In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI EUROPE GRAND PRIX PREVIEW
Round eight of 21
Baku, Azerbaijan, 16-19 June 2016

Formula One visits its first all-new country since Russia in 2014 (the 32nd country the championship has been to since 1950) when the European Grand Prix – a label not seen on the calendar since Valencia in 2012 – is held in Baku. For what is meant to be the fastest street circuit seen so far, Pirelli has nominated the medium, soft and supersoft tyres. As is always the case with a brand new venue, Pirelli has had to rely on simulation and acquired information rather than real data, which makes the task of nominating tyres more complex.

THE CIRCUIT FROM A TYRE POINT OF VIEW:

  • As this is a street circuit, with new asphalt, low grip and high track evolution is expected.
  • Wear and degradation might be quite low, which is why a medium spectrum of tyres is chosen.
  • Overtaking is tricky with a narrow track, which means that qualifying and strategy is vital.
  • As teams have no knowledge of the track, we would expect a lot of running in free practice.
  • Very high top speeds are expected on the long 2.2-kilometre straight along the esplanade.
  • Baku will also be the second-longest lap of the year (6.003km) after Spa.

THE THREE NOMINATED COMPOUNDS:

  • White medium: this has not been extensively chosen, so unlikely to figure prominently.
  • Yellow soft: a high working range tyre, which could make it very important in the heat of Baku.
  • Red supersoft: the most popular choice, which will be used heavily in qualifying and the race.

THE LAST EUROPEAN GRAND PRIX:    

  • The last European Grand Prix was actually held four years ago, in Valencia (where it was also the eighth race of the season). Fernando Alonso won for Ferrari from 11th on the grid.

PAUL HEMBERY, PIRELLI MOTORSPORT DIRECTOR:                      

  • “We’ve heard lots of interesting things about the circuit, and it seems that its character, lap length, and speed will certainly make it stand out. Obviously it’s never easy when you go to a circuit for the first time, but the conditions and the tyres are of course as always the same for everyone. The selection of compounds we have nominated should cope with a wide range of potential conditions; now of course it is down to the teams to get the most out of their choices and to identify the best possible strategies, which is why the running we see in free practice will be particularly important.”

WHAT’S NEW?  

  • Everything, basically!
  • There’s a later start than normal: the grand prix begins at 17:00, for a total of 51 laps.

OTHER THINGS THAT HAVE CAUGHT OUR EYE RECENTLY:

  • There hasn’t been an exceptional variation in the tyre choices from each team for Baku.
  • Weather forecasts have predicted warm weather but also high humidity: rain is possible.
  • While the circuit uses existing streets, a lot of the surface is brand new asphalt.

TYRES NOMINATED SO FAR:

Purple Red Yellow White Orange
Australia Supersoft Soft Medium
Bahrain Supersoft Soft Medium
China Supersoft Soft Medium
Russia Supersoft Soft Medium
Spain Soft Medium Hard
Monaco Ultrasoft Supersoft Soft
Canada Ultrasoft Supersoft Soft
Azerbaijan Supersoft Soft Medium
Austria Ultrasoft Supersoft Soft
Great Britain Soft Medium Hard
Hungary Supersoft Soft Medium
Singapore Ultrasoft Supersoft Soft

 

alt

 

RAMPA SANTA MARTA 2016

RAMPA SANTA MARTA 2016

 

GALERIA DE IMAGENS - BASTIDORES

 

Grupo de imagens de alguns dos bastidores no passado fim de semana na Rampa de Santa Marta, prova a contar para o Campeonato Nacional de MoFOX 4065_CopyFOX 4067_CopyFOX 4068_CopyFOX 4069_CopyFOX 4070_CopyFOX 4071_CopyFOX 4072_CopyFOX 4074_CopyFOX 4075_CopyFOX 4076_CopyFOX 4077_CopyFOX 4078_CopyFOX 4079_CopyFOX 4080_CopyFOX 4081_CopyFOX 4082_CopyFOX 4083_CopyFOX 4084_CopyFOX 4085_CopyFOX 4086_CopyFOX 4087_CopyFOX 4088_CopyFOX 4090_CopyFOX 4091_CopyFOX 4092_CopyFOX 4093_CopyFOX 4094_CopyFOX 4095_CopyFOX 4096_CopyFOX 4097_CopyFOX 4098_CopyFOX 4099_CopyFOX 4100_CopyFOX 4101_CopyFOX 4102_CopyFOX 4103_CopyFOX 4104_CopyFOX 4105_CopyFOX 4106_CopyFOX 4107_CopyFOX 4108_CopyFOX 4109_CopyFOX 4110_CopyFOX 4112_CopyFOX 4114_CopyFOX 4115_CopyFOX 4116_CopyFOX 4117_CopyFOX 4118_CopyFOX 4119_CopyFOX 4120_CopyFOX 4121_CopyFOX 4121_CopyFOX 4122_CopyFOX 4117_CopyFOX 4119_CopyFOX 4123_CopyFOX 4124_CopyFOX 4125_CopyFOX 4126_CopyFOX 4129_CopyFOX 4130_CopyFOX 4131_CopyFOX 4134_CopyFOX 4135_CopyFOX 4137_CopyFOX 4139_CopyFOX 4140_CopyFOX 4141_CopyFOX 4143_CopyFOX 4144_CopyFOX 4145_CopyFOX 4146_CopyFOX 4147_CopyFOX 4148_CopyFOX 4149_CopyFOX 4150_CopyFOX 4151_CopyFOX 4152_CopyFOX 4153_CopyFOX 4154_CopyFOX 4155_CopyFOX 4156_CopyFOX 4157_CopyFOX 4157_CopyFOX 4158_CopyFOX 4159_CopyFOX 4160_CopyFOX 4161_CopyFOX 4162_CopyFOX 4163_CopyFOX 4164_CopyFOX 4165_CopyFOX 4166_CopyFOX 4168_CopyFOX 4170_CopyFOX 4172_CopyFOX 4173_CopyFOX 4174_CopyFOX 4175_CopyFOX 4176_CopyFOX 4177_CopyFOX 4178_CopyFOX 4179_CopyFOX 4180_CopyFOX 4190_CopyFOX 4191_CopyFOX 4192_CopyFOX 4193_CopyFOX 4194_CopyFOX 4195_CopyFOX 4196_CopyFOX 4197_CopyFOX 4199_CopyFOX 4200_CopyFOX 4201_Copyntanha.

 

Fotos de João Raposo na Rampa de Santa marta - www.velocidadeonline.com

 

DOMINGOS FERNANDES DENTRO DOS OBJECTIVOS

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016

 

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

DOMINGOS FERNANDES DENTRO DOS OBJECTIVOS



Após a ausência na Rampa da Covilhã, eis que o Autobianchi A 112 de Domingos Fernandes regressou ao Campeonato Nacional de Montanha, onde foi autor duma excelente prova, isenta de erros e tendo em conta o carro com que participa.

Assim, nas duas subidas de treinos, o piloto de Armamar faria os tempos de 3.12.068 e 3.02.670, para nas três subidas de prova conseguir melhorar de forma significativa com 2.45.803, 2.43.865 e  2.44.876.

No final da prova, depois de colocar o pequeno Autobianchi A 112 no parque fechado, Domingos Fernandes descreveu-nos esta jornada, disputada bem próximo da sua residência “  correu muito bem, sem problemas, foi sempre a melhorar os meus tempos em cada subida efectuada, o carro esteve impecável, isso graças ao trabalho da Auto Arantes. Por outro lado não cometi erros, em suma tudo cinco estrelas.

De salientar que o champanhe com que os três primeiros classificados festejaram  no pódio, foi uma oferta da marca Terras do Demo, em que Domingos Fernandes foi o interlocutor.

 

 

CLASSIFICAÇÃO  GERAL FINAL


1º Pedro Salvador – Norma

2º Rui Ramalho – Osella

3º Paulo Ramalho – Juno

4º Nuno Guimarães – BRC

5º Gonçalo Manahu – Porsche GT 3

46º DOMINGOS FERNANDES – AUTOBIANCHI A 112

 

CLASSIFICAÇÃO CATEGORIA 5

FOX 4884_CopyFOX 4886_Copy

1º Flávio Sainhas – Ford Escort

2º Pedro Cerqueira _ Ford Escort

3º Parcidio Summavielle – Datsun 240 Z

4º Cândido Monteiro – Datsun 1200

5º Mário Mesquita – Datsun 1600 SSS

6º DOMINGOS FERNANDES – AUTOBIANCHI A 112

 

CNTT COM EQUIPA DIFERENTE

 

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno

Baja de Loulé /Baja do Pinhal

 

Uma equipa diferente no CNTT

Pai e filha correm de UTV. Duas jovens esperanças apostam nos Quad

 

Num Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, por muitos considerado o melhor de toda a Europa, são naturalmente muitas as formações que se destacam, mas aquela que se apresenta unida pela assistência da PAMoto Racing revela todavia particularidades únicas pelas quais os seus pilotos se têm destacado neste início de temporada de 2016.

 

Esta formação congrega a dupla José e Carolina Cerqueira, pai e filha que competem num novíssimo Yamaha YXZ1000R máquina que pelo primeiro ano disputa o CNTT. Nos Quad, ambos em Yamaha YFZ 450 R, competem os jovens Rodrigo Pagaime e Paulo Fernandes, que pela primeira vez enfrentam uma temporada completam do CNTT. A disciplina Quad que em 2015 chegou a viver momentos difíceis, derivado à escassa participação de pilotos, voltou a animar-se em 2016 a que não é alheia a presença de jovens como Rodrigo e Paulo. O primeiro venceu a Classe Promoção nas duas primeiras provas da temporada tendo em Reguengos de Monsaraz subido ao pódio absoluto numa jornada em que esteve na luta pela 2ª posição. O algarvio Paulo Fernandes ocupava à partida para a Baja de Loulé a 6ª posição no Campeonato absoluto Quad. Uma corrida onde chegou a ocupar a 3ª posição antes de ter sido vítima de um infeliz acidente que o forçou a abandonar tendo sido posteriormente hospitalizado. De momento está em fase de recuperação. Problemas elétricos forçaram também Rodrigo Pagaime a não terminar a Baja de Loulé mas o piloto mantém a liderança da Classe Promoção e é o quarto classificado na geral absoluta Quad. José e Carolina Cerqueira obtiveram em Loulé a melhor classificação da temporada averbando o 11º lugar entre os quarenta concorrentes que disputaram a prova algarvia. Após 3 corridas o piloto ocupa a 4ª posição na Classe Veteranos, enquanto a navegadora o 6º posto no respetivo Campeonato.

 

“Nesta prova de Loulé sinto que já consegui estar mais solto e disfrutei melhoras excelentes capacidades da nossa máquina. Foi uma corrida que me deu muito prazer”, salientou José Cerqueira. A sua filha Carolina reafirmou à chegada que “desta vez o meu pai imprimiu um excelente andamento e eu diverti-me imenso”.

 

A próxima etapa do CNTT terá lugar na Baja do Pinhal que se disputa a 17 e 18 de Junho em pistas dos concelhos da Sertã, Vila de Rei e Proença-a-Nova, sob a organização da Escuderia Castelo Branco

 

Veja o vídeo da equipa aqui: https://youtu.be/ElHkLgduOtA216 -_Rodrigo_Pagaime_-_001_Copy219 -_Paulo_Fernandes_-_008_Copy328 -_Jos_Cerqueira_-_002_Copy328 -_Jos_e_Carolina_Cerqueira_Copy

 

TEIXEIRA NO PÓDIO EM SANTA MARTA

 

Joaquim Teixeira acumula mais um pódio em Santa Marta

 

A quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha disputou-se em Santa Marta de Penaguião, um palco onde Joaquim Teixeira levou o Renault Megane Trophy ao 2º lugar da Categoria 4, garantindo o seu terceiro pódio consecutivo.

 

O piloto da Bompiso já sabia que a Rampa de Santa Marta não seria muito favorável às características do Renault Megane Trophy. Ainda assim, concentrou-se em evoluir o seu andamento e desta vez os problemas mecânicos deram tréguas a Joaquim Teixeira, que conseguiu terminar no 2º lugar da categoria.

“No sábado comecei a tentar ganhar ritmo nas duas subidas de treinos mas o carro estava muito instável nas travagens. Na subida de prova de Sábado, travei muito tarde no último gancho à direita, o carro entrou muito desequilibrado na curva e acabei por fazer um pião que me estragou a subida. No Domingo corrigimos a travagem e o set up e o carro melhorou muito, mas tinha de fazer as duas subidas de prova sem cometer qualquer exagero porque não podia errar sob pena de ficar sem duas subidas que me permitissem pontuar”, explicou o piloto de Murça. “Na primeira andei a um bom ritmo e consegui fazer o mesmo tempo do meu principal adversário, que tem um carro muito evoluído e que é muito superior em zonas sinuosas. Na última cometi um erro que acabou por me condicionar a prestação e perdi 2 segundos em relação à primeira subida.

 

Já sabia que este não era o traçado mais indicado para o Trophy - e não estou a arranjar desculpas porque quem entende de corridas sabe que é verdade. É uma rampa muito estreita, que tem uma zona muito sinuosa e com relevê diferente de curva para curva, o que dificulta a aderência do Megane. Mesmo que o Megane tenha mais potência, segundo o que os meus adversários dizem, atualmente essa diferença é muito menor do que dizem depois das evoluções e alterações que cada um deles tem vindo a fazer. A prova onde poderia ter uma palavra a dizer seria na Falperra mas a chuva estragou os planos. No entanto posso dizer que em face de tudo a prova em Santa Marta de Penaguião não me correu assim tão mal porque mesmo neste tipo de traçado ando ao nível dos mais rápidos da minha categoria, embora ache que poderia ter baixado ao segundo 57 ou 58”, apontou Joaquim Teixeira.

Agora, o piloto da Bompiso vai preparar a emblemática Rampa do Caramulo, quinta prova do Campeonato Nacional de Montanha / Valvoline, agendada para os dias 2 e 3 de Julho.ZMF 6864_CopyZMF 7365_Copy

 

CARLOS FERNANDES MANTÉM LIDERANÇA

 

Carlos Fernandes mantém liderança do campeonato após rali bizarro em Monchique

 

O Rali de Monchique foi a quarta prova do Campeonato FPAK de Ralis mas ficou marcado por uma decisão da organização que prejudicou um total de sete equipas, entre as quais a dupla Carlos Fernandes / Valter Cardoso.

 

Depois de duas vitórias em três provas, Carlos Fernandes chegava a Monchique determinado a lutar pelo triunfo no asfalto algarvio. No sábado, o piloto de Sintra começou a prova com algumas cautelas devido a um novo composto de pneus, mas no segundo troço entrou no seu ritmo e venceu a especial. Após essa classificativa, a organização fez um reagrupamento dos concorrentes antes da Super Especial noturna, mas não informou imediatamente os concorrentes da hora de partida para esse troço-espectáculo, que seria disputado em ordem inversa à da classificação geral. A hora de partida apenas foi publicada mais tarde no secretariado da prova, que ficava no interior da Super Especial, num local ao qual as equipas não tinham acesso. Isto levou a que nove equipas fossem penalizadas antes da Super Especial, com Carlos Fernandes e o navegador Valter Cardoso a receberem uma penalização que, na prática, os colocou fora de prova. Além do piloto de Sintra, mais seis concorrentes abandonaram o rali por este motivo, uma situação bizarra mas que a organização se recusou a rever, colocando o Colégio de Comissários numa situação difícil.

 

“Parece incrível mas um rali que até poderia ter sido interessante e bem disputado foi prejudicado pelo clube organizador, que não esteve bem. A hora de partida para a Super Especial nunca poderia ser publicada num local no interior do próprio percurso. Além disso, com a penalização que nos deram não havia hipótese de continuar em prova mesmo num sistema de Super Rally, como propuseram. Isso não existe. Continuaram a agir de má fé quando nos permitiram fazer a Super Especial, que por acaso até ganhámos mas que não serviu para nada porque tecnicamente estávamos fora de prova. Foi tudo bizarro. Esperava ter uma boa disputa com o Daniel Nunes e estávamos separados por 1,9s quando isto aconteceu. Tudo continua na mesma em termos de campeonato mas situações como esta só denigrem o desporto e os concorrentes que tantos sacrifícios fazem para participar”, afirmou Carlos Fernandes.

 

           Carlos Fernandes e Valter Cardoso regressam agora no Rali Vila Nova de Cerveira, quinta prova do Campeonato FPAK, agendada para 9 e 10 de Julho.fernandes Copy

 

PEDRO FERREIRA APOSTADO

 

Baja TT do Pinhal

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2016

17 e 18 de Junho

 

Pedro Ferreira apostado em manter o ritmo

Em Loulé a VW AmaroK terminou na 4ª posição

 

Depois dos excelentes indicadores deixados pela participação da equipa PMF Racing na Baja de Loulé, com Pedro Ferreira a levar a VW Amarok até à 4ª posição da terceira etapa do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2016, o piloto nortenho está apostado em manter o nível de andamento nas próximas jornadas, preparando com afinco a corrida que se irá disputar dentro de dias em pistas das serras beirãs.

 

“Fiquei muito satisfeito por ter conseguido terminar a corrida sem quaisquer tipo de problemas na nossa VW Amarok, o que me permitiu tirar partido de todo o seu enorme potencial para lutar pelas primeiras posições. É importante continuar a fazer quilómetros, pelo que a nossa aposta é conseguir manter um bom nível de andamento, ter um ritmo consistente e terminar corridas. Os resultados que surgirem - e não vamos deixar de apostar neles - virão como complemento a esta estratégia. A equipa, o Valter e eu estamos muito motivados”, salienta o piloto da PMF Racing

 

Pedro Ferreira e Valter Cardoso vão, a 17 e 18 de Junho, disputar a Baja TT do Pinhal que se vai disputar em pistas dos concelhos da Sertã, Proença-a-Nova e Vila de Rei.

Mais informações sobre o piloto: www.facebook.com/pedroferreirapage PMF Racing_Pedro_Ferreira_VW_Amarok_01_CopyPMF Racing_Pedro_Ferreira_VW_Amarok_02_Copy

 

LUIS NUNES E VELOSO MOTORSPORT VITORIOSOS EM SANTA MARTA

LUIS NUNES E VELOSO MOTORSPORT VITORIOSOS EM SANTA MARTA

 

 

A Veloso Motorsport conseguiu no passado fim-de-semana em Santa Marta de Penaguião, o pleno de vitórias até esta altura no Campeonato Nacional de Montanha Valvoline, com Luis Nunes a levar o SEAT Leon Cup Racer da equipa nortenha, ao triunfo na Categoria 4 pela quarta vez em quatro provas disputadas em 2016.

 

Foi com tempo seco e quente, que esta bonita região do Douro recebeu a excelente lista de 48 concorrentes à Rampa de Santa Marta, factores estes, que trouxeram muito público até ao traçado da prova. Luis Nunes evoluiu positivamente ao longo das subidas de treinos, melhorando o “setup” do seu carro de acordo com as condições encontradas, preparando as subidas oficiais onde o esperava uma forte oposição.

 

“Com o piso seco as minhas dificuldades para vencer aumentam, dado que o meu carro não é o mais potente nesta categoria e é mais difícil fazer a diferença. Ainda assim estive sempre no topo da classificação e estava confiante de que poderia vencer. Ataquei forte na primeira subida de prova disputada no Sábado e consegui um bom tempo, facto muito positivo, já que deixava os meus adversários sob pressão. Mesmo assim no Domingo tive de forçar o andamento para conseguir vencer, baixei do minuto 2 e fui bastante constante nos tempos, o que foi fundamental para triunfar. Aqui em Santa Marta já se pôde ver que o resto da época não vai ser fácil, com a oposição a estar cada vez mais perto, algo que eu já sabia que ia acontecer. De qualquer forma este início de época sempre a ganhar, deu-me uma boa vantagem em termos de campeonato, situação que me permite gerir da melhor forma as próximas jornadas. Nada está ainda garantido, mas sinto agora que posso de facto cumprir o principal objectivo do início da época, ser campeão. Vamos com calma e fazer tudo que estiver ao nosso alcance para que assim seja. Agradeço uma vez mais à Veloso Motorsport, por me entregar um carro impecavelmente preparado e excelente em termos de fiabilidade mecânica.” Afirmou Luis Nunes.

 

O Campeonato Nacional de Montanha regressa a 2 e 3 de Julho, para disputar a Rampa do Caramulo, quinta prova desta emocionante competição em 2016.


Fotos de João Raposo na Rampa Santa Marta - www.velocidadeonline.com


NOTA DE REDACÇÃO

O www.velocidadeonline.com   enquanto gestor  desta página e respectiva página do Facebook, é neste caso totalmente alheio quer à qualidade, quer ao teor deste artigo em termos de erros e imprecisões apresentados pela Race Spirit como autor deste textoFOX 4444_CopyFOX 4446_Copy

  

 

FRANCISCO MARRÃO DE SEAT LEON COPA

 

Francisco Marrão esteve em excelente plano na Rampa de Santa Marta, quarta jornada do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2016. Ao volante de um SEAT Leon Copa MKI, Marrão manteve-se sempre em posição de chegar ao pódio final da Categoria 4, falhando este objectivo por muito pouco e apenas na última subida de prova.

Denotando uma melhoria considerável de tempos em relação ao ano passado, Francisco Marrão está confiante que o pódio que agora lhe escapou por muito pouco, será uma realidade dentro em breve.

“Foi de facto pena ter perdido o terceiro lugar mesmo no final, mas ainda assim estou muito satisfeito com a quarta posição, numa categoria onde existem carros mais potentes e eficazes que o meu, como é o caso dos SEAT de última e penúltima geração e o Megane Trophy. Chegar ao pódio é quase como que uma vitória para mim e este fim-de-semana estive muito perto de o conseguir em Santa Marta. Tenho vindo a melhorar muito os meus tempos em relação ao ano passado, já o fiz na Serra da Estrela e agora aqui, e isso é também reflexo do trabalho que tenho vindo a desenvolver com a Speedy Motorsport e em especial com o Pedro Salvador, que se tem mostrado incansável na ajuda que me tem prestado. É notória a minha evolução e por isso o meu agradecimento a todos eles. Este resultado motiva-me para encarar com optimismo o resto da época, tendo como objectivos evoluir o máximo que conseguir e aproveitar todas as oportunidades que surgirem, para chegar a um dos lugares do pódio na Categoria 4. Não será fácil, mas também não é impossível como se pôde constatar nesta prova.” Disse Francisco Marrão.  

Francisco Marrão volta ao activo dentro de três semanas, para disputar a mediática Rampa do Caramulo, quinta jornada do Nacional de Montanha em 2016.


Nota de Redacção

O www.velocidadeonline.com    enquanto gestor desta página e respectiva página de Facebook, é neste caso totalmente alheio  quer à qualidade, quer ao teor deste artigo  em termos de erros e imprecisões apresentados pela RPRFM130616A CopyPRFM130616 Copyace Spirit como autora deste texto

 

 

LOPES SEM SORTE NA ESTREIA DO PORSCHE

 

RALI DE MONCHIQUE

 

ADRUZILO LOPES E LUIS LISBOA

NÃO CHEGOU PARA AQUECER

 

 

O novo projeto de Adruzilo Lopes no Campeonato Nacional RGT continua firme e o piloto já pensa no Rali Vidreiro, a próxima prova do calendário. A estreia nas estradas algarvias de Monchique mal deu para aquecer, mas valeu por um muito curto contacto com o Porsche 997 GT3, com uma dupla passagem pelo troço da Picota, e uma arreliadora presença na Super Especial de Monchique.

A nova equipa “All Race” confiada aos cuidados técnicos dos espanhóis da Ivan Arés, está otimista em relação ao futuro, embora penalizada e impedida de pontuar na prova algarvia, a primeira desta nova iniciativa de Adruzilo Lopes e Luís Lisboa.

Faltas de informação por parte da organização, que na altura da entrada no Parque de Partida (mal concebido para o evento), não forneceu às equipas as respetivas horas de partida para a Super Especial, nem foram afixadas no momento, apenas às 20h30, menos de uma hora antes da partida, levou diversas equipas a falhar a sua hora correta de partida para uma especial mal concebida e arquitetada.

Adruzilo Lopes e Luís Lisboa não chegaram a aquecer, neste primeiro contacto com o Porsche 997 GT3.

Foi um rali interessante com uma Super Especial complicada, que marcou o destino da nossa prova. Houve pouca informação por parte da organização. As principais equipas inscritas foram induzidas em erro devido a essa falta de informação”, desabafou o regressado Luís Lisboa, que acrescentou: “Dissemos não ao Rali2 (Super Rali) por solidariedade com os pilotos da Taça FPAK de Ralis, que foram igualmente penalizados. Estive 13 anos fora das corridas e continua a não haver bom senso”, concluiu Luís Lisboa.

Para Adruzilo Lopes, os regulamentos são para ser aplicados. Naturalmente aborrecido com o sucedido, o piloto prefere pensar naquilo que evoluiu na condução do Porsche 997 GT3.

Foi um rali interessante que terminou demasiado cedo, mas estávamos na frente dos RGT. Em termos gerais ocupávamos o 2º lugar após a Super Especial. Foi pena, pois hoje poderia ser entusiasmante para continuar a aprendizagem do carro. Agora vamos ter de fazer um teste antes do Vidreiro, para tentar colocar o carro nas melhores condições. Penso que o Porsche tem um forte potencial, pois mostrou-se muito competitivo, tanto nos curtos testes que realizei, como nos dois troços disputados em Monchique. No entanto, é preciso evoluir um pouco mais”, afirmou Adruzilo Lopes.

O Rali de Monchique ficou privado de oito equipas essenciais para o espetáculo. Umas foram simplesmente excluídas, outras impedidas de lutar pelos lugares de topo. Perdeu o público e perdeu-se a emotividade de um evento que levou àquela região algarvia um número de público considerável.

A equipa “All Race” estará presente no Rali Vidreiro na Marinha Grande a 24 e 25 de junho, com Adruzilo Lopes aos comandos do Porsche 997, mas com outro navegador, uma vez que Luís Lisboa estará fora do país com outros compromissos desportivos. Esta dupla memorável estará no entanto junta nas outras provas do calendário de 2016.

 

 Adruzilo Rali_de_Monchique_01_Copy

 

VETTRA MOTORSPORT NO PÓDIO EM SANTA MARTA

 

Vitor Ramos e Ricardo Gomes dão pódios à Vettra Motorsport

A região do Douro provou, este fim-de-semana, uma vez mais, que é única no mundo: excelente vinho, paisagens de cortar a respiração e público aficionado pelo desporto motorizado.

Foi sob este cenário que os guerreiros da Vettra Motorsport enfrentaram os seus adversários e, em alguns casos, as suas mecânicas.

Vitor Ramos e Ricardo Gomes alcançaram o pódio nas suas Categorias, com segundo e terceiro lugar, na Categoria 6 e 4, respectivamente.

Jorge Gonçalves e Mário Mesquita também subiram ao pódio, mas desta feita à Classe. Gonçalves tem demonstrado uma cada vez maior adaptação ao exigente Fiat Punto S1600

Na Categoria 2, José Correia, num traçado muito estreito e sinuoso, teve dificuldade em colocar a potência do Nissan GT-R GT3 no chão e isso reflectiu-se na tabela de tempos, com o piloto de Braga a ficar às portas do pódio.

Na Categoria 4, além do pódio de Gomes, Paulo Silva foi quinto e José Francisco Cerqueira foi sétimo. Um ligeiro toque de Paulo Silva e problemas mecânicos no Seat Leon de Cerqueira, afectaram as subidas de treinos mas no domingo tudo correu pelo melhor.

Luís Borges era um homem satisfeito no final da corrida porque “ os homens da Vettra Motorsport, no meio da adversidade, conseguiram dar o melhor de si e colocar os carros prontos a tempo dos pilotos poderem efectuar as subidas de prova sem problema. Aconteceu isso com os Seat Leon – Ricardo Gomes, turbo, Francisco Cerqueira, motor, Paulo Silva, acidente-, com o Ford Escort de Vitor Ramos e com o Nissan Gt-R GT3, em que foi necessário trocar a embraiagem. Os pilotos e restante equipa estão de parabéns pelos resultados obtidos; sem o esforço de todos, nada disto era possível.”IMG 8517_CopyIMG 8571_Copy

 

TCR EM IMAGENS

TCR EM IMAGENS2016 photo_news_202_Copy2016 photo_news_203_Copy2016 photo_news_204_Copy2016 photo_news_205_Copy2016 photo_news_206_Copy2016 photo_news_207_Copy

 

WTCC 2016 - DOMINIO LADA EM MOSCOVO

WTCC 2016

 

DOMINIO TOTAL DA LADA EM MOSCOVO

 

VITÓRIA BRILANTE EM "CASA"

 

A Lada não se fez rogada e foi a grande dominadora da jornada do passado fim de semana  em Moscovo, onde venceu as duas corridas, com dobradinhas.

 

Assim na 1ª corrida, seria Tarquini a vencer, tendo a seu lado o seu colega de equipa Catsburg, e no degrau mais baixo o Citroen de Yvan Muller.Depois nas três posições seguintes surgem o terceiro Lada com Valente, que teve atrás de si o Citroen de Jose Lopez e o Honda Civic de Tiago Monteiro.

 

Na segunda corrida, o dominio Lada continuou, desta ver com Catsburg a cortar a linha de chegada na primeira posição, tendo na sua esteira o seu colega de equipa Tarquini, e o Honda Civic de Michelisz.Depois aparece  os Honda de Huff e Tiago Monteiro, que tiveram na sua traseira o Chevrolet Cruze de James Thompson.w1 Copyw2 Copyw3 Copyw4 Copyw5 Copy

 

CANDIDO MONTEIRO COM JORNADA AGRIDOCE

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 – VALVOLINE

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

CANDIDO MONTEIRO  COM JORNADA “ AGRIDOCE”

 

 

A sorte parecia  nada querer com o Datsun 1200 de Cândido Monteiro que depois de registar o tempo de 2.28.813  na primeira subida de treinos, acabaria por partir a caixa de velocidades  no inicio da segunda. A verdade é que o piloto do Datsun 1200 azul acabaria por encontrar uma caixa de velocidades semelhante em Braga, permitindo ainda fazer as duas ultimas subidas de prova, alcançando ainda assim os tempos de  2.28.194 e 2.29.635 respectivamente.

 

Por isso no final, Cândido Monteiro falou-nos um pouco das “desventuras” do fim de semana, “ tive a pouca sorte da caixa de velocidades ter partido, por outro lado tive a sorte de encontrar uma caixa semelhante não muito longe de Santa Marta. O meu preparador Nuno Afoito que foi comigo  a Braga, e em tempo contra relógio, montou a nova caixa de velocidades a tempo de poder fazer a segunda e terceira subida de prova. Aproveito esta oportunidade   para agradecer todo o esforço de toda a equipa, que tudo fizeram para que tivesse o Datsun 1200 em condições de poder competir, foi uma noite inteira de trabalho, mas as duas subidas que fiz cautelosamente, acabaram por bem, e permitiram obter tempos  razoáveis, mas suficientes para vencer a Taça 1300 “

 

De referir que por motivos profissionais, Cândido Monteiro irá estar ausente da Rampa do caramulo a ter lugar no primeiro fim de semana de Julho, contando no entanto regressar na Rampa Sra da Graça.

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL FINAL

 

1º Pedro Salvador – Norma

2º Rui Ramalho – Osella

3º Paulo Ramalho – Juno

4º Nuno Guimarães – BRC

41º CÃNDIDO MONTEIRO – DATSUN 1200

 

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL CATEGORIA

 

1º Flávio Sainhas – Ford Escort

2º Pedro cerqueira – BMW

3º Parcidio Summavielle – Datsun 240 Z

4º CÂNDIDO MONTEIRO N- DATSUN 1200FOX 5903_CopyFOX 6395_Copy

 

24 HORAS DE LE MANS 2016

Pilotos Toyota descobrem asfalto de Le Mans ao pormenor.

 

JCGROUP COM PROBLEMAS

 

Problemas mecânicos condicionam JCGroup Racing Team na Rampa de Santa Marta


Os pilotos da JCGroup Racing Team tiveram de superar problemas no Nissan Nismo GT-R e no SEAT León Supercopa durante o fim-de-semana em Santa Marta de Penaguião. Ainda assim, José Correia terminou no 4º lugar da Categoria 2/GT e Ricardo Gomes voltou a subir ao pódio (3º lugar) na Categoria 3/Turismos.

José Correia e Ricardo Gomes já sabiam que a Rampa de Santa Marta seria um dos maiores desafios da época, devido às características atípicas do traçado transmontano. Contudo, a dupla da JCGroup Racing Team também teve de lidar com algunns problemas mecânicos que condicionaram a sua performance, principalmente no dia de sábado. “De facto o primeiro dia de prova revelou-se muito complicado para os dois pilotos, embora por circunstâncias distintas. O SEAT teve problemas mecânicos graves e as subidas de sábado foram bastante penalizadoras. O carro não passava das 4.500 rpm e numa rampa com estas características isso é um grave problema. Quanto ao Nissan não nos podemos esquecer que esta foi a primeira vez que o carro fez esta rampa. Este é, com toda a certeza, o traçado mais complexo para o Nissan Nismo GT-R que é um carro muito grande e cujas características mecânicas são em vários aspectos incompatíveis com esta rampa”, explicou Ricardo Gomes.


Ainda assim, a resiliência da equipa de Braga veio ao de cima e o 4º lugar na categoria para José Correia e o 3º lugar na categoria para Ricardo Gomes são resultados importantes para manter a consistência no campeonato. “Não baixámos os braços e lutámos até à última subida de prova, como é nosso apanágio. Os problemas do SEAT ficaram resolvidos durante a noite, graças ao extraordinário trabalho da VettraMotorsport e hoje o carro alinhou em perfeitas condições tendo feito tempos de 2'02, e com isso alcançámos o 3º lugar na categoria Turismos. Já o Nissan, apesar de todos os esforços, revelou fortes problemas de embraiagem em todas as subidas deste domingo, o que nos empurrou para o 4º lugar da categoria GT. Segue-se o próximo desafio que será a Rampa do Caramulo, no início de Julho, e cujo traçado é muito mais interessante para os nossos carros”, referiu o piloto de Braga.

A emblemática Rampa do Caramulo será a quinta prova do Campeonato Nacional de Montanha, estando agendada para os dias 2 e 3 de Julho.ZMF 7009_CopyZMF 7112_CopyZMF 7325_CopyZMF 7328_Copy

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE RALIS - RALI DA SARDENHA

CAMPEONATO DO MUNDO DE RALIS

 

RALI DA SARDENHA

 

HYUNDAI E NEVILLE VENCERAM

 

O Hyundai de Neville foi o brilhante vencedor nR1 CopyR2 Copyo passado fim de semana no Rali da Sardenha, prova a contar para o Campeonato Mundial de Ralis.Na segunda e terceira posição ficaram os Volkswagen de Latvala e Ogier, que tiveram atrás de si o Hyundai de Sordo, e os Ford de Tanak e Camili.

 

Fotos de André Lavadinho - World - www.velocidadeonline.comR3 CopyR4 CopyR5 CopyR6 CopyR7 CopyR8 CopyR9 CopyR10 CopyR11 CopyR12 CopyR14 Copyr20 Copyr23 Copyr24 Copyr25 Copyr26 Copyr27 Copyr28 Copyr29 Copyr30 Copyr31 Copyr32 Copyr33 Copyr34 Copyr35 Copyr36 Copyr37 Copyr38 Copyr39 Copyr41 Copyr42 Copy

 

 

PUPILO DE MIGUEL OLIVEIRA EM DESTAQUE

 

Pupilo de Miguel Oliveira com destaque em Portimão

 

Miguel Oliveira_12_Horas_CopyTomás Alonso participou este fim-de-semana em Portimão na categoria 250 Cup aos comandos da Honda 250 cc com nota muito positiva. O jovem talento português, apoiado pelo Miguel Oliveira Fan Club, fez a sua primeira corrida nesta categoria onde se destacou pela sua consistência durante todo o fim-de-semana. Protagonista de duas remontadas espectaculares, que o levaram até à 11ª posição com duas partidas falhadas.

 

"Foi uma experiência muito positiva e onde tive a oportunidade de aprender muito. Estou grato por esta oportunidade e espero poder continuar. Quero agradecer ao meu mecânico, ao Miguel e à minha família, estou muito contente." explica Tomás Alonso.

 

Já Miguel Oliveira, referiu estar: “muito contente com a prestação do Tomás. Demonstrou que com trabalho se conseguem alcançar os objetivos. Foi a sua primeira corrida e os tempos que fez foram muito próximos dos pilotos com muita experiência. Isso diz tudo. Vamos continuar a ajudar o Tomas e a criar as condições para que possa estar presente nas próximas provas"

 

Ainda sobre as 12 Horas de Portimão, Miguel Oliveira faz um balanço muito positivo: “Eu vejo esta nossa participação nas 12 Horas de Portimão como muito positiva, apesar de toda a juventude e da falta de experiência, julgo que foi uma experiência muito bem conseguida. O  ponto critico foi termos ficado sem gasolina na volta de entrada o que levou a que em todos os turnos tivéssemos que puxar muito o ritmo e, depois com a minha queda também...mas as corridas são mesmo assim e estas de resistência marcam-se precisamente por estas pequenas coisas.Gostei muito da experiência e da prova, embora seja completamente diferente daquilo a que estou habituado."

 

Recorde-se que a Parkalgar Racing Team ficou com a volta mais rápida em corrida, assinada por Miguel Oliveira na volta 261 das 352 que a equipa acabou por realizar, o que lhes permitiu mesmo assim terminar classificados na 20ª posição, que em nada espelha o fantástico trabalho realizado ao longo do fim-de-semana pela equipa.

 

SURF NO BRASIL

 

Silvana Lima finaliza na terceira posição em Los Cabos

Brasileira mantém bom retrospecto em etapa mexicana e soma bons pontos no WQS

A brasileira Silvana Lima terminou na terceira posição o Los Cabos Open of Surf, etapa que vale 6 mil pontos no ranking do WQS, campeonato que qualifica as melhores atletas para a elite do surf feminino na temporada seguinte. Com ótimas atuações nos rounds anteriores, Silvana ficou nas semifinais em disputa com a equatoriana Dominic Barona.

"Estou conectada com o surf, estou rendendo bem, estou feliz, minha cabeça e meu surf estão bons, agora é focar em El Salvador para manter esta boa fase e somar mais bons pontos no meu objetivo de voltar para a elite", comenta Silvana, que tem uma história bem curiosa envolvendo a concorrente.

"A gente dividiu a mesma casa no México e eu estava como coach dela até a nossa bateria. Além disso, ela estava me emprestando um strep. Claro que queria ter passado para a final, mas não tive como ficar triste ao ver ela na final. Pena que ela não foi campeã", completa a duas vezes vice-campeã mundial, que tem apoio de Oi, Furnas, Vult Cosméticos, Kommunity Project, Birds Intercâmbio, Grrrl Clothing e Cabianca. A vencedora da etapa foi a australiana Bronte Macaulay.

O próximo desafio de Silvana, que é a Copa El Salvador Impresionante, em Punta Roca, tem inicio no próximo dia 15.

 

RALIS NO BRASIL

 

Segunda edição do Rally de Piraquara será em Julho

Mais uma vez valendo pelo Campeonato Brasileiro, o Rally de Piraquara 2016 vai percorrer as estradas do município responsável pelo abastecimento de água da capital Paranaense.

Depois de uma ótima recepção do município em 2015, a segunda edição do Rally de Piraquara promete ser ainda mais desafiadora. Com novas estradas, a prova terá 130km de trechos cronometrados, em um único dia de prova, incluindo duas especiais noturnas.

O evento começa na sexta, 01 de julho, com uma largada promocional no centro de Piraquara, onde o público poderá ver de perto os carros e conversar com os pilotos. No sábado, 02 de julho, a disputa será em 10 especiais nas estradas históricas da região.

Nas últimas semanas a comissão técnica e equipe de segurança percorreram mais de mil quilômetros pela região e montaram uma nova logística. “Queríamos tornar o rally mais dinâmico, então conseguimos inserir um novo trecho, que vai deixar os competidores menos tempo parados”, conta o presidente do RPMC, Walter Lamarca Jr. 

Programação

Sexta-feira – 01 de julho de 2016

  • 20:00h - Largada Promocional

Sábado – 02 de julho de 2016

  • 09:00h - Largada do primeiro carro do Parque de Apoio
  • 09:18h - SS 01
  • 10:01h - SS 02
  • 10:54h - SS 03
  • 11:24h - Parque de Serviços 1
  • 12:37h - SS 04
  • 13:20h - SS 05
  • 14:13h - SS 06
  • 14:43h - Parque de Serviços 2
  • 15:56h - SS 07
  • 16:39h - SS 08
  • 17:19h - Parque de Serviços 3
  • 18:42h - SS 09 (noturna)
  • 19:30h - SS 10 (noturna)
  • 20:00h - Parque Fechado – Final 
  • 20:45h - Início da Premiação

A organização aguarda mais de 25 carros na disputa das três categorias do Brasileiro. Na categoria RC5 (para carros 1.6 de produção) a liderança está com a dupla Fabio Simsen / Gilson Rocha, de Peugeot 207. Na RC4 (para carros 1.6 preparados), Rafael Tulio / Cesar Valandro ocupam a primeira colocação. E na RC2N (para carros 4x4), os gaúchos Ulysses Bertholdo / Marcelo Dalmut seguem na liderança.

O Rally de Piraquara é uma realização do RPMC – Rallye & Pista Motor Clube com apoio de Total Storage, Ekron Off Road e Prefeitura Municipal de Piraquara.

 2015-07-04 -_rally_de_piraquara_edsoncastro_89_Copy

 

GT EM INGLATERRA

TF SPORT RETAINS CHAMPIONSHIP LEAD DESPITE DISAPPOINTING SILVERSTONE 500

 

 

The Pirelli British GT Championship Silverstone 500 promised so much, but TF Sport left Northamptonshire disappointed with a eighth place and a DNF, despite showing race-winning pace once again (11-12 July).

The #11 Aston Martin V12 Vantage GT3 of Mark Farmer and Jon Barnes recovered from an early spin in treacherous conditions to finish inside the top ten, while a collision with the barriers led to a retirement for title combatants, Derek Johnston and Jonny Adam. 

That free practice was spent experimenting with setups was symbolic of TF Sport’s confidence, but it also showed the championship-leading team’s unwillingness to relent in its pursuit of pace and consistency, and the British GT title.

TF Sport’s push for the smallest of gains was wise, as the top eight runners were covered by less than one second in first practice, with the #17 V12 Vantage of Johnston and Adam in fourth and the #11 car of Farmer and Barnes seventh.

However, Adam raised the bar on his final lap of FP2; a 2m01.330s was the quickest free practice time overall by nearly four tenths of a second, but six different marques filled the top six positions and the sister TF Sport Aston Martin was only a short way back in ninth, therefore nothing was assured heading into qualifying on Saturday afternoon.

Ultimately, Adam and Johnston were happy to take the #17 entry to third overall in qualifying, but there was less satisfaction on the other side of the garage after Farmer and Barnes placed ninth, having not completed qualifying simulations earlier in the weekend.

However, qualifying positions count for little in endurance races and, with heavy rain battering Silverstone, Johnston powered into the lead on the Hanger Straight on lap three, soon after the field was released from behind the Safety Car.

The #17 Aston Martin GT3 showed its winning pedigree once again, pulling out a 13-second lead over the 51-car field before disaster struck.

Running offline on lap 11 to pass slower traffic, Johnston lost control and clipped the wall at the Maggotts-Becketts complex, and TF Sport deemed the damage to the car's front-left to be too great to continue.

Over in the sister #11 TF Sport Aston Martin, Farmer took the first stint from ninth on the grid, gaining four positions by lap six before being caught out by the tricky wet conditions, and spinning at the exit of Woodcote.

Having lost time after being forced to wait for the field to stream through, TF Sport battled back to eighth position and. Team Director, Tom Ferrier, said: “With the #17 car of Jonny (Adam) and Derek (Johnston), we’re fortunate to still be leading the championship. We didn’t finish, obviously, so we had a bit of good fortune there but it’s just a shame we’ve lost the opportunity to gain points.

“With the #11 car we made mistakes, so P8 is as good as we can expect really. It’s a bit sad but that’s the way it goes sometimes. We’re aiming for a clean weekend with no mistakes at Spa and we’ll be ready wet or dry!”

TF Sport leaves Silverstone disappointed, but content in the knowledge that it retains its championship lead heading into the Pirelli British GT Championship’s ‘flyaway’ at the legendary Circuit de Spa-Francorchamps in Belgium’s Ardennes Forest (8-9 July).11-0001 Copy

 

AMNSPORT E ANTÓNIO NOGUEIRA NO PÓDIO EM SANTA MARTA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 – VALVOLINE

 

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

 

AMNSPORT E ANTÓNIO NOGUEIRA NO PÓDIO EM SANTA MARTA



Depois da ausência na Rampa da Covilhã, por razões profissionais, eis que a equipa da AMN Sport – António Nogueira esteve á partida da Rampa Santa Marta, ao volante do seu já habitual Porsche GT 2 na quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha.

António Nogueira  logo nas duas subidas de treinos fez logo  tempos na ordem dos  2.03.876 e 2.00.645  respectivamente, aliás dois excelentes cronos, numa altura em que o Porsche GT 2 começou a debater-se com problemas eléctricos. Mesmo assim o piloto da AMN Sport não baixou os braços, e nas três subidas de prova conseguiu ainda baixar mais os tempos , conseguindo alcançar os tempos de  1.59.729, 1.57.550 e 1.57.537, sempre a melhorar, mas sem duvida alguma insuficientes para ser o vencedor da categoria.

Depois de ter retirado o capacete, e ter bebido um pouco de água, António Nogueira, disse-nos logo “      não deu para mais…não se pode vencer sempre…Tive problemas eléctricos, para além doutra situação numa centralina que não permitiu um melhor desempenho por parte do carro, e face a isso não foi possível fazer melhor. Depois por lapso meu, usei uns pneus da época passada, que também não veio ajudar em nada, mas as corridas são assim mesmo, e temos de saber superar os imprevistos. Dou os meus parabéns ao Gonçalo Manahu por esta brilhante vitória, e posso acrescentar que face ao estado em que o meu Porsche GT 2 se encontra, não ficaria nada surpreendido que o Edgar Reis no seu GT 3, também ficasse à minha frente “.



CLASSIFICAÇÃO FINAL GERAL



1º Pedro Salvador – Norma

2º Rui Ramalho – Osella

3º Paulo Ramalho – Juno

4º Nuno Guimarães – BRC

5º Gonçalo Manahu – Porsche GT 3

6º AMN SPORT – ANTÓNIO NOGUEIRA – PORSCHE GT 2



CLASSIFICAÇÃO FINAL CATEGORIA


1º Gonçalo Manahu – Porsche GT 3

2º AMN SPORT – ANTÓNIO NOGUEIRA – PORSCHE GT 2

3º Edgar Reis – Porsche GT 3

 

 

CIRCUITO INTERNACIONAL DE VILA REAL

 

INDECISÃO NA PARTICIPAÇÃO NO SEIO DA EQUIPA DA  AMN SPORT


FOX 5256_CopyFOX 6107_Copy

Para o Circuito Internacional de Vila Real, a equipa da AMNSport – António Nogueira, tem assegurada a sua participação na prova reservada para o Campeonato Nacional de Clássicos. Há duas semanas atrás, António Nogueira afirmou que  poderia ir de Ford Escort, no entanto o piloto da Régua tem novos planos, que são aqui desvendados “ para já o que está inscrito para as corridas em Vila Real, é o Ford Capri, no entanto ainda estou indeciso, pois já há muito tempo que não corro no Escort, e para já estou nesta indecisão, só mesmo dois , ou três dias antas da prova tomarei decisão sobre qual dos carros é que irei participar, por isso vamos ter de aguardar um pouco mais para depois se saber com que carro é que a AMNSport irá participar no Circuito Internacional de Vila Real “.

 

 

MARTINE PEREIRA DE NOVO COM PROBLEMAS

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 – VALVOLINE

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

MARTINE PEREIRA DE NOVO COM PROBLEMAS NA CAIXA DE VELOCIDADES


O Lola T 70 de Martine Pereira tem dado muitas “dores de cabeça” a toda a equipa do piloto de Vila Nova de Famalicão, pois a caixa de velocidades e a embraiagem não estão sintonizadas, e com isso não tem permitido que possa tirar maior partido das potencialidades deste protótipo.

Os problemas na Rampa de Santa Marta surgiram  logo na primeira de treinos, que obrigou a que Martine Pereira tivesse de encostar. Depois a equipa de mecânicos tentou solucionar o problema, e assim Martine Pereira acabaria por conseguir fazer as três subidas de prova, mas com uma série de limitações, tendo conseguido alcançar os cronos de 2.24.124, 2.22.897 e 2.23.361 respectivamente.

No final da prova, depois de retirar o capacete, descreveu-nos como foi o fim de semana” contava que o problema de embraiagem estava solucionado, mas pelos vistos não está, com muita pena minha. Estava esperançado que estivesse tudo resolvido, para assim poder fazer uma boa prova, mas infelizmente não deu para isso. Vamos ter de estudar com o fabricante a melhor solução, para ver se na próxima prova na Rampa do Caramulo, isto pertence ao passado “.

 

CLASSIFICAÇÃO GERAL CATEGORIA

FOX 5951_Copy

1º MARTINE PEREIRA – Lola T 70

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2016

CAMPEONATO DO MUNF1 CopyF2 CopyF3 CopyF4 CopyF5 CopyF6 CopyF7 CopyF8 CopyF10 CopyF11 CopyF12 CopyF15 CopyF17 CopyF18 CopyF19 CopyF20 CopyF21 CopyF22 CopyF24 CopyF24 CopyF25 CopyF27 CopyF28 CopyF28 CopyF30 CopyF31 CopyF32 CopyF33 CopyF34 CopyF35 CopyF40 CopyF41 CopyF42 CopyF44 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf56 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copyf61 Copyf62 Copyf63 Copyf64 Copyf65 Copyf66 Copyf67 Copyf61 Copyf62 Copyf67 Copyf68 Copyf69 Copyf71 Copyf72 Copyf73 Copyf80 Copyf81 Copyf82 Copyf83 Copyf84 Copyf85 Copyf86 CopyDO DE FÓRMULA 1

 

G.P.CANADÁ

 

HAMILTON DE NOVO

 

Lewis Hamilton foi o vencedor do Grande Premio do Canadá, que correu ontem nas ruas de Montreal.Atrás do Mercedes de Hamilton, surge o Ferrari de Vettel, tendo na sua esteira o Williams de Bottas.

 

Na 4ª posição  foi para o Red Bull de Verstappen, seguido do Mercedes de Rosberg, ficando o  "top ten" completo com o Ferrari de Raikonen, o Red Bull de Ricciardo, o Force India de Hulkenberg, o Toro Rosso de Sainz e o Force India de Perez.

 

MANAHU VENCE CATEGORIA EM SANTA MARTA

Vitória de Gonçalo Manahu

Depois de três pódiuns consecutivos, o piloto do Porsche 997 GT3, vence a Categoria e faz um brilhante quinto tempo à geral, na Rampa de Santa Marta de Penaguião.

Gonçalo Manahu entrou com o pé direito e os pneus certos. Logo na primeira subida da manhã, fez o terceiro tempo à geral e incontestavelmente liderava a categoria. “Apostei nos pneus Avon e encontrei um carro completamente diferente, muito mais agarrado ao piso, cheguei ao topo da rampa convencido que tinha vindo devagar e vejo que estou com o terceiro tempo. Acredito que na próxima subida ainda possa fazer melhor, com o conhecimento que vou tendo sobre o comportamento do carro.”

Na segunda subida de prova, com o traçado mais quente, o tempo piorou em dois décimos de segundo o que “é natural, pois estava mais escorregadio. Mesmo assim fiz o melhor tempo da categoria e só os protótipos ficaram à minha frente. Acho que fiz um bom resultado.” O piloto do Porsche 997 GT3 Cup fez quinto à geral, a 54 milésimas(!) do quarto tempo.

Na última subida, com o piso mais quente notou-se que os tempos foram geralmente meio segundo mais lentos. Apesar de ter seguido essa tendência “subi num ritmo idêntico ao da prova anterior mas não consegui fazer baixar o tempo. O mesmo aconteceu com a maioria dos meus adversários e por isso acho que melhor só mesmo com o azar dos outros (risos).”

Gonçalo Manahu, conseguiu o tempo total de 3m 53, 742s que lhe dá a vitória, há tanto perseguida, na Categoria 2. “Adaptei-me muito bem ao traçado. É uma rampa completamente diferente das outras e acho que parece feita à minha medida. Estou muito feliz, pois tinha o objectivo de vencer uma prova este ano e esta vitória é o cumprir disso mesmo. Com este resultado parto para a segunda metade do campeonato com motivação redobrada.” Rematou o vencedor da Categoria 2.

manahu.s.marta manahu.s.marta.2

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2016 Canada Grand Prix – Race

LEWIS HAMILTON CLAIMS VICTORY FROM POLE WITH A ONE-STOP
STRATEGY, HOLDING OFF SEBASTIAN VETTEL ON A TWO-STOPPER

WITH THE COLDEST CONDITIONS IN RECENT HISTORY, DIFFERING
STRATEGIES HELP DRIVERS TO CLIMB UP THROUGH THE FIELD

FASTEST RACE LAP WAS ON SOFT TYRES AND 1.4s
QUICKER THAN 2015 FASTEST LAP, WHICH WAS ON SUPERSOFT

 The Canadian Grand Prix got underway in some of the coldest conditions seen recently during a race weekend, with track temperatures of just 20 degrees centigrade: putting the accent on tyre warm-up and management. There was a wide variety of one and two stop strategies, with polesitter Lewis Hamilton stopping just once in his Mercedes, but holding off the Ferrari of Sebastian Vettel, which stopped twice, having beaten Hamilton off the line to lead into the first corner.

Hamilton made his sole stop on lap 24, re-emerging in second place behind Vettel. Once Vettel made his second stop, he had a six-second deficit to try and make up to Hamilton in 33 laps, using soft tyres that were 13 laps younger than those on the Mercedes.

Despite the cold conditions, Nico Rosberg set the fastest lap of the race on the soft tyre, 10 laps from the end, lapping his Mercedes 1.4 seconds quicker than the 2015 fastest lap, which was set on supersoft. 

Valtteri Bottas took the first podium of the season for Williams by using a similar strategy to Hamilton, while the remainder of the top 10 stopped twice, after starting on the ultrasoft – the fastest compound by around 0.6s per lap.

An alternative strategy was run by Force India’s Sergio Perez, who started on the soft tyre and completed a long first stint of 31 laps before making his sole stop for supersofts. The most impressive climber was Toro Rosso’s Carlos Sainz, who used a two-stop strategy (finishing the race on the rapid ultrasoft) to end up ninth, after starting 20th on the grid.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “Thanks to differing race strategies, we saw a grandstand finish, with the two-stopping Vettel closing in on the one-stopping Hamilton. Cool track temperatures made tyre management crucial, with some teams also switching strategies as it became clear that this might be quicker. Most drivers in fact stopped twice, compared to the one-stop race last year in Canada. Key to making a one-stopper work was looking after the tyres as effectively as possible, which Hamilton and Bottas both did brilliantly.”

Ultrasoft Supersoft Soft
First VES 1m16.319s VET 1m17.143s ROS 1m15.599s
Second SAI  1m16.578s RAI  1m17.932s HAM 1m15.981s
Third KVY 1m16.942s PER 1m18.427s VET  1m16.297s

Longest stint of the race:

Soft      Alonso 52 laps
Supersoft      Vettel 26
Ultrasoft      Magnussen 29

Truthometer: We predicted a one-stop strategy as being the best option for this race in the normal course of events, starting on ultrasoft and changing to soft on lap 25. Hamilton followed our pattern almost exactly as predicted, stopping on lap 24.

For more information: please visit our all-new website, which is regularly updated with exclusive in-depth features, news and reviews. To find out more, please visit:
www.pirelli.com/global/en-ww/montreal-2016-race

 

alt

 

QUATRO SEGUIDAS PARA PEDRO SALVADOR

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 - VALVOLINE

 

RAMPA SANTA MARTA

 

QUATRO SEGUIDAS PARA PEDRO SALVADOR

 

 

Pedro Salvador conquistou em Santa Marta de Penaguião a quarta vitória da época e ainda bateu o record absoluto deste traçado.

O homem da Speedy Motorsport começou bem. Retirou nove décimas ao tempo da primeira subida de prova e consolidou a liderança. “Ontem fiquei com a certeza de que ainda podia melhorar e com a rampa mais rápida baixei o tempo para o segundo 45.” O homem do Norma deixa assim o seu mais directo adversário a 1,3 segundos e bate o record da Rampa e Santa Marta, com o tempo de 1m 45,842s.

Mas se bater o record não foi suficiente, na derradeira subida de prova ainda retirou mais meio segundo. O melhor tempo de sempre na Rampa de Santa Marta é agora de 1m 45,245s.

“Na última subida estava apostado em tentar baixar para o segundo 44 e acho que tinha conseguido, não fosse o facto de na travagem para o último gancho da rampa ter ficado com o pé preso por baixo do acelerador e por isso ter perdido tempo. Mais uma vez, dei o meu melhor, fui rápido e bati mais um record. Acho que esta é a melhor forma de agradecer a todos quantos me apoiam e de dar o melhor espectáculo, que é isso que traz o público às rampas.” Rematou o vencedor da Rampa de Santa Marta de Penaguião.

Contas feitas, Pedro Salvador rodou em 3m 31,087s, no somatório das duas melhores subidas, o que lhe deu uma vantagem de 3,963s sobre o segundo classificado. Com esta vitória, o homem do Norma M20 FC venceu pela quarta vez, em quatro provas, o que o coloca destacado na frente do Campeonato Nacional de Montanha.

salvador.s.marta

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE RALICROSS

CAMPEONTO MUNDO DE RALICROSS

 

CAPOTANÇA

 

Sequencia engraçada de  um capotanço13445296 1728587467416599_4609847132712185546_n_Copy13344804 1728588097416536_8426446803596078752_n_Copy13450121 1728587760749903_4832748428241497697_n_Copy13445709 1728588324083180_8550585946977034905_n_Copy dum Mini numa das provas do Campeonato do Mundo de Ralicross

 

Fotos de Paulo Maria - World - www.velocidadeonline.com

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

TESTES EM LE MANS

 

Pequeno grupo de imagens dos testes de preparação par as 24 Horas de Le Mans13344500 1077027182368598_3893312274624850132_n_Copy13407096 644362049049854_7485150401492791057_n_Copy13428027 644361955716530_1385422865066834325_n_Copy13428574 644361992383193_4724208857494608316_n_Copy

 

ANDRÉ RODRIGUES NO RALI DE MONCHIQUE

 

André Rodrigues de regresso ao Challenge DS3 R1

 

Depois da sua estreia nos ralis em 2015, André Rodrigues volta a levar as cores do Sport Lisboa e Benfica aos ralis nacionais e ao Challenge DS3 R1, troféu monomarca organizado pela Inside Motor e que faz correr vários Citroen DS3 R1 nas provas do Campeonato FPAK de Ralis.

 

Vulgarmente conhecido como “O Homem da Águia do Benfica”, André Rodrigues fez a sua estreia nos ralis em 2015, tendo realizado então quatro provas aos comandos de um Citroen DS3 R1, onde viria a somar dois pódios no troféu.

 

Para este ano, a aposta voltou a recair no troféu organizado pela Inside Motor. O piloto que conta com os apoios do Sport Lisboa e Benfica, Confrasilvas, Dyrup, Vidrofornense, Semeca, Etopi, ACPA, JM Póvoa e SAM'S disse que “passado praticamente um ano desde o meu último rali, os objectivos passam claramente por somar quilómetros e voltar a ganhar confiança com o carro, de forma a podermos melhorar a cada passagem nos troços de Monchique. Vamos querer lutar por uma boa classificação, mas sempre tendo em mente que é muito importante terminar a prova, de forma a podermos aprender o máximo possível”.

 

André Rodrigues destacou ainda a “importância dos patrocinadores no nosso projecto, pois eles são os grandes responsáveis da nossa presença no Challenge DS3 R1. Tudo iremos fazer para cumprir os nossos objectivos e dessa forma retribuir a confiança que depositam em nós”.

 

Para esta temporada, André Rodrigues terá a seu lado Eurico Adão, nada mais nada menos do que o Navegador Campeão do Challenge DS3 R1 e que precisamente há um ano nesta prova se estreava a vencer no troféu.

 

O Rali de Monchique é uma organização do Clube Automóvel do Sul e terá lugar já este fim-de-semana, com o dia de sábado a ficar reservado às habituais verificações documentais d técnicas, assim como á realização de três provas especiais de classificação. No domingo realizam-se mais seis especiais, todas elas disputadas na Serra de Monchique.

Poderá seguir as incidências do Rali de Monchique na página de Facebook do piloto André Rodrigues em https://www.facebook.com/andrerodriguesslb.Anexo sem_nome_00001_Copy

 

LINDE É NOTICIA

 

A segurança: um compromisso permanente da Linde Material Handling Ibérica.

 

A Linde Material Handling Ibérica forma os seus técnicos na manutenção e reparação de equipamentos em ambientes ATEX.

 

Os ambientes potencialmente explosivos por gases, pó ou nevoeiro exigem tomar importantes medidas de segurança. A Linde MHI compromete-se neste sentido e forma 60 dos seus técnicos polivalentes, em Espanha e Portugal, para que possam propor os serviços da Linde com as máximas garantias.

 

Alcochete, 9 de junho de 2016.- A Linde Material Handling dispõe de uma gama específica de veículos antideflagrantes com tecnologia de última geração, desenhados desde a sua origem para movimentar mercadorias em ambientes potencialmente explosivos ou zonas ATEX. Isto significa que ao contrário de outras marcas, a Linde não adapta veículos da sua gama standard para serem utilizados nestes ambientes, pelo contrário são desenhados desde a origem para trabalhar nestas condições.

 

Os equipamentos antideflagrantes da Linde são fabricados em Proplan, uma fábrica da Linde, localizada na Alemanha e destinada a este fim. Os equipamentos antideflagrantes da Linde incorporam prestações de segurança específicas como componentes elétricos certificados e testados para a proteção contra explosões ou equipamentos encapsulados num ambiente antideflagrante. Na verdade, todos estes componentes são continuamente analisados e certificados pelo organismo internacional TÜV Rheinland.

 

Para proporcionar aos clientes com ambientes potencialmente explosivos, um serviço de alta qualidade e com todas as garantias de segurança, a Linde Material Handling Ibérica formou 60 técnicos SAT da sua densa rede comercial de Espanha e Portugal, em dois níveis. Por um lado foram formados por Proplan  e, por outra, participaram no curso “Qualificação de equipamentos ATEX” lecionado pelo Laboratório Oficial J.M. Madariaga (LOM), Centro da Universidad Politécnica de Madrid (UPM), entidade de referência para atmosferas explosivas como único Organismo Notificado espanhol, certificador para a Diretiva ATEX europeia, assim como certificador no sistema IECEx, de âmbito mundial. Com esta formação em duas vertentes, a Linde garante que os seus clientes que têm equipamentos antideflagrantes Linde a trabalhar em ambientes potencialmente explosivos sejam assistidos por técnicos certificados, que passaram rigorosos exames que certificam que conhecem perfeitamente os equipamentos Atex da Linde, enquanto estão atualizados acerca das exigentes normativas de segurança nestes ambientes.

 

Jaime Gener Bover, Diretor Gerente da Linde Material Handling Ibérica, comenta a este respeito: “Na Linde temos um compromisso permanente com a segurança dos nossos clientes e esta formação dos nossos técnicos especializados, nas instituições de maior prestigio nacional e internacional em matéria ATEX é uma amostra disto. Para nós é fundamental que os clientes tenham a certeza de que a Linde trabalha com elevados padrões de serviço e qualidade.”

 

 

  • Imagem

 

Para proporcionar aos clientes com ambientes potencialmente explosivos um serviço de alta qualidade e com todas as garantias de segurança, a Linde Material Handling Ibérica formou 60 técnicos SAT da sua densa rede comercial de Espanha e Portugal.

 

RAMPA SANTA MARTA 2016

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 - VALVOLINE

 

RAMPA SANTA MARTA

 

PEDRO SALVADOR VENCE A TODA A LINHA

 

 

Chegou ao fim a segunda edição da Rampa de Santa Marta, quarta jornada do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline 2016. Numa prova marcada pelo bom tempo, factor que trouxe muita gente para assistir a uma excelente prova, recheada de emoção e muito espectáculo.
Com o tempo total de 3:31s087, a vitória pertenceu a Pedro Salvador em Norma M20FC, que cimenta desta forma a sua liderança no campeonato, onde tem até agora o pleno de triunfos tantos em termos absolutos, como na Categoria 1.
O piloto flaviense conseguiu na última subida de prova a marca de 1:45s245, marca que fica a constituir novo recorde da rampa organizada pelo Clube Automóvel da Régua, com o exemplar apoio da Câmara Municipal de Santa Marta de Penaguião.

 


“Estou muito satisfeito com este triunfo, numa prova que não conhecia. Fui evoluindo ao longo dos treinos, conseguindo baixar os tempos pouco a pouco. Na última subida podia ter melhorado um pouco mais, mas tive um pequeno problema com um pé a ficar preso, o que me impediu de chegar cá em cima no melhor tempo possível. Com este resultado tenho de assumir que o meu objectivo de chegar ao título ficou mais perto, mas ainda há muito caminho pela frente e a concorrência está mais perto como se viu aqui nesta prova.” Afirmou Pedro Salvador.
Sem conseguir bater Salvador, mas a mostrar uma grande evolução em relação a provas anteriores, Rui Ramalho levou o seu Osella PA 21S Evo até ao segundo lugar final da geral e da Categoria 1, deixando o degrau mais baixo do pódio para o seu irmão Paulo Ramalho em Juno CN09.
A correr em casa, Nuno Guimarães esteve sempre muito rápido ao volante do pequeno BRC CM02, conseguindo o quarto lugar final, com Joaquim Rino a completar o lote de pilotos que pontuaram na Categoria 1.

 


Com um excelente quinto lugar absoluto e marca de 3:53s742, Gonçalo Manahu levou o seu Porsche 997 GT3 Cup ao triunfo na Categoria 2, com 0s993 de vantagem para o piloto local António Nogueira em Porsche 911 GT2. Naquela que é uma das mais animadas categorias do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline em 2016, foi Edgar Reis (Porsche 997 GT3 Cup) a completar os lugares com direito a pódio.
“Esta é uma vitória arrancada a ferros, mas que acho já merecia! Foi uma luta constante desde a primeira subida de ontem, para ir evoluindo a minha forma de condução e a chegar à melhor afinação para o carro nesta rampa. Optei por utilizar pneus diferentes hoje, que se mostraram mais eficazes e me deram um pouco mais de confiança para atacar forte nas duas subidas de prova. Esta é uma categoria muto competitiva e que só vai ficar decidida mesmo no final, onde espero estar entre os candidatos ao título.” Referiu Gonçalo Manahu.
No quarto lugar da Categoria 2 ficou José Correia em Nissan GT-R Nismo GT3. Pedro Saraiva (Mitsubishi Lancer Evo IX) e João Guimarães (Peugeot 206 RC) ocuparam as duas posições seguintes.

 


Com o bonito Ford Fiesta R5, Manuel Correia soma e segue na Categoria 3, alcançando o triunfo nesta rampa com o tempo total de 3:58s401, depois de liderar as tabelas de tempos durante toda a prova. O pódio desta categoria ficou completo com a presença de Luis Silva em BMW M3 e Sérgio Nogueira em Citroën Saxo.
“Foi mais uma boa vitória. Gostei do traçado e consegui ser sempre muito rápido, tendo sempre no meu carro um aliado de peso, o que me deu vantagem na luta pelo triunfo. Ontem ainda tive a forte oposição de Manuel Pereira, mas como ele bateu e hoje não subiu, fiquei mais à vontade para hoje. Dei um grande passo em direcção ao título, mas ainda é cedo para pensar nisso, temos de continuar a apostar forte e tentar vencer as provas que faltam.” Sintetizou Manuel Correia.
Francisco Morgado foi terceiro com um Mitubishi Lancer EvoVIII, seguido por César Caldas em carro idêntico e Nuno Pinto em Mazda MX5.
Na Categoria 4, o triunfo ficou decidido nos instantes finais da prova, com Luis Nunes (SEAT Leon Cup Racer) a levar a melhor com o tempo total de 3:59s237, conseguindo bater Joaquim Teixeira em Renault Megane Trophy V8, por pouco mais de um segundo. Ricardo Gomes fechou o pódio com o seu SEAT Leon Supercopa MKII.

 


“Hoje foi mesmo muito complicado conseguir vencer a prova. Com o tempo seco e tendo adversários com carros mais potentes que o meu, fica tudo muito equilibrado e por isso até ao fim nunca se sabe quem vai ganhar. Consegui ser eu a vencer e estou obviamente muito satisfeito. Este pode ser um resultado decisivo na luta pelo título, sendo que fico agora em posição privilegiada para o conseguir.” Disse Luis Nunes.
Francisco Marrão em SEAT Supercopa MKI foi o quarto, seguido por Paulo Silva (SEAT Supercopa MKII), pelo piloto espanhol Simon Martinez e José Cerqueira, ambos em SEAT Supercopa MKI.
Com um excelente andamento, Flávio Sainhas conseguiu o tempo final de 4:25s176 e levou o seu Ford Escort MKI ao triunfo na Categoria 5, na frente de Pedro Cerqueira em BMW E30 E30, Parcídio Summavielle em Datsun 240Z e Mário Mesquita em Datsun 1600 SSS.

“Foi uma vitória saborosa e muito difícil. Andei bem, consegui evoluir a cada subida e por isso cheguei ao fim como vencedor, apesar de não ter sido fácil, já que tive bastante oposição e isso não me deixou descansar.” Disse Flávio Sainhas.
Imparável na Categoria 6, Hélder Silva foi o vencedor incontestado com o tempo total de 4:03s240. Atrás do piloto do BMW 323i, ficaram Victor Ramos em Ford Escort MKI e Fernando Salgueiro com um Ford Escort MKII. Martine Pereira fechou a classificação da categoria com o seu Lola T70.

 


“Foi mais uma luta um pouco solitária, onde a principal motivação que tive foi a de fazer o melhor possível à geral. Fui mostrando grande evolução ao longo da prova e os tempos que consegui deixaram-me muito satisfeito. O 13º lugar na geral é uma boa recompensa para mim e para a minha equipa.” Referiu Hélder Silva.
Sempre na frente ao longo do fim-de-semana, Armando Freitas não teve dificuldade para vencer a Taça Nacional de Montanha, levando o pequeno Toyota Starlet ao triunfo com a marca final de 4:42s055. Leonel Brás garantiu o segundo lugar com um Citroen AX Sport na frente de Roberto Meira em Fiat Punto 85.

 


“Não tive grandes problemas para vencer, com o meu carro a estar sempre impecável ao longo da prova. É um resultado merecido e uma justa recompensa para a nossa equipa.” Disse Armando Freitas.
Foi muito suada a vitória conseguida por Cândido Monteiro na Taça Nacional de Clássicos Montanha. O piloto do Datsun 1200, partiu a caixa de velocidades ontem, sendo forçado a abdicar da primeira subida de prova. Com o carro recuperado para Domingo, Monteiro entrou ao ataque e conseguiu um merecido triunfo face à oposição de José Figueiredo em Datsun 1200 e Domingos Fernandes em Autobianchi A112.
“Antes demais quero agradecer aos amigos que me ajudaram a arranjar uma caixa de velocidades e ajudaram na respectiva troca, o que me possibilitou estar aqui hoje a comemorar. Desta vez tive oposição e também por isso o triunfo foi bem mais recompensador.” Adiantou Cândido Monteiro.

 


O Campeonato Nacional de Montanha Valvoline segue agora para o Caramulo, onde se disputa a 09 e 10 de Julho a quinta jornada desta competição em 2016.
Todos os resumos das diversas subidas de prova e treinos, estão disponíveis quer no site oficial do campeonato em www.campeonatomontanha.com, quer no facebook em https://www.facebook.com/CampeonatoMontanha/

 

fOTOS : Foto GTI - Armindo Cerqueira e Pedro Ferreira

 

 

NOTA DE REDACÇÃO

 

O  ,www.velocidadeonline.com  , enquanto gestor desta página e do Facebook, é nesta caso totalmente alheio quer à qualidade, quer ao teor deste artigo em termos de erros e imprecisões apresentados pela Race Spirit como autoria deste texto.PRESS-APF 6520_CopyPRESS-APF 6550_CopyPRESS-GTI 8275_CopyPRESS-GTI 8729_CopyPRESS-GTI 9227_CopyPRESS-GTL 4754_CopyPRESS-GTL 4801_Copy

 

 

SEGUNDO TIAGO MONTEIRO

WTCC 2016

 

SEGUNDO TIAGO MONTEIRO

 

Hoje trago para Portugal o maior número de pontos possível. 6º e 5º nas duas corridas e continuamos na luta pelo vice campeonato. Bom trabalho de toda a minha equipa e minha familia!



 

WTCC 2016 - LADA COM DOMINIO TOTAL

WTCC 2016 - RUSSIA

 

 

LADA COM DOMINIO TOTAL

 

Catsuburg em Lada, foram os grandes dominadores da sessão de treinos de mais uma jornada do WTCC desta feita na Russia.Assim ao lado de Catsburg, estão os seus colegas de equipa Tarquini e Valente, que dominaram por competo a sessão de treinos cronometrados.De seguida na 4ª posição surge o Chevrolet Cruze de James Thompson, que tem atrás de si o Honda Civic de Michelisz.Nas posições seguintes aparece o Citroen de Jose Maria Lopez, o Cruze de Tom Coronel, os dois Citroen de Muller e Bennani, ficando o "top ten" completo com Tiago MoW1 CopyW2 CopyW3 CopyW4 CopyW5 CopyW6 CopyW7 CopyW8 CopyW9 CopyW10 CopyW11 CopyW12 CopyW14 CopyW15 Copynteiro, que tem junto de si o seu colega de  equipa Rob Huff.

 

RAMPA SANTA MARTA 2016

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 - VALVOLINE

 

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

 

 

Perante uma excelente moldura humana, a última subida do dia, - primeira de prova na Rampa de Santa Marta -, foi bastante atribulada com alguns acidentes a atrasarem o programa da prova organizada pelo Clube Automóvel da Régua.

Nada que incomodasse Pedro Salvador, que colocou o seu Norma M20FC no topo da tabela de tempos da geral absoluta, tanto do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline como também da Categoria 1, com o melhor tempo do dia, 01:46s788.

Com a decisão final marcada para amanhã, Salvador parte por isso com vantagem para Rui Ramalho, que conseguiu a segunda posição com o seu Osella PA21S Evo. Nuno Guimarães manteve um excelente andamento com o pequeno BRC CM02 e marcou a terceira melhor marca nesta categoria.

Edgar Reis foi o mais rápido na Categoria 2, registando a marca de 01:58s965 com o seu Porsche 997 GT3 Cup, suplantando António Nogueira em Porsche 911 GT2 por apenas 0s764. Gonçalo Manahu, que liderou os acontecimentos nas duas subidas de treinos com o seu Porsche 997 GT3 Cup, fez apenas a terceira marca nesta subida.

Manuel Correia foi mais o eficaz na Categoria 3, levando a melhor com o possante Ford Fiesta R5. Correia obteve a marca de 02:00s499, suplantando Manuel Pereira em Mitsubishi Lancer Evo VI pela incrível margem de 10 milésimas! Azar, no entanto, para este último, que bateu logo após a tomada de tempos, deixando o bólide japonês em mau estado. Também acidentado, Luis Silva levou o seu BMW M3 até ao terceiro lugar nesta subida.

Com uma excelente subida em 2:00s181, Luis Nunes e o SEAT Leon Cup Racer lideram a Categoria 4. Francisco Marrão conseguiu a segunda melhor marca com o SEAT Leon Supercopa MKI. Em carro idêntico, Simon Martinez obteve o terceiro tempo. Joaquim Teixeira (Renault Megane Trophy V8) hipotecou as suas possibilidades, com um pião a estragar a sua subida.

Flávio Saínhas em Ford Escort MKI foi o mais rápido na Categoria 5 com 02:12s955, na frente de Pedro Cerqueira em BMW E30 e de Carlos Oliveira em Porsche 911 ST.

Na Taça Nacional de Montanha, a primazia pertenceu a Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3 S, que fez nesta subida o tempo de 02:23s379, Roberto Meira em Fiat Punto 85 foi segundo, com Leonel Brás a levar o seu Citroen AX Sport ao terceiro lugar.

José Figueiredo em Datsun 1200 foi o mais rápido na Taça Nacional de Clássicos com 02:32s963, com Domingos Fernandes a ser o segundo com o seu Autobianchi A112.

Tiago Ribeiro em VW Golf, único na Categoria 7, continua a melhorar os seus tempos, conseguindo um tempo de 02:08s763.

Amanhã cumpre-se o restante programa da Rampa de Santa Marta 2016, com os pilotos a disputarem as duas últimas e decisivas subidas de prova, antecedidas de uma subida de treinos.

 

 

Resumos dos treinos


Última subida de treinos sem surpresas


Com o calor a continuar a marcar forte presença na Rampa de Santa Marta, a segunda subida de treinos decorreu sem problemas de maior e tantos em termos absolutos, como na Categoria 1, foi mais uma vez Pedro Salvador (Norma M20FC) a realizar a melhor marca com 1:47s772, tirando cerca de 1,2s ao seu tempo anterior. Rui Ramalho (Osella PA21S Evo) foi o segundo mais rápido, mas não melhorando em relação à sua primeira subida de treinos. Nuno Guimarães (BRC CM 02) registou mais uma vez a terceira melhor marca com o seu BRC CM02.

Com o bonito Ford Fiesta R5, Manuel Correia foi de novo o mais rápido na Categoria 3, conseguindo desta feita o tempo de 2:00s285. Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer Evo) foi o segundo mais rápido, com Sérgio Nogueira a surpreender com o seu Citroen Saxo e a ficar no terceiro lugar desta categoria.

Na Categoria 2, Gonçalo Manahu em Porsche 997 GT3 Cup voltou a ser o mais rápido com 2:00s370, tirando mais de dois segundos ao seu tempo anterior. António Nogueira foi segundo com o seu fiel Porsche 911 GT2, na frente de José Correia e do espectacular Nissan GT-R Nismo GT3.

Com o SEAT Leon Cup Racer de última geração, Luis Nunes fez 2:023s396 e voltou a ser o mais rápido na Categoria 4, mas a diferença para Joaquim Teixeira, segundo classificado com o imponente Renault Megane Trophy V8, foi agora de apenas 370 milésimos. Francisco Marrão em SEAT Supercopa MKI foi o terceiro mais rápido.

Na Categoria 5 foi Flávio Saínhas em Ford Escort MKI o mais rápido com 02:14s272, na frente de Carlos Oliveira em Porsche 911 ST e Parcídio Summavielle em Datsun 240Z.

Com o tempo de 2:04s184, Hélder Silva (BMW 323i) voltou a ser o melhor na Categoria 6, na frente de Victor Ramos (Ford Escort MKI) e Fernando Salgueiro em Ford Escort MKII. Único inscrito na Categoria 7, Tiago Ribeiro (VW Golf), cumpriu a sua subida em 2:09s930.

Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3 S (2:24s009), vai dominando na Taça Nacional de Montanha, com Leonel Brás (Citroen AX Sport) em segundo e Roberto Meira (Fiat Punto 85) em terceiro.

Azar para Cândido Monteiro nesta subida, já que ficou parado com problemas de caixa de velocidades no seu Datsun 1200, deixando o caminho aberto para que fosse José Figueiredo a ser o mais rápido na Taça Nacional de Clássicos (2:37s338), na frente do pequeno Autobianchi A112 de Domingos Fernandes.

 

Rampa de Santa Marta abre com sol e calor



Foi com sol e muito calor que Santa Marta de Penaguião recebeu a caravana do Campeonato Nacional de Montanha Valvoline, onde este fim-de-semana se disputa a Rampa de Santa Marta, - quarta jornada desta empolgante competição em 2016. Depois de três provas onde a chuva marcou presença, chegou finalmente o verão e esta é uma boa noticia para a extensa lista de 48 pilotos inscritos para esta prova.

A primeira subida de treinos abriu o programa da 2ª Rampa de Santa Marta, com o tempo de 1:48s954, Pedro Salvador foi o mais rápido entre todos os concorrentes com o seu Norma M20FC, liderando em termos absolutos e na Categoria 1. Com mais 348 milésimas, Rui Ramalho colocou o seu Osella PA21S Evo no segundo lugar, mostrando que com o tempo seco e uma maior adaptação ao protótipo italiano, o jovem piloto do Porto pode dar réplica a Salvador.

Gonçalo Manahu esteve muito bem nesta primeira subida, colocando o seu Porsche 997 GT3 Cup no comando da Categoria 2 com o tempo de 2:02s615, na frente de Edgar Reis em carro idêntico e de José Correia em Nissan GT-R Nismo GT3.

Manuel Correia foi o mais rápido na Categoria 3, conseguindo a marca de 2:03s705 com o seu Ford Fiesta R5. Mais atrás Manuel Pereira (Mitsubishi Lancer Evo) e Luis Silva (BMW M3), terminaram separados por escassas décimas, na segunda e terceira posição desta categoria.

Luis Nunes continua a mostrar-se como adversário a bater na Categoria 4, alcançando a marca de 2:03s333. Com mais 2,5s que o piloto do SEAT Leon Cup Racer, Joaquim Teixeira (Renault Megane Trophy V8) foi o segundo mais rápido, na frente de Francisco Marrão em SEAT Supercopa MKI.

Na Categoria 5 o mais lesto foi Pedro Cerqueira em BMW E30, seguido por Flávio Saínhas em Ford Escort MKI e Carlos Oliveira em Porsche 911 ST. Hélder Silva continua a dominar na Categoria 6 com o seu BMW 323i, deixando para trás Victor Ramos (Ford Escort MKI) e Fernando Salgueiro em Ford Escort MKII.

Na Taça Nacional de Montanha o mais rápido foi Armando Freitas em Toyota Starlet 1.3 S, com Leonel Brás Citroen AX Sport e Roberto Meira Fiat Punto 85, por esta ordem nas posições seguintes. Por seu turno na Taça Nacional de Clássicos Montanha, o mais rápido foi Cândido Monteiro, seguido por José Figueiredo, ambos os pilotos em Datsun 1200. Domingos Fernandes com o pequeno Autobianchi A112 fechou o pelotão.

 

Fotos : Amindo Cerqueira - Foto GTI e Pedro Ferreirapress 1_Copypress 2_Copypress 3_Copypress 4_Copypress 8_Copy

 

 

NOTA DE REDACÇÃO

 

O www.velocidadeonline.com,  gestor desta página  e respectiva página no Facebook, é neste caso totalmente alheio quer à qualidade, quer ao teor deste artigo em termos de erros e imprecisões apresentadas pela  Race Spirit como autora deste texto.

 

24 HORAS DE LE MANS 2016

 

J -7 So24! by Lombard Racing ouvre le bal Dimanche

photo aco

Photo ACO

La folle semaine du Mans débutera demain sur la Place de la République en plein cœur de la ville du Mans avec le traditionnel « Pesage »

Le Pesage est une occasion unique pour tous les fans de l’endurance de venir à la rencontre des 180 pilotes et de s’approcher au plus prés des fabuleuses 60 voitures qui participeront aux 24 Heures du Mans.

C’est à cette occasion que tous passeront une fois de plus devant les commissaires qui mèneront à bien les dernières vérifications techniques et administratives destinées à valider la conformité des machines et l’aptitude des hommes et des femmes qui en prendront les volants.

Dimanche 12 juin à 14h00, l’écurie sarthoise So24! by Lombard Racing, soutenue par un grand nombre d’entreprises mancelles, qui compte dans ses rang Vincent Capillaire, né au Mans ainsi que des mécaniciens habitants eux aussi dans la Ville du Mans, ouvrira la bal du Pesage.

La Ligier JS P2-Judd n°22 du So24! by Lombard Racing sera en effet la première à passer sous l’œil attentif des commissaires, à14h00.

Alors qu’on se le dise, rendez-vous demain pour partager avec l’équipe ce moment convivial, nous serons heureux de vous accueillir et de vous faire ainsi participer un peu à notre aventure.

Pour tout savoir du Pesage cliquez ICI

***

Prochain RDV avec So24! by Lombard Racing : 24 Heures du Mans 2016.

Dimanche 12 Juin : 14h00 - Vérification techniques et administratives au centre du Mans, Place de La République.
Samedi 18 / Dimanche 19 juin : 24 Heures du Mans

 

RALI DA SARDENHA

 

Thierry Neuville distanced Jari-Matti Latvala with a powerful Saturday afternoon charge to carry a healthy lead into tomorrow’s final leg of Rally Italia Sardegna.

Latvala reduced Neuville’s Friday night lead to less than three seconds this morning as handling issues hindered the Hyundai i20 driver. But the Belgian won two of this afternoon’s three speed tests to rebuild his lead and end 16.1sec clear.

High temperatures, rocky gravel roads and heavy rain presented a tough challenge in a day which contained more than half the event’s distance and Neuville was up to it.

“The car was amazing to drive in slippery conditions,” he said. “We’ve had another good day and it was a pleasure to fight Jari-Matti. Tomorrow will be tough but we’ll prepare properly and continue fighting.”

An overnight gearbox change left Latvala more confident with his Volkswagen Polo R’s handling. After eating into Neuville’s lead he looked certain to move ahead but applauded his rival’s drive through the final marathon 44.26km Monte Lerno test.

“I can’t do better than that. I did a really good run and if Thierry is faster then respect to him. I was a bit too careful earlier this afternoon, but sometimes you have to play safe,” said Latvala.

Championship leader Sébastien Ogier was 58.9sec adrift of Latvala in third. As road opener he endured the worst of the conditions, cleaning the dry gravel off the surface to leave better grip for those behind.

Less than four seconds covered Ogier, Mads Østberg and Andreas Mikkelsen after the morning as the Norwegian duo closed on the struggling Frenchman. However, both Scandinavians retired in the afternoon to leave Ogier over a minute clear of Dani Sordo.

Mikkelsen was first to go, exiting fifth with a broken track control arm on his Polo R after hitting a rock. Then Østberg parked his Ford Fiesta RS near the finish of the final stage after clipping a rock and breaking the front right suspension.

Sordo survived a sticking throttle to head Ott Tänak by 2min 31.4sec. The Estonian had tyre problems in the high temperatures but showed his pace by winning the day’s second test.

Sunday’s final leg is the shortest, comprising four stages and 40.26km north of Alghero. The final 6.07km test from Sassari to Argentiera forms the live TV Power Stage with bonus points to the fastest three drivers.

 

alt
alt
alt
alt
alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2016 Canada Grand Prix, Qualifying

LEWIS HAMILTON CLAIMS POLE ON P ZERO PURPLE ULTRASOFT
WITH A TIME MORE THAN 1.5s FASTER THAN HIS POLE LAST YEAR

ONE-STOP STRATEGY EXPECTED IF THE RACE STAYS COOL AND DRY:
 WEATHER CONDITIONS FOR SUNDAY REMAIN UNCERTAIN

MONTREAL IS THE RACE WHERE POLE STATISTICALLY COUNTS LEAST: STRATEGY COULD BOOST GRID POSITIONS  

 Mercedes driver Lewis Hamilton has claimed his fifth Canadian Grand Prix pole position using the P Zero Purple ultrasoft, in the coolest qualifying session held all year. Despite temperatures at the start of the session of just 17 degrees centigrade ambient and 20 degrees on track, Hamilton’s pole time of 1m12.812s was only around half a second slower than the all-time lap record (1m12.275s) set by Ralf Schumacher in 2004.

The ultrasoft was used from the very start of qualifying by all the teams with the exception of Force India, which also ran the supersoft. By the end of qualifying, all the top 10 drivers had used four sets of ultrasoft, apart from the Red Bulls, which used five.

Drivers had to balance the constant track evolution (with more rubber being laid on track) versus the risk of weather deteriorating when it came to the timing of their final qualifying laps. In these cool conditions, tyre warm-up was crucial, with comparatively long runs possible even on the ultrasoft. However, Montreal is traditionally the circuit where pole counts for least: only six from the last 14 races here have resulted in a win from pole.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “With uncertain weather conditions both today and tomorrow, there were a number of question marks during qualifying that will be carried through to the race. Track temperature is clearly a key aspect to tyre behaviour here, but we won’t know exactly how that develops until just before the race: cool temperatures seem to be indicated, and there might even be some rain. With low wear and degradation, a one-stopper seems the most likely scenario. However, teams will have to keep an open mind on strategy and react to changing conditions as they happen: a traditional hallmark of this fantastic track. We’ve seen in the past that pole position is not necessarily the key to success here, so everything is still wide open.”

How the tyres behaved today:
Soft: used in free practice but not qualifying. A mandatory set for the race (if it’s dry).
Supersoft: quite close to the ultrasoft here both in terms of wear and degradation.
Ultrasoft: the fastest tyre by 0.6s per lap, making it the default choice from Q2 onwards.

Race strategy: Track temperature will determine what the optimal strategy is for the 70-lap race tomorrow. If it’s cold, we’re looking at a one-stopper: starting on supersoft and then moving to soft on lap 26 is theoretically the fastest way. If starting on ultrasoft (which all the top 10 will do), the strategy is extremely similar, with the change to soft coming one lap earlier, on lap 25.

FREE PRACTICE 3 – TOP THREE TIMES

Vettel 1m13.919s UltraSoft – New
Verstappen 1m14.158s UltraSoft – New
Rosberg 1m14.316s UltraSoft – New

QUALIFYING TOP 10

Hamilton 1m12.812s UltraSoft – New
Rosberg 1m12.874s UltraSoft – New
Vettel 1m12.990s UltraSoft – New
Ricciardo 1m13.166s UltraSoft – New
Verstappen 1m13.414s UltraSoft – New
Raikkonen 1m13.579s UltraSoft – New
Bottas 1m13.670s UltraSoft – New
Massa 1m13.769s UltraSoft – New
Hulkenberg 1m13.952s UltraSoft – New
Alonso 1m14.260s UltraSoft – New

LONGEST STINT SO FAR

Soft Palmer 31 (laps)
Supersoft Hulkenberg 20
Ultrasoft Grosjean 23

BEST TIME BY COMPOUND SO FAR

Soft Hamilton 1m14.941s
Supersoft Verstappen 1m14.310s
Ultrasoft Hamilton 1m12.812s

 

alt

 

MOTOS NO BRASIL

 

Confira os resultados classificatórios para a 3ª etapa do SuperBike Brasil

Etapa acontece neste domingo, dia 12/06, em Interlagos

alt

Diego Faustino (#68), da equipe Honda Mobil
Marcos M. Carmona/VGCOM

 A 3ª etapa do SuperBike Brasil, o maior campeonato de motovelocidade das Américas, acontece neste domingo, dia 12 de junho, no Autódromo de Interlagos (SP). Confira abaixo os resultados classificatórios de todas as etapas.

Faustino crava volta mais rápida e garante a pole na SuperBike

Diego Faustino (#68), da equipe Honda Mobil, foi o mais rápido nos treinos classificatórios e garantiu a pole position para a corrida deste domingo (12) válida pela 3ª Etapa do SuperBike Brasil.

O atual campeão da SuperBike realizou um excelente dia de treinos classificatório. Já na primeira sessão, foi o mais rápido e cravou a melhor marca do ano, até então, no Autódromo de Interlagos – 1m37s900. Porém, este tempo ainda seria superado. No treino seguinte, perdeu a liderança para o seu companheiro de equipe, Maico Teixeira (#36). Entretanto, isso não abalou o piloto londrinense.

Já na SuperPole, a emoção começou a mil por hora. Na segunda e decisiva etapa, a SuperPole 2, Faustino iniciou como o mais rápido. Nas voltas seguintes, chegou a cair para a quarta posição. Porém, foi somente na última e derradeira tentativa, que Faustino ultrapassou os adversários e cravou a imbatível marca de 1m37s394, tempo que lhe garantiu a pole.

A segunda colocação no grid de largada ficou com Sebastiano Zerbo (#81), da equipe BMW Motorrad Alex Barros Racing. O italiano imprimiu um ritmo muito forte ao longo de todos os treinos, e na sessão decisiva chegou a ocupar a liderança até os minutos finais, quando foi superado por Faustino.

Maico Teixeira (#36), da equipe Honda Mobil, completa a primeira fila do grid, na terceira posição. Já o atual líder do campeonato, Danilo Lewis (#17), da Tecfil Racing Team, larga em quarto, logo à frente do argentino Marco Solorza (#55), da JC Racing Team, em quinto.

Confira a ordem dos 10 primeiros colocados no grid de largada:

1º - Diego Faustino (#68), da Honda Mobil

 - Sebastiano Zerbo (#81), da BMW Motorrad Alex Barros Racing

 - Maico Teixeira (#36), da equipe Honda Mobil

 - Danilo Lewis (#17), da Tecfil Racing Team

 - Marco Solorza (#55), da JC Racing Team,

 - José Luiz "Cachorrão" (#51), da Honda Mobil

 - Wesley Gutierrez (#134), da Kawasaki Racing Team

 - Nico Ferreira (#14), da Motonil Motors

 - Mauro Thomassini (#5), da Motom

10º - Fernando Guerra (#913), da Motonil Motors

Guilherme de Oliveira Neto larga na ponta na categoria SuperBike Light

Surpresa na disputa da SuperPole da categoria SuperBike Light. Dessa vez não deu para os favoritos. Guilherme de Oliveira Neto (#66), da equipe Pro Racing Team – que corre pela categoria Master – fez a melhor volta da sessão realizada na tarde deste sábado (11), e largará na ponta na corrida deste domingo, válida pela 3ª Etapa do SuperBike Brasil.

Guilherme de Oliveira Neto despontou como uma surpresa na primeira colocação do grid de largada. O piloto conseguiu apenas uma quinta colocação no primeiro treino classificatório, e no seguinte, caiu para oitavo. Esse cenário mudou na disputa da SuperPole. Guilherme já começou muito rápido a disputa. Na sua quarta tentativa cravou a marca de 1m44s360, tempo que não foi superado por nenhum adversário.

A segunda posição no grid ficou com Dimitris Katsouropoulou (#131), da equipe Tecfil Racing Team. Felipe Comerlatto (#186), da Pro Racing Team, larga em terceiro, logo à frente de Guto Figueiredo (#18), da KT5/A2/Passaredo, que conquistou a quarta posição somente nos momentos finais da SuperPole.

Já um dos favoritos a largar na ponta, Fábio Martins (#12), da equipe Albatroz System, fez apenas a quinta melhor volta na sessão decisiva e larga em quinto.

Confira a ordem dos 10 primeiros colocados no grid de largada:

 - Guilherme de Oliveira Neto (#66), da Pro Racing Team

 - Dimitris Katsouropoulou (#131), da Tecfil Racing Team

 - Felipe Comerlatto (#186), da Pro Racing Team

 - Guto Figueiredo (#18), da KT5/A2/Passaredo

5º - Fábio Martins (#12), da Albatroz System

 - Rodrigo Calmon Dazzi (#146), da Giro Moto

 - Marcos Migliorelli (#11), da Everson Racing

 - Marcos Senra (#67), da Moretti Racing Team,

 - Cleberson Maicher "Alemão" (#17), da Black Day Racing Team

10º - Danilo Berto (#83), da Shimohara Racing

Maximiliano Gerardo faz a melhor volta e larga no pole na SuperSport

O uruguaio Maximiliano Gerardo (#41), da equipe Motonil Motors, confirmou o favoritismo obtido ao longo dos dois dias de treinos e largará na frente na corrida deste domingo (12), válida pela 3ª Etapa da categoria SuperSport.

Gerardo foi imbatível. O piloto liderou todas as sessões e, inclusive, abriu ampla vantagem sobre seus adversários em algumas delas. Na disputa da SuperPole, realizada na tarde deste sábado (11), essa história de repetiu. O uruguaio cravou a impressionante marca de 1m40s621 – mais rápido do que muitos pilotos da categoria SuperBike – e conquistou a mais que merecida pole position.

Já o atual líder da categoria no campeonato, Pedro Sampaio (#28), da equipe Tecfil Racing Team, até tentou acabar com a festa do ‘hermano’. O piloto chegou a ocupar, temporariamente, a liderança da SuperPole, com a volta de 1m40s966, porém, foi superado nos momentos finais pelo adversário. Com isso, Pedro Sampaio larga na segunda posição do grid.

Seguindo a ordem da largada, Lucas Bittencourt (#202), da equipe Paulinho SuperBikes, completa a primeira fila na terceira posição. O atual campeão da SuperSport, Matheus de Oliveira Dias (#70), da equipe Motom, sai em quarto, logo à frente de Alex Schultz (#22), da Dynel's Racing Team, em quinto.

Confira a ordem dos 10 primeiros colocados no grid de largada:

 - Maximiliano Gerardo (#41), da Motonil Motors

 - Pedro Sampaio (#02), da Tecfil Racing Team

 - Lucas Bittencourt (#202), da Paulinho SuperBikes

4º - Matheus de Oliveira Dias (#70), da Motom

 - Alex Schultz (#22), da Dynel's Racing Team

 - Lucas Torres (#77), da Pitico Racing Team

 - Devanir Lippi Folheto (#8), da Motonil Motors

 - Dudu Costa Neto (#117), da Castrol Team

 -Andre Verissimo (#9), da Tecfil Racing Tea

10º - Marcus Trotta Pinheiro (#66), da Motom

Eliton Kawakami lidera todos os classificatórios da categoria com motos de 300cc

Eliton Kawakami (#27), da equipe Playstation Yamaha, manteve a constância ao longo de todo o dia de treinos e foi o mais rápido na terceira sessão classificatória da categoria com motos de 300 cilindradas, realizada no final da tarde deste sábado (11), no Autódromo de Interlagos. O jovem piloto – que disputa a categoria SuperStreet – completou sete voltas no circuito e fechou a mais rápida em 2m01s872. Apesar de conquistar a liderança, este foi o pior tempo de Eliton neste sábado. O piloto fechou 2m01s762 na primeira sessão e 1m59s801 na segunda.

Já a vice-liderança do treino ficou com Diogo Moreira (#20), da equipe Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros. O piloto foi três décimos mais lento que o ponteiro e encerrou a sessão classificatória com o tempo de 2m02s222. Niko Ramos, da Tecfil Racing Team, ficou logo atrás, em terceiro, com a marca de 2m02s768.

O melhor colocado entre os pilotos que disputam a categoria Yamaha R3 Cup foi Rafael Gomes Traldi (#128), da equipe Motonil Motors. Ele fechou a quarta marca no geral, com a volta de 2m03s165. Já entre os representantes da Copa Kawaki Ninja 300, Willians Sales Piui (#111), da Fastkids, foi o mais rápido. O piloto encerrou o treino em quinto com o tempo de 2m03s439.

Na classificação da Ninja 300 Pro, o mais rápido foi Willians Sales Piui, o quinto no geral. Marco Antonio Reis (#3), da equipe Moretti Racing Team, fez o segundo tempo, com 2m04s282, logo à frente de Fernando Santos (#234), da Tecfil Racing Team, em terceiro, com 2m04s371. Bruno Cesar Borges (#51), da Gilberto Motos, garantiu o quarto lugar, com 2m04s804, seguido por Fábio Jandaia (#10), da Motocar Racing, em quinto, com 2m04s979.

Pela categoria Ninja 300 Light, a primeira posição ficou com Jeferson Souza (#707), da equipe Tecfil Racing Team. O piloto encerrou o treino com a volta de 2m04s215. Bruno Ribeiro (#169), da Rota Baús, fez a segunda marca, com o tempo de 2m04s948, seguido por Enzo Valentim Garcia (#29), da FastKids, em terceiro, com 2m05s384. Ricardo Castilho (#71), da Tecfil Racing Team, fechou a quarta melhor volta, com 2m06s032, logo à frente de Bervaldo Carolino (#2), da Tecfil Racing Team, que encerrou a sessão em quinto com o tempo de 2m07s262.

Na SuperStreet, Eliton foi o mais rápido, logo à frente Diogo e de Niko Ramos, primeiro, segundo e terceiro, respectivamente, no geral. Já a quarta posição ficou Humberto Turquinho Jr (#12), da equipe Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros, que fechou sua melhor volta em 2m05s240. Kevin Fontainha (#26), também da Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros, completou a lista dos mais rápidos com o tempo de 2m10s269.

Pela disputa da Yamaha R3 Cup, Rafael Traldi garantiu a liderança. Marciano Santin (#9), da equipe SantinRacing, faturou a segunda posição, com a volta de 2m06s947, logo à frente de Sarah Conessa de Moura (#5), da equipe Cerciari Racing School, em terceiro, com 2m08s430.

Tamburro lidera o 3º treino classificatório da CBR 500R e larga na pole

Leonardo Tamburro (#53), da equipe Honda MotoSchool de Talentos, foi o mais rápido no terceiro treino classificatório da categoria Copa Honda CBR 500R, realizado no final da tarde deste sábado (11), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. O piloto completou apenas quatro voltas no circuito e cravou a melhor em 1m56s519. Com o resultado alcançado ao longo do dia, Tamburro garantiu a pole position e largará na frente na corrida deste domingo.

A segunda posição no treino classificatório ficou com José Duarte (#97), da equipe Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros. O piloto foi seis décimos mais lento que o ponteiro e faturou a vice-liderança da sessão com o tempo de 1m57s124. Já o seu companheiro de equipe, Guilherme Brito (#19), foi o terceiro mais rápido com a marca de 1m58s856.

Nas posições seguintes, Davi Gomide (#31), da equipe MotoSchool Racing Team – que compete pela categoria Teen – fez o quarto tempo, com 1m59s645, e ficou à frente de Arthur Costa (#99), da Alemão Pneus, que encerrou o último treino do dia em quinto lugar, com a marca de 2m00s064.

Pela Copa Honda CBR 500R Light, Rafael Rigueiro (#52), da equipe MotoSchool Racing Team, foi o mais rápido. O piloto completou oito voltas no circuito e fechou a melhor em 2m00s651. A vice-liderança ficou com Alexandre Dal' Olio Franca (#82), da equipe Fullmann SuperBike, que encerrou o treino com a volta de 2m09s491. Luis da Silva (#74) fez a terceira marca, com 2m09s536, logo à frente de Linda Raad (#49), da Moretti Racing, em quarto, com 2m11s441.

Na categoria Teen, Davi Gomide (#31), o quarto no geral, foi o primeiro colocado. Já a vice-liderança da sessão classificatória ficou com Rafa Rigueiro, o mais rápido da Light. Maria Fernanda Rocha (#22), da equipe Fullmann SuperBike, completou a lista dos primeiros colocados, ao fechar a melhor volta em 2m35s552.

alt

Bruno Gonzalez faz a melhor volta no 3º treino classificatório da Jr Cup

Bruno Gonzalez (#98) foi o mais rápido e garantiu a liderança no terceiro treino classificatório da categoria-escola Honda Junior Cup, realizado no final da tarde deste sábado (11) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Ainda assim, com o resultado acumulado no dia, Bruno largará apenas em quinto na corrida deste domingo.

No último treino, a maioria dos pilotos afrouxou bastante o acelerador e, como resultado, os tempos foram bem mais altos. Bruno Gonzalez fechou a melhor marca em 2m34s893 e tomou a ponta na sessão. Já Nicolas Cenedesi (#525) fez a segunda melhor volta, 2m35s197, e ficou com a vice-liderança.

Nas posições seguintes, Léo Marin (#46) faturou o terceiro lugar com o tempo de 2m35s291. Apesar do resultado apenas mediano nesta sessão classificatória, o piloto garantiu – através do acumulado do dia – a pole position para a 2ª Etapa da Honda Junior Cup. Voltando resultado do último treino, Felipe Macan (#2) fechou a quarta posição, com a volta de 2m35s939, logo à frente de Leopoldo Manella (#53), em quinto, com 2m35s994.

Este resultado é extraoficial e está sujeito a verificações técnicas.

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.  

Ingressos para ARQUIBANCADA são GRATUITOS. Informações Adicionais: Tel.: 11 5524-5684 ou pelo site: www.superbike.com.br 

SERVIÇO: 

3ª etapa SuperBike Brasil - 10, 11 e 12 de junho

Domingo - Dia 12 - Corridas a partir das 8h30

Autódromo de Interlagos - SP - Av. Sen. Teotônio Vilela, 261

 

HAAS NO G.P.DO CANADÁ

Grande Prémio do Canadá: Resumo da Qualificação

 

 

alt

Evento  Qualificação para o Grande Prémio do Canadá (7º round de 21)

Data:  Sábado, 11 de Junho

Local:  Circuit Gilles Villeneuve

Layout:  4,361 quilómetros, circuito de 14 curvas

Condições Climatéricas:  céu enevoado e aguaceiros

Temperatura:  15ºC

Recorde da volta: 1m12,275s assinado por Ralf Schumacher em 2004 com a Williams

Pole-Position:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m12,812s)

Resultado:

Esteban Gutiérrez 14º, alinhará do lado de fora da sétima linha

Romain Grosjean 15º, alinhará do lado de dentro da oitava linha

 

  • tem a duração de 18 minutos e todos os vinte e dois pilotos participam
  • os dezasseis pilotos mais rápidos passam à Q2

Gutiérrez:  15º (1m15,148s), avançou para a Q2

Grosjean:  16º (1m15,444s), avançou para a Q2

Piloto mais rápido:  Nico Rosberg da Mercedes (1m13,714s)

Cutoff:  16º Romain Grosjean da Haas F1 Team (1m1,.444s)

  • tem a duração de 15 minutos e participam os dezasseis pilotos mais rápidos da Q1
  • os dez pilotos mais rápidos passam à Q3

Gutiérrez:  14º (1m14,571s)

Grosjean:  15º (1m14,803s)

Piloto mais rápido:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m13,076s)

Cutoff:  10º Fernando Alonso da McLaren (1m14,260s)

 

  • tem a duração de 12 minutos e participam os dez mais rápidos da Q2, que lutam pela pole-position

Pole-Position:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m12,812s)

Segundo:  Nico Rosberg da Mercedes (1m12,874s)

 

 

As equipas foram recebidas este sábado no Circuit Gilles Villeneuve com frio e aguaceiros, dia em que prosseguiu a preparação para o Grande Prémio do Canadá, que se realiza no domingo. Foi uma mudança brusca relativamente a sexta-feira, quando o Sol banhou o circuito de 4,361 quilómetros e catorze curvas, promovendo temperaturas temperadas.


A última sessão de treinos-livres permitiu aos pilotos da Haas F1 Team completar trinta voltas – dezasseis realizadas por Esteban Gutiérrez e catorze por Romain Grosjean. Ambos efectuaram as suas respectivas voltas de instalação com pneus Pirelli P Zero Amarelo/Macio para depois montarem P Zero Roxo/Ultramacio para a restante sessão.


Gutiérrez realizou duas séries de voltas – uma de doze voltas seguida de outra de quatro. Foi planeado uma terceira série, mas quando Gutiérrez saía da boxe, foi mostrada a bandeira vermelha devido a um toque num muro protagonizado por Kevin Magnussen e, com apenas doze minutos por cumprir, a sessão não foi retomada. A melhor marca de Gutiérrez (1m15,444s) foi alcançada na sua décima quinta volta, colocando-o no décimo quinto posto. Grosjean realizou um programa semelhante, com uma série de dez voltas a preceder uma de quatro. A sua melhor volta (1m15,704s) surgiu na sua décima passagem pela meta, colocando-o no décimo sétimo lugar. O mais rápido na terceira sessão de treinos-livres foi o piloto da Scuderia Ferrari, Sebastian Vettel (1m13,919s).


As condições climatérica mantiveram-se estáveis durante a qualificação, onde Gutiérrez e Grosjean avançaram para a Q2, assegurando o décimo quarto e décimo quinto postos, respectivamente, num plantel de vinte e dois pilotos. Ambos usaram apenas pneus ultramacios.


O tempo de Gutiérrez na Q1 foi de 1m15,148s colocou-o no décimo quinto posto e o de Grosjean foi de 1m15,444s, o que lhe valeu o décimo sexto lugar. Apenas os dezasseis mais rápidos avançaram para a Q2. Na Q2, a melhor marca do Gutiérrez foi de 1m14,571s, levando-o à décima quarta posição e a de Grosjean foi de 1m14,803s, assegurando o décimo quinto posto. Apenas os dez primeiros avançaram para a Q3.


A pole-position ficou nas mãos do Mercedes de Lewis Hamilton, cuja melhor volta de 1m12,812s deixou o seu colega de equipa, Nico Rosberg, a 0,062s. Foi a quinquagésima terceira pole-position de Hamilton, a sua quarta da temporada e a sua quinta no Circuit Gilles Villeneuve.



“O equilíbrio do carro não está muito longe do ideal, mas não temos aderência nos pneus. Não estamos a conseguir que eles funcionem bem. Por alguma razão, conseguíamos que funcionassem no início do ano, mas desde então não temos conseguido que entrem na sua janela de funcionamento. Isso significa que não conseguimos pilotar o carro como gostaríamos. Ontem, o nosso andamento nas séries longas foi bom, portanto, esperamos que na corrida de amanhã tudo corra melhor.”



“Foi uma sessão complicada para nós, devido às constantes mudanças nas condições da pista. Tivemos um pouco de chuva durante a sessão e tivemos que nos adaptar. Penso que é interessante tentar tirar o máximo do carro. Este fim-de-semana tem sido difícil manter a concentração, dado que não me sinto muito bem, mas estou satisfeito com o que alcançámos hoje. Vou descansar e recuperar para que possa ter uma boa corrida amanhã.”


“Penso que, depois das sessões de treinos-livres, sabíamos que era nestas posições que ficaríamos. Estamos muito perto das equipas que estão à nossa frente, o que é encorajador. Estamos a progredir e estamos estáveis. Alcançámos o que pretendíamos para este fim-de-semana e estamos numa boa posição para amanhã conquistarmos alguns pontos com os dois pilotos. As condições climatéricas estão um pouco temperamentais, mas será igual para todos. Vamos aproveitar todas as oportunidades e veremos o que acontece.”


 

-HaasF1Team-

 

 

Sobre a Haas Automation

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com.

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ou facebook.com/haasportugal.

 

NOVA SIMBOLOGIA PARA ANTÓNIO FELIX DA COSTA

NOVA SIMBOLOGIA PARA ANTÓNIO FELIX DA COSTA

 

Muito feliz esta simbologia para o piloto portugues António Felix da Costa

 


 

SEGUNDO TIAGO MONTEIRO

SEGUNDO TIAGO MONTEIRO

 

 

Estou na pole para a primeira corrida desta manhã e 10º para a segunda. Acredito que podemos trazer para casa um troféu, vamos com tudo! Corridas hoje em direto no Eurosport as 10:00 e 11:00.


 

WTCC 2016

 

LADA SPORT ROSNEFT dominate qualifying at the Moscow Raceway with a sensational 1-2-3


LADA SPORT ROSNEFT racing at their home event in the FIA World Touring Car Championship turned on the style with a devastating display of qualifying pace to take the first three places on the starting grid for Sunday’s Main race at the Moscow Raceway today (11 June, 2016)

Nicky Catsburg, marking his 1 year anniversary with the team here in Moscow claimed his and LADA SPORT ROSNEFT’s first ever WTCC pole position with a sensational lap 1.4 seconds quicker than his teammate Gabrielle Tarquini and Hugo Valente who completed an historic 1-2-3 result for the Russian car brand supported by Rosneft.

The Russian squad were untouchable for speed on a wet track that seemed to suit the Lada Vesta TC1 car perfectly with the team finding a balance and set up that could not be faulted.

Nicky Catsburg was surprised and delighted in equal measure by his and the car’s performance: “This shows the constant progress for the team and I could not be happier than to get this result in Russia. Sometimes in the wet you have to get everything in line, tyre pressure, camber, etc., and I think we got everything right on my car today although I am surprised by the margin over our rivals. Actually we were not so quick in the wet in FP2 after being quick in the dry in FP1 but Gabriele (Tarquini) gave me some advice on the car and set up and I translated that into this result, I am super happy today!”

Gabriele Tarquini, P2 said “I am very happy, I don’t know if I am a good teacher or Nicky is a good student but he beat me today in Qualifying! He deserves it he made a fantastic lap. I am satisfied with our teamwork, we are like a family and we share everything. I am very proud of this and the team!”

Hugo Valente, P3 and making his first WTCC-2016 appearance in the Q3 shootout “Thank you so much to the LADA SPORT ROSNEFT team, it is amazing to be 1-2-3 and we made history today. Thanks as well to Gabriele for his experience and sharing with us some ideas for driving the Vesta in the wet and congratulations to Nicky for pole position, he was on another planet today!”

The Russian LADA SPORT ROSNEFT squad will now be hoping that they can translate today’s qualifying pace into a similar race result in front of their home fans in tomorrow’s Main race. 


 
LADA SPORT ROSNEFT is a racing team, participating in the World Touring Car Championship since 2015 with specially designed LADA Vesta WTCC cars. The General Sponsor of the team is a global energy company Rosneft. Supporting the Russian team in the World Championship, Rosneft together with the leader of the Russian automotive industry – LADA – joined their efforts to promote Russian brands at the world markets. 
alt
alt

 

RAMPA SANTA MARTA - PEDRO SALVADOR NA FRENTE

 

O piloto da Speedy Motorsport está na frente da Rampa da Santa Marta de Penaguião, com uma vantagem de 3,264 segundos.

Apesar do desconhecimento do traçado, Pedro Salvador fez o melhor tempo, na primeira subia de reinos da Rampa de Santa Marta de Penaguião. Na segunda, já com melhor conhecimento do traçado, atingiu a marca de 1m 47,772, a melhor marca de treinos e colocou a diferença para o segundo em 1,665 segundos.

“Entrei a com algum cuidado. Na segunda subida de treinos tinha também feito algumas alterações no set-up do Norma e retirei 1,2 segundos. Mesmo assim, acho que ainda é possível fazer melhor.”

E foi mesmo, na primeira subida de prova retirou um segundo redondo e marcou o melhor tempo em 1m 46,788s, o melhor do fim-de-semana neste traçado.

“Tinha um bom set-up e o tempo é reflexo disso. Apostei em andar rápido, mas ainda tenho margem para retirar. Com o traçado mais fresco que espero encontrar amanhã de manhã, acho que poderei ser ainda mais rápido.” Remata o líder do Campeonato Nacional de Montanha.

salvador. santa.marta

 

RAMPA SANTA MARTA 2016

Gonçalo Manahu começa bem.

A Rampa de Santa Marta, de Penaguião começou bem para o piloto do Porsche 911, que está no pódium da categoria.

Gonçalo Manahu entrou com o pé direito e no primeiro contacto com o traçado da Rampa de Santa Marta de Penaguião, fez o quinto melhor tempo do dia, apenas superado pelos protótipos, os veículos favoritos na classificação geral deste tipo de prova.

No segundo treino, o piloto o Porsche retirou 2,3 segundos e manteve o quinto posto da geral: “estamos todos a rodar em tempos muito próximos e qualquer décima faz diferença. Apesar de tudo o que me foi dito sobre esta rampa e sobre as armadilhas que tem, estou a dar-me bem e gosto do traçado.”

Na primeira subida de prova, “estava muito rápido e acho que tinha tudo para fazer um bom tempo, mas na parte final, com o sol de frente deixei de ver e cheguei depressa demais a uma curva, travei demasiado tarde e perdi muito tempo.”

Apesar do atraso, Gonçalo Manahu ficou no grupo dos três da frente da Categoria. “Agora vou ver os vídeos da prova e ver onde posso ganhar e onde perdi. Espero fazer melhor amanhã.” Remata o piloto do Porsche.

Domingo disputam-se as duas últimas subidas de prova e o piloto do Porsche 911 GT3, espera conseguir melhorar.

 

RAMPA SANTA MARTA 2016

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 - VALVOLINE

 

RAMPA DE SANTA MARTA

 

OS DESABAFOS DE RICARDO GOMES

 

 

Ontem não foi o dia! Apesar de todos os esforços e garra a mecânica do Seat Leon Supercopa recusa-se colaborar. Não vamos baixar os braços! Hoje é novo dia aqui a Rampa de Santa Marta de Penaguiao! 

GostoMostrar mais reações
Comentar

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE FÓRMULA 1 - 2016

CAMPEONATO DO MUNDO DE FÓRMULA 1

 

G.P.CANADÁ

 

HAMILTON PARA JÁ NA FRENTE

 

Duas sessões de testes livres no circuito citadino em Montreal no Canadá, e o Mercedes de Lewis Hamilton está na posse do melhor tempo, tendo colado a si  o Ferrari de Vettel e o Mercedes de Rosberg.Na 4ª e 5ª posição surgem os Red Bu1X Copy2X Copy3X Copy4X Copy5X Copy6X Copy7X CopyF1 CopyF2 CopyF3 CopyF4 CopyF5 CopyF6 CopyF7 CopyF8 Copyf11 Copyf12 Copyf14 Copyf15 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyll de Verstappen e Riciardo.

 

RALI DA SARDENHA -PARA JÁ NEUVILLE - HYUNDAI NA FRENTE

CAMPEONATO DO MUN DO DE RALIS

 

RALI DA SARDENHA

 

PARA JÁ NEUVILLE NA FRENTE NO HYUNDAI

 

O Hyundai de Neville está para ja na frente do Rali da Sardenha, mais uma prova a contar para o Campeonato do Muna1 Copya2 Copya3 Copya4 Copya5 Copya6 Copya7 Copya8 Copya9 Copya10 Copya11 Copya12 Copya14 Copya15 Copya16 Copya17 Copya18 Copya19 Copya20 Copya21 Copya22 Copya23 Copya24 Copya25 Copya26 Copya27 Copya28 Copya29 Copya30 Copya31 Copya32 Copya33 Copya35 Copydo de Ralis.Atrás do Hyundai, encontra-se a "armada " da Volkswagen com Latvala, Ogier e Mikkelsen, sendo a 6ª posição pertença do Ford Fiesta R 5 de Ostberg, seguido pelo Hyundai de Sordo.

 

Fotos de André Lavadinho - World  - www.velocidadeonline.com

 

COMPETISPORT EM MONCHIQUE

 

Competisport em Monchique

 

 

Luis Mota___CopyO Campeonato de Ralis FPAK vai prosseguir este próximo fim de semana na Serra de Monchique onde terá lugar mais uma edição da prova a cargo do Clube Automóvel do Sul, o Rali Vila de Monchique. A prova em piso de asfalto será a quarta ronda da época e contará com a Competisport, que terá duas equipas a alinhar na prova, Luís Mota e Alexandre Ramos e Fernando Teotónio e Luís Morgadinho ambos em Mitsubishi EVO VII, permitindo assim defender liderança do Campeonato de equipas. Para Luís Mota a ambição será lutar por um lugar no pódio, num rali que conhece mas que uma vez mais contará com um bom lote de equipas candidatas aos lugares da frente! “Não é o tipo de piso onde nos sentimos mais competitivos, mas vamos fazer os possíveis para fazer um bom rali, sem erros, e acima de tudo divertir também. Temos um bom carro, uma boa equipa, já provamos ser rápidos no asfalto, mas temos noção que a concorrência vai ser forte, mas vamos dar o nosso melhor e fazer o melhor resultado possível na geral”, afirmou o piloto do Cartaxo. Por seu turno, também a dupla Fernando Teotónio e Luís Morgadinho tem pretensões para um lugar do pódio. A equipa do Mitsubishi EVO VII vem de um bom resultado no Rali Vinho Do dão, pretendendo dar continuidade ao bom andamento evidenciado na prova em piso de terra. “Vai ser o nosso regresso ao asfalto, já não rodamos há algum tempo neste tipo de piso, vamos tentar fazer um bom rali, evoluir a cada especial com o carro e acima de tudo fazer uma boa colheita de pontos para o campeonato de forma a nos ser possível mantermos na luta pelo título”, salientou o piloto do Fundão. O Rali vai para a estrada no sábado, onde às 16h10 terá o arranque oficial do rali. Segue-se uma dupla passagem pela especial da Picota e a super especial de Monchique. No Domingo tempo para uma tripla passagem pelas classificativas da Foia e Corchas do pódio final às 14h26.

 

PORSCHE É NOTICIA

 

A Porsche vai produzir todos os seus modelos desportivos de duas portas na sua sede

 

 

Produção do novo Porsche 718 Cayman iniciada com sucesso Estugarda. A Porsche está a celebrar um marco nos seus 75 anos de história em Zuffenhausen. Brevemente, passará a produzir todos os modelos desportivos de duas portas na sua sede, com o bem sucedido início da produção da nova geração do 718 Cayman. A terceira geração deste modelo será produzida nesta linha de montagem em Estugarda que está repleta de tradição. Até meados de Agosto, a Porsche continuará a utilizar as linhas de produção da fábrica da Volkswagen, em Osnabrück, onde a anterior geração deste coupé foi construída. "O início da produção do novo 718 Cayman foi iniciada com enorme satisfação," referiu Albrecht Reimold, membro do Conselho Executivo para a Produção e Logística da Porsche AG." Após os lançamentos com sucesso dos modelos 911, no final do ano passado, e do 718 Boxster, na primavera de 2016, a equipa em Zuffenhausen geriu de forma impecável o início desta nova produção. Isto é mais uma prova de que os nossos empregados trabalham com perfeição e paixão diariamente para entregar uma experiência Porsche muito especial aos nossos clientes.” Fabricar todos os modelos desportivos de duas portas na sede da Porsche vai impulsionar a produção para cerca de 240 unidades/dia em Agosto. Actualmente, mais de 220 unidades saem das linhas de produção em Zuffenhausen. No ano fiscal de 2015, a Porsche entregou 22.663 modelos Boxster e Cayman (em 2014: 23.597 unidades). Reimold destacou: "Depois da produção ter caído de forma  MG_1073_Copy natural devido ao ciclo de vida do produto, agora temos uma dose elevada de confiança na nova geração dos nossos desportivos de motor central." A actual geração dos 718 Boxster e 718 Cayman é caracterizada por serem mais potentes e com uma melhor economia de combustível, graças ao desenvolvimento do novo motor de quatro cilindros boxer sobrealimentado. Pela primeira vez, a versão Coupé e a versão Roadster vão ter o mesmo nível de potência. A unidade de entrada oferece 300 CV do motor dois litros. Os modelos mais desportivos, as versões “S”, debitam 350 CV a partir do bloco de 2,5 litros. Isto representa um incremento de 25 CV relativamente aos modelos precedentes, enquanto que os consumos no circuito NEDC oscilam entre os 8,1 e os 6,9 litros por cada 100 quiilómetros percorridos. O novo 718 Boxster já está disponível nos concessionários Porsche desde o final do mês de Abril de 2016. Os novos 718 Cayman e 718 Cayman S podem ser encomendados a partir de hoje. O lançamento no mercado europeu inicia-se no final do mês de Setembro de 2016.

 

24 HORAS DE LE MANS 2016

 

J -8 pour So24! by Lombard Racing au Mans

022-10 1200px

"De tous les actes, le plus complet est celui de construire" Paul Valéry

Alors que tout est en place sur le circuit de la Sarthe, l’équipe So24! by Lombard Racing est elle aussi en phase de concentration et de préparation pour la plus belle course d’endurance du monde. Présentation des pilotes :

Vincent Capillaire est le régional de l’étape et se réjouit de participer à sa course à domicile pour la troisième année consécutive à bord d’un sport prototype dans la catégorie LMP2.
Il participait en 2014 au volant de l’ORECA03 n°24 du Sebastien Loeb Racing, et terminait sa première ronde mancelle à la 8ème place du classement général, et au pied du podium LMP2. L’année suivante fût moins chanceuse, puisque l’Alpine A450b du team Signatech Alpine était contrainte à l’abandon. En 2016, il sera le pilote Silver de l’équipe So24! by Lombard Racing.

Jonathan Coleman, le British du team est lui très impatient de découvrir la plus grande course d’endurance au monde. S’il a déjà fait ses preuves aux volants de proto LMP2 en ELMS en 2015 et ce début de saison, il sera sur la grille de départ des 24 Heures du Mans pour la première fois cette année. Le pilote Bronze a passé toutes les premières étapes de cette belle aventure en parcourant les dix tours obligatoires dimanche dernier lors de la journée Test, ainsi que les essais obligatoires sur le simulateur ACO.

Le Français Erik Maris, également pilote Bronze, a rejoint le team So24! by Lombard Racing la semaine dernière. Il participera pour la troisième fois à l’épreuve mancelle, après une course dans la catégorie LM GTE Am en 2014 et en LMP2 avec Oak Racing en 2015. Il a partagé le volant avec ses coéquipiers à l’occasion de la journée Test dimanche 5 juin.

fb vincent

Vincent

So24LeMans2016 4b

Erik

fb jono

Jono

Trois questions à Vincent Capillaire

Comment abordez-vous la course des 24 Heures du Mans ?
Le Mans c’est très particulier pour moi, tout d’abord parce que je suis né au mans, à tout juste 300 mètres du circuit (Tertre Rouge), j’y vis toute l’année et j’y travaille en qualité d’instructeur. J’ai donc la chance d’une part de participer à cette superbe course, mais en plus d’enseigner le pilotage sur ce circuit à des élèves ou des compétiteurs.

Vous connaissez donc bien la piste ?
En effet, étant donné que j’y passe beaucoup de temps tout au long de l’année, je connais tous les recoins du circuit selon l’heure de la journée, l’ensoleillement, quand il pleut etc… Et puis, c’est un circuit magique, mais il reste non permanent et peut évoluer tout au long de la course.

Parlez-nous de vos expériences sur les 24 Heures
En 2014, j’ai roulé avec une nouvelle équipe, l’équipage était composé de deux rookies et nous avons terminé à la 4e place au général. C’est vraiment un très bon souvenir. Pour l’année dernière avec Signatech Alpine, nous n’avons pas eu de chance, puisque nous avons été contraints à l’abandon, mais c’est la course et tout cela reste un ensemble de très bons souvenirs.

***

Prochain RDV avec So24! by Lombard Racing : 24 Heures du Mans 2016.

Dimanche 12 Juin : 14h00 - Vérification techniques et administratives au centre du Mans, Place de La République.
Samedi 18 / Dimanche 19 juin : 24 Heures du Mans

 

PASCOAL ESTREIA PORSCHE

 

Vítor Pascoal estreia Porsche em Monchique

 

Vitor pascoal_1_CopyVitor pascoal_3_CopyA Serra de Monchique vai ser palco neste próximo fim de semana de mais uma edição do Rali Vila de Monchique, prova em piso de asfalto a cargo do Clube Automóvel do Sul. A segunda ronda do Campeonato Nacional de Ralis Gt marca a estreia da equipa Baião Rally Team, Vítor Pascoal e Pedro Alves com o seu Porsche 997 GT3. Depois de serem obrigados à ausência na ronda inaugural do campeonato, a dupla irá ter agora o seu primeiro desafio com a nova máquina partindo com o principal intuito de fazer quilómetros! Como salienta o piloto de Baião “é o nosso primeiro rali com o carro e com os vários atrasos que fomos tendo na entrega do mesmo não tivemos grandes oportunidades para testar pelo que temos ainda muito poucos quilómetros efetuados com o carro. Em Monchique será fundamental fazer uma rápida adaptação ao Porsche, vamos inicialmente tentar perceber o carro, mas acredito que de especial para especial e com o acumular de quilómetros vamos melhorar o nosso andamento! Vamos tentar apostar em fazer um bom rali, perceber a nossa competitividade em relação aos nossos adversários com este carro, mas também não ficar “adormecidos” e fazer os possíveis para sair de Monchique com um bom resultado!” Vítor Pascoal deixa ainda um especial agradecimento “ a todos os nossos parceiros no projeto e que tornaram possível levar para a frente este novo desafio na minha carreira desportiva.” O Rali Vila de Monchique vai para a estrada no sábado, dia 11 pelas 16h10 com as equipas a terem pela frente três especiais, uma dupla passagem em Picota e a Super Especial de Monchique. No Domingo segue-se uma tripla passagem em Foia e Corchas antes do pódio final às 14h26.

 

MOTOS NO BRASIL

 

Tem novidade para o público no SuperBike Brasil

Série de novidades promete ainda mais emoção ao campeonato

alt

Volta Promocional realizada logo após o término das corridas
Johanes Duarte/VGCOM

 Destaque na 2ª Etapa do SuperBike Brasil, algumas ações recém implementadas devem ser mantidas para a próxima prova da temporada, que será realizada no dia 12 de junho, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Quem assistiu da arquibancada, ou acompanhou as corridas pelas transmissões do YouTube, percebeu que as narrações, sob o comando de Luiz Alexandre Eiras, agora estão acompanhadas por uma série de comentaristas. A ideia, que foi muito bem-vinda, é oferecer ainda mais informações sobre o que ocorre dentro e fora das pistas.

Na última etapa, um time com experientes pilotos comandaram o microfone ao lado do locutor. O bicampeão da SuperBike Diego Faustino acompanhou a garotada da Honda Junior Cup. Alex Schultz, um dos mais fortes pilotos da SuperSport, participou da transmissão da Copa Kawasaki Ninja 300. Alan Douglas, chefe da equipe Yamaha PlayStation, foi o comentarista na disputa da SuperSport e Ninja 600. O piloto e organizador do SuperBike Brasil, Bruno Corano, assumiu a transmissão na SuperBike Light. E o sempre carismático José Luiz Cachorrão completou o timaço de comentaristas na briga da Copa Honda CBR 500R.

Nas corridas, o público também ganhou um destaque especial. Além de assistir às provas e interagir com os pilotos na área dos boxes, diversos convidados puderam assumir atividades que antes eram exclusivas dos agentes do SuperBike Brasil. Alguns sortudos foram escolhidos para passear no grid antes das largadas, entregar os troféus aos vencedores e ainda conferir a bandeira quadriculada aos primeiros colocados.

Outra ação muito bem acolhida, e que deverá se repetir, foi a Volta Promocional realizada logo após o término das corridas. Pela primeira vez feita exclusivamente com scooters, mais de uma centena de motociclistas amadores completaram os 4.350 metros do Autódromo de Interlagos. E essa comitiva ganhou destaque graças à participação de dois grandes motoclubes: Scooter Clube do Brasil e Honda Scooter Club Brasil, este que comemorou três anos de criação no dia da etapa.

Também marcando participação especial, um motoclube só com Harley-Davidsons – Hog Harley Owners Group – percorreu cerca de 330 quilômetros de Ribeirão Preto até São Paulo para participar do evento.

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.  

Ingressos para ARQUIBANCADA são GRATUITOS. Informações Adicionais: Tel.: 11 5524-5684 ou pelo site: www.superbike.com.br 

SuperBike Brasil 

3° SuperBike Brasil: 12 de Junho - Interlagos-SP

4° SuperBike Brasil: 17 de Julho - Interlagos-SP

5° SuperBike Brasil: 21 de Agosto - Interlagos-SP

6° SuperBike Brasil: 25 de Setembro - Curvelo-MG

7° SuperBike Brasil: 23 de Outubro - Goiânia-GO

8° SuperBike Brasil: 13 de Novembro – Londrina-PR ou Pista no Rio Grande do Sul Realização da Etapa  

9° SuperBike Brasil: 11 de dezembro - Curvelo – MG

 

FERNANDO TEOTÓNIO NO RALI DE MONCHIQUE

 

Fernando Teotónio – “Evoluir no asfalto”

 

fernando teotonio_5_Copyfernando teotonio__CopyEm Monchique terá lugar a 4ª ronda do Campeonato de Ralis FPAK com mais uma edição do Rali Vila de Monchique, prova esta que estará sob a responsabilidade do Clube Automóvel do Sul. Fernando Teotónio e Luís Morgadinho irão alinhar na prova em piso de asfalto com o seu habitual Mitsubishi EVO VII preparado pelas Domingos Sport competição, partindo para a prova centrados em ascender a um lugar do pódio! Como refere o piloto do Fundão, “Monchique marca o regresso do campeonato aos pisos de asfalto e vamos tentar andar novamente nos lugares da frente. Já não rodamos em asfalto há algum tempo, os quilómetros iniciais serão de habituação, mas vamos tentar ser rápidos e consistentes desde o inicio, ao longo da prova ir tentando evoluir com o carro e nos pisos de asfalto e esperar que tudo corra bem para fazer um bom resultado.” Após três provas já realizadas, Gondomar, Lousã e Vinho do dão, Fernando Teotónio e Luís Morgadinho ocupam a 3ª posição à geral do Campeonato, liderando com a Competisport o campeonato destinado às equipas. A prova irá desenrolar-se por dois dias, sábado e domingo, tendo um percurso total de 150,55 quilómetros, dos quais 88,17 serão realizados em provas especiais de classificação. No sábado terão lugar três especiais, Picota por duas vezes e a Super Especial de Monchique. No Domingo as equipas terão pela frente uma tripla passagem por Foia e Corchas.

 

GAVIN NAS 24 HORAS DE LE MANS

 

Pre-24 Hours of Le Mans news and views from Oliver Gavin

Oliver Gavin's incredible Le Mans record

  • 15 times a 24 Heures du Mans competitor

  • Five-time winner

  • Eight-time podium visitor

  • 14 attempts in a Corvette

  • Most successful Corvette Racing driver at Le Mans

  • 32 per cent entry-to-win ratio

  • 53 per cent podium ratio

Official Le Mans test report (5 June)

  • Oliver Gavin, Tommy Milner and Jordan Taylor return, reuniting the 2015 Le Mans-winning line-up;

  • Corvette Racing ended the official Le Mans test in first and fourth in GTE Pro, Gavin in P4;

  • Ultra-competitive GTE Pro field promises to provide the closest of fights for victory across all of the manufacturers;

  • Chevrolet Corvette C7.R runs 2016 aero and new Michelin tyres at Le Mans for the first time, with satisfactory results;

  • Fastest pre-race testing pace ever: lapping Circuit de la Sarthe two seconds quicker in similar conditions suggests a very fast race pace in the 24 Hours of Le Mans itself.

Gavin says…
 
Ahead of his 16th visit to the 24 Hours of Le Mans…

“Our whole year at Corvette Racing is geared up around this event. It’s huge for the team and for me. I love it when June comes around each year, although it represents an enormous amount of work and effort by all involved.”

On the official Le Mans test…

“We ran through the intended programme and were pleased with the results of the test day. Jordan (Taylor) only flew in from Detroit that morning after competing for Wayne Taylor Racing in the WeatherTech United SportsCar Championship. It was good for us all to be back together at Le Mans.

On the 2016 Corvette C7.R at Le Mans...

“It felt good. We were really pleased with the balance. It’s the first time that we have run the updated aero package in conjunction with the new tyres from Michelin, and I have to say the results were very satisfying. We ran the aero kit in the Rolex 24 at Daytona and it performed very well there, but we were on the low-energy Michelin tyres, so it was great to get to grips with the new package.”

On the competition and the chief threats for victory…

“I see threats coming from all directions, pretty much. All the manufacturers in GTE Pro look very strong and the pace was fast from the start of the test to the end. You couldn’t take your eyes off the timing screens for a second, as different cars were posting faster sectors here, fastest laps there. It is going to be ultra-competitive, that’s for sure!”

On his chances of achieving victory number six…

“We have a good chance; the test showed we have good pace, but we will have to see what the opposition was really doing. Some may have been driving to a delta time, others may have been laying everything on the line. We will only find out when we come back for the race. We have proven reliability, while others have new and untried cars at Le Mans, but everybody is focused on one thing – winning.” 

alt
alt
alt
alt

 

MIGUEL OLIVEIRA COM A VOLTA MAIS RÁPIDA

 

Miguel Oliveira com a volta mais rápida em Portimão

 

IMG 7739_CopyIMG 7742_CopyIMG 7744_CopyA sessão de treinos cronometramos tiveram lugar hoje pela manhã e Miguel Oliveira foi o piloto mais rápido entre todas as equipas. O Team Parkalgar sai amanhã da 5ª posição conseguida entre o acumulado dos 3 pilotos da única equipa portuguesa a competir na 2ª ronda do campeonato do mundo de resistência em Portimão.

 

Miguel Oliveira que ontem foi levado ao hospital para realizar exames médicos após uma queda aparatosa que destruiu a Yamaha R1, hoje sofria também as consequências, tendo que batalhar com algum desconforto causado pelo incidente." Ontem sofri uma queda, mas sem consequências físicas graves. Fui ao hospital por segurança, mas sinto-me relativamente bem tendo em conta toda a situação. Hoje apenas rodei os 20 minutos previstos na qualificação e não deu para perceber até onde as dores que sinto são limitativas. Esta é para mim uma experiência nova e também por isso não sei muito bem o que vou encontrar, mas sei que tenho de fazer 5 corridas num dia." 

 

Tomás Alonso também está este fim-de-semana em competição em Portimão apoiado pelo Miguel Oliveira Fan Club, FMP, Parkagar e o próprio Miguel Oliveira. "O Tomás já fez o primeiro com a nova moto e conseguiu melhorar a sua melhor marca  em quase 10seg do seu registo pessoal o que é um bom indicador. É uma moto com um motor que ainda tem de aprender a guiar e acredito que muito em breve estará junto com os pilotos da frente."

 

As 12 Horas de Portimão EWC têm hora da partida marcada para amanhã sábado pela 9h30 da manhã com término às 21:30 e com transmissão na Eurosport. 

 

RALI DA SARDENHA

 

A rejuvenated Thierry Neuville banished memories of a torrid start to the season to lead Rally Italia Sardegna on Friday night after an enthralling duel with Jari-Matti Latvala.

The lead changed hands on every rough road speed test as the pair fought tooth and nail in intense heat. Neuville eventually eased ahead in late afternoon to eke out an 11.1sec advantage in his Hyundai i20 as Latvala fought handling issues.

Neuville scored points only twice in the opening five WRC rounds, but he and Latvala were aided by good grip on roads cleaned of slippery dry gravel by those ahead in the start order.

Latvala and championship leader Sébastien Ogier swapped the lead during the morning but Latvala ended the four stages eight-tenths of a second ahead of Neuville. They traded top spot this afternoon before fastest time in the final two stages enabled Neuville to pull clear.  

“I think everyone is happy to see us back in front,” said Neuville. “I was helped by the cleaner roads, it increased our confidence, and I hope we can continue in the same rhythm tomorrow. We had many issues at the end of last year and this year and it’s well-deserved.”

Latvala battled an understeering Volkswagen Polo R, but still won two stages compared to Neuville’s four. “I can’t get out of the corners properly and the car is difficult to drive. It got worse in the afternoon. I couldn’t attack and the tyres were wearing,” he said.

Road opener Ogier gambled with soft compound Michelin tyres when temperatures were cooler this morning to try to improve grip on the slippery gravel. He held the leading duo in check but slipped back this afternoon to end 40.3sec off the lead. 

Andreas Mikkelsen overhauled Mads Østberg in the final stage to grab fourth by 1.0sec in his Polo R, Østberg’s decision to carry two spare wheels this afternoon upsetting the balance of his Ford Fiesta RS. Dani Sordo completed the top six, a further 20.1sec behind.

Hayden Paddon rolled heavily down a hillside into retirement, Eric Camilli dropped several minutes with a broken rear differential and Kevin Abbring struggled all morning in two-wheel drive when the propshaft broke on his Hyundai i20 before the opening stage. 

Saturday’s marathon leg comprises more than half the rally’s distance. After a 05.30 start, drivers tackle three stages near Budduso, which are repeated in the afternoon after service. The last test of each loop is the classic 44.26km Monte Lerno, featuring the spectacular Micky’s Jump.

 

Download
alt
alt
alt

 

LANÇAMENTO EUROPEU

Lançamento europeu da campanha TyreAWARE

Associações de fabricantes de pneus, presentes em toda a Europa, lançaram a campanha TyreAWARE. Este projeto procura consciencializar o público sobre as melhores práticas e procedimentos na manutenção, armazenamento e serviços de pneus, para distribuidores, autoridades e consumidores.

 A TyreAWARE foi desenvolvida em colaboração com a Associação Europeia de Fabricantes de Pneus e Borrachas (ETRMA) e respetivos membros. 

 

WTCC 2016 - RUSSIA

WTCC 2016 - RUSSIA

 

Grupo de imagens relativos aos treinos de ontem do WTCC na Russia onde o piloto portugues Tiago Monteiro fez o melhor tempo.

 

Fotos de WTCC - www.velocidadeonline.comW1 CopyW2 CopyW3 CopyW5 CopyW6 CopyW7 CopyW8 CopyW9 CopyW10 CopyW11 CopyW12 CopyW14 CopyW15 CopyW16 CopyW17 CopyW18 CopyW19 CopyW20 CopyW21 CopyW22 CopyW23 CopyW24 CopyW25 CopyW26 Copy

 

GALERIA DE IMAGENS - LE MANS 2016

GALERIA DE IMAGENS

 

LE MANS 2016

 

Grl48 Copyl49 Copyl50 Copyl51 Copyl52 Copyl53 Copyl54 Copyl55 Copyl56 Copyl70 Copyl71 Copyl72 Copyl73 Copyl74 Copyl75 Copyl76 Copyl77 Copyl78 Copyl79 Copyl80 Copyl81 Copyl82 Copyl83 Copyl84 Copyl85 Copyl86 Copyl87 Copyl88 Copyupo de imagens dos testes antes das 24 Horas de Le Mans

 

LEASEPLAN REAFIRMA LIDERANÇA

 

Resultado líquido aumenta 68% em 2015

LeasePlan Portugal reafirma liderança no renting e gestão de frotas

 

Em 2015, a LeasePlan reforçou a sua liderança no mercado nacional de renting e de gestão de frotas registando uma evolução positiva dos principais indicadores operacionais. A empresa assistiu ainda a um crescimento dos seus resultados financeiros, com um aumento do resultado líquido de 68%, para os 15,649 milhões de euros.

A LeasePlan, que conta já com 358 colaboradores, deu continuidade ao novo ciclo de sucesso iniciado em 2014 e registou índices de lealdade e satisfação dos clientes superiores aos alcançados no passado e àqueles que constituem a referência global no mercado. Por outro lado, a aposta na diversificação de clientes e negócios, com a criação de novas soluções direcionadas a particulares e às PME, segmentos que têm cada vez mais peso no negócio, contribuiu de forma significativa para a consolidação destes resultados. Adicionalmente, a LeasePlan reforçou a sua aposta na venda de usados e na prestação de serviços adicionais, altamente sinergéticos com o renting, desde os contratos de manutenção, às garantias de usados e extensões de garantia para carros novos, que trazem valor adicional aos clientes e aos condutores. Esta estratégia, focada nas necessidades dos clientes, foi determinante para o aumento de 6% do número de automóveis sob gestão e para o crescimento de 7% no número de clientes em 2015.

Para António Oliveira Martins, Diretor-geral da LeasePlan Portugal: “Estes resultados espelham a estratégia da LeasePlan que tem o cliente e o condutor no centro da sua atuação. Seja por via de uma prestação de serviço consistente e estruturada, seja por via da inovação que sustenta a permanente adaptação da nossa oferta a expectativas que estão em constante e rápida mutação. Em 2015, recolhemos dados que nos permitiram concluir que este esforço é reconhecido por ambos: 91% dos clientes estão satisfeitos com a qualidade dos serviços, 79% dos condutores concorda que it’s easier to leaseplan. Algo que reforça a nossa confiança no futuro e que nos motiva a fazer ainda mais e melhor.”

Paralelamente à sua atividade operacional, a LeasePlan Portugal assume-se como interveniente responsável perante os colaboradores, clientes, condutores, mas também perante a comunidade onde se integra. Durante o ano de 2015 foram reforçadas as ações na sua política de Responsabilidade Social Corporativa assente em três eixos-chave: Crianças Carenciadas, Segurança e Prevenção Rodoviária e a Sustentabilidade Ambiental.Carros Frota_11_Copy

 

NOVO MERCEDES BENZ CLASS E STATION

 

Novo Mercedes-Benz Classe E Station

 

 

A Station do novo Classe E está preparada para o torneio de ténis MercedesCup em Estugarda: a sexta geração do modelo, que efetuou a sua estreia durante o torneio, é dinâmica como os tenistas de topo e espaçosa como um campo central de ténis. A engenharia inovadora e o aproveitamento eficiente do espaço conferem ao novo modelo a versão Station mais inteligente de sempre construída pela Mercedes-Benz. Ao mesmo tempo, a primeira versão desportiva celebra a sua estreia na forma do Mercedes-AMG E 43 4MATIC. Em termos de espaço, o Classe E Station continua a ser um dos modelos preferidos do seu segmento: tem uma capacidade de carga de até 1820 litros e, apesar da sua linha do tejadilho mais desportiva, a altura livre no banco traseiro é a melhor do seu segmento. A partir de finais de 2016, o Classe E Station estará novamente disponível com um terceiro banco rebatível para crianças. Para o lançamento de mercado, a nova Station estará disponível na versão E 200 com um motor a gasolina de quatro cilindros (135 kW/184 CV), E 220 d (143 kW/194 CV) com um motor Diesel de quatro cilindros recém-desenvolvido e na versão E 250 com uma potência de 155 kW (211 CV) e 350 Nm de binário. No quarto trimestre de 2016 será lançada a versão E 200 d com uma potência de 110 kW (150 CV), juntamente com a versão E 350 d equipada com um motor Diesel de seis cilindros e com a versão E 400 4MATIC com motor a gasolina de seis cilindros com uma potência de 245 kW (333 CV) e 480 Nm de binário. No lançamento de mercado, todos os modelos estão equipados de série com a nova caixa de velocidades automática 9G-TRONIC de nove relações. A primeira versão desportiva deste modelo polivalente é o Mercedes-AMG E 43 4MATIC Station, que estará igualmente disponível a partir do quarto trimestre. Com o potente motor de 3.0 litros V6 biturbo com 295 kW (401 CV) de potência, caixa de velocidades automática 9G-TRONIC com tempos de engrenamento reduzidos, sistema de tração integral AMG Performance 4MATIC e suspensão desportiva especialmente desenvolvida, este modelo apresenta um elevado dinamismo e agilidade de condução característicos da marca AMG. Compartimento de carga inteligente: volumoso, versátil e de fácil acesso Com uma capacidade que varia desde os 670 até aos 1820 litros, o compartimento de carga do Classe E Station é um dos maiores do seu segmento. Equipado de série, o banco traseiro possui uma nova funcionalidade de carga: é possível regular o encosto do banco para uma posição mais vertical em aproximadamente 10 graus. Isto permite criar um volume de carga adicional de 30 litros e manter, ao mesmo tempo, a disponibilidade dos cinco lugares para os ocupantes. Adicionalmente, o encosto do banco traseiro de série pode ser repartido e rebatido na proporção de 40:20:40, permitindo várias configurações entre a capacidade de carga e a disponibilidade de lugares para os ocupantes. Para libertar o encosto do banco, existem interruptores elétricos localizados no compartimento de carga nos lados direito e esquerdo, junto ao encosto do banco. Os engenheiros prestaram particular atenção às dimensões práticas e à gestão inovadora do espaço de carga: por exemplo, o novo Classe E Station é um dos poucos modelos ligeiros de passageiros com capacidade para transportar uma palete de norma Europeia. Com uma largura mínima de 1100 mm do compartimento de carga medida entre as cavas das rodas, foi possível manter as excelentes medidas do modelo antecessor. A comprovada combinação da cobertura e da rede do compartimento de carga foi novamente adotada, oferecendo segurança e privacidade. Graças ao acionamento elétrico, a cobertura do compartimento de carga desloca-se para cima quando a porta traseira é aberta. Para o carregamento e descarregamento confortável, a porta traseira EASY-PACK, disponível como equipamento de série, pode ser aberta e fechada facilmente com o simples pressionar de um botão. O funcionamento processa-se por meio eletromecânico. Para evitar a colisão da porta traseira com o teto da garagem, o processo de abertura da porta traseira pode ser interrompido em qualquer posição, sendo também possível limitar o seu ângulo de abertura. O KEYLESS-GO, opcional com o sistema HANDS-FREE ACCESS, permite carregar o veículo de forma ainda mais confortável: para abrir e fechar a porta traseira de forma totalmente automática, só necessita de efetuar um movimento com o pé por debaixo do para-choques traseiro. Não necessita de utilizar as suas mãos ou de colocar a bagagem no chão. Agora esta facilidade de operação também está disponível em conjunto com o gancho de reboque (equipamento opcional). O kit de fixação da carga EASY-PACK (equipamento opcional) permite utilizar o compartimento de carga de forma versátil e segura. A solução inteligente para gerir o espaço de carga inclui calhas no piso de carga, fechos, um tirante telescópico e barras de suporte de carga. A suspensão pneumática traseira de nivelamento automático continua a estar disponível como equipamento de série. Esta suspensão permite ao Classe E Station manter-se sempre na horizontal, mesmo em condições de carga total (até 745 kg em função do modelo) ou com reboque acoplado e totalmente carregado (até 2100 kg). Com o AIR BODY CONTROL, a suspensão pneumática integral está disponível como equipamento opcional. O gancho de reboque retrátil e extensível que agora está disponível em versão totalmente elétrica com estabilização de reboque ESP® e Assistente de Vento Lateral (equipamento opcional), também é um equipamento extremamente útil para o dia-a-dia. Se o gancho de reboque não for necessário, poderá ser alojado atrás do para-choques traseiro. Para acoplar um reboque ou um suporte de bicicletas traseiro no gancho de reboque, basta rodá-lo automaticamente para fora através dos botões e mantê-lo em posição de utilização. Os botões de controlo estão localizados na porta traseira do compartimento de carga ou na porta do condutor. Excecionalmente seguro e fácil de instalar, o suporte de bicicletas traseiro é uma estreia a nível mundial. O gancho de reboque possui dois parafusos extra na esfera para suportar em segurança um suporte de bicicletas traseiro adequado. Isto permite aumentar a capacidade de carga para 100 kg e quatro bicicletas. Design exterior: proporções dinâmicas, visual arrebatador da traseira O novo Classe E Station aparenta um visual moderno, elegante, dinâmico e assemelhase ao modelo Limousine até ao pilar B. Desde o longo capot, emerge uma silhueta atraente que flui ao longo da linha desportiva do tejadilho até à traseira poderosa do Classe E Station, com o seu vidro extremamente inclinado. A projeção frontal e traseira curta, a grande distância entre eixos e as jantes de grandes dimensões, conferem as proporções dinâmicas do veículo. Em conjunto com a elevada linha de cintura, os vidros alongados e de baixa altura fazem com que o veículo pareça mais comprido. As linhas acentuadas dos vidros laterais prolongam-se até à traseira. Pela primeira vez, as barras do tejadilho estão equipadas de série. Este equipamento também salienta a natureza atlética do Classe E Station. As barras do tejadilho têm acabamento na cor alumínio prata. Concluindo a descrição do design exterior, a traseira evidencia um visual sensual com os seus ombros largos proporcionados pelos guarda-lamas traseiros. Um spoiler do tejadilho com uma terceira luz de stop (LED) integrada define até que altura poderá abrir a porta traseira de grandes dimensões. De uma perspetiva de design, a largura é salientada pelas linhas horizontais na traseira e pelo vidro traseiro, assim como os farolins traseiros de LED repartidos em duas unidades alinhadas horizontalmente, com revestimento cromado integrado. Os refletores de LED salientam o carácter do veículo, criando um destaque de design durante o dia e à noite. Na porta traseira, o manípulo largo e com revestimento cromado atua como uma peça central do visual da traseira. Tal como na Limousine, a dianteira poderosa varia em função das linhas de design e de equipamento selecionadas. A versão base possui a grelha do radiador clássica Mercedes com a estrela no capot, tal como a linha de equipamento EXCLUSIVE com um design ligeiramente diferente. As linhas AVANTGARDE e AMG podem ser reconhecidas pela estrela central na grelha do radiador desportiva. Cada versão da grelha do radiador confere ao Classe E um carácter distintivo. As linhas de design e de equipamento também diferem na traseira: o para-choques traseiro no modelo de entrada possui uma aplicação de cor preto em forma de difusor, enquanto o sistema de escape não possui ponteiras à vista. Todas as linhas possuem um para-choques traseiro repartido com uma asa cromada contínua. Como equipamento de série, todos os modelos Station estão equipados com proteção das embaladeiras em aço inoxidável. Design interior: uma simbiose de emoção e inteligência No interior, o Classe E Station também utiliza o galardoado design da Limousine. O painel de instrumentos pode ser adornado com dois largos ecrãs opcionais de alta resolução e alto brilho, cada um com uma largura diagonal de 12.3 polegadas. Localizados debaixo de uma cobertura de vidro partilhada, os dois ecrãs são unidos para formar um ecrã extremamente largo. O condutor poderá configurar o ecrã totalmente digital para mostrar informação e imagens relevantes. Existem três estilos diferentes à escolha: "Classic", "Sport" e "Progressive". Os botões táteis no volante foram estreados no novo Classe E e permitem controlar o painel de instrumentos e o sistema multimédia com um simples gesto com os dedos. Os controlos adicionais são fornecidos na forma de um touchpad com painel de comando na consola central que também reconhece a escrita à mão, mais o sistema de controlo por voz LINGUATRONIC. Também existem botões de controlo direto para controlar por exemplo o ar condicionado, ou para ativar e desativar vários sistemas de assistência à condução de forma confortável. Materiais de elevada qualidade definem o estilo interior. Estes incluem madeira porosa, madeira semelhante à utilizada em iates, com linhas fluidas numa interpretação moderna de madeira embutida e um novo tecido em metal. A utilização de materiais genuínos continua com as portas e a linha de cintura revestidas opcionalmente em pele. Outra referência da Mercedes-Benz claramente em evidência corresponde ao visual de elevada qualidade, à atenção ao detalhe e à mão-de-obra de qualidade. Os materiais e as cores também foram criteriosamente selecionados com vários tons de castanho, incluindo combinações atrativas de cores tais como o bege macchiato/castanho espresso ou o bege macchiato/castanho saddle. As linhas de design e de equipamento incluem esquemas de iluminação ambiente melhorados constituídos por 64 cores, oferecendo um vasto leque de configurações e regulações personalizadas. No que diz respeito aos bancos, as suas formas ergonómicas e esculturais combinam o conforto de referência da Mercedes-Benz para longas viagens com um visual refinado e desportivo, caracterizado por um design exclusivo para cada linha. O pack Heat Comfort é outra característica nova neste segmento, que inclui apoios de braços aquecidos nas portas e na consola central e o aquecimento rápido do banco Plus. Baixo ruído e vibração: uma das Station mais silenciosas No interior, o novo Classe E Station é um dos veículos mais silenciosos do seu segmento - considerando que um modelo Station tem uma desvantagem a nível estrutural comparativamente a uma Limousine devido a uma carroçaria com maior ressonância. Uma condução silenciosa e de baixa vibração contribui significativamente para o nível de conforto de revitalização, particularmente durante longas viagens. Um vasto conjunto de medidas ajuda a reduzir as vibrações e o ruído. Tal como num cabriolet, as longarinas reforçam o piso principal e a estrutura dianteira da carroçaria. Por essa razão, a carroçaria do veículo é extremamente rígida e transmite menos ruído. O isolamento especial da carroçaria (incluindo o painel corta-fogo, painéis laterais e o piso principal), assim como os isolantes de som debaixo dos bancos traseiros e nas cavas das rodas, impedem a transmissão de ruído para o interior do veículo. A cinemática do chassis, dos eixos e do sistema da direção reduz a transmissão de vibrações que possam ser causadas pela superfície da estrada, desequilibragem das rodas ou durante a travagem. Os apoios do motor e da caixa de velocidades também foram otimizados em termos de ruído, enquanto algumas versões do modelo estão equipadas com apoios ativos do motor. Foram adotadas várias medidas na área da aeroacústica. Estas incluem a vedação dos manípulos das portas, vedantes nas juntas das portas e otimização de pormenores associados à geometria das secções de vedação dos vidros laterais. Também foram realizados melhoramentos nas peças moldadas para as calhas de vedação interior, por forma a que estas sejam ligadas ao carril do vidro através do isolamento positivo sem quaisquer folgas. Tal como no Classe E Limousine, os espelhos exteriores e os pilares A também foram otimizados em termos de aeroacústica, tal como a estrutura do tejadilho e o módulo do teto de abrir, para beneficiar o conforto de baixo ruído também nestas  áreas. No caso do teto de abrir panorâmico e, tal como no modelo antecessor, as várias medidas de deflexão de ar (defletor de ar, cortinas e vedantes com a geometria adequada) asseguram um elevado nível de conforto de baixo ruído apesar de uma área de abertura superior. O pack Acoustic Comfort está disponível como equipamento opcional. Uma película especial acústica no para-brisas e nos vidros laterais assegura um baixo nível de transmissão do ruído exterior para o interior. O pack Acoustic Comfort contém outras medidas de isolamento de som tais como um isolante adicional no poisa-pés traseiro e no túnel central. Para fornecer um excelente nível de isolamento de calor no interior, o para-brisas, os vidros laterais e o vidro traseiro são construídos em vidro de segurança laminado com uma película adicional que absorve os raios infravermelhos. Desta forma, as superfícies no interior, tais como os apoios de braços, o volante e os bancos absorvem menos calor da radiação solar. Intelligent Drive: todas as inovações a bordo do Classe E Tal como a Limousine executiva mais inteligente, o novo Classe E Station também estabelece novas referências em termos de segurança, conforto e redução do cansaço do condutor. O Assistente Ativo de Travagem é um equipamento de série. O sistema pode avisar o condutor sobre colisões iminentes, fornecer uma assistência ideal através de uma travagem de emergência e, se necessário, poderá também efetuar uma travagem autónoma. Além dos veículos em marcha lenta, em processo de paragem ou parados, o sistema também pode detetar pedestres a atravessar a zona de perigo em frente ao veículo. Os sistemas de assistência também incluem o DRIVE PILOT: este sistema representa o próximo passo da Mercedes-Benz em direção à condução autónoma. Tal como o Distance Pilot DISTRONIC, não só permite manter automaticamente o veículo à distância correta atrás de outros veículos em todos os tipos de estrada, como também segui-los pela primeira vez a uma velocidade de até 210 km/h. O Remote Parking Pilot é também um novo sistema: pela primeira vez, este sistema permite estacionar e retirar o veículo de garagens e de lugares de estacionamento Novo Classe_E_Station1_CopyNovo Classe_E_Station2_CopyNovo Classe_E_Station3_Copyemotamente, através da utilização de uma app num smartphone, permitindo aos ocupantes entrar e sair do veículo mais facilmente, mesmo que o espaço seja extremamente reduzido. 50 anos de história: a primeira Station oficial da Mercedes-Benz Em Agosto de 1966, o Mercedes-Benz Universal fez a sua estreia no programa oficial de vendas da Mercedes-Benz. Esta station foi construída pelo parceiro Belga IMA, com base nos modelos desde o 200 D ao 230 S “rabo de peixe”. Apesar de inovações tais como o encosto repartido do banco traseiro, a suspensão traseira de nivelamento automático e uma terceira fila de bancos opcional, esta versão não foi bem-sucedida: até 1969 apenas foram construídas 2754 unidades deste modelo e o desenvolvimento de um sucessor com base no modelo Stroke 8 foi cancelado. Novo nome, novo modelo, novo sucesso: a Station Em abril de 1978, a Station 123 entrou em produção e deu início a uma longa história de sucesso – mais de um milhão de veículos foram produzidos até à data. Na Alemanha, a Station é conhecida como “T-Modell” e, apesar do “T” se referir a turismo e transporte, também se assume como “trendsetter”. Para a Mercedes-Benz, a Station é parte integrante do segmento de luxo e tem fãs verdadeiramente fieis, em particular na Alemanha. Tem existido um “T-Model” em todas as gerações de sucesso do Classe E (S 124, S 210, S 211, S 212). As marcas concorrentes seguiram a tendência, mas bastante mais tarde

 

HAAS NO G.P.DO CANADÁ

Grande Prémio do Canadá: Resumo de Sexta-Feira

 

alt

 

Evento: Sessão de Treino-Livres 1 Sessão de Treinos-Livres 2

Data:  Sexta-Feira, 10 de Junho

Local:  Circuit Gilles Villeneuve

Layout:  4,361 quilómetros, circuito de 14 curvas

Condições climatéricas da 1ª Sessão:  Parcialmente encoberto, 14ºC

Condições climatéricas da 2ª Sessão:  Sol encoberto, 19ºC

Pilotos:  Romain Grosjean e Esteban Gutiérrez

 

 

Grosjean:  13º (1m17,008s), 22 voltas

Gutiérrez:  16º (1m17,319s), 24 voltas

Piloto mais rápido:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m14,755s)

Maior número de voltas:  Nico Rosberg da Mercedes, Valtteri Bottas da Williams e Pascal Wehrlein da Manor (30 voltas)

 

 

Grosjean:  15º (1m16,093s), 35 voltas

Gutiérrez:  18º (1m16,591s), 32 voltas

Piloto mais rápido:  Lewis Hamilton da Mercedes (1m14,212s)

Maior número de voltas:  Marcus Ericsson da Sauber (51 voltas)

 


Os pilotos da Haas F1 Team, Romain Grosjean e Esteban Gutiérrez, registaram cento e treze voltas ao circuito de 4,361 quilómetros e 14 curvas durante as duas sessões de treinos-livres que visam preparar o Grande Prémio do Canadá, que se realiza no domingo no Circuit Gilles Villeneuve, em Montreal.


A primeira sessão de noventa minutos foi disputada sob um céu parcialmente encoberto com uma temperatura de 14ºC. Ambos os pilotos tiraram o máximo de partido do tempo de pista e realizaram todas as suas voltas a ritmo competitivo com pneus Pirelli P Zero Roxo/Ultramacio – o pneu escolhido pela Haas F1 Team para este fim-de-semana.


A Haas F1 Team assumiu uma estratégia agressiva para Montreal. Dos treze jogos de pneumáticos da Pirelli que cada piloto pode usar ao longo de um fim-de-semana, a equipa escolheu dez ultramacios para Grosjean e para Gutiérrez. Três jogos de Pirelli P Zero Amarelo/Macio completam os jogos alocados a cada um dos pilotos. Nenhum dos P Zero Vermelho/Supermacio disponibilizados foram escolhidos.


Grosjean realizou duas séries de dez voltas durante a manhã, com a sua melhor volta a surgir na décima sétima (1m17,008s), o que o colocou no décimo terceiro lugar. Gutiérrez também efectuou duas séries de voltas, uma de dez e outra de catorze. O seu melhor tempo foi alcançado na nona volta (1m17,319s), o que o colocou no décimo sexto posto da geral.


O duo da Mercedes, Lewis Hamilton e Nico Rosberg, foram os mais rápidos na primeira sessão. Terminaram a sessão nas duas primeira posição, com a marca de Hamilton, 1m14,755s, a bater a de Rosberg por 0,331s.


Duas horas e meia mais tarde iniciou-se a segunda sessão e os pilotos das Haas F1 Team utilizaram os pneus macios e os ultramacios.


Grosjean realizou três séries, totalizando trinta e cinco voltas. A primeira, de seis voltas, foi realizada com pneus macios, seguida de seis com ultramacios e a última, de vinte e três, com ultramacios. O seu melhor tempo 1m16,093s, alcançada na décima primeira volta, que o colocou no décimo quinto lugar.


Gutiérrez realizou quatro séries, completando trinta e duas voltas. Também ele começou com pneus macios, tendo a sua primeira sessão durado sete voltas. Na série seguinte foram montados ultramacios, esta de nove voltas. Os macios regressaram para a terceira série, que teve a duração de doze voltas, para depois depois voltarem a ser montados ultramacios para uma série de quatro voltas. O seu melhor tempo foi de 1m16,591s, realizada na décima terceira volta, que o colocou no décimo oitavo lugar.


O Hamilton foi o mais rápido na segunda sessão, com a melhor volta de 1m14,212s. O segundo mais rápido foi Sebastian Vettel, da Scuderia Ferrari, a 0,257s de Hamilton. Rosberg foi o terceiro mais rápido, a 0,526s do seu colega de equipa na Mercedes.



“Foi um bom dia. Realizámos bons quilómetros e carro estava bom. No geral, estou muito satisfeito com o equilíbrio do carro. Realizámos uma longa série de voltas no final do dia e tudo correu como esperávamos, o que é muito bom. Esperamos encontrar amanhã um pouco mais de performance através dos pneus.”



“Completámos o programa de hoje, o que é o mais importante para nós, dado que nos forneceu muitos dados. Agora os rapazes estão a trabalhar arduamente para afinar tudo para amanhã. Com pouca gasolina o carro não estava com os ultramacios. No entanto, o carro estava melhor com muito combustível. Vamos trabalhar um pouco mais no nosso ritmo de qualificação e tentar ter um bom dia amanhã. As condições climatéricas serão um pouco instáveis, portanto, teremos que nos adaptar e reagir rapidamente, mas estamos ansiosos.”


“Foram duas boas sessões para nós. Completámos o nosso programa e tudo o que tínhamos previsto para hoje. Estabilizámos bastante como equipa nas últimas corridas. Os pilotos estão muito satisfeitos e sabemos onde estamos no momento, portanto, temos apenas que manter a concentração. Amanhã, veremos o que podemos fazer na qualificação. As condições climatéricas são ainda incertas, portanto, tudo pode mudar, mas estamos prontos e esperançosos de que teremos um bom resultado.”



Os pilotos terão mais uma sessão de treinos-livres no sábado (10h00 – 11h00) antes da qualificação, que terá o seu início às 13h00. A qualificação consiste em três segmentos, com os dezasseis pilotos mais rápidos a avançarem da Q1 para a Q2. Posteriormente, os dez pilotos mais rápidos na Q2 seguem para a Q3, durante a qual lutarão pela pole-position.

 

 

-HaasF1Team-

 

 

Sobre a Haas Automation

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitar www.HaasCNC.com.

 

JORGE RODRIGUES NO EUROPEU DE GT 4

 

Jorge Rodrigues no Campeonato Europeu de GT4

 

 

MASERATI GT4_CopyDepois de ter alinhado o ano passado no Campeonato Europeu do Troféu Abarth 695, Jorge Rodrigues está a preparar o seu regresso, ainda este ano de 2016, à competição, e a sua escolha recaiu no Campeonato Europeu de GT4. O piloto de Braga estará aos comandos de um Maserati GranTurismo MC GT4, máquina que lhe proporciona todas as condições para lutar pelas melhores posições num dos mais disputados campeonatos a nível europeu: “Já há algum tempo que andava a seguir este campeonato, que é muito competitivo, e neste momento acho que é o que se ajusta mais na relação preço qualidade”, esclarece Jorge Rodrigues, acrescentando: “São corridas com mais de 30 carros, nas melhores pistas da Europa, com várias marcas e grandes pilotos”. Jorge Rodrigues explica ainda como optou por esta competição: “Surgiu esta oportunidade, com apoio da Maserati Itália, de participar na segunda metade da época. Este ano vai servir para fazer a melhor adaptação, pensando já em 2017 onde quero participar em todo o campeonato. Nunca corri em GT, e vai ser um mundo novo, mas quero obter os melhores resultados possíveis. Quero conhecer esta nova realidade, mas sei que, com a grande qualidade de pilotos e carros é complicado arriscar qualquer prognóstico”. O piloto da capital do Minho já esteve já em Itália, onde fez o primeiro teste: “É um carro de tração atrás, que até prefiro que tração à frente, e gostei muito deste primeiro contato. Exige muito fisicamente, mas dá muito gozo guiar e é muito intuitivo”, concluiu. O campeonato é disputado em seis países diferentes e com duas formulas diferentes. Uma, com corrida única de 3 horas de duração com dois pilotos, e outras com duas provas de 50 minutos. O Maserati GranTurismo MC GT4 é equipado com um motor de 4700 cc, com caixa de velocidades no volante. O peso anunciado é de 1410 quilos e uma potência de 430 cavalos. O Campeonato já teve início com duas jornadas em Monza, Itália, e Pau em França, e tem a terceira etapa a 12 de Junho em Silverstone, Inglaterra. Jorge Rodrigues fará a sua estreia a 10 de Julho em Spa-Francorchamps, Bélgica, prosseguindo depois em Hungaroring, Hungria, a 25 de Setembro, com a companhia do DTM, terminando a época no dia 9 de Outubro em Zandvort, Holanda.

 

WTCC 2016

 

LADA SPORT ROSNEFT has high hopes for home WTCC race in Moscow


The FIA World Touring Car Championship (WTCC) Race of Russia will be a celebration of LADA’s 50th anniversary, and the LADA SPORT ROSNEFT team hopes to mark the occasion with some big results on home turf (11-12 June).  

The WTCC’s fourth annual visit to Moscow Raceway – officially sponsored by oil giant ROSNEFT and LADA SPORT – brings the 2016 season to its halfway point, but the Russian event is particularly significant for being a major part of LADA’s own 50th anniversary festivities. 

The Russian brand will take the opportunity to celebrate half a century of car production with its loyal fan base and supporters of the WTCC, who turn out en masse every year to witness LADA SPORT ROSNEFT do battle with the world’s greatest touring car teams.  

A presence on the WTCC grid illustrates LADA SPORT’s ongoing commitment to improving its performance and creating a winning platform with the LADA Vesta TC1 racecar, while also increasing exposure of LADA’s expanding and revitalised range of road cars. 

This unquenchable thirst for success has resulted in vastly improved performances; the team reached the podium on its last visit to Moscow Raceway and is now firmly established as a regular threat for top three results, but it’s widely acknowledged that success in the ROSNEFT-backed Race of Russia for drivers, Gabriele Tarquini, Hugo Valente and Nick Catsburg, would feel more like a championship win.

A lot of hope rests with Italian touring car veteran Tarquini, who has a strong record at Moscow Raceway, having finished second there in 2014 and third last year, with Dutch racer Catsburg shadowing him in fourth. 

Tarquini said: “I'm very excited to be racing in Russia with LADA SPORT ROSNEFT. I like Moscow Raceway and its balance of fast and slow corners. I like the first sector of the track, with the fast first corner and a very challenging downhill braking zone into Turn.4. It’s very difficult to find a braking point there and very easy to make mistakes. However, given my previous experience at this circuit, I feel confident that I can score good results in qualifying and the races.”

Valente added: “Moscow Raceway is an interesting circuit and it’s one of the best for overtaking. You have to adapt your driving and setup for the low-grip surface and I’m expecting this to be an interesting weekend for a number of reasons. Firstly, we have lost some weight and it will feel like a second home race, with so much LADA SPORT ROSNEFT support. 
“I think everybody in the team will have a little extra motivation to ensure all three cars perform well and I hope to see a lot of people in attendance. I really hope we can make the fans and sponsors happy and proud of LADA. I’m very much looking forward to Sunday’s races!” 

Catsburg said: “Moscow Raceway is a nice and technical track that compliments a particular driving style in a front-wheel-drive car. The circuit layout is interesting, with some high-speed corners combined with challenging technical sections. I am looking forward to this one. There are some opportunities for overtaking and the best chance is definitely into the last corner after the long straight.
“On my previous visits to Russia, I had a little bit of time to explore Moscow. Unfortunately, racing often means simply spending time between airports, hotel and the circuits, but I spent one and a half days near Red Square and got to explore what I found to be a beautiful city during last year’s Blancpain Endurance Series event. Of course, this being LADA SPORT ROSNEFT’s home event, I expect a lot of support from the Russian fans. I will do my best as always and hope for great result for LADA, its fans and sponsors.”


 
LADA SPORT ROSNEFT is a racing team, participating in the World Touring Car Championship since 2015 with specially designed LADA Vesta WTCC cars. The General Sponsor of the team is a global energy company Rosneft. Supporting the Russian team in the World Championship, Rosneft together with the leader of the Russian automotive industry – LADA – joined their efforts to promote Russian brands at the world markets. 
alt
alt

 

MOTOS NO BRASIL

 

rmãos Gonzalez entram na briga pelo título da Honda Junior Cup

Próxima etapa será dia 12 de junho, em Interlagos (SP)

alt

Irmãos Gonzalez estreiam na Honda Jr Cup deste ano
Arquivo pessoal

 Nada como uma saudável disputa em família. A temporada 2016 da Honda Junior Cup, categoria-escola que tem como intuito formar novos talentos da motovelocidade nacional, contará com a participação de dois irmãos, moradores da cidade de Caieiras, região metropolitana de São Paulo. O mais velho, Bruno Branco Gonzalez, 14 anos, e o caçula, Alexandre Branco Gonzalez, 13 anos, aceleraram pela primeira vez a Honda CG 160 cilindradas especialmente carenada – moto utilizada na competição – já na prova de abertura da categoria, realizada no mês de maio no Autódromo de Interlagos.

Apesar estrearem na motovelocidade, o mundo das duas rodas não é nada novo para os dois irmãos. Seus pais sempre apoiaram a prática de esportes, principalmente, os sobre duas rodas. Sergio Ricardo Gonzalez, 54 anos, e Ana Lucia Branco de Almeida, 50 anos, comandam uma agência de publicidade, e quando não estão no escritório ou em reuniões com clientes, costumam fazer trilhas de moto ao lado dos dois filhos.

Assim, a paixão pelo esporte a motor começou ainda bem cedo. Com uma pequena diferença de idade entre eles, os irmãos Gonzalez aprenderam a pilotar praticamente juntos. Bruno começou aos cinco anos com um scooter Brandy de 50 cilindradas. Aos sete já pilotava uma moto com câmbio manual – uma Kawasaki 100cc – e em seguida foi experimentando modelos mais potentes, como a Yamaha RD 135cc, a Yamaha Ttr 125cc, e mais recentemente uma Yamaha XT 225cc preparada.

Alexandre teve uma vivência semelhante. Após começar com um triciclo motorizado, passou pela mesma trajetória que seu irmão mais velho até chegar a atual, a Ttr 125cc. Mas a esportividade dos dois jovens pilotos não se resume apenas ao motociclismo. Os irmãos praticam ainda esportes marciais como Judô, Karatê e Taekwondo, além de tênis de mesa, natação e motocross.

Além disso, a pressão para alcançar os melhores desempenhos não é necessariamente algo novo para os dois. Ambos têm experiências em competições. O irmão mais velho, Bruno, faturou uma medalha de prata em um campeonato colegial de Judô e participou de uma prova de Veloterra em Caçapava (SP). Já Alexandre, levou o bronze num Campeonato de Karatê realizado em Guarulhos.

Essa dupla boa de briga iniciou a temporada 2016 da Honda Junior Cup correndo quase que de igual com pilotos já veteranos na categoria, como Nicolas Cenedesi (#525) e Léo Marin (#46). Alexandre – que disputa a competição com a moto #89 – começou os treinos livres da 1ª Etapa como o segundo mais rápido. Nos classificatórios, perdeu uma posição e garantiu o terceiro lugar no grid de largada. Já na corrida, o estreante não conseguiu acompanhar o ritmo dos adversários mais experientes e encerrou a prova na quarta colocação.

“Esta é minha primeira corrida e eu gostaria de continuar e fazer carreira de piloto de moto. Estou ansioso, focado e pronto para conquistar o que eu quero”, disse Alexandre.

Bruno percorreu um caminho parecido. Com o numeral #98, o primogênito da família Gonzalez fechou a sexta melhor marca nas sessões livres. Em seguida, garantiu a vice-liderança no classificatório e encerrou a corrida com a sexta posição.

“Meu objetivo é estar entre os cinco melhores [no campeonato] e conquistar muitos pódios”, salientou.

Os dois irmãos, moradores do pequeno município de Caieiras, retornam às pistas no próximo domingo (12) para a disputa da 2ª Etapa da Honda Junior Cup, que será realizada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.  

Ingressos para ARQUIBANCADA são GRATUITOS. Informações Adicionais: Tel.: 11 5524-5684 ou pelo site: www.superbike.com.br 

SuperBike Brasil 

3° SuperBike Brasil: 12 de Junho - Interlagos-SP

4° SuperBike Brasil: 17 de Julho - Interlagos-SP

5° SuperBike Brasil: 21 de Agosto - Interlagos-SP

6° SuperBike Brasil: 25 de Setembro - Curvelo-MG

7° SuperBike Brasil: 23 de Outubro - Goiânia-GO

8° SuperBike Brasil: 13 de Novembro – Londrina-PR ou Pista no Rio Grande do Sul Realização da Etapa  

9° SuperBike Brasil: 11 de dezembro - Curvelo – MG

Siga-nos também nas redes sociais: 

Facebook: facebook.com/Superbikeoficial

Twitter: //correio.portugalmail.pt/imp/@SuperBikeBrasil" target="7dKFO-YRo99XW6ezj9sGSSA">@SuperBikeBrasil

Youtube: www.youtube.com/superbikebrasil

 

MERCEDES CONTINUA A CRESCER

 

“A Mercedes-Benz registou no passado mês de maio um crescimento assinalável ao ter entregue 170,625 unidades novas a clientes. A região Europa e a região Ásia-Pacífico contribuíram com grande parte das vendas durante este período. A Mercedes-Benz continua a liderar o segmento premium nos EUA, Canadá, Japão, Austrália e Taiwan.”D221287 CopyD240948 Copy

 

HERTZ MARCA PRESENÇA

 

A Hertz Ride, em parceria com a Touratech, vai marcar presença no Travel Event nos próximos dias 10, 11 e 12 de junho em Niedereschach, na Alemanha. Neste evento de referência para o setor, que conta com cerca de 70 expositores, a Hertz Ride apresenta-se num espaço exclusivo onde irá apresentar os seus diferentes modelos de motos para aluguer e divulgar os seus serviços de moto tour para Portugal, Espanha e França especialmente pensados para os amantes das duas rodas.

 

Esta presença no Travel Event surge no seguimento da parceria da Hertz Ride com a Touratech, marca de referência no mercado do motociclismo, que comercializa as mais importantes marcas do segmento de acessórios e equipamentos de motociclismo.

 

O Travel Event é um evento com entrada e acampamento gratuitos, dando assim a possibilidade a todos os amantes das motos de visitarem e usufruírem das diversas atividades programadas. Estão previstos vários workshops e tours sobre temas do interesse dos motociclistas, como fotografia, melhores rotas, acessórios etc.HERTZ MARCA_PRESENA_NO_TRAVEL_EVENT_2016_EM_PARCERIA_COM_A_TOURATECH_Copy

 

HAAS NO G.P. DO CANADÁ

 

Northern Exposure”

Haas F1 Team atravessa a fronteira para o Grande Prémio do Canadá

 

KANNAPOLIS, Carolina do Norte (9 de Junho de 2016) – Depois de competir na Riviera Francesa, no Mónaco, a Haas F1 Team e as suas adversárias no Campeonato do Mundo FIA De Fórmula 1 vão para Montreal, o palco do Grande Prémio do Canadá no Circuit Gilles Villeneuve, integrado no parque Jean-Drapeau, uma ilha no rio St. Lawrence.


O circuito de 4,361 quilómetros e 14 curvas alberga a Fórmula 1 desde 1978 e na trigésima sétima edição do Grande Prémio, a ser realizado no dia 12 Junho, recebe onze equipas, incluindo a Haas F1 Team, a primeira equipa de Fórmula 1 americana em trinta anos.


A Haas F1 Team chega ao sétimo round dos vinte e um que compõem o calendário no oitavo posto do Campeonato de Construtores, a dois pontos da sétima classificada, a McLaren, e com dezasseis de avanço sobre a Renault, a nona classificada. A Haas F1 Team somou já vinte e dois pontos, graças a três classificações com direito a pontos, o máximo que uma equipa alcançou na sua temporada de estreia neste novo milénio. Quando a Jaguar se estreou em 2000 e a quando a Toyota fez o mesmo em 2002, qualquer uma delas conseguiu apenas terminar por duas vezes nos pontos, somando um total de seis pontos.


O Romain conquistou todos os pontos da Haas F1 Team, mas o seu colega de equipa, Esteban Gutiérrez, está pronto para adiccionar mais. Com duas corridas terminadas no décimo primeiro lugar, em Barcelona e no Mónaco. Gutiérrez está a bater a porta de um resultado com direito a pontos.


Em duas partidas para o Grande Prémio do Canadá, no Circuit Gilles Villeneuve, Gutiérrez tem como melhor resultado um décimo quarto lugar, conquistado na edição de 2014. Grosjean disputou quatro Grandes Prémios do Canadá e foi na primeira que conquistou o seu melhor resultado – um segundo lugar em 2012. Com o regresso à cidade mais populosa do Québec, o duo espera um regresso aos lugares da frente, como foi demonstrado por Grosjean quando terminou no sexto posto o Grande Prémio da Austrália, o primeiro da temporada, e no quinto no segundo round, o Grande Prémio do Bahrein.


Um teste após a quinta prova da temporada, efectuada em Barcelona, permitiu à Haas F1 Team prosseguir o desenvolvimento do seu carro e a aprender a utilizar os pneus Pirelli P Zero Roxo/ultramacios, que de se estrearam no Grande Prémio do Mónaco. O composto ultramacio é o mais macio da gama da Pirelli, tendo como características um rápido aquecimento e uma performance massiva. Os circuitos sinuosos, onde a aderência mecânica é fundamental, são onde funcionam melhor.


A Haas F1 Team abraçou uma estratégia agressiva para Montreal, escolhendo apenas dois dos compostos de pneus fornecidos pela Pirelli. Apenas três jogos de P Zero Amarelo/Macio foram seleccionados por cada um dos pilotos, sendo os restantes dez jogos de ultramacios. Os P Zero Vermelho/Supermacio não foram escolhidos pela Haas F1 Team.


O Circuit Gilles Villeneuve é um circuito semi-permanente com longas rectas e ganchos complicados. É uma pista de baixo apoio aerodinâmico, conhecido pelas travagens violentas e pelo Muro dos Campeões – uma barreira que não perdoa situada na última chicane que faz Campeões Mundiais passarem de bestiais a bestas num piscar de olhos.


É um traçado desafiador potenciado pelo charme de Montreal, uma combinação salientada pelas duras lutas realizadas num espaço que foi o palco da Expo 67 e dos Jogos Olímpicos de Verão de 1976. Há 40 anos foram conquistadas neste espaço medalhas por atletas olímpicos oriundos de todo o mundo. O Grosjean e o Gutiérrez vão acelerar a fundo para perseguir pontos e, potencialmente, um pódio.


Circuit Gilles Villeneuve

Perímetro do Circuito: 4,361 km

Voltas: 70

Distância de Corrida: 305,270 km

Transmissão: Eurosport 2 Xtra - 19h00

alt

Sobre a Haas Automation

A Haas Automation, Inc. é o construtor de máquinas CNC líder na América. Fundada em 1983 por Gene Haas, a Haas Automation constrói uma linha completa de centro de maquinação verticais e horizontais, centros basculantes, mesas rotativas, etc. Todos os produtos da Haas são construídos na fábrica de 93.000m2 da empresa, sediada em Oxnard, Califórnia, e distribuídas através de uma rede mundial de Haas Factory Outlets que fornecem à indústria os melhor serviço de venda, serviços e apoio, enquanto oferece uma relação custo/performance sem paralelo. Para mais informação visitarwww.HaasCNC.com.

Sobre a Haas Factory Outlet - Portugal             

A Haas Automation, Inc está representada em Portugal através da Haas Factory Outlet – Portugal. Um empresa situada nos arredores do Porto, perto do Aeroporto Francisco Sá Carneiro. Desta forma, pode aceder aos produtos da Haas Automation e todos os seus serviços. Para mais informação visitar haasportugal.com/ oufacebook.com/haasportugal.

alt

 

No Mónaco, ambos os pilotos mencionaram que, apesar dos resultados, se sentiam confortáveis com o carros. Quais são as diferenças relativamente a Espanha?

“Ao realizarmos o teste de Barcelona, depois do Grande Prémio de Espanha, recuperámos a confiança no que estávamos a fazer. Na China e na Rússia tivemos dificuldades em colocar os pneus a funcionar. Agora, temos mais confiança no nosso pacote técnico. Estamos de volta ao aonde estávamos no início da temporada.”


À medida que a temporada progride, qual é o ritmo de desenvolvimento para as equipas de Fórmula 1? Parece que existe alguma progressão, dado que os pilotos e as equipas adquirem cada vez mais experiência com o carro.

“Como não há testes durante a temporada, excepto os dois dias que tivemos em Espanha e os dois que teremos em Silverstone, os testes são, sobretudo, efectuados durante os fins-de-semana de corridas e sempre que vamos para a pista, aprendemos. Os pilotos aprendem mais sobre o carro e como o afinar. Se temos problemas, como tivemos em sextas-feiras e em sábados, não aprendemos tanto. Quanto mais andamos, mais aprendemos. Paralelamente, os ganhos vão sendo cada vez mais pequenos, dado que vamos afinando constantemente o carro, assim como todas as outras equipas.”


O Circuit Gilles Villeneuve é um circuito semi-permanente. Há algum conhecimento adquirido no Mónaco que se possa aplicar em Montreal, dado que a Pirelli leva para o Canadá os mesmos compostos de pneus?

“A Pirelli leva os mesmo pneus – ultramacios, supermacios e macios. Nós usaremos apenas os ultramacios e os macios. É um desafio encontrar a janela de funcionamento destes pneumáticos. Nunca tivemos ultramacios no Canadá. Estrearam-se na última corrida, no Mónaco. Temos que perceber como funcionam os pneus, especificamente, no Canadá.”


A equipa adoptou uma estratégia muito agressiva para Montreal – nada de supermacios, apenas três jogos de macios e dez de ultramacios para cada um dos pilotos. Apenas a Renault fez o mesmo e não escolheu supermacios. Qual é a metodologia por detrás desta decisão?

“Só testámos ultramacios uma vez antes de termos decidido usá-los no Canadá, e isso aconteceu em Barcelona. Veremos no Canadá se tomámos a decisão certa. Agora sabemos mais sobre os ultramacios, depois de os termos usado no Mónaco. Apenas temos que de dar o nosso melhor para os colocar a funcionar da melhor forma possível.”


O Canadá é conhecido por ser o Grande Prémio mais duro para os travões. O que é preciso fazer para tirar o melhor partido da capacidade de travagem do carro e de que forma os pilotos gerem os travões ao longo das setenta voltas de corrida?

“O mais importante é que os pilotos tenham confiança nos travões.Mais confiança significa mais velocidade. Eles precisam de ter confiança de que os travões operam sempre da mesma forma. Isto é o mais importante. A equipa pode monitorizar o desgaste na telemetria, portanto, se chegarmos a uma situação perigosa podemos dizer ao piloto através do rádio que está a ter um problema.”


O ano passado, quando foi a Montreal como espectador, foi questionado pelos media sobre a posição em que gostaria de ver a Haas F1 Team quando chegássemos em 2016 ao Circuit Gilles Villeneuve. Disse que esperava já ter marcado alguns pontos e que tivesse a realizar um esforço respeitável. Missão cumprida?

“Penso que cumprimos o que prometemos. Estamos numa posição respeitável e temos alguns pontos, mas queremos sempre mais. As corridas são assim. Nunca estamos satisfeitos com o que temos e queremos sempre mais.”


Montreal marca o primeiro grupo de dois Grandes Prémios seguidos, dado que o Baku City Circuit estreia-se na semana seguinte. Considerando que tanto Montreal como Baku são corridas fora do continente europeu, é difícil em termos logísticos para a equipa atravessar um oceano quando há apenas dois dias para desmontar tudo e chegar ao outro circuito?

“É muito trabalhoso para a equipa. Logisticamente tudo é muito bem organizado no que diz respeito às equipas e à Fórmula 1, mas as pessoas têm que trabalhar até tarde e levantar cedo para voar directamente para Baku. Muitas pessoas voam directamente de Montreal para Baku em voos charter. São prazos muito exigentes.”


Sabendo que o tempo que medeia Montreal de Baku é incrivelmente curto, é importante que ambos os carros terminem o Grande Prémio do Canadá sem danos?

“É claro que é importante, mas se acontecer alguma coisa, estaremos prontos.”


A dada altura da temporada, a Haas F1 Team esteve no quinto lugar do Campeonato de Construtores. Ao chegar ao sétimo round, que terá lugar em Montreal, está no oitavo posto. Estão a prestar atenção aos pontos, ou a abordagem da equipa é sobretudo é dar o melhor e depois ver onde termina?

“Damos sempre o nosso melhor. Onde terminamos é difícil de prever, dado que as outras equipas também marcam pontos. É claro que mantemo-nos atentos aos pontos. Estamos no oitavo lugar mas queremos mais e estamos a dar o nosso melhor para alcançar isso mesmo.”


 

No Mónaco mencionaste que, apesar do resultado, te sentias mais confortável no carro. O que sentes no carro de diferente relativamente a Espanha?

“O carro reagiu muito melhor ao que fazíamos e ao estilo de pilotagem. Isso foi bom e conseguimos uma boa direcção. Regressámos a afinações mais comuns e trabalhámos a partir daí.”


O Circuit Gilles Villeneuve é um circuito semi-permanente. Há algum conhecimento adquirido no Mónaco que se possa aplicar em Montreal, dado que a Pirelli leva para o Canadá os mesmos compostos de pneus?

“É um circuito de cidade, mas muito diferente do do Mónaco. Existem algumas coisas que podemos usar, mas não muitas.”


O Canadá é conhecido por ser o Grande Prémio mais duro para os travões. O que é preciso fazer para tirares o melhor partido da capacidade de travagem do carro e de que forma geres os travões ao longo das setenta voltas de corrida?

“Esperamos não ter que gerir muito os travões, o que normalmente é positivo para o piloto. No que diz respeito à afinação, necessitamos de um carro estável na travagem. Queremos também ter confiança para travar tarde e não ter qualquer instabilidade ou rodas a bloquear até á entrada nas curvas.”


Em Montreal alcançaste um dos teus melhores resultados – um segundo lugar em 2012. Do que te lembras dessa corrida e como foi que alcançaste esse resultado?

“Essa foi uma grande corrida. Arranquei de sétimo. Adoptámos uma estratégia de uma paragem, enquanto todos os outros estavam numa estratégia de duas. Inicialmente, pensei que terminaríamos em quinto ou sexto, dado que estava preso na traseira do Mercedes do (Nico) Rosberg. Não o conseguia ultrapassar. Então todos foram às boxes. Os que não pararam estavam a sentir dificuldades com a aderência e eu consegui ultrapassá-los. Não tinha o ritmo para alcançar o Lewis (Hamilton) e garantir a vitória.”


Esse segundo lugar em Montreal 2012 foi importante para o início da tua carreira na Fórmula 1?

“Foi uma grande corrida e, obviamente, um grande resultado. Tento sempre dar o meu melhor. Foi uma boa corrida. Gostei muito. É sempre importante lutar pelo melhor resultado possível e, de preferência, estar no pódio.”


Qual é a tua zona preferida do Circuit Gilles Villeneuve?

“Gosto da totalidade do circuito. Sempre gostei dele e de competir nele. É sempre uma boa sensação.”


Descreve uma volta ao Circuit Gilles Villeneuve.

“Depois da meta temos a primeira curva. Tem uma travagem complicada com as rodas dianteiras a bloquearem bastante. Entramos directamente na Curva 2 – um gancho com muitos ressaltos. Depois temos a chicane. Usamos muito os correctores e temos que ter cuidado na saída devido ao muro. Então temos outra curva composta por uma esquerda e por uma direita com uma travagem complicada. Vimos do lado direito da curva a fundo, aplicamos muito acelerador com muitas forças G. Temos então a travagem para as curvas 8 e 9. Debaixo da ponte temos muitos ressaltos. Não é fácil encontrar aderência. Depois temos o gancho. Temos uma travagem muito forte. Tentamos ter uma velocidade mínima elevada e não perder muito tempo. Temos que dosear bem o acelerador na saída. Temos a famosa chicane do fim da volta, onde queremos travar o mais tarde possível e levar muito velocidade nessa zona complicada.”


 

No Mónaco mencionaste que, apesar do resultado, te sentias mais confortável no carro. O que sentes no carro de diferente relativamente a Espanha?

“Quando mais conhecemos o carro, mais confortáveis e confiantes nos sentimos. Sempre que saímos, encontramos uma melhor direcção para a afinação.”


Com dois décimos primeiros lugares seguidos, andas a bater à porta dos pontos. É muito dura a competição pelos pontos e consideras estar perto de terminar nos pontos?

“Tem sido um início de temporada complicado, mas agora temos alguma consistência e podemos evoluir a partir daí. Vou continuar a dar o máximo. A equipa está a fazer um trabalho fantástico, aprendendo mais sobre o carro, tornando-se mais eficiente no desenvolvimento das afinações durante o fim-de-semana. Estamos no caminho certo para alcançar os resultados e queremos conquistar o máximo de pontos possível.”


O Circuit Gilles Villeneuve é um circuito semi-permanente. Há algum conhecimento adquirido no Mónaco que se possa aplicar em Montreal, dado que a Pirelli leva para o Canadá os mesmos compostos de pneus?

“Montreal é uma pista de pouco apoio aerodinâmico. É suave e existem muitas, muitas rectas longas. Normalmente, é um desafio colocar os pneus a funcionar e penso que isso será preponderante durante todo o fim-de-semana.”

 

O Canadá é conhecido por ser o Grande Prémio mais duro para os travões. O que é preciso fazer para tirares o melhor partido da capacidade de travagem do carro e de que forma geres os travões ao longo das setenta voltas de corrida?

“É muito semelhante a Monza, com muitas rectas longas e pouco apoio aerodinâmico. É importante ter um bom carro mecanicamente. Esperamos que o nosso carro esteja bem adaptado ao circuito.”


Qual é a tua zona preferida do Circuit Gilles Villeneuve?

“Gosto de todas as chicanes, dado que podemos usar os correctores, o que torna tudo muito excitante. Estou ansioso por chegar lá e pilotar. É sempre fantástico regressar a Montreal.”


Descreve uma volta ao Circuit Gilles Villeneuve.

“Chegamos à primeira curva a velocidade muito elevada. Depois temos a Curva 2, que dá a volta e tem uma saída muito complicada devido a ressaltos. Chegamos à primeira chicane, onde usamos muito os correctores. Depois temos uma curva de alta velocidade, que é feita a fundo e chegamos à seguinte sob forte travagem, usando um pouco o banking da pista e o corrector antes de sairmos para a recta seguinte. É uma saída muito longa. Depois disso, temos uma recta de extensão média que nos leva para mais uma zona de forte travagem. É uma entrada muito desafiadora, dado que tendemos a entrar muito depressa, o que torna a saída difícil. Temos ali um muro, portanto, pode ser um momento excitante. Chegamos ao gancho, onde temos uma grande travagem, muito complicada na entrada. É uma curva complicada, dado que temos pouca aderência. É importante preparar bem a saída para termos vantagem na recta mais longa da pista. Esta recta leva-nos até à última chicane, que tem o Muro dos Campeões. É uma chicane rápida e muito interessante, porque tentamos cortar o máximo possível os correctores, endireitar a curva o máximo possível e, com isso, ganhar muito tempo.”


 

Circuit Gilles Villeneuve

  • Número de voltas: 70
  • Distância de Corrida: 305,270 quilómetros
    Velocidade na via das boxes: 80 Km/h
    Este circuito de 4,361 quilómetros e 14 curvas alberga a Fórmula 1 desde 1978, tendo no ano passado sido realizada a 36ª edição do Grandes Prémio do Canadá.
  • Rubens Barrichello detém  recorde da volta ao Circuit Gilles Villeneuve (1m13,622s), realizada em 2004 ao serviço da Scuderia Ferrrari.
  • Ralf Schumacher detém o recorde da volta de qualificação ao Circuit de Gilles Villeneuve (1m12,275s), realizada em 2004 ao serviço da Williams.
  • Conhecido pelos difíceis ganchos e longas rectas, o Cricuit Gilles Villeneuve é também conhecido pelo “Muro dos Campeões”. Localizada no final de uma recta muito longa, de alta velocidade, a última chicane do circuito (curvas 13 e 14) castigou muitos pilotos ao longo dos anos, sobretudo em 1999, quando três Campeões Mundiais – Michael Schumacher, Jacques Villeneuve e Damon Hill – se despistaram neste local. Tinha nascido o “Muro dos Campeões”, sem ter quase qualquer escapatória, consiste apenas de um corrector e de uma faixa de asfalto.
  • O Circuit Gilles Villeneuve é uma dos quatro locais de Fórmula 1 que tem laços com as Olimpíadas, dado que a recta das traseiras é adjacente à pista de remos usada durante os Jogos Olímpicos de Verão de 1976. O Circuit Barcelona – Catalunya, Sochi e o Autodromo Hermanos Rodriguez têm também ligações Olímpicas.
  • Durante o fim-de-semana do Grande Prémio do Canadá, a temperatura mínima estará entre os 13ºC e os 17ºC e a máxima entre os 21ºC e os 26ºC. A humidade relativa estará entre os os 46% (confortável) e os 87% (muito húmido).
  • DYK? O Circuit Gilles Villeneuve está localizado no Parque Jean-Drapeau, o nome do Mayor de Montreal em dois mandatos distintos, entre 1954 e 1957 e entre 1960 e 1986. Drapeau organizou a Expo 67, que foi a principal celebração do Canadá durante o seu centenário. O circuito situa-se no ilha de Notre Dame, uma ilha artificial construída para a Expo 67 no rio St. Lawrence. A ilha vizinha de Saint Helen foi alargada artificialmente para acomodar parques de diversões e alberga ainda um proeminente edifício da Expo 67 – a Biosfera, que pode ser vista regularmente durante a transmissão televisiva do Grande Prémio do Canadá. 

  • A Pirelli leva para o Mónaco três tipos de pneus:
    • P Zero Amarelo/Macio – pouca aderência, desgaste baixo (usado para longas séries de voltas da corrida)
    • P Zero Vermelho/Supermacio – muita aderência, desgaste médio (usado para séries curtas de voltas e para o primeiro segmento de qualificação)
    • P Zero Roxo/Ultamacio – o máximo de aderência, desagaste máximo (usado para a a qualificação e situações seleccionadas da corrida)
    • Dois dos três compostos disponíveis têm que ser usados durante a corrida. As equipas podem decidir quando querem utilizar cada uma dos compostos, o que proporciona um elemento de estratégia para a corrida. (Se a corrida for disputada com a pista molhada, os Cinturato Azul, pneu de chuva, e o Cinturato Verde, intermédios, estarão disponíveis).
    • A Pirelli fornece a cada piloto 13 jogos de pneus para seco durante o fim-de-semana. Desses 13 jogos, os pilotos e as suas respectivas equipas podem escolher as especificações de dez deles entre os três compostos disponíveis. Os restantes três jogos são definidos pela Pirelli – dois tipos obrigatórios para a corrida (um jogo de P Zero Amarelo/Macio e um de P Zero vermelho/supermacio) e um tipo obrigatório para a Q3 (um jogo de P Zero Roxo/Ultramacio). A Haas F1 Team seleccionaram os seguintes jogos:
      • Grosjean: 3 jogo de P Zero Amarelo/Macio, 0 jogos de P Zero Vermelho/Supermacio e 10jogos de P Zero Roxo/Ultramacio.
      • Gutiérrez: 3 jogo de P Zero Amarelo/Macio, 0 jogos de P Zero Vermelho/Supermacio e 10jogos de P Zero Roxo/Ultramacio

    -HaasF1Team-

    Sobre a Haas F1 Team:

    A Haas F1 Team estreou-se em 2016 no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1, tornando-se na primeira equipa de Fórmula 1 americana desde 1986. Fundada pelo industrialista Gene Haas, a Haas F1 Team está sediada nos Estados Unidos da América em Kannpolis, América do Norte, o mesmo centro onde está baseada a sua equipa Campeã na NASCAR Spint Cup Series, Stewart-Haas Racing.

    Haas é o fundador da Haas Automation, a maior construtora de máquinas CNC da América do Norte e o presidente da Haas F1 Team

     

    COPA ECPA

     

    Copa ECPA de Velocidade terá Marcas e Pilotos e Fórmula

    No intervalo das disputas haverá provas de Track Day

    Depois de quase dois meses de pausa, os pilotos que disputam a Copa ECPA de Velocidade voltam a acelerar no autódromo do Esporte Clube Piracicabano de Automobilismo, no interior de São Paulo. As provas acontecem no dia 18 de junho e são válidas pela terceira etapa da categoria Marcas e Pilotos e Fórmula. No intervalo das provas, serão disputadas baterias de Track Day.

    Na categoria Marcas e Pilotos são utilizados carros de turismo, na maioria Chevrolet/Corsa, Fiat/Pálio e Volkswagen/Gol, com motores 1.6, originais, com pouca preparação. Usam câmbio e suspensões originais e pneus radiais.

    Com duas baterias e duração de 15 voltas pelo circuito, essa categoria tem três divisões: Super, Light e Novatos, mas entraram na pista juntos, formando um grid único, porém os competidores pontuam separadamente.

    Fórmula Clube

    Antes chamada de Fórmula Vee, essa é a categoria de melhor custo benefício em atividade no país. Os motores utilizados são os VW 1.6 , modeloEA111 Flex e o regulamento exige que os carros corram com eles originais, ou seja, sem nenhuma preparação.

    Track Day

    Ainda no sábado (18), no intervalo das provas da Copa ECPA de Velocidade, o circuito abrigará o Track Day, evento que reuni veículos esportivos de rua para acelerar na pista piracicabana.

    O evento tem como objetivo é levar os proprietários de carros esportivos ao autódromo para testar a potência máxima dos veículos. “Será uma boa oportunidade para pilotos amadores acelerar suas próprias máquinas em um local adequado”, afirma Daniella Giannetti, organizadora do evento. Os interessados deverão se inscrever no site www.crazyforauto.com.

    Programação

    Na Copa ECPA, os pilotos de todas as categorias têm sessões de treinos livres na sexta-feira (17) das 9h às 17h. No sábado (18), a partir das 8h, começa a segunda sessão de treinos livres, com as categorias se intercalando na pista. Logo depois, às 11h, começam os treinos classificatórios que definem o grid de largada e a primeira bateria acontecerá às 14h10. O Track Day acontecerá no intervalo das provas. Confirma a programação completa:

    Horários

    8h às 8h20 – Treino Fórmula

    8h25 às 08h45 – Treino Marcas e Pilotos

    8h50 às 9h10 – Treino Fórmula

    9h15 às 9h45 – Treino Marcas e Pilotos

    10h às 11h – Track Day

     

    Briefing

    9h - Track Day

    9h30 - Fórmula

    10h - Marcas e Pilotos

     

    11h10 às 11h20 – Tomada de Tempo Fórmula

    11h30 às 11h40 – Tomada de Tempo Clássicos

     

    12h às 14h – Track Day

     

    14h10 – 1ª Corrida Fórmula – 12 voltas

    14h40 – 1ª Corrida Marcas e Pilotos – 15 voltas

     

    15h às 16h – Track Day

     

    16h10 – 2ª Corrida Fórmula – 12 voltas

    16h40 – 2ª Corrida Marcas e Pilotos – 15 voltas

     

    Serviço

    Acompanhe as novidades da Copa ECPA de Velocidade no site www.ecpa.com.br.

    Mais informações pelo facebook.com/ecpabrasil e e-mail para  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar marcasepilotos Copy

     

    SUGESTÃO DA SEMANA

    Bilhetes à venda hoje, na Blueticket e locais habituais.

    Considerados por muitos como uma das melhores bandas do mundo ao vivo, os Crystal Fighters vêm a Portugal apresentar o seu 3º álbum.

    1 de dezembro, Paradise Garage


     

    Existem bandas que sabem como ninguém tornar um concerto numa autêntica festa de cor e alegria. O Paradise Garage, em Lisboa, vai receber um dos coletivos especialistas em fazer abanar os corpos ao compasso dos seus acordes: dia 1 de dezembro, no Feriado da Restauração da Independência, os muito acarinhados pelos portugueses, Crystal Fighters.


     

    alt

    Site Oficial | Facebook | Vídeo: LA Calling
     


    Quem os viu aparecer no ano de 2010 com “Star of Love” cedo percebeu que estaríamos na presença de um caso de verdadeiro sucesso. Temas como “Plage” ou “At Home” ficaram de imediato no ouvido. Em 2013, novo sucesso retumbante com “Cave Rave”. Quem não se lembra de verdadeiros hinos festivos como “You & I” ou “LA Calling”?  

    2016 é agora ano de regresso para aquele que será, asseguram os próprios, o mais épico ano da banda, estando neste momento a ultimar o novo álbum que estão ansiosos por tocar ao vivo para todos os fãs. O novo registo da banda, considerada como uma das melhores do mundo ao vivo, ainda não tem nome divulgado, foi trabalhado neste inverno entre o País Basco, Los Angeles e Londres, e as notícias sobre o seu lançamento sairão muito brevemente.

    Uma enorme festa é o que se espera no Paradise Garage, dia 1 de dezembro. Os bilhetes estão a partir de hoje à venda na Blueticket e locais habituais pelo preço único de 28€.

     

    EQUIPAS DUNLOP RUMAM A PORTUGAL

     

    As equipas Dunlop rumam a Portugal para conquistar o EWC de motos

     

    A segunda corrida do Campeonato do Mundo de Resistência (EWC) da FIM decorre no dia 11 de junho no sul de Portugal. Nas 12 Horas de Portimão, trinta equipas irão competir pelos prémios finais com a presença de todas as equipas Dunlop do campeonato regular.

     

    Na primeira prova, em Le Mans, três equipas Dunlop estiveram nos pódios, mas em Portugal as equipas procuram vitórias e pontos para reforçarem as suas posições no campeonato. Os concorrentes inscritos no Troféu Independente Dunlop irão competir ainda pelos prémios monetários de 60.000 euros, incluindo 10.000 euros para a primeira equipa.

     

    903_10032016_24H_DU_MANS_MOTO-1024x683Após a épica recuperação da Suzuki Endurance Racing Team (SERT) do 54º lugar, depois de uma queda, até ao 5º lugar nas 24 Horas de Le Mans, em abril, a equipa está mais decidida que nunca a voltar ao pódio na defesa do título. A GMT94 Yamaha registou um abandono em França enquanto a Honda Racing ficou pelo 19º lugar depois de um problema técnico.

     

    Uma vez que a corrida em Portimão é nova no calendário do EWC, as equipas vão ter a oportunidade de conhecer a pista num teste prévio. De igual modo não haverá restrições de pneus para esta corrida nas classes abertas.

     

    Roland Wozniak, Diretor Internacional de Provas, Dunlop Motorsport

     

    “Um novo circuito é sempre um desafio interessante para as equipas e iremos apoiá-las na sua aprendizagem de forma a obterem a melhor combinação de afinação e pneus atendendo à pista e às condições. As 12 Horas são um excelente teste e esperamos ocupar os lugares mais altos dos pódios. Estamos seguros de que será uma luta renhida para os prémios do Troféu Independente Dunlop”.

     

    Campeonato do Mundo de Resistência FIM 2016

     

    A época de 2016 foi encurtada antecedendo um novo formato que vai de setembro a julho.

     

    Calendário:

    •  9-10 de abril: 24 Horas Motos / Le Mans / França
    •  11 de junho:  12 Horas de Portimão  / Portugal (corrida no sábado)
    •  31 de julho: 8 Horas de Suzuka / Japão
    • 27 de agosto: 8 Horas de Oschersleben  / Alemanha  (corrida no sábado)903 10032016_24H_DU_MANS_MOTO-1024x683_Copy

     

    SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

     

    2016 Canada Grand Prix – Practice Sessions

    ULTRASOFT TYRES ALLOW HAMILTON TO SET BEST TIME OF THE DAY
    ALREADY BEATING 2015 POLE TIME

    COOL TRACK TEMPERATURES IN THE MORNING, THEN RISING
    TO NEARLY 40 DEGREES CENTIGRADE IN FP2

    ULTRASOFT AROUND 0.6 SECONDS PER LAP FASTER THAN SUPERSOFT

    All three compounds selected for the Canadian Grand Prix were used during free practice today, which started in the morning with just 14 degrees centigrade ambient. In those cool conditions drivers had to pay particular attention to tyre warm-up, to ensure that the tyres were operating within their correct working range and extract the maximum of their potential.

    As a result of the cool temperatures in the morning there was some graining but this is a normal phenomenon in Canada, which is expected to diminish as more rubber is laid on the track. By the end of FP2, temperatures have raised significantly with about 0.6 seconds separating the ultrasoft from the supersoft tyre, although this gap should come down slightly as the weekend progresses.

    Lewis Hamilton already beat his 2015 pole time during FP2, en route to a best time of 1m14.212s on the ultrasoft tyre. With the weather in Canada always unpredictable –cooler conditions are expected for Sunday – it was important for all the teams to gather as much information as they could about each compound on different fuel loads.

    Toro Rosso was the only team to try all three compounds. The other teams focused on a combination of soft and ultrasoft (because the soft only is nominated as mandatory for the race) or on a combination of supersoft and ultrasoft (presumably to compare the difference between the two softer compounds).

    Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “The teams were able to get a good read on all three of our slick compounds today, despite the low track temperatures that made driving conditions quite difficult and exacerbated the lack of grip. Canada always produces an entertaining race and from what we’ve seen so far wear and degradation seems to be quite low, even with the ultrasoft.”

    FP1 – TIMES   FP2 – TIMES
    1. Hamilton 1m14.755s Supersoft new   1. Hamilton 1m14.212s Ultrasoft new
    2. Rosberg 1m15.086s Ultrasoft new   2. Vettel 1m14.469s Ultrasoft new
    3. Vettel 1m15.243s Supersoft new   3. Rosberg 1m14.738s Ultrasoft new

    FP1 – BEST TIME PER COMPOUND

    Soft Verstappen 1m15.552s
    Supersoft Hamilton 1m14.755s
    Ultrasoft Rosberg 1m15.086s

    FP2 – BEST TIME PER COMPOUND

    Soft Hamilton 1m14.941s
    Supersoft Verstappen 1m15.259s
    Ultrasoft Hamilton 1m14.212s

    LONGEST STINTS OF THE DAY

    Soft  Palmer 42 laps
    Supersoft  Hulkenberg 28
    Ultrasoft  Rosberg 29
     Grosjean 29

    Tyre statistics of the day:

    Soft Supersoft Ultrasoft
    kms driven * 1988 1957 2149
    sets used overall ** 35 34 27
    highest number of laps ** 42 28 29

    * The above number gives the total amount of kilometres driven in FP1 and FP2 today, all drivers combined.
    ** Per compound, all drivers combined.

    Minimum prescribed tyre pressures: 21 psi (fronts) 19 psi (rears)

    Pirelli fact of the day: Unpredictability is the name of the game in Canada: three out of the last five Canadian Grands Prix have featured a late change of lead (starting with the longest race in F1 history, in 2011, when Jenson Button claimed a memorable win by moving into the lead on the final lap – having previously been last.

    Spotted in the paddock: Carles Puyol. The former Barcelona and Spain football star (a Spanish international on more than 100 occasions) was a welcome visitor to the Pirelli hospitality. Known as ‘The Wall’ until his retirement in 2014, he now has more time to discover Formula 1, as a brand ambassador for new sponsor Heineken. 

     

    alt

     

    JC GROUP EM SANTA MARTA

     

    JCGroup Racing Team ruma à Rampa de Santa Marta

    José Correia e Ricardo Gomes já se afirmaram como protagonistas das respetivas categorias no Campeonato Nacional de Montanha. A dupla bracarense enfrenta agora um traçado atípico em Santa Marta de Penaguião.

    Os dois pilotos da JCGroup Racing Team têm acumulado pódios na Categoria 2 (José Correia) e na Categoria 4 (Ricardo Gomes), preparando-se agora para disputar a quarta prova da temporada, a transmontana Rampa de Santa Marta. Depois da última e emotiva prova na Serra da Estrela, a Rampa da Covilhã, a equipa encara a Rampa de Santa Marta com muitas expectativas”, admite Ricardo Gomes, piloto do SEAT León Supercopa. “O traçado de Santa Marta de Penaguião é extremamente exigente e sabemos que é uma dificuldade acrescida para o Nissan Nismo GT3 do José Correia. As características do GT-R em nada estão adaptadas a este tipo de traçado. Contudo, e porque o nosso compromisso é levar o melhor espectáculo possível ao público do Campeonato Nacional de Montanha, encaramos a prova como um grande desafio. Temos vindo a trabalhar bastante, com toda a equipa para tentar encontrar as afinações técnicas para os carros nesta rampa”, referiu o piloto bracarense.

    Santa Marta de Penaguião regressou ao calendário nacional em 2015, depois de uma longa ausência. “É um dos mais atípicos que se podem encontrar em rampas”, revela Ricardo Gomes. “Simplificando: é um misto de traçado rápido (típico de uma rampa) com um troço de rali. Estas condicionantes são extremamente exigentes para pilotos e equipas técnicas. Não é das provas mais rápidas (em velocidade de ponta), mas é talvez uma das mais exigentes em termos de percurso. É uma prova cujo traçado é ideal para carros de tracção integral”, concluiu o piloto da JCGroup Racing Team.

     

    A quarta prova da época começa este sábado (dia 11) às 14:30 com as primeiras subidas de treinos. No domingo, os pilotos começam os treinos livres às 10:00. MG_1907_Copy MG_2329_Copy MG_2611_Copy MG_2998_Copy

     

    PEDRO COELHO SARAIVA EM SANTA MARTA

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA VALVOLINE - 2016

     

    IMG 4082_Copy

    Depois do excelente desempenho na primeira subida da Rampa da Covilhã, em que venceu a categoria, Pedro Coelho Saraiva vai estar presente na II Rampa de Santa Marta de Penaguião, ao volante do seu Evo IX. A participação na quarta prova para o Campeonato Nacional de Montanha tem como objetivo ficar logo a seguir aos GT’s em termos de categoria e ganhar o Grupo N. Sobre a prova referiu: “É um traçado que desconheço, de que tenho boas referências e inserido numa paisagem magnifica, esperando adaptar-me bem, evoluindo os tempos ao longo das diversas passagens e divertir-me numa competição de que gosto muito. Tudo aponta para termos, finalmente, uma prova sem chuva, o que vai obrigar a um esforço maior para andar perto dos GT’s”.

    Pedro Coelho Saraiva que conta com o apoio da CRP, CHÃOFLEX, SPORTGRASS e T.W. - Truck & Weel. (Foto Manuel Baptista Jr)

     

    BANDA DESENHADA COM FILIPE ALBUQUERQUE

    BANDA DESENHADA

     

     

    AUTOMOBILISMO NA TV

    HORÁRIO TELEVISIVO

    SEXTA FEIRA
    22.40 - WRC - SportTV5

    SÁBADO
    2.00 - Nascar Camping World Truck Series - SportTV5
    8.30 - CNR - SportTV5
    9.15 - FIMRC - Eurosport2 / Eurosport2XTRA
    12.00 - FIA WTCC - Eurosport2 / Eurosport2XTRA
    14.45 - F1 - Eurosport2XTRA
    17.45 - F1 - Eurosport2XTRA
    22.30 - WRC - SportTV5
    19.00 - FIMRC - Eurosport2 / Eurosport2XTRA

    DOMINGO
    10.00 - FIA WTCC - Eurosport
    11.00 - FIA WTCC - Eurosport
    13.00 - FIA WRX - SportTV5 
    19.00 - F1 - Eurosport2XTRA

     

    CARLOS FERNANDES QUER VITÓRIA EM MONCHIQUE

     

    Carlos Fernandes quer lutar pela vitória em Monchique

     

    Depois de duas vitórias em três provas, Carlos Fernandes e Valter Cardoso querem prosseguir a senda de bons resultados no asfalto de Monchique, um palco onde o piloto do Mitsubishi Lancer brilhou em 2014 ao vencer a Taça de Portugal de Ralis.

    Carlos Fernandes teve azar no último Rali Vinho do Dão, onde um problema elétrico o impediu de lutar pelo triunfo, mas o piloto de Sintra espera que desta vez o Lancer Evo VI esteja em plenas condições. “Ficámos com um sabor amargo em Nelas e agora a única estratégia é atacar para tentar ganhar em Monchique. Por acaso é uma versão do rali de que gosto menos, os troços são mais lentos do que os do Rali do Algarve de 2014 onde ganhámos a Taça de Portugal. Ainda assim, vamos partir com toda a motivação e empenho porque já demonstrámos que temos andamento para lutar pela vitória em qualquer prova”, afirmou Carlos Fernandes, que terá o seu navegador habitual de volta, depois de Valter Cardoso ter falhado o Rali Vinho do Dão devido a compromissos no Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno.

    No Algarve, a equipa também vai estrear uma nova decoração no Mitsubishi Lancer Evo VI. O Rali de Monchique disputa-se a partir de sábado dia 11, com três classificativas incluindo uma Super Especial noturna. No domingo, os concorrentes disputam mais seis especiais no asfalto algarvio. MG_9001_Copy MG_9046_Copy

     

    LGSP A CRESCER

     

    LGSP, 5 anos a crescer e criar emprego em Portugal

    Contratação de quase 200 novos colaboradores

    Novo centro de serviços inovador no Porto dá cartas a nível mundial: em 2016, mais de 254 000 voos assistidos em 295 aeroportos.

    Crescimento de 110% de voos assistidos nos aeroportos nacionais

     

    Desde que iniciou a sua atividade em maio de 2011 com 37 funcionários, a LGSP – Lufthansa Ground Services Portugal, primeira empresa portuguesa detida a 100% pelo grupo Deutsche Lufthansa AG, ”irmã” das companhias aéreas Lufthansa, Swiss, Eurowings entre outras e sediada no Porto, foi expandindo o seu negócio não só na área de assistência a passageiros e gestão operacional, mas também noutros setores como o apoio à internacionalização de empresas e à organização de eventos. Assim, no ano em comemora cinco anos, a LGSP já emprega mais de 200 colaboradores e tem no seu portfolio duas novas marcas, a LGSP Events e a LGSP Sports, prevendo-se uma grande expansão com a contratação de mais de uma centena de novos colaboradores durante os próximos meses.

    “2016 está a revelar-se um ano de exponencial crescimento”, menciona Paulo Geisler, Administrador Executivo da LGSP.LGSP 1_Copy

     

    EUROPEAN INVENTOR

     

    European Inventor Award vai para o pai do ESP

    Antigo colaborador da Bosch homenageado pelo trabalho desenvolvido ao longo da carreira

      Para o CEO da Bosch, Volkmar Denner: “Anton van Zanten e os seus colegas engenheiros são os anjos da guarda de muitos condutores.”

      Até hoje, o sistema ESP salvou mais de 8.500 vidas apenas na Europa

      Depois do cinto de segurança, o ESP é o mais importante sistema de segurança num veículo

      Proteção antiderrapagem é usada em 64% dos veículos em todo o mundo

    Lisboa, Portugal – Anton van Zanten foi homenageado hoje, em Lisboa, com o European Inventor Award 2016 pela invenção do ESP, programa eletrónico de estabilidade da Bosch. O prémio, que é da responsabilidade do European Patent Office (EPO), foi entregue na categoria “Consagração da Vida”. Holandês, van Zanten desenvolveu o sistema antiderrapagem enquanto gestor de um grupo de investigação na Bosch, numa carreira que durou mais de 25 anos. O sistema foi apresentado pela primeira vez em 1995 como equipamento de série do Mercedes-Benz S600. “Anton van Zanten e os seus colegas engenheiros são os anjos da guarda de muitos condutores”, disse Volkmar Denner, CEO da Bosch, louvando não apenas o premiado mas também toda a equipa por trás da invenção. “A invenção do ESP representa a nossa ‘Tecnologia para a Vida’ como poucos”, acrescentou. O sistema ESP salvou mais de 8.500 vidas só na Europa e evitou mais de 250 mil acidentes de trânsito. Isto torna o sistema antiderrapagem no mais importante sistema de segurança de veículos depois do cinto de segurança – mais importante até que o airbag.

    ESP é equipamento de série em veículos num número crescente de países

    Recorrendo a sensores inteligentes, o ESP compara 25 vezes por segundo se o carro está seguir na direção que o condutor pretende. Se os valores detetados não coincidem, o sistema antiderrapagem intervém, começando por reduzir o binário do motor. Se tal não for suficiente, bloqueia as rodas, gerando a força contrária para manter o veículo no percurso de segurança. Se todos os veículos estivessem equipados com o ESP, mais de 80 por cento dos acidentes com derrapagens seriam evitados. Desde 1 de novembro de 2014, o ESP tornou-se obrigatório em toda a União Europeia para todos os novos registos de carros e ligeiros de mercadorias com peso até 3,7 toneladas. O sistema antiderrapagem é também obrigatório na Austrália, Canadá, Israel, Nova Zelândia, Rússia, Coreia do Sul, Japão, Turquia e Estados Unidos. Em todo o mundo, 64 por cento dos novos veículos estão já equipados com ESP. A Bosch fabricou mais de 150 milhões de sistemas ESP até à data.  

    Uma carreira cheia de invenções e prémios

    Ao inventar o programa eletrónico de estabilidade, Anton van Zanten, e a sua equipa de desenvolvimento na Bosch, fez mais do que apenas estabelecer as bases para uma maior segurança rodoviária. O sistema é também a base para o desenvolvimento dos sistemas de apoio ao condutor e à condução autónoma. A crescente automação representa uma oportunidade para reduzir ainda mais a taxa de sinistralidade – até um terço só na Alemanha. O ESP é o maior sucesso de Anton van Zanten, mas não é o seu único contributo. Durante a carreira de engenheiro de automação, foi responsável por mais de 180 famílias de patentes. A par do ESP, as suas invenções incluem a mitigação do refinamento eletrónico e a moderação da oscilação do reboque. Anton van Zanten passou à reforma em 2003 e, atualmente, continua a dar aulas sobre sistemas automóveis em universidades e é consultor de diversos fabricantes de automóveis. Recebeu inúmeros prémios pelo seu contributo para a segurança automóvel. Contudo, o European Inventor Award, que representa um tributo ao trabalho de uma vida, assume particular significado.

    Décima primeira edição do European Inventor Award em cinco categorias

    O European Inventor Award foi instituído em 2006. É a forma de a EPO reconhecer investigadores, cientistas, técnicos e inventores cujas invenções tenham sido patenteadas pela EPO e que tenham dado um contributo significativo em termos científicos, técnicos e sociais. O que o torna peculiar é que qualquer cidadão pode candidatar um invento ao prémio. Em 2016, dos cerca de 400 candidatos de 13 países, um júri independente e internacional seleciona os 15 finalistas. O júri também decide o vencedor em cinco categorias: “Indústria”, “Pequenas e Médias Empresas – PME’s”, “Investigação”, “Países Não-Europeus” e “Consagração de Vida”. Os vencedores do European Inventor Award recebem um troféu em forma de vela como símbolo da descoberta e da engenhosidade humana. O troféu é trabalhado em materiais novos em cada ano.

     

    EUROASIA

     

    Le Mans debutant Eurasia Motorsport tops LMP2 times in official testing

    LeSports by Eurasia Motorsport went fastest in Sunday’s (5 June) official 24 Heures du Mans test at Circuit de la Sarthe, positioning itself among the favourites for LMP2 glory on its debut in the 84th edition of the legendary French endurance classic later this month (18-19 June). 
    LeSports by Eurasia Motorsport is proudly flying the flag for Asian motorsport at what is universally recognised as the world’s greatest endurance race – the Le Mans 24 Hours – in 2016.

    It stands out as a truly Asian effort with headquarters in the Far East and a crew from the region and a driver from mainland China, Kevin Pu Jun Jin.

    Since it was founded in 2003, Eurasia Motorsport has achieved no fewer than 40 championship titles in South East Asia over the course of a decade, and it backed up this remarkable record with a hugely successful learning year in the 2015 European Le Mans Series (ELMS).

    As a result of its achievements, it earned a position on the Le Mans starting grid with its brand new ORECA 05 Nissan LMP2 prototype, and this weekend’s official test served as Eurasia’s first opportunity to pit itself against the teams it will face in the twice-around-the-clock enduro in less than two weeks.

    A high-calibre 23-car entry makes LMP2 the most competitive class, but LeSports by Eurasia Motorsport and its drivers – Tristan Gommendy, Nick de Bruijn and Pu Jun Jin – performed remarkably well.   

    Pu Jun Jin and de Bruijn acquitted themselves particularly well on their maiden outing at Circuit de la Sarthe and a time of 3m36.690s from Gommendy was enough to propel Eurasia to the top of the LMP2 timesheets and tenth overall.

    The day consisted of 74 meaningful laps of the 13.6km French racetrack.and LeSports by Eurasia Motorsport's performance goes some way to silencing doubts over the standard of Asian motorsport, proof that the standard is just as high as the rest of the world.    

    LeSports by Eurasia Motorsport Team Principal, Mark Goddard, said: “To debut at Circuit de la Sarthe and achieve P1 in the official 24 Hours of Le Mans test is extremely satisfying and I am immensely proud of the team’s achievement. It’s a very professional outfit and everybody did an incredible job. Tristan Gommendy’s lap was excellent, but we appreciate that this is only a test.

    “We weren’t trying for a quick time and we weren’t running low fuel and new tyres, so we hope there’s more to come. We are happy because we ran through our test plan and achieved everything we wanted. Nick de Bruijn is already on a good pace and Kevin Pu Jun Jin is getting closer to his target lap time, so it’s a bit of a dream start to Eurasia Motorsport’s first Le Mans.”

    alt

     

    RAMPA SANTA MARTA É JÁ AMANHÃ

    RAMPA SANTA MARTA É JÁ AMANHÃ

     

    CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 2016 - VALVOLINE

     

     

    102 Rui Ramalho 10166 Rui Ramalho 10166 Osella PA21 S EVO 1 CN 2 103 Paulo Ramalho 10165 Paulo Ramalho 10165 Juno CN09 1 CN 2 105 Pedro Salvador 12463 Pedro Salvador 12463 Norma M20FC 1 CN 2 151 Joaquim Rino 7115 Joaquim Rino 7115 BRC OS EVO 1 CM 8 160 Nuno Guimarães 12508 Nuno Guimarães 12508 BRC CM 02 1 CM 8 201 Edgar Reis 10709 Edgar Reis 10709 Porsche 997 2 GT 23 202 António Nogueira António Nogueira Porsche GT2 2 GT 23 207 Gonçalo Manahu 7022 Gonçalo Manahu 7022 Porche 997 GT3 CUP 2 GT 23 210 JCGroup Racing Team 10693 José Correia 10694 Nissan Nismo GT3 2 GT 23 222 Daniela Marques Daniela Marques Subaru Impreza 2 A2 20 223 José Oliveira 11727 José Oliveira 11727 Subaru Impreza 2 A2 20 250 Jorge Gonçalves 10775 Jorge Gonçalves 10775 Fiat Punto 2 A1 15 256 Pedro Marques 11681 Pedro Marques 11681 Seat Leon TDI 2 A1 17 259 João Guimarães 6758 João Guimarães 6758 Peugeot 206 RC 2 A1 16 263 Pedro Coelho Saraiva 7119 Pedro Coelho Saraiva 7119 Mitsubishi Lancer EVO IX 2 N2 14 304 Manuel Correia 11103 Manuel Correia 11103 Ford Fiesta R5 3 E1-A 24 341 Manuel Pereira 10064 Manuel Pereira 10064 Mitsubishi Lancer EVO VI 3 E1-C 31 343 Nuno Flores 11222 Nuno Flores 11222 Ford Sierra 2.0 RS 3 E1-C 30 350 Luís Silva 7183 Luís Silva 7183 BMW E30 M3 3 E1-C 31 351 Sérgio Nogueira 7075 Sérgio Nogueira 7075 Citroen Saxo 3 E1-C 29 352 Rui Oliveira 11924 Rui Oliveira 11924 Citroen AX GTI 3 EC-1 29 353 Francisco Morgado 11922 Francisco Morgado 11922 Mitsubishi Lancer EVO VIII 3 E1-C 31 354 Paulo Nogueira 11220 Paulo Nogueira 11220 Citroen Saxo 3 E1-C 29 355 Jorge Meira 11913 Jorge Meira 11913 Citroen Saxo Cup 3 E1-C 29 356 César Caldas 12000 César Caldas 12000 Saxo 1.6 3 E1-C 29 357 Nuno Pinto 12139 Nuno Pinto 12139 Mazda MX5 3 E1-C 30 401 Bompiso Racing Team Joaquim Teixeira 7922 Renault Megane Trophy 4 TRF 35 402 Francisco Marrão 12082 Francisco Marrão 12082 Seat Leon 4 TRF 35 403 Paulo Silva 11469 Paulo Silva 11469 Seat Leon Supercopa 4 TRF 35 410 JC Group Racing Team 10693 Ricardo Gomes 10695 Seat Leon MK2 4 TRF 35 414 José Cerqueira 11325 José Cerqueira 11325 Seat Leon 1.8 4 TRF 35 415 Escuderia T. Martinez Racing EC-041-G-A Simon Martinez E-1600 G-A Seat Leon 4 TRF 35 450 Veloso Motorsport 10599 Luís Nunes 11026 Seat Leon 4 TRF 35 504 Pedro Cerqueira 11427 Pedro Cerqueira 11427 BMW E30 5 A-PH90 51 525 Parcídio Summavielle 11391 Parcídio Summavielle 11391 Datsun 240Z 5 4-H71 45 535 Mário Mesquita 8833 Mário Mesquita 8833 Datsun 1600 SSS 5 2-H71 43 541 Flávio Saínhas 10671 Flávio Saínhas 10671 Ford Escort MK1 5 2-H71 47 555 Carlos Oliveira 8946 Carlos Oliveira 8946 Porsche 911 SC 5 4-H75 48 601 Martine Pereira 6840 Martine Pereira 6840 Lola T70 6 6 55 660 Fernando Salgueiro 10903 Fernando Salgueiro 10903 Ford Escort MK II 6 5 54 662 Victor Ramos 7197 Victor Ramos 7197 Ford Escort 6 5 54 666 Hélder Silva 10559 Hélder Silva 10559 BMW E21 6 5 55 702 Tiago Ribeiro Tiago Ribeiro VW Golf CUP 7 TCR 60 825 Roberto Meira 11916 Roberto Meira 11916 Fiat Punto 85 4 TRF 4 x 858 Armando Freitas 10144 Armando Freitas 10144 Toyota Starlet 1.3 2 A 2 x 859 Leonel Brás 8327 Leonel Brás 8327 Citroen AX Sport 2 A 2 x 871 Cândido Monteiro 10391 Cândido Monteiro 10391 Datsun 1200 5 2-H71 5 x 872 Domingos Fernandes 10919 Domingos Fernandes 10919 Autobianchi A112 5 2-H71 5 x 878 José Figueiredo 10963 José Figueiredo 10963 Datsun 1200 5 2-H71 5 x 1 José Carlos Almeida 7927 José Carlos Almeida 7927 Subaru Impreza SM X3 14 x 2 Alberto Pereira 10061 Alberto Pereira 10061 Seat Ibiza 1.8T SM X2 12 x 3 Sónia Pereira 10062 Sónia Pereira 10062 Seat Ibiza SM X2 10 x 4 Tiago Silva Tiago Silva Alfa Romeo GTAM SM X2 10 x 5 Marta Neves 11830 Marta Neves 11830 Citroen Saxo SM X1 9 x 6 Arnaldo Guedes 7988 Arnaldo Guedes 7988 Fiat Punto

     

    NOVAS FUNCIONALIDADES

    Novas funcionalidades incitarão 30% dos portugueses a mudar de carro

    O Observador Cetelem analisa o mercado automóvel.

    Questionados sobre se o desenvolvimento dos serviços/funcionalidades que podem ser oferecidos pela viatura conectada os incitará a renovar o seu veículo atual mais rapidamente, 30% dos portugueses respondem afirmativamente. Contudo, é maior a percentagem de automobilistas que declaram que isso não os fará mudar de carro (60%). Conclusões do Observador Cetelem, que analisou as mudanças no mercado automóvel.

    O mesmo estudo revela ainda que se para 58% dos automobilistas portugueses, o veículo conectado não mudará nada na sua frequência de utilização, 33% admitem que os benefícios oferecidos pelas novas funcionalidades serão motivos para usar o carro com maior frequência. Já 3% declaram que as suas intenções de utilização serão menos intensas. 

    A nível mundial, verifica-se a mesma tendência: para 53% dos automobilistas o veículo conectado não mudará nada na sua frequência de utilização do veículo. Cerca de 31% estimam que os benefícios das novas funcionalidades irão incitá-los a escolher com maior frequência o automóvel para se deslocarem, contra 8% de intenções menos intensa. No caso do Brasil, China, México e Turquia, mais de metade dos automobilistas utilizaria mais a viatura se esta fosse conectada. Nestes países emergentes, 65% declaram mesmo que as novas funcionalidades do automóvel os poderá levar a renovar o seu veículo mais rapidamente.

    Para Diogo Lopes Pereira, diretor de marketing do Cetelem, «a chegada do veículo conectado representa uma renovação do produto e será certamente uma alavanca de crescimento para os mercados de venda e pós-venda. Conforto, ganho de tempo, segurança são benefícios valorizados pelos automobilistas, que se revelam prontos a pagar por eles».


    Funcionalidade

     

    EMPRESAS DE RENT A CAR

    Empresas de Rent-a-Car adquirem mais viaturas no mês de maio e esperam verão positivo

    A aquisição das referidas viaturas destinam-se á composição da frota para a época alta do turismo nacional.

    O mercado português de veículos ligeiros de passageiros encerrou o mês de Maio com um volume de vendas de 20.836 unidades, registando um crescimento de 13,6% face mês homólogo do ano anterior, segundo elementos fornecidos pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal. No canal de rent-acar as aquisições de ligeiros de passageiros atingiram as 5.891 unidades revelando uma redução de 2% face ao mesmo mês de 2015.

    A aquisição das referidas viaturas destinam-se á composição da frota para a época alta do turismo nacional, cujo crescimento tem contribuído de forma decisiva para o desenvolvimento direto de todos os setores diretamente ligados ao mesmo, como sejam a aviação, hotelaria, o rent-a-car, as agências de viagens, a restauração, as empresas de eventos e animação turística, etc. e indiretamente todas as outras atividades económicas, aliada a uma maior rotação de veículos em frota (de forma a oferecer um produto de cada vez maior qualidade), fazendo com que a idade média dos veículos de rent-a-car em Portugal seja cada vez mais baixa.

    No que ao que aos veículos de mercadorias diz respeito, o crescimento das aquisições por parte das empresas de rent-a-cargo representadas pela ARAC foi cifrou-se em 361 veículos, representando um crescimento de 7% face ao ano anterior.

    Refira-se que o setor do rent-a-cargo foi dos mais afetados pela crise que Portugal e a Europa ainda atravessam.

    Encontrando-se em fase de revisão a legislação que regulamenta a atividade de rent-a-cargo e caso Portugal evolua (como é desejável e importante para a economia nacional) para um quadro legal mais liberalizador deste setor, á semelhança da maioria dos países europeus estamos seguros que este setor venha a ter um forte incremento, com reflexos em toda a economia nacional no que respeita ao transporte de mercadorias.

    De Janeiro a Maio os setores de rent-a-car e rent-a-cargo adquiriram um total de 21.708 veículos que se traduzem num crescimento de 15% face ao período homólogo do ano anterior.



    Veículos

     

    LUBRIGRUPO

    Lubrigrupo: Entrega Prémios Circle of Excellence 2016

    A Lubrigrupo foi distinguida pela ExxonMobil.

    Tal como anunciado oportunamente, a Lubrigrupo foi distinguida pela ExxonMobil com o galardão de ouro nos prémios Circle of Excellence na categoria PVL Program Execution, pela implementação do programa Mobil 1 Workshop. Adicionalmente, foi também agraciada com o prémio de Prata pela qualidade dos serviços prestados.

    Circle of Excellence é uma plataforma que distingue a excelência do trabalho, a estratégia, a aplicação das melhores práticas e o desempenho da rede de distribuidores ExxonMobil. 

    Ao juntar-se a este programa, os distribuidores da Europa, Médio Oriente e Norte de África (EAME) têm a oportunidade de receber a merecida exposição a nível global. A entrega destes prémios decorreu em França, na última semana de abril e serviu para juntar todos os vencedores e parabeniza-los pelo excelente trabalho executado e por honrarem a marca Mobil. Para a Lubrigrupo, continua a ser uma honra figurar na elite da ExxonMobil e este reconhecimento é também fruto da confiança transmitida pelos nossos clientes.



    Lubrigrupo

     

    LUIS SILVA CONFIANTE

     

    Luís Silva confiante para a Rampa de Santa Marta

     

    Depois de uma vitória e mais dois pódios na Categoria 3, Luís Silva quer lutar pela vitória na quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha, em Santa Marta de Penaguião.

     

    O piloto de Famalicão já mostrou que consegue diminuir a desvantagem teórica do seu BMW M3 E30 face às máquinas da concorrência, preparando-se agora para descobrir o traçado da rampa transmontana, que no ano passado regressou ao calendário após longa ausência.

    “Não disputei esta prova o ano passado mas pelas informações que já recolhi o traçado começa numa variante larga e rápida e depois entra numa secção mais estreia, encadeada e a exigir pilotagem. Acredito que é aqui que poderei fazer a diferença. Vamos tentar encontrar uma boa afinação nas subidas de treinos para depois lutar pela vitória na categoria”, afirmou Luís Silva.

    A segunda edição da Rampa de Santa Marta começa este sábado (dia 11) às 14:30 com as primeiras subidas de treinos. No domingo, os pilotos entram em pista a partir das 10:00. MG_3094_1_Copy
     

    MOTOS - BRASIL

     

    Pedro Sampaio defende a liderança da classe SuperSport neste final de semana (11 e 12), durante a terceira etapa do SuperBike Brasil 2016. O piloto gaúcho está preparado para disputas acirradas na pista do Autódromo Internacional de Interlagos, em São Paulo (SP), já que o equilíbrio entre os competidores tem sido a marca do principal campeonato de motovelocidade do país.

    “Estou animado, com ótimas expectativas para a corrida. Conquistei bons resultados nos últimos desafios e espero me sair bem novamente”, disse o piloto de 18 anos. Além de liderar o SBK Gaúcho de Motovelocidade na temporada, Sampaio conquistou a ponta da SuperSport após duas apresentações consistentes no SuperBike Brasil. Ele abriu a disputa na terceira colocação e, na etapa seguinte, foi o segundo mais rápido da categoria – o que rendeu a primeira colocação da tabela.

    “A disputa pela categoria está bastante equilibrada, por isso qualquer detalhe pode custar caro. A diferença entre os ponteiros está muito pequena. Sigo empenhado para fazer o melhor na pista e trabalhando duro para atingir o acerto ideal da motocicleta. Espero que tudo dê certo no final de semana”, finalizou Sampaio, representante da equipe Tecfil Racing. Confira a classificação do SuperBike Brasil após duas etapas:

    Categoria SuperSport
    1º – Pedro Sampaio (#28) – 36 pontos – Tecfil Racing Team
    2º – Matheus de Oliveira Dias (#70) – 34 pontos
    3º – Alex Schultz (#22) – 32 pontos
    4º – Eric Granado (#51) – 25 pontos
    5º – Lucas Bittencourt (#202) – 22 pontos

    Pedro Sampaio tem patrocínio de Anker Acessórios, Pastorello Estruturas Metálicas, Prefeitura Municipal de Bento Gonçalves (RS), Pirelli, Tecfil Racing, Havoline e Garage das Motos. O piloto conta com o apoio do Moto Clube Bento Gonçalves. 


    Pedro Sampaio lidera a categoria SuperSport ap�s duas etapas do SuperBike Brasil 2016
    Cr�dito: Gilmar Rose

    Pedro Sampaio lidera a categoria SuperSport ap�s duas etapas do SuperBike Brasil 2016
    Cr�dito: Gilmar Rose

     

    TIAGO MONTEIRO FOI O MAIS RÁPIDO

    Fui o mais rápido hoje no treino livre. Vamos com tudo amanhã na qualificação. 12:00 no Eurosport 2.

     

    TIAGO MONTEIRO  FOI O MAIS RÁPIDO


     

    SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

    SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

     

    OS TRÊS MOSQUETEIROS PORTUGUESES

     

    filipe albuquerque, tiago monteiro e antónio feliz da costa

     

    Estão a preparar a táctica! Le Mans, um dia destes...

     

    TECNOLOGIA NA FÓRMULA 1

    TECNOLOGIA NA FÓRMULA 1

     

    Mais uma corrida, mais uma... asa na McLaren. 

     

    A PROMESSA DE JOSÉ FAFIÃES

    CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS 2016

     

    A PROMESSA DE JOSÉ FAFIÃES

     

    Fim de semana 25 e 26 Junho voltam as corridas a Vila Real. Lá estaremos tudo tentando para melhor dignificar os nossos perceiros. Apesar de alinhar com algumas limitações mecânicas, fruto do azar havido em Braga, , saltou a vareta do oleo, pelo que andamos todo o tempo a perder oleo até ao inevitavel partir do motor, tudo farei para tentar vencer as 2 provas, O que prometo é total empenho da nossa parte. Até Vila Real.

     

    RAMPA DE SANTA MARTA

     

    A próxima prova de Pedro Salvador é a Rampa de Santa Marta, em pleno coração da região do Douro.

    O piloto do Norma M20FC parte para a quarta prova do Campeonato Nacional de Montanha, com a motivação de sempre, mas com a certeza de que esta é a prova em que vai partir com maior desvantagem: “a Rampa de Santa Marta é uma prova desconhecida para mim, pois nunca lá guiei em condições de corrida. Gosto do traçado, é uma rampa completamente diferente de todas as outras e espero adaptar-me rapidamente, pois tenho consciência de que parto com um handicap face aos meus adversários.”

    Pedro Salvador vem de uma sessão de três vitórias em outras tantas provas disputadas este ano e na prova duriense, esse factor ajuda: “vou fazer tudo para ser rápido, pois entendo que essa é a minha melhor forma de agradecer a aposta que o município de Santa Marta de Penaguião e o Clube Automóvel da Régua, fizeram e também a todos quantos me apoiam.” Rematou o homem da Speedy.

    A competição arranca já no Sábado.

    pedro.salvador.penha

     

    RAMPA DE SANTA MARA

    Santa Marta de Penaguião é a próxima etapa

    Gonçalo Manahu tem no Sábado o próximo desafio do Campeonato Nacional de Montanha e espera conseguir um pódium.

    “Esta rampa é uma total novidade e que sei que tem algumas armadilhas. Apesar de tudo gosto deste traçado, único, em que zonas lentas e estreitas se sucedem a zonas largas e rápidas, o final é igualmente rápido e entre muros… vou tentar andar depressa e escapar às tais armadilhas (risos).” Explica o piloto do Porsche 911.

    Esta época é a primeira em que Gonçalo Manahu aposta no Campeonato Nacional de Montanha e apesar de ser um ano de adaptação, os resultados têm sido positivos: “sim, tenho andado sempre no pódium, dentro dos GT´s estamos todos com andamentos muito semelhantes e temos discutido as provas à décima de segundo. Aqui acredito que vá ser mais ou menos da mesma forma, mas sempre com a consciência de que todos os outros já cá competiram.” Remata o piloto. 

    manahu penha

     

    TOM TOM CONVOCA

     

    Luzes, câmara, CONDUÇÃO!

    TomTom convoca todos a participar no seu novo filme na estrada “Life in a Car”

    N. Andreadis 2TomTom (TOM2) está a convocar os condutores de todo o mundo a envolverem-se na curta-metragem que celebra a vida na estrada. Desde a rotina diária aos momentos mais extraordinários, a TomTom pretende que os condutores captem e partilhem as suas experiências de condução favoritas para a possibilidade de participarem no filme, chamado Life in a Car. A estrear em setembro deste ano, o filme vai ser composto inteiramente de gravações de vídeo elaboradas por condutores reais e vai ser realizado por Natalia Andreadis, que trabalhou com Ridley Scott no galardoado filme Life in a Day.

    Andreadis afirma: “Life in a Car une os condutores de todo o mundo através da partilha das histórias do seu dia-a-dia no carro. Adoro trabalhar com pessoas e experiências reais e mal posso esperar para ver os vídeos fantásticos que os condutores vão partilhar connosco.”


    Qualquer pessoa se pode envolver no projeto submetendo as suas gravações através de uma app para smartphonesespecialmente desenvolvida para o efeito, ou fazer upload dos seus vídeos para a app do Facebook. O período de submissão dos vídeos começa hoje e manter-se-á até 15 de agosto.

     

    Corinne Vigreux, co-fundadora e managing director da TomTom comenta: “A TomTom tem uma paixão genuína em ajudar pessoas a moverem-se. Estamos no coração de milhões de viagens de carro pelo mundo, todos os dias, e estamos muito entusiasmados em unir forças com os condutores para criarmos algo verdadeiramente único juntos. Na verdade, com veículos autónomos num futuro cada vez mais próximo, esta é a altura ideal para capturar aquilo que vivemos nos nossos carros, hoje, antes que a forma como os utilizamos mude para sempre.”

     

    NOTA: O projeto pede aos condutores que filmem enquanto estiverem no carro, mas não enquanto conduzem. O site e app do Facebook incluem diretrizes mais específicas sobre este assunto e sobre como filmar em segurança.

     

     

    Os participantes devem descarregar a app TomTom Video Collaboration Community para os seus smartphones, registando-se através do e-mail ou do login ao Facebook, e depois selecionando o projeto Life in a Car.

    Os utilizadores podem visualizar alguns vídeos para se inspirarem, e depois tudo o que precisam de fazer para começar é carregar no botão “Start Filming”! Existem algumas dicas para ajudar a iniciar as filmagens.

     

    Os colaboradores da TomTom fizeram o seu próprio filme com o objetivo encorajar os condutores de todo o mundo a participarem. 

     

    MANUEL CORREIA NA RAMPA SANTA MARTA

     

    Manuel Correia chega à Rampa de Santa Marta como líder da Categoria 3

     

    Duas vitórias e um segundo lugar dão a Manuel Correia o comando da Categoria 3 do Campeonato Nacional de Montanha. A quarta prova da época será disputada em Santa Marta de Penaguião.

     

    Ao volante do Ford Fiesta R5, Manuel Correia demonstrou uma excelente adaptação ao carro preparado pela ARC Sport e está inclusive no top 5 absoluto do CNM. Agora, o desafio é disputar a transmontana Rampa da Santa Marta, uma prova que regressou ao calendário do Nacional de Montanha no ano passado, depois de uma longa ausência.

     

    “As minhas expectativas para esta prova não são muito diferentes das outras: quero sobretudo divertir-me e tentar uma boa classificação na categoria”, afirmou o piloto de Braga.

     

    “À medida que o campeonato avança a disputa é cada vez maior e isso é bom. Santa Marta de Penaguião tem uma rampa pouco habitual, com um parte inicial muito rápida seguindo-se depois uma secção muito técnica e sinuosa. No ano passado subi ao pódio, vamos ver se é possível repetir esse resultado este ano”, concluiu.

     

    Quarta prova da temporada, a Rampa de Santa Marta começa este sábado (dia 11) às 14:30 com as primeiras subidas de treinos. No domingo, os pilotos entram em acção a partir das 10:00.


    IMG 4822_CopyIMG 5746_Copy
     

    MICHAEL DUNLOP VENCE

     

    Michael Dunlop vence com pneus Dunlop e alcança novos recordes em TT na Ilha de Man

     

     

    •  Novo tempo recorde de corrida em 1h 44m 14.259s
    •  Primeira vez que a volta é efetuada em menos de 17 minutos, com uns assombrosos 16:58.25s
    •  Dunlop cria o Clube dos 214 km/h

     

    O TT da Ilha de Man 2016 entrou na história depois dos pneus Dunlop acompanharem Michael Dunlop na volta à Ilha de Man em menos de 17 minutos.

     

    O piloto de Hawk Racing BMW alcançou o recorde da volta, não apenas uma, mas duas vezes, ultrapassando o vencedor por 32 vezes de TT, John McGuinness. Com uma incrível velocidade média de 214 km/h nas primeiras duas voltas da sexta corrida, conseguiu o objetivo da marca de criar o Clube dos 214 km/h.

    2016_Isle_of_Man_TT_Superbike_race_064

    A corrida inaugural da semana de corridas de TT observou como Michael Dunlop demonstrou, desde o início, o rendimento dos pneus de corrida Dunlop com 214_km/h (133.369mph). A volta seguinte foi ainda mais 

    ápida, com um tempo de 16:58.25 e uma velocidade média ligeiramente superior aos 214 km/h (133.393mph), estabelecendo um recorde absoluto, marcando a 12ª vitória do piloto em TT.

     

    Iniciando a corrida na primeira posição, John McGuinness acabou em terceiro lugar na sua Honda Racing Fireblade, subindo ao pódio pela 45ª vez em TT. Às portas do pódio ficou o piloto da Kawasaki, Peter Hickman, o estreante mais rápido do TT, que finalizou a corrida no melhor quarto posto da sua carreira, com uma velocidade de 212 km/h (132.465mph).

     

    Os pneus Dunlop têm liderado o caminho para a conquista dos recordes de velocidade durante os últimos anos, primeiramente com John McGuinness com 204, 205, 207, 209 e 210 km/h, depois Bruce Anstey com uma excelente velocidade média de 212 km/h pela primeira vez em 2014, e agora Michael Dunlop com o seu primeiro 214 km/h por volta.2016 Isle_of_Man_TT_Superbike_race_064_Copy

     

    BARBOSA EM 5º NO RALI DOS AÇORES

     

    Miguel Barbosa em 5º lugar no Rali dos Açores

    Aos comandos do Skoda Fabia R5 venceu uma especial

     

    Aos comandos de um Skoda Fabia R5 e acompanhado por Miguel Ramalho, o atual campeão nacional de todo-o-terreno Miguel Barbosa conclui hoje a sua primeira participação no Azores Airlines Rallye com um magnífico 5º lugar na competição pontuável para o Campeonato Nacional de Ralis, onde passa a ocupar a 4ª posição.

     

    Sendo apenas o seu terceiro rali e o primeiro de cariz internacional o piloto do BP Ultimate Skoda Team ultrapassou com distinção a enorme dificuldades de uma prova marcada por uma enorme dureza tendo conseguido ainda obter a vitória num dos troços, em termos de CNR, com uma marca que foi a segunda absoluta dessa especial. A dupla Miguel Barbosa/Miguel Ramalho terminou ainda o Azores Airlines Rallye na 11ª posição da prova pontuável para o ERC.

     

    “Estou muito satisfeito com a nossa prestação. Tivemos um carro magnífico que não nos deu problemas e conseguimos, num rali muito exigente e técnico, terminar numa excelente posição, face a adversários muito fortes e experientes, tanto no plano nacional como internacional. Pautámos o nosso andamento por um ritmo forte e consistente, mas dando sempre uma margem de segurança suficientemente folgada para fazer face ao menor conhecimento que tenho destes troços. Foi apenas o meu terceiro rali. Sinto que já evolui imenso desde a minha estreia nos ralis e saio com confiança para continuar a progredir”, salientou o piloto do BP Ultimate Skoda Team.

     

    Para Miguel Ramalho “o importante era continuar a fazer quilómetros. É muito importante nesta fase. Fomos consistentes, não cometemos erros num rali tradicionalmente exigente e que teve a particularidade de ter uma grande instabilidade nas condições meteorológicas. O balanço é muito positivo”. AFL8444_Copy

     

    MIGUEL OLIVEIRA DÁ INICIO

     

    Miguel Oliveira dá início ao programa de apoio a jovens pilotos

     

     O jovem de 13 anos Tomás Alonso vai competir na Moriwaki 250Cup, competição pensada para jovens que dão os primeiros passos no motociclismo., apadrinhado pelo Miguel Oliveira Fan club. A Moriwaki 250 Cup vista o Reino Unido, Alemanha, Holanda e Portugal, onde tem a próxima etapa marcada nos próximos dias 10, 11 e 12 de Junho no Autodromo Internacional do Algarve, na mesma altura que o piloto português Miguel Oliveira disputa as 12 do campeonato do mundo de resistência fazendo equipa com Miguel Praia e o francês Mattieu Lussiana.

     

    O Miguel Oliveira – Fan Club foi criado oficialmente no último jantar anual de fãs do piloto português e desde então tem tido um crescimento significativo, atingindo já cerca de 500 Fãs Oficialmente registados.

     

    Para Paulo Oliveira, mentor do projeto o objetivo é: "O objectivo do Fan Club é o de poder dar resposta aos pedidos dos Fãs incondicionais que pretendem demonstrar o seu apoio ao Miguel Oliveira. Por outro lado, queremos através do Fan Club criar as condições para novos pilotos possam surgir numa base sustentada. Acredito que existem por aí muitos Migueis Oliveira que apenas necessitam de uma oportunidade. Aproveitar a conhecimento e experiência adquirida nos últimos 12 anos e partilhar pelos mais jovens. Para já estamos empenhados em levar o motociclismo até perto do publico em geral e demonstrar os benefícios que a modalidade tem para oferecer." 

     

    Relativamente ao jovem talento Tomás Alonso, explica: “Temos seguido o Tomás Alonso e acreditamos que tem potencial. Precisa de rodar bastante para adquirir experiência e técnicas de pilotagem. Temos o programa pensado para ele e, se tudo correr como planificado, pode ser nos próximos 4 anos o segundo piloto português a ingressar no campeonato do mundo a tempo inteiro."

     

    Miguel Oliveira explica a importância que tem este projecto: "Quando me iniciei não tive esta oportunidade e é pensando nessas dificuldades e na experiência única que temos que, queremos reunir todas as condições para que os jovens possam ter uma oportunidade."

     

    Recorde-se que no próximo fim-de-semana o piloto português representa a equipa Parkalgar na prova de 12 horas de resistência, a única prova internacional de velocidade a realizar-se actualmente em Portugal. 

     

    JOP INVESTE 3,5 MILHÕES D EEUROS

     

    JOP investe 3,5 milhões na primeira concessão com nova imagem Jaguar Land Rover do país

    A JOP acaba de investir 3,5 milhões em novas instalações que, com uma área de 5.000 m2, constituem a primeira concessão do país com a nova imagem Jaguar Land Rover e são uma referência a nível ibérico

    A JOP – Veículos e Peças SA, o mais antigo concessionário Land Rover em Portugal, acaba de ser nomeada representante da marca Jaguar no Porto, a partir do início de Junho. Simultaneamente, a empresa investiu 3,5 milhões de euros em novas instalações Jaguar Land Rover, as primeiras em Portugal a corresponder à nova imagem corporativa que estas duas marcas automóveis inglesas premiumestão a adoptar em todo o mundo. “A JOP acompanhou o alinhamento estratégico internacional da Jaguar e Land Rover e a nossa capacidade de crescimento e empreendedorismo foi reconhecida, tendo-nos sido atribuída a concessão da Jaguar no Porto”, refere, a propósito, Rodrigo Gonçalves, administrador da JOP.

    As novas instalações da JOP representam uma verdadeira flagship da dualização da concessão Jaguar Land Rover em Portugal, sendo mesmo uma referência a nível da Península Ibérica. Estão localizadas na Zona Industrial do Porto e contam com uma área total de 5.000 m2 que integra a globalidade dos serviços: vendas, oficina, colisão e peças, num ambiente marcadamente exclusivo e centrado no cliente.

    “Este investimento surge no momento em que ambas as marcas preparam uma importante ofensiva de produto, que se iniciou com o lançamento do Jaguar F-Pace, o primeiro SUV da história da marca, e que brevemente continuará com o novo Range Rover Evoque Cabrio, o primeiro SUV descapotável do mercado. A JOP apresenta ambos os modelos na abertura das novas instalações”, salienta Rodrigo Gonçalves.

    Para celebrar a abertura das suas novas instalações, no dia 2 de Junho, a JOP promoveu um evento especial, que contou com a presença de mais de 200 convidados, que se prolongou num fim-de-semana de portas abertas, entre 3 a 5 de Junho, oferecendo a todos os seus clientes a possibilidade de verem de perto e testarem toda a gama da Jaguar e Land Rover, incluindo o desportivo Jaguar F-Pace e o original Range Rover Evoque Cabrio.

    Sobre a JOP:

    A JOP – Veículos e Peças, SA é o concessionário mais antigo da Land Rover em Portugal. A empresa, que possui 60 colaboradores, assistiu em 2015 cerca de 7217 viaturas e comercializou 1502 viaturas.

    A JOP está integrada no Grupo Gocial, cuja origem remonta a 1919, ano em que a empresa que estaria na génese do grupo abriu o primeiro concessionário Austin na Europa Continental. Actualmente, o Grupo Gocial representa as marcas Audi, VW, Seat, Skoda, Land Rover, Jaguar, Iveco, Fiat, Alfa Romeo, Lancia, Jeep, Nissan, Hyundai e KIA através das concessões Jop, Sporjop, Vap, Sporvap, Carvap, Motorvap, Soveco e Soveco Viseu.

    São 14 marcas que abrangem a totalidade do mercado, dos pequenos utilitários, aos segmentos de luxo, passando pelos mais sofisticados veículos de todo o terreno, sem esquecer a gama de veículos comerciais. Com 330 colaboradores, a Gocial tem instalações no Grande Porto, Guimarães, Viseu e Aveiro que perfazem mais de 70.000 m2, assistindo atualmente nas suas 12 oficinas mais de 40.000 viaturas por ano, e comercializando nos seus 27 pontos de venda mais de 4.000 veículos anualmente.

     

    NGK DISPONIBILIZA

    NGK disponibiliza velas que até agora eram exclusivas para equipamento original Mazda

    As velas estão disponíveis para o mercado de reposição sob a denominação CZ165.

    No final de 2014, a Mazda apresentou o seu motor ligeiro diesel S5 de 1.5 litros SKYACTIV-D, que potencia o Mazda 2 e Mazda CX-3. Para garantir uma combustão ideal neste motor sob diferentes condições ambientais, a Mazda escolheu velas diesel tipo NHTC da NGK Spark Plug. Agora estas mesmas velas estão disponíveis para o mercado de reposição sob a denominação CZ165, permitindo às oficinas independentes proporcionar a manutenção do veículo como nas oficinas oficiais.

    O motor S5 1.5 litros SKYACTIV-D da Mazda trabalha com um sistema de mistura pobre e uma relação de compressão baixa, de apenas 14,8: 1, para limitar as emissões do motor. Além disso, a Mazda desenvolveu um sistema de recirculação dos gases de escape para a alta e baixa pressão. Assim é feita a redução das temperaturas de combustão para manter as emissões de NOx do motor para o mínimo. Como resultado, o motor cumpre com os regulamentos Euro6 mesmo sem sistemas de pós-tratamento de NOx.



    NGK

     

    TRELLEBORG FINALIZA

    Trelleborg finaliza aquisição da CGS Holding

    A operação foi consolidada na terça-feira, 31 de maio de 2016.

    A Trelleborg anuncia que finalizou a aquisição da CGS Holding a.s. – empresa privada líder na área de pneus agrícolas, industrial e em soluções na área de engenharia de polímeros. Os valores da negociação totalizaram aproximadamente SEK 10.9 bilhões em dinheiro e base livre de débitos. A matriz da CGS fica na República Checa e gerou vendas de aproximadamente SEK 5.6 bilhões em 2015 com margem operacional de 16,5 %.

    De acordo com o Presidente e CEO da Trelleborg, Peter Nilsson, “é altamente gratificante receber a CGS no Grupo Trelleborg. Esta companhia esteve por muito tempo em nossa lista de interesses. A aquisição vai permitir que a Trelleborg dobre suas vendas de pneus agrícolas, reforce a posição de liderança em pneus industriais e acrescente novas posições em segmentos de pneus especiais. A linha de soluções de engenharia de polímeros da CGS nos permite reforçar a liderança da Trelleborg em diversas áreas de negócios do Grupo”. 

    A CGS Holding inclui as subsidiárias Mitas, Rubena e Savatech. A Mitas responde por aproximadamente dois terços da venda do grupo e tem forte presença em mercados de pneus especiais com forte atuação no mercado de pneus agrícolas. A oferta de pneus especiais é complementada por nichos de soluções de engenharia de polímeros que é representada pelas subsidiárias Rubena e Savatech, incluindo produtos como: vedações, perfis de vedações, produtos moldados especiais, blanquetas de impressão e outros tecidos técnicos. 

    Peter Nilsson acredita na recuperação do mercado agrícola e que a aquisição da CGS vai beneficiar a Trelleborg com uma plataforma de produtos atrativos e competitivos. “Em função disso, nós consideramos que o ganho com a compra é atraente considerando a esperada recuperação do mercado agrícola,” conclui Peter Nilsson.

    A subsidiária Mitas será integrada à área de negócios da Trelleborg Wheel Systems. Durante a transição, as outras operações serão independentes das já existentes da Trelleborg até serem gradualmente integradas em cada área de negócio. 

    A operação foi consolidada na terça-feira, 31 de maio de 2016. Após a aquisição, o faturamento da Trelleborg será de cerca de SEK 30 bilhões. O Grupo passa a contar com 23 mil colaboradores em 47 países. 

    A operação será consolidada em 31 de maio de 2016. As despesas não recorrentes de aproximadamente SEK 70 milhões, relacionado com a aquisição, serão contabilizadas no segundo trimestre de 2016. Deste montante cerca de SEK 50 milhões serão deduzidos do lucro operacional reportado e cerca de 20 milhões serão deduzidos das operações financeiras líquidas. 



    Image_Trelleborg_HQ

     

    João Raposo

    Telemóvel: +351 961 686 867
    E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt