecimento, falta de limpa vidros, etc. A determinada altura achei que seria difícil aguentar a restante prova assim, mas foquei-me em terminar no lugar que fosse possível a pensar nas contas do Campeonato. E depois disto tudo conseguir o segundo lugar, numa prova como esta, foi o melhor que podíamos esperar", começou por explicar.
 
Mais líder do Europeu de Ralis, Bruno não esconde a satisfação de ter cumprido na perfeição o objectivo a que se propôs nesta prova: "Continuar na frente do Campeonato. É uma honra estar nesta posição rali após rali. Temos vindo a ter um desempenho notável, a impôr um excelente ritmo e bater-nos de igual para igual com pilotos experientes nestas provas e no Campeonato. Estamos muito felizes e agradecemos com especial carinho a todos aqueles que nos têm ajudado. E espero que este resultado nos abra mais uma porta para continuarmos a disputar o Campeonato", concluiu Magalhães que gostava de continuar a poder mostrar todas as suas qualidades assim como levar o nome de Portugal mais longe. 
 
A próxima prova do Europeu é o Rali do Chipre de 16 a 18 de Junho mas ainda não está assegurada a participação de Bruno e Hugo Magalhães. Hoje pelas 22.30h no Eurosport pode ver o resumo do segundo dia do Rali da Acrópole. as48 Copy

 

FELIX DA COSTA FALA DA PROVA DE FÓRMULA E

 

FELIX DA COSTA FALA DA PROVA DE FÓRMULA E

 

 

 

Melhor o carro hoje mas ainda longe de estarmos bem. Acabei em 11º numa corrida que dei tudo o que tinha, não havia mais... Vamos continuar a trabalhar Obrigado a todos pelo apoio  que sempre me dão

 

 

 

TIAGO MONTEIRO EXPLICA

TIAGO MONTEIRO EXPLICA AUSENCIA EM PAUL RICARD

 

 

Tenho de pensar na minha prioridade que é o WTCC e na corrida de Vila Real já daqui a 2 semanas, por isso não vou correr em Paul Ricard. O meu acidente de Nordschleife, apesar de não ter sido grave, foi um impacto lateral e causou-me algumas dores no pescoço, que têm vindo a melhorar mas, por precaução e para garantir que fico a 100% para Vila Real, decidi não correr este fim-de-semana, fica adiada a minha estreia com o Team Costa Campos e com o meu amigo Lourenço Bedirão da Veiga Tenho pena mas sei que o piloto brasileiro Augusto Farfus vai ser um excelente contributo para a equipa e ficarei do lado de fora a torcer por um bom resultado!

 

MAGALHAES NA GRECIA

 

Bruno Magalhães é segundo após primeiro dia do Rali da Acrópole Piloto português regista mais uma excelente prestação
 
Bruno e Hugo Magalhães continuam a dar cartas em provas do Campeonato da Europa de Ralis. Os líderes do Campeonato chegaram à Grécia como um dos principais favoritos à vitória e isso acabaria por ser validado após a excelente prestação da dupla lusa ao volante do Skoda Fabia R5 no primeiro dia de competição. Concluída a primeira etapa, composta por seis especiais de classificação, Bruno Magalhães ocupa a segunda posição da tabela a escassos 8,4 de segundos do líder, Nasser Al-Attiyad.
 
Uma posição e um diferença que vão permitir amanhã dar o seu melhor para lutar até ao final pelo primeiro lugar: "É mais uma vez uma enorme surpresa para nós, chegarmos a esta prova, que desconhecemos por completo, e terminar o primeiro dia no segundo posto. Temos feito um trabalho incrível. Nas primeiras passagens não tínhamos o carro o melhor adaptado ao piso mas conseguimos na assistência fazer as devidas alterações para conseguirmos depois atacar e recuperar parte do tempo perdido. E agora que aqui estamos é continuar a lutar", disse Bruno Magalhães.
 
Amanhã, Bruno terá mais seis troços bastantes duros: "Vai ser mais um enorme desafio. Parece que as condições de piso serão piores que as de hoje mas vamos continuar a nossa luta para atingir os objectivos que nos trouxeram até aqui: manter ou cimentar a primeira posição nas contas do Campeonato. A confiança que deposito no trabalho da equipa, do carro e do meu navegador é uma enorme motivação para continuar a dar o meu melhor para que no final todos, inclusivé aqueles que permitiram que conseguisse alinhar nesta prova,  possamos festejar. Vamos ver como corre o dia de amanhã", concluiu o actual líder do Campeonato da Europa de Ralis que venceu uma das especiais do primeiro dia de prova.
 
Pelas 21.30h será possível ver o resumo deste primeiro dia de competição no Eurosport 1. O dia de amanhã pode ser acompanhado no site www.fiaerc.com ou na aplicação mobile rally4now.as28 Copy

 

1ª VICTÓRIA PARA MIGUEL RAMOS

Primeira vitória e subida ao terceiro posto no Campeonato.

 

Numa fantástica corrida, Miguel Ramos e Mikkel Mac, conseguem a primeira vitória do ano para a Ferrari, numa disputadíssima corrida na quente pista de Paul Ricard.

as9 Copy

Numa estupenda tarde de Verão, a dupla Luso-Dinamarquesa arrancaram no braço, uma vitoria para a Ferrari na qual foram secundados por Venturini-Thomas Biagi (Lamborghini) e por Valentin Pierburg-Onslow Cole (Mercedes). Após a partida o autor da Pole, Mikkel Mac, foi ensanduichado pelo Mercedes de Onslow-Cole e o BMW de Farfus, conseguindo aguentar-se nas primeiras curvas, mas acabou por cair para terceiro. Na quarta volta Mikkel Mac passou Bell e começou a diminuir a distância para o BMW de Farfus, começando então a luta pela liderança que deliciou os espectadores até cerca de metade da corrida, altura em que se iniciaram as trocas de pilotos. A Spirit of Race, fez aqui uma excelente alteração na estratégia do Ferrari #488, tendo procedido à troca mais cedo do que estava pensado. Mal entrou em pista, o piloto Português, Miguel Ramos sem “tráfego” na pista, forçou bastante o andamento tentando ganhar o máximo de tempo neste momento crítico, “Foi excelente este resultado. Sabia que era uma questão de tempo, pois o carro é fantástico, o Mikkel é um piloto de topo e a nossa equipa sabe muito bem o que faz. Quando vimos que o Mikkel estava preso atras do Farfus, tentamos libertar o nosso carro da confusão. Forcei bastante nas minhas primeiras três voltas e percebi que tinha resultado quando passei na travagem para a curva 1 o Mercedes que tinha acabado de sair das boxes”. Miguel Ramos liderava então a corrida com 5seg de avanço em relação a Pierburg no Mercedes e 7seg em relação a Biagi no Lamborghini. Ainda houve  a troca no segundo lugar entre Biagi e Pierburg, sendo que em relação ao primeiro lugar, estava mais do que decidido, pois entretanto Miguel Ramos continuava com ritmo fortíssimo, aumentando mesmo a vantagem para 9seg, com que terminou em relação a Biagi.

Na Race 2 disputada este domingo, Calderelli usufruindo da Pole, arrancou muito bem, conseguindo distanciar-se dos perseguidores logo a partir da primeira volta, enquanto Miguel Ramos perdia uma posição para Frommenwiler (Lexus) caindo para 10º. Entretanto Ramos conseguiu passar novamente o Lexus e começou a atacar o BMW de Beirão da Veiga, tentando passar por todo o lado, mas estava difícil encontrar espaço, até que na 5ª volta os dois Portugueses tocaram-se, tendo daí resultado alguns danos no Ferrari e o BMW ter desistido uma volta mais tarde. Para Miguel Ramos este incidente de corrida, que correu mal para os dois pilotos, traduziu-se numa penalização de 10seg, estragando definitivamente a corrida ao Ferrari #488. “Toquei Lourenço a meio da penúltima curva sem qualquer intenção. Uma curva para a esquerda, estava a tentar passar por fora, tal como tentei na volta anterior, de forma a ter a vantagem para a travagem da última curva, uma direita. A meio da curva o Lourenço reduziu muito a velocidade e não consegui evitar o toque na traseira, tentei fugir para fora e o Lourenço ao tentar controlar o BMW, fez chicote e o seu canto traseiro direito, bateu na minha frente esquerda, danificando-me a roda e o spoiler frontal, perdendo toda a aerodinâmica. Fomos penalizados em 10 segundos, comprometendo um melhor resultado esta tarde, pois não nos podemos esquecer que já tínhamos para a segunda corrida, um handicap de 15 segundos”, referiu Miguel Ramos no final da corrida. Entretanto Mikkel Mac, fez uma boa segunda parte da prova, mas com o handicap e a penalização dos 10seg, o sétimo posto final teve um sabor agridoce.

Depois da prova Francesa a situação no topo do Campeonato está ao rubro com Costa-Frommenwiler na liderança, mas apenas com 3 pontos de avanço em relação a Biagi-Venturini e 4 para três formações: Rueda-Bouveng, Ramos-Mac e os irmão Farnbacher.

Race 1

1 - Miguel Ramos / Mikkel Mac – Ferrari 488

2 - Giovanni Venturini / Thomas Biagi – Lamborghini Huracan

3 - Pierburg / Onslow-Cole – Mercedes AMG GT3

 

Race 2

1 - Victor Bouveng / Fran Rueda – BMW M6 GT3

2 – Postiglione / Fontana – Lamborghini Huracan

3 – Hahn - Hellmeister – Mercedes AMG GT3

7 - Miguel Ramos / Mikkel Mac – Ferrari 488

Classificação provisória do Campeonato após Paul Ricard

1 - Albert Costa / Philipp Frommenwiler – 42 pts

2 - Giovanni Venturini / Thomas Biagi - 39 pts

3 - Victor Bouveng / Fran Rueda – 38 pts

   - Miguel Ramos / Mikkel Mac – 38 pts

   - Dominik Farnbacher / Mario Farnbacher – 38 pts

A próxima prova do GT Open terá lugar a 1 e 2 de julho no Hungaroring (Hungria)

Calendário 2017

 

http://www.gtopen.net/images/portugal_flag.jpg    Estoril 29 - 30 de Abril

 

http://www.gtopen.net/images/belgium_flag.jpg    Spa 27 - 28 de Maio

 

http://www.gtopen.net/images/france_flag.jpg    Paul Ricard 10 – 11 de Junho

 

http://www.gtopen.net/images/hungary_flag.jpg    Hungaroring 1 – 2 de Julho

 

http://www.gtopen.net/images/england_flag.jpg    Silverstone 2 – 3 de Setembro

 

http://www.gtopen.net/images/italy_flag.jpg    Monza 30 Set – 1 de Outubro

 

http://www.gtopen.net/images/spain_flag.jpg    Barcelona 28 – 29 de Outubro

 

EQUIPA PORTUGUESA NA RALI DE ORENSE

 

ALOÍSIO MONTEIRO E SANCHO EIRÓ

 

NA 50ª EDIÇÃO DO RALLYE DE OURENSE

 

Com “ganas” para o Troféu Ibérico Clio R3T

 

 

 

Aloísio Monteiro desdobra-se entre a sua vida profissional e desportiva para estar presente na 3ª prova pontuável para o “Clio Ibéria Trophy R3T”. Acompanhado por Sancho Eiró, campeão açoriano de navegadores, Aloísio Monteiro pretende defender em Ourense o 3º lugar que ocupa nesta iniciativa ibérica da Renault, com o apoio habitual da ARC Sport.

 

Vamos tentar manter esta posição no troféu, embora seja a primeira vez que participamos no Rallye de Ourense, uma prova muito técnica, onde as primeiras passagens pelos troços são sempre muito complicadas. Estamos muito contentes com o carro, pois acho que já encontrámos um bom compromisso para tentar aplicar um ritmo mais competitivo, sem, no entanto, desejar criar muitas expectativas. Vão ser cerca de 200 km ao cronómetro, numa prova onde a gestão dos pneus é bastante importante, ainda mais quando se espera por muito calor. Estamos confiantes e esperamos terminar mais este importante desafio”, afirmou, confiante, Aloísio Monteiro.

 

A ARC Sport presente em diversas frentes dos ralis nacionais e europeus durante este mês de junho, aposta numa boa classificação para a dupla portuguesa.

 

Temos total confiança no Aloísio Monteiro e no Sancho Eiró para este difícil teste em Ourense. A sua evolução tem sido excelente e acreditamos que podem sair de Espanha com um bom resultado. Como é hábito na nossa equipa, faremos tudo para que isso possa acontecer”, disse Augusto Ramiro.

 

O Rallye de Ourense vai estar na estrada na sexta-feira e sábado, dias 9 e 10 de junho, e conta com 10 provas especiais de classificação.

 

 

 ax32 Copy

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

  1. Há sempre uma razão para tudo!

 

TIAGO MONTEIRO DE REGRESSO AOS GT

 

TIAGO MONTEIRO DE REGRESSO AOS GTAS1 Copy

 

 

Este fim de semana vou estar em Paul Ricard em França com o meu amigo LBV a correr no GT Open com o Team Costa Campos Racing. Mais uma grande experiência, voltar aos GT's depois de mais de 10 anos sem o fazer! Corridas em directo na Sporttvalt

 

BRUNO MAGALHAES NA LIDERANÇA

 

SEAJETS ACROPOLIS RALLY 2017

 

 

Mais um êxito europeu para a ARC SPORT

 

BRUNO MAGALHÃES CONTINUA LÍDER DO ERC

 

2º LUGAR NA GRÉCIA DEPOIS DE TER PASSADO PELA LIDERANÇA

 

 

 

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães ultrapassaram um dos mais duros testes do Campeonato da Europa de Ralis. Na Grécia o Skoda Fabia R5 da ARC Sport acabou por resistir aos troços demolidores do Rali da Acrópole, com a equipa portuguesa a terminar no 2º lugar, depois de ter inclusivamente passado pela liderança da prova. O objetivo foi alcançado e a equipa continua a liderar o ERC após três provas disputadas.

 

Bruno Magalhães não necessita de provar os seus méritos, mas os excelentes resultados alcançados nas três provas disputadas este ano no ERC com a ARC Sport são sinónimo de um elevado grau de profissionalismo. Esta participação na Grécia poderá ser um magnífico abrir de portas ao sonho do piloto, que para já garantiu a sua presença no Rali de Chipre de 15 a 18 de junho.

 

“Foi um resultado excelente! Três pódios em três provas totalmente diferentes são resultados fantásticos. Na Grécia, o primeiro dia decorreu muito acima do que eu pensava, e só foi pena os graves problemas que surgiram no domingo, todos relacionados com a Centralina, uma dificuldade que nem a própria Skoda podia prever. O carro entrou em Safe Mode logo a meio do primeiro troço do dia, acabando por ter de fazer o resto da prova sem potência. Os vários problemas que surgiram estavam todos relacionados com a Centralina. Continuamos líderes do Europeu e vamos defender essa posição no Rali do Chipre”, disse Bruno Magalhães.

 

Para a ARC Sport o resultado foi fabuloso, mas até podia ter sido melhor. A equipa de Aguiar da Beira apenas lamenta a falta de divulgação destes excelentes resultados por parte da Comunicação Social em Portugal, em especial pela televisão.

 

 

 

 

 

O 2º lugar é um bom resultado, mas a vitória poderia ter acontecido. No final do rali chegou-se à conclusão que os problemas do carro estavam todos relacionados com a Centralina. Quero dar os parabéns ao Bruno e ao Hugo pela excelente prova que fizeram e pela liderança do Campeonato da Europa de Ralis. O apoio da Seajets foi fundamental para defender esta liderança, lamentando apenas a falta de retorno e apoio que as televisões em Portugal têm dado a uma equipa portuguesa que comanda uma prova do Europeu de Ralis. Lamento sinceramente que se promova apenas o futebol. Agora vamos a Chipre com o mesmo objetivo que é defender a liderança do ERC. Os meus sinceros parabéns a toda a equipa pelo bom trabalho realizado”, afirmou Augusto Ramiro.

 

Um balanço fabuloso para a participação de Bruno Magalhães e Hugo Magalhães no Campeonato da Europa de Ralis. Em três provas disputadas, uma vitória nos Açores, um 3º lugar nas Canárias, e agora um 2º lugar na Grécia, o que coloca o Skoda Fabia R5 da ARC Sport na liderança destacada do Campeonato da Europa de Ralis de 2017. O próximo desafio é já entre 15 e 18 de junho no Chipre.

 

 

 

 

 

 AS2 Copy

 

RUI MADEIRA TESTOU MINI

RUI MADEIRA TESTOU EM MARROCOS

 

O piloto teve a oportunidade recentemente de poder testar um Mini 4x4 em pleno deserto Marroquino.mad1-ruimadeiratesteoumini em_marrocos_Copymad2 Copymad3 Copymad4 Copymad5 Copymad6 Copymad7 Copymad8 Copymad9 CopymAD11 CopyMAD12 Copy

 

MAGALHAES NA FRENTE DO ERC

 

SEAJETS ACROPOLIS RALLY 2017

 

 

Mais um êxito europeu para a ARC SPORT

 

BRUNO MAGALHÃES CONTINUA LÍDER DO ERC

 

2º LUGAR NA GRÉCIA DEPOIS DE TER PASSADO PELA LIDERANÇA

 

 

 

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães ultrapassaram um dos mais duros testes do Campeonato da Europa de Ralis. Na Grécia o Skoda Fabia R5 da ARC Sport acabou por resistir aos troços demolidores do Rali da Acrópole, com a equipa portuguesa a terminar no 2º lugar, depois de ter inclusivamente passado pela liderança da prova. O objetivo foi alcançado e a equipa continua a liderar o ERC após três provas disputadas.

 

Bruno Magalhães não necessita de provar os seus méritos, mas os excelentes resultados alcançados nas três provas disputadas este ano no ERC com a ARC Sport são sinónimo de um elevado grau de profissionalismo. Esta participação na Grécia poderá ser um magnífico abrir de portas ao sonho do piloto, que para já garantiu a sua presença no Rali de Chipre de 15 a 18 de junho.

 

“Foi um resultado excelente! Três pódios em três provas totalmente diferentes são resultados fantásticos. Na Grécia, o primeiro dia decorreu muito acima do que eu pensava, e só foi pena os graves problemas que surgiram no domingo, todos relacionados com a Centralina, uma dificuldade que nem a própria Skoda podia prever. O carro entrou em Safe Mode logo a meio do primeiro troço do dia, acabando por ter de fazer o resto da prova sem potência. Os vários problemas que surgiram estavam todos relacionados com a Centralina. Continuamos líderes do Europeu e vamos defender essa posição no Rali do Chipre”, disse Bruno Magalhães.

 

Para a ARC Sport o resultado foi fabuloso, mas até podia ter sido melhor. A equipa de Aguiar da Beira apenas lamenta a falta de divulgação destes excelentes resultados por parte da Comunicação Social em Portugal, em especial pela televisão.

 

 

 

 

 

O 2º lugar é um bom resultado, mas a vitória poderia ter acontecido. No final do rali chegou-se à conclusão que os problemas do carro estavam todos relacionados com a Centralina. Quero dar os parabéns ao Bruno e ao Hugo pela excelente prova que fizeram e pela liderança do Campeonato da Europa de Ralis. O apoio da Seajets foi fundamental para defender esta liderança, lamentando apenas a falta de retorno e apoio que as televisões em Portugal têm dado a uma equipa portuguesa que comanda uma prova do Europeu de Ralis. Lamento sinceramente que se promova apenas o futebol. Agora vamos a Chipre com o mesmo objetivo que é defender a liderança do ERC. Os meus sinceros parabéns a toda a equipa pelo bom trabalho realizado”, afirmou Augusto Ramiro.

 

Um balanço fabuloso para a participação de Bruno Magalhães e Hugo Magalhães no Campeonato da Europa de Ralis. Em três provas disputadas, uma vitória nos Açores, um 3º lugar nas Canárias, e agora um 2º lugar na Grécia, o que coloca o Skoda Fabia R5 da ARC Sport na liderança destacada do Campeonato da Europa de Ralis de 2017. O próximo desafio é já entre 15 e 18 de junho no Chipre.

 

 

 

 

 as1 Copyas2 Copy

 

MAIS OUTRO PORTUGUES NAS AVENTURAS DE MICHEL VAILLANT

MAIS OUTRO CIDADÃO PORTUGUES NAS AVENTURAS DE MICHEL VAILLANT

 

Depois da participação de Jorge Ortigão no Rali de Portugal, isso uma das aventuras de MIchel Vaillant, eis que o conhecido Eduardo Freitas, actual director de corrida da WEC e 24 HOras de Le Mans, entrou numa aventura do piloto frances.Parabens Eduardo Freitas.

 

 

 

 

 

  1. vaillant"...

 

 

JOSÉ RODRIGUES NO TCR ALEMANHA

 

No Red Bull Ring José Rodrigues quer voltar a brilhar no TCR GERMANY em 2017
Depois de tão boas indicações deixadas na prova de arranque no TCR Germany, em Oschersleben, segue-se para José Rodrigues a segunda jornada nos dias 10 e 11 de Junho, desta vez no circuito de Red Bull Ring, na Áustria. Para o piloto de Braga, apoiado pelo Sport Lisboa e Benfica, trata-se de mais um desafio num traçado que desconhece, mas, como é seu apanágio, está pronto e mais que motivado para enfrentar mais uma jornada desta competição internacional.  A esta motivação não é alheia a estreia onde conseguiu um quarto lugar, no meio de um extenso pelotão, o que lhe dá legítimas esperanças para voltar a lutar por um dos principais lugares: “Continuar presente no melhor campeonato TCR do Mundo é, para mim, o fator máximo de motivação. Após uma grande estreia no primeiro fim‑de‑semana, espero em Red Bull Ring mais uma grande batalha”, começa por afirmar o piloto que está consciente das dificuldades que vai enfrentar: “Tenho consciência que será extremamente difícil, pois a maior parte dos adversários já conhecem o traçado. Mas estou ciente de todas adversidades que poderei encontrar pelo caminho, e se conseguir aliar a minha rapidez a uma rápida adaptação, posso lutar novamente pelos primeiros lugares”. Como já se viu, José Rodrigues não baixa os braços e parte para esta segunda jornada da época muito determinado: “Apesar de ser um circuito que desconheço, vou querer brindar todos os meus patrocinadores e pessoas que me apoiam com grandes exibições”, concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Raceland, Duoseg, Ryan Motorsport, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas, Camac, GEN Motosport e JAS Motorsport. O programa desta jornada no Red Bull Ring, na Áustria começa na sexta-feira com duas sessões de treinos livres às 08h10 e 13h45. Ainda nesse dia tem lugar a qualificação. A do Grupo A às 17h25 e a do Grupo B, às 17h50. As duas corridas estão agendadas para as 13h50 de sábado e 14h40 de domingo.AZ7 Copy

 

MAGALHAES DEFENDE LIDERANÇA NA GRÉCIA

 

Bruno Magalhães defende liderança do Campeonato da Europa de Ralis na Grécia
 
Bruno e Hugo Magalhães já estão na Grécia onde vão disputar a terceira jornada do Campeonato da Europa de Ralis que lideram. A dupla lusa ao volante do Skoda Fabia R5 da ARC Sport está determinada em manter a liderança do Campeonato num rali que desconhecem mas onde prometem dar luta.
 
Bruno efectuou hoje o primeiro teste de preparação para o emblemático Rali de Acrópole e nem a surpresa da dureza dos pisos desanimaram as ambições que o levaram até lá: "Não estávamos à espera de pisos tão duros mas conseguimos encontrar um 'set-up' base depois de muitas alterações. Apesar de já ter feito este rali uma vez, o local do mesmo mudou face à minha primeira experiência, pelo que estou a aprender tudo de início. Amanhã teremos os reconhecimentos e só aí vou ter a real percepção daquilo que nos espera. Estamos em desvantagem para os nossos maiores adversários que já conhecem o rali, mas isso não nos tira a garra e a determinação", disse.
 
E seja o que estiver para vir, Bruno e Hugo Magalhães são perentórios nos objectivos: "Queremos andar rápido, lutar pela melhor posição possível mas acima de tudo sair da Grécia na frente do Campeonato. Já que aqui chegámos e depois do enorme esforço para encontrar apoios para continuar a fazer provas, não queremos desiludir ninguém e mostrar que estamos aqui por mérito próprio. Vamos á luta", disseram os pilotos que comandam o campeonato com 63 pontos mais 17 que o segundo classificado.
 
A prova vai estar na estrada de 2 a 4 de Junho. o Eurosport 1 fará o primeiro resumo no sábado às 21.30h. No Domingo, o resumo do último dia de competição será pelas 22.30h. O live timing poderá ser acompanhado em www.fiaerc.comaa60 Copy

 

BRUNO MAGALHAES NA GRÉCIA

 

SEAJETS ACROPOLIS RALLY 2017

 

 

ARC SPORT NA GRÉCIA COM BRUNO MAGALHÃES

 

CONTINUAR A DEFENDER A LIDERANÇA DO ERC

 

 

 

Líderes do Campeonato da Europa de Ralis, depois de brilhante vitória no Açores e de um 3º lugar nas Canárias, a apenas seis segundos do 2º lugar, Bruno Magalhães e Hugo Magalhães vão estar presentes no Rali da Acrópole para defenderem o comando do ERC 2017. Na Grécia vão voltar a tripular um Skoda Fabia R5 da ARC Sport, desta feita em terrenos tradicionalmente muito duros.

 

A ARC Sport volta a entregar a Bruno Magalhães um dos seus Skoda Fabia R5, deslocando para a Grécia a sua estrutura totalmente empenhada na defesa da liderança do campeonato e com a possibilidade de continuarem naquela região europeia, para 15 dias depois poderem eventualmente estar presentes no Rali de Chipre, a prova seguinte no calendário do ERC.

 

Para Bruno Magalhães esta é uma etapa muito importante para o Campeonato da Europa de Ralis numa prova tradicionalmente muito dura e exigente. A defesa da liderança do ERC é o foco do piloto e de toda a organização da ARC Sport.

 

O nosso objetivo é sair da Grécia como líderes do campeonato. Já fiz o rali da Acrópole, mas quando ele era disputado noutro local. Agora com este traçado totalmente diferente, que regressa à região grega do antigo mundial de ralis, é tudo novo para mim, ao contrário da maioria dos nossos principais adversários. Quem já o fez, tem naturalmente alguma vantagem. Este é sempre um rali muito duro e desgastante, onde vou tentar andar o melhor possível, mas a resguardar sempre qualquer situação que me permita continuar a ser líder do campeonato. Esta é uma prova onde acontece sempre qualquer coisa, e por isso, vamos ser cautelosos quanto baste. Tenho total confiança no Skoda e na nossa equipa, e na terça-feira vamos efetuar testes de adaptação àquele tipo de pisos, para que tudo possa correr pelo melhor”, disse Bruno Magalhães.

 

 

 

 

 

 

 

A equipa de Aguiar da Beira já está na Grécia para começar a defesa da liderança do Campeonato da Europa de Ralis. Para Augusto Ramiro esta é mais uma etapa muito importante.

 

“Vamos tentar dar continuidade aos objetivos que nos propusemos nas Canárias, que é a defesa da liderança do Europeu. Temos total confiança no piloto e no navegador, para que se possa continuar na frente de um campeonato tão importante como é o ERC. Toda a equipa está perfeitamente consciente das suas responsabilidades, e é com um espírito muito positivo que enfrentamos mais este grande desafio, desta vez na Grécia”, afirmou Augusto Ramiro.

 

O Seajets Acropolis Rally disputa-se entre 2 e 4 de junho.

 

Bruno Magalhães é o líder do ERC 2017 com 17 pontos de vantagem.

 

1º Bruno Magalhães          63 pontos

2º A. Lukyanuk                    46

3º K. Kajetanowicz              35

 aa7 Copyaa8 Copy

 

MOTA NO PÓDIO

 

Fábio Mota conquista 2 pódio no circuito mais difícil do mundo

 

Fábio Mota protagonizou uma prestação notável no dantesco circuito de Nurburgring – Nordschleife e garantiu duas subidas ao pódio na ronda germânica da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo.

Depois de ontem ter assegurado o terceiro posto na grelha de partida, apesar de algumas contrariedades na primeira sessão de treinos-livres, o português encarava as provas de hoje com o objectivo de alcançar o pódio e a sua performance de hoje acabou por ir de encontro aos seus desideratos.

Na primeira prova, o português arrancou bem, tendo estado na luta pela vice-liderança ao longo de toda a corrida, para ver a bandeirada de xadrez a dois décimos de segundo do segundo classificado.

O terceiro posto garantiu-lhe o sexto lugar na grelha de partida para a segunda corrida da jornada, o que dificultava a tarefa de Fábio Mota, mas nem isso deixou o português menos determinado.

O piloto da Lein Racing, assistida tecnicamente pela Lema Racing, foi galgando posições, terminando a segunda volta na terceira posição. No entanto, Fábio Mota não ficou por aí, continuando com um ritmo forte, terminando a corrida no segundo posto, a menos de dois segundos do vencedor e com a volta mais rápida no bolso. “Foi um excelente desfecho para um fim-de-semana que não foi fácil, mas ao longo do qual nos mostrámos sempre competitivos. A equipa esteve muito bem, dando-me um carro competitivo e fiável, o que num circuito como este, é muito importante. Penso que estes dois pódios são a recompensa para todos nós pelo trabalho que temos vindo a realizar e demonstra que, como já era evidente desde Hungaroring, temos andamento para nos batermos pelos lugares do pódio”, sublinhou Fábio Mota.

Depois da ronda no circuito mais exigente do mundo, a competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo vai agora para o circuito de Vila Real, onde o português pretende manter a competitividade que tem vindo a evidenciar e os resultados que assegurou no “Inferno Verde”. “Temos vindo a evoluir bem desde o fim-de-semana difícil de Monza e aqui conseguimos conquistar dois resultados no pódio, validando o nosso trabalho. Agora, temos que prosseguir e manter o elevado nível que temos evidenciado para chegarmos a Vila Real com a possibilidade de lutarmos pelos lugares do pódio”, concluiu o piloto pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A ronda portuguesa da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se entre os próximos dias 23 e 25 de Junho.as30 Copy

 

MIGUEL RAMOS NO PÓDIO EM SPA

Pódio para Miguel Ramos e Mikkel Mac em SPA.

 

Miguel Ramos e Mikkel Mac subiram ao Pódio na Race 1, levando o Ferrari #488 até ao terceiro lugar no final da corrida deste sábado.

as28 Copy

Com um estupendo tempo nas Ardenas Belgas teve lugar a Race 1 do International GT Open em SPA. Após o segundo tempo na qualificação da manha, Mikkel Mac fez uma boa partida, e manteve-se no segundo posto colocando o líder sob constante pressão. Sensivelmente com 30 minutos de corrida o jovem piloto Dinamarquês entrou na boxe para dar o lugar a Miguel Ramos que levou o Ferrari #488 até ao 3º lugar no final da corrida. “Foi um ótimo começo de fim de semana com o 2º lugar na Q1 conseguido pelo meu colega de equipa. A primeira parte da corrida decorreu de forma tranquila, mantendo-nos no topo da corrida que era onde queríamos estar. Quando da troca de pilotos, caímos para o 3º lugar e aí nos mantivemos até ao final. Considero que fiz um bom stint, não conseguia atacar o BMW à minha frente, mas também não senti o 3º lugar em risco”, comentou Miguel Ramos após a corrida.

Na Race 2 deste domingo e com tempo muito incerto, tudo foi muito diferente para a dupla do Ferrai #488. Ramos qualificou o carro em 10º e logo após a partida e com apenas 2 voltas decorridas foi obrigado a desistir. “Depois dum dia fantástico e da excelente corrida ontem realizada, hoje o motor deu a alma ao criador logo na primeira volta. Arranquei bem ganhando uma posição, mas logo na descida após primeira curva, senti um barulho diferente e notei falta de potência. Ainda tentei mais uma volta, mas devia perder mais de 20km/h nas rectas. Fica a subida ao pódio de ontem com o terceiro lugar e a promessa de lutarmos novamente pelo pódio em Paul Ricard”. Fica assim registado o ultimo comentário de Miguel Ramos acerca desta participação na segunda prova do International GT Open desde ano, disputada na pista Belga de SPA-Francorchamps.

Race 1

1 - Albert Costa / Philipp Frommenwiler - Lexus RC-F

2 - Victor Bouveng / Fran Rueda – BMW M6

3 - Miguel Ramos / Mikkel Mac – Ferrari 488

 

Race 2

1 - Dominik Farnbacher / Mario Farnbacher – Lexus RC-F

2 - Marco Cioci / Piergiuseppe Perazzini – Ferrari 488

3 - Alexandre West / Côme Ledogar – Mclaren 650 S GT3

Miguel Ramos / Mikkel Mac – Ferrari 488 N.C.

Classificação provisória do Campeonato após SPA

1 - Dominik Farnbacher / Mario Farnbacher – 38 pts

2 - Albert Costa / Philipp Frommenwiler – 33 pts

3 - Rob Bell / Shaun Balfe – 29 pts

4 - Alexander West / Côme Ledogar – 22 pts

5 - Giovanni Venturini / Thomas Biagi - 22 pts

6 - Piergiuseppe Perazzini / Marco Cioci – 19 pts

7 - Michael Benham / Duncan Tappy – 19 pts

8 - Miguel Ramos / Mikkel Mac – 19 pts

9 – Victor Bouveng / Fran Rueda – 17 pts

10 – Lourenço Beirão da Veiga – 12 pts

A próxima prova do GT Open terá lugar a 10 e 11 de Junho em Paul Ricard (França)

Calendário 2017

 

http://www.gtopen.net/images/portugal_flag.jpg    Estoril 29 - 30 de Abril

 

http://www.gtopen.net/images/belgium_flag.jpg    Spa 27 - 28 de Maio

 

http://www.gtopen.net/images/france_flag.jpg    Paul Ricard 10 – 11 de Junho

 

http://www.gtopen.net/images/hungary_flag.jpg    Hungaroring 1 – 2 de Julho

 

http://www.gtopen.net/images/england_flag.jpg    Silverstone 2 – 3 de Setembro

 

http://www.gtopen.net/images/italy_flag.jpg    Monza 30 Set – 1 de Outubro

 

http://www.gtopen.net/images/spain_flag.jpg    Barcelona 28 – 29 de Outubro

 

ETCC - FÁBIO MOTA NA ALEMANHA

 

Fábio Mota na 2ª linha do “Inferno Verde”

 

Fábio Mota esteve hoje num elevado nível no dantesco circuito de Nurburgring – Nordschleife, onde se disputa este fim-de-semana a terceira ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, assegurando o terceiro posto apesar de algumas contrariedades.

O português mostrou-se rapidamente bastante à-vontade no exigente traçado germânico, assegurando o segundo crono na sessão de testes oficiais, o que lhe abria boas perspectivas para o restante programa da etapa alemã da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC.

Porém, na primeira sessão de treinos-livres uma transmissão partida quando simulava um arranque, acabou por o impedir de realizar qualquer volta, o que num circuito com 25,947 quilómetros e cento e setenta curvas, o acabou por o prejudicar devido à falta de tempo em pista.

Fábio Mota não se deixou atemorizar, tendo nos treinos-livres de hoje assegurado o quarto crono, para na qualificação se bater pelas melhores posições na grelha de partida.

Apesar da falta de tempo de pista relativamente aos seus adversários, o português mostrou-se rápido e consistente, garantindo o terceiro posto na grelha de partida para a primeira corrida de amanhã. “Depois de tantas contrariedades nas primeiras provas e, inclusivamente, já aqui em Nurburgring, este era um resultado que todos nós na equipa merecíamos. O carro está competitivo e eu, apesar de não ter feito a primeira sessão de treinos-livres, estou cada vez mais adaptado ao circuito. É um bom resultado que nos permite ambicionar a boas classificações nas provas de amanhã”, apontou o piloto da Lein Racing, apoiada tecnicamente pela Lema Racing.

Para as corridas de amanhã Fábio Mota está optimista e determinado em se bater pelas posições cimeiras, muito embora esteja ciente de que terá uma forte oposição pela frente. “O resultado de hoje demonstra que estamos competitivos, mas podemos melhorar ainda um pouco o carro. É um circuito muito exigente e cheio de armadilhas, portanto, a concentração será determinante para podermos bater-nos com os nossos adversários, que estão mais fortes que nunca, e conquistarmos os resultados que o nosso andamento demonstra estarem ao nosso alcance”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

As corridas serão realizadas amanhã, em concomitância com as provas do WTCC – 10h20 e 11h45 –, sendo emitido às 19h27 um resumo no Eurosport 2.as25 Copy

 

ETCC - FÁBIO MOTA NA ALEMANHA

 

Fábio Mota entusiasmado com regresso ao “Inferno Verde”

 

É já no próximo fim-de-semana que Fábio Mota enfrenta o seu grande desafio da temporada: a ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC no dantesco Nurburgring – Nordschleife; porém, o português está confiante de que poderá dar-se bem no Inferno Verde.

A extraordinária pista germânica, com os seus exigentes 25,378 quilómetros e cento e setenta curvas, é um dos ícones mundiais do automobilismo e foi estreada em 1927 de acordo com a visão que Gustav Eifel tinha para uma pista dedicada ao deporto motorizado nos anos 20.

Ao longo das décadas foram muitas as corridas que fizeram vibrar os adeptos de todo o planeta e diversos os pilotos que se destacaram naquela que é considerada a pista mais difícil do mundo – Tazio Nuvolari, Juan Manuel Fangio, Jackie Stewart ou Rudolf Caracciola.

“A versão Nordschleife de Nurburgring é uma pista incrível que testa pilotos e carros até aos seus limites, tendo qualquer erro um preço elevadíssimo. Para além disso, sente-se a carga histórica que detém em cada pedaço de asfalto e os adeptos que costumam estar ao longo do circuito são fervorosos e apaixonados. A experiência do ano passado foi fantástica e estou ansioso por voltar”, apontou Fábio Mota.

Na edição de 2016 da ronda de germânica o português da Lein Racing, assistida tecnicamente pela Lema Racing, mostrou-se muito competitivo, tendo na segunda prova estado envolvido na luta pela vitória até à última volta. “No ano passado adaptei-me muito bem ao longo traçado e cheguei a estar envolvido na batalha pelo triunfo na segunda prova, mas sem velocidade de ponta foi difícil manter o comando. Em 2017, temos um carro mais competitivo e toda a equipa tem vindo a evoluir desde Monza, o que me deixa confiante de que poderemos estar na luta pelos lugares da frente nas corridas do próximo fim-de-semana”, afirmou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

O programa da ronda de Nurburgring – Nordschleife da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo é diferente do habitual, disputando-se a qualificação na sexta-feira e as corridas, em concomitância com as do WTCC, no sábado.

 

ETCC - FÁBIO MOTA NA ALEMANHA

É já no próximo fim-de-semana que terei o grande desafio da temporada: o dantesco Nordschleife.
Mas gosto de desafios e temos vindo a evoluir desde Monza, por isso, estou confiante para o meu regresso ao Inferno Verde.

 

ANTÓNIO FELIX DA COSTA PREPARADO

Este fim-de-semana corro na mais perigosa e incrível pista do mundo. Na BMW estamos prontos para este grande desafio, a minha estreia nas 24 horas de Nurburgring Nordschleife!

 

 

ETCC - FÁBIO MOTA NA ALEMANHA

  1. Fábio Mota entusiasmado com regresso ao “Inferno Verde”
  2. É já no próximo fim-de-semana que Fábio Mota enfrenta o seu grande desafio da temporada: a ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC no dantesco Nurburgring – Nordschleife; porém, o português está confiante de que poderá dar-se bem no Inferno Verde.
  3. ...
  4. A extraordinária pista germânica, com os seus exigentes 25,378 quilómetros e cento e setenta curvas, é um dos ícones mundiais do automobilismo e foi estreada em 1927 de acordo com a visão que Gustav Eifel tinha para uma pista dedicada ao deporto motorizado nos anos 20.
  5. Ao longo das décadas foram muitas as corridas que fizeram vibrar os adeptos de todo o planeta e diversos os pilotos que se destacaram naquela que é considerada a pista mais difícil do mundo – Tazio Nuvolari, Juan Manuel Fangio, Jackie Stewart ou Rudolf Caracciola.
  6. “A versão Nordschleife de Nurburgring é uma pista incrível que testa pilotos e carros até aos seus limites, tendo qualquer erro um preço elevadíssimo. Para além disso, sente-se a carga histórica que detém em cada pedaço de asfalto e os adeptos que costumam estar ao longo do circuito são fervorosos e apaixonados. A experiência do ano passado foi fantástica e estou ansioso por voltar”, apontou Fábio Mota.
  7. Na edição de 2016 da ronda de germânica o português da Lein Racing, assistida tecnicamente pela Lema Racing, mostrou-se muito competitivo, tendo na segunda prova estado envolvido na luta pela vitória até à última volta. “No ano passado adaptei-me muito bem ao longo traçado e cheguei a estar envolvido na batalha pelo triunfo na segunda prova, mas sem velocidade de ponta foi difícil manter o comando. Em 2017, temos um carro mais competitivo e toda a equipa tem vindo a evoluir desde Monza, o que me deixa confiante de que poderemos estar na luta pelos lugares da frente nas corridas do próximo fim-de-semana”, afirmou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.
  8. O programa da ronda de Nurburgring – Nordschleife da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo é diferente do habitual, disputando-se a qualificação na sexta-feira e as corridas, em concomitância com as do WTCC, no sábado.

 

WTCC - ALEMANHA

  1. Tiago Monteiro a caminho do Inferno Verde em busca da desforra

 

  1. Tiago Monteiro prepara-se para enfrentar provavelmente a prova mais dura do ano. O WTCC visita este fim-de-semana de 26 e 27 de Maio o circuito alemão de Nordschleife, vulgarmente conhecido por "Inferno Verde" por ser uma das pistas mais duras, desafiantes e longas do mundo. Em 2016 neste circuito Tiago foi protagonista de um aparatoso acidente que deixou todos quan...to assistiam à prova incrédulos, e volvido um ano, o piloto da Honda está de regresso, sem temer o desafio e apostado em conseguir vingar o resultado que lhe escapou o ano passado.
  2. O início de época de 2017 tem estado a correr de feição ao piloto português que lidera o campeonato desde a primeira prova, somando vitórias ou pódios em todas as corridas. Um desempenho notável para quem quer continuar na liderança da tabela: "Tem sido um ano fantástico. As evoluções feitas pela Honda no Civic durante o Inverno tem dado frutos em todos os circuitos que visitamos e este fim-de-semana em particular a exigência será ainda maior: uma pista muito longa com muitas curvas cegas rápidas, correctores altos e uma longa recta. Precisamos de um carro muito bom para fazer frente a todos estes desafios", começou por explicar Tiago Monteiro.
  3. Em termos de resultado final: "O circuito é tão atípico que não sei bem o que esperar. É a pista mais difícil e incrível que conheço. E representa para qualquer piloto um enorme desafio. O acidente do ano passado em nada vai afectar o meu foco nem amedrontar a minha prestação. Venha o que vier em termos de resultado final sei que o que for será melhor que o ano passado e se aliado a isso juntarmos um resultado que permitia manter a liderança do Campeonato, tanto melhor", concluiu.
  4. As corridas terão transmissão em directo no Eurosport no sábado pelas 10.15 e 11.15h.

 

RODRIGO GALLEGO ALVO DE HOMENAGEM

 

Rodrigo Gallego Homenageado em Imola no Minardi Day. Foi o único antigo piloto da Minardi a receber um prémio das mãos de Giancarlo Minardi por ter sido o único piloto a conseguir um titulo mundial para a escuderia de Faenza. Estiveram também presentes outros antigos pilotos da Minardi como Pierluigi Martini, Alexandro Nanini, Roberto Moreno. Devido à importância do evento ainda estiveram presentes ministros do Governo de Itália e Generais .rod1 Copyrod2 Copyrod3 Copyrod4 Copyrod5 Copyrod6 Copyrod6 Copyrod8 Copyrod9 Copyrod10 Copyrod11 Copyrod12 Copy

 

RODOLFO ÁVILA COMEÇA BEM

  1. Ávila sobe ao pódio no Campeonato Chinês de Carros de Turismo

 

Rodolfo Ávila subiu ao pódio na prova de abertura do Campeonato da China de Carros de Turismo (CTCC) no Circuito Internacional de Zhuhai, na República Popular da China.

O fim-de-semana até nem começou da melhor forma para o piloto português de Macau. Na qualificação de sábado, onde Ávila teve o primeiro contacto com o VW Lamando GTS em piso molhado, o piloto do carro nº9 fez o nono melhor tempo, um resultado aqué...m das suas ambições e que poderia ter condicionado o resultado do fim-de-semana devido ao andamento muito equilibrado existente entre as viaturas participantes.

Contudo, Ávila não desanimou e entrou disposto em mudar a sua sorte na primeira corrida, disputada na manhã deste domingo, e que foi disputada com o asfalto seco.

“Fiz bom arranque e o comportamento do carro estava bom, o que me deu confiança para conduzir nos limites logo de início. Depois fui mantendo o ritmo forte e as ultrapassagens foram-se sucedendo com naturalidade”, explicou Ávila que, em apenas 11 voltas, foi o 9º lugar até à 3ª posição final.

A grelha de partida da segunda corrida do CTCC é este ano determinada pela classificação inversa dos doze primeiros classificados da primeira corrida, o que daria a Ávila o 10º posto para o arranque da segunda corrida. Todavia, Ávila foi obrigado a arrancar do 13º lugar da grelha de partida, pois recebeu uma penalização de três posições por uma alegada manobra perigosa na primeira corrida.
Pela segunda vez no mesmo dia, Ávila voltou a realizar uma corrida de recuperação, subindo novamente seis posições durante a corrida, para terminar na 7ª posição.
“Foi um fim-de-semana difícil, mas estou muito satisfeito por ter subido ao pódio e realizado duas boas corridas. Sinto que ainda estou a aprender a conduzir este carro nos limites e que irei progredir ao longo da temporada. Esta prova mostrou também que ainda temos trabalho a fazer no que respeita às afinações do carro, mas o potencial está lá”, concluiu o piloto da SAIC Volkswagen 333 Racing.
O CTCC continua no fim-de-semana de 3 e 4 de Junho, com a visita ao Circuito Internacional de Guangdong, localizado na cidade chinesa de Zhaoqing.

 

ALBUQUERQUE EM MONZA - ELMS

 

Filipe Albuquerque com o resultado possível em Monza

Não foi a melhor das corridas aquela que Filipe Albuquerque viveu hoje em Monza. O piloto português e os seus companheiros de equipa na United Autosport saíram da quarta posição da grelha e estavam expectantes quanto a um bom resultado e na defesa do primeiro lugar do Campeonato. No entanto, desde cedo perceberam que não seria assim tão fácil. E isso acabou por se verificar com o sexto lugar final nas 4h de Monza do European Le Mans Series.

Filipe estava triste mas ao mesmo tempo ciente que foi o melhor resultado que poderiam ter conseguido dadas as circunstâncias: "Ao contrário da qualificação em que o carro estava óptimo em situação de corrida, o Ligier tornou-se muito difícil de pilotar. O compromisso que optámos para a prova não estava, de perto nem de longe, competitivo que permitisse discutir os lugares da frente. Vou uma verdadeira luta", começou por explicar.

Aliada à essa dificuldade houve ainda outros problemas que não deixaram ir mais além: "As decisões que tomámos quando a pista estava toda com bandeiras amarelas também não foram as mais acertadas e fomos perdendo tempo. Quando entrei em pista para o último stint, percebi que ia ter de sobreviver com o carro que tinha nas mãos. Foi o que fiz o tempo todo: remar contra a maré. Não foi no entanto uma corrida perdida porque aprendemos muito, sobretudo o caminho que não devemos seguir. Agora é focar na próxima", disse.

E a próxima prova acontece a 23 de Julho em Red Bull Ring na Áustria.

.AQ38 Copy

 

ELMS - FILIPE ALBUQUERQUE EM MONZA

 

Filipe Albuquerque sai de quarto para as 4h de Monza

Filipe Albuquerque assegurou ao início da tarde de hoje o quarto lugar da grelha para as 4h de Monza, segunda prova do European Le Mans Series, Campeonato que o piloto português e os seus companheiros de equipa Will Owen e Hugo de Sadeleer na United Autosports lideram depois da brilhante vitória na jornada inaugural em Silverstone.

O quarto lugar nos cronometrados a escassos 0,346 segundos do mais rápido é demonstrativo da competitividade do Campeonato, razão pela qual Albuquerque mostra satisfação pelo trabalho que fez em pista: "Estamos todos tão próximos e rápidos que a 'pole' podia calhar a qualquer um. Faltou-nos um bocadinho de velocidade de ponta, mas o quarto lugar numa corrida de quatro horas não é dramático, sobretudo porque temos consciência que o Ligier está fantástico e que vai ter um excelente desempenho na corrida", começou por explicar.

Ainda assim, Filipe sabe que o resultado vai ser discutido até ao final: "É importante conseguirmos manter um andamento constante e rápido até ao fim da corrida. Com o nível que todos estão não podemos ceder espaço nem cometer qualquer erro. O nosso objectivo é garantir um lugar no pódio e ficar à frente dos nossos mais directos adversários nas contas do campeonato. Ficava satisfeito assim, mas claro que vencer tem sempre outro sabor. Vamos ver o que a corrida nos reserva", rematou Albuquerque entusiasmado com mais esta jornada do ELMS.

A corrida arranca pelas 12.30h, horas portuguesas e poderá ser acompanhada no site do Campeonato em: http://www.europeanlemansseries.com/en/ ou a partir das 19.30h em diferido no Motors Tv.AQ31 CopyAQ32 Copy

 

PARENTE IMPRESSIONA

 

Álvaro Parente impressiona em Silverstone

 

Álvaro Parente esteve uma vez mais em destaque no mundo dos GT’s e, hoje, na prova de Silverstone do Blancpain Endurance Cup, realizou uma prestação notável que permitiu ao McLaren 650S que divide com Oliver Webb e Lewis Williamson terminar no oitavo posto.

O carro de Woking arrancou para a prova de três horas do quadragésimo segundo lugar da grelha de partida, tendo sido o piloto de Manchester a efectuar o primeiro turno, mas foi quando o português assumiu os comandos da máquina com o dorsal quarenta e dois que este realmente começou a escalar na classificação.

Álvaro Parente, com um andamento avassalador, carregou o McLaren 650S preto desde para lá dos trinta primeiros até ao décimo posto, posição em que entregou o carro a Lewis Williamson, que depois, com um bom turno conseguiu subir a oitavo. “Tinha que atacar ao máximo se quiséssemos subir posições e foi isso que fiz. Realizei um stint em ritmo de qualificação, fiz muitas ultrapassagens e consegui ganhar muitas posições. O Lewis efectuou também um bom ritmo e terminámos num bom oitavo lugar, se olharmos para de onde viemos”, sublinhou o piloto da McLaren GT.

Após a corrida de hoje, o português faz um balando positivo ao seu regresso episódico à Blancpain Endurance Cup. “Gostei de regressar a esta competição, é muito competitiva e tem uma postura mais de endurance, muito embora todas as voltas sejam realizadas a fundo. Penso que o resultado é muito positivo, uma vez que a qualificação não nos correu bem e começámos muito atrás. Agora espero que o Nick (Leventis) possa recuperar rapidamente e ocupar o seu lugar”, concluiu Álvaro Parente.

O piloto oficial da McLaren GT não para e no próximo fim-de-semana terá mais uma ronda do Pirelli World Challenge, tendo o Canadian Tire Motorsport Park, antigo Mosport, como palco.AQ20 Copy

 

FÁBIO MOTA NA HUNGRIA

 

Fábio Mota – um fim-de-semana para o futuro

 

As corridas de Hungaroring não foram fáceis para Fábio Mota, que este fim-de-semana disputou a segunda ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo de 2017, não sendo o sétimo lugar obtido na primeira prova reflexo do ritmo competitivo que evidenciou.

O português demonstrou ao longo de todo o fim-de-semana um andamento muito forte, como demonstra os resultados dos treinos-livres e só o facto de lhe terem apagado a sua melhor volta da qualificação o atirou do quarto posto para o oitavo da grelha de partida.

Ainda assim, o piloto de Gaia estava determinado em recuperar e assegurar bons resultados nas corridas de hoje, mas o arranque para a primeira não lhe correu da melhor forma, tendo caído para o décimo segundo posto.

Fábio Mota não baixou os braços e, fazendo o uso do seu bom ritmo competitivo, rapidamente iniciou uma recuperação, envolvendo-se na luta pelos lugares dos pontos. Depois de inúmeras ultrapassagens, o português acabaria por cruzar a linha de meta na sétima posicão, o que lhe garantia o segundo posto na grelha de partida para a segunda prova do programa.

O piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech tinha como objectivo bater-se pelo triunfo, dado partir da primeira linha, mas mais uma vez o launch control do seu carro não lhe conferiu qualquer vantagem e quase foi engolido pelo pelotão durante o arranque.

Ainda assim, o Fábio Mota estava no quarto posto na luta pelos lugares do pódio, estando perfeitamente ao seu alcance terminar entre os três primeiros. No entanto, após três passagens pela meta um dos amortecedores partiu-se, obrigando-o a rumar às boxes, onde perdeu quatro voltas.

O piloto da Lein Racing, que tem assistência técnica da Lema Racing, ainda voltou à pista, mas apenas com o intuito de encarar a restante corrida como uma sessão de testes. “Os arranques foram determinantes para os resultados de hoje. O launch control nunca funcionou da melhor forma e perdi muitos lugares. Na primeira corrida ainda consegui recuperar até sétimo, o que me deixava numa boa posição para discutir o triunfo na segunda. Mas uma vez mais, a partida não correu bem e, depois, tive que abandonar com um amortecedor partido quando estava na luta pelas posições do pódio”, afirmou o português.

Apesar de todas as contrariedades que teve que enfrentar em Hungaroring, Fábio Mota considera que que a prova magiar da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC representa um passo em frente para a sua temporada. “Em Monza não estávamos competitivos, mas todos na equipa trabalhámos bem para ultrapassar as dificuldades que sentimos em Itália e chegámos à Hungria com um bom andamento que nos permitiu estar na luta pelas posições que ambicionamos. Agora, temos que trabalhar para termos um fim-de-semana perfeito na Alemanha e conseguirmos as classificações que estão ao nosso alcance”, frisou o piloto português.

A próxima ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo disputa-se nos próximos dias 25/27 de Maio no dantesco circuito de Nurburgring – Nordschleife.AQ19 Copy

 

RALI DAS CANARIAS

 

Bruno Magalhães com espectacular segundo lugar No final do primeiro dia do Rally Islas Canárias
 
Bruno e Hugo Magalhães partiram para a Grand Canária com o objectivo de defender a liderança do Campeonato da Europa de Ralis, no Rally Islas Canárias. Após o primeiro dia de prova e seis classificativas disputadas a dupla do Skoda Fabia R5 da ARC Sport é segunda classificada e com fortes aspirações ao primeiro lugar.
 
Bruno que está ao volante pela primeira vez deste Skoda sabia que teria de ajustar o carro ao longo das classificativas, já que os quilómetros percorridos em teste não foram suficientes. O que o piloto português não estava à espera era que essa evolução fosse de tal forma significativa que lhe permitisse impor, classificativa após classificativa, um melhor ritmo e terminar o dia no segundo lugar depois de ter arrancado em nono a apenas 25,7 segundos do líder.
 
"Estou realmente contente com o trabalho que fizemos hoje. Mais uma vez não estávamos à espera de conseguir impor um ritmo tão forte e de terminar o dia em segundo. Foi um dia espectacular, provavelmente o meu melhor dia em provas no estrangeiro. A confiança no carro, na equipa e no trabalho do meu navegador foi tal, que me permitiu andar rápido e lutar pelas melhores posições. Sentimento de dever cumprido", começou por explicar.
 
Amanhã Bruno e Hugo Magalhães terão pela frente mais seis classificativas e apesar da confiança sabem que não será tarefa fácil: "Os troços de amanhã são idênticos aos do ano passado. A maioria dos pilotos já os conhece e eu vou às escuras. É uma desvantagem mas vou tentar compensar isso com um ritmo constante e esperar para ver. Não vou baixar os braços e vou lutar pelo objectivo que aqui me trouxe: manter o primeiro lugar no Europeu", explicou.
 
O resumo do dia de hoje poderá ser visto mais logo no Eurosport 1 pelas 23h. O live timing pode ser acompanhado em www.fiaerc.com

 

ALBUQUERQUE NAS 24 HORAS DE LE MANS

 

Filipe Albuquerque nas 24h de Le Mans com a United Autosports

Filipe Albuquerque vai alinhar pelo quarto ano consecutivo nas 24h de Le Mans previstas para aos dias 17 e 18 de Junho. O piloto português estará ao volante do Ligier da United Motorsports dividindo, como habitual este ano, a condução com Will Owen e Hugo de Sadeleer.

A participação na mais emblemática prova de endurance será a segunda que faz ao volante de um LMP2 depois de duas outras em LMP1. Apesar de em todas as edições ter estado em plano de evidência, por uma ou outra razão, os resultados finais nem sempre espelharem a performance. Filipe espera por isso conseguir contrariar esses mesmos resultados sabendo de antemão que vai partilhar o seu protótipo com dois estreantes na prova.

"Estou muito contente por poder voltar a Le Mans. Como todos sabem é uma corrida muito especial onde todos os pilotos querem estar. Este ano vai ser ainda mais especiais devido ao facto dos LMP2 estarem bem mais rápido. Estou curioso por perceber quais serão os tempos por volta e de viver novamente tudo o que as 24h de Le Mans envolvem", começou por explicar Albuquerque.

Apesar dos seus companheiros de equipa serem estreantes na prova, Filipe não considera isso um grande problema: "Não estamos a disputar o mundial por isso não há a pressão do resultado final. Para além disso vamos correr em Monza, o melhor circuito para preparar Le Mans. Há o factor noite que é sempre decisivo e que requer algumas cautelas mas o Hugo e o Will saberão como contornar esse 'handicap'. Estou certo que modo geral vamos fazer uma boa corrida. Em termos pessoais gostava de finalmente terminar nos lugares do pódio. Nas três participações anteriores houve sempre alguma coisa a impossibilitar, espero que este ano não e que possa finalmente festejar", rematou.

As 24h de Le Mans arrancam no sábado 17 de Junho. Todas as informações da prova em: http://www.lemans.org/en/24-hours-of-le-mans

 AQ11 CopyAQ12 Copy

 

WTCC 2017 - TIAGO MONTEIRO

 

WTCC 2017

 

TIAGO MONTEIRO EXPLICA A RAZAO

 

Tiago Monteiro continua a somar sucessos no WTCC. Desta vez foi na Hungria que o piloto português subiu ao lugar mais alto do pódio na corrida 1 depois de ter assumido o comando da prova desde o arranque. Na segunda corrida a sair de nono, o piloto da Honda cruzou a linha de meta no quinto lugar e consolida a liderança do Mundial assumindo-se como favorito ao título.

Apesar do Honda Civic não ter, por qualquer razão, demons...trado a performance das corridas anteriores, a realidade é que Tiago conseguiu jogar a seu favor com a inversão da grelha de partida e a sair de segundo, fazendo um bom arranque e ficando na frente até à bandeira xadrez: "Sabia que a partida seria fundamental. Correu bem e fiquei na frente, no entanto foi uma corrida dura porque estive sempre a ser pressionado e não pude baixar o ritmo sob pena de ser ultrapassado. Foi uma corrida a olhar para a frente mas sempre com os olhos nos retrovisores. Foi cansativo mas valeu pelo excelente resultado", explicou.

Na segunda prova a sair de nono da grelha, Tiago procurou evitar as habituais confusões de estar no meio do pelotão e somar o maior número de pontos possíveis: "Fui cauteloso, não corri riscos e somei bons pontos para o Campeonato. É importante continuar a somar vitórias e pódios mas sobretudo não desperdiçar um único ponto. Acho que estamos no caminho certo para atingir a meta a que nos propusemos no início da temporada: lutar pelo ceptro", rematou.

Assim, Tiago parte para a quarta prova do Campeonato, uma das mais duras da época no Nordschleife no próximo fim-de-semana de 25 a 27 de Maio, confortavelmente na liderança.

 

ULTIMA HORA - FÁBIO MOTA - ETCC HUNGRIA

ULTIMA HORA

 

8H30M DE HOJE

 

ETCC - HUNGRIA

 

FÁBIO MOTA PARTE DA 1º LINHA PARA A SEGUNDA CORRIDA

 

Acabou ha 1 minuto a primeira prova do ETCC na HUngira, com a vitória dum Honda Civic, na qual o piloto de Vila Nova de Gaia, Fábio Mota cortaria a linha de chegada na 8ª posição e com isso para além de arrecadar um ponto no Campeonato, vai partir da linha da frente, na segunda corirda, que terá lugar dentro de meia hora.

 

Depois de todo o dia de ontem, Portugal, está de novo em foco, no plano desportivo

 

ETCC MOTA AINDA EM MONZA

 

Fim-de-semana de dificuldades para Fábio Mota

 

A primeira ronda deste ano do ETCC não foi fácil para Fábio Mota, tendo diversas dificuldades ao longo do fim-de-semana o impedido de ir além de um oitavo lugar na segunda corrida de Monza.

O português sentiu inúmeras contrariedades com o seu carro desde os primeiros momentos em que entrou em pista, tendo durante todo evento problemas de afinação no seu automóvel o impedido de imprimir o ritmo que desejava.

Na qualificação Fábio Mota esforçou-se ao máximo para espremer todo o potencial do seu SEAT Leon, acabando por assegurar o oitavo lugar na grelha de partida, o que ainda assim lhe abria boas perspectivas para prova de hoje.

Ao longo da primeira corrida, o piloto de Vila Nova de Gaia envolveu-se em inúmeras lutas, rodando no oitavo posto, o que lhe daria a pole-position para a segunda corrida, no entanto, uma penalização, por ter alinhando na grelha de partida ligeiramente fora do seu lugar, valeu-lhe uma penalização de cinco segundos, o que num campeonato tão competitivo o atirou para o nono posto final.

A arrancar da nona posição para a segunda prova do programa, Fábio Mota tinha como objectivo recuperar e marcar os seus primeiros pontos, envolvendo-se, uma vez mais, em inúmeras batalhas por posições assim que as luzes dos semáforos se apagaram.

Contudo, nova penalização, desta feita uma drive-through devido à ultrapassagem dos limites da pista, voltou a atrasar o piloto português. Ainda assim, viria a cortar a linha de meta no oitavo lugar, assegurando o seu primeiro ponto da campanha. “Foi um fim-de-semana difícil! Nunca conseguimos encontrar o equilíbrio correcto para o carro e numa pista como a de Monza, em que a velocidade de saída das curvas determina velocidade de ponta nas enormes rectas, foi muito comprometedor. Para além disso, eu cometi alguns pequenos erros que se traduziram em penalizações. Não foi o início que desejávamos, mas o oitavo lugar na segunda prova acaba por ser um mal menor”, afirmou Fábio Mota.

Após a primeira ronda da temporada da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, o piloto de Vila Nova de Gaia está já centrado na próxima etapa, que se realiza em Hungaroring, estando apostado, juntamente com a Lein Racing e com a Lema Racing, em melhorar substancialmente a performance do SEAT Leon. “Claramente, não estamos onde queríamos estar. Tivemos uma reunião muito proveitosa entre todos os elementos da equipa e vamos trabalhar afincadamente para incrementarmos a nossa competitividade. O campeonato está muito competitivo, mas acredito que, se conseguirmos evoluir, vamos poder lutar pelas melhores posições”, concluiu o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A próxima ronda da competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA – WTCC disputa-se em Hungaroring entre os dias 12 e 14 de Maio.

 

FÁBIO MOTA NA HUNGRIA - ETCC

 

  1. Resultado não espelha ritmo de Fábio Mota

  2.  

    Fábio Mota evidenciou em Hungaroring um ritmo muito competitivo, registando a quarta melhor volta da qualificação para a primeira corrida da ronda Húngara da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo, mas uma penalização atirou-o para o nono posto final.

    O português mostrou-se a um elevado nível competitivo desde que chegou ao traçado magiar, tendo na primeira sessão de testes oficiais, realizada ontem, assegurado o quarto crono num circ...uito que desconhecia completamente.

    As boas indicações de Fábio Mota prosseguiram na segunda bateria de testes ao assinar a melhor marca numa pista que apresentava dificuldades acrescidas devido à chuva que resolveu marcar presença na tarde de sexta-feira.

    Hoje, a boa forma do piloto do piloto da Lein Racing, que conta com apoio técnico da Lema Racing, prosseguiu, garantindo nos treinos-livres o terceiro crono, o que lhe abria boas perspectivas para a qualificação desta tarde.

    O português esteve envolvido na luta pelos cinco primeiros lugares na grelha de partida da corrida de amanhã, tendo assinado o quarto registo, mas os comissários desportivos consideraram que ganhou vantagem, ao ultrapassar os limites da pista e, num plantel tão competitivo, acabou por cair para o nono posto quando lhe tiraram o seu melhor registo. “Temos estado competitivos ao longo de todo o fim-de-semana, como demonstram os tempos que tenho vindo a efectuar e estava seguro de que poderia assegurar um lugar nas duas primeiras linhas. Na verdade, até fiz o quarto tempo na qualificação, mas nessa volta, passei com a roda traseira/direita por fora da pista e apagaram-me aquele que foi o meu melhor tempo. É desapontante, mas o mais importante é que estamos com um ritmo competitivo”, afirmou Fábio Mota, que defende as cores da Lein Racing, cuja área técnia está a cargo da Lema Racing.

    Amanhã, serão disputadas as corridas, ambas com a extensão de doze voltas, e o português está apostado em recuperar e alcançar os resultados que o seu ritmo demonstra estarem ao seu alcance. “A qualificação não correu da melhor forma, mas uma vez mais mostrámos que estamos competitivos e amanhã temos duas provas para voltar a provar isso mesmo. Vamos atacar e procurar ganhar posições para poderemos terminar o fim-de-semana com duas boas classificações”, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

    A primeira corrida de amanhã terá o seu início às 8h00, Hora de Lisboa, e a segunda às 9h05, podendo ambas ser seguidas em directo no canal Eurosport 2.

 

 

BRUNO MAGALHAES NAS CANÁRIAS

 

Bruno Magalhães ambicioso para o Rally Islas Canárias
Bruno e Hugo Magalhães já estão nas Canárias onde vão disputar a segunda prova do Campeonato da Europa de Ralis, o Rally Islas Canárias. A dupla lusa lidera o Campeonato Europeu depois da brilhante vitória nos Açores e espera, conseguir manter essa posição no final da prova espanhola.
Ao volante do novo Skoda Fabia R5 da ARC Sport o piloto lisboeta sente-se preparado para enfrentar os pisos de asfalto da ilha depois dos testes realizados ontem: “Não fizemos tantos quilómetros como desejaríamos, mas os 50 efectuados foram importantes para ajustar, pelo menos, parcialmente, o carro. A prova é muito específica e os troços muito particulares e abrasivos pelo que será necessário continuar a evoluir e ajustar a máquina ao meu gosto ao longo do próprio rali”, começou por explicar Bruno Magalhães.
A participação no Rally Islas Canárias surpreendeu Bruno Magalhães mas surge na aposta dos seus patrocinadores em permitir que o piloto luso continue na luta pela primeira posição nas contas do Europeu de Ralis: “Não estava à espera de participar e foi uma correria conseguir ter tudo pronto a tempo. Isso devo-o ao apoio dos meus patrocinadores, mas também, a todo o esforço da equipa que foi incansável. Mas, agora que já cá estamos, queremos fazer o melhor. É uma prova que conheço e gosto mas que vai ser dura, não só pelas suas características mas também pelo número de pilotos participantes: os que disputam o Europeu mas também pilotos locais que conhecem bem o figurino. O importante é que estamos motivados e determinados para defender a liderança”, rematou o piloto de Lisboa.
O Rally Islas Canárias vai para a estrada de 4 a 6 de Maio. O desenrolar da prova pode ser acompanhado em http://www.rallyislascanarias.com/index.php?lang=en ou www.fiaerc.comAC48 Copy

 

FÁBIO MOTA NA HUNGRIA

 

Fábio Mota determinado para Hungaroring

 

Fábio Mota prossegue no próximo fim-de-semana a temporada da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, desta feita em Hungaroring, onde fará parte da ronda húngara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC.

O português realiza este ano a sua segunda época da competição que se assume como a antecâmara do WTCC e, depois de uma primeira etapa em Monza em que pontuou, apesar de inúmeras dificuldades, pretende na pista magiar ter uma fim-de-semana com menos contrariedades que lhe permita evidenciar o seu potencial.

“O ETCC está este ano ainda mais forte e na pista italiana tivemos alguns problemas ao nível do equilíbrio do chassis que condicionaram o nosso fim-de-semana. Temos vindo a trabalhar para superar essas dificuldades e esperamos em Hungaroring ter o carro fiável e competitivo”, afirmou Fábio Mota com determinação.

O traçado de húngaro, de 4,381 quilómetros e catorze curvas, é o palco do Grande Prémio da Hungria de Fórmula 1, para lá da ronda magiar do WTCC, mas é completamente desconhecido para o piloto português que terá que se ambientar à pista situada a vinte quilómetros do centro de Budapeste. “Não é uma situação inédita para mim, uma vez que no ano passado quase todos os circuitos eram novos para mim. Vou ter que aprender a pista na sexta-feira para poder estar competitivo logo na qualificação de sábado. Penso que, o mais importante, será ter o carro num nível competitivo e o resto virá com naturalidade. Vamos trabalhar para estarmos nas lutas pelas posições da frente”, garantiu o piloto pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

A qualificação será disputada no sábado, às 14h45, ao passo que as corridas, ambas transmitidas em directo no Eurosport 2, serão realizadas no domingo, 8h00 e 9h05.AC46 Copy

 

RAMOS EM MONZA

Ramos, Leo e Abra com muito azar em Monza.

 

Acidente logo na partida da prova, provocou danos no Lamborghini #78 que obrigou à desistência.

A prova de Monza não correu de feição à equipa do Lamborghini #78 da Barwell Motorsport pois partindo do 44º lugar da grelha, ficou sujeita às contingências da carambola ocorrida no arranque, provocando a desistência.

Na Q3 desta manha Richard Abra classificou o Lambo #78 no 44º lugar numa grelha que viu os primeiros 32 carros no mesmo segundo. Este detalhe é sintomático quanto à competitividade deste Campeonato. Logo na partida e sem ser preciso chegar à primeira chicane, um acidente com vários carros envolvidos, provocou a interrupção da corrida. O Lamborghini #78 não foi capaz de evitar esse acidente, mais ainda conseguiu vir até à boxe para tentar reparar os estragos. De qualquer modo a ideia de voltar à corrida estava irremediavelmente condicionada, pois os danos eram irrecuperáveis e a desistência obrigatória..

“A qualificação desta manhã foi muito disputada como prova o pormenor de 32 carros estarem no mesmo segundo. Na partida nem conseguimos fazer a primeira curva, pois um acidente em cadeia fez com que o Leo não conseguisse evitar um choque, danificando bastante a frente do carro. Ainda conseguiu trazer o carro até à boxe para a equipa tentar recuperar, mas a nossa corrida estava estragada pois o carro estava em más condições, o que nos obrigou à desistência”, comentou Miguel Ramos.

A próxima prova da Blancpain Endurance Cup terá lugar a 13 e 14 de Maio em Silverstone (Inglaterra)

Calendário 2017

 

  1. o Monza
  2. o
  3. o Silverstone
  4. o Circuit Paul Ricard 1000kmsPaul Ricard (França) 23 - 24 Junho

Total 24 Hours of Spa Total 24 Hours of Spa (Bélgica) 27 - 30 Julho

  1. o

 

FILIPE BARREIROS ABANDONA OPEN GT

Filipe Barreiros não voltará a alinhar no GT Open esta época

 

 

Tal como estava previsto, Filipe Barreiros iria à semelhança das duas épocas anteriores disputar o International GT Open na categoria AM. No entanto, por falta de companheiro de equipa, o piloto da FBO Motors dá por concluída a sua participação depois da prova do Estoril. A Teo Martin proprietária do BMW M6 ainda não conseguiu garantir um segundo piloto para o resto da época, depois do acidente de moto de José Ibane...z, a primeira escolha da equipa para o lugar, o estar a impossibilitar de alinhar.
Filipe Barreiros lamenta o sucedido: “Não é a melhor altura para isto acontecer uma vez que a grande maioria dos projectos desportivos já estão encerrados. A Teo Martin fez de tudo para assegurar um outro piloto competitivo que me permitisse, tal como era minha intenção, lutar pelo título na categoria. Mas infelizmente, não conseguiu. Lamento porque com o BMW M6 tenho a certeza que ia ser uma época muito renhida e disputada”, começou por dizer.
Assim, resta a Filipe Barreiros esperar por convites que possam eventualmente aparecer: “Para fazer corridas pontuais. Não era o meu plano para este ano, mas nesta fase é a alternativa que resta. Vamos ver se aparece algo interessante”¸ rematou o piloto português que tem nos últimos anos somado sucessos a nível internacional.

 

WTCC 2017 - TIAGO MONTEIRO

 

WTCC 2017 - HUNGRIA

 

 

  1. Tiago Monteiro entusiasmado para as corridas na Hungria

 

O terceiro fim-de-semana de competição do WTCC acontece já este fim-de-semana de 13 e 14 de Maio com Tiago Monteiro a defender na Hungria o primeiro lugar nas contas do Campeonato. O piloto português está por isso determinado em continuar a senda de bons resultados e manter-se na liderança do Campeonato.

Depois dos dois pódios conseguidos em Monza onde pensava ser uma tarefa difícil de realizar, a Hungria parece a Tiago ...um circuito onde as possibilidades de sucesso são muito maiores: "Mas apesar de ser uma pista que se ajusta muito melhor às configurações do Honda Civic, também sabemos que os 80 kg de lastro não vão jogar a nosso favor. Teremos por isso de desde cedo traçar a melhor estratégia e encontrar a melhor forma de minimizar em pista esse handicap", começou por explicar.


Uma jornada importante para a qual Tiago Monteiro se está a preparar afincadamente: "Nenhum detalhe pode ser descurado. Apesar de estarmos na frente do Campeonato, de sabermos que temos um bom carro e um bom ritmo, temos de assegurar que não desperdiçamos pontos, independentemente de ainda estarmos no início da temporada. Tanto eu como a equipa estamos a trabalhar arduamente para que tudo funcione na perfeição para que consigamos continuar a somar pódios e quem sabe vitórias. É essa a minha meta para esta e todas as outras provas", referiu Tiago Monteiro.

Assim, para primeiro confronto Tiago efectuará a sessão de qualificação que terá lugar pelas 13h de sábado com transmissão no Eurosport 2. As corrida serão no domingo pelas 11.30h e 12.30h.

 

ETCC 2017

 

ETCC 2017

 

  1. Fábio Mota determinado para Hungaroring

 

Fábio Mota prossegue no próximo fim-de-semana a temporada da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, desta feita em Hungaroring, onde fará parte da ronda húngara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo – WTCC.

O português realiza este ano a sua segunda época da competição que se assume como a antecâmara do WTCC e, depois de uma primeira etapa em Monza em que pontuou, apesar de inúmeras dificuldades, pretende na pista magi...ar ter uma fim-de-semana com menos contrariedades que lhe permita evidenciar o seu potencial.

“O ETCC está este ano ainda mais forte e na pista italiana tivemos alguns problemas ao nível do equilíbrio do chassis que condicionaram o nosso fim-de-semana. Temos vindo a trabalhar para superar essas dificuldades e esperamos em Hungaroring ter o carro fiável e competitivo”, afirmou Fábio Mota com determinação.

O traçado de húngaro, de 4,381 quilómetros e catorze curvas, é o palco do Grande Prémio da Hungria de Fórmula 1, para lá da ronda magiar do WTCC, mas é completamente desconhecido para o piloto português que terá que se ambientar à pista situada a vinte quilómetros do centro de Budapeste. “Não é uma situação inédita para mim, uma vez que no ano passado quase todos os circuitos eram novos para mim. Vou ter que aprender a pista na sexta-feira para poder estar competitivo logo na qualificação de sábado. Penso que, o mais importante, será ter o carro num nível competitivo e o resto virá com naturalidade. Vamos trabalhar para estarmos nas lutas pelas posições da frente”, garantiu o piloto pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

 

A qualificação será disputada no sábado, às 14h45, ao passo que as corridas, ambas transmitidas em directo no Eurosport 2, serão realizadas no domingo, 8h00 e 9h05.

 

JACINTO PARTICIPA EM CO -DRIVE

 

 

Elisabete Jacinto participa em Co-Drive no Autódromo do Algarve

 

 

 

 

Recentemente regressada de Marrocos, onde competiu no Morocco Desert Challenge, Elisabete Jacinto vai estar amanhã no Autódromo Internacional do Algarve, em Portimão, para realizar uma experiência de co-drive.

Desta feita, a piloto vai proporcionar aos participantes de uma iniciativa organizado pela Volkswagen Financial Services as emoções de circular no MAN TGS de competição que alcançou, em Marrocos, o terceiro lugar da sua categoria.

Além de Elisabete Jacinto juntam-se nesta acção mais dois pilotos, Manuel Gião e Pedro Meireles que vão realizar experiências em pista e em rali. Elisabete Jacinto e Pedro Meireles vão cumprir um percurso Off-Road enquanto Manuel Gião vai utilizar a pista principal do Autódromo Internacional do Algarve para proporcionar um dia cheio de emoções fortes.

 

A COLECÇÃO DE CAPACETES

 

A COLECÇÃO DE CAPACETES DE FILIPE ALBUQUERQUE

 

 

  1. Eis a colecção de capacetes de Filipe Albuquerque que fica bem a decorar qualquer casa. Um bocado de história do piloto de Coimbra quase sempre ao serviço da Audi.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

 

  1. RODOLFO ÁVILA NOCTCC a SAIC VW.

  2.  

  3. Mais um campeonato para seguir com atenção.

  4.  

    Rodolfo Ávila aceitou o convite da SAIC Volkswagen 333 Racing para disputar a temporada completa do Campeonato Chinês de Carros de Turismo (CTCC) que arranca já este fim-de-semana no Circuito Internacional de Zhuhai, República Popular da China.

    O piloto português de Macau participou em duas provas do CTCC na temporada transacta, mas em ambas as provas viu os seus resultados condicionados por problema...s técnicos no Volkswagen Lamando GTS. Porém, o andamento e empenho de Ávila não passaram despercebidos à equipa que este ano espera contar com ele na luta pelo título de pilotos e construtores no campeonato de automobilismo mais popular da República Popular da China.

    “Quero agradecer à SAIC Volkswagen 333 Racing por me ter dado esta oportunidade, que é também o reconhecimento do trabalho que fiz nas duas provas do CTCC em que participei a temporada passada”, afirmou Ávila.

    No defeso a equipa trocou a sua base de operações de Xangai para Zhaoqing e ao mesmo tempo aproveitou a paragem de Inverno para evoluir o carro da classe “Super Cup 2.0L” introduzido na pretérita temporada.

    “A equipa sofreu uma reestruturação a nível técnico e essa foi uma das razões para eu ter aceite este convite. O carro também sofreu algumas evoluções, principalmente a nível de motor e aerodinâmica. Já tive a oportunidade de testar o Lamando GTS na sua última especificação, no circuito de Guangdong, e as melhorias em termos de fiabilidade e performance são notórias”, explicou o piloto do VW Lamando GTS nº20.

    Quanto aos objectivos para a temporada, Ávila é comedido nas expectativas, dado que a equipa esta temporada ainda não mediu forças com a oposição em condições iguais.

    “Como testamos sempre sozinhos, só iremos saber onde nos posicionaremos face à concorrência depois dos primeiros treinos-livres oficiais. Obviamente que quero lutar pelos lugares cimeiros, mas a prioridade será sempre ajudar a equipa na luta pelos títulos de pilotos e construtores”, conclui.

 

MAIS UMA VITÓRIA PORTUGUESA

24 HORAS FANS

 

No Circuito Ascari. quarenta e quatro equipas amadoras com carros sem homologação, com mais de 20 anos, pneus de estrada. Pura diversão. No final, vitória da única equipa portuguesa presente, a Yatevale Portugal, aos comandos de um Peugeot 309.

 

JACINTO É NOTICIA

 

Elisabete Jacinto participa em co-drive em Marrocos

---
alt

 

Depois de alcançar o terceiro lugar do pódio da competição destinada aos camiões do Rali Morocco Desert Challenge, Elisabete Jacinto partiu em direcção a Marraquexe, em Marrocos, onde a MAN Truck & Bus France em colaboração com a sede da MAN Alemanha está a proporcionar aos clientes da marca alemã, oriundos de vários países da Europa, um contacto com o MAN TGS de competição da equipa Bio-Ritmo®.

A MAN Experience Days, iniciativa idealizada e executada pela MAN Truck & Bus, conta com a participação da piloto portuguesa Elisabete Jacinto que, numa experiência de co-drive, permitiu aos convidados deste evento viver de perto as emoções de circular num camião de competição: “para mim é sempre uma experiência fabulosa proporcionar a quem quiser um percurso no camião. De uma maneira geral as pessoas têm a ideia de que é um veículo que anda muito devagar e ficam muito surpreendidas pela capacidade que este tem para andar muito depressa qualquer que seja o tipo de piso. Apesar das suas quase dez toneladas de peso trepa montanhas a um ritmo impressionante. Têm sido uns dias muito cansativos pois não tivemos oportunidade de descansar a seguir ao rali mas, ao mesmo tempo, muito agradáveis. Temos convivido com pessoas das várias regiões da Europa o que torna a experiência ainda mais enriquecedora”, revelou Elisabete Jacinto.

O evento MAN Experience Days tem como intuito promover e demonstrar a robustez dos veículos de todo-o-terreno da MAN em ambientes extremos.

 

ARC SPORT NAS CANÁRIAS

 

Rally Islas Canarias 2017

 

 

 

ARC SPORT PRESENTE NAS CANÁRIAS

 

PARA BRUNO MAGALHÃES DEFENDER LIDERANÇA DO ERC

 

 

 

ALOÍSÍO MONTEIRO APOSTA NO TROFÉU IBÉRICO DA RENAULT

 

 

 

Líderes do Campeonato da Europa de Ralis, após vitória no Açores, Bruno Magalhães e Hugo Magalhães estão de viagem para as Canárias para voltarem a tripular um Skoda Fabia R5 novo, desta feita em abrasivos e muito seletivos pisos de asfalto.

 

A ARC Sport volta a entregar a Bruno Magalhães um carro totalmente novo, uma vez que o Skoda Fabia R5 que triunfou nos Açores está neste momento na ilha Terceira para disputar o Rali Sical com Tiago Azevedo. E se Bruno Magalhães ficou agradado com a estreia ao volante do carro checo nos Açores, volta a estrear uma nova viatura nas Canárias.

 

A fantástica vitória da ARC Sport e de Bruno Magalhães no Azores Airlines Rallye, prova de abertura do ERC 2017, acabou por abrir novos horizontes.

 

Esta foi uma situação inesperada que me está a fazer muito feliz. Há que aproveitar o momento e fazer o melhor rali possível. Vou estrear mais um carro novo e por isso quero realçar o empenho que todos tiveram para que isso fosse possível. Foi um esforço tremendo por parte de toda a equipa, dos patrocinadores e da própria Skoda. Vou às Canárias para defender a liderança do Campeonato da Europa, num rali que é muito exigente, com pisos de asfalto muito abrasivos. Para além de um vasto lote de concorrentes que estão a disputar o europeu, é preciso ter em conta os pilotos locais que mostram um profundo conhecimento dos troços. Participei no Rali das Canárias em 2010 e 2011, uma prova que gosto bastante, apesar de contar com algumas partes novas. Estamos confiantes” concluiu, com otimismo, Bruno Magalhães.

 

 

 

 

TROFÉU IBÉRICO RENAULT CLIO R3 T É FORTE APOSTA

 

 

Se o atual líder do Campeonato da Europa de Ralis já esteve presente no Rali das Canárias por duas vezes, já Aloísio Monteiro faz a sua estreia absoluta na prova espanhola. Acompanhado por Sancho Eiró, o piloto vai tentar amealhar o maior número de pontos possível para o Troféu Ibérico Renault Clio R3 T.

 

Vamos apostar a 100% no Troféu Ibérico. Estamos em 3º lugar e nesta segunda prova, vamos tentar obter o máximo de pontos possível. Esta é a primeira vez que corro nas Canárias, o que é uma desvantagem perante os pilotos espanhóis, e por isso, estamos a tentar fazer o trabalho de casa bem feito. Pretendemos ir melhorando o nosso andamento ao longo da prova, tentando terminar na melhor classificação possível”, disse, confiante, Aloísio Monteiro.

 

Para a ARC Sport este é mais um desafio europeu. A equipa de Aguiar da Beira está consciente das suas responsabilidades e do grau de dificuldade que irá encontrar nos troços da Gran Canária.

 

Este foi um grande esforço que todos nós fizemos, e a própria Skoda, para que fosse possível arranjar um novo carro para o Bruno. Depois do sucesso da estreia de um Fabia R5 nos pisos de terra dos Açores, vamos agora voltar a estrear outro carro idêntico, mas com especificações de asfalto. O Rali das Canárias é sempre muito exigente, e esta é a primeira vez que o Bruno vai correr em pisos de asfalto com um Skoda Fabia, com o natural pouco tempo para fazer mão ao carro. Ele é um excelente piloto, e com o apoio e dedicação de toda a equipa tudo irá correr bem. Em relação ao Aloísio é precisamente a situação inversa. Ele já conhece o carro, mas nunca esteve no Rali das Canárias. Apesar disso, acho que irá fazer uma prova positiva. Desejo muita sorte aos dois, tendo a certeza que a nossa equipa tudo fará para estar à altura de mais um grande desafio e ajudar o Bruno a defender a liderança do Europeu de Ralis”, afirmou Augusto Ramiro.

 

O Rally Islas Canárias disputa-se entre 4 e 6 de maio e conta com 12 provas especiais de classificação.

 

 

 

 ATT00029 CopyATT00032 Copy

 

FABIO MOTA MOTIVADO

 

Fábio Mota motivado para o início do ETCC

 

É já no próximo fim-de-semana que Fábio Mota iniciará a sua campanha de 2017, com a ronda de Monza da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo ? ETCC, estando o jovem português entusiasmado e pronto para iniciar mais uma temporada extremamente exigente na antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo ? WTCC.

 

Dificilmente a mais importante competição de automóveis de turismo de âmbito europeu poderia ter um melhor cenário que o histórico circuito situado nos arredores de Milão, palco de feitos de pilotos como Tazio Nuvolari, Juan Manuel Fangio, Nelson Piquet, Ayrton Senna ou Michael Schumacher.

 

O traçado transalpino, que foi inaugurado em 15 de Maio de 1922, é uma novidade em competição para Fábio Mota, mas um teste durante a pré-temporada permitiu-lhe ambientar-se ao circuito de 5,793 quilómetros e 11 curvas. ?É fantástico poder correr em Monza. É uma pista que faz parte do imaginário de qualquer adepto de automobilismo e onde qualquer piloto ambiciona correr pelo menos uma vez. Poder competir lá no ETCC é uma oportunidade extraordinária. Fizemos lá um curto teste durante defeso e gostei muito da pista. É um traçado que privilegia a velocidade de ponta e a precisão, é um grande desafio de pilotagem?, afirmou o português.

 

Como tem sido tradicional, a ronda de abertura da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo é concomitante com uma etapa do Campeonato Mundial FIA de Carros de Turismo, que disputa o segundo evento da sua temporada de 2017.

 

Fábio Mota, este ano com um SEAT Leon com todas as actualizações técnicas, está determinado em iniciar bem a época, muito embora saiba que terá um pelotão ainda mais exigente em 2017. ?Acredito que a Lein Racing com o apoio técnico da Lema Racing me colocará nas mãos um carro competitivo para Monza e me dará as condições para me bater por bons resultados. Contudo, o plantel este ano está ainda mais forte que em 2016. Vamos trabalhar desde o primeiro momento para podermos estar imiscuídos pelas melhores posições muito embora saibamos que temos pela frente um grande desafio?, sublinhou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive, NSS e RM Tech.

 

O piloto português entrará em pista na próxima sexta-feira, para duas sessões de testes oficiais, disputando a qualificação no sábado e as duas corridas no domingo, que poderão ser seguidas em directo no canal televisivo Eurosport (Corrida 1 ? 8h00; Corrida 2 ? 10h05).aa8 Copy

 

MONTEIRO NO PÓDIO EM MONZA

MONTEIRO NO PÓDIO EM MONZA

 

Tiago Monteiro termina em terceiro, na primeira corrida  do WTCC em Monza e reforça a liderança no Mundial, tendo agora dezoito pontos de avanço sobre Tom Chilton, vencedor de uma prova plena de emoção. Quem vinha de Marraquexe zangado com o WTCC, já fez as pazes, tenho a certeza absoluta. E agora que venha a vitória de Tiago na segunda corrida.

 

WTCC 2017 - ITÁLIA

WTCC / Monza: Live no Eurosport 1 às 11:00 (corrida de abertura) e 13:00 (corrida principal). Queremos que o sorriso de Tiago Monteiro se mantenha, ele que lidera o Mundial de Pilotos com 11 pontos de vantagem.

 

FABIO MOTA NA PRIMEIRA PESSOA

Hoje foi um dia difícil com alguns problemas de travões. Ainda assim mostrámos um bom ritmo e arrancamos amanhã para a primeira corrida da oitava posição da grelha de partida.
Estamos a realizar algumas modificações no carro e amanhã contamos estar ainda mais competitivos.
Vamos lutar para trazer um bom resultado para Portugal.
A primeira corrida de amanhã disputa-se às 8h00 e pode ser seguida em directo no Eurosport 2. A segunda inicia-se às 9h00 e será transmitida no mesmo ...canal.
Conto com o vosso apoio.


Today it was a hard day with some brake problems. However, we showed a good pace and we will start tomorrow’s first race from eighth from the starting grid.
We are doing some changes in the car and we hope to be even more competitive tomorrow.
We will fight to bring back to Portugal a good result.
Tomorrow’s first race will start at 8h00 (GMT+1) and can be followed live at Eurosport 2.
The second race will start at 9h00 (GMT+1) and can be followed live in the same channel.
I’m looking forward to your support.

 

ALVARO PARENTE SAI DE 9º

  1. Álvaro Parente parte de nono. para a corrida de hoje no VIR às 20:20. Amanhã a segunda prova é as 18:05.

 

JOSÉ RODRIGUES ESTREIA-SE NA TCR ALEMANHA

 

Oschersleben é o primeiro desafio para José Rodrigues no TCR GERMANY em 2017

A tão esperada estreia de José Rodrigues no TCR Germany, ou seja, um Campeonato Alemão de Carros de Turismos.

Vai ter lugar de 28 a 30 de Abril na pista de Oschersleben.

Este será o primeiro desafio para o piloto de Braga que vai encontrar uma realidade completamente diferente da que está habituado aos comandos do seu Honda Civic TCR. Não só pela pista desconhecida que vai enfrentar, mas também pelo extenso pelotão que é esperado neste arranque de temporada, ascendo a 40 viaturas vindas de mais de 12 países.

Decidido a dar mais um passo em frente na sua carreira, depois de excelentes resultados no primeiro ano em que esteve aos comandos de um Honda Civic TCR da JAS Motorsport, onde lutou pelo titulo e pelas vitórias até final, o piloto de Braga e do Sport Lisboa e Benfica, parte mais motivado e esperançado que nunca, sabendo que a tarefa não vai ser fácil, mas está concentrado em chegar aos bons resultados perfeitamente ao seu alcance: “Será logicamente o começo de um grande desafio para mim. Estou ciente das grandes dificuldades que vou encontrar, uma grelha impressionante e, ainda, pelo desconhecimento total do traçado de Oschersleben, onde também não consegui participar nos três dias de testes, que quase todos os pilotos do campeonato realizaram”, avança José Rodrigues, que mesmo assim parte com a motivação em alta para este seu primeiro desafio: “Vou tentar focar-me no meu trabalho e, tentar evoluir ao longo do fim‑de‑semana para então, conseguirmos perceber onde nos vamos situar na minha estreia num dos campeonatos mais competitivos do mundo. Espero poder contar com ajuda da equipa para conseguir estar entre os melhores”.

Quando a objetivos, o piloto da capital do Minho, prefere ser cauteloso, mas com muita ambição: “Não posso definir nenhum objetivo ainda, mas admito que tenho ambição de rodar entre os melhores, e terminar no top 10 na minha estreia seria excelente. Julgo que vou crescer de volta para volta. Portanto quero saber tirar o proveito desta evolução ao longo das corridas. Convido todos a poderem assistir em direto as corridas no ADAC TV STREAM. Mas acima de tudo, estou muito contente por poder participar num campeonato como o ADAC TCR, “concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas , Camac, GEN Motosport e JAS Motorsport.

 

 

 ATT00024 Copy

 

RALI DE MARROCOS

GALERIA DE IMAGENS

 

RALI DE MARROCOS

 

A ODISSEIA DA VITÓRIA DE ELISABETE JACINTO

 

Conjunto de imagens da autoria de Jorge Cunha da Aifa, que retratam os dias de rali vividosE1-JACINTO-FOTOSAIFA CopyE2 CopyE3 CopyE4 CopyE5 CopyE6 CopyE7 CopyE8 CopyE9 CopyE10 CopyE11 CopyE12 CopyE13 CopyE14 CopyE15 CopyE16 CopyE17 CopyE18 CopyE19 CopyE20 Copy por esta equipa portuguesa.

 

Fotos de Jorge Cinha /Aifa - www.velocidadeonline.com

 

RALI DE MARROCOS

 

It’s money time in the Morocco Desert Challenge. After a raging 416 kilometres in stage 6 between Merzouga and Tendrara, everything is wide open in the Car/SSV/Buggy-categorie, as Czech South Racing-driver Tomas Ourednicek is only 7 minutes before Dutch Toyota Hilux-driver Maik Willems. Mammoet-truckdriver Martin Van Den Brink is over 2,5 hours clear of runner-up Gert Huzink and Elisabete Jacinto.

The main dish today was served by GC Bike leader Harite Gabari and runner-up Pedro Bianchi Prata. They set out for a spectacular and highly tactical race.

 

Pedro Bianchi Prata: “This stage started really well for me. I was leading by 14 minutes, but then I lost track. The roadbook wasn’t really precise in my opinion, but then again: Harite Gabari had it right. We started riding together. In order to win this Morocco Desert Challenge, I had to win back time on Gabari. So I started playing it tactically by taking the wrong turn on purpose, hoping he would follow me and eventually get lost. Then I slowed down, forcing him to take the lead and navigate himself, but he knew very well what I was doing. I even stopped to pee, but it didn’t help!”

The Portugese Honda-pilot is rational about it. ‘’That’s the way it goes in rally,’’ he chuckles. “One has to try everything to win. It didn’t work out, I’m still about 15 minutes behind in GC. If Gabari is smart, he just follows me to the finish line tomorrow and brings home the victory.”

 AX3 CopyAX4 CopyAX5 CopyAX6 CopyAX7 CopyAX8 Copy

 

JACINTO NO PÓDIO

 

Elisabete Jacinto sobe ao pódio em Marrocos

---
alt

 

Elisabete Jacinto subiu hoje ao terceiro lugar do pódio da competição destinada aos camiões do Morocco Desert Challenge. A equipa Bio-Ritmo® alcançou os objectivos traçados para esta corrida depois de terminar a sétima e última jornada desta maratona africana, onde conquistou o quarto posto da classificação na sua classe. Os portugueses demoraram 1h19m52s a cumprir os 138 quilómetros cronometrados que compunham a etapa que ligou Tendrara a Oujda tendo terminado a especial com uma diferença de 5m25s para o holandês Martin Van Den Brink,  o grande vencedor da categoria camião desta prova. Para além de três camiões, apenas dois carros foram mais rápidos que Elisabete Jacinto a realizar o traçado de hoje.

O trio português composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho concretizou todo o rali sem problemas a registar e conseguiram vencer duas (a primeira e a penúltima) das sete etapas desta prova. Aliás, a formação lusa permaneceu desde o primeiro dia de competição nas posições cimeiras entre os T4 o que lhe permitiu manter o terceiro posto da classificação geral da sua classe, lugar obtido ao final do segundo dia de corrida.

O sector selectivo desta derradeira especial foi encurtado porque o mau tempo que se fez sentir nos últimos dias deixou algumas zonas impossíveis de transpor. Assim, por razões de segurança a organização da prova optou por anular os últimos 40 quilómetros da etapa. Ainda assim, Elisabete Jacinto fez um balanço positivo desta jornada e mostrou-se bastante satisfeita com o resultado alcançado: “a especial de hoje foi um pouco mais curta. Caiu granizo e choveu durante a noite e havia partes com oueds que estavam cheios de água e era impossível passar. Assim a organização decidiu cortar os últimos quilómetros para que não houvesse problemas. O sector selectivo correu-nos bem. Fomos o segundo veículo a partir para a etapa e fizemos toda a especial sempre a acelerar. Viemos um bocado grande atrás do Renault da equipa 505, mas às tantas eles pararam com um problema e nos passámos para a frente e fomos o segundo camião a chegar ao acampamento. Esta prova  correu bastante bem. O balanço não podia ser mais positivo. Não tivemos problemas a assinalar e estamos muito contentes com o nosso resultado. Já estávamos a precisar de uma corrida assim”, contou Elisabete Jacinto no final da etapa.

A equipa Bio-Ritmo® estará de regresso às competições em Outubro altura em que se irá disputar o Rally Oilibya du Maroc 2017.

 

JACINTO NO PÓDIO

Elisabete Jacinto vence sexta etapa 

---
alt

 

Elisabete Jacinto venceu a sexta e penúltima etapa do Morocco Desert Challenge que se disputou hoje entre Merzouga e Tendrara. A equipa Bio-Ritmo® foi a mais rápida entre os T4 a realizar esta especial composta por 405 quilómetros cronometrados, a mais longa de toda esta competição, e demorou 5h53m11s a cumprir todo o setor selectivo. Os portugueses terminaram com uma vantagem de nove minutos para o holandês Martin Van Den Brink, o actual líder da classe camião, e apenas um carro conseguiu ser mais rápido do que Elisabete Jacinto a completar o percurso de hoje incluindo neste rol a competição destinada às motas.

A formação lusa, composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho reforçou, desta forma, a sua posição à geral mantendo o terceiro lugar dos camiões com uma sólida vantagem de mais de quatro horas para o belga Igor Bouwens que, aos comandos de um IVECO, ocupa neste momento o quarto posto da classe.

Elisabete Jacinto, que soma a sua segunda vitória em etapas neste rali, foi o piloto mais rápido entre os portugueses presentes nesta prova e faz um balanço positivo deste dia: “foi uma etapa muito bonita feita nos planaltos marroquinos. Hoje as pistas eram lisinhas e como não tinham muitos buracos e valas pudemos andar bastante rápido. Hoje saímos em quinto e fomos acelerando o mais possível até que começámos a apanhar os camiões que partiram à nossa frente. A navegação era complicada, mas o Zé Marques nunca se enganou e viemos sempre certinhos até ao fim. Foi um dia excelente. Estamos mesmo muito contentes com esta vitória”, contou Elisabete Jacinto no final da especial.

Chega amanhã ao fim esta edição do Morocco Desert Challenge. A sétima e última etapa desta prova africana será disputada entre Tendrara e Oujda e será composta por 178 quilómetros cronometrados.  Esta especial será mais curta, mas não será mais fácil. Haverá uma grande variedade de percursos que vão alternar entre pistas rápidas, onde os concorrentes poderão acelerar sem qualquer tipo de risco, e trilhos mais lentos com muita pedra, buracos e valas profundas. Apesar de curta, esta especial vai exigir total concentração e uma navegação perfeita. 

 

JACINTO MANTÉM POSIÇÃO

 

Elisabete Jacinto mantém lugar de pódio entre os camiões

---
alt

Elisabete Jacinto reforçou hoje o terceiro lugar da classificação geral dos camiões, posição alcançada ao segundo dia de prova, disputadas que estão cinco das sete etapas que compõe o Morocco Desert Challenge. A equipa Bio-Ritmo® conta agora com uma vantagem de cerca de 1h30m para o belga Igor Bouwens, que ocupa o quarto posto da geral da classe T4, numa fase em que falta apenas cumprir duas etapas desta grande maratona africana. Os portugueses ficam assim mais perto de cumprir com os objectivos traçados no início desta corrida.

O trio composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, demorou 4h18m09s a executar todo o percurso da quinta jornada, que se cumpriu hoje em torno de Merzouga, tendo gasto apenas mais nove minutos que o terceiro classificado da categoria camião. A formação lusa terminou o sector selectivo de 213 quilómetros cronometrados no quinto posto da sua classe.

A especial de hoje foi mais curta que o previsto porque uma forte tempestade de areia, que assolou a região de Erfoud, impediu os pilotos de partirem logo pela manhã. Assim, a organização da prova optou por anular os primeiros 30 quilómetros que seriam feitos no Erg Chebbi. Apesar das dificuldades, inerentes ao percurso e às condições climatéricas em que se realizou o setor seletivo, os portugueses executaram a etapa sem nenhum problema: “houve tempestade de areia durante toda a noite e à hora de partirmos para a especial a tempestade estava tão forte que não havia condições para começar a corrida. Assim, a organização adiou as partidas e a primeira mota só saiu pelo meio-dia. Por este motivo a etapa acabou por ser um pouco mais curta, ou seja, a organização decidiu anular a parte inicial da especial e acabámos por não fazer a travessia do Erg Chebbi. Ainda assim fizemos as dunas do Ouzina e fizemos algumas do Chebbi antes de chegarmos ao acampamento. Foi uma etapa muito bonita, difícil e sinuosa. Apesar dos contratempos correu tudo bem sem nenhum problema a assinalar”, contou a piloto Elisabete Jacinto.

Cumpre-se amanhã a sexta e penúltima etapa do rali Morocco Desert Challenge. Esta especial, que vai ligar Merzouga a Tendrara, será a mais longa de toda esta grande maratona africana. Serão cumpridos 405 quilómetros cronometrados que vão variar entre pistas rápidas, planícies e trilhos de pedras ponteados por valas e buracos fundos.

 

JACINTO LOS LUGARES DA FRENTE

 

Elisabete Jacinto faz segundo na etapa e reforça pódio dos camiões

 

---
alt

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto terminou a quarta etapa do Morocco Desert Challenge, uma exigente jornada composta por muitas passagens de areia e dunas, no segundo lugar da categoria camião. A equipa Bio-Ritmo® demorou 4h40m31s a realizar o sector selectivo de 276 quilómetros cronometrados, que se cumpriu entre Oum Jrane e Merzouga.

O trio português formado por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho terminou a especial que se disputou hoje com uma diferença de cerca de 28 minutos para o holandês Martin Van Den Brink que, aos comandos de um Renault, foi o mais rápido entre os T4 e é actualmente o líder desta categoria.

Elisabete Jacinto avança agora para a quinta etapa desta maratona africana em terceiro lugar da sua classe com uma curta  diferença de 13 minutos para o segundo posto, que é ocupado pelo holandês Gert Huzink, e com uma confortável vantagem de cerca de 50 minutos para o belga Igor Bouwens, que continua a ocupar a quarta posição entre os camiões.

Apesar do percurso desta quarta etapa ter imposto muitas dificuldades a equipa portuguesa conseguiu superar todos os obstáculos: “a etapa de hoje era muito variada, mas foi deveras difícil. A primeira parte do sector era rápido e nós conseguimos fazê-lo bastante bem. A segunda parte foi mais lenta. Atravessámos dois Ergs, o Ouzina e o Chebbi. No primeiro apanhámos umas dunas muito altas, mas passamos por elas sem qualquer complicação. Quando chegámos ao Erg Chebbi tivemos que fazer cerca de 20 quilómetros de dunas verdadeiramente difíceis de ultrapassar. Houve várias vezes em que ficámos quase a fazer o pino. Numa delas pensei até que fossemos capotar para a frente. As cristas das dunas eram muito altas e a traseira parecia que queria saltar para a frente. Mas felizmente correu tudo bem e estamos orgulhosos do trabalho que fizemos hoje ”, revelou Elisabete Jacinto na chegada a Merzouga.

O Morocco Desert Challenge cumpre amanhã a sua quinta jornada a qual se disputará em torno de Merzouga. Mais uma vez as dunas do Erg Chebbi vão fazer parte da ementa do dia. Aliás, areia e dunas serão as palavras-chave para esta etapa que vai contar com 215 quilómetros cronometrados com partida e chegada ao acampamento que está situado perto da cidade marroquina de Merzouga.

 

MOTA MAIS UMA ÉPOCA NO ETCC

 

Fábio Mota renova aposta na antecâmara do WTCC

 

Fábio Mota disputa este ano novamente a Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, a competição que se assume como a antecâmara do Campeonato do Mundo FIA de Carros de Turismo, lançando-se para um desafio que pretende ser a concretização do bom andamento que evidenciou em 2016.

 

O piloto de vinte e nove anos foi na temporada passada um dos protagonistas da competição, tendo sido recorrentemente um dos actores das lutas entre os quatro primeiros em cada uma das doze corridas da época, e só algumas contrariedades o impediram de subir mais vezes aos pódios, muito embora tivesse um carro menos desenvolvido que os dos seus adversários.

 

Depois de um ano em que demonstrou o seu valor e capacidade frente a fortes oponentes e em circuitos que maioritariamente desconhecia, o piloto de Vila Nova de Gaia volta a apostar na Taça Europeia FIA de Carros de Turismo – ETCC, mas desta feita munido com as ferramentas necessárias para se bater de igual para igual com os seus adversários – um SEAT Leon TCR com todas os últimos desenvolvimentos.

 

O carro espanhol será inscrito pela Lein Racing, estando a estrutura técnica a cargo da Lema Racing, bem conhecida do português. “2016 foi o meu ano de estreia no ETCC e foi difícil, dado que não conhecia grande parte dos circuitos, tinha uma oposição muito forte e um carro que estava em inferioridade técnica face aos meus adversários. Para 2017, teremos novamente alguns circuitos desconhecidos e um plantel ainda mais forte, mas no campo técnico estarei em plano de igualdade, o que me deixa ainda mais confiante”, afirmou Fábio Mota com entusiasmo.

 

O piloto de Gaia, que no ano passado alcançou o pódio logo na segunda ronda do calendário, voltará em 2017 a ter seis rondas, passando por circuitos míticos como Monza, Nurburgring – Nordschleife ou Vila Real, para além de Most, Zolder e Hungaroring, o que constitui mais uma época plena de desafios.

 

Fábio Mota sabe que a sua tarefa não será fácil, mas está empenhado em apoiar-se na sua experiência de 2016 para alcançar ainda melhores resultados este ano. “A época passada foi muito dura e exigente, mas permitiu-me crescer enquanto piloto, tornar-me mais forte e mostrar que posso bater-me com qualquer piloto do ETCC. Este ano, com um carro actualizado, as expectativas são, evidente, mais elevadas, mas sei que terei mais adversário e mais fortes. Vou dar o meu melhor e lutar para garantir bons resultados”, assegurou o piloto apoiado pela Würth, Sika, Projectiva, Serafim Marques, Turas, Plastoform, Wetor, Glassdrive e NSS.

 

A primeira ronda da Taça Europeia FIA de Carros de Turismo de 2017 terá como palco o histórico Autodromo Nazionale di Monza, Itália – de 28 a 30 de Abril – estendendo-se a temporada até Outubro, Most, na República Checa.AZ30 Copy

 

JACINTOS NOS LUGARES DO PÓDIO DOS CAMIÕES

 

Elisabete Jacinto alcança terceiro lugar entre os camiões

---
alt

 

Elisabete Jacinto conquistou hoje, no final da terceira etapa do Morocco Desert Challenge, o terceiro posto entre os camiões. A portuguesa demorou 5h46m35s a cumprir os 347 quilómetros cronometrados que compunham a especial que ligou Foum Zguid a Oum Jrane e figura, após três dias de prova, na terceira posição da tabela geral da sua categoria registando uma vantagem de 40 minutos sobre Igor Bouwens que, aos comandos de um IVECO, é actualmente o quarto classificado entre os T4.

Numa jornada marcada pela travessia de muitas dunas, nomeadamente na passagem pelo Erg Chegaga, a equipa Bio-Ritmo® conseguiu ultrapassar todos os obstáculos impostos por esta complexa etapa, onde a areia predominou, e apenas quatro carros, entre os quais dois buggy e um SSV, foram mais rápidos que Elisabete Jacinto: “correu tudo bem. Apesar de termos passado as dunas de forma muito lenta, não tivemos que cavar nem ficámos parados o que para nós é um ponto positivo a assinalar. Assim que saímos da areia aceleráramos e esforçamo-nos bastante por andar depressa. Desta forma,  conseguimos acabar entre os primeiros o que é muito bom” referiu a piloto na chegada ao acampamento que está situado em Oum Jrane.

Amanhã o Morocco Desert Challenge entra no quarto dia de competição. A jornada será uma vez mais marcada pelas passagens de dunas e muita areia ou não fosse a caravana deste rali atravessar as magníficas dunas do Erg Chebbi. A especial com 276 quilómetros cronometrados vai ter inicio em Oum Jrane e terminará em Merzouga.

 

JACINTO EM 2º ENTRE OS CAMIÕES

Elisabete Jacinto em segundo da geral dos camiões

---
alt

 

Elisabete Jacinto alcançou na segunda etapa do rali Morocco Desert Challenge, que se disputou hoje entre Icht e Foum Zguid, o quarto posto da prova destinada aos camiões. Os portugueses avançam, desta forma, na competição no segundo posto da tabela geral da sua classe com uma vantagem de 14 minutos para o terceiro classificado, o holandês Gert Huzink que já venceu esta mesma corrida em 2015.

Nesta especial, composta por 359 quilómetros cronometrados, predominaram as pistas rápidas muito favoráveis aos veículos mais potentes. Ainda assim, a equipa Bio-Ritmo® formada por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, gastou 5h01m09s para completar o sector selectivo terminando com uma diferença de apenas 15 minutos para o belga Igor Bouwens que, aos comandos de um IVECO, se classificou no terceiro posto desta etapa. A formação lusa foi ainda nove minutos mais rápida que o sexto classificado da categoria automóvel, posição ocupada pelo francês Michel Visy, que cumpriu a especial em 5h10m25s.

Elisabete Jacinto e a sua equipa cumpriram mais uma etapa sem problemas a registar: “esta etapa foi bem diferente em comparação à de ontem. Andámos sempre em pistas bastante rápidas e em alta velocidade. Como os outros camiões são mais potentes acabaram por nos ultrapassar rapidamente. No entanto, esta posição é, de certa forma, até confortável porque amanhã vamos entrar nas dunas e é bom haver outros camiões à nossa frente para podermos ir nos seus trilhos. Fizemos toda a etapa sem problemas e correu tudo bem”, revelou a piloto portuguesa.

Para a terceira etapa do Morocco Desert Challenge, que se cumpre amanhã entre as cidades marroquinas de Foum Zguid e Oum Jrane, está reservado um dia com uma grande variedade de pisos que vão alternar entre pistas rápidas e técnicas e pisos mais lentos, com muitas pedras e valas profundas. A navegação vai ser, uma vez mais, complexa. Será na travessia do Lac Iriki e nas passagens pelas imensas dunas do Erg Chegaga que vão surgir as maiores dificuldades desta especial composta por 345 quilómetros cronometrados. 

 

A VITÓRIA DE ALBUQUERQUE EM SILVERSTONE

GALERIA D EIMAGENS

 

A VITÓRIA DE ALBUQUERQUE EM SILVERSTONE

 

Grupo de imagens que ilusta a alegria de Filipe Albuquerque no passado sábado no circuito ingles de Silverstone, após AX100 CopyAX101 CopyAX102 CopyAX103 CopyAX104 CopyAX105 CopyAX106 CopyAX107 CopyAX108 Copya vitória na jornada inaugural do ELMS.

 

JACINTO COMEÇA COM PÉ DIREITO

Elisabete Jacinto vence primeira etapa 

---
alt

 

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto iniciou hoje a sua participação no Morocco Desert Challenge com uma vitória entre os camiões. A primeira etapa desta grande competição africana, cumprida entre Agadir e Icht, foi particularmente dura. Os 387 quilómetros cronometrados que compunham esta especial foram feitos em solos irregulares, com muita pedra e pistas estreitas que dificultaram a progressão das equipas no terreno.

A equipa Bio-Ritmo® conseguiu terminar esta complexa etapa em 7h33m54s conseguindo impor uma vantagem de oito minutos para o segundo classificado da categoria o holandês Paul Verheyden que, aos comandos de um DAF, gastou 7h42m05s para executar a especial*. Para Elisabete Jacinto apesar de ter sido um dia cansativo acabou por ser também muito positivo: “foi um dia realmente difícil. O piso era muito duro e estava repleto de pedras bicudas que degradaram muito os nossos pneus. Tentámos andar depressa, mas era complicado progredir neste piso. A navegação foi deveras complexa e exigiu muita concentração da parte do nosso navegador José Marques. Mas, como sempre, ele fez um trabalho exemplar e conseguimos andar sempre no caminho certo. Para além das dificuldades inerentes ao percurso tivemos que parar três vezes para mudar os pneus que, devido ao mau piso, acabaram por furar fazendo-nos perder algum tempo. A somar a tudo isto estava um calor abrasador. O nosso termómetro chegou a marcar os 41 graus. Mas, estamos satisfeitos com o resultado acima de tudo porque demos o nosso melhor”, contou Elisabete Jacinto.

A segunda etapa deste Morocco Desert Chalenge realiza-se amanhã entre Icht e Foum Zguid. A especial será composta por 359 quilómetros cronometrados cumpridos quase sempre em zonas com pistas bastante rápidas. Mas, no final da etapa os concorrentes terão que atravessar um oued bastante arenoso e será necessário ter atenção redobrada para não ficar preso na areia mole.

* NOTA: as classificações das equipas de camião foram cedidas pela organização que, devido a dificuldades informáticas, não conseguiu disponibilizar as mesmas online. Estas são as classificações que foram disponibilizadas até ao momento em que este comunicado foi divulgado.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DE JOSÉ SILVA

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DE JOSÉ SILVA

 

 

P1 PORTUGAL A CHEGAR AO DUBAI...
O grande piloto João Costa, dos primeiros clientes da nossa aposta P1.
O piloto que não falta ao Portalegre com o seu equipamento P1.
Visite P1 Portugal e visualize os produtos que temos á sua disposição.

 

JACINTO EM ACÇÃO

 

Rali Morocco Desert Challenge já começou

---
alt

A piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® realizaram hoje, em Agadir, as verificações administrativas e técnicas do rali Morocco Desert Challenge. Este é o dia dedicado ao controlo de toda a documentação exigida pela organização assim como da conformidade técnica de todos os veículos admitidos em prova. O trio português, formado por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho, alinha assim à partida deste grande evento desportivo, tendo o 506 como número de prova.

O dia decorreu com um ambiente descontraído aproveitando as equipas para conviverem e estabelecerem algum relacionamento antes início do rali.

Os portugueses, que participam aos comandos de um MAN TGS, têm como principal objectivo para esta competição a conquista um lugar de pódio entre os camiões. Todavia, apesar de reconhecerem que existem muitas dificuldades nesta prova, principalmente no que diz respeito aos percursos apresentados pela organização da prova, acreditam que é possível lutar por uma boa classificação: “o que mais me impressiona nesta corrida é não apenas o número de camiões presentes, mas o seu nível de preparação. Cada um deles é uma montra da capacidade de preparação de cada equipa. Se o nível de andamento for equivalente... esta corrida promete ser bastante disputada", revelou Elisabete Jacinto. 

A primeira etapa do Morocco Desert Challenge começa amanhã na lendária Plage Blanche, que fica a 250 quilómetros de Agadir, e termina em Icht. Serão cumpridos 387 quilómetros cronometrados, numa especial onde vão predominar as passagens rápidas e técnicas que vão alternar com percursos mais arenosos. As maiores dificuldades do dia terão lugar na passagem pelo rio Draa que, por estar seco grande parte do ano, apresenta percursos bastante complexos de ultrapassar. Para chegar à Plage Blanche os concorrentes terão ainda de percorrer cerca de 200 km de estrada pelo que a totalidade da etapa ultrapassará os 600 km.

 

A VITÓRIA DE FILIPE ALBUQUERQUE ONTEM

  1. DEFINITIVAMENTE... a FOTO do dia. Um braço no ar que mostra toda a felicidade de Filipe Albuquerque. TUGAPOWER! Esta é a nossa batalha contra a quase indiferença com que somos tratados. Quem não se sente...

 

JACINTO PRONTA PARA MARROCOS

 

Elisabete Jacinto em contagem decrescente para o Morocco Desert Challenge

---
alt

 

Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® estão em contagem decrescente para o início Morocco Desert Challenge, que terá lugar já no próximo dia 16 de Abril. A formação de todo-o-terreno composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho preparou cuidadosamente esta competição, tendo realizado alguns testes para garantir a fiabilidade das alterações mecânicas feitas ao MAN TGS.

Com um percurso original que se estende de Sul para Norte, o rali Morocco Desert Challenge será composto por sete etapas e decorrerá entre a costa Atlântica, tendo início em Agadir e a costa Mediterrânica, terminando em Saïdia. Está assim garantida uma grande diversidade de terrenos e de paisagens. A dimensão de cada etapa varia entre 208 e 405 Km cumprindo-se assim um total de 2200 quilómetros cronometrados com a particularidade de não se realizar quaisquer quilómetros de estrada entre as especiais. O traçado apresentado para esta prova promete muitas passagens de areia com as dunas dos Erg Chebbi e Chegaga a imporem as maiores dificuldades.

Com cerca de 140 veículos inscritos, 475 participantes de 21 nacionalidades, esta edição do Morocco Desert Challenge será bastante disputada. A competição conta com 17 equipas de camião inscritas sendo os nomes mais sonantes o de Martin Van Den Brink, Igor Bouwens e Gert Huzink. Martin Van Den Brink, da equipa Mammoet Rally Sport que foi o vencedor  do Libya Rally 2016 e da edição de 2015 do Rally Oilibya du Maroc. Igor Bouwens, da formação belga Gregoor Racing foi o segundo classificado da edição de 2016 desta corrida e Gert Huzink venceu em 2016, entre os camiões, o Rali Oilibya Du Maroc e em 2015 foi o vencedor do Libya Rally.

Elisabete Jacinto reconhece que as dificuldades desta prova são muitas, mas acredita que a equipa tem capacidades e aptidões para atingir as metas que se propôs cumprir: “Somos ambiciosos e como sempre lutaremos por um lugar no pódio”, revelou a piloto portuguesa.

 

ELMS 2017

  1. Face a face dos "portugueses" no ELMS 2017 segundo o Auto-Hebdo.

 

ELISABETE JACINTO EM TESTES

 

Elisabete Jacinto realiza testes em Marrocos

---
alt

 


Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® partiram no dia 9 de Abril para Marrocos onde vão realizar testes ao MAN TGS de competição antes do arranque do Morocco Desert Challenge, que se inicia no dia 16 de Abril com as habituais verificações técnicas e administrativas que terão lugar em Agadir.

A equipa portuguesa vai levar a cabo uma série de testes antes da competição no sentido de averiguar a eficácia de todas as alterações mecânicas recentemente feitas ao camião. O objectivo será verificar ao pormenor a performance do MAN TGS para reajustar e corrigir detalhes para que tudo esteja afinado para o início da prova.

Estes treinos serão essenciais para identificar eventuais fragilidades e compreender a eficiência das modificações que foram efetuadas. Além do mais, será também uma oportunidade para a equipa treinar a condução e navegação que, por norma, não são passíveis de realizar com facilidade em Portugal pela falta de espaços com as características idênticas às encontradas no norte de África.

É fundamental para Elisabete Jacinto poder rolar com o seu MAN para um bom desempenho no rali: “Na realidade sabemos que é nas provas que realmente se vê a eficácia do que foi feito no nosso TGS, contudo é sempre bom que se veja e teste da forma mais abrangente possível antes de uma competição de tantos dias e quilómetros”, afirmou a piloto portuguesa.

A primeira etapa do Morocco Desert Challenge cumpre-se no dia 17 de Abril em Agadir. 

 

FILIPE ALBUQUERQUE EM SILVERSTONE

WEC2017

 

FILIPE ALBUQUERQUE ESTÁ EM SILVERSTONE

 

O piloto originário de Coimbra, está desde ontem em Inglaterra, onde hojeAQ32 CopyAQ33 CopyAQ34 CopyAQ35 Copy está em testes com vista à preparação para a primeira prova da época

 

WTCC É NO EUROSPORT

Começa mais uma época do WTCC no Eurosport

 

 

 

Eurosport emite a totalidade do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo.

  • Época arranca este fim-de-sema com jornada de Marrocos.
  • Português Tiago Monteiro da Honda é candidato ao título.

 

AQ1 Copy

 

 

Tiago Monteiro (Honda) apresenta-se como um dos grandes candidatos ao título na 13.ª temporada do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo (WTCC), que arranca este sábado, em Marrocos.

 

O Eurosport acompanha toda a época da velocidade nesta categoria incluindo a jornada portuguesa, na pista de Vila Real (25 de Junho).

 

Num plantel de 16 pilotos, há equipas oficiais da Honda e da Volvo, aos quais se juntam estruturas privadas com carros da Citroen e Chevrolet, mas também da Honda.

 

O WTCC 2017 conta com 10 jornadas (duas corridas cada), iniciando-se em Marraquexe (Marrocos), nos dias 8 e 9 de abril. A novidade do ano é o regresso de Macau e a estreia do Ningbo International Speedpark como palco da jornada chinesa.

 

Desde 2005, apenas cinco pilotos conquistaram o título mundial: Yvan Muller (4), Andy Priaulx e José Maria Lopez (3), Gabriele Tarquini e Robert Huff (1).

 

TIAGO MONTEIRO CANDIDATO AO TÍTULO

 

Tiago Monteiro, que está no WTCC desde 2007 e foi terceiro classificado no Mundial de Pilotos no ano passado, apresenta-se como um dos grandes candidatos à vitória final. O português tem como parceiros na equipa oficial da Honda o húngaro Norbert Michelisz e nipónico Ryo Michigami. Na equipa Polestar Cyan Racing, há este ano três Volvo S60, mantendo-se o sueco Thed Björk, sendo as novidades o argentino Néstor Girolami e holandês Nicky Castburg. 

 

Nas equipas privadas, o destaque vai para o Citroën C-Elysée da Munnich Motorsport, entregue ao campeão WTCC 2012, Robert Huff. Apesar da saída da equipa oficial, que deixa campeonato “órfão” do tri-campeão, José Maria Lopez, os carros franceses continuam muito competitivos. Por essa razão, também os três Citroën inscritos pela equipa Sebastien Loeb Racing são candidatos às vitórias, guiados pelo marroquino Mehdi Bennani, o inglês Tom Chilton e corso John Filippi.

 

A ROAL Motorsport mantém o Chevrolet Cruze entregue ao holandês Tom Coronel, havendo um segundo Cruze para o argentino Esteban Guerrieri, inscrito pela Campos Racing.

 

Interessante é também a presença de “dinastias”: o francês Aurélien Panis, filho do ex-piloto de F1, Olivier Panis, estreia-se com um Honda da Zengö Motorsport, tal como acontece com o também gaulês, Yann Erhlacher, sobrinho do tetra-campeão, Yvan Muller, que vai utilizar um Lada Vesta da RC Motorsport.

 

O Eurosport emite a primeira jornada do ano em direto de Marraquexe. No Sábado, 8 de abril, às 15h15, haverá lugar à qualificação, logo seguida do MAC3, no Eurosport 2. No domingo, 9 de abril, o Eurosport 1 dá-lhe as duas corridas, a partir das 16h30. Os comentários estarão a cargo de João Carlos Costa e Duarte Félix da Costa.

 

MAIS UM PILOTO PORTUGUES A CORRER

MAIS UM PILOTO PORTUGUES A CORRER NA EUROPA

 

 

José Rodrigues alinha numa carreira internacional ao participar no TCR GERMANY em 2017

Após a sua primeira participação no Campeonato Nacional de Velocidade Turismos em 2016, José Rodrigues prepara-se para mais um salto em frente na sua carreira, ao optar em 2017 pelo TCR Germany, ou seja, o Campeonato Alemão de Carros de Turismos....
Com uma coleção de excelentes resultados no primeiro ano em que esteve aos comandos de um Honda Civic TCR da JAS Motorsport, onde lutou pelo titulo e pelas vitórias até final, o piloto de Braga, e do Sport Lisboa e Benfica, optou este ano por um desafio maior enfrentando uma das maiores competições do género na Europa, contando com mais cerca de 4 dezenas de carros e pilotos de doze nacionalidades diferentes. Sem dúvida que se trata de um grande desafio para José Rodrigues, que está pronto para enfrentar os melhores: “É para mim um motivo de grande alegria e orgulho poder disputar um dos melhores campeonatos do mundo de turismos. Um campeonato constituído por mais de 40 carros e mais de uma dezena de nacionalidades. Na minha opinião é mais que um campeonato nacional”, esclarece o piloto, que sublinha também, “Julgo que chegou a hora de uma internacionalização por completo. Por outro lado, a organização ADAC garante a todos os participantes condições extraordinárias e, isso também pesou na minha decisão.”
Com este passo tão arrojado, ainda é cedo para definir objetivos, como reconhece José Rodrigues: “Não é fácil perceber onde nos vamos situar. Com mais de 40 TCR`s será necessário ter muito ritmo de competição e, sobretudo boas decisões na hora de atacar nas qualificações. Mas a ambição será sempre andar no lote da frente, tal como em toda a minha carreira. No entanto, não será uma tarefa fácil pois não conheço nenhuma pista em que vou estar. E, por isso conto com o grande apoio da Target Competition e GEN Motorsport, tal como dos meus colegas de equipa, que são excelentes pilotos - o Josh Files, o Kris Richard e o Jurgen Schmarll. Espero conseguir representar com boas exibições, todos os meus patrocinadores, o Sport Lisboa e Benfica e todos os portugueses “concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, McDonald`s Braga, General Autocentro, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas , Camac, GEN Motosport e JAS Motorsport.


Calendário


28.04. - 30.04. - Oschersleben
9.06. - 11.06. - Red Bull Ring
07.07. - 09.07. - Oschersleben
21.07. - 23.07. - Zandvoort
06.08. – 07.08. - Nûrburgring
15.09. - 17.09. - Sachsenring
22.09. - 24.09. - Hockenheim

 

WTCC 2017 - TIAGO MONTEIRO PRONTO

  1. Tiago Monteiro entusiasmado com a primeira prova do ano em Marrocos

    A primeira corrida da temporada do WTCC arranca no próximo fim-de-semana de 8 e 9 de Abril em Marrocos. Tiago Monteiro e a Honda sentem que estão preparados para começar o ano ao melhor nível e desde cedo trilhar o caminho para chegar ao título de pilotos e construtores. Os testes de Inverno aliados a todas as evoluções no Honda Civic levam o piloto português a acreditar ser possível lutar pelo título de form...a mais consistente que em anos anteriores.

    Assim, Tiago é peremptório: "Ninguém pode ambicionar um ceptro sem querer vitórias. É isso que queremos em Marraquexe. Temos trabalhado muito nos últimos anos, demos passos em frente e passos atrás. Mas desde o final da temporada passada que evoluímos bastante e tenho a convicção que 2017 será um ano de muita felicidade para mim pessoalmente mas também para a Honda que vai ver todo o seu trabalho e empenho reconhecidos", disse Tiago.

    O Honda Civic está agora melhor preparado para enfrentar as exigências dos circuitos que o WTCC visita ao longo do ano: "Temos um pacote aerodinâmico muito mais eficaz assim como um melhor motor e isso vai-nos permitir estar confortavelmente melhor em todas as pistas. Também sei que os nossos adversários não estiveram parados estes meses e que vamos ter em todas as corridas muitas lutas. Não só os adversários como os meus companheiros de equipa que estou certo serão forte oposição. Mas é isto que torna o WTCC tão aliciante. O importante é sentir-me confiante e preparado para esta primeira batalha", disse Tiago que espera no final ganhar a 'guerra'.

    Como sempre o Eurosport fará a transmissão em directo da qualificação no Sábado, 8 de Março pelas 15.15h. As corridas terão transmissão no Domingo pelas 16.30 e 17.30h.

 

WTCC 2017 - TIAGO MONTEIRO JÁ EM MARROCOS

 

Já cheguei a Marrocos! Prontíssimo para o ataque.

 

 

 

NUNO SANTOS EM SILVERSTONE

Nuno Santos elevou os níveis de competitividade

Piloto estreou-se com o R300 no Super 7 by Kia

O segundo lugar na estreia com o R300 no Super 7 by Kia foi a maior conquista de Nuno Santos, no início de época que teve lugar em Silverstone. O piloto que faz equipa com Hugo Araújo, aproveitou os dois dias de competição no circuito inglês para elevar os níveis de competitividade e melhorar o seu rendimento ao volante do novo carro.

alt
Foi com entusiasmo que Nuno Santos chegou a Silverstone, pista britânica que recebeu a primeira prova extra do Super 7 by Kia. A estreia na nova categoria, a R300, marcava o arranque para a temporada de 2017. A dupla formada por pilotos que já venceram este troféu (Nuno Santos em 2014 e Hugo Araújo em 2016) estipulou como objectivo conhecer melhor o carro, fazer quilómetros e optimizá-lo a pensar na época que agora teve início.
 
Sem a possibilidade de tirar o máximo partido da sessão de treinos livres, Nuno Santos foi para a qualificação ainda à procura da melhor afinação do seven #99. Apesar de algumas condicionantes, conseguiu o terceiro melhor tempo entre as equipas portuguesas e acabou o primeiro dia em Silverstone com a noção clara de que existe potencial para crescer.
 
Já hoje, Nuno Santos arrancou para a corrida em terceiro mas, depois de uma prova animada, fechou em segundo dos Super 7 by Kia. “O resultado na estreia com o R300 foi bastante positivo. Mais do que a experiência em pista. Consegui melhorar ao longo dos dois dias, mas sei que ainda tenho uma margem de progressão grande. Esta prova serviu, precisamente, para fazer experiências e conhecer melhor o carro que vamos utilizar ao longo do ano”, sublinhou o piloto.
 
Cumprida a participação na prova de Silverstone, Nuno Santos não vai marcar presença na ronda de Oulton Park, devido a obrigações profissionais. O piloto tem previsto regressar à competição em Junho quando o Super 7 by Kia visitar o mítico circuito de Spa-Francorchamps.
 

FORMULA E NO MEXICO

 

FÓRMULA E NO MEXICO

 

  1. Mexico desapontante para Felix da Costa

 

Dia difícil para António Félix da Costa, que abandonou, na 4ª corrida da temporada da FIA Fórmula E no México, devido a um problema técnico no seu carro, perdendo a possibilidade de lutar por um possível pódio. Um dia amargo para o piloto luso que não retira em nada o mérito da excelente corrida que o piloto da BMW estava a efectuar até então.

Depois de ter largado da 6ª posição da grelha, fruto de uma qualificação onde o piloto Portug...uês extraiu todo o potencial do monolugar da MS Amlin Andretti, voltando novamente a superiorizar-se ao seu colega de equipa Robert Frijns, AFC de imediato entrou na luta pelo top5 nas voltas iniciais. Após um pequeno erro na curva 1, quando tentava suplantar o Britânico Sam Bird, Félix da Costa caiu para a 14ª posição, mas imediatamente iniciou uma incrível recuperação até ao 8º lugar, isto na altura da paragem obrigatória na box para mudança de carro. Com uma boa operação de box, o piloto de 25 anos chegou a 6º e com bastante mais energia no seu carro que alguns piloto que se encontravam à sua frente, tudo apontava para que Félix da Costa viesse a discutir um lugar final no pódio, mas a verdade é que a sorte voltou a não querer nada com o jovem luso, que ficou parado depois da curva 1 com problemas técnicos, abandonando de forma inglória nesta 4ª corrida da temporada.

No final Félix da Costa assumia o desalento, mostrando-se "desapontado, é mais um fim-de-semana difícil de digerir. Se em performance demos um passo em frente e aproximamos-nos das equipas da frente, em fiabilidade voltámos a ter problemas e acabei por perder aqui uma boa oportunidade de trazer bons pontos para casa, quem sabe até um pódio. Enfim, as corridas são mesmo assim, há que ver o lado positivo da melhoria de performance, detectar o problema que ainda não foi identificado e continuar a trabalhar. Ainda faltam muitas corridas e sabemos do que somos capazes, é preciso é materializar o nosso andamento em resultados."

O vencedor da corrida de ontem foi o Brasileiro Lucas di Grassi, seguido de Jean Eric Vergne, com o Britânico Sam Bird a fechar os lugares do pódio. A MS Amlin ANdretti voltou a ficar a zeros, com o abandono de Félix da Costa a juntar a uma penalização de Robert Frijns, que temrinou fora dos pontos. A próxima corrida da Fórmula E tem lugar a 13 de Maio, no mítico circuito do Monaco.

 

SUPER 7 EM SILVERSTONE

 

Super 7 by Kia muito competitivo no arranque da época

 

Equipas lusas em destaque na jornada de Silverstone

 

A temporada do Super 7 by Kia começou com duas corridas emocionantes, divertidas e em que as formações portuguesas mostraram um nível competitivo bastante elevado. Tanto nos R300 como nos 1600, as equipas nacionais andaram sempre entre os melhores. Nas contas do Super 7 by Kia organizado pela CRM Motorsport, Eduardo Leitão e José Carlos Pires venceram na categoria máxima, enquanto nos 1600, Luís Lisboa e José João Magalhães dividiram o protagonismo.

 

O ano de 2017 começou de forma prometedora para o Super 7 by Kia. A introdução de uma nova categoria, com carros mais rápidos, deixava antever níveis de emoção e espectacularidade ainda mais altos. A primeira jornada da época, em Silverstone, confirmou, de forma ampla, as expectativas em torno do troféu.

 

As corridas foram emocionantes. Em conjunto com os concorrentes ingleses da competição organizada pela McMillan Motorsport, os bravos do Super 7 by Kia cedo mostraram que, apesar da menor experiência ao volante dos R300, tinham argumentos para discutir as posições à geral. Foi assim que Eduardo Leitão assegurou, ontem, a pole-position absoluta para a primeira corrida do fim-de-semana. Para a segunda, José Carlos Pires foi o melhor entre os Super 7 by Kia e colocou o seu R300 no sexto posto à geral.

 

Já hoje realizaram-se os dois confrontos em pista com quase cinco dezenas de seven na grelha. No primeiro, Eduardo Leitão arrancou na frente e aí se manteve durante várias voltas seguido por concorrentes ingleses e Hugo Araújo, o rival português mais perigoso para o líder. Um acidente levou à entrada do safety car virtual. Quando a corrida retomou as condições normais, Leitão e Araújo protagonizaram um duelo aguerrido com vantagem para o vencedor do troféu de 2016. Contudo, novo acidente, desta vez com grande aparato, precipitou o final da prova, com uma situação de bandeira vermelha, quando faltava menos de um minuto para o final. A direcção de corrida definiu que a classificação final seria respeitante à última volta em que Eduardo Leitão estava em primeiro e, como tal, o piloto do seven #24 subiu ao lugar mais alto do pódio, a que somou o terceiro posto na geral. Hugo Araújo terminou em segundo e José Carlos Pires fechou em terceiro

 

Também nos 1600 houve emoção a rodos. Luís Lisboa foi o mais forte. Superou José João Magalhães, depois de um embate que durou toda a prova e teve vários pilotos ingleses envolvidos. Duarte Lisboa ficou em terceiro. Na classe Business, José Kol de Almeida foi o vencedor.

 

Para a segunda corrida do fim-de-semana, as expectativas eram, de novo, elevadas. Com algumas formações britânicas na frente, José Carlos Pires assumiu a liderança entre os pilotos do Super 7 by Kia. O arranque foi tão bom que, em termos absolutos, saltou de sexto para segundo. Nas voltas seguintes conseguiu mesmo chegar ao comando absoluto. Infelizmente para as suas aspirações, não conseguiu manter a consistência e perdeu lugares. Ricardo Leitão aproveitou e assumiu o comando a nível nacional. Mas, tal como aconteceu no primeiro confronto, houve acidentes. Um deles envolveu o piloto português que teve de desistir com o radiador do seu carro furado. Com esta desistência, Pires voltou ao primeiro lugar e Nuno Santos, que esteve em Silverstone concentrado em ganhar quilómetros e à procura das melhores afinações para o carro, ficou em segundo.

 

Entre os 1600, novo duelo Luís Lisboa/José João Magalhães. Mas se na primeira corrida foi Lisboa quem ganhou, na segunda, Magalhães foi o mais forte. As equipas lusas voltaram a mostrar que o nível do Super 7 by Kia é alto e o piloto portuense venceu mesmo a concorrência internacional nesta categoria. Duarte Lisboa teve problemas numa vela do motor do seu seven e não repetiu o terceiro lugar da manhã. Já na classe Business, José Kol de Almeida voltou a ganhar.

 

Para Tiago Raposo Magalhães, responsável pela organização do Super 7 by Kia, as corridas de Silverstone foram a melhor demonstração que a introdução da categoria R300 fazia todo o sentido e que a competição segue no caminho certo. “O nível competitivo demonstrado na primeira jornada do ano confirma que a introdução de um modelo mais rápido se justificava. Tivemos momentos de grande emoção, muito espectáculo e um custo para quem corre muito abaixo de todas as outras fórmulas existentes no desporto automóvel. Silverstone assistiu a confrontos animados e em que os modelos 1600 estiveram em grande plano, a provar que não só existe espaço para as duas categorias como ambas proporcionam diversão e prazer a pilotos e espectadores”, afirmou.

 

A temporada desportiva do Super 7 by Kia continua já no próximo mês de maio com nova ronda extra realizada no Reino Unido. As equipas que habitualmente correm no troféu organizado pela CRM Motorsport estreiam-se no circuito de Oulton Park, no norte de Inglaterra, no dia 27 de maio.


NOTA DE REDACÇÃO


Vejam bem as imagens que hoje publicamos das bancadas "às moscas", isto  é sem ninguém.TalAT5 CopyAT6 CopyAT7 CopyAT8 Copy como no Estoril, a cena repete-se em Silverstone - Inglaterra

 

NUNO SANTOS EM SILVERSTONE

Silverstone é o primeiro teste do ano

Nuno Santos estreia-se no Super 7 by Kia com o novo R300

Pronto para o arranque da nova temporada, Nuno Santos vai voltar a sentar-se num carro de competição e tem um grande desafio pela frente. A fazer dupla, pelo segundo ano consecutivo, com Hugo Araújo, que em 2016 venceu o Super 7 by Kia, renova o compromisso com o troféu e vai estar, na sexta-feira e no sábado, em Silverstone para se estrear com o novo R300.

alt
Realizadas algumas experiências com um carro desta categoria no final da época transacta, Nuno Santos decidiu subir ao novo e mais alto escalão do Super 7 by Kia. Mais potência, uma suspensão evoluída e a caixa de velocidades sequencial são algumas das características que justificaram a subida de degrau e a aposta do piloto de Lisboa no R300. Sempre ambicioso, vai estar no circuito de Silverstone para a primeira jornada do ano. Como esta ainda não vale para as contas do troféu organizado pela CRM Motorsport, Nuno Santos está concentrado em optimizar o seu rendimento ao volante do modelo que se prepara para estrear.
 
“O circuito de Silverstone é extremamente exigente. No ano passado, a experiência foi bastante positiva mas com a mudança para o R300, quase tudo vai ser novo. A meteorologia indica que deverá chover, tanto no dia da qualificação, como no das corridas. É mais um factor a contribuir para a experiência. Parto para Inglaterra sem quaisquer preocupações com o resultado. O objectivo para esta prova é de rodar, andar o máximo possível e experimentar soluções, conhecer o potencial do R300. Recentemente dei umas voltas, no Estoril, com o 1600 e senti falta de ritmo. Esta corrida servirá também para o recuperar”, explicou Nuno Santos.
 
A equipa quer aproveitar todas as voltas para desenvolver o bom trabalho que resultou em vitórias e conquistas em 2016. Silverstone vai ser importante, não só para comparar, pela primeira vez, o equilíbrio de forças com os adversários no Super 7 by Kia como permitirá aferir da competitividade do conjunto face às formações inglesas que já correm de R300 há mais anos e têm uma grande experiência com o modelo.
 
Programa Super 7 by Kia – Silverstone
31 de Março, sexta-feira
11h15 – 12h00 – Treinos livres
15h15 – 15h45 – Qualificação
1 de Abril, sábado
9h30 – 10h00 – Corrida 1
14h15 – 14h45 – Corrida 2
 

JACINTO FAZ O ULTIMO ENSAIO

 

Último ensaio antes da grande aventura africana 

---
alt

Elisabete Jacinto realizou ontem o seu último ensaio com o MAN TGS de competição antes de partir para o rali Morocco Desert Challenge, prova que terá início no dia 16 de Abril em Marrocos. A equipa dá assim por concluídos os necessários trabalhos de mecânica sentindo-se optimista face aos resultados obtidos.

É sempre com alguma ansiedade que encaramos estes pequenos testes antes das provas. Eles são fundamentais para verificar se tudo está a funcionar em condições. Mas, dado que partimos já no dia 9, não sobraria muito tempo para corrigir algo que estivesse menos bem. Ficámos contentes com o resultado e a expectativa aumentou. Temos muita esperança de poder fazer uma boa prova e apostamos muito nisso” declarou a piloto.

Os portugueses vão estar pela segunda vez no Morocco Desert Challenge e têm como objectivo principal alcançar um resultado de destaque na sua categoria, chegando ao fim entre os primeiros classificados. O entusiasmo da equipa para este rali é elevado uma vez que se trata de uma prova com um elevado nível de competitividade entre os camiões. Contudo, segundo Elisabete “trata-se de uma corrida com uma forte componente de aventura pois realiza-se nuns moldes em que nunca sabemos o que vai acontecer a seguir”.

Face à dimensão da prova e ao seu grau de dificuldade, Elisabete Jacinto vai acompanhada por todos os elementos da sua equipa os quais mantém há longo tempo. Como de costume, o seu navegador será o José Marques e o mecânico de prova o Marco Cochinho. No MAN KAT de assistência da equipa Bio-Ritmo® viajam o coordenador de equipa Jorge Gil, o mecânico Hélder Anjos e o condutor Pedro Azevedo.

Nesta prova participará também uma outra equipa portuguesa constituída por Nuno Matos, atual Campeão Nacional de TT, que será navegado por Nuno Rodrigues da Silva.

 

ELISABETE JACINTO TESTOU

ELISABETE JACINTO TESTOU MAN ANTES DE PARTIR PARA MARROCOS

 

 

Foto de Elisabete Jacinto.
·

Demos ontem a nossa ultima voltinha de TGS antes de partir para o rali, o que será já no dia 9.
Fizemo-lo com o “coração nas mãos” não só porque o espaço era es...treito e o piso estava demasiado encharcado mas porque estamos sempre ansiosos por saber se está tudo bem.
Viemos contentes. Aparentemente está tudo a funcionar bem! Podemos preparar-no para partir. É um alívio!

 

TIAGO MONTEIRO TESTOU DE NOVO EM ITÁLIA

WTCC 2017

 

TIAGO MONTEIRO TESTOU DE NOVO EM ITÁLIA

 

Últimos ajustes antes do início da época em Marraqueche.

 

CALHEIROS FERREIRA MAIS AMBICIOSO

 

Mira apontada aos mais fortes

 

Luís Calheiros Ferreira quer chegar os rivais mais rápidos em 2017

 

A nova temporada de Luís Calheiros Ferreira está prestes a começar e é com ambição que o piloto abraça os desafios definidos para 2017. Depois dos primeiros títulos alcançados na época transacta, a vontade de continuar a melhor é grande. A aposta volta a ser no Super 7 by Kia mas na novíssima categoria R300. O objectivo desta temporada passa por ser mais rápido e aproximar-se daqueles que lutam regularmente pelos triunfos à geral.

 

É com entusiasmo que Luís Calheiros Ferreira antevê a temporada que está prestes a começar. A experiência ao volante do novo Super 7 by Kia R300, que o piloto já teve oportunidade de testar em competição, foi bastante motivadora. “O novo ano promete. Não esperava que 2016 fosse tão positivo. Aprendi bastante e é aliciante saber que me vou comparar directamente com os pilotos mais rápidos da competição. O novo carro implica um salto relativamente ao modelo que pilotei nos dois anos em que corro. Implica uma pilotagem mais parecida com a de um fórmula e a experiência que adquiri nas Single Seater Series vai ser importante para melhorar”, afirmou.

 

Luís Calheiros Ferreira vai aproveitar as primeiras corridas do ano para se adaptar ao R300. A ideia é manter a evolução positiva dos primeiros anos para tirar partido do conhecimento das pistas quando o Super 7 by Kia valer pontos. “Existe muito para aprender. Pontos de travagem, as melhores trajectórias para as características do carro. Já estive em Silverstone e isso ajuda porque vou poder concentrar-me na pilotagem. Haverá circuitos em que isso não é possível. Mas na segunda metade da temporada vou tentar explorar todo o potencial do carro”, explicou.

 

No início do ano, Luís Calheiros Ferreira efectuou um teste com o modelo com que competiu em 2015 e em 2016. No Estoril, registou o seu melhor tempo de sempre. “Correu muito bem. Senti-me muito à vontade e estou cada vez mais concentrado nos pormenores. Creio que a evolução se deve a isso e estou muito curioso para confirmar as boas impressões em competição”, disse o piloto que arranca para a nova temporada já a 1 e 2 de Abril.

 

Para já, o que Luís Calheiros tem garantido é a participação no Super 7 by Kia. Além disso, o piloto pondera fazer algumas corridas de resistência.

 

Calendário Super 7 by Kia

1 e 2 de Abril – Silverstone

28 e 29 de Maio – Oulton Park

23 a 25 de Junho – Spa-Francorchamps

8 e 9 de Julho – Vila Real

23 e 24 de Setembro – Jerez

28 a 30 de Outubro – Algarve

12 e 13 de Novembro - EstorilAO39 Copy

 

JOÃO MACEDO E SILVA COMPLETOU PROVAS NA AUSTRÁLIA

JOÃO MACEDO E SILVA COMPLETOU PROVAS NA AUSTRÁLIA

 

Neste fim de semana João Macedo e Silva participou num desfile na pista de Albert Park ao volante do seu Ford GT 40, completando assim a sua participação na Austrália.Esta demonstração foi feita à vontade dos pilotos, não sendo sequer obrigatório o uso de capacete.

 

De17523080 10212356171403585_6345968233397404984_n_CopyAJOAO1 CopyAJOAO2 CopyAJOAO3 CopyAJOAO4 CopyAJOAO5 Copypois deste demonstração foi tempo de colocar o Ford GT 40 para fazer o seu regresso à Europa.

 

ESTREIA DE MATOS EM AFRICA

 

Morocco Desert Challenge

16 a 23 de abril

 

Campeão Nuno Matos estreia-se em África

Dois campeões na aventura marroquina

 

Depois do título de campeão nacional de todo-o-terreno brilhantemente conquistado em 2016, Nuno Matos aposta para 2017 em alargar os seus horizontes desportivos. Já em 2010 o piloto partiu para uma aventura internacional que culminou com a conquista da Taça FIA de Bajas T2.

A primeira aposta de 2017 do piloto alentejano é africana e chama-se Morocco Desert Challenge. Um enorme desafio que Nuno Matos irá fazer aos comandos do seu do Opel Mokka Proto uma máquina “Made in Portugal” que tem vindo a ser evoluída e preparada para enfrentar pistas bem diferentes das portuguesas. Para esta nova aventura o piloto de Portalegre terá a seu lado um outro campeão, Nuno Rodrigues da Silva, que em 1995 conquistou o título mundial de ralis na Classe Produção.

“Em 2016 conseguimos alcançar um título muito ambicionado e pelo qual tanto nos esforçamos e lutámos. Tivemos a felicidade suprema de o conquistar em Portalegre junto de muitos daqueles que sempre nos apoiaram e que nos permitiram chegar onde chegámos. Agora quero pessoalmente alargar os meus horizontes a começar pelo sonho antigo de disputar uma corrida em África. Depois está tudo em aberto, mas o importante é agora concentrar-me neste enorme desafio que é de todos: meu, do Nuno que vai estar ao meu lado, do Opel feito em Portugal e que também parte para uma nova aventura e da nossa equipa” salienta o campeão nacional Nuno Matos que acrescenta:

“Quero começar por agradecer a todos que nos têm ajudado para tornar este desafio viável e destacar a disponibilidade do Nuno Rodrigues da Silva para se aventurar comigo neste projeto com tanta novidade a todos os níveis”.

O Morocco Desert Challenge, antigo Libya Rally, é uma das provas africanas de todo-o-terreno da atualidade que atrai mais participantes de todo o mundo. A edição deste ano vai-se realizar em Marrocos, entre Agadir e Saidia, de 16 a 23 de abril. O rali realiza-se de Sul para Norte, ao contrário dos demais, e será composto por sete etapas totalizando 2200 quilómetros cronometrados. Uma das principais características desta competição é que os pilotos não têm que cumprir quilómetros entre os acampamentos e as especiais. As grandes dificuldades serão a travessia dos Erg Chegaga e Chebbi. 

AN10 CopyAN11 CopyAN12 Copy

 

JACINTO PREPARA-SE PARA MARROCOS

Morocco Desert Challenge um rali com um perfil único 

---
alt

 

A piloto Elisabete Jacinto e a equipa Bio-Ritmo® estão a trabalhar com afinco para que no próximo dia 16 de Abril tudo esteja a postos para a o arranque do Morocco Desert Challenge, competição que marca o regresso dos portugueses ao deserto marroquino.

Para esta edição do Morocco Desert Challenge, a organização promete traçados inovadores apesar de o rali cumprir uma  estrutura de percurso idêntica à apresentada em 2016, ano em que Elisabete Jacinto se estreou nesta prova.

O rali sai de Agadir, no sul de Marrocos junto ao Oceano Atlântico, e segue para Norte terminando em Saïdia junto ao Mar Mediterrâneo. Serão cumpridos 2200 quilómetros, sempre em território marroquino, distribuídos ao longo de sete etapas. São esperados traçados difíceis com predominância de percursos de areia assim como as majestosas dunas dos Erg Chebbi e Chegaga. A grande mais-valia apresentada este ano aos pilotos é a inexistência de ligações entre o acampamento e os sectores selectivos.

 “Este é um rali longo, às vezes com etapas muito lentas e acampamentos todos os dias. A  parte boa é que não vai haver ligações, ou seja não temos de fazer quilómetros antes e depois de cada percurso cronometrado, pelo que começamos e terminamos cada etapa no acampamento. Assim temos mais tempo para descansar e fazer mecânica”, revelou a piloto. 

Na organização do Morocco Desert Challenge estão envolvidas cerca de 100 pessoas e 34 veículos entre os quais se incluem dois helicópteros. Tudo isto para proporcionar aos cerca de 500 participantes a melhor experiência de rally-raid de sempre tendo a oportunidade de desfrutar de uma competição única onde o espírito de aventura está sempre presente. 

 

TIAGO MONTEIRO DE NOVO EM TESTES

TIAGO MONTEIRO COM DOIS DIAS DE TESTES

 

WTCC 2017

 

A equipa da Honda de WTCC está hoje amanhã a testar no Hungaroring, perdo de Budapest, onde Tiago Monteiro e o seus colegas de equipa estão a testar novas soluções no carfro nipónico.AT4 CopyAT5 CopyAT6 CopyAT7 Copy

 

OS COMPROMISSOS DE TIAGO MONTEIRO

OS COMPROMISSOS DE TIAGO MONTEIRO

 

 

 

Dia de filmagens com a Monroe e os meus amigos e também embaixadores da marca, o Neuville e o Lotterer

 

 

 

 

 

 

 

 

 

JACINTO DE REGRESSO A MARROCOS

Elisabete Jacinto no Morocco Desert Challenge

---
alt

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto vai participar no rali Morocco Desert Challenge tendo confirmado recentemente a sua inscrição junto da organização da prova. O Morocco Desert Chalenge  é o segundo maior rali africano em termos de participantes, realizando-se em Marrocos entre 16 e 23 de Abril.

Esta prova constava do calendário desportivo previsto pela equipa Bio-Ritmo® mas foi posta em causa face aos problemas ocorridos durante o Africa Race que a obrigaram a abandonar precocemente. A  equipa contou com a colaboração técnica  da MAN Alemanha assim como com a compreensão por parte da entidade organizadora desta corrida que lhe permitiu fazer uma inscrição tardia.

Desde o seu regresso a Portugal que a equipa se concentrou na recuperação do MAN TGS de competição no sentido de o preparar para esta edição do Morocco Desert Challenge. “A não conclusão do Africa Race 2017 deixou-nos a todos bastante abalados” referiu Elisabete Jacinto, “trabalhámos e preparámo-nos com muito empenho  para fazer um bom rali e acabámos por voltar para casa tristes e frustrados. Sabemos que estas situações acontecem nas corridas mas esse facto não nos anima.  Por essa razão, estamos todos com muita vontade de voltar a competir e de provar que somos capazes de conseguir um bom resultado”, contou a piloto portuguesa.

Elisabete Jacinto esteve pela primeira vez nesta prova em 2016. Este ano este evento desportivo assume uma nova nomenclatura mas o nível de competitividade e de excelência entre os concorrentes mantém-se, pelo que ficou a vontade de regressar. Assim, no dia 16 de Abril em Agadir, a equipa portuguesa Bio-Ritmo® vai realizar os habituais controlos que antecedem o rali que se desenrolará a partir do dia 17 e terminará a 23 de Abril em Saïdia, Marrocos. 

 

2º LUGAR EM SEBRING PARA ALBUQUERQUE

 

Segundo lugar para Filipe Albuquerque em Sebring

Filipe Albuquerque, João Barbosa e Christian Fittipaldi lideraram quase a totalidade das 12h de Sebring, prova pontuável para o WeatherTech IMSA Sportscar Championship, no entanto, com o cair da noite, o trio do Mustang Sampling Cadillac DPI-V.R da Action Express Racing não conseguiu segurar a posição e foram perdendo terreno para os mais directos adversários na luta pelo título, mantendo o segundo lugar no Campeonato.

Filipe estava por um lado satisfeito pelo trabalho realizado mas por outro triste com o desfecho final: "Tínhamos um andamento fantástico, tudo estava a correr na perfeição e o primeiro lugar era a prova disso. Mas com o cair da noite o carro começou a perder performance. Vamos ter de analisar o porquê. Que alterações provocaram este desfecho?! Simplesmente não tínhamos ritmo para o carro à nossa frente. Estávamos nos limites e não conseguimos lá chegar", começou por referir.

"Felizmente ao contrário da maioria dos carros, também não tivemos qualquer problema mecânico ou outro, tudo correu bem. Temos por isso que estar contentes com o segundo lugar. A vitória era o que ambicionávamos. Voltou a não acontecer, mas não é por isso que vamos baixar os braços. Estamos na luta e isso é sem dúvida o mais importante. A próxima corrida há-de vir e com o empenho e trabalho de todos vamos atingir o objectivo", concluiu.

A próxima prova de Filipe em solo americano será a 2 de Julho com as 6h de Glen.AR7 Copy

 

FILIPE ALBUQUERQUE EM SEBRING

 

Filipe Albuquerque na primeira linha da grelha para as 12h de Sebring

O segundo lugar conseguido na sessão de qualificação para as 12h de Sebring colocou Filipe Albuquerque e os seus companheiros de equipa, João Barbosa e Christian Fittipaldi na primeira linha da grelha depois um percalço na última volta da sessão.

Coube ao brasileiro Christian Fittipaldi a realização dos treinos cronometrados com o Mustang Sampling Cadillac DPI-V.R da Action Express Racing e o resultado acaba por espelhar a boa performance da máquina do trio luso-brasileiro: "Podíamos ter chegado à pole, pois estávamos a fazer uma volta excelente mas ficámos sem gasolina fruto de um problema na entrada do combustível na reserva. Ainda assim foi um mal menor já que nos mantivemos na primeira linha da grelha", disse Filipe Albuquerque.

Para a corrida de amanhã, o piloto português considera: "Vamos ter boas lutas e tenho a certeza que vai ser uma prova renhida, mas confio no nosso trabalho e no desempenho do carro que está com um andamento fantástico e que nos vai permitir rodar na frente. Só pensamos na vitória", concluiu.

A corrida começa amanhã, pelas 14.40h, horas portuguesas e pode ser acompanhada no site do CampeonatoAR2 Copy

 

JOÃO MACEDO E SILVA CORREU NA AUSTRÁLIA

JOÃO MACEDO E SLVA CORREU NA AUSTRÁLIA

 

Tal como já aqui tinhamos informado, João Macedo e Silva correu este fim de semana na Austrália ao volante do seu Ford GT 40 aberto na pista de Phillip Island.Sobre o balanço da prova começou logo por nos dizer " foi um fim de semana muito positivo, com quatro corridas, nas quais fiquei em 1º em termos de catregoria.Estava previsto haver mais uma corrida, mas infelizmente foi cancelada, devido a um grave acidente na corrida anterior".Senda a primeira vez que correu nesta pista, o piloto do Porto acrescentou " adorei este circuito de Phillip Island, um dos melhores em que conduzi até agora, extremamente rápido, mas bastante técnico.Resumindo, foi espectacular, e o carro portou-se lindamente, sem problemas, foi meter combustivel e andar...."

 

No próximo fim de semana o piloto portugues irá voltar a envergar o seu fato de competição como nos explicou " no proximo fim de semana voltarei a participar com o Ford GT 40 aberto no circuito de Alberta Park, para uma demonstração,por sinal como prova de suporte para a primeira jornada do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 "

 

 

 

 

17308926 1467295616634571_5598476586005730989_n_CopyMACEDO1 Copy

 
Mais artigos...

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt