In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


RESULTADOS PEUGEOT

 

PEUGEOT PORTUGAL – RESULTADOS COMERCIAIS 2014

Peugeot na vice-liderança pelo 2º ano consecutivo

 

Depois de ter alcançado o segundo lugar no ano 2013, a PEUGEOT consolida a vice liderança no mercado português com 16.893 automóveis ligeiros vendidos durante o ano 2014, mais 39,4% do que o período homólogo de 2013. Segundo o Director Geral da PEUGEOT Portugal, Alfredo Amaral “foi um ano rico em termos de novidades e de resultados, indiscultivelmente suportados por uma rede de distribruição que se assume como um pilar fundamental, aos quais se juntam a qualidade dos nossos produtos, do nosso serviço ao cliente, bem com a sua satisfação. O prémio da “Escolha do Consumidor” pelo 2º ano consecutivo é o culminar de todos os nossos esforços. Estamos, naturalmente, satisfeitos com estes resultados”.

O 2014 confirma-se como um excelente ano para a PEUGEOT, que volta a afirmar  a sua posição no mercado de ligeiros de passageiros com 13.177 unidades vendidas, um aumento de 40,6% face a 2013, com um crescimento acima do mercado, que atingiu 34,8%, e em que a quota de mercado subiu para os 9,2%.

Quanto ao mercado ligeiros de mercadorias, 3.716 unidades foram vendidas, um acréscimo de cerca de 1.000 unidades face a 2013, significando um aumento de 35,3% face a 2013 e fixando-se a quota de mercado em 14,2%.

No conjunto dos dois mercados VP e VCL, durante o ano de 2014 foram registados 169.029 viaturas, mais 36,2% face a 2013. A PEUGEOT, com 16.893 unidades vendidas, aumenta a sua quota de mercado VP e VCL para os  10% (0,23 pp), sendo a única das três mais vendidas a registar um variação positiva.

Em baixo, resume-se esta evolução do mercado, através do seguinte quadro:

 

PEUGEOT

Mercado

 

2014

2013

Variação

QM 2014

2014

2013

Variação

VP

13.177

9.372

+40,6%

9,2%

142.827

105.921

+34,8%

VCL

3.716

2.746

+35,3%

14,2%

26.199

18.202

+43,9%

VP + VCL

16.893

12.118

+39,4%

10%

169.026

124.123

+36,2%

 

Para estes resultados, contribuiu a bem sucedida e alargada gama de veículos PEUGEOT, que têm vindo a ser progressivamente rejuvenescida – como é exemplo o Novo 108, o Novo 308, o Novo 508 ou os Crossovers 2008 e 3008 – e dotada de elevados padrões de qualidade, design, tecnologia, experiência e envolvência na condução, valores estes que são cada vez mais valorizados pelos consumidores.

No culminar do ano 2014, a PEUGEOT foi eleita pelos consumidores, pelo segundo ano consecutivo, como Marca Escolha do Consumidor 2015, o que confirma, uma vez mais,  a excelente qualidade de serviço cliente prestado por todos os profissionais ligados à marca, que resulta num elevado índice de satisfação por parte dos clientes PEUGEOT.308SW Copy508RXH Copy

 

CLUBE DOUROXTREME

 

O Clube DouroXtreme apresenta a IV edição do Enduro Clube DouroXtreme, dia 25 de Janeiro em São João da Pesqueira, Viseu.

O Clube espera novamente grande afluência de público e de participantes como aconteceu na última edição com mais de 50 inscrições e nomes como João Vale, Firmino Salazar, José Borges, David Santos.

O evento caracteriza-se por ser uma mistura de resistência, cross-country, enduro e motocross para motos e quads. O evento terá uma duração de 01h30 para as duas categorias, com troços mais velozes, outros um pouco mais técnicos e uma passagem na pista motocross do Clube DouroXtreme.

O grande crescimento das últimas edições, aliado aos objetivos de proporcionar aos participantes a experiência num evento pouco usual na região e promover tudo o que seja inerente à prática,  leva o Clube a apostar mais no desenvolvimento deste evento, que este ano conta com várias melhorias tanto a nível do recinto como a nível do trajeto, e uma área para expositores (marcas, lojas de equipamento e material, e tudo inerente ao evento) gratuita junto ao Paddock, tendo os interessados que contatar o Clube com antecedência.

O Clube gostaria de agradecer à RaceStars Racing, Shogun, Luís Fonseca Produtor Vitivinícola, Adega Cooperativa de São João da Pesqueira e TerraPlanagens Salta e Filho, por toda a ajuda em meios e ofertas aos participantes.

Com lugar numa fantástica localização e incríveis paisagens sobre o Douro o evento terá uma dificuldade média, que certamente irá contar com muito convívio e espírito desportivo.

Fiquem atentos ao evento no site:

http://clubedouroxtreme.weebly.com/iv-enduro-clube-douroxtreme.html

Descrição:

EVENTO: IV Enduro Clube DouroXtreme

ORGANIZAÇÃO: Clube DouroXtreme

VEÍCULOS: Motos e Quads

DATA: 25.01.2015

LOCAL: Srª do Vencimento, São João da Pesqueira, Viseu

Coordenadas:

41º09'33.62"N

 -7º09'36.63"O

 

CLASSIFICAÇÃO:

Cronometragem profissional

Maior número de voltas em:

            MOTOS: 1H30

            MOTOS4: 1H3O

Regulamento: Entregue no ato da inscrição 

 

CONTATOS:

Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar

918 173 033/ 931 162 726 / 937 405 658

 

IV ENDURO_CLUBE_DOUROXTREME_-_CARTAZ_Copy

 

FORD APRESENTA PLANO DE MOBILIDADE

 

Ford Apresenta Plano de Mobilidade Inteligente no CES
e 25 Experiências Globais Desenhadas para Mudar o Modo Como o Mundo Se Move

  • A Ford apresenta o conceito Ford Smart Mobility que recorre à inovação para elevar a empresa para o próximo nível em termos de conectividade, mobilidade, veículos autónomos, experiência do cliente e tratamento de dados de grande volume

 

  • 25 experiências de mobilidade global lançadas este ano para testar novas ideias e responder aos crescentes desafios dos transportes; conhecimentos adquiridos irão definir os futuros investimentos da Ford

 

  • Durante o discurso proferido no âmbito do certame “2015 International CES” de Las Vegas, Mark Fields, Presidente & CEO da Ford, apresentou as experiências, nelas incluindo-se sete projectos europeus

 

  • Programas baseados em Londres: “Condução em Cidade Por Encomenda”, “Seguros Baseados em Dados”, “Transporte Social Dinâmico” e "Estacionamento Facilitado”; o programa “Ford Carsharing”, com base na Alemanha, foi alargado a mais de 50 cidades do país

 

fields-15-ces-01 Copyford-smart-mobility-logo Copy Presente no “Salão de Electrónica de Consumo” de 2015, a Ford destacou o modo como recorre às inovações não só com vista à criação de novos e avançados veículos, como também na ajuda à mudança da forma como o mundo se move, resolvendo os crescentes desafios do presente em termos de transporte global.

 

A companhia apresentou o seu plano ‘Ford Smart Mobility’ para promoção da inovação, elevando-a a um novo patamar em termos de conectividade, mobilidade, veículos autónomos, experiência do cliente e tratamento de dados de grande volume. A Ford também apresentou 25 experiências de mobilidade a implementar em todo o mundo no presente ano para testar ideias de transporte, proporcionando melhores experiências aos clientes, modelos mais flexíveis e colaborações a nível social que podem resultar em benefícios para esses clientes.

 

“Mesmo apresentando automóveis com elevados níveis de conectividade e partilhando os nossos planos para veículos autónomos, estamos aqui no CES com um propósito bem maior,” afirmou Mark Fields, Presidente & CEO da Ford, num discurso proferido na mostra tecnológica e de electrónica de consumo de Las Vegas. “Estamos a aplicar inovação em todas as áreas do nosso negócio de modo a sermos uma empresa de produto e de mobilidade, com o objectivo último de mudar o modo como o mundo se move, tal como fez há 111 anos o nosso fundador Henry Ford.”

 


 

25 Experiências de Mobilidade a Nível Global

Os primeiros passos do ‘Ford Smart Mobility’ são dados através de 25 novas experiências – nove delas na Europa e em África, oito na América do Norte, sete na Ásia e uma na América do Sul. Cada uma delas foi concebida para antecipar o que clientes pretendem e necessitam no ecossistema de transporte do futuro.

 

“Antevemos um mundo onde os veículos 'falam' uns com os outros, onde os condutores e os veículos comunicam com as infra-estruturas das cidades, aliviando os congestionamentos, onde as pessoas partilham, como rotina, veículos ou múltiplas formas de transporte nas suas deslocações diárias,” afirmou Fields. “As experiências que estamos hoje a empreender conduzirão a um novo modelo de transporte e de mobilidade durante os próximos 10 anos e mesmo para além disso.”

 

As 25 experiências abordam quatro megatendências globais – o explosivo crescimento demográfico, uma expansão da classe média, as preocupações com a qualidade do ar e saúde pública e a mudança de atitudes e prioridades dos clientes – desfiando o actual modelo de transporte e a limitada mobilidade das pessoas, especialmente em meios urbanos.

 

Catorze das 25 experiências são projectos de pesquisa liderados pela Ford e onze fazem parte do concurso ‘Innovate Mobility Challenge Series’ da companhia.

 

As Experiências Londrinas

Londres será a base de vários projectos-piloto da Ford que irão testar diferentes soluções para mitigar os congestionamentos em áreas urbanas de elevada densidade, incluindo as partilhas de viaturas (car-sharing), estacionamento e projectos de serviço por shuttle.

 

A Ford também anunciou a expansão do seu programa de car-sharing na Alemanha. A iniciativa subscrita pela associação de concessionários Ford alemães, a FHD GmbH e a DB Rent, a empresa por detrás da Flinkster car-sharing, resulta no primeiro esquema de partilha de viaturas à escala nacional envolvendo concessionários automóveis.

 

“Na Ford estamos abertos a soluções mais inteligentes de manutenção do mundo em livre movimento, para benefício e progresso de todos os envolvidos. Mudar a maneira de pensar, de colaborar e de comportamento é essencial para garantir a livre circulação de pessoas e das economias,” afirmou Barb Samardzich, Chief Operating Officer da Ford Europa. “É altamente improvável a existência de uma única solução, à medida de todos, para as questões da mobilidade. Neste momento, estamos na fase de investigação – testes e afinação de projectos para que possamos descobrir o que funciona e desenvolver soluções mais inteligentes para garantir liberdade de movimento para todos.”

 

Os projectos em desenvolvimento em Londres são:

  • Condução em Cidade Por Encomenda: desenhado para ajudar a compreender o que é necessário para um esquema de car-sharing integrado de maior qualidade e flexibilidade, que vá ao encontro dos viajantes regulares em grandes áreas urbanas. Actualmente decorre a fase de testes-piloto, com recurso a unidades Focus Electric, de emissões zero, e Fiesta 1.0 EcoBoost, ultra-eficiente e de baixas emissões, unidades que podem ser reservadas através de uma app ou ligando para um call centre. Os veículos são desbloqueados através de uma aplicação para smartphone ou por cartão de membro, podendo ser usados 24 horas por dia, sete dias por semana. Os preços são cobrados ao minuto, valor que inclui combustível, seguro e os custos de Taxas de Circulação Urbana.

 

  • Seguros Baseados em Dados: envolve a monitorização da utilização de veículos individualmente com potencial para criar uma cotação de seguro personalizada e reduzir os custos do seguro. Uma app para smartphone permite aos utilizadores verificar, de modo remoto, a localização do seu veículo, os níveis de combustível e outras condições do mesmo que adicionem valor acrescido para o cliente. Os dados recolhidos também poderão contribuir para identificar potenciais congestionamentos e ajudar as autoridades a melhorar os fluxos de tráfego
  • Transporte Social Dinâmico: um serviço de transporte por encomenda de ligação entre dois pontos, mais prático do que um autocarro e a melhor custo do que um táxi, com pagamento na altura do transporte, num serviço partilhado, desenhado para ser simultaneamente eficiente e efectivo em termos de custos
  • Estacionamento Facilitado: desenvolvido com uma autoridade local, este novo serviço por app para smartphone pode ajudar os condutores a encontrar um espaço de estacionamento apropriado com base nas suas preferências de perfil, estacionamento em tempo real e identificação de locais de destino, bem como a sua localização por GPS.

 

Num inquérito promovido pela Ford, 56 por cento dos europeus referiu considerar a partilha de viaturas*. A pesquisa também mostrou que um veículo partilhado pode substituir até treze outros veículos na estrada** e, de acordo com a Comissão Europeia, os custos relacionados com os congestionamentos dentro da União Europeia rondam os 100.000 milhões de euros por ano***.

 

O Car-Sharing na Alemanha

Nos seus primeiros 12 meses de implementação, o programa Ford Car-sharing em expansão evoluiu para incluir 55 cidades alemãs e mais de 100 localidades, incluindo vilas e pequenas cidades. Os clientes registam-se num concessionário Ford, num processo que lhes permite, depois, poder fazer uma reserva através de uma app para smartphone, portal de internet ou telefone. Para além dos modelos Ford, do Ka até à Transit, os clientes têm igualmente acesso a 3.600 veículos da empresa Flinkster. Nos últimos meses registou-se uma duplicação das reservas face à média da primeira metade do ano.

 

Com o desafio ‘Innovate Mobility Challenge Series’, a Ford convidou inovadores e programadores de todo o mundo a criar soluções para os desafios específicos de mobilidade em Inglaterra, Portugal, América do Norte e do Sul, África, Índia, China e Austrália. Mais de 100 concorrentes inscreveram-se no primeiro ‘Traffic Tamer App Challenge’, realizada em Londres e que foi conquistado pelo projecto AppyParking, garantindo um serviço que permite aos condutores ver mapas de estacionamento, pagar taxas de tráfego urbano e encontrar postos de carregamento de veículos eléctricos.

 

“Estes projectos de investigação sublinham o compromisso da Ford para com a inovação e o progresso que se estende para além dos veículos que produzimos,” disse Erica Klampfl, Directora Global de Mobilidade Futura, do departamento de Pesquisa e Engenharia Avançada da Ford. “Estamos a investir em pesquisa, relações, tecnologia e desenvolvimento de novos negócios para providenciar um modo de transporte seguro e acessível, mas que também responda aos problemas de congestionamento e possa reduzir as emissões e deslocações excessivamente longas.”

 

Veículos Autónomos Ford

A Ford também destacou os veículos semi-autónomos que tem já hoje em circulação e os veículos totalmente autónomos, já em processo de desenvolvimento para uma utilização futura.

 

“Já estamos a produzir e comercializar veículos semi-autónomos que recorrem a software e sensores para orientação da direcção em espaços de estacionamento paralelos e perpendiculares, ajuste da velocidade com base no fluxo de tráfego ou aplicação dos travões em situações de emergência,” comentou Raj Nair, Chief Technical Officer da Ford e Vice-Presidente do Grupo, Desenvolvimento Global de Produto. “No futuro irá haver um veículo autónomo Ford, pelo que levamos muito a sério a sua colocação na estrada.”

 

Os actuais veículos semi-autónomos Ford contam com soluções como a assistência à manutenção de faixa, cruise control adaptativo, Assistência de Pré-Colisão com Detecção de Peões e assistência activa ao estacionamento, Reconhecimento de Sinais de Trânsito, câmara de visão traseira, faróis de máximos automáticos e limpa pára-brisas com sensores de chuva, estando para breve a introdução de um sistema de Assistência a Engarrafamentos.

 

Um Ford Fusion Hybrid de condução totalmente autónoma encontra-se em testes de estrada. O modelo recorre à mesma tecnologia semi-autónoma presente em veículos Ford do presente, acrescentando-lhe quatro sensores LiDAR, que geram mapas 3D em tempo real do ambiente em redor.

 

O veículo pode ‘sentir’ os objectos ao seu redor graças aos sensores LiDAR e usar algoritmos avançados para o ajudar nas previsões de para onde se poderão mover os veículos e peões.

 

“A nossa prioridade não é fazer anúncios de marketing ou entrar numa corrida para colocar o primeiro modelo autónomo na estrada,” disse Fields. “A nossa prioridade é fazer o primeiro veículo autónomo Ford acessível para as massas e que, verdadeiramente, contribua para melhorar as vidas dos clientes,” acrescentou Fields.

 

“Henry Ford ensinou-nos, há muito tempo, que um bom negócio resulta em excelentes produtos e garante rentabilidade. Um óptimo negócio faz tudo isso ao mesmo tempo que cria um mundo melhor. É isso o que nos continua a incentivar a cada dia.”

 

# # #

 

* Pesquisa realizada pela The Futures Company entre Julho e Agosto de 2012, tendo sido inquiridas 6.028 pessoas de seis países europeus: Alemanha, Dinamarca, Espanha, França, Itália e Reino Unido.

** E. Martin, S. Shaheen, J. Lidicker, “The Impact of Carsharing on Household Vehicle Holdings: Results from a North American Shared-Use Vehicle Survey.” Transportation Research Record, 2010.

*** “Clean Transport, Urban Transport,” da página de Mobilidade Urbana e Transportes da Comissão Europeia: http://ec.europa.eu/transport/themes/urban/urban_mobility/index_en.htm

 

 

 

Sobre a Ford Motor Company

A Ford Motor Company, empresa global da indústria automóvel, sediada em Dearborn, Michigan (EUA), produz e distribui automóveis em seis continentes. Com cerca de 189.000 empregados e 65 fábricas em todo o Mundo, conta no seu portfólio automóvel com as marcas Ford e Lincoln. A empresa disponibiliza serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para mais informações sobre a Ford e os seus produtos, por favor visite www.corporate.ford.com.

 

A Ford Europa é responsável pela produção, comercialização e pós-venda da marca Ford em 50 mercados individuais, empregando aproximadamente 50.000 pessoas nas suas instalações e cerca de 69.000 pessoas no âmbito das ‘joint-ventures’ e restantes parcerias. Em complemento à Ford Motor Credit Company, as operações da Ford Europa incluem a Ford Customer Service Division e 24 unidades fabris (13 detidas na totalidade ou em regime de ‘joint venture’ consolidada, mais 11 em regime de ‘joint venture’ não consolidada). Os primeiros automóveis Ford foram enviados para a Europa em 1903, o mesmo ano da fundação da Ford Motor Company. A produção na Europa teve início em 1911.

 

 

LAN D ROVER INAUGURA ANO

 

LAND ROVER INAUGURA ANO DE CELEBRAÇÕES DO DEFENDER

COM ENORME DESENHO NA AREIA, DE UM QUILÓMETRO, E TRIO DE EDIÇÕES LIMITADAS

 

 

 

 

•    O veículo mais emblemático do mundo, o Land Rover Defender, foi representado através de um desenho com 1 quilómetro, elaborado ao longo de uma linha contínua de 4,5 quilómetros, na mesma praia onde, há 68 anos, foi feito o esboço do seu desenho original.

•    O vídeo desta façanha pode ver-se em http://youtu.be/4roB2KHK3PE

•    A Land Rover anuncia a criação de três edições limitadas do Defender: Heritage, Adventure e Autobiography.

 

A Land Rover regressou ao lugar onde começou a sua história para inaugurar um ano de celebrações do icónico Defender. Um desenho original, com um quilómetro de comprimento, desenhado na areia da baía de Red Wharf, em Anglesey, no Reino Unido, comemora o lançamento de três modelos exclusivos, de edição limitada, e o início de um novo e emocionante capítulo na história do Defender.

À medida que a produção do atual Defender, feita no Reino Unido, entra na sua fase final, a Land Rover vai prestar homenagem, em 2015, ao seu icónico modelo e vira-se para o futuro com uma família Defender completamente nova.

Nick Rogers, Vehicle Line Director da Land Rover, explica a importância de recriar um  dos veículos mais icónicos do mundo: “A paixão e o entusiasmo são a base de toda a relação com o Defender e isto é algo que nunca vai mudar. Com uma história que tem 68 anos, trata-se de um Land Rover que prosperou durante décadas graças à sua inquestionável capacidade e o seu design icónico. Agora, tenho a honra de ser um dos muitos entusiastas da Land Rover comprometidos com a criação de um sucessor adequado para o legendário Defender".

Para marcar este anúncio, a Land Rover criou o maior desenho na areia, jamais realizado no Reino Unido. Trata-se de um impressionante contorno do Defender com um quilómetro de comprimento, feito na praia da baía Red Wharf, em Anglesey, para o qual foi utilizada uma frota de seis veículos Land Rover. Esta original imagem é uma homenagem ao primeiro esboço do desenho do Land Rover realizado em 1947 por Maurice Wilks, Engineering Director da Rover, que propôs ao seu irmão Spencer, Managing Director da Rover, a criação de um Land Rover, na areia dessa mesma praia.

O meu pai reuniu-se com o seu irmão na praia da baía Red Wharf e fez um desenho na areia de como achava que poderia ser o Land Rover", disse Stephen Wilks, filho de Maurice. "Foi assim que tudo começou, a origem da Land Rover”, acrescenta.

A família Wilks era proprietária de terras na ilha galesa e Maurice queria um veículo versátil que pudesse servir tanto de trator ligeiro, como de todo-o-terreno. O seu desenho vanguardista foi então batizado como “Land Rover'”, definindo as bases do que hoje conhecemos como Defender.

A criação de uma imensa obra de arte temporária na baía Red Wharf implicou uma frota de seis Land Rover, cada um com um reboque agrícola de mais de 3,5 metros de largura, para desenhar a inconfundível silhueta do Defender na areia. Os veículos eleitos para esta corrida contra a maré de Anglesey representam a evolução do Defender, desde a sua apresentação, em 1948, até à atualidade.

Aos Land Rover Serie I, II e III juntaram-se um Defender 90, de início dos anos 80, um Defender 90 Hard Top e um Defender 110 Station Wagon. O Serie II pertenceu à família Wilks e, em comemoração do momento vivido pelos os seus pais, os primos Stephen e Nick Wilks, filhos de Maurice e de Spencer Wilks, participaram ativamente na criação do desenho. Ambos contribuíram no traçar na areia da linha contínua de 4,52 quilómetros de comprimento – a extensão de 1.118 unidades de Defender 90 Station Wagons - que foi apagada pela maré apenas uns minutos depois.

O evento também serviu para apresentar os novos Defender Celebration Series, três emocionantes edicões limitadas que celebram, cada uma delas, um elemento diferenciador da história única do Defender. As edições limitadas Heritage, Adventure e Autobiography contam todas elas com um motor diesel de 2.2 litros da Land Rover e estão já disponíveis para pedido*.

Land Rover Defender Limited Edition

Cada um dos três modelos ensaiados da edição limitada do Defender rende homenagem a um elemento diferenciador do caráter versátil do veículo.

"Queríamos celebrar o final da produção do Defender em Solihull com uma edição especial, no entanto, como era impossível atribuir-lhe apenas uma identidade, desenvolvemos três interpretações bastante diferentes do Defender de modo a refletir a sua força e a sua enorme versatilidade”, refere Nick Rogers. “Esta edição limitada do Defender faz com que os clientes da marca possam celebrar esta herança única todo-o-terreno da Land Rover, exigir o máximo dos modelos em termos de desempenho e design, bem como realizar os seus sonhos de aventura”.

O exclusivo Autobiography Edition estabelece novos padrões no que toca ao desempenho, luxo e comodidade graças ao seu novo equipamento, pintura exclusiva de dupla tonalidade, bancos de pele Windsor e uma potência aumentada de 122 CV para 150 CV. A exclusividade também é um elemento de série, uma vez que apenas 180 modelos do Defender Autobiography estarão disponíveis no Reino Unido e na Europa a partir de abril. Será produzido exclusivamente na versão 90 Station Wagon com um preço base de 61.500 £ *.

O Heritage Edition inspira-se nos primeiros modelos da Land Rover e combina traços de design nostálgicos com as mais recentes novidades no campo da comodidade. Esteticamente identifica-se graças à sua pintura Grasmere Green e teto branco a contrastar. O modelo Heritage também se destaca devido à sua grelha clássica e gráficos HUE 166, que relembram a matrícula da primeira reprodução da Land Rover que ficou conhecida como “Huey”. Estará disponível nos concessionários a partir de agosto com uma produção limitada de 2.654 unidades. Preços base a partir de 30.900 £ *.

O novo e apelativo Adventure Edition chegará igualmente aos concessionários a partir de agosto. O Adventure Edition destina-se aos clientes da Land Rover que gostam de aventuras ao ar livre e que queiram tirar o máximo proveito do seu Defender. O modelo encontra-se equipado com uma proteção adicional na parte inferior do chassis e pneus Goodyear MT/R para potenciar a capacidade todo-o-terreno do Defender, já por si líder no seu segmento. A decoração exclusiva e o habitáculo com acabamentos em pele asseguram o destaque do Adventure Edition dos restantes modelos Defender. Estarão disponíveis 2.277 unidades com um preço base a partir de 38.400 £ *.

Neste vídeo poderá ver a apresentação da edição limitada dos Defender e a criação por parte da Land Rover do maior desenho feito na areia, no Reino Unido: http://youtu.be/4roB2KHK3PE

Mais informações e imagens sobre a Land Rover em www.media.landrover.com

Mais vídeos em alta definição em www.broadcast.jaguarlandrover.com.

*Disponibilidade dependente de cada mercado. Preços aproximados.

 

 

 

AS EDIÇÕES LIMITADAS, AO PORMENOR.

Autobiography Edition

A exclusiva Autobiography Edition oferece mais comodidade, equipamentos e desempenho do que qualquer Defender anterior. A sua combinação única de características interiores e exteriores, bem como as cores disponíveis, fazem do Autobiography o Defender mais procurado de sempre. A produção será limitada a 180 unidades e estará disponível exclusivamente com o emblemático estilo da carroçaria 90 Station Wagon.

O aumento da potência, de 122 CV para 150 CV, faz com que o seu desemprenho corresponda ao seu design apelativo e exclusivo. A sua pintura em duas tonalidades é um dos traços que mais diferenciam o Autobiography. Além do mais, este modelo, o Defender mais apelativo fabricado até à data, disponibiliza um vasto leque de opções.

Resumo

Preço base: a partir de 61.500 £*

Data de venda: a partir de abril de 2015

Unidades disponíveis: 180

Tipo de carroçaria: 90 Station Wagon

Principais Características:

  • Aumento da potência (122 CV para 150 CV)
  • Aumento do binómio (360 Nm para 400 Nm)
  • Sete cores disponíveis para a parte inferior da carroçaria
  • Parte superior da carroçaria, porta traseira, grelha, molduras dos faróis e cavas das rodas em Santorini Black
  • Faróis dianteiros com projetor LED de sete polegadas
  • Ópticas transparentes das luzes intermitentes
  • Inscrição Defender no capot com acabamento metalizado brilhante
  • Puxadores exteriores das portas em metal/alumínio
  • Tampa do depósito de combustível em metal
  • Degraus laterais
  • Proteção inferior para o cárter do motor
  • Bright Pack (ópticas transparentes e luzes LED de indicador)
  • Jantes de liga leve Gloss Black Sawtooth de 16 polegadas
  • Pneus Goodyear MT/R
  • Emblema Autobiography
  • Painel de informação central em Santorini Black
  • Revestimento interior completo em pele Windsor, incluindo o revestimento do tejadilho em Ebony ou Ivory
  • Bancos de pele semi-anilina Premium com costura dupla em contraste e logo Autobiography em relevo
  • Botão para bloqueio das portas, puxadores das portas e entradas de ar em alumínio
  • Placa de instruções para o bloqueio do diferencial com acabamento brilhante mecanizado/esmaltado
  • Tapetes exclusivos
  • Embelezadores metalizados nos suportes para copos

*Disponibilidade dependente de cada mercado. Preços aproximados.

 

Heritage Edition

A Heritage Edition evoca a história do Defender como uma interpretação moderna do famoso HUE 166 Land Rover, o primeiro veículo da Série I em reprodução que data de 1947, apelidado de “Huey”. Os admiradores deste clássico vão apreciar a pintura metalizada Grasmere Green, o tecto Alaska White, a grelha fiel ao estilo clássico, as molduras dos faróis dianteiros e as jantes de aço altamente resistentes. De entre outros detalhes que relembram o passado e que diferenciam o Heritage destacam-se o para-choques dianteiro metalizado com molduras pretas, as ópticas transparentes das luzes intermitentes e as dobradiças Indus Silver. Sobressaem igualmente as cavas das rodas da cor da carroçaria e os guarda-lamas com o logotipo do Heritage.

No exterior, o toque final é dado pela inscrição de alumínio, de estilo clássico, na grelha dianteira e na porta traseira, inspirada nos designs adaptados aos modelos da série I e II. Os evocadores gráficos do HUE 166 complementam as aletas dianteiras.

Enquanto o exterior rende homenagem aos primeiros Land Rover, o Heritage Edition conta com um conjunto de comodidades modernas e luxuosos acabamentos interiores, como é o caso da utilização de pele perfurada na parte exterior do volante e na manete das mudanças; o acabamento em alumínio brilhante das entradas de ar, dos puxadores e fechaduras das portas; os assentos estofados em Almomd Resolve Cloth com o logotipo Heritage e os dísticos que evocam o HUE 166.

Os tapetes resistentes de borracha e o compartimento almofadado entre os assentos dianteiros fazem com que o Heritage Edition seja tão funcional como único.

Os modelos Heritage Edition estarão disponíveis com carroçarias 90 e 110. Com uma produção estimada de 2.654 veículos, esta edição limitada será certamente muito solicitada.

 

Resumo

Preço base: a partir de 30.900 £ *

Data de venta: a partir de agosto de 2015

Unidades disponíveis: 2.654

Tipo de carroçaria: 90 Hard Top, 90 Station Wagon, 110 Utility Wagon, 110 Station Wagon

Principais Características:

  • Pintura metalizada Grasmere Green com cavas das rodas da cor da carroçaria
  • Tecto Alaska White único
  • Para-choques dianteiro cromado com tampas pretas
  • Grelha e molduras dos faróis dianteiros de estilo clássico
  • Jantes de aço de alta resistência da cor da carroçaria
  • Ópticas transparentes das luzes intermitentes
  • Dobradiças das portas Indus Silver
  • Inscrições de estilo clássico
  • Guarda-lamas com o logotipo do Heritage
  • Gráficos HUE 166
  • Relógio e biséis das entradas de ar com acabamento em alumínio brilhante
  • Puxadores interiores e fechos das portas em alumínio
  • Acabamentos em pele perfurada na parte exterior do volante, manete das mudanças e travão de mão
  • Assentos estofados em Almomd Resolve Cloth com as partes laterais e traseiras em Ebony Vinyl, com dísticos HUE
  • Compartimento almofadado com tampa estofada em Almond Cloth
  • Tapetes de borracha com o logotipo Heritage

*Disponibilidade dependente de cada mercado. Preços aproximados.

Adventure Edition

O Defender contribuiu para reforçar as credenciais da Land Rover como o melhor veículo de expedição, e a Adventure Edition foi concebida para os clientes nascidos para explorar.

Para melhorar as já por si impressionantes referências todo-o-terreno do Defender, a Adventure Edition inclui uma nova proteção inferior do chassis para os estribos laterais e cárter do motor, enquanto os pneus Goodyear MT/R garantem uma máxima tração e aderência.

A Adventure Edition vai estar disponível em três apelativas cores metalizadas: Corris Grey, Yulong White e Phoenix Orange. Nos três casos, obtém-se um contraste com a pintura Santorini Black da grelha e respetiva moldura, capot, teto e porta traseira, para além das molduras dos faróis dianteiros e das cavas das rodas.

Os faróis dianteiros com projetor LED de sete polegadas, as ópticas transparentes das luzes intermitentes dianteiras e as jantes de liga leve de raio duplo com acabamento Gloss Black distinguem o modelo, inspirado nas expedições. Os ailerons dianteiros destacam os dísticos 90 e 110.

O modelo sobressai igualmente pela comodidade do seu interior, onde a Adventure Edition promete proporcionar um excelente abrigo contra os elementos. Os assentos Premium em pele Windsor disponíveis em quatro cores, os acabamentos em pele perfurada e as costuras duplas em contraste são pormenores que dão um toque de luxo ao habitáculo. Estes pormenores ficam completos com os acabamentos em pele perfurada na parte exterior do volante, manete das mudanças e travão de mão e acabamentos interiores em alumínio brilhante.

Os acabamentos em Windsor de elevada qualidade também estão presentes no painel de instrumentos, nas portas e nos apoios dos braços. Os pormenores dos estofos em Ebony e os tapetes à medida completam o look deste modelo.

Resumo

Preço base: a partir de 38.400 £*

Data de venda: a partir de agosto de 2015

Unidades disponíveis: 2.277

Tipos de carroçaria: 90 Hard Top, 90 Station Wagon, 100 Utility Wagon, 110 Station Wagon

Principais Características:

  • Pintura Corris Grey, Yulong White ou Phoenix Orange
  • Grelha, cavas das ridas, capot, teto e porta traseira em Santorini Black “Adventure”
  • Faróis dianteiros com projector LED de sete polegadas
  • Ópticas transparentes das luzes intermitentes
  • Proteção inferior para o cárter do motor e estribos
  • Inscrição no capot Atlas “Defender”
  • Jantes de liga leve de raio duplo com acabamento Gloss Black
  • Pneus Goodyear MT/R com letras em branco
  • Bright Pack
  • Dísticos nos ailerons frontais
  • Acabamentos em pele Windsor
  • Painel de instrumentos dianteiro em Windsor
  • Painéis das portas com acabamentos em pele
  • Relógio e biséis das entradas de ar com acabamento em alumínio brilhante
  • Puxadores interiores e fechos das portas em alumínio
  • Pedais de borracha com acabamento brilhante
  • Consola central Santorini Black
  • Volante totalmente revestido em pele
  • Acabamentos em pele perfurada na parte exterior do volante, manete das mudanças, travão de mão e puxadores
  • Estofos em Ebony Alston
  • Tapetes com o logotipo Heritage

*Disponibilidade dependente de cada mercado. Preços aproximados.

 

 

LR DEF_LE_Group_RWB_070115_03_CopyLR DEF_RWB_Behind_The_Scenes_070115_11_CopyLR DEF_RWB_Drawing_In_The_Sand_070115_01_CopyLR DEF_RWB_Nick_Stephen_Wilks_070115_01_Copy

LAND ROVER

Desde 1948 que a Land Rover fabrica veículos 4x4 que definem na perfeição todas as características que representam este setor. Defender, Freelander, Discovery, Range Rover Sport, Range Rover e Range Rover Evoque definem fielmente todas as gamas do setor 4x4. Atualmente, os veículos Land Rover são vendidos em cerca de 170 países.

 

SESSENTA E SETE ANOS DE LAND ROVER

Desde as nossas origens, o desejo de criar um veículo capaz de enfrentar qualquer tipo de terreno tornou a Land Rover famosa em todo o mundo. Durante os últimos 67 anos, a família Land Rover foi crescendo até criar veículos sem igual e que presentemente batem todos os recordes de venda. O Defender é um dos primeiros modelos que saíram da linha de montagem de Solihull em Lode Lane, Birmingham.

 

CRONOLOGIA

1947        Aprovação do projeto Land Rover

1948        Apresentação da Land Rover no Salão Automóvel de Amesterdão de 30 de abril

1948        Introdução do primeiro modelo Station Wagon

1949        O exército britânico adquire os seus primeiros Land Rover

1950        O sistema 4x4 de roda livre é substituído por uma tração opcional de duas ou quatro rodas

1953        É apresentado o modelo com grande distância entre eixos

1957        Introdução do motor diesel

1958        A Série II da Land Rover é apresentada com um estilo mais refinado

1959        Produção do veículo número 250.000

1961        Série IIA com motor diesel 2.25

1966        Produção do veículo número 500.000

1968        Os faróis são transferidos para os ailerons dianteiros

1970        Melhor ano de vendas, com 56.663 veículos vendidos

1971        É apresentada a Série III Land Rover; produção do veículo 750.000

1976        Construção do Land Rover número 1.000.000

1979        É introduzida a opção do motor V8 no mês de março

1983        Land Rover introduz os amortecedores em espiral com One Ten

1984        Apresentação do Land Rover Ninety

1990        Os Land Rover voltam ao mercado com novos nomes: Defender 90, 110 e 130. Com um novo motor diesel sobrealimentado de injeção direta de 2.5 litros

1992        Fundação da Land Rover North America com uma edição limitada de 500 veículos Defender 110 com motor V8 de 3.9 litros

1993        A Land Rover North America apresenta com êxito o Defender 100 e posteriormente o Defender 90 soft top

2007        O Defender sofre grandes alterações com especial destaque para a caixa de seis velocidades

2012        O novo motor diesel de 2.2 litros substitui o de 2.4 litros

2013        LXV Special Edition celebra os 65 anos da Land Rover

 

SAND IN YOUR EYE

A ‘Sand In Your Eye’ é especializada na realização de desenhos e esculturas únicas utilizando gelo e areia. Desde o famosos hotel de gelo na Finlândia até à construção dos enormes Land Rover na baía Red Wharf, Jamie Wardley e a sua equipa viajam pelo mundo para dar forma a obras de arte sem igual utilizando apenas areia e água. Antes da desmontagem dos Land Rover, para melhor estudar a estrutura dos Defenders, os artistas da ‘Sand in Your Eye’ fizeram o seu projeto utilizando a tecnologia GPS.

 

DESENHO DE 1 KM NA AREIA – PORMENORES DOS VEÍCULOS

  • 1951 Série I, YFO 914, 80 polegadas, motor gasolina 2.0 litros
  • 1965 Série II, motor gasolina 2.25 litros. Pertencente a Spencer Wilks e utilizado no seu local de férias na ilha de Islay, Escócia, GXC 639C
  • 1980 Série III, Station Wagon, 109 polegadas, 2.286 cc gasolina, MJP 936 W
  • 1984 Ninety Truck Cab, 2.286 cc gasolina B540 LPD
  • 2011 110 Station Wagon, motor diesel 2.4 litros, VX61 BVN
  • 2014 90 Hard Top. Motor diesel 2.2 litros, VN14 EYR

 

MAURICE WILKS

Maurice Wilks é conhecido como uma das mentes responsáveis pela criação do projeto que culminou no crescimento da Land Rover. Em 1930, Maurice Wilks entrou para a Rover como Chief Engineer, onde trabalhava juntamente com o seu irmão Spencer, tendo chegado a Engineering Director. Depois da Segunda Guerra Mundial, Maurice Wilks pensou num potencial veículo agrícola que pudesse ser conduzido nos terrenos e nas estradas.

 

No começo de 1947, reuniu-se com o seu irmão Spencer (Managing Director da Rover) para conciliar ideias e projetar um veículo polivalente com tração às quatro rodas na areia da baía de Red Wharf. A história terminou com o lançamento repleto de êxito do primeiro Land Rover no Salão Automóvel de Amesterdão de 30 de abril.

 

Maurice supervisionou todo o trabalho de engenharia levado a cabo para dar início à fase de produção em 1948. Posteriormente, foi promovido a presidente da Rover após a aposentação do seu irmão em 1962. Faleceu, ainda em funções, no dia 8 de setembro de 1963, na sua casa de Anglesey.

 

STEPHEN E NICK WILKS

Enquanto Stephen Wilks desenvolveu a sua carreira à margem da Land Rover, o filho de Spencer Wilk, Nick Spencer, trabalhou para a empresa entre 1954 e 1967. Entrou como aprendiz e trabalhou durante 30 meses na Rover North America, em Toronto, Canadá, como engenheiro especializado.

 

VISITA À LINHA DE PRODUÇÃO DO DEFENDER E EXPOSIÇÃO COMEMORATIVA

A Land Rover apresentou a sua nova atração para os visitantes da sua fábrica de Lode Lane, em Solihull. Trata-se de uma visita guiada à atual linha de produção do Defender durante a qual os visitantes têm contacto com o processo de produção. Por outro lado, a emocionante exposição “Celebration Line” transporta os visitantes até 1948.

O preço de cada bilhete é de 45£ por pessoa e são distribuídos por ordem de chegada. Para agendar uma visita à sede da lenda da Land Rover, ligue para +44 0 121 700 4619

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

SOUSA MANTÉM 9ª POSIÇAO NO DAKAR

 

Carlos Sousa mantém 9º lugar da geral apesar dos vários contratempos na especial de hoje

 

Depois da dura especial de ontem, a mais longa desta edição, esperava-se que este terceiro dia de Dakar permitisse aos concorrentes recuperar algum do esforço despendido na véspera… Contudo, apesar da menor quilometragem do troço cronometrado, a jornada que hoje se concluiu em Chilecito, numa das mais belas regiões da Argentina, foi tudo menos um passeio para as duas duplas da Mitsubishi Petrobras, que enfrentaram vários contratempos e dificuldades ao nível da navegação.

Completando a especial na 18ª posição, Carlos Sousa e Paulo Fiuza tiveram um dia para esquecer, acumulando 24m de atraso para os mais rápidos a completar os 284 km do troço cronometrado.

"Era uma especial muito rápida e cometemos um ligeiro erro no percurso. Quando procurávamos um caminho alternativo, acabámos por ficar com o carro atolado. Só depois de várias tentativas e com a ajuda das pranchas conseguimos retirar o carro e retomar a prova, perdendo bastante tempo. Foi pena, mas são situações que acontecem num Dakar”, lamentou Carlos Sousa.

 

Apesar deste contratempo, a dupla portuguesa mantém-se entre os 10 melhores da classificação geral, segurando o 9º lugar alcançado após a etapa da véspera. “Ainda há muita corrida pela frente e a passagem para o Chile vai seguramente proporcionar muitas alterações na classificação. Temos ainda alguma margem para evoluir, mas precisamos de fazer algumas melhorias na suspensão do carro”, completou.

"Amanhã teremos a primeira etapa com areia e dunas. É uma especial que faz parte de todos os Dakar na América do Sul e é sempre uma caixinha de surpresa", antevê o navegador Paulo Fiuza.

 

No que se refere à outra dupla da Mitsubishi Brasil, Guilherme Spinelli e Youssef Haddad começarem o dia da melhor forma, só que viriam depois a enfrentar uma sucessão de problemas durante a especial, perdendo mais de 2 horas e caindo para o 31º lugar da geral:

“Hoje tudo aconteceu. Furámos, enganámo-nos no percurso e, a cerca de 120 km do final, partimos o apoio da suspensão dianteira. Foi uma sucessão de infelicidades”, desabafou Guiga Spinelli.

 

 

CLASSIFICAÇÃO - ETAPA 3

1º Terranova/Graue                MINI               2h57m28s

2º De Villiers/Von Zitzewitz    Toyota                       + 1m54s

3º Alrajhi/Gottschalk               Toyota                       + 2m52s

4º Sainz/Cruz                            Peugeot          + 4m06s

5º Al-Attiyah/Baumel               MINI               + 4m18s

(…)

18º SOUSA/FIUZA                   Mitsubishi    + 24m06s

64º SPINELLI/HADDAD         Mitsubishi    + 2h03m07s

 

GERAL - APÓS ETAPA 3

1º Al-Attiyah/Baumel               MINI               9h21m26s

2º De Villiers/Von Zitzewitz    Toyota                       + 5m18s

3º Terranova/Graue                MINI               + 18m05s

4º Sainz/Cruz                            Peugeot          + 19m32s

5º Alrajhi/Gottschalk               Toyota                       + 20m08s

(…)

9º SOUSA/FIUZA                     Mitsubishi    + 41m52s

31º SPINELLI/HADDAD         Mitsubishi    + 2h38m13s

 

 

A ETAPA DE AMANHÃ

 

Etapa 4: Chilecito – Copiapó (Chile)

Total: 909 km

Especial: 315 km

É o dia de entrada no Chile. Um início madrugador e uma subida até aos 4.800m de altitude precedem a passagem da fronteira no Paso de San Francisco. A parte competitiva levará os concorrentes até ao Deserto do Atacama e às gigantescas dunas de Copiapó, nos derradeiros 40 km da especial.Carlos Sousa_Paulo_Fiuza_01_CopyCarlos Sousa_Paulo_Fiuza_CopyCarlos Sousa_Paulo_Fiuza_02_Copy

 

JACINTO EXEMPLAR NAS DUNAS

 

Elisabete Jacinto exemplar nas dunas da Mauritânia foi 4ª entre os camiões

A piloto portuguesa Elisabete Jacinto concluiu hoje na quarta posição entre os camiões aquele que foi o maior sector selectivo deste Africa Eco Race 2015. Foram cumpridos 433 quilómetros cronometrados, entre Chami e Azougi, na Mauritânia, de uma especial particularmente difícil para os pesados T4.

As passagens por pistas de areia mole foram uma constante, fator que impediu a equipa portuguesa de imprimir um ritmo mais eficaz que, por norma, conseguem alcançar. Ainda assim, equipa OLEOBAN® formada por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho terminou a sétima especial do rali em 5h38m59s assegurando a oitava posição da tabela conjunta auto/camião da corrida que, à geral, é liderada pelo russo Anton Shibalov, piloto da equipa da KAMAZ.

Apesar das dificuldades, Elisabete Jacinto, que em edições anteriores desta grande maratona africana sempre teve complicações neste género de percurso, revela que esta jornada foi notável: “quando entramos no deserto da Mauritânia já sabemos que as pistas de areia mole não nos vão dar tréguas. Mas, apesar de ter sido um dia duríssimo, correu-nos tudo lindamente. Hoje andámos por zonas de dunas muito complicadas de transpor. No entanto, conseguimos passar por todas de forma impecável e sem perder tempo. Posso até dizer que foi uma etapa inédita”, contou a piloto da equipa OLEOBAN® que acrescentou “nunca tínhamos passado por esta região sem agarrar na pá e hoje não gastámos um único segundo a cavar. Rolámos na velocidade máxima que conseguimos, tendo em conta o piso pouco favorável para as características do nosso camião, e estamos bastante satisfeitos com a nossa prestação”, disse no final da etapa.

Amanhã cumpre-se o oitavo dia de corrida do Africa Race 2015 e será, sem dúvida, um dos mais recordados de todo o rali. A etapa é 100% nova e começa e termina no mesmo local: Azougi. Com um setor seletivo de 358 quilómetros a jornada não será fácil. As pistas de areia vão dominar o percurso que leva os concorrentes a locais emblemáticos tais como Adrar na proximidade de Chingetti e Ouadane. dureza do_africa_eco_race_deixa_os_pilotos_extenuados_Copyelisabete jacinto_e_os_pilotos_da_equipa_russa_kamaz_Copyman tgs_da_equipa_oleoban_ultrapassou_duras_pistas_de_areia_do_deserto_da_mauritania_Copy
 

INDY EM BRASILIA

Carsten Horst/Fotoarena
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Largada da Indy no Anhembi: em 2015, prova será em Brasília
Alta | Web

 

Carsten Horst/Fotoarena
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Largada da Indy no Anhembi: em 2015, prova será em Brasília
Alta | Web

Indy abre venda de ingressos para estreia histórica em Brasília

Primeira prova da categoria na Capital Federal acontece dia 8 de março

Já estão a venda os ingressos para a Brasília Indy 300, quinta edição da etapa brasileira da Fórmula Indy. Quem se antecipar poderá adquirir passes com as tarifas especiais do pacote promocional lançado nesta terça-feira (06/01), com preços iniciando em apenas R$ 70 para o Setor A. Com quantidade de ingressos limitada, os valores do lote promocional equivalem aos de meia-entrada; ou seja, custam 50% do que será cobrado quando for lançado o segundo lote de ingressos, que terá valores integrais.

Compra de ingressos pela internet podem ser feitas na página www.livepass.com.br/indy. Uma relação de postos físicos de venda estará disponível no endereço www.livepass.com.br/pontos-de-venda a partir desta quarta-feira (7). Uma opção para não pagar taxa de conveniência é fazer a aquisição no Brasília Shopping - veja o endereço completo abaixo. A venda no shopping também terá início nesta quarta-feira.

Neste primeiro lote promocional, os valores para os dez setores espalhados pelo Autódromo Internacional Nelson Piquet, na Capital Federal, variam de R$ 70 (preço da meia-entrada e do ingresso promocional no setor A) a R$ 150 (setores E, I e J). Conforme forem se esgotando a cota de ingressos promocionais de cada setor, passarão a vigorar automaticamente os valores do segundo lote.

Treinos estão inclusos no pacote - Quem comprar o ingresso para a corrida, que será realizada em 8 de março, o segundo domingo do mês, terá também direito de assistir aos treinos oficias agendados para sexta-feira (6) e as tomadas de tempo, marcadas para o sábado (7).

A Brasília Indy 300 será a etapa de abertura da temporada 2015 da Fórmula Indy. A grande novidade para este ano é justamente a realização da prova no autódromo da Capital Federal - e não mais em um traçado de rua. Até 2013, quando foi disputada a quarta edição da prova no Brasil, as corridas aconteceram no Circuito do Anhembi, na Zona Norte da cidade de São Paulo. Dois brasileiros estão confirmados: o atual vice-campeão Helio Castroneves, pela Penske, e Tony Kanaan, sétimo colocado em 2015, que defenderá a Chip Ganassi. Confira os valores das entradas e os locais de venda.

Valores do lote promocional, equivalente ao custo de meia-entrada (50% do preço normal). Taxa de conveniência não inclusa:

Setor A:
R$ 70
Setor B: R$ 80
Setor C: R$ 85
Setor D: R$ 85
Setor E: R$ 150
Setor F: R$ 85
Setor G: R$ 85
Setor H: R$ 85
Setor I: R$ 150
Setor J: R$ 150





 

 

PAULO GONÇALVES MANTÉM 2º LUGAR

 

Paulo Gonçalves mantém segundo lugar e luta pela vitória no Dakar 2015

Piloto português continua a primar por uma corrida sólida em busca de um resultado no pódio final da edição de 2015 do Rali Dakar

Paulo Gonçalves segurou hoje na terceira etapa do Dakar 2015 a segunda posição da tabela geral classificativa, depois de ter sido o quinto mais rápido na tirada cronometrada entre San Juan e Chilecito, na Argentina. O piloto português, oficial Honda na competição, mantém-se na luta pela vitória, cabendo a liderança provisória à sua equipa pelas mãos de Joan Barreda.

A terceira etapa da edição de 2015 do Rali Dakar apresentou aos concorrentes uma “especial” cronometrada dotada de 220 quilómetros em percursos sinuosos, cercados de muita pedra, com Paulo Gonçalves a impor um ritmo cauteloso que lhe valeu o quinto tempo mais rápido, a 2m49s do vencedor.

“Continuamos na luta, está a ser um bom rali. Muito difícil, exigente, mas tanto eu como a minha Honda CRF 450 Rally temos estado à altura. Estamos na liderança, o Barreda está a fazer um excelente trabalho, eu igual, estou em segundo, se conseguirmos continuar assim até ao fim será um excelente resultado”, afirmou Paulo Gonçalves no final da etapa.

Com dois segundos lugares e um quinto tempo nas “especiais” cronometradas do Dakar 2015, Paulo Gonçalves é para já um dos melhores pilotos em prova, também melhor português, ostentando o segundo lugar a 5m33s de Barreda.

Chegados à altitude, momento que Paulo Gonçalves anteviu como um dos principais destaques da 37.ª edição do Rali Dakar, a quarta etapa terá um total de 909 quilómetros de extensão até à chegada ao Chile, em Copiapó, dos quais 315 por troços cronometrados, e passagem pelo imponente Atacama.

Acompanhe Paulo Gonçalves em www.facebook.com/PauloGoncalvesFansPage.Paulo Gonalves_Dakar_2015_06_de_Janeiro_de_2015_1_CopyPaulo Gonalves_Dakar_2015_06_de_Janeiro_de_2015_2_Copy

 

KARTING NO BRASIL

 

Fisk aposta em diversidade no marketing esportivo

 

Além do já conhecido patrocínio a times de futebol, rede também apoia jovens pilotos de kart que vêm se destacando no cenário nacional e internacional

Pioneira no patrocínio esportivo, tendo apoiado desde a década de 1970 diversos times do futebol brasileiro, corridas de rua, vôlei de praia, e outras modalidades, a Fisk também enxerga positivamente esportes não tão difundidos no Brasil, entre eles o automobilismo. Desde 2012, a marca apoia os pilotos Rafa Martins e Pedro Sanchez, jovens com uma carreira promissora na modalidade – e que já começaram a levar o Brasil e a marca Fisk para o pódio.

“Todo esporte está ligado à disciplina, componente importante para a educação – foco da Fundação Fisk. Apoiar quem está no começo da carreira é uma forma de mostrar que acreditamos no futuro do país e na força e determinação dos nossos jovens”, explica Christian Ambros, Diretor de Marketing da Fisk.

 

Em 2015, Rafa Martins levará a marca Fisk para a Europa, na transição do Kart para os Campeonatos de Fórmula.  O piloto, de 15 anos, disputará a Fórmula 4 Italiana. Já Pedro Sanchez representou pela primeira vez, em 2014, o Brasil em uma competição internacional na Argentina. Também foi campeão da Copa São Paulo de Kart na categoria ROTAX MAX.

 

O patrocínio aos dois pilotos já foi renovado para 2015. “Apostamos na diversidade para levar nossa marca a todos os cantos do país e exterior”, finaliza Ambros.

 

Sobre a Fisk

A Fisk é uma das maiores redes independentes de centros de ensino do Brasil, com mais de 1.000 escolas em funcionamento, sendo 31 próprias e 971 franqueadas, espalhadas por todos os estados e pelas principais cidades brasileiras, além de unidades em Angola, Argentina, Bolívia, Chile, Japão e Paraguai. Com metodologia própria, as escolas da rede Fisk oferecem cursos de inglês, espanhol, português para brasileiros e informática; promovem intercâmbios para o Canadá e Londres; aplicam exames de certificações internacionais como TOEIC®, TOEFL® ITP e TOEFL® iBT. A Fisk é a única franqueadora da área de educação que recebeu duas vezes o título de Franqueadora do Ano da Associação Brasileira de Franquias (ABF). É a primeira empresa do setor de idiomas a contar com gráfica própria, produzindo 500 mil livros em parque gráfico de 5.000 m², a Support, onde trabalham cerca de 200 funcionários e com produção voltada exclusivamente para atender às demandas da Fundação.

Criada em 1958 pelo americano Richard Hugh Fisk, a rede já formou desde então mais de 15 milhões de alunos.

Para mais informações sobre cursos e escolas, acesse o site http://www.fisk.com.br/">www.fisk.com.br ou ligue grátis para 0800 773 3475.Pedro Sanchez_conta_com_o_patrocnio_da_Fisk_CopyRafa Martins_conta_com_patrocnio_da_Fisk_Copy

 

NOVO LEXUS GS F

 

Novo Lexus GS F

# Segundo modelo de elevadas performances F #

• Sedan luxuoso disponibilizando performance e agilidade de um desportivo
• Motor V8 de 5 litros capaz de produzir 473 CV e binário de 527 Nm
• Combinação de ciclos de combustão Otto e Atkinson para elevada potência e baixo consumo de combustível
• Tracção traseira com diferencial com vectorização de binário disponível para uma dinâmica ainda mais apurada

A Lexus volta a reforçar a gama de desportivos ao anunciar, o muito esperado, Lexus GS F, um sedan de elevadas performances a ser revelado no Salão Norte Americano 2015, no próximo dia 13 de Janeiro, no espaço Lexus situado no Centro Cobo, em Detroit. O novo GS F, desenvolvido sob a filosofia de elevadas performances é o último Lexus F, após a apresentação do coupé RC F. A apurada dinâmica deste novo modelo encontra-se aliada a uma carroçaria sedan de quatro portas, que proporciona a todos os passageiros conforto, luxo e refinamento.

Apesar do GS F partilhar a mesma plataforma que o GS existem melhorias significativas para acompanhar as performances do novo motor. Por baixo do capô encontra-se um bloco atmosférico, V8, de 5 litros que produz 473 CV às 7100 rpm e desenvolve um binário de 527 Nm entre as 4800 e 5600 rpm. Este sofisticado motor possibilita o funcionamento sob dois tipos de ciclo de combustão, o Otto e Atkinson, privilegiando-se a performance ou a eficiência de combustível. Acompanhando as performances deste motor V8 encontra-se a rápida caixa de velocidades de 8 relações, com possibilidade de se optar por comando automático ou sequencial.

O inovador diferencial Lexus com vectorização de binário (TVD), presente no RC F, vai fazer parte da longa lista de equipamento de série do novo GS F, colocando a dinâmica noutro nível.

O TVD permite três modos de operação:

Standard – (selecionado por defeito) proporciona um equilíbrio entre agilidade e estabilidade 
Slalom - privilegia as rápidas mudanças de direção apurando o GS F dinamicamente
Track - reforça a capacidade de tração em curvas a alta velocidade e a estabilidade

O novo Lexus GS F possui uma carroçaria bastante rígida e uma suspensão otimizada para lidar com as elevadas performances dinâmicas, sem prejudicar o conforto a bordo. Os condutores vão apreciar a estabilidade e suavidade do GS F em longas tiradas de autoestrada, assim como, a sua capacidade de devorar curvas em estradas de montanha ou em circuito. O novo GS F é também um automóvel muito equilibrado e com uma dupla personalidade, seja para conseguir a volta mais rápida no circuito ou durante a sua utilização no dia-a-dia.

Com apenas 1830 Kg de peso o novo Lexus GS F é um dos mais baixos entre a concorrência.
Especificações preliminares:

Comprimento

4,915 mm

Largura

1,845 mm

Altura

1,440 mm

Dist. entre eixos

2,850 mm

Vias (Fr/Tr)

1,555 mm/1,560 mm

Peso

1,830 kg

Pneus

255/35R19(Fr) / 275/35R19(Tr)Novo-Lexus-GS20F-001 CopyNovo-Lexus-GS20F-002 CopyNovo-Lexus-GS20F-003 CopyBosch CES_2015_07_Copy

 

CES 2015 EM LAS VEGAS

 

CES 2015, Las Vegas (06-09 janeiro)

Bosch apresenta soluções inteligentes para mundo interligado

 

„ Bosch CES_2015_01_CopyBosch CES_2015_02_CopyBosch CES_2015_03_CopyBosch CES_2015_04_CopyBosch CES_2015_05_CopyBosch CES_2015_06_Copy

O mundo está cada vez mais interligado e, por vezes, temos a sensação de que a internet e a globalização têm vindo a desenvolver uma dinâmica própria. Empresas como a Bosch podem ajudar a moldar este desenvolvimento, e é por isso que no International Consumer Electronics Show 2015 (CES), a Bosch vai apresentar soluções inteligentes criadas para permitir que os consumidores tenham uma vida mais conveniente, eficiente e segura. Estas soluções sustentáveis para a criação de um mundo interligado vão desde a gama de sensores inteligentes até soluções de energia inteligente, desde a mobilidade elétrica à condução autónoma, desde softwares inteligentes a cidades inteligentes, desde telemática até à termotecnologia ou de eletrodomésticos a ferramentas elétricas.

 

A conversão de energia é a principal área de expertise da Bosch. A Bosch oferece aos proprietários de habitações comerciais e residenciais pacotes que combinam tecnologia e serviços. As soluções da Bosch ligam e controlam de forma inteligente a produção e o consumo de energia e de aquecimento, o que torna o fornecimento de energia ainda mais inteligente, eficiente e descentralizado.

 

A experiência da Bosch abrange várias áreas. O know-how dos seus sistemas técnicos é a base dos sistemas de aquecimento e de controlo de segurança. A empresa também oferece softwares e tecnologia de sensores, bem como serviços de gestão de energia, monitorização remota, e a operacionalização dos processos de negócio, o que permite aos clientes uma utilização mais eficiente da energia e dos recursos, bem como uma redução de custos. A internet das coisas torna possível que os dispositivos e sistemas dos edifícios comuniquem entre si.

 

Em 2015, a Bosch espera que cerca de 75 por cento da população mundial tenha acesso à internet. Ao mesmo tempo, 6 mil milhões de coisas vão estar ligadas à internet, o que trará, nos próximos anos, grandes mudanças no mercado da energia e da tecnologia de construção, abrindo um caminho para novos serviços e modelos de negócios. A Bosch conta com uma experiência considerável neste domínio, por exemplo, através da venda de 50 mil sistemas de aquecimento em rede. A divisão Bosch Security Systems gera mais de metade das suas vendas no segmento de vídeovigilância, com as suas câmaras com acesso à Internet.

 

 

DAKAR 2015 - CARLOS SAINZ TEVE PROBLEMAS

DAKAR 2015

 

CARLOS SAINZ COM PROBLEMAS

 

Na etapa de ontem do Dakar, Carlos Sainz, teve problemas no seu Peugeot, tendo de esperar pela assistência, tirando-o rápidamente do top ten em que se encontrava.Esta manha, o piloto espanhol partiu para a etapa, mas muito cá para trás, vamos ver como é que o binómio Sainz/Peugeot se iráo comportar para tentar recuperar o tempo perdido.sainz1 Copysainz2 Copy

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

7 de janeiro de 2015

Dili

Da fronteira até Dili são pouco mais de cem quilómetros de uma estreita estrada em grande parte alcatroada mas em muito mau estado. Estão a repará-la mas parecem alcatroar de novo um pequeno troço de 500 metros, depois passam a alcatroar outro a uns quilómetros de distancia e assim por diante com os intervalos em terra, já com o alcatrão arrancado e obviamente com buracos e lama. Demorei duas horas e meia a percorrer os cerca de 120 Km.
Quando encontrei a primeira bomba de gasolina, já perto da cidade, o depósito estava praticamente seco embora pelo caminho tivesse visto vendedores locais com garrafas de água cheias de gasolina expostas à beira da estrada. Quis evitá-las mas numa emergência não seria a primeira vez que a “Cross Tourer” bebia daquilo.
Em Timor Leste a moeda utilizada é o Dólar Americano embora os pequenos trocos sejam pagos em moeda local, que não seve para grande coisa.
Chegado à cidade passei junto ao pequeno aeroporto, que é praticamente dentro da cidade, e pouco depois, do lado direito, na marginal, temos o Palácio do Governo vindo do tempo colonial e das poucas construções bem conservadas ou, provavelmente, reconstruído depois da guerra.
Fui direito à embaixada portuguesa porque a minha ideia era pedir ao embaixador para lá guardar a moto até tratar do seu transporte para a Austrália.
O porteiro disse-me que tinham saído todos para almoçar e só regressavam às duas. Parti então procurar onde ficar. Precisava de resolver a estadia e o transporte da moto em 24 horas, para além  de arranjar um ou vários voos que me levassem a Bangkok até à noite do dia seguinte, pois tinha o regresso a Portugal marcado para as duas da manhã a partir da capital Tailandesa.
 Tinha visto um Hotel Dili que não tinha mau aspecto sem ser de luxo e portanto estaria dentro do meu orçamento mas, quando o procurava, passei pelo Hotel Timor, de que já tinha ouvido falar e bastante melhor. Parei a moto e fui perguntar o preço do quarto. Na recepção falaram-me em 135 dólares. Era muito para o meu “budget” e perguntei o que aconselhavam a metade do preço. Antes do recepcionista responder um português, que vinha a passar no Hall, apresentou-se como diretor do Hotel e perguntou se era eu que vinha na moto. Ao confirmar disse-me que tinha que lá ficar e ofereceu-me o quarto por metade do preço.
Mais tarde, muito simpaticamente, disse-me que a moto poderia ficar guardada no Hotel até ao embarque para a Australia e que, sendo feriado no país, poderia ir comigo no dia seguinte à empresa de navegação tratar do seu transporte.
Em meia hora tinha quase todos os meus problemas resolvidos. Faltavam os voos para Bangkok que consegui depois do almoço na Internet.
Da parte da tarde, nas traseiras do Hotel, estive a tratar de lavar o moto o mais pormenorizadamente possível assim como todo o equipamento que cá deixava pois tanto a embaixada Australiana em Lisboa como outras pessoas me tinham avisado que, quando a moto entrasse no país teria que ir lavada ao pormenor. Acho que não ficou mal.
Na manhã da partida acordei cedo e, antes de ir com o diretor do Hotel à companhia de navegação, ainda estive a lavar o fato, botas e capacete, que  viajam com a moto.
E assim acabou mais uma etapa desta viagem à volta do mundo. Espero que tenham gostado de a acompanhar. Quando regressar para a próxima etapa irei percorrer a Australia, Nova Zelandia, Japão e Estados Unidos.

 

JOAQUIM RINO CONTINUA A AGUARDAR

JOAQUIM RINO CONTINUA A AGUARDAR RESPOSTA DA DEMOPORTO

 

 

Depois do incêncio ocorrido no BRC na  derradeira rampa da Penha em Guimarães, , ultima prova a contar para o Campeonato Nacional de Montanha, a Demoporto abriu um inquérito p'ara apurar as causas do acidente  que vitimou o carro de RINO1 CopyRINO2 CopyRINO3 CopyRINO4 Copy Joaquim Rino.Segundo o piloto da Batalha " estou surpreso, pois nesse fim de semana maldito, a organização informou-me que iria ser feita uma comissão de inquérito, e que num espaço dum mês, iria receber uma resposta com as conclusões.Acontece que até hoje nada recebi, e mais nem sequer vi qualquer tipo de informação sobre tudo isto na imprensa, o que me deixa muito surprendido.Por isso vou esperar mais uns dias, e caso não receba nenhuma informação, irei falar com o meu advogado, para depois começar a apurar responsabilidades sobre tudo isto junto da entidade organizadora, pois há uns tempos que estou à espera, e não recebo qualquer satisfação sobre o que se passou ", disse-nos.

 

BAMP EM DESTAQUE NO DAKAR

 

Equipa BAMP em destaque no Dakar

Top 20 na etapa e subida de quatro posições na classificação geral

Com apenas três etapas disputadas, a participação da equipa BAMP (Brasil Angola Moçambique Portugal) já atingiu no plano desportivo um patamar que não era expectável para esta fase incial de uma corrida onde existem três a quatro dezenas de equipas de excelente nível e dotadas de grandes meios de apoio logístico.

 

Nesta terceira etapa, onde os concorrentes auto tiveram de cumprir um sector selectivo com 284 km, o piloto português Ricardo Leal dos Santos, acompanhado do brasileiro Carlos Du Sachs e aos comandos de uma Nissan Navara V8, averbou o 17º tempo, depois de ter chegado a ocupar um brilhante 14º lugar, a poucos quilómetros do final, quando tinha como adversários directos Cyril Despres, Robby Gordon e Carlos Sousa, entre outros.

 

"Infelizmente fomos mais uma vez forçados a moderar o nossso ritmo, desta vez por causa da suspensão. Há um conjunto de alterações que iremos fazer nos próximos dias e que derivam do facto de nunca, anteriormente, termos rodado com este carro em ritmo de competição. Esta Nissan tem um excelente comportamento geral, mas não vinha com a suspensão afinada para zonas de piso muito mau, como tem sido o caso", salientou Ricardo Leal dos Santos à chegada a Chilecito. E o piloto do Team BAMP referiu ainda:

 

"Perdemos também algum tempo na fase inicial da corrida. A partir do 20º os concorrentes partem de 30 em 30 segundos. Demorámos algum tempo a libertar-nos de concorrentes mais lentos e fizemos uma dezena de ultrapassagens. Amanhã já não teremos esse handicap e tudo fazeremos para nos mantermos nesse grupo da frente”.

 

Amanhã o rali entra no Chile e a ligação inicial terá uma passagem a 4800m de altitude. Depois serão 315 quilómetros cronometrados com o setor seletivo a terminar diretamente no bivouac de Copiapó. O traçado da etapa inicia-se em pistas mineiras, às quais se segue o deserto do Atacama, para terminar nas famosas dunas de Copiapó.

 360 dk15_victoreleuterio_020747_alta_Copy360 dk15_viniciusbranca_028073_alta_Copy

 

PATAO RECUPERA

 

Mário Patrão recupera terreno

 

Piloto de Seia continua a subir lugares na tabela geral classificativa mesmo que vitimado pelo excesso de pó presente nas etapas

Mário Patrão fez hoje mais uma etapa de bom rendimento ao concluir a terceira “especial” cronometrada com o 30.º melhor tempo. O piloto de Seia, participante uma vez mais na mítica prova de Todo-o-Terreno mundial como privado, aos comandos de uma Suzuki RMZ 450 adaptada para Rally, conseguiu rodar sistematicamente perto do “Top 30” em confronto direto com alguns dos mais experienciados pilotos do Rali Dakar.

O terceiro dia marcou a ligação da caravana entre San Juan e Chilecito, com uma “especial” cronometrada na ordem dos 220 quilómetros de extensão, onde Mário Patrão conseguiu ser o 30.º mais rápido a 20m29s do vencedor.

“Mantive a regularidade, estou a partir de um grupo de pilotos que sai para a ‘especial’ cronometrada de 30 em 30 segundos e isso dificulta um puco as ultrapassagens, especialmente pela presença de muito pó no percurso. Em todo caso sinto-me bem, a subir de dia para dia, a mota também se está a portar muito bem, por isso só posso estar satisfeito com este início de prova. Espero continuar assim nos próximos dias, agora vamos para as etapas de altitude e de deserto, espero dias difíceis de navegação e quero estar ao melhor nível”, explicou o piloto de Seia.

Campeão Nacional de Todo-o-Terreno sete vezes consecutivas, Mário Patrão ocupa agora o 33.º lugar da classificação geral provisória, a poucos minutos da entrada no “Top 30”, a sua melhor marca alcançada nos dois últimos anos.

Acompanhe Mário Patrão em www.facebook.com/MarioPatraoFansPage.Mrio Patro_Dakar_2015_06_de_Janeiro_de_2015_1_CopyMrio Patro_Dakar_2015_06_de_Janeiro_de_2015_2_Copy

 

ROB HUFF É NOTICIA

 

Huff anunciado como teste e motorista de desenvolvimento para sintonizador desportivo de renome Litchfield

Touring Car Champion ex-FIA World Rob Huff se orgulha de ter forjado uma parceria como um piloto oficial de testes e desenvolvimento para o esporte de renome mundial e sintonizadores supercarro, Litchfield Motors.

Estabelecida há mais de 15 anos por Iain Litchfield, a empresa com sede em Gloucestershire originalmente fez o seu nome no mercado japonês de sintonia e é reconhecida mundialmente como a autoridade em Nissan GT-R modificações de desempenho.

Ele continuou crescendo ano-a-ano para se tornar um dos nomes mais ilustres de vendas de alta performance do carro e afinação e investimentos de Litchfield em equipamentos de última geração e instalações, bem como técnicos altamente qualificados e experientes, garantir que ele é capaz de realizar a os mais altos níveis de seu serviço aclamado pela crítica e do centro de atualização.

Além disso, uma compreensão intrínseca do mercado de alto desempenho tem visto Litchfield ganhar uma série de prêmios de prestígio do setor, incluindo Tuner do Ano de 2010 da Evo Magazine, e também participar de um número sem precedentes de cinco Evo Revista Carro do Ano características, Carro de dois Autocar Motorista dos acontecimentos ano e quatro itens no Canal 5 da Fifth Gear.

No entanto, em uma prova de seu compromisso contínuo com a qualidade, Litchfield tem recebido oficialmente o ex-Campeão Mundial Huff para suas fileiras, como parte de sua equipe de teste técnico altamente qualificado.

O piloto realizado a partir de Newmarket está firmemente estabelecido como um dos maiores pilotos de carros de turismo de sua geração, tendo vencido todas as bolsas de estudo e prêmio durante uma rápida ascensão até a escada do desporto motorizado, a caminho do 2012 FIA World Touring Car Championship coroa 'Drivers.

Huff, também é reconhecido como um teste e desenvolvimento de drivers muito capaz, e aqueles que trabalharam com o britânico a caminho de vários títulos de campeão atribui seu sucesso à sua habilidade inquestionável para entregar chassis e configuração informações confiáveis com clareza e eficiência.

Essas habilidades são transferíveis a partir da pista para a estrada eo antigo Campeão do Mundo vai usar seus talentos para preencher um papel de teste e desenvolvimento com Litchfield e tem uma mão na assinatura de fora muitos dos novos chassis e powertrain conversões da empresa antes da venda, a começar a BMW M4 (foto).

Explicando o papel de Huff, Litchfield Managing Director, Iain Litchfield, disse: "Rob tem uma perspectiva única que só um Campeão do Mundo versátil pode trazer. Sabemos que muitos pilotos rápidos, mas Rob entende a importância do envolvimento de um motorista com o seu carro muito mais do que qualquer piloto que já trabalhei. Quando testamos, Rob não é tanto sobre a perseguição décimos de segundo de cada volta, mas sim como ele pode melhorar a sensação entre carro e motorista e, o mais importante de tudo, como ele pode fazer o carro mais fácil de conduzir e mais previsível no limitar e, em última análise, mais divertido de conduzir.

"Rob também nos ajudará a acelerar o processo de R & D, sem comprometer a qualidade. Sua experiência de configuração de corrida significa que podemos chegar a uma configuração desejada muito mais rápido do que nós de outra maneira, sobretudo quando estamos a desenvolver melhorias de chassi. Ele tem um sexto sentido ao volante que ele é capaz de traduzir rapidamente para os nossos engenheiros com incrível clareza. Isso deve fazer um tempo significativo fora do nosso cronograma de testes e, simultaneamente, o que nos dá um melhor resultado global ".

Entrada de Huff já provou ser inestimável, como Litchfield dá os retoques finais para seus novos pacotes BMW M4, bem como uma série de novas melhorias para o perene Nissan GT-R.

Falando de sua nova parceria com Litchfield, Huff disse: "É brilhante para poder anunciar um relacionamento com um parceiro que tem um produto que é tão perto do meu coração. Apesar de ser um piloto profissional, eu ainda gosto de desenvolvimento de desempenho em carros de estrada e até mesmo confiou minha própria Nissan GT-R para Iain Litchfield, por isso estou ansioso para trabalhar com Iain e sua equipe de técnicos para desenvolver ainda mais a reputação já fantástica de Litchfield e produtos. A todos a paixão no Litchfield tem para os produtos da empresa é brilhante e eles têm sido uma equipe maravilhosa de se trabalhar. Temos um monte de diversão, enquanto nós estamos refinando esses pacotes ".

 

 

Google Tradutor12746214668274634274511943987212o-8fc9 Copy

 

PEUGEOT 2008 SUPERA NO DAKAR

PEUGEOT SUPERA NO DAKAR

 

 

 

 

 

O segundo dia do Dakar, que levou os concorrentes da Villa Carlos Paz a San Juan (Argentina), apresentava-se como a mais longa especial da prova, contando com 518 quilómetros cronometrados. Não só era uma etapa longa como também integrava uma grande variedade de condições, desde secções apertadas e sinuosas, seguidas por outras de poeira e areia. A maior dificuldade a superar foi o calor, que fez sofrer todas as equipas. Sem dúvida, o Dakar mostrou-se à altura da sua terrível reputação.

 

 

 

 

Para a Team PEUGEOT Total, este dia apresentava-se como um verdadeiro teste, pois tratava-se da primeira saída do PEUGEOT 2008 DKR num terreno tão variado e quente, tão típico do Dakar. Apesar disso, ele passou com sucesso este exame de avaliação, alcançando mesmo um tempo no top-10.

 

Carlos Sainz abordou o dia com a sensação de que essas pistas apertadas e sinuosas não se adequavam, realmente, às duas rodas motrizes do seu 2008 DKR. Para além disso, temia que a sua posição inicial (8º a partir) o fizesse perder tempo. No entanto, o piloto espanhol conseguiu imprimir um ritmo suficiente para melhorar a sua posição na classificação geral, mesmo que o seu carro tenha enfrentado o maior desafio da sua ainda jovem carreira.

 

Sainz terminou a especial na 7ª posição, permitindo-lhe alcançar o 6º lugar na classificação geral. «Hoje conseguimos ganhar duas posições, subindo ao 6º lugar. Infelizmente, estivemos envolvidos numa colisão com um motard na especial, no que foi um grande choque», resumiu. «Antes de mais, os meus pensamentos estão com ele, desejando-lhe, muito sinceramente, rápidas melhoras. Quanto ao resto, não encontrámos quaisquer problemas mecânicos, tendo decidido para não tomar muitos riscos para optimizar as nossas hipóteses de atingir o final desta especial tão longa».

 

Stéphane Peterhansel terminou a especial na 26ª posição, sendo 22º no acumulado das duas etapas, de um total de treze previstas. O francês atingiu uma raiz que estava escondida numa área de fesh-fesh, provocando a quebra de um braço da direcção. Saiu do carro para a reparação e quando pretedeu voltar à pista o carro recusou-se a pegar. Este revés custou-lhe uma hora mas, dada a sua experiência, ele sabe que no Dakar tudo pode mudar muito rapidamente.

 

«Se há uma coisa que aprendi ao longo dos anos é que o Dakar é uma aventura, a longo prazo», refere. «Infelizmente, as coisas começaram a dar errado quando atingirmos a raiz. Claro que depois lutámos para colocar o carro em funcionamento outra vez, mas se eu não tivesse batido na raiz, isto não tinha acontecido. Era uma especial muito dura, com muito calor, o que foi incrível».

 

O ex-motard Cyril Despres continuou a progredir numa etapa sem problemas, num terreno muito selectivo. Acumulou uma experiência valiosa que lhe permite ocupar, com uma notável simetria, o 24º lugar na classificação geral, idêntica à obtida na especial do dia.

 

«Continuo fiel ao meu plano, que consiste simplesmente em apresentar-me nesta prova ao volante de um carro», refere. «Foi, sem dúvida, o dia mais difícil de toda a minha vida sobre quatro rodas! O calor era comparável ao de um secador de cabelo bloqueado na potência máxima! No entanto, é um prazer ter

 

superado a especial mais longa do rali, acumulando uma quilometragem valiosa, de acordo com o meu plano. Sobretudo, não quero cometer um erro que comprometa as nossas hipóteses de terminar».

 

 

 

 

 

 


Bruno Famin, Director do Team PEUGEOT Total, conclui, assim, este longo dia: «Não tínhamos, até agora, coberto uma distância deste tipo, menos ainda sob temperaturas tão extremas, que representam uma verdadeira tortura para o carro. Ter ultrapassado a etapa mais longa do rali é um enorme sucesso para nós. O Rally Dakar começou a mostrar a extensão das suas dificuldades e das suas surpresas».

 

 

Etapa 3 (San Juan-Chilecito)

3ª Feira, dia 6 / início às 06:30 (hora local)

Percurso Total: 2000 km / Percurso Cronometrado: 284 km

 

 

Resultados após a SS2:

1 Nasser Al-Attiyah (QAT)/Matthieu Baumel (F) Mini                                                 6hr 19min 40sec

2 Giniel de Villiers (RSA)/Dirk von Zitzewitz (D) Toyota                                           6h 27min 22sec

3 Bernhard Ten Brinke (NL)/Tom Colsoul (B) Toyota                         6hr 29min 22sec    

4 Krzysztof Holowczyc (PL)/Xavier Panseri (F) Mini                                                    6hr 30min 08sec

5 Vladimir Vasilyev (RUS)/Konstantin Zhiltsov                                                               6hr 37min 03sec

6 Carlos Sainz (E)/Lucas Cruz (E) Peugeot 2008 DKR                                               6hr 39min 24sec

7 Erik van Loon (NL)/Wouter Roesegar (NL) Mini                                                          6hr 39min 44sec

8 Yazeed Al-Rahji (SAU)/Timo Gottschalk (D) Toyota                                                6hr 41min 14sec

9 Carlos Sousa (P)Paulo Fiuza (P) Toyota                                                                         6h 41min 44sec

10. Orlando Terranova (ARG)/Ronnie Graue (ARG) Mini                                           6hr 42min 03sec  

22 Stéphane Peterhansel (F)/J-P Cottret (F) Peugeot 2008 DKR        7hr 27min 21sec

24 Cyril Despres (F)/Gilles Picard (F) Peugeot 2008 DKR                                        7hr 32min 57 sec

 Etapa2 2008DKR_2_CopyEtapa2 2008DKR_3_CopyEtapa2 2008DKR_Copy

 

NDML FAZ OFERTA

 

Tentando facilitar e minimizar o impacto desta obrigação para os praticantes de competições desportivas de Automobilismo, durante o mês de Janeiro o NDML irá oferecer  a Licença Desportiva FPAK ( Nacional C ) a todos os Navegadores que sejam sócios ou se tornem sócios do NDML, se inscrevam no nosso Rallye de Inverno a realizar no próximo dia 24 e requeiram a licença através do NDML.
Conforme já informámos anteriormente, tanto por email como através do nosso Site e na página do Facebook, as Licenças Desportivas FPAK podem ser obtidas através do NDML com a  entrega antecipada no nosso Kartódromo de Leiria de toda a documentação necessária ou então directamente nas instalações da FPAK. 
Esclarecemos que as nossas provas necessitam apenas licenças "Nacional C". As de Condutor/Concorrente são aceites também quando o licenciado participar como Navegador. No entanto a de Navegador não permitirá ao licenciado participar como Condutor apenas podendo conduzir na prova durante os percursos de ligação se para isso estiver habilitado com Carta de Condução ( Art 2. do Regulamento de Emissão de Licenças Desportivas ). 
A documentação e regulamentação encontra-se disponível em baixo para download. 
A propósito, continuamos a receber a bom ritmo inscrições para o Rallye de Inverno, primeira prova a contar para o "Series by NDML 2015" recordando que o prazo para as inscrições termina a 13 a valor reduzido e definitivamente a 20 de Janeiro sem redução. 
Divulgamos novamente em baixo para download o Boletim de Inscrição e o Regulamento da prova para a qual os veículo terão de ter equipados, no mínimo, com extintor válido de 2 kg e as equipas terão de usar capacetes durante as provas de classificação.
Esclarecimento podem ser obtidos através o email  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar " target="_blank"> Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar  ou directamente nos nossos serviços pelo telefone 244 814 214.
Actualizaremos todas as informações no nosso site em www.rallyeverdepino.com e Facebook    

Aproveitamos para informar que o Kartódromo de Leiria encontra-se encerrado até 8 de Janeiro inclusive.
Qualquer assunto poder ser tratado através dos telemóveis 962 052 223 ( Helena Praxedes ) ou 962 052 224 ( Pedro Santos ).

--
 

NOVA PARCERIA PARA A ARES

 

AUTOMOTIVE ATELIER ARES anuncia nova parceria

Fabricante líder veículo blindado STREIT grupo para distribuir ARES carros

Modena casa design automotivo com base ARES tem o prazer de anunciar uma nova parceria emocionante com
o Grupo STREIT. O desenvolvimento significa que STREIT Grupo terá os direitos para distribuir ARES
veículos ao longo das suas redes estabelecidas no Oriente Médio e na África. Em adição a isto, tanto
empresas concordaram em colaborar juntos em veículos de passeio blindados exclusivos.
ARES é especializada na criação de única, artesanal carros de alto desempenho e proporciona tradicional
Artesanato italiano ao lado de tecnologia state-of-the-art para desenvolver carros que são perfeitamente adaptados às
atender às necessidades específicas de indivíduos de ultra-altas. ARES fornece a inspiração do projeto,
Conhecimentos de engenharia alemã e one-to-one orientação durante todo o processo de personalização assegurando
que as necessidades dos clientes são fundamentais.

Mais de 23 anos de experiência em zona de guerra fizeram Grupo STREIT um dos mais confiáveis
e fornecedores de confiança de veículos blindados. A equipe por trás ARES senti que ambas as empresas compartilhado muito
valores semelhantes, em particular a sua abordagem no sentido de utilizar os melhores materiais disponíveis e os muito
mais recente tecnologia para entregar os resultados inigualáveis para seus clientes exclusivos.

Waleed Al Ghafari, ARES presidente executivo, disse: "Temos sido admiradores do trabalho do Grupo STREIT.
Sua reputação é inigualável, em uma indústria onde a segurança e segurança são fundamentais, são um
das empresas líderes. Ambas as empresas compartilham uma abordagem resposta rápida às exigências do cliente,
adaptando e evoluindo com as necessidades individuais das pessoas e empresas com quem trabalhamos. Eu acho que o
duas empresas se complementam perfeitamente. "

Guerman Goutorov, STREIT Grupo CEO e presidente, disse: "Nossa visão tem sido sempre a liderar em nosso campo
e temos um compromisso com nossos clientes para funcionar apenas com melhores parceiros e fornecedores. Quando eu vi
ARES trabalhar em primeira mão eu sabia que temos um respeito mútuo e compreensão de qualidade e orgulho em
entregar os melhores resultados possíveis para os nossos clientes e estou muito satisfeito por termos encontrado uma maneira de unir e
trabalhar juntos daqui para frente.
O anúncio vem apenas duas semanas após ARES lançados nos Emirados Árabes Unidos, na frente de uma
platéia de milhares de fãs de carro do Dubai Grand Parade. ARES Dubai flagship store está definido para abrir em
um quarto um de 2015.

ARES1 CopyARES2 CopyARES3 Copy

Sobre ARES:
Com sede em Modena, Itália, ARES é um atelier de luxo automotivo criação única, artesanal de alto desempenho
carros. ARES usa tradicional handcraftsmanship italiana junto com o conhecimento e engenharia alemã
tecnologia avançada de construção de iates para desenvolver carros que são perfeitamente adaptados aos valores e
estilo de vida de cada cliente individual.

Para mais informações e imagens de alta resolução, por favor, entre em contato conosco ou visite a seção dos ARES imprensa

Sobre STREIT Grupo:
Fundada no Canadá em 1992 - STREIT Group é uma das mais importantes do mundo, de propriedade privada blindado
fabricantes de veículos com 12 state-of-the-art instalações de produção e 25 escritórios em todo o mundo. STREIT
Grupo produz uma grande variedade de blindados de pessoal Carriers, Cash-in-transit, luxo e segurança
veículos que são projetados para fornecer proteção eficaz em situações de alto risco. Todos os veículos do Grupo STREIT
submeter balística internacionalmente reconhecidas e testes de impacto, com STANAG 3 certificação para militares
veículos táticos e VPAM BRV 2009 VR7 de luxo e veículos para fins especiais. Eles são um líder
fornecedor de veículos blindados com 100% de registros de segurança; Veículos STREIT Grupo são implantados por armada
força em todo o mundo.

 

FORD RANGER NO DAKAR 2015

 

37 Dakar Argentina-Bolívia-Chile (03-17 janeiro de 2015)
Fase 2: Villa Carlos Paz - San Juan
ligação, 26 km; especial, 518 km; total, a 544 km.

VILLAGRA E Memi BEGIN escalar seu FORD RANGER'S
De volta através RALLY DAKAR CAMPO NO ESTÁGIO EM SAN JUAN

• do Qatar Nasser Saleh Al-Attiyah vence segunda etapa consecutiva para recuperar a liderança Dakar
• Rally Dakar lidera através remoto norte da Argentina em direção sopé dos Andes

 Federico Villagra e Andrés Memi produziu uma luta dramática de volta através do campo na etapa mais longa de todo o Rally Dakar 2015 - um especial de 518 quilômetros entre Villa Carlos Paz e San Juan - Argentina na segunda-feira.

Depois de questões do eixo da hélice e a perda de 83 minutos no domingo, foi classificada a YPF Competicion Ford Ranger de emparelhamento argentino 132 dos 135 carros ainda em execução em mais difíceis off-road evento esporte a motor do mundo no início da etapa do dia, mas um desempenho sólido tinha catapultou o Ford Ranger de volta a um total 51 não-oficial no 23.50hrs CET.

Apenas um dos 136 carros originais não foi capaz de fazer o início da especial assustadora em todo o noroeste do país para um acabamento na cidade de San Juan.

Villagra foi re-semeadas a partir da retaguarda do campo 37 para iniciar a fase na estrada por razões de segurança. O Dakar também tinha um novo líder, bem; Do Qatar Nasser Saleh Al-Attiyah tinha sido entregue uma pena de dois minutos por excesso de velocidade em uma zona restrita no domingo à noite e este entregou a vantagem global para a Argentina Orlando Terranova.

Depois de uma curta ligação de apenas 26 quilômetros a partir do bivouac, etapa especial de segunda-feira subiu gradualmente a uma altitude de pouco menos de 2.000 metros acima do nível do mar depois de deixar a Villa Carlos Paz, antes de equipes desceu ao mais plana, terreno aberto para várias centenas de quilómetros em fuga para San Juan.

Apesar de ter de passar inúmeros carros mais lentos, de Villagra Neil Woolridge Motorsport preparado Ford Ranger registrou o melhor tempo de 45 e subiu 81 lugares na classificação geral na segunda-feira à noite.

A Ford estava correndo em um 14 virtual global sobre a subida através da primeira verificação oficial waypoint e manutenção 15º após 90 km da especial. Até o ponto de 200 km, o argentino estava correndo em uma posição de 20 virtual antes de escorregar para trás um pouco durante a segunda parte do teste cronometrado do dia exigente de tomar 45 no palco.

Al-Attiyah, entretanto, logo revertida penalidade de tempo de sua noite anterior e levou ao palco a partir do início de recuperar a liderança que ele tinha estendido ao longo do estágio Sul-Africano de vice-campeão Giniel de Villiers para 7min 42sec pelo tempo que ele chegou a San Juan.

Além da companhia de energia argentina YPF, programa Dakar de Villagra está sendo apoiado por suspensão e OEM empresa de peças Fric Rot, Brenson (Concessionário Ford), Piamontesa e empresa de construção Natania. OMP, Michelin, Rudy Projeto e Gold Nutrition forneceram assistência técnica.

A empresa com sede na Alemanha do Sul Corrida está cuidando de Villagra logística on-evento e gestão do dia-a-dia sob a direção de Scott Abraham.

Amanhã (Terça-feira 6 de janeiro), as equipes de enfrentar um mais curto, mas potencialmente mais desafiador, etapa entre San Juan e Chilecito, na Argentina.

Operadores de viaturas vai enfrentar uma especial 284 km depois de um curto ligação de San Juan. A rota pretendida passa pela província argentina de La Rioja para a cidade rural de Chilecito, localizado em um vale fértil e cercada pelos cenários espetaculares da cordilheira Sierras de Velazco para o leste e o Sierras de Famatina para o oeste.

 

Google TradutorFederico Villagra_began_his_climb_back_from_the_rear_of_the_field_in_the_Dakar_Rally_on_Monday._CopyFederico Villagra_on_a_charge_in_his_Ford_Ranger_during_stage_two_of_the_Dakar_Rally_on_Monday._Copy

 

VOLKSWAGEN ELEGE TOM TOM

 

Volkswagen elege mapas TomTom

 

A TomTom (TOM2) anuncia um acordo para fornecer mapas à Volkswagen, um dos principais fabricantes de automóveis do mundo. A Volkswagen vai lançar sistemas de navegação integrados no painel de bordo com mapas TomTom, começando com o novo sistema multimédia VW na América do Norte no segundo trimestre de 2015. O sistema vai ser introduzido em vários modelos, incluindo Jetta, Passat e Beetle.

 

A TomTom é líder mundial no desenvolvimento de mapas inteligentes e uma das primeiras empresas a tirar partido do crowd sourcing para detetar alterações. Ao combinar métodos profissionais de produção de mapas com uma comunidade de centenas de milhões de utilizadores que disponibilizam localizações GPS e partilham ativamente alterações nas estradas, a TomTom garante que os mapas que disponibiliza aos clientes são exatos e estão atualizados.

 

"Estamos satisfeitos por anunciar esta parceria com a Volkswagen, fortalecendo a relação com um dos principais produtores de automóveis do mundo e reforçando a nossa posição global enquanto fornecedor de confiança de mapas para automóveis”, comenta Harold Goddijn, CEO da TomTom. “A tecnologia de produção de mapas em tempo real da TomTom garante que os nossos clientes vão ter o mapa mais atualizado do mercado.”

 

 

Siga a TomTom Portugal:TomTom CMYK_logo_Copy

 

F1 DOS MARES EM GALERIA DE IMAGENS

F1 DOS MARES EM GALERIA DE IMAGENS

 

 

Mais uma série de imagens da derradeira prova de motonautica, que reune a Fórmula 1 dos mares,prova que teve lugar no Dubai.f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copy

 

ROLLS ROYCE BATE NOVO RECORDE

ROLLS ROYCE BATE NOVO RECORDE

 

Pelos vistos a tão falada crise a nível munidal, não afecta alguns, pois a Rolls Royce bateu em 2014 um novo recorde, ao longo de 111 anos de existencia, tendo entregue aos seus clientes cerca de 4063 unidades.Isto significou umm incremento de vendas na ordem dos 12%, isso por comparação com o ano de 2013.

 

É preciso não esquecer que qualquer um dos modelos da Rolly Royce, sendo eles o Ghost, Wraith e Phantom, têm sempre como valor de aquisição nunca inferiro aos 200.000 euros.Construido em Inglaterra, o Rolls Royce, teve como principais destinos finais, os Estados Unidos da América, Emiratos Arabes Unidos e China.Curiosamente a concessão da Rolls Royce que mais vendeu em 2014, foi a de Abu Dhabi, e curiosamente garnde parte destes carros devidamente personalizados ao gosto dos seus propreitários.SEgundo conseguimos apurar no ano passado vieram para Portugal dois exemplares, mas  a marca é muito discreta neste tipo deRR1 CopyRR2 CopyRR3 CopyRR4 Copy informação, não entrando em grandes detalhes.

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Foco de Di Grassi é em manter a liderança da Fórmula E

Primeira categoria dos carros elétricos inicia o ano esportivo com a quarta etapa do campeonato, desta vez nas ruas da capital argentina. Brasileiro da Audi Sport ABT tem 18 pontos de vantagem para o segundo colocado

Lucas di Grassi certamente nunca iniciou uma temporada no automobilismo tão cedo como em janeiro. O brasileiro, primeiro vencedor da história da Fórmula E e atual líder da classificação geral, parte para a quarta etapa do inovador campeonato dos carros elétricos. O e-Prix de Buenos Aires acontece neste sábado (10) em um circuito montado nas ruas de Porto Madero, belíssima região da capital portenha.

Com três pódios nas três primeiras corridas, Lucas teve um início dos sonhos nesta que é considerada uma nova era dentro do automobilismo, com carros rápidos e 100% movidos a eletricidade. Dono de uma vitória, um segundo lugar e um terceiro, Di Grassi soma 58 pontos, contra 40 do britânico Sam Bird e do suíço Sébastien Buemi.

"Três pódios em três corridas, e as coisas têm ido muito bem até aqui, mas não podemos relaxar, descansar sobre estes louros. Em Punta del Este tivemos um dia inteiro de testes coletivos após a corrida, e isso deve agrupar ainda mais as equipes, já que com o dia todo andando todos conseguiram juntar valiosas informações sobre o carro. Por isso, a competição em Buenos Aires vai ser ainda mais acirrada", espera Lucas.

A Audi Sport ABT Formula E Team, equipe defendida pelo brasileiro e pelo alemão Daniel Abt, está bem preparada, na opinião de Lucas. "Estamos bem, analisamos todos os dados da última corrida e do teste e também trabalhamos no simulador para nos familiarizarmos com o circuito da Argentina", disse.

O traçado portenho tem 2,44 quilômetros de extensão, 12 curvas e sentido anti-horário. "É o circuito mais rápido da temporada até agora. A reta onde será dada a largada é bem longa e eu gostei de uma parte bem rápida do traçado com a curva 3, que é bem longa e veloz. No ‘grampo’ há bastante espaço para ultrapassagens, mas as curvas 4 e 7, mais lentas, irão oferecer provavelmente as melhores oportunidades para este tipo de manobra", analisou.

Na Fórmula E todas as atividades de pista são concentradas em um único dia. O sábado (10) terá o primeiro treino livre às 8h15, com 45 minutos de duração; a segunda prática acontece das 10h30 às 11 horas. A sessão de classificação para definir as posições do grid terá 55 minutos de duração e se inicia ao meio-dia. A largada para o e-Prix de Buenos Aires será dada às 16 horas, com transmissão ao vivo pelo Fox Sports 2.


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Três corridas, três pódios: início de temporada nada mal para Lucas na Fórmula E
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Com 58 pontos, Di Grassi tem vantagem de 18 sobre Buemi e Bird
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro colheu uma vitória, um segundo e um terceiro lugar
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Traçado de Buenos Aires tem 2,44 km de extensão, 12 curvas e sentido antihorário
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Circuito é rápido e oferece boas chances de ultrapassagem, segundo o piloto
Alta | Web

 

DAKAR 2015 DE LUTO

DAKAR 2015 DE LUTO

 

A edição deste ano do Dakar, registou na etapa de hoje uma baixa, pois um motard de origem polaca, de seu nome Michael Henrik, que pela primeira vez participava na prova,não se sabe o que na realidade aconteceu, pois o infortunado piloto estava caido a 300 metros da estrada, já morto, quando a organização lá chegou, embora ainda não se saiba mais detalhes de mais uma tragédia.

 

Com 39 anos de idade, Michal Henrik, torna-se assim infelizmente a quinta vitima da maior maratona que se organiza a nível mundial.DAKAR Copy

 

BAMP ULTRAPASSA ETAPA MUITO DURA

 

Equipa BAMP ultrapassa etapa duríssima

Ricardo Leal dos Santos e Carlos Du Sachs mantêm posição

Uma segunda etapa duríssima com 518 quilómetros cronometrados, a mais longa deste Dakar Argentina Bolívia Chile 2015, foi ultrapassada com sucesso e distinção pela equipa BAMP (Brasil Angola Moçambique Portugal). Numa competição que se tem mostrado muito dificil, até para os mais conceituados pilotos e candidatos à vitória, o piloto português Ricardo Leal dos Santos, aos comandos de uma Nissan Navara V8, averbou o 29º tempo, depois de ter gasto no sector selectivo 6h16m47s, por sinal apenas mais cinco que o conceituado Stéphane Peterhansel.

 

"Foi um dia muito complicado e onde tivémos de superar diversas dificuldades, algumas próprias da já esperada dureza desta etapa e outras que infelizmente vieram por acréscimo. A primeira foi um furo logo nos quilómetros iniciais que, para além do tempo perdido na mudança da roda, nos colocou atrás de um concorrente que nos fez perder imenso tempo", salientou Ricardo Leal dos Santos à chegada a San Juan, que acrescentou:

 

"Depois desse percalço inicial fomos recuperando, imprimindo um bom ritmo e mantendo um excelente entrosamento com o Carlos até que, fruto duma ventoinha que deixou de funcionar, o motor da nossa Nissan começou a aquecer de forma peocupante. Com uma temperatura exterior elevadíssima e um fesh fesh mesmo propício para atascar, fomos forçados a fazer uma gestão muito cautelosa do nosso andamento. Perdemos algum tempo, mas felizmente correu tudo bem”.

 

Depois da dureza dos 518 quilómetros cronometrados desta segunda etapa, amanhã os concorrentes auto terão apenas de cumprir um sector selectivo com 284 km. A terceira etapa, que ligará San Juan a Chilecito, é a primeira deste rali com troços cronometrados diferentes para motos e autos.

 Team BAMP_etapa2_01_Copy

 

HELDER RODRIGUES RECUPERA QUATRO POSIÇÕES

 

Hélder Rodrigues recuperou quatro posições

Piloto português está a pouco mais de um minuto de Marc Coma

 

Apesar de se manter condicionado fisicamente, Hélder Rodrigues cumpriu hoje de forma muito positiva a mais longa etapa deste Dakar 2015. Foram 518 quilómetros cronometrados inseridos na etapa que ligou Villa Carlos Paz a San Juan e que o piloto da equipa oficial da Honda cumpriu em 5h57m41s, gastando apenas mais 10s que o 6º classificado.

 

Hélder Rodrigues que terminou a etapa de hoje à frente do vencedor do Dakar 2014, melhorou a sua posição da classificação geral subindo de 12º para o 8º lugar. Na liderança da prova está o seu companheiro de equipa o espanhol Joan Barreda, que foi o mais rápido na etapa de hoje.

 

Acima de tudo foi uma etapa bastante boa para a equipa, estamos á frente da corrida e isso é o mais importante. Hoje estive um pouco melhor. Estou a recuperar da gripe e por isso vou conseguir dar mais de mim fisicamente. Estou satisfeito por ter terminado a especial de hoje sem ter cometido erros numa etapa que era bastante complicada”, salientou Hélder Rodrigues piloto apoiado pela MEO e Red Bull.

 

Depois da dureza dos 518 quilómetros cronometrados desta segunda etapa, amanhã os concorrentes moto terão apenas de cumprir um sector selectivo com 220 km. A terceira etapa, que ligará San Juan a Chilecito, é a primeira deste rali com troços cronometrados diferentes para motos e autos.

 

Mais informações sobre a prova em: www.dakar.com HelderRodrigues Etapa2_01_CopyHelderRodrigues Etapa2_02_CopyHelderRodrigues Etapa2_03_Copy

 

SOUSA NA 9ª POSIÇÃO NO DAKAR

 

Cumprindo com o prometido na véspera, Carlos Sousa e Paulo Fiuza subiram hoje três lugares na classificação geral e entraram já no top-10 num dia particularmente longo e exigente do ponto de vista físico. Apesar de alguns problemas com a temperatura do carro na parte final, a dupla portuguesa é já 9ª da geral, mas a apenas 2m exatos de uma presença no top-6

 

Carlos Sousa sobe ao 9º lugar da geral após os 518 km da mais longa especial deste Dakar

 

Depois de uma primeira etapa bastante rápida, mas com “apenas” 170 km de setor cronometrado, o Dakar 2015 cumpriu hoje a mais longa especial desta edição, com 518 km de pistas duras e bastante variadas, incluindo já uma primeira incursão pela areia nos quilómetros finais da etapa, concluída em San Juan, após mais de 6 horas de condução ininterrupta… para os mais rápidos do dia.

Após o 12º tempo da véspera, Carlos Sousa e Paulo Fiuza deram hoje um “ar da sua graça”, subindo três lugares na geral após garantirem o 9º melhor tempo da especial, a apenas 34 segundos do 8º lugar de Carlos Sainz.

Cumprindo o objetivo traçado para este dia, a dupla portuguesa da Mitsubishi Brasil está já no top-10 da classificação automóvel, ocupando o 9º lugar da tabela absoluta, a escassos 34s do melhor dos três Peugeot oficiais e a 2m exatos do 6º posto ocupado pelo MINI do holandês Erik Van Loon. Vencedor da etapa inaugural, Orlando Terranova segue imediatamente atrás do português, fechando o top-10 a 22m23s do líder e vencedor da especial de hoje, Nasser Al-Attiyah.

Com uma etapa claramente em crescendo – era apenas 15º no primeiro Way Point –, Carlos Sousa mostrou-se particularmente satisfeito com a sua prestação neste segundo dia de competição, lamentando apenas alguns problemas de temperatura no seu AXA Racing já na fase final do percurso:

“Foi uma especial particularmente dura e exigente do ponto de vista físico, num dia em que as temperaturas foram também particularmente elevadas. Puxámos o carro até ao limite e honestamente mais não conseguíamos fazer… Continuámos a perder algum tempo nas partes mais rápidas, por falta de velocidade de ponta, mas também porque houve alturas em que tivemos que levantar o pé para baixar a temperatura do motor. De qualquer forma, o maior susto aconteceu já perto do final, quando dispararam os alarmes dos gases do escape. Aí, tivemos que ser cautelosos e aliviar drasticamente o ritmo, perdendo algum tempo nos 50 km finais, coincidentes com a passagem por um troço de areia. Em todo o caso, e face ao resultado deste dia, o balanço é bastante positivo. Queríamos subir alguns lugares na classificação e chegar já hoje ao top-10, o que foi cumprido. Vamos ver como será daqui para a frente, na certeza de que o ritmo na frente da corrida está já muito forte”, resumiu Carlos Sousa à chegada ao Bivouac.

Boa prestação também para Guilherme Spinelli e Youssef Haddad, que colocaram o segundo ASX Racing inscrito pela Mitsubishi Brasil no 16º lugar, subindo ao 15º posto da geral, após o 29º lugar alcançado na etapa inaugural.

 

CLASSIFICAÇÃO - ETAPA 2

1º Al-Attiyah/Baumel               MINI               5h04m50s

2º De Villiers/Von Zitzewitz    Toyota                       + 8m30s

3º Ten Brinke/Colsoul             Toyota                       + 10m04s

4º Hollowczyc/Panseri             MINI               + 11m12s

5º Vasilev/Zhiltsov                   MINI               + 16m09s

(…)

9º SOUSA/FIUZA                     Mitsubishi    + 21m00s

16º SPINELLI/HADDAD         Mitsubishi    + 34m16s

 

GERAL - APÓS ETAPA 2

1º Al-Attiyah/Baumel               MINI               6h19m40s

2º De Villiers/Von Zitzewitz    Toyota                       + 7m42s

3º Ten Brinke/Colsoul             Toyota                       + 9m42s

4º Hollowczyc/Panseri             MINI               + 10m28s

5º Vasilev/Zhiltsov                   MINI               + 20m04s

(…)

9º SOUSA/FIUZA                     Mitsubishi    + 22m04s

15º SPINELLI/HADDAD         Mitsubishi    + 39m24s

 

A ETAPA DE AMANHÃ

 

Etapa 3: San Juan – Chilecito

Total: 524 km

Especial: 284 km

Após a longa especial de hoje, concorrentes têm amanhã uma etapa ideal para recuperarem algum do esforço despendido na véspera. Além da diminuição da quilometragem, o percurso permitirá aos concorrentes desfrutarem das fantásticas pistas de terra vermelha que descem dos picos aos desfiladeiros, conduzindo-os até Chilecito, uma das mais belas regiões da Argentina.Carlos Sousa_ASX_Racing_CopyCarlos Sousa_Paulo_Fiuza_Copy

 

PAULO GONÇALVES MANTÉM 2ª POSIÇÃO

 

Paulo Gonçalves repete segundo lugar e tem Honda na liderança do Dakar 2015

À semelhança dos outros pilotos, “Speedy” Gonçalves considerou a segunda etapa extremamente difícil

Paulo Gonçalves bisou o segundo lugar na segunda etapa da 37.ª edição do Rali Dakar, a mais longa “especial” cronometrada da edição de 2015, com um total de 518 quilómetros a contra-relógio entre Villa Carlos Paz e San Juan.

O piloto de Esposende partiu na segunda posição, mas acabou por perder algum tempo na abertura do percurso, tempo esse que até final da tirada cronometrada ainda conseguiu recuperar para ser uma vez mais o segundo mais rápido, a apenas 6m13s do espanhol colega de equipa, Joan Barreda.

“Hoje foi um dia muito, muito difícil. Arranquei na segunda posição, foi um dia muito longo, mais de 500 quilómetros, montanha, muito sinuosa, extremamente complicada. Depois do quilómetro 350 a pista mudou de figura, passou para piso arenoso, extremamente enrolado, dificílimo, muito calor”, explicou Paulo “Speedy” Gonçalves no final da tirada.

Segundo o piloto português, o final da segunda etapa foi a última “gota de água” no suor dos participantes. “Os últimos quilómetros de ‘especial’ foram verdadeiramente difíceis, nunca tinha encontrado nada assim, foram 40 quilómetros de Supercross, com whoops em areia, mas estou contente por mim, pelo Joan Barreda e pela equipa HRC, acho que estamos todos de parabéns”, concluiu o atual Vice-Campeão do Mundo.

Cumpridas duas das treze etapas que compõem o Dakar 2015, que termina a 17 de Janeiro em Buenos Aires, Paulo Gonçalves mantém o segundo lugar da classificação geral, a 4m37s do líder da Honda, Joan Barreda Bort.

A terceira etapa desenrolar-se-á entre San Juan e Chilecito, com uma “especial” cronometrada na ordem dos 220 quilómetros e mais 437 de ligação.

Acompanhe Paulo Gonçalves em www.facebook.com/PauloGoncalvesFansPage.Paulo Gonalves_Dakar_2015_05_de_Janeiro_de_2015_Copy

 

AFRICA RACE ANULA ETAPA

Especial do Africa Race anulada

O sector selectivo da etapa de hoje do Africa Eco Race 2015 que ligou Dakhla, em Marrocos, a Chami, na Mauritânia, foi anulado por decisão da organização da prova. As tradicionais dificuldades na passagem da fronteira entre os dois países africanos, que obrigaram alguns concorrentes a esperar várias horas até conseguirem realizar o controlo alfandegário, bem como uma forte tempestade de areia, que não permitia que os helicópteros da organização levantassem voo em segurança, levaram ao cancelamento da especial de 174 quilómetros da sexta etapa desta grande maratona africana.

Elisabete Jacinto explicou os motivos que levaram à anulação da prova: “a especial foi anulada, em primeiro lugar, devido a uma tempestade de areia que hoje se fez sentir. A poeira que pairava no ar era de tal modo intensa que a visibilidade era mínima. Como consequência os helicópteros da organização não puderam levantar voo e sem eles a especial não podia decorrer, acima de tudo, devido a questões de segurança. Além do mais a passagem pela fronteira na Mauritânia foi muito complicada. Em Marrocos conseguimos cumprir rapidamente todos os trâmites legais e passámos facilmente a alfândega, mas quando entrámos na Mauritânia as coisas complicaram-se bastante. Toda a comitiva da prova teve que realizar os registos biométricos para entrar no país. Nós estivemos cerca de três horas à espera de passar a fronteira”, revelou a piloto da equipa OLEOBAN®.

Desta forma, fica adiada para amanhã a entrada da competição nas duras pistas da Mauritânia. A sétima etapa deste Africa Race, que liga Chami a Azougi, conta com o mais longo sector selectivo de toda a prova. Serão 434 quilómetros repletos de dificuldades. A navegação terá que ser minuciosa e atenta e a variedade de terrenos encontrada nesta especial vai mostrar a todos os concorrentes quão complexo é o deserto da Mauritânia. Após vários quilómetros feitos ao longo do lendário caminho-de-ferro de Ben Amira apenas um cordão de difíceis dunas separará os concorrentes do novo acampamento situado no norte de ATAR.especial da_sexta_etapa_foi_anulada_Copyman tgs_da_equipa_oleoban_no_aer_2015_Copy
 

MÁRIO PATRÃO NÃO FAZ POR MENOS....

 

Mário Patrão sobe 20 lugares à geral

 

Depois do contratempo na primeira etapa, piloto de Seia partiu da 57.ª posição e fechou o dia no 35.º posto da classificação geral

Mário Patrão fez hoje uma corrida de trás para a frente na segunda etapa do Dakar 2015, realizada entre Villa Carlos Paz e San Juan, na Argentina, conseguindo por fim ascender mais de vinte posições na tabela geral classificativa provisória da maior prova de Todo-o-Terreno do mundo.

A segunda etapa foi a mais longa do Dakar 2015 em termos de “especiais” cronometradas, num total de 518 quilómetros de extensão. Mário Patrão alcançou o 31.º melhor tempo na tirada argentina, gastando mais 52m44s que o vencedor da etapa e líder provisório da classificação geral, Joan Barreda.

“Foi uma etapa muito difícil, muito dura, com muitas horas em cima da mota. A posição que parti não foi muito favorável, por isso optei por ir até ao final num ritmo mais cauteloso. Consegui ascender alguns lugares, não tantos como gostava, mas estamos no segundo dia de rali e há ainda muitos quilómetros a percorrer. Importa chegar ao fim, quem sabe sobressair mais em etapas ”, explicou o piloto de Seia.

De partida para a terceira etapa, ocupando agora o 35.º posto da classificação geral nas duas rodas, Mário Patrão tem pela frente mais 667 quilómetros de percurso, dos quais apenas 220 cronometrados, até à chegada a Chilecito.Mrio Patro_Dakar_2015_05_de_Janeiro_de_2015_1_CopyMrio Patro_Dakar_2015_05_de_Janeiro_de_2015_2_Copy

 

BOSCH BRAGA APRESENTA INOVAÇÕES

 

Bosch Braga apresenta inovações para o automóvel do futuro

25 anos de tecnologia automóvel

 

Inovações produzidas em Braga estão em exibição na maior feira de eletrónicos do mundo

Conetividade é tendência mais forte

Soluções de suporte ao condutor para uma condução conectada, confortável e segura

 

A unidade Bosch em Braga será uma das primeiras empresas em Portugal a expor os seus produtos no Consumer Electronic Show (CES), em Las Vegas, nos EUA. A partir do dia 06 de janeiro, as suas tecnologias multimédia automóvel de ponta estarão em destaque no espaço de exibição do Grupo Bosch, e serão apresentadas aos milhares de visitantes de todo o mundo que estarão diariamente naquela que é a maior feira de eletrónica do mundo.

 

A participação no CES é um orgulho para a empresa, que em 2015 celebra ainda o seu 25º aniversário em Braga. Enquanto um dos principais exportadores a nível nacional (volume de exportação de mais de 90 por cento), a Bosch tem contribuído ativamente para a construção da boa reputação da tecnologia desenvolvida e produzida em Portugal e exportada a nível mundial. A partir da sua unidade em Braga, o Grupo desenvolve, produz e exporta para todo o mundo soluções tecnológicas inovadoras que, pela sua capacidade de diferenciação e resposta às mais atuais tendências na área, permitem que se mantenha na liderança entre os fornecedores de multimédia automóvel.

 

Empresas como a Bosch estão cada vez mais focadas em desenvolver inovações que respondem às tendências e necessidades do mercado no que toca à conectividade. Em casa, diversos eletrodomésticos já estão ligados à Internet e, portanto, podem interagir com outros eletrodomésticos ou serem controlados remotamente. A mesma tendência aplica-se aos automóveis.

 

Com um extenso know-how, a Bosch irá demonstrar na CES 2015 de que forma é possível fazer dos carros uma parte ativa da internet e disponibilizar aos condutores uma série de benefícios na área. Inovações saídas diretamente das instalações da Bosch em Braga para todo o mundo, como o NissanConnect, o Combiner Head Up Display para a BMW e os displays livremente programáveis para a Audi TT, irão demonstrar a forma como a Bosch já se encontra a moldar o futuro do automóvel e a garantir a conetividade a nível mundial.

 

Conetividade e segurança num só sistema

No passado, a tecnologia digital nos veículos esteve focada na otimização das funções internas. Hoje, a Internet está a revolucionar os carros. Os consumidores querem ter acesso à informação a partir de qualquer parte do mundo ou dispositivo e em qualquer altura: enquanto conduzem, enquanto estão no trabalho ou, simplesmente, enquanto estão com os amigos. O mundo volta, portanto, as suas atenções para o desenvolvimento da capacidade de ligação dos automóveis com o mundo exterior e as funcionalidades disponíveis. A conectividade está a marcar o ritmo da inovação nos sistemas de informação e entretenimento nos automóveis.

 

Para a Bosch, a conectividade nas estradas não significa apenas mais eficiência e conforto, mas também uma condução mais segura. Ao mesmo tempo, está a trazer o fascínio do mundo digital para as ruas. A divisão Car Multimedia da Bosch, cuja principal fábrica europeia está localizada em Braga, tem vindo a criar produtos inovadores que garantem a interligação que os consumidores procuram, trazendo a internet para dentro dos automóveis sem a ajuda de telemóveis.

 

Por um lado, os novos serviços interligados possibilitam uma quantidade cada vez maior de informações. Por outro lado, as distrações do condutor devem ser minimizadas. No futuro, surgirão funções completamente novas. Por exemplo, a realidade aumentada nos veículos vai ligar o mundo virtual ao mundo real. O para-brisas vai tornar-se no principal display no interior dos automóveis, trazendo informações sobre a condução e sobre o que se passa à volta para o campo de visão do condutor.

 

A Bosch está a trabalhar com afinco nas tecnologias necessárias e já está a produzir em massa uma série de soluções que irão responder de forma inteligente e inovadora a estas novas tendências.

 

De Braga para o mundo

Em Braga desde 1990, inicialmente a produzir autorrádios para a marca Blaupunkt, a Bosch tem vindo a substituir gradualmente a produção de autorrádios clássicos por um portefólio de produtos completamente novo, com tecnologia multimédia automóvel de ponta. Os clusters de instrumentação livremente programáveis substituem os instrumentos mecânicos com ponteiros e mostram gráficos ou imagens de câmara. Podem ainda ser programados individualmente à semelhança da personalização do perfil do utilizador criado no seu próprio computador. O i8, desportivo elétrico de luxo da BMW, é apenas um dos exemplos de automóveis que está a levar esta tecnologia produzida na Bosch em Braga para todo o mundo, criando o fascínio nos consumidores. No CES 2015, as tecnologias produzidas em Braga vão estar em destaque junto das soluções de mobilidade do Grupo Bosch.

 

A Bosch vai apresentar na CES soluções que ajudam a priorizar as informações e exibi-las de uma forma altamente intuitiva. O Head Up Dislay, produzido em Braga para a BMW, substitui monitores convencionais e projeta as informações sobre instrumentos, navegação, e multimédia no campo de visão do condutor, utilizando um pequeno ecrã de plástico especialmente posicionado por baixo do para-brisas. Esta imagem é sobreposta sobre a paisagem exterior do veículo de tal forma que estes parecem fundir-se a uma distância de cerca de dois metros à frente do veículo, criando uma realidade aumentada.

 

De referir ainda o sistema de instrumentação do novo Audi TT, que vem equipado com um ecrã e um conceito de operação inovadores, produzidos pela Bosch em Braga. Baseado num ecrã, este sistema substitui a tecnologia anterior e inclui todas as informações de instrumentos, navegação e multimédia no campo de visão do condutor. A Audi chama este conceito orientado para o condutor de "Cockpit Virtual".

 

Finalmente, a Bosch irá apresentar o sistema multimédia NissanConnect, com uma função de navegação inovadora que possibilita uma solução de informação e entretenimento de alta qualidade para conteúdos e serviços. Graças ao NissanConnect, os veículos de passageiros nunca mais irão perder o contacto com o mundo exterior enquanto circulam nas estradas. Além de um ecrã táctil a cores de 7 polegadas, incorpora muitas e impressionantes funções de conveniência e entretenimento num só dispositivo. Inclui, por exemplo, o uso do Google® Local Search e Send-a-Car, um sistema de mãos livres Bluetooth® de alta qualidade que permite ouvir música através de streaming de rádio ou rádio digital e, por último, a mais recente integração de smartphones através de Bluetooth® ou USB, independentemente de o dispositivo usado ter um sistema operacional Android ou iOS.

 

Com este nível de conectividade, a Bosch em Braga está a dar à comodidade, segurança e eficiência da mobilidade um impulso significativo, ao mesmo tempo que contribui para a competitividade das tecnologias produzidas em Portugal no mercado global.

 

19 milhões de Euros para projeto de inovação da Bosch com a Universidade do Minho

A inovação é um dos pilares do Grupo Bosch e uma parte essencial da cultura empresarial. Em 2013, foram estabelecidas parcerias com universidades em Portugal de modo a acelerar o desenvolvimento de produtos e tecnologias inovadoras que respondam às últimas tendências do mercado, tais como conectividade, soluções integradas e soluções user-friendly altamente eficientes.

 

A Bosch em Braga, em parceria com a Universidade do Minho e em regime de co-promoção, reforçou o seu investimento em Investigação e Desenvolvimento Tecnológico, visando o desenvolvimento e produção o desenvolvimento do futuro conceito de mobilidade no setor automóvel. As soluções estão a ser desenvolvidas nas instalações na Bosch e na Universidade do Minho unindo, portanto, as instituições em atividades de interesse mútuo e aproximando a realidade empresarial do mundo universitário e académico.

 

Considerado de interesse estratégico nacional, o projeto prevê um investimento de cerca de 19 milhões de euros até 2015, parcialmente financiado pelo Estado Português com o apoio da Comunidade Europeia. Os 14 projetos de investigação vão gerar o registo de pelo menos 10 patentes em resultado do trabalho desenvolvido, potenciando a cultura de inovação exportada pelo Grupo Bosch a partir de Portugal para todo o mundo.

 

As soluções multimédia desenvolvidas responderão aos desafios relacionados com o Human Machine Interface, com a utilização de novos materiais para a construção de equipamentos, e com a definição de ferramentas inovadoras no que diz respeito a processos e procedimentos relacionados com a produção. Os resultados atingidos serão implementados pelos investigadores no processo de industrialização da próxima geração de produtos.

 

A empresa está muito satisfeita com os resultados atuais e os envolvidos têm orgulho dos resultados alcançados. Neste momento, está a preparar uma nova candidatura para novos projetos a serem financiados a partir de final de 2015, garantindo a continuidade das suas atividades de inovação e a sustentabilidade e competitividade do negócio.

 

Durante os três dias da exibição, inovação e conetividade serão palavras-chave para a apresentação das tecnologias multimédia automóvel de ponta que o Grupo Bosch, em conjunto com a Bosch em Braga, tem fornecido às principais marcas automóvel em todo o mundo.Bosch NissanConnect_01_CopyBosch NissanConnect_02_Copy

 

NOVO CLASSE B EM PORTUGAL

 

Novo Classe B Electric Drive em Portugal

 

Com o seu motor elétrico de binário elevado o Classe B Electric Drive oferece um prazer de condução ímpar, tudo sem emissões locais. O Classe B Electric Drive está agora disponível para encomenda nos Concessionários Mercedes-Benz com o preço de comercialização a iniciar nos 42.900€.

 

A condução silenciosa e sem emissões do novo Classe B é assegurada por um motor elétrico de 132 kW (180 cv.) que, tal como é típico de um motor elétrico, disponibiliza o seu binário máximo de 340 Nm logo no arranque. O resultado é uma aceleração significativamente potente, que permite passar dos zero aos 100 km/h em apenas 7,9 segundos. Se o condutor pretender circular economicamente, com maior destaque no conforto ou na condução desportiva, pode optar entre três programas (Economy Plus, Economy e Sport). O conceito de carroçaria modular "ENERGY SPACE" com bateria de iões de lítio na parte inferior do veículo torna o Classe B Electric Drive numa viatura de cinco lugares de pleno direito, com uma capacidade de bagagem de 501 litros.

 

Conjunto de opções de individualização com as linhas de equipamento

O Classe B Electric Drive encontra-se disponível nas linhas de equipamento Style (sem custo), Urban (sem custo) e a exclusiva Electric Art (de série). A linha de equipamento Electric Art revela uma aparência especialmente dinâmica e distinta. Os dois acabamentos de pintura disponíveis para este modelo são "cirrus white" e "south sea blue" em combinação com as jantes de liga leve de 45,7 cm (18 polegadas) com raios múltiplos. Os frisos na grelha do radiador são também pintados em branco/azul, enquanto a parte lateral do veículo apresenta as palavras "Electric Drive".

 

O interior inclui o volante multifunções de 3 raios em pele com pormenores cromados. Os bancos e a secção superior do painel de instrumentos têm um acabamento em pele ARTICO, ambos com costuras decorativas azuis. A individualização é possível com o Pack Exclusive. Este inclui bancos dianteiros aquecidos com apoio lombar de 4 vias que, tal como o volante multifunções e a alavanca de velocidades, são em pele de alta qualidade. O painel de instrumentos e o painel central das portas são revestidos com pele ARTICO. Os bancos de pele estão disponíveis nas seguintes cores: vermelho frutos silvestres, castanho avelã e preto. Os elementos de design prateados cromados ajudam a criar um ambiente exclusivo. Entre os muitos detalhes práticos encontram-se o fecho de conveniência por infravermelhos e uma tomada de 12 V na traseira.

 

Maior autonomia, se necessário

Pack RANGE PLUS, disponível opcionalmente, permite aumentar a autonomia (de série 200 km) do Classe B Electric Drive até 30 km. Ao premir o botão RANGE PLUS no painel de controlo superior permite expandir a capacidade de carga da bateria na próxima vez que for carregada. Para além de uma maior autonomia, o Pack RANGE PLUS inclui também um para-brisas aquecido, várias medidas de isolamento e vidro escurecido com isolamento de calor.

 

A recuperação de energia especialmente eficaz, com a respetiva extensão da autonomia do veículo, é possibilitada pelo sistema opcional de travagem regenerativa baseada em radar. O sistema utiliza os dados dos sensores do COLLISION PREVENTION ASSIST PLUS para aumentar ou reduzir o nível de regeneração e assim a desaceleração. As patilhas de seleção do volante permitem também ao condutor mudar entre quatro fases diferentes de regeneração.

 

Para proteger os peões e os ciclistas, os alertas sonoros do veículo geram um som específico até uma velocidade de 30 km/h.

 

O Classe B Electric Drive está equipado de série com um cabo de carga para wallbox e estações públicas de carregamento. Opcionalmente, está disponível uma combinação de um cabo de carga para tomadas domésticas e um cabo de carga para wallbox e estações públicas de carregamento.

 

Cada bateria é certificada pela Mercedes-Benz. Isto assegura que todas as avarias técnicas num período de oito anos depois da entrega inicial ou do seu registo, até uma quilometragem de 100.000 quilómetros, são reparadas pela Mercedes-Benz.

 

Sistemas de assistência à condução

Quando foi lançado, o Classe B redefiniu o padrão de segurança na classe compacta com numerosos sistemas de assistência à condução, alguns deles incluídos como equipamento de série. Os sistemas de assistência à condução COLLISION PREVENTION ASSIST PLUS e ATTENTION ASSIST, que foram adicionalmente desenvolvidos, estão incluídos como equipamento de série neste modelo. O Classe B Electric Drive está disponível opcionalmente com luzes bi-xenon, em vez de luzes de halogéneo. Como extra, os clientes podem também combinar esta funcionalidade com o Sistema de Luzes Inteligentes (ILS), já conhecido de outros modelos da Mercedes-Benz. Este inclui faróis de bi-xenon com distribuição variável de luz e ajuste dinâmico do alcance para estradas não urbanas, autoestradas e durante nevoeiro forte. Assistente de máximos com função de iluminação ativa, luzes LED de condução diurna e sistema de lavagem de faróis.Classe B_Electric_Drive_Copy

 

MAHINDRA NA FÓRMULA E

 

Corrida Mahindra apontando para forte resultado na Argentina
 
05 de janeiro de 2015, Donington UK. A equipe de Fórmula E Mahindra Racing até agora completou três corridas da temporada FIA Formula E inaugural e com pontos obtidos em cada corrida a equipe agora olha para frente para continuar a tendência em Buenos Aires, Argentina. Bruno Senna e Karun Chandhok estará de volta para a pista na América do Sul apenas poucas semanas após a sua visita anterior ao continente em Dezembro de 2014.
 
A quarta rodada da temporada em Buenos Aires é provável que seja um caso tórrido para os pilotos e equipes enquanto competem durante o auge do verão, com temperaturas de até 40 graus. Isto significaria que regula a temperatura da bateria e os componentes do carro de corrida Mahindra será essencial durante todo o fim de semana.
 
O circuito possui 12 voltas em torno da configuração 2,44 km e, ao contrário da anterior ronda do lado da praia, no Uruguai, a Buenos Aires ePrix será realizada no distrito de Puerto Madero, na capital. A cidade de Buenos Aires faz para uma perspectiva interessante para todo o paddock e prevê-se que a população estará com força total apoio a corrida na capital argentina.
 
A rodada anterior, em Punta del Este, no Uruguai, foi um espetáculo emocionante em que Senna saiu com pontos na sequência de uma unidade de formação de bolhas para o sexto lugar, desde o último slot grid. Chandhok, entretanto, teve a infelicidade de encontrar-se forçado a mudar seu plano de corrida seguinte danos causados por um alto calçada; trazê-lo em mais cedo do que o esperado durante a corrida.
 
No entanto os dois pilotos saíram da terceira rodada do sentimento temporada confiante no carro e o ritmo que tinha conseguido.
 
Senna disse: "É muito bom estar a correr na América do Sul novamente, e eu espero que seja tão emocionante como na rodada anterior no Uruguai. Punta del Este foi um fim de semana misto para nós, apesar de nossa posição de partida, fomos capazes de conquistar pontos e acabar com um ótimo acabamento - ele só vai mostrar a nossa velocidade e aumenta a perspectiva de o que poderíamos fazer se a nossa posição de partida teve sido um pouco melhor.
 
"A pista em Buenos Aires parece muito interessante, com algumas boas combinações de cantos que deve torná-lo um circuito bastante divertido de conduzir. Nosso objetivo é estar lá em cima e lutar por essas posições de topo. "
 
Chandhok disse: "Punta del Este não foi o melhor fim de semana para nós como uma equipe e não fomos tão competitivos como nos tinha sido nas duas primeiras rodadas. O teste no domingo nos deu um monte de respostas e estamos ansiosos para estar de volta lá fora e em forma em Buenos Aires. O objetivo deve ser o de tentar conseguir um pódio em breve, porque nós temos o potencial, só precisamos de cumpri-la. '

 

Google Tradutor

 

VOLVO, OCEAN RACE

VOLVO OCEAN RACE

 

DONGFENG NA FRENTE

 

O barco da Dongfeng Racing Team está na frente na 3ª etapa que está a ligar Abu Dhabi á China, e neste momento o barco de origem chinesa já tem um avanço de 11,5 milhas em relação ao segundo classificado, o Team Brumel, que tem quatro milhas para trás o Team Alvimedica, completando assium um possivel pódio.

 

De referir que o Dongfeng tem ainda para percorrer 4059, 7 milhas, o Team Brumel 4071,2 e o Team Alvimedica 4075,9 milhas para chegarem ao final desta etapa, que se tem pautado por uma calmaria muito grande com ventos fracos.volvo1 Copyvolvo7 Copyvolvo6 Copyvolvo5 Copyvolvo4 Copyvolvo3 Copyvolvo2 Copy

 

Na 4ª posiçaõ encontra-se o barco de Abu Dhabi que já esteve na liderança desta etapa, logo após a largada, faltando cerca de 4076,4 milhas para atingir o final, ficando a 5ª e 6ª posição para os barcos do Team SCA e Mapfre com 4089.6 e 4093, 2 milhas para atingirem o final desta etapa, cujo final estará mais ou menos previsto para dentro de duas semanas, dependendo das condições de vento, que até ao momento têm-se pautado apenas por uma brisa.

 

MINI CONTINUA NA FRENTE DO DAKAR 2015

DAKAR 2015

 

MINI CONTINUA NA FRENTE COM TERRANOVA

 

BARREDA VENCE DE NOVO COM A HONDA E O KAMAZ DE MERVEED NA  FRENTE NESTA ETAPA

 

Depois de ter capotado ontem com o seu Mini, na et+a de hoje Terranova, não deixou os créditos por mãos alheias e acabou por vencer a etapa de hoje, por sinal a terceira.Somo sombra de Terranova, são os Toyota de  De Villiers e Alrajhi, que desta feita tiveram atrás de si o Peugeot de Carlos Sainz, seguido de perto pelo Mini de Al-Attiyah, e Nani Rioma, que assim reentrou em competição, conseguindo chegar na 6ª posição com o Mini.Depois surge Peterhansel num Peugeot, seguido pelo Mini de Van Loon, pelo SMG de Chabot, e finalmente o Toyota da Lavieille.

 

Carlos Sousa, acabou a etapa na 18ª posição, que lhe permite manter-se em 9º da geral.

 

Nas duas rodas, a Honda continua a "jogar forte", com Barreda e P.Gonçalves a dominarem as operações, logo seguidos por um grupo de KTM com Walkener, Coma e Faria.

 

Eentre os camiões a Kamaz passou ao ataque com Mervered que acabou por vencer, trazendo atrás de si op MAN de Loprais e o Kamaz de karginov.Depois surge outro Kamaz, tripulado por Nikolaev, ficando o "top five" completo com o Tatra de Kolomy.dak33 Copydak34 Copydak35 Copydak36 Copydak37 Copydak38 Copydak39 Copydak40 Copydak41 Copydak42 Copydak43 Copydak44 Copydak45 Copydak46 Copydak47 Copydak48 Copydak49 Copydak50 Copydak51 Copydak52 Copydak53 Copydak54 Copydak55 Copydak56 Copydak57 Copydak58 Copydak59 Copydak60 Copydak61 Copydak62 Copydak63 Copydak71 Copydak72 Copydak73 Copydak75 CopyDAK77 CopyDAK78 CopyDAK79 Copydak80 CopyDAK81 CopyDAK82 CopyDAK83 CopyDAK84 CopyDAK85 CopyDAK86 CopyDAK87 Copydak71 Copydak72 Copydak73 Copydak75 CopyDAK77 CopyDAK78 CopyDAK79 Copydak80 CopyDAK81 CopyDAK82 CopyDAK99 CopyDAK98 CopyDAK97 CopyDAK96 CopyDAK95 CopyDAK94 CopyDAK93 CopyDAK92 CopyDAK91 CopyDAK90 CopyDAK89 CopyDAK88 CopyDAK87 CopyDAK86 CopyDAK85 CopyDAK84 Copy

 

A PEUGEOT NO DAKAR 2015

A PEUGEOT NO DAKAR

 

 

 

Após a etapa de abertura do Rally Dakar – naquele que foi o primeiro dia de competição para a Team PEUGEOT Total desde 1990 – todos os três PEUGEOT 2008 DKR regressaram em segurança ao acampamento nocturno montado na Villa Carlos Paz, ultrapassando com êxito os 175 quilómetros do sector competitivo, a que se seguiu a secção mais longa secção de estrada (519 km) de todos os 17 dias desta prova.

 

 

Villa Carlos Paz é um nome familiar para os fãs dos ralis, pois tem sido, ao longo de vários anos, a base da ronda argentina do Campeonato do Mundo de Ralis. Aliás, algumas das estradas usadas no Dakar fazem parte da rota do Rali da Argentina, com o percurso de hoje composto de uma grande variedade de terrenos, alternando secções largas com outras mais apertadas e mais técnicas.

 

Na sua estreia no Dakar, o objetivo principal da Team PEUGEOT Total é levar os 3 carros até ao final, em Buenos Aires no dia 17 de Janeiro, a cerca de 9000 km de distância, após um exigente percurso que também passará pelo Chile e pela Bolívia.

 

Dotado de um bloco de 3,0 litros com duplo turbo, o novo PEUGEOT 2008 DKR não encontrou quaisquer problemas mecânicos durante o seu primeiro dia em prova, tendo dado aos seus três pilotos um encorajamento extra no arranque desta odisseia. Com a Team PEUGEOT Total presente no maior evento do seu historial, após uma passagem pelo mais curto de sempre – o assalto vitorioso ao recorde de Pikes Peak, em 2013 – o desafio aos elementos nunca foi tão significativo. 

 

O duplo Campeão do Mundo de Ralis Carlos Sainz lidera o trio da PEUGEOT, tendo alcançado o 8º tempo na etapa e na geral no final do primeiro dia. «Estou satisfeito… foi um bom início» afirma o vencedor de 2010 do Dakar. «O nosso principal objectivo era completar a especial sem problemas e conseguimos fazê-lo. Conseguimos adaptar o nosso ritmo e foi bom, mesmo que a etapa de hoje não fosse especialmente adequada a carros de duas rodas motrizes».

 

Dois lugares atrás de Sainz, no 10º lugar da geral, está Stéphane Peterhansel, ele que já por 11 vezes venceu o Dakar, sendo o piloto mais vitorioso da história deste evento. Apesar desse facto, confessou-se algo nervoso antes da partida para a etapa: «Sim, estava, de facto, um pouco nervoso», confirmou. «Era tudo novo para nós: a primeira partida, a primeira especial e também nunca tínhamos conduzido neste exacto tipo de superfícies. Mas foi uma boa surpresa, com um bom ritmo, com destaque para a alta velocidade».

 

‘Novato’ na equipa era Cyril Despres, piloto que disputa o seu primeiro Dakar num automóvel depois de ter vencido a prova por cinco vezes nas duas rodas. Terminou a especial na 33ª posição, sem registar problemas. «Tenho muito a aprender, com os melhores professores, aquele tipo de professores que nem todos têm a hipótese de ter!», comentou. «Estou só a dar um passo de cada vez e a conduzir no meu próprio ritmo».

 

Bruno Famin, responsável máximo da Team PEUGEOT Total, alguém que está muito familiarizado com a Argentina, após sete anos ali a trabalhar para a PEUGEOT, referiu: «Afirmámos que iríamos enfrentar a prova etapa a etapa, sendo que apenas passou a primeira – mais parecida com um prólogo alongado – havendo muitas mais pela frente! É manifestamente cedo para se poder concluir alguma coisa, em especial porque a etapa de hoje não era ideal para o nosso carro. Contudo, estamos satisfeitos por termos atingido o final deste primeiro dia com os nossos três carros. O Stéphane teve um furo na roda direita traseira, permitindo-nos testar o sistema automático de enchimento. Amanhã as coisas tornam-se mais exigentes, com uma especial longa que será um verdadeiro teste».

 

Etapa 2 (Villa Carlos Paz-San Juan)

2ª Feira, dia 5 / início às 08:02 (hora local)

Percurso Total: 1458 km / Percurso Cronometrado: 518 km

 

 

 

 

 

 

Resultados após a SS1:

1 Orlando Terranova (ARG)/Ronnie Graue (ARG) Mini                                              1hr 13min 12sec  

2 Robby Gordon (USA)/Johnny Campbell (USA) Hummer                                       1hr 13min 54sec

3 Giniel de Villiers (RSA)/Dirk von Zitzewitz (D) Toyota                                           1h4 14min 02sec

4 Krzysztof Holowczyc (PL)/Xavier Panseri (F) Mini                                                   1hr 14min 06sec

5 Emiliano Spataro (ARG)/Benjamin Lozada (ARG) Renault                                   1hr 14min 08sec

6 Bernhard Ten Brinke (NL)/Tom Colsoul (B) Toyota                                                 1hr 14min 28sec    

7 Nasser Al-Attiyah (QAT)/Matthieu Baumel (F) Mini                                                1hr 14min 50sec (+2 min. de penalização)

8 Carlos Sainz (E)/Lucas Cruz (E) Peugeot 2008 DKR                                              1hr 14min 56sec

9 Erik van Loon (NL)/Wouter Roesegar (NL) Mini                                                        1hr 15min 10sec

10 Stéphane Peterhansel (F)/J-P Cottret (F) Peugeot 2008 DKR                      1hr 15min 25sec

33 Cyril Despres (F)/Gilles Picard (F) Peugeot 2008 DKR                                       1hr23min29 secEtapa1 2008DKR_2_CopyEtapa1 2008DKR_3_CopyEtapa1 2008DKR_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

THE BEST PHOTOS OF MASERATI - 2014

 

 

Conjunto de imagens selecionadas pela Maserati e colhidas no decorrer de 2014.mas1 Copymas2 Copymas3 Copymas5 Copymas13 Copymas12 Copymas11 Copymas10 Copymas9 Copymas8 Copymas6 Copymas5 Copy

 

JACINTO EM 4º

 

Elisabete Jacinto em quarto entre os camiões

Equipa OLEOBAN teve que cavar para retirar MAN TGS da areiaA piloto portuguesa Elisabete Jacinto cumpriu hoje o longo percurso de 432 quilómetros da terceira especial do Africa Race, que ligou Tangounite a Assa, em 6h11m03s terminando esta etapa em quarto lugar da categoria camião e na 13ª posição da geral.

O setor seletivo que atravessou o Erg Chegaga e que era composto, na parte final do dia, de piso duro com muita pedra não impediu a equipa portuguesa de imprimir um bom andamento: “apesar de ter sido uma etapa muito dura o dia de hoje foi positivo. Andámos sempre no ritmo mais rápido que nos era possível e passámos bem o Erg Chegaga. No entanto, no último cordão de dunas ficámos presos numa crista e estivemos cerca de meia hora a cavar para tirar o camião dali. Os camiões que vinham atrás de nós rapidamente nos ultrapassaram. Mas, tentámos recuperar ao máximo o tempo perdido e determinada altura da especial viemos lado a lado com o Kovacs até que ele se enganou e eu passei à frente. Conseguimos terminar em quarto, o que não é um mau resultado face à forte concorrência que temos este ano”, revelou Elisabete Jacinto.

A equipa OLEOBAN® é, após o terceiro dia de corrida, a quarta classificada entre os camiões e assume o 13º posto da tabela conjunta.

A formação portuguesa segue para a especial de amanhã com uma diferença de 33 minutos para o terceiro camião, o TATRA do checo Tomas Tomecek. Hoje o KAMAZ do russo Anton Shibalov foi o primeiro camião a atravessar a linha da meta e foi o segundo veículo mais rápido em pista tendo terminado a etapa com uma curta diferença de 1m32s para vencedor do dia, o belga Jaques Loomans que compete num Toyota.

A quarta etapa do Africa Eco Race 2015 disputa-se amanhã entre Assa e As Sakn onde vão ser percorridos um total de 394 quilómetros dos quais 379 serão cronometrados. O dia não será fácil. O percurso começa com vários trilhos de montanha, complicados de atravessar, até surgirem as ardilosas pistas de areia. O ponto alto da etapa será a passagem por um enorme desfiladeiro que apresenta uma deslumbrante vista panorâmica que não deixará ninguém indiferente.

 

GONÇALVES A CINCO SEGUNDOS DA VITÓRIA

 

Paulo Gonçalves a cinco segundos da vitória no arranque do Dakar 2015

Piloto português partiu do sétimo posto e foi ganhando posições até se instalar no 2.º lugar da primeira etapa

A 37.ª edição do Rali Dakar arrancou hoje para a estrada com a caravana a largar de Buenos Aires rumo a Villa Carlos Paz num total de 838 quilómetros entre as duas cidades argentinas, dos quais 175 seriam a contra-relógio. Paulo Gonçalves foi o segundo piloto mais rápido do dia, tendo terminado a “especial” cronometrada no segundo lugar a apenas cinco segundos do vencedor.

O piloto português, Campeão do Mundo de Ralis em 2013 e Vice-Campeão na temporada de 2014, partiu para a etapa na sétima posição mas foi sempre subindo na classificação até “magros” cinco segundos lhe roubarem aquela que poderia ter sido a primeira vitória em etapas na prova-rainha em 2015.

“Tudo correu de feição, parti de trás e fui sempre alcançando os adversários que saíram na minha frente. Tentei ainda atacar um pouco mais na parte final para chegar à vitória mas a diferença para o Sunderland, que abriu percurso, era alguma. Optei por não arriscar, fiquei satisfeito com o resultado, é este o meu objetivo para esta prova, por isso vamos continuar a fazer boas etapas para poder chegar ao fim em luta pela vitória no Dakar 2015”, referiu “Speedy” Gonçalves no final da tirada.

Se este foi um começo ainda atenuado, o verdadeiro arranque do Rali Dakar é esperado amanhã, com a segunda etapa a compreender uma “especial” cronometrada na ordem dos 518 quilómetros entre Villa Carlos Paz e San Juan, na Argentina. A partir do segundo posto, Paulo Gonçalves contará com a perseguição direta dos seus principais adversários na corrida pela liderança.

Acompanhe Paulo Gonçalves em www.facebook.com/PauloGoncalvesFansPage.Paulo Gonalves_Dakar_2015_04_de_Janeiro_de_2015_1_Copy

 

JEAN PIERRE BELTOISE MORREU

JEAN PIERRE BELTOISE MORREU

 

Foi ontem na sua casa em dakar no Senegal, que o conhecido piloto francês Jean Pierre Beltoise, depiois de sofrer dois avc.De referir que Jean Pierre Beltoise, passou por uma série de equipas de Fórmula1, obtendo grande destaque nas 24 Horas de Le Mans, ao volante dos Matra.beltoise1 Copybeltoise2 Copybeltoise3 Copybeltoise4 Copybeltoise5 CopyBELTOISE Copy

 

BAMP COM EXCELENTE ARRANQUE

 

Equipa BAMP com excelente arranque

No Top 30 da 1ª etapa à frente de 3 Mini, 1 Peugeot e 1 Mitsubishi

Já arrancou a edição 2015 do Dakar Argentina Bolívia Chile e a prestação da equipa BAMP (Brasil Angola Moçambique Portugal) foi bastante positiva nesta etapa inaugural. Aos comandos de uma Nissan Navara V8, o piloto português Ricardo Leal dos Santos averbou o 26º tempo, um resultado que todavia poderia ter sido melhor não fora o seu andamento ter sido travado ao longo de quase todo o setor seletivo pelo piloto australiano que partiu 30s à sua frente.

Mesmo assim de registar que nestes primeiros 175 quilómetros Ricardo Leal dos Santos, navegado por Carlos du Sachs, superou já pilotos com a qualidade de Cyril Despres em Peugeot, assim como três pilotos que pilotavam os super competitivos Mini (o chinês Zhou, o chileno Garafulic e o alemão Schott) e ainda entre muitos outros o brasileiro Spinelli em Mitsubishi.

"Como primeiro teste estou extremamente satisfeito. O carro provou estar bem preparado, as alterações que nele foram introduzidas resultaram muito bem e estou muito confiante de que poderemos evoluir de forma muito positiva neste Dakar", salientou no final do troço de 175 quilómetros Ricardo Leal dos Santos que acrescentou:

"Numa pista rápida e muito perigosa que permitia atingir altas velocidades era quase impossível tentar ultrapassagens. O pó levantado pelo carro da frente formava quase sempre uma barreira que nos impedia de tentar qualquer aproximação. Estou seguro de que poderíamos ter feito ainda um pouco melhor mas isso não é muito importante nesta fase inicial. O mais importante foi o excelente entrosamento que consegui com o Carlos e o facto de tudo ter corrido sem qualquer tipo de percalço”.

A segunda etapa do Dakar 2015, que amanhã se irá disputar é a mais longa do rali. Terá 518 quilómetros cronometrados inseridos num traçado que liga Villa Carlos Paz a San Juan. Um troço muito variado que termina já em pistas arenosas.

 

 360 dk15_josemariodias_003461_alta_Copy

 

JACINTO COM PROBLEMAS

 

Elisabete Jacinto mantém-se em prova apesar de grave problema mecânico

Portugueses passaram CP1 em 2º lugar entre os camiões quando se partiu o apoio do amortecedor da frente

Elisabete Jacinto mantem objetivo de chegar ao fim desta edição do AER 2015A sorte não esteve do lado da piloto Elisabete Jacinto na quarta etapa do Africa Race 2015, que se cumpriu hoje entre Assa e As Sakn. A equipa OLEOBAN® conseguiu imprimir um excelente andamento até CP1, onde chegou em segundo lugar entre os camiões à frente do KAMAZ do russo Sergey Kuprianov, quando o apoio do amortecedor da frente do MAN TGS da formação lusa se partiu.

Apesar deste enorme revés, o trio composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho manteve-se em prova. De forma a penalizar o mínimo possível os portugueses utilizaram um percurso alternativo na tentativa de cumprir os quatro CPs que compunham a etapa de hoje. Todavia, a equipa acabou por falhar dois postos de controlo: “hoje tivemos pouca sorte. Partimos o apoio do amortecedor da frente pouco depois de sairmos de CP1 o que nos obrigou a sair do percurso normal da etapa. Falhámos dois CPs e, como consequência, teremos uma grande penalização. Ainda assim, vamos trabalhar arduamente e fazer todos os possíveis para recuperar o camião para podermos continuar em prova e cumprir a corrida até ao fim. O objetivo, a partir de agora, é fazer bons resultados nas especiais” afirmou Elisabete Jacinto.

Equipa OLEOBAN na 4ºetapa do AER 2015A quinta etapa desta sétima edição do Africa Race cumpre-se amanhã entre As Sakn e Dakhla. Será a última especial realizada em solo marroquino porque depois do dia de descanso, que se cumpre mais uma vez na cidade costeira de Dakhla, a caravana entra na Mauritânia. Amanhã, os concorrentes têm pela frente uma especial com 226 quilómetros que serão percorridos ao longo de uma pista rápida, mas pedregosa, até chegarem a uma magnífica descida para o imenso Oued Hamra. A pista tornar-se-á então muito sinuosa e exigirá um bom desempenho dos navegadores pois a navegação será um factor determinante para se alcançar uma boa classificação neste dia.

 

AS PREVISÕES DE JOÃO CARLOS COSTA PARA O DAKAR 2015

AS PREVISÕES DE JOÃO CARLOS COSTA PARA O DAKAR 2015

 

Sendo um dos nomes mais conhecidos em termos jornalisticos, com algumas décadas de profissão, João carlos Costa, actualmente comentador do canal Eurosport, faz uma previsão do que poderá ser a edição deste ano do Dakar.Curiosa sem duvida alguma, falta ver se isto se concretiza, por isso vamos ter de esperar para ver....

 

 

 

COMO SEMPRE ACONTECE, "meto a cabeça no cepo" e arrisco com a previsão de um top 10 para as categorias de carros e motos (top 5 nos quads e camiões) nas minhas antevisões de cada edição do Dakar, prova que uma vez mais pode acompanhar em dose dupla, diariamente, no Eurosport Internacional. Começo com os carros... e daqui a 18 dias vou rir-me (para não chorar...) muito com as minhas antevisões. Já devia ter aprendido que prognósticos só no final do jogo.

--------

Dakar 2015
Quando a incerteza é uma arma

A incerteza sobre o vencedor é uma realidade nas quatro categorias à partida no Dakar 2015. Nas próximas linhas vou apresentar os grandes candidatos e fazer as minhas habituais apostas para os Top 10 (carros e motos) e Top 5 (camiões e quads).

Nesta sétima viagem pela América do Sul, naquela que é a 37ª edição do “Dakar”, o mais duro rali do mundo visita Argentina, Chile e Bolívia, com partida de Buenos Aires (dia 4 de Janeiro) e chegada de novo na cidade do Tango (dia 17) após mais de nove mil quilómetros de extrema dureza, metade dos quais cronometrados, divididos por 13 etapas. Será um Dakar “à Dakar”, num percurso que em boa parte repete as zonas mais complicadas da edição anterior, mas surgindo no papel ainda mais difícil, com etapas maratona (sem assistência pesada) também para os carros, e mais quilómetros a percorrer diariamente. Tal obrigou as equipas de topo a traçar planos especiais. A X-Raid e a Toyota já disseram que nas etapas Maratona, na Bolívia, o carro mais atrasado em prova será “mula de carga”, enquanto a Peugeot inscreveu um Toyota para Jean-Pierre Ratet apenas e só para fazer essa função na viagem até Uyuni. 
O percurso escolhido pela ASO leva a que a velocidade não seja um factor decisivo na vitória. Há que jogar em termos tácticos, evitar os problemas e, dia após dia, andar no topo da classificação. Qualquer ligeiro atraso pode significar o fim do sonho de triunfo. 
Este Dakar 2015 tem tudo para ser um grande espectáculo. Existem vários candidatos ao triunfo nas quatro categorias, entre eles três portugueses nas motos (Ruben Faria, Hélder Rodrigues e Paulo Gonçalves, num total de 12 representantes lusos). Muitos dos favoritos transportam consigo incógnitas, sobretudo em termos de fiabilidade. Fica por isso mais apimentada a batalha pelas vitórias nas quatro categorias, ainda que para a grande maioria dos 138 carros, 164 motos, 48 quads e 64 camiões inscritos, chegar ao fim será, só por si, uma enorme conquista.

CARROS
Peugeot pode mudar os Rali-Raid?
Um quarto de século passado sobre a quarta e última vitória no Dakar, a Peugeot está de volta com o 2008 DKR (motor V6 3,2 litros, diesel biturbo, com 340 cv), um buggy duas rodas motrizes que tem tudo para mudar o panorama das provas de todo terreno como o 205 T16 Rallye Raid também o fez há 30 anos. Muitos chamam-lhe de OVNI. Eu diria que é um carro perfeito para o capataz de uma daquelas grandes minas do Deserto do Atacama. Mais a sério: é, sobretudo, um incrível protótipo de competição, com rodas enormes, colocadas nos extremos do chassis. Um devorador de quilómetros em mau piso graças ao enorme curso da suspensão, capaz de ser suave na transposição das dunas devido à suavidade e binário do motor e a uma distância ao solo de 44 cm. Fica por confirmar a fiabilidade. Há três meses, o director de projecto, Bruno Famin, dizia que podiam vencer ou ficar logo na primeira etapa. Penso que a situação se alterou nos testes em Marrocos, onde as indicações foram muito positivas. Mas há bastantes incógnitas. Talvez demasiadas… 
Claro que a equipa conta com a velocidade natural de Carlos Sainz. Conta ainda mais com o saber e a experiência de Stephane Peterhansel, que procura a 13ª vitória (sexta em automóveis) e considera ser o 2008 DKR o carro perfeito para o seu estilo. E a Peugeot tem um “aguadeiro” de luxo em Cyril Despres, um penta campeão nas motos com enorme capacidade a ler o terreno, desejoso de mostrar que pode fazer aquilo que Peterhansel fez de forma perfeita no início do século: trocar as duas pelas quatro rodas e continuar a vencer.
Face a este “exército” de meios técnicos, financeiros e de pilotos com enorme potencial, a Mini X-Raid apresenta uma “armada” em número de carros, 11 no total: uma dezena de Mini ALL 4 Racing (6 cilindros turbo diesel, 3,0 litros, 310 cv), vencedor dos três últimos Dakar, aos quais se junta um buggy (ex-Al-Attiyah/Sainz, mas fortemente alterado) para Guerlain Chicherit, pensando na possibilidade do futuro dos rali-raid passar mesmo pelos 2RM. 
Confirmada que está a presença da Mini no Dakar até 2017, foram introduzidas alterações nos ALL 4 Racing: centro de gravidade mais baixo, novas suspensões e redução do peso total. Se não for em velocidade, a equipa de Sven Quandt quer bater a Peugeot pela quantidade. Poderá arriscar, ter lebres nas etapas iniciais, levando os 2008 DKR a cair no engodo. Acredito que em andamento puro os Mini perderão para os Peugeot, mas em fiabilidade devem estar um (ou vários) passos à frente. Basta lembrar que em 2014 todos os dez Mini chegaram ao final. E aí pode residir a chave da vitória…
Com a saída de Peterhansel, Nani Roma fará tudo para confirmar a posição de chefe-de-fila e repetir a vitória do ano passado. Só que terá em Nasser Al-Attiyah um adversário dentro da própria estrutura, para mais defendendo cores de bebidas energéticas rivais. E ao árabe é reconhecida uma velocidade que o espanhol raramente mostrou. Razão da minha escolha: Al-Attiyah é o grande candidato ao triunfo. 
Ainda com Mini, esquecer Krzysztof Hollowczyc e Orlando Terranova será um erro crasso. O polaco quer vingar 2014 onde saiu de prova demasiado cedo e magoado, enquanto o argentino deseja ver-se consagrado como herói nacional, caso chegue a Buenos Aires como vencedor. Mas talvez seja sonhar demasiado alto…
Os objectivos dos outros Mini - Vladimir Vasilyev, Eric van Loon, Boris Garafulic (com o português Filipe Palmeiro como navegador), Aidyn Rahimbayev, Stephan Schott e Yong Zhou - passam por chegar ao fim no top 10 e ganhar etapas.
A Toyota volta a apostar no projecto Overdrive, que inscreve uma dezena de Hilux (V8 gasolina 5,0 litros e 310 cavalos). Nesse grupo, os olhos estão postos nos Imperial Toyota, verdadeiros carros oficiais do importador da marca na África do Sul, ainda que com pouco apoio vindo do Japão. A pick-up Hilux com chassis tubular e suspensão independente às quatro rodas estreada no ano passado surge mais desenvolvida a todos os níveis, a começar por ser 60 kg mais leve e ter um centro de gravidade mais baixo, para além dos motores a gasolina terem um milímetro mais de “pulmão” no restritor de admissão, comparativamente aos diesel. 
É com esta Hilux renovada, capaz de ser agora mais eficaz nas zonas sinuosas, que Giniel de Villiers acredita ter hipótese de voltar a ganhar (estão presentes todos os vencedores dos “Dakar” sul-americanos - De Villiers [2009), Sainz [2010], Al-Attiyah [2011], Peterhansel [2012 e 2013] e Roma [2014]). O também sul-africano Leeroy Poulter quer fazer melhor que na estreia no ano passado e a Imperial foi buscar Christian Lavieille à Great Hall (os chineses estão ausentes) para guiar a Hilux de assistência rápida, versão 2013, com eixo rígido atrás. Tanto Lucio Alvarez como Bernhard Ten Brinke, ou até Marek Dabrowski (o melhor privado em 2014), podem levar os Toyota ao Top 10, sobretudo se o Dakar 2015 se revelar ainda mais duro do que parece no papel.
Dakar sem Robby Gordon não é Dakar. O rei do espectáculo é um piloto de todo ou nada, este ano com uma nuance: o americano está mesmo muito confiante que tem no HST Gordini (V8 Chevrolet 5.7 litros a gasolina) a arma certa para as dunas de Coppiapo na Argentina e, mais ainda, para o deserto do Atacama. Resta saber como irá desembaraçar-se nas zonas mais estreitas e técnicas… Se evitar erros e falhas mecânicas, aponta pelo menos ao pódio.
Os Buggy SMG também são de ter em conta, com o patrão Philippe Gache a pilotar um deles, sendo os outros entregues a Adam Malysz e Ronan Chabot. No campo dos “aranhiços” merecem ainda destaque o dois MD Optimus de Pascal Thomasse e Romain Dumas, este último piloto Porsche no Mundial de Resistência (WEC) e vencedor das 24 Horas de Le Mans em 2010, que depois das pistas e dos ralis (fará de seguida o Monte Carlo), descobre agora o Dakar. 
Na luta pelo Top 10, o renovado Renault Duster (agora com um motor V8, 4,5 litros e 380 cv) do argentino Emiliano Spataro pode ser o “dark horse”, tal como os Mitsubishi ASX vindos do Brasil e tripulados por Guilherme Spinelli e o nosso Carlos Sousa. Mais difícil será o Ford Ranger da South Racing, preparado em Portugal e guiado por Federico Villagra, conseguir esse feito. Mas todos sabemos que o Dakar é propenso a surpreender-nos…
O MEU TOP 10: 1º Al-Attiyah; 2º Gordon; 3º Peterhansel; 4º Despres; 5º Roma; 6º De Villiers; 7º Terranova; 8º Garafulic ; 9º Van Loon; 10º Sousa.JCC Copy

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

 

5 de janeiro de 2015

West Timor

Quando saí do ferry vindo da ilha de Flores para Kupang, em Timor Ocidental, eram duas da manhã. Ainda hesitei em arrancar logo a caminho da fronteira com Timor Leste mas na pequena cidade onde desembarquei haviam vários grupos de jovens com muito mau aspecto que me chamavam quando eu passava e aquela hora, sem nada para fazerem, tinham ar de quem procurava problemas.
Por outro lado, sem acesso à internet nos últimos dois dias não tinha anotado o nome das cidades por onde teria que passar pelo que mais uma vez teria que me guiar pela bússola do iphone, visto que o GPS deixou de trabalhar há uns dias. E ainda eram duas da manhã pelo que teria três horas  e meia de circulação à noite que eu tento sempre evitar, pelos perigos que envolve. Além disso também tinha dormido mal e pouco no barco, com aqueles dois homens praticamente na minha cama, um de cada lado.
Por sorte, ao atravessar a cidade, passei por um Hotel que tinha a porta aberta de maneira que fiquei por ali a dormir mais umas horas.
Acordei perto das oito da manhã mas depois de tomar um duche e o pequeno almoço fui pôr os mails em dia e verificar o trajeto que teria que efetuar até Dili. Acabei por deixar o Hotel só às onze da manhã.
A estrada até perto da fronteira, cerca de 300 Km, era melhor do que eu estava à espera embora com algumas zonas onde o alcatrão tinha abatido, provocando lombas que por duas vezes me fizeram a mala esquerda, a tal que tem um suporte partido, saltar dum dos outros dois apoios, ficando a roçar no pneu.
Quando estamos perto da fronteira temos a ultima cidade Indonésia, Atambua e depois 30 Km de uma estrada em muito mau estado. Pensei que só me podia ter enganado e por três vezes parei para perguntar se aquela estrada era a única entre Timor Ocidental e Oriental. Confirmaram-me que sim e segui caminho. Ás tantas a estrada tinha abatido com as chuvas e a faixa de alcatrão resumia-se a uma pequena passagem para motos.
Cheguei à parte Indonésia da fronteira às quatro da tarde e informaram-me que já não seria possível passar pois em Timor Leste era mais uma hora e a fronteira fechava à cinco.
Perguntei se na aldeia não haveria um sítio onde pudesse ficar, uma pensão ou alguém que alugasse um quarto até porque nessa altura começou a chover e a estrada de volta para a cidade estaria ainda pior.
Disseram-me que não mas o chefe de alfândega acabou por me perguntar se eu não queria ficar a dormir no sofá da messe dos funcionários da alfândega, mesmo ali ao lado. Aceitei a sugestão e arrumei a moto num barracão que me indicaram. Nesse momento a chuva aumentou muito de intensidade.
Instalei-me na messe, sozinho, pois os guardas partiram para casa. Passado um bocado apareceu um, de camuflado, a dizer que eu ali não estaria bem e se não preferia ir dormir à camarata dos militares, que me arranjava um colchão. Concordei e levou-me falar com o chefe que acabou por sugerir eu ficar num colchão no escritório dele. Fui a uma pequena loja local comprar mais uma daquelas embalagens com esparguete instantâneo e tofu que tinha sido também o meu almoço e jantar do dia anterior e por ali fiquei a dormir. Às seis da manhã o chefe já estava no escritório e acordei com ele a traçar linhas num mapa com os pontos a controlar na fronteira terrestre.
Levantei-me, agradeci a estadia e voltei para a messe ler, porque a fronteira só abria às oito.
Quando passei para o lado de Timor Leste os guardas pareciam crianças, divertidos a praticar o seu português.

 

TOYOTA DISPONIBILIZA MILHARES DE PATENTES GRÁTIS

Toyota disponibiliza milhares de patentes ligadas à pilha de hidrogénio

O construtor automóvel japonês Toyota anunciou, esta segunda-feira, a disponibilização gratuita de milhares de patentes ligadas à utilização de pilhas de combustível com base no hidrogénio, com a esperança de acelerar o desenvolvimento desta tecnologia.

A Toyota vai autorizar o uso sem licença do conjunto das suas 5.680 patentes sobre pilhas de combustível", indicou o vice-presidente da Toyota US, Bob Carter, durante uma conferência de imprensa em Las Vegas.

A decisão, com incidência mundial, cobre as patentes sobre as próprias pilhas, mas também as ligadas aos depósitos dos veículos, ao software de controlo ou às estações de serviço adequadas para o hidrogénio.

O desenvolvimento de uma rede importante de tais estações é considerado vital para permitir o arranque destes veículos, dos quais a Toyota se apresenta como precursor com a berlina Mirai (Futuro, em Japonês), apresentada oficialmente em novembro.

Os veículos que utilizam o hidrogénio não emitem gases com feitos de estufa, apenas água, ao passo que o hidrogénio em si "é um gás que se dissipa simplesmente na atmosfera", realçou durante a conferência de imprensa o físico e futurólogo norte-americano de ascendência japonesa Michio Kaku.

O anúncio ocorreu na véspera da abertura em Las Vegas do salão anual de eletrónica para o grande público International CES, onde muitos construtores automóveis vão apresentar o seu modelo de viatura do futuro. A Toyota vai expor o Mirai.

 

Fonte : Jornal de Noticias On LIne

 

 

DAKAR 2015

DAKAR 2015

 

AL-ATTIYAH(mINI) NA FRENTE ENTRE OS AUTOMÓVEIS

 

NOS CAMIÕES O KAMAZ DE NIKOLAEV E BARREDA EM HONDA

 

O MIni de Al-Attiyah foi o vencedor da 2ª etapa do Dakar, tendo logo atrás de si, os Toypta de De Villeirs e Ten Brinke.Depois na 4ª posição segue o Mini de Holowczyc e Vasilev, estando o 6º posto pertença de Alraphi.Na 7ª posição surge o Peugeot de Carlos Sainz e o Mini de Van Loon, ficando o "top ten" o Mitsubishi de Carlos Sousa e o MIni de Terranova, que seria o protonista dum capotanço, que o fez perder cerca de vinte minutos.

 

Nas motos, o duelo entre a Honda e a KTM continua ao rubro, onde a marca nipónica garatiu as duas primeiras posições com Barreda e o piloto português Paulo Gonçalves.Nas posições seguintes classificarsam-se as KTM do piloto português Ruben faria, Villadoms, Price e Coma.

 

Nos peso pesados, nos camiões a Kamaz venceu a etapa de hoje com Nikolacev, trazendo na sua esteira o Maz de Viazovich, faltando a "pedalada" ao Iveco de Marrdeev, que acabou por ocupar o degrau mais baixo do pódio.Na posição seguinte classificou-se o Iveco de Stacey, o Tatra de Kolomy e o Renault de Van DEr Brink.dak33 Copydak34 Copydak35 Copydak36 Copydak37 Copydak38 Copydak39 Copydak40 Copydak41 Copydak42 Copydak43 Copydak44 Copydak45 Copydak46 Copydak47 Copydak48 Copydak49 Copydak50 Copydak51 Copydak52 Copydak53 Copydak54 Copydak55 Copydak56 Copydak60 Copydak61 Copydak62 Copydak63 Copydak70 Copydak72 Copydak73 Copydak74 Copydak75 Copydak76 Copydak77 Copydak78 Copydak79 Copydak80 Copydak81 Copydak82 Copydak83 Copydak84 Copydak85 Copydak86 Copydak87 Copy

 

GALERIA DE IMAGENS - DTM 2014

GALERIA DE IMAGENS

 

 

DTM 2014

 

 

Grupo de imagens da época de 2014, que contou com a participação do piloto português António Felix da Costa.dtm1 Copydtm2 Copydtm3 Copydtm4 Copydtm5 Copydtm6 Copydtm8 Copydtm9 Copydtm10 Copydtm11 Copydtm12 Copydtm13 Copydtm16 Copydtm17 Copydtm19 Copydtm20 Copydtm21 Copydtm22 Copydtm22 Copydtm23 Copydtm24 Copydtm25 Copydtm26 Copydtm27 Copydtm28 Copydtm29 Copydtm30 Copydtm31 Copydtm32 Copydtm33 Copydtm34 Copydtm35 Copydtm36 Copydtm36 Copydtm37 Copydtm38 Copydtm39 Copydtm40 Copydtm41 Copydtm42 Copydtm43 Copydtm44 Copydtm45 Copydtm46 Copydtm47 Copydtm48 Copydtm49 Copydtm50 Copydtm51 Copydtm52 Copydtm53 Copydtm54 Copydtm55 Copydtm56 Copydtm57 Copydtm58 Copydtm59 Copydtm60 Copy

 

ELISABETE PRONTA PARA A MAURITÂNIA

Elisabete Jacinto motivada para atacar deserto da Mauritânia

Cumpriu-se hoje o dia de descanso do Africa Eco Race 2015. Em Dakhla, uma bela cidade costeira do sul de Marrocos, a equipa OLEOBAN® composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho usufruiu de um dia onde teve a possibilidade de rever a mecânica do MAN TGS de competição e ajustar as estratégias para as próximas jornadas.

Elisabete Jacinto tem estado em destaque nesta competição onde logo ao segundo dia alcançou a sua primeira vitória em etapas. Mesmo perante a forte concorrência que enfrenta este ano – na linha de partida estão dois KAMAZ, o SCANIA de Miklos Kovacs e o TATRA de Tomas Tomecek, o já três vezes vencedor desta competição – a portuguesa mostrou toda a sua competitividade ao imprimir um andamento sólido e extremamente eficaz desde o primeiro momento.

Todavia, um grave problema mecânico a afetou o MAN TGS da formação portuguesa, durante a quarta etapa deste Africa Race. Essa situação penalizou fortemente a equipa OLEOBAN® que, ainda assim, foi capaz de encontrar soluções para todas as dificuldades e na quinta etapa os portugueses conseguiram terminar a especial num brilhante segundo lugar entre os T4 a apenas três minutos do vencedor do dia da categoria camião, o KAMAZ de Sergey Kuprianov.

Depois do merecido dia de descanso Elisabete Jacinto entra amanhã nas pistas da Mauritânia onde conta ter dificuldades acrescidas: “quando entramos na Mauritânia sabemos que a competição vai começar a ser mais dura. De agora em diante o piso será muito diferente e as pistas não vão ser fáceis de ultrapassar. O nosso camião é muito pesado e fica facilmente preso nas areias moles do deserto mauritano. Por este motivo, as perspectivas de vencer etapas são menores. No entanto, vamos continuar a dar a nossa melhor etapa após etapa para obtermos bons resultados”, revelou a piloto portuguesa.

Apesar das dificuldades registadas, Elisabete Jacinto faz um balanço positivo da primeira parte desta corrida: “as especiais que cumprimos em Marrocos correram bem e se não fosse o problema mecânico que tivemos durante a quarta etapa estaríamos, de certeza, a discutir os lugares da frente da corrida. Vencemos uma especial e mostrámos que conseguimos ser muito competitivos”, acrescentou a piloto da formação OLEOBAN®.

Em termos desportivos, esta sétima edição do Africa Eco Race é liderado por Jaques Loomans, na classificação conjunta auto camião, enquanto o russo Anton Shibalov, da equipa KAMAZ, segue na frente da categoria T4. Elisabete Jacinto figura, em virtude da forte penalização sofrida na quarta etapa, na 24ª posição da classificação geral. Até ao momento, estão já cumpridas cinco das 12 etapas que compõe este rali e foram percorridos 2759 quilómetros em solo marroquino.

Amanhã a caravana sai de Marrocos e vai realizar uma longa ligação de 437 quilómetros até à Mauritânia. A especial desta sexta etapa, que liga Dakhla a Chami, cumpre-se já em solo mauritano. Na passagem da fronteira as equipas percorrem os famosos 7 km da chamada “Terra de Ninguém”. O sector selectivo será curto, conta apenas com 174 quilómetros cronometrados. elisabete jacinto_e_o_navegador_jos_merques_estabelecem_estratgias_para_os_prximos_dias_Copyequipa oleoban_no_dia_de_descanso_do_aer_2015_Copy
 

A TODOS OS LEITORES INTERESSADOS

A TODOS OS LEITORES INTERESSADOS

 

 

Abriu no passado dia 2 de Janeiro o concurso para a criação do Troféu Circuito Internacional de Vila Real. Sabendo que a paixão pelo desporto automóvel é abrangente e leva a processos criativos com elevado potencial artístico, a Associação Promotora do Circuito Internacional de Vila Real lançou à comunidade este repto com o intuito de se criar aquele que seja um símbolo identificativo da pista Transmontana e da cidade de Vila Real, a entregar aos pilotos vencedores das provas que nela decorrerem. As candidaturas poderão ser entregues até ao dia 27 de Fevereiro. Os interessados poderão descarregar o regulamento e preencher o formulário de candidatura no site do Circuito:www.circuitodevilareal.pt

‪#‎CircuitoVilaReall‬ ‪#‎UrbanRaces‬ ‪#‎ConcursoTroféu‬ ‪#‎APCIVR‬ ‪#‎VilaReal‬

 

FORD RANGER NO DAKAR 2015

 

37 Dakar Argentina-Bolívia-Chile (03-17 janeiro de 2015)
Fase 1: Buenos Aires - Villa Carlos Paz
ligação, 663 km; especial, 170 km; total, a 833 km.

Propshaft BROKEN CUSTOS VILLAGRA tempo valioso ON
ABERTURA RALLY DAKAR fase em sua FORD RANGER

• do Qatar Nasser Saleh Al-Attiyah leva primeira vitória de etapa e definitivas chumbo Dakar
• Villagra e Memi cara assustadora luta de volta por meio de marcadores para trás sobre próximos dias

Villa Carlos Paz, Argentina, 04 de janeiro de 2015 - O duo argentino Federico Villagra e de Andrés Memi sofreu uma propshaft traseira quebrada perto do início do primeiro sector selectivo 170 quilômetros do Rally Dakar 2015 entre Buenos Aires e Villa Carlos Paz e perdeu mais de 80 minutos completando o especial em apenas duas rodas motrizes no domingo à tarde.

Depois de uma seção de contato não-competitiva 144 quilômetros da capital argentina para o início da etapa de abertura em Baradero, de Villagra YPF Competicion Ford Ranger - que está sendo executado no evento pela Sul Racing e foi preparado por Neil Woolridge Motorsport - foi classificada na 18ª posição através da abertura de controle de passagem no ponto de 15 km.

Mas a equipe quebrou um propshaft traseira logo depois e caiu 51 minutos para reunir líder Nasser Saleh Al-Attiyah no segundo controle de passagem após 69 km e mais 20 minutos para o Catar no PC4.

Eles finalmente chegaram ao final estágio em um tempo de 2h 36min 38sec e foram classificados na base da classificação geral na posição 130 não oficial, 1hr 23min 48sec atrás do líder, e de frente para uma luta de volta a partir do fim da cauda da placa do líder sobre nos próximos dias.

"Foi uma coisa decepcionante para acontecer no primeiro dia, mas esta corrida já começou e é muito longa", refletiu Villagra. "Fizemos isso para o final da etapa. Nós quebramos um propshaft logo no início e teve que voltar para casa em duas rodas motrizes. Com certeza, vamos lutar de volta amanhã. A Ford Ranger é rápido, a equipe está atrás de nós e estamos ansiosos para subir de volta a placa do líder. "

Al-Attiyah liderou desde o início até o fim do estágio em San Nicolas de Los Arrocos e afiado em um 22 segundos de vantagem sobre a título definitivo motorista argentino Orlando Terranova. Um troço de estrada longo então guiado tripulações para a área de serviço e parada durante a noite em Villa Carlos Paz.

A cidade é mais conhecida na base para o evento do Campeonato FIA World Rally na Argentina e passa perto de casa da cidade de 45-year-old Villagra de Córdoba.

Além da companhia de energia argentina YPF, programa Dakar de Villagra está sendo apoiado por suspensão e OEM empresa de peças Fric Rot, Brenson (Concessionário Ford), Piamontesa e empresa de construção Natania. OMP, Michelin, Rudy Projeto e Gold Nutrition forneceram assistência técnica.

Amanhã (segunda - feira, 5 de janeiro), a rota Dakar orienta equipes mais ocidental através das terras argentinas para San Juan na região de Cuyo, a cidade rodeada por sopé da Cordilheira dos Andes a oeste e situado no Vale de Tulum. San Juan é mais notável por seus vinhedos nas proximidades.

Em um calendário previsto de 625 km, 518 km será competitivo em que raça funcionários afirmaram será um exigente e variado especial com navegação complicada, cheia de pedras e uma seção final através de terreno arenoso para pegar o incautos.

 

Google TradutorFederico Villagra_Andres_Memi_and_their_Ford_Ranger_at_the_start_of_the_2015_Dakar_Rally_in_Buenos_Aires._CopyFederico Villagra_and_his_Ford_Ranger_on_the_Dakar_Rally._CopyFederico Villagra_in_action_on_stage_one_of_the_Dakar_Rally._Copy

 

CARLOS SOUSA NO DAKAR

 

Dupla portuguesa da Mitsubishi Brasil conclui etapa inaugural no 12º lugar da geral, perdendo pouco mais de 3m para o primeiro líder da classificação. Amanhã disputa-se a mais longa especial da prova, num total de 518 km cronometrados, no primeiro grande teste deste Dakar
Carlos Sousa e Paulo Fiuza com “entrada tranquila” na primeira especial do Dakar 2015
Está cumprida a primeira especial do Dakar 2015 para a única dupla portuguesa a competir na categoria automóvel. Confirmando as expetativas iniciais, face às características do percurso – com longos e rápidos estradões – Carlos Sousa e Paulo Fiuza concluíram os 170 km da especial inaugural no 12º lugar da classificação, a pouco mais de 3m do primeiro líder do rali.
Um resultado “perfeitamente dentro das expetativas” de Carlos Sousa, “até porque abordamos esta primeira especial com uma postura bastante conservadora, quase como se tratasse de um shakedown. Os objetivos para estes primeiros quilómetros eram, essencialmente, perceber se tudo estava a funcionar bem com o carro e procurar entrar o mais rapidamente possível no ritmo de corrida, o que nem sempre foi fácil… O percurso era o que esperávamos, com longas retas intercaladas por apertados ganchos, sem grande dificuldade do ponto de vista da condução, embora a exigir já alguma concentração. Perdemos um pouco para a concorrência ao nível da velocidade de ponta, o que também já era esperado, mas gostamos globalmente do comportamento do carro. Amanhã será já um dia bastante mais complicado e exigente, com a organização a brindar-nos logo ao segundo dia de prova com a especial mais longa deste Dakar. A partir daqui, o objetivo é ir subindo de lugares todos os dias”, resumiu o piloto português à chegada a Vila Carlos Paz.
Numa etapa dominada pelos MINI – três carros nos cinco primeiros lugares –, Nasser Al-Attiyah foi o mais rápido a cumprir os 170 km da especial, deixando o seu colega equipa e herói local, o argentino Orlando Terranova, a 22 segundos de diferença, enquanto Robby Gordon fechou o pódio a 1m04s do qatari.
Guiga Spinelli, no outro ASX Racing da equipa Mitsubishi Petrobras, foi 29º da classificação, a 7m08s do primeiro líder do rali.
CLASSIFICAÇÃO - APÓS ETAPA 1
1º Al-Attiyah/Baumel MINI 1h12m50s
2º Terranova/Grave MINI + 22s
3º Gordon/Campbell Gordini + 1m04s
4º De Villiers/Von Zitzewitz Toyota + 1m12s
5º Hollowczyc/Panseri MINI + 1m16s
(…)
12º SOUSA/FIUZA Mitsubishi + 3m04s
29º SPINELLI/HADDAD Mitsubishi + 7m08s
A ETAPA DE AMANHÃ
Etapa 2: Vila Carlos Paz – San Juan
Total: 625 km
Especial: 518 km
Ao segundo dia de prova, os concorrentes têm já pela frente aquela que será a mais longa especial de todo o rali, com 518 km de setor cronometrado até San Juan, num primeiro e verdadeiro teste à concentração dos pilotos, com piso duro no início, partes com muito pó a meio da especial e um final com muita areia.
CURIOSIDADE DO DIA
A primeira vez que Carlos Sousa se aventurou num Dakar foi em 1996. Com partida de Granada (30 de Dezembro) e final na capital senegalesa (14 de Janeiro), a prova foi disputada ao longo de 6.179 km cronometrados. Apesar de um valente susto na primeira etapa africana, Carlos Sousa logrou concluir o rali no 12º lugar da geral. Pierre Lartigue venceu nos automóveis e Edi Orioli nas motos.Carlos Sousa_ASX_Racing_CopyCarlos Sousa_Partida_Dakar_CopyCarlos Sousa_Paulo_Fiuza_Copy

 

TOYOTA NO DAKAR 2015

 

Ten Brinke, Lavieille E DABROWSKI liderar o caminho para RACING OVERDRIVE após a primeira RALLY DAKAR STAGE
 
• Alvarez Racing Overdrive em 16º; Al-Rajhi 20 e Ølholm em lugares 23
Do • Toyota imperial De Villiers e Poulter em Villa Carlos Paz em quarto e 14
• Família luto mudança forças co-piloto e Jacek Czachor perder rali
• do Qatar Nasser Saleh Al-Attiyah arrebata delgado primeira etapa Rally Dakar chumbo
 
Villa Carlos Paz (Argentina): Corrida de Overdrive e Hallspeed tem uma das maiores equipes já montadas para participar do Rally Dakar e esgotante a operação belga-Sul Africano fez uma boa partida através da especial 170 km de abertura, realizada entre Buenos Aires e Villa Carlos Paz, na Argentina, no domingo.
 
O holandês Bernhard Ten Brinke e seu co-piloto belga Tom Colsoul tinha sido o terceiro mais rápido equipe através do controle de passagem de abertura da fase de curta duração nos seus Overdrive Toyota Hilux e passou a chegar ao fim em uma excelente sétima posição.
 
Giniel de Villiers e Leeroy Poulter está dirigindo os dois fábrica oficial Toyota imperial África do Sul Toyota Hiluxes com o alemão Dirk von Zitzewitz e companheiro Sul-Africano Robert Howie leitura dos mapas. De Villiers chegaram ao final do abridor em quarto na geral e Poulter foi classificada em 14º depois de ser o motorista de segundo mais rápido através do primeiro checkpoint.
 
O experiente francês Christian Lavieille e seu 2002 Dakar Rally-winning co-piloto Pascal Maimon fez um bom começo para o seu primeiro Dakar com o Racing Overdrive eo Toyota Hilux e definir o mais rápido 11ª vez.
 
Do Qatar Nasser Saleh Al-Attiyah alegou a abertura vitória de etapa com o tempo de 1h 12min 50sec. Ele e co-piloto francês Matthieu Baumel terminou as curtas especiais 22 segundo na frente do motorista argentino Orlando Terranova.
 
Dakar de Jacek Czachor terminou em tragédia, mesmo antes do início. O Pólo tinha a intenção de navegar companheiro antigo piloto de enduro Marek Dabrowski em uma equipe Orlen Overdrive Toyota Hilux, mas foi forçado a regressar à Europa depois de ouvir de um falecimento de familiar próximo. Com sede em Dubai britânico Mark Powell estava na Argentina para dirigir um carro de imprensa Orlen Team e o britânico foi devidamente promovido a responsabilidades no Dakar co-dirigindo pela primeira vez. "Foi a minha ambição de participar do Dakar, mas é tão triste que tenha acontecido nestas circunstâncias terríveis", disse Powell.
 
Dabrowski e Powell completou a etapa de abertura em 15º lugar sólido.
 
O duo argentino Lucio Alvarez e Roberto Patti foram classificados sexto ao PC1, mas perdeu um par de minutos mais tarde no palco e chegaram ao final em 16º. Da Arábia Saudita Yazeed Al-Rajhi e co-piloto alemão Timo Gottschalk completaram as especiais de apenas 32 segundo atrás de Alvarez em 20º lugar.
 
Australiano Geoff Ølholm e navegador francês Edouard Boulanger chegaram ao final estágio em 23, cazaque Bauyrzhan Issabayev e parceiro russo Vladimir Demyanenko eram 26 e lituano Benediktas Vanagas e seu navegador bielorrusso Andrei Rudnitski registrado geral 29 em seu Overdrive-construído Toyota Hilux. Piloto checo Peter Jerie e experiente co-piloto francês Laurent Lichtleuchter arredondando os participantes Overdrive em uma classificação geral 65 não-oficial.
 
"Não há nada a ganhar com muita pressão sobre essas fases iniciais e cometer erros", disse o diretor da equipe de Overdrive Corrida de Jean-Marc Fortin. "É um caso de nossas equipes se acomodar, achando um ritmo seguro e sem tomar riscos. Foi uma fase delicada para conseguir que todos no ritmo, mas sabemos que há muito maiores desafios que temos pela frente nos próximos dias ".
 
Depois de passar no domingo à noite, na cidade de Villa Carlos Paz, a rota do Dakar dirige mais a oeste, em direção à cidade de San Juan na segunda-feira.
 
As equipas irão enfrentar uma especial muito mais difícil de 518 km de comprimento, antes de passar a noite na região de Cuyo, no noroeste da Argentina. A terceira etapa na Argentina leva tripulações de San Juan a Chilecito na terça-feira. Esta terceira fase de 284 km será curto para os padrões Dakar, mas deve caracterizar muitas seções rochosas, onde os furos e potencial dano suspensão adicionar aos riscos.
 
Rally Dakar 2015 - posições após a fase 1 (Buenos Aires-Villa Carlos Paz):
1. Nasser Saleh Al-Attiyah (QAT) / Matthieu Baumel (FRA) Mini All4 Corrida 1hr 12min 50sec
2. Orlando Terranova (ARG) / Ronnie Graue (ARG) Mini All4 Corrida 1hr 13min 12sec
3. Robby Gordon (EUA) / Johnny Campbell (EUA) Hummer 1hr 13min 54sec
4. Giniel de Villiers (ZAF) / Dirk von Zitzewitz (DEU) Toyota Hilux imperial 1H4 14min 02sec
5. Krzysztof Holowczyc (POL) / Xavier Panseri (FRA) Mini All4 Corrida 1hr 14min 06sec
6. Emiliano Spataro (ARG) / Benjamin Lozada (ARG) Renault 1hr 14min 08sec
7. Bernhard Ten Brinke (NED) / Tom Colsoul (BEL) Overdrive Toyota Hilux 1hr 14min 28sec
8. Carlos Sainz (ESP) / Lucas Cruz (ESP) Peugeot 2008 DXR 1hr 14min 56sec
9. Erik van Loon (NLD) / Wouter Roesegar (NLD) Mini All4Racing 1hr 15min 10sec
10. Stéphane Peterhansel (FRA) / Jean-Paul Cottret (FRA) Peugeot 2008 DXR 1hr 15min 25sec
 
Outras equipes de Overdrive / imperial Toyota (não oficiais @ 17.45 CET):
11. Christian Lavieille (FRA) / Pascal Maimon (FRA) Toyota Hilux Overdrive 1hr 15min 46sec
14. Leeroy Poulter (ZAF) / Robert Howie (ZAF) Toyota Hilux imperial 1hr 17min 30sec
15. Marek Dabrowski (POL) / Mark Powell (GBR) Overdrive Toyota Hilux 1hr 17min 47sec
16. Lucio Alvarez (ARG) / Roberto Patti (ARG) Overdrive Toyota Hilux 1hr 17min 55sec
20. Yazeed Al-Rajhi (SAU) / Timo Gottschalk (DEU) Overdrive Toyota Hilux 1hr 18min 27sec
23. Geoffrey Ølholm (AUS) / Edouard Boulanger (FRA) Toyota Hilux Overdrive 1hr 18min 46sec
36. Benediktas Vanagas (LTU) / Andrei Rudnitski (BLR) Overdrive Toyota Hilux 1hr 26min 37sec
39. Bauyrzhan Issabayev (KAZ) / Vladimir Demyanenko (RUS) Overdrive Toyota Hilux 1hr 29min 18sec
65. Peter Jerie (CZE) / Laurent Lichtleuchter (FRA) Toyota Hilux Overdrive 1hr 39min 03sec

 

Google TradutorThe French_Overdrive_Toyota_duo_of_Christian_Laveille_and_Pascal_Maimon_at_the_start_of_the_2015_Dakar_Rally._CopyYazeed Al-Rajhi_at_the_start_of_the_2015_Dakar_Rally_in_Buenos_Aires._Copy

 

PROBLEMAS NA MOTO DE MÁRIO PATRÃO

 

Falha no travão de trás atrasa Mário Patrão na primeira etapa do Dakar

 

Piloto português ficou sem travão traseiro ao quilómetro 45 da “especial” cronometrada quando se aproximava do “Top 20”

No arranque da edição de 2015 do Rali Dakar a caravana largou hoje de Buenos Aires rumo a Villa Carlos Paz, numa primeira etapa a contemplar apenas 175 quilómetros cronometrados, aos quais se juntaram ainda mais de 600 por troços de ligação. Aos comandos da Suzuki RMZ 450 Rally, Mário Patrão começou sem sorte esta que é a sua terceira participação no mítico rali, ficando sem travão traseiro numa altura em que lutava pelo “Top 20”.

Cumpridos os 175 quilómetros cronometrados, dos quais mais de metade a velocidade reduzida, Mário Patrão alcançou o 57.º melhor tempo imediatamente após a chegada do último concorrente, perdendo 18m42s para o vencedor da tirada, o britânico oficial KTM Sam Sunderland.

“Foi chato, seguia a bom ritmo e a recuperar posições quando ao quilómetro 45 deste primeiro troço cronometrado rebentou o tubo de óleo do travão traseiro e tive de seguir até ao final com um ritmo mais brando e cauteloso. Nada está perdido, esta era uma etapa curta, mas amanhã já teremos pela frente mais de 500 quilómetros cronometrados e aí sim começa o verdadeiro Rali Dakar de 2015”, explicou o piloto de Seia.

A segunda etapa do Dakar 2015 realiza-se entre Villa Carlos Paz e San Juan, na Argentina, com a primeira das maiores “especiais” cronometradas, num total de 518 quilómetros de extensão. Haverá ainda tempo para mais uma centena de quilómetros em percurso de ligação até á chegada ao bivouac.

Acompanhe Mário Patrão em www.facebook.com/MarioPatraoFansPage.

 Mrio Patro_Dakar_2015_03_de_Janeiro_de_2015_CopyMrio Patro_Dakar_2015_04_de_Janeiro_de_2015_Copy

 

RODRIGUES ENTRA EM COMPETIÇÃO

 

Hélder Rodrigues entra amanhã em competição

Piloto português vai lutar pela vitória

 

Hélder Rodrigues cumpriu hoje as derradeiras formalidades para amanhã iniciar a sua nona participação no Dakar e a terceira enquanto piloto da equipa oficial do construtor nipónico Honda. O piloto português, que já por duas vezes subiu ao pódio da mais importante competição mundial de todo-o-terreno, efectuou hoje as verificações administrativas e tecnicas.

 

O piloto que irá ostentar o nº 5 na sua Honda CRF450 Rally parte muito confiante e apostado em subir mais uma vez ao pódio para o qual ambiciona conquistar desta vez o lugar mais alto:

“Este será o meu terceiro Dakar com a Honda. Estou num projeto que tem evoluido continuamente desde o primeiro dia. O meu objetivo pessoal é o de ganhar e que a Honda termine o mais alto possível no pódio final. A equipa tem trabalhado duma forma muita intensa e com um objetivo muito claro: a Honda tem de ganhar. Eu estou aqui para lutar pela vitória”, salientou Hélder Rodrigues piloto apoiado pela MEO e Red Bull.

 

A etapa inicial do Dakar 2015, que amanhã abrirá as hostilidades desportivas, ligará a capital da Argentina, Buenos Aires, a Villa Carlos Paz, num total de 663 quilómetros, dos quais apenas 175 serão cronometrados. Um troço seletivo que se prevê bastante rápido e que servirá para uma primeira medição de forças.

 HlderRodrigues Dakar2015_01_CopyHlderRodrigues Dakar2015_02_CopyHlderRodrigues Dakar2015_03_Copy

 

NISSAN DA BAMP JÁ VERIFICOU

 

Nissan V8 da equipa BAMP já verificou

O arranque administrativo da edição 2015 do Dakar Argentina Bolívia Chile está já cumprido por parte da Equipa BAMP (Brasil Angola Moçambique Portugal). A equipa liderada por Ricardo Leal dos Santos, composta  por nove pessoas e pela Nissan Navara V8, ultrapassou sem qualquer problema o longo processo das verificações administrativas e técnicas e prepara-se agora para o desfile de apresentação dos concorrentes que irá animar a cidade de Buenos Aires.

Foi com a sua decoração definitiva, onde constam os apoios e parceiros do Projeto BAMP e com a Nissan Navara V8 a ostentar o nº 360 que a dupla luso brasileira Ricardo Leal dos Santos/Carlos du Sachs finalizou esta primeira fase de uma longa e mítica corrida que desportivamente arranca amanhã.

Para Ricardo Leal dos Santos, que para além de piloto é também dinamizador deste projeto, os últimos dias em Buenos Aires foram vividos de forma bastante intensa: "Havia muito trabalho a fazer na Nissan, já que depois dos derradeiros testes na África do Sul foram preparadas diversas peças desenvolvidas pelos nossos técnicos para melhorar o desempenho da nossa máquina. Algumas foram já introduzidas e outras serão colocadas mais tarde no decorrer da corrida", salientou o piloto que cumpre a sua décima participação na mítica maratona de todo-o-terreno.

"Hoje, logo pela manhã, cumprimos os procedimentos habituais das verificações e tudo estava pronto e devidamente preparado pelo que não houve qualquer dificuldade ou stress", salientou Ricardo Leal dos Santos.

A etapa inicial do Dakar 2015, que amanhã abrirá as hostilidades desportivas, ligará a capital da Argentina, Buenos Aires, a Villa Carlos Paz, num total de 663 quilómetros, dos quais apenas 175 serão cronometrados. Um troço seletivo que se prevê bastante rápido e que servirá para uma primeira medição de forças, de forma a alinhar os concorrentes para a etapa do dia seguinte.

 

 BAMP Dakar2015_Verif_01_CopyBAMP Dakar2015_Verif_02_Copy

 

DESIGN ARROJADO

DESIGN ARROJADO

 

A imaginação dos designers não têm limites, conforme as imagens anexas.des1 Copydes2 Copydes3 Copydes4 Copydes5 Copydes6 Copydes7 Copy

 

dakar 2015

DAKAR 2015

 

NASSER PENALIZADO, CAI PARA 7º LUGAR

 

TERRANOVA EM MINI NA FRENTE

 

Na partida hoje para a 2ª etapa do Dakar deste ano, Orlando Terranova sai na frente, levando atrás de si o R.Gordon e o seu Hummer, seguido logo pelo Toyota de De Villers.Depois aparece o Mini de Holowczyc, que tem logo atrás de si, o Renault de Spataro, enquanto Nasser, com a penalização caiu para 7º.

 

Entre as motos a liderança é pertença da KTM de Sunderland, seguido pelo portugues Paulo Gonçalves, em Honda, seguido de perto pela KTM de Coma.Depois surge a Honda de Barreda, e a Sharco de Duclos.

 

Na categoria dos camiões na frente o Iveco de Stacey, seguido pelos MAN de Van Viliet e Lograis.Depois surge o tata de Kolony, e o Renault de Van Der Brink.dak1 Copydak2 Copydak3 Copydak4 Copydak5 Copydak6 Copydak7 Copydak8 Copydak9 Copydak10 Copydak11 Copydak12 Copydak13 Copydak14 Copydak15 Copydak16 Copydak17 Copydak18 Copydak19 Copydak20 Copydak21 Copydak22 Copydak23 Copydak24 Copydak25 Copydak26 Copydak27 Copydak28 Copydak29 Copydak30 Copydak31 Copydak32 Copydak40 Copydak41 Copydak42 Copydak45 Copydak46 CopyDAK50 Copydak51 Copydak52 Copydak54 Copydak55 Copydak56 CopyDAK500 Copy_CopyDAK501 CopyDAK502 CopyDAK503 Copydal47 CopyDAL106 Copy_CopyDAL107 Copy_Copy_Copy

 

PATRÃO QUER SURPRENDER NO DAKAR 2015

 

Mário Patrão de “mochila às costas” para surpreender no Dakar 2015

 

Piloto de Seia, recordista de títulos de Todo-o-Terreno em Portugal, quer chegar ao fim e poder brilhar em algumas das etapas

Mário Patrão arranca amanhã para aquela que é a sua terceira participação no Rali Dakar. O piloto de Seia mantém-se à Suzuki RMZ 450 Rally, levando este ano uma mota em muito semelhante à que desenvolveu e foi única aquando da sua estreia na mítica prova de Todo-o-Terreno mundial no ano de 2013.

Dos quatro lusos inscritos nas duas rodas, Mário Patrão é o único não-oficial e sem pretensões de lutar pela vitória. Aparte do seu recheado palmarés, que faz dele o piloto mais ganhador das competições nacionais de Motociclismo Todo-o-Terreno, o senense quer “primeiro que tudo chegar ao fim” e, se possível, “poder brilhar numa ou outra etapa mais ao meu jeito”.

Já com todos os procedimentos de verificações técnicas e documentais concluídas, Mário Patrão espera com ansiedade conquistar o primeiro dos cerca de nove mil quilómetros que o trazem de volta a Buenos Aires no próximo dia 17 de Janeiro, depois da célere passagem pela Bolívia e Chile.

“Temos tudo preparado, os últimos dias foram intensos. Passei cerca de seis horas nas verificações, somos muitos pilotos e nada pode falhar. Esta prova tem uma dimensão incrível. Não me acanho, sei que não tenho as condições de muitos dos mais de trinta pilotos que partem à minha frente mas sei que tenho muitas outras qualidades que posso aproveitar. Resta-me esperar que a sorte me acompanhe nesta edição. O trabalho possível foi feito, resta dar o tudo por tudo para dele desfrutar”, referiu o piloto do Crédito Agrícola, RR Motos e Suzuki.

O Dakar 2015 parte de Buenos Aires rumo a Villa Carlos Paz, na Argentina, com a primeira etapa a exibir os primeiros 175 quilómetros cronometrados.

Acompanhe Mário Patrão em www.facebook.com/MarioPatraoFansPage.

 Mrio Patro_Dakar_2015_03_de_Janeiro_de_2015_Copy

 

NANI ROMA OUT?

DAKAR 2015

 

NANI ROMA OUT?

 

Tudo indica que o vencedor do dakar do ano passado deve estar fora da competição este ano, tudo isso motivado por problemas no motor, na qual a partir do km 10 da classificativa começou a faltar, obrigado Roma a ficar parado á espera do camião de assistência, onde depois foi rebocado para o ponto de assistência.a TODO O MOMENTO É ESPERADO UM COMUNICADO POR PARTE DA EQUIPA A EXPLICAR O QUE SE PASSOU.nani1 Copynani2 Copynani3 Copynani4 Copy

 

JACINTO VENCEU NA ETAPA DO AFRICA RACE

 

Vitória para Elisabete Jacinto

Ao segundo dia de Africa Race, Elisabete Jacinto conquista o seu primeiro triunfo. A equipa OLEOBAN® terminou a segunda especial desta maratona africana em primeiro lugar entre os camiões ao percorrer os 377 quilómetros, entre Jorf El Hamam e Tangounite, em 4h46m08s.

Foi uma jornada longa e difícil, mas os portugueses conseguiram imprimir um ritmo consistente e acabaram por ultrapassar todos os seus adversários tendo terminado o setor seletivo com uma vantagem de 6m28s sobre o segundo classificado da categoria.

Com este resultado, e após a etapa de hoje, o trio português composto por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho ascende ao segundo lugar entre os T4 e assume a 10ª posição da tabela auto/camião. Neste momento, apenas quatro segundos separam Elisabete Jacinto do primeiro posto da categoria que é ocupado pelo checo Tomas Tomecek.

O setor seletivo não foi fácil para a portuguesa: “a etapa foi, mais uma vez, difícil. Era longa, sinuosa e muito cansativa. Mas, fizemos um percurso sem problema e mantivemos sempre o nosso ritmo. Acima de tudo mostrámos que temos um andamento sólido e consistente e conseguimos obter um bom resultado. Logo no início da etapa, à saída das dunas, apanhámos o Kovacs parado e mais à frente vimos um dos Kamaz enterrado na lama e acabámos por beneficiar dos atrasos dos adversários. Estamos felizes por esta classificação”, revelou Elisabete Jacinto.

A terceira etapa do Africa Eco Race 2015 decorre entre Tangounite e Assa e conta com um longo sector seletivo de 433 quilómetros. Assa é uma cidade situada numa região desértica do sul de Marrocos. As paisagens deste terceiro dia de corrida são de uma beleza estonteante. No entanto, os pilotos não terão muitas oportunidades de contemplar estas imagens pois as pistas acidentadas e traiçoeiras, típicas por estas paragens, vão tornar o dia bastante difícil.equipa oleoban_sobe_posies__geral_e_assume_segundo_lugar_entre_os_camies_Copy
 

FROTA JÁ LUTA NA 3ª ETAPA DA VOLVO OCEAN RACE

 

Próxima parada: China. Barcos da Volvo Ocean Race largam para terceira etapa


A terceira etapa da Volvo Ocean Race começou neste sábado (3). Os seis barcos partiram de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, para a Sanya, uma ilha chinesa. A perna terá 4.642 milhas náuticas - 8.596 quilômetros - e passará por zonas de difícil navegação, como o Estreito de Malaca. A organização da Volta ao Mundo também definiu áreas de exclusão no percurso. Os fãs da modalidade podem acompanhar o desempenho das equipes pelo tracker oficial da regata. 

A etapa promete ser bastante disputada do começo ao fim, assim como as duas anteriores. Prova disso é o campeonato com três equipes liderando com o mesmo número de pontos: Team Brunel, Abu Dhabi e Sanya. O time espanhol MAPFRE, que tem o brasileiro André 'Bochecha' Fonseca, está em quinto e quer se recuperar ainda mais nessa etapa.

"Vamos passar por Índia e Cingapura, por exemplo, até chegar a Sanya. Será uma regata literalmente costeira. Você precisa se aproximar da costa para evitar correntezas e isso dá muito trabalho a bordo, pois temos de manobrar muito o barco. Cansa bastante", disse André 'Bochecha' Fonseca. "A união do MAPFRE é cada vez maior. A nossa expectativa é ficar entre os três primeiros e subir na tabela".

A holandesa Carolijn Brouwer está confiante no desempenho do Team SCA depois da vitória das meninas na In-Port Race de Abu Dhabi. Em português, a atleta olímpica, que morou mais de 10 anos do Brasil, escreveu que a etapa será totalmente diferente das demais.

"A primeira metade da perna será de ventos mais fracos, porém com obstáculos. O Estreito de Malaca tem de tudo: barcos de pesca, navios e muito mais. São situações que saem do nosso controle. Esperamos ter um pouco de sorte para passar por esse trecho. Temos uma equipe forte e preparada para esse desafio", contou Carolijn Brouwer.

Milhas iniciais

O Abu Dhabi Ocean Race, um dos líderes da Volvo Ocean Race, aproveitou o 'fator casa' e pulou na frente nas primeiras milhas. Com pouco vento e com muita névoa, as equipes lutavam para enxergar um palmo a frente. As condições desafiadoras logo no início são pequenas perto das que estão por vir.

Serão ao todo oito zonas de exclusão, começando pelo território iraniano, os campos petrolíferos de Saleh, Dragon, e Phuong Dong, e as proibições na costa leste africana.

A previsão indica que os barcos devem demorar mais de três semanas para completar o percurso, que será predominantemente de ventos fracos. A parte mais complicada será o Estreito de Malaca, que separa a ilha de Sumatra (Indonésia) e a Malásia. Uma das maiores rotas marítimas do mundo se concentra em um espaço de 1.5 milhas.

 

 

 

PAULO GONÇALVES NO DAKAR 2015

 

Paulo Gonçalves parte este Domingo ao
ataque em mais uma edição do Rali Dakar
Piloto português é um dos principais favoritos da 37.ª
edição da maior prova de Todo-o-Terreno do mundo
De partida para a sua nona participação no Rali Dakar, Paulo Gonçalves
preparou nos últimos dias junto com a equipa Honda Racing Corporation os
últimos detalhes envolventes ao arranque para a mítica prova, marcado para
este Domingo, 4 de Janeiro, da cidade argentina de Buenos Aires.
Cumpridas as habituais sessões de testes e verificações técnicas e
documentais, Paulo Gonçalves colocou já a sua Honda CRF 450 Rally em
Parque Fechado e conta as horas decrescentes para o ataque ao Dakar 2015.
“Têm sido dias bastante preenchidos, mas também bastante produtivos,
temos feito as últimas afinações na mota, temos preparado tudo com
vista ao início do rali”, revelou o piloto português com as cores do Benfica.
Depois da conquista do título mundial em 2013 e do segundo lugar alcançado
em 2014, integrando a formação oficial da Honda Paulo Gonçalves reúne as
perfeitas condições para esperar de 2015 mais um ano de conquistas.
“O ambiente na equipa é fantástico, todos os pilotos e toda a equipa está
bastante motivada. O ambiente que se vive aqui em Buenos Aires é de
corrida, temos muito público a assistir todos os dias”, concluiu o piloto de
Esposende, entusiasmado pela dimensão em torno do Rali Dakar.
A 37.ª edição do Rali Dakar, desde 2009 na América do Sul, parte este
Domingo de Buenos Aires com a primeira etapa a dirigir a caravana para Villa
Carlos Paz num total de 663 quilómetros de ligação, com 175 cronometrados.
Acompanhe Paulo Gonçalves em www.facebook.com/PauloGoncalvesFansPagePaulo Gonalves_Dakar_2015_03_de_Janeiro_de_2015_1_CopyPaulo Gonalves_e_Joan_Barreda_Dakar_2015_03_de_Janeiro_de_2015_2_Copy

 

DONGFENG NA VOLVO OCEAN RACE

 

SHOT EXCEPCIONAL DO AR AS DONGFENG SAIL LONGE DE ABU DHABI
 
dong1 Copy

"Estamos prestes a voltar para a China, onde tudo começou. Honestamente, chegando pela primeira vez em Sanya pode ser melhor do que ganhar a corrida global. Seria fantástico para o projeto ", diz Skipper, Charles Caudrelier.
Talvez vale a pena perdoar as más condições no início da jornada 4.670 milhas náuticas a partir de Abu Dhabi para a China para um segundo quando testemunhamos essa incrível tiro pelo fotógrafo Ainhoa Sanchez / Volvo Ocean Race.

 

JACINTO FAZ 2º

 

De regresso aos lugares de topo Elisabete Jacinto faz segundo

Depois dos problemas que penalizaram a equipa OLEOBAN® durante a etapa de ontem, a formação composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho conquistou hoje, ao final da quinta especial do Africa Race, o segundo lugar entre os T4 e o quinto posto da classificação conjunta auto/camião ao realizar o setor seletivo de 225 quilómetros em 2h06m16s. Os portugueses regressam, desta forma, aos lugares de topo tendo protagonizado uma excelente recuperação no percurso que ligou As Sakn a Dakhla, um dia após terem vivido uma etapa menos positiva devido aos problemas mecânicos que afetaram o MAN TGS da formação lusa.

A última etapa cumprida em solo marroquino revelou-se bastante favorável ao trio português que, apesar de ter partido para a especial numa posição muito atrasado (último camião), conseguiu ser mais rápido que quase todos os seus adversários e só o KAMAZ de Sergey Kuprianov foi mais veloz que o MAN TGS da equipa OLEOBAN®. Os russos venceram a categoria camião com uma escassa vantagem de três minutos para os portugueses.

De notar ainda que a diferença de Elisabete Jacinto para o vencedor da etapa de hoje da classificação conjunta auto camião, o russo Anton Grigorov, foi de apenas 5m04s: “hoje foi um dia para ganhar terreno e recuperar o tempo perdido. Fizemos uma especial sem problemas e, apesar de termos partido de trás, conseguimos ultrapassar em pista todos os camiões menos os KAMAZ e o TATRA. Ficámos em segundo lugar, o que para nós é motivo de grande orgulho porque apesar dos problemas que tivemos a equipa foi capaz de encontrar as soluções que nos permitem continuar a lutar para chegar ao fim desta prova. Depois do dia de descanso entramos na Mauritânia cujas pistas são pouco favoráveis às características do nosso camião. Mas, estamos optimistas e vamos dar o nosso melhor para obtermos boas classificações nas etapas” afirmou Elisabete Jacinto.

Amanhã cumpre-se o sempre aguardado dia de descanso. Uma vez mais, Dakhla vai acolher a caravana do Africa Race num dia que dará a possibilidade aos pilotos e equipas de assistência de recuperarem do desgaste físico dos últimos dias. Será também o dia de rever a mecânica dos veículos. Dakhla é o local ideal para repousar. Esta bela cidade costeira, muito virada para o turismo, ganhou grande popularidade nos últimos anos devido às excelentes condições que apresenta para a prática de desportos náuticos como o Windsurf e o Kitesurf. Após esta merecida pausa, pilotos e viaturas vão enfrentar seis duras etapas na Mauritânia antes da derradeira especial de consagração realizada em Dakar.elisabete jacinto_em_segundo_entre_os_camies_ao_final_da_5etapa_do_aer_2015_Copyelisabete jacinto_e_o_navegador_jos_marques_ao_lado_de_ren_metge_o_organizador_do_aer_Copyelisabete jacinto_perto_do_pdio_dos_camies_ao_final_da_primeira_etapa_do_africa_race_2015_Copy_Copy
 

RODRIGUES INICIA DAKAR DOENTE

 

Hélder Rodrigues iniciou Dakar doente

Piloto português fez o 12º tempo nos 175 km do setor seletivo

 

Hélder Rodrigues iniciou hoje a sua participação no Dakar 2015. Com apenas 175 quilómetros cronometrados o setor seletivo era extremamente rápido e as diferenças entre os primeiros classificados foram relativamente reduzidas. O piloto português apresentou-se todavia adoentado e isso foi um forte handicap numa especial que exigiu muito dos pilotos.

 

Aos comandos da sua Honda CRF450 Rally o piloto oficial da Honda averbou o 12º tempo, a 3m31s do vencedor da etapa: “O primeiro dia foi muito rápido para todos. Há um grande número de pilotos separados por um curto espaço de tempo e não nos podemos esquecer que a corrida acaba de começar. Todos se esforçaram bastante e eu também. Foi incrivel como em determinadas zonas do percurso a moto deu a sua velocidade máxima. Hoje foi apenas o primeiro dia e está tudo em aberto”, salientou Hélder Rodrigues piloto apoiado pela MEO e Red Bull.

 

Hélder Rodrigues que está a ser medicado de forma a restablecer-se o mais rapidamente possivel, enfrenta amanhã aquela que será a mais longa etapa do rali. Serão 518 quilómetros cronometrados inseridos num traçado que liga Villa Carlos Paz a San Juan. Um troço muito variado que termina já em pistas arenosas.

 P-20150104-00037 HiRes_JPEG_24bit_RGB_News_Copy

 

f 3 open

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Henrique Baptista a bordo
de carro da Campos Racing
Alta | Web

Fotospeedy
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Piloto brasileiro fará sua segunda
temporada no Euroformula Open
Alta | Web

F-3 Open: Henrique Baptista acerta com a Campos Racing


Competidor brasileiro realiza segunda temporada na categoria por time comendado pelo ex-piloto de Fórmula 1.

O piloto brasileiro Henrique Baptista inicia 2015 com uma ótima notícia em sua carreira, ao concretizar um acordo para representar a Campos Racing na nova temporada do Euroformula Open, um dos principais campeonatos de Fórmula 3 da Europa.

Após um ano de aprendizado pela equipe DAV, Baptista chamou a atenção da Campos, que é conduzida ex-piloto de Fórmula 1 espanhol Adrian Campos e terminou o campeonato passado em terceiro lugar entre os pilotos, com Alex Palou. "Realizei testes com a equipe agora em dezembro e estou muito feliz com este acordo", destaca o pernambucano de 23 anos.

"A Campos é uma equipe muito organizada e competente. A presença e a experiência de Adrian contam muito em um campeonato tão disputado. Da minha parte, estou seguindo firme minha preparação mesmo neste período de férias, pois esta temporada será muito importante para meu crescimento profissional e estou focado em brigar no pelotão da frente do grid", completa Baptista.

A temporada 2015 do Euroformula Open acontece entre fevereiro e passa por oito dos principais circuitos da Europa, como Jerez, Paul Ricard, Estoril, Silverstone, Red Bull Ring, Spa, Monza e Barcelona, no sistema de rodadas duplas. Será possível acompanhar todas as etapas ao vivo pelo próprio site da categoria (www.euroformulaopen.net), que exibe as provas via live streaming.

Confira o calendário do Euroformula Open em 2015

Rodada 1: Jerez (Espanha), 11 e 12 de abril
Rodada 2: Paul Ricard (França), 24 a 26 de abril
Rodada 3: Estoril (Portugal), 9 e 10 de maio
Rodada 4: Silverstone (Inglaterra), 5 a 7 de junho
Rodada 5: Red Bull Ring (Áustria), 3 a 5 de julho
Rodada 6: Spa (Bélgica), 4 a 6 de setembro
Rodada 7: Monza (Itália), 2 a 4 de outubro
Rodada 8: Barcelona (Espanha), 1 e 2 de novembro



 

EIS O NOVO LOOKING DO NOVO LADA PARA O WTCC DE 2015

EIS O LOOKING DO NOVO LADA PARA O WTCC DE 2015

 

 

São estas as côres e o looking que o novo Lada irá ostentar no WTCC deste ano, onde a tripla de pilotos será a mesma de 2014.lada1 Copylada2 Copylada3 Copylada4 Copylada5 Copylada6 Copylada7 Copylada8 Copylada9 Copylada10 Copylada11 Copy

 

DAKAR 2015 - MINIS NA FRENTE

DAKAR 2015

 

 

MINIS NA FRENTE

 

 

A 1ª etapa da edição de 2015 do dakar, terminou ha uma ho0ra atrás na qual o dominio inicial foram dos Mini de Al-Attiych Nasser e Orlando terranova, tendo logo atrás de si o Hummer de Robby Gordon.Depois surge o Toyota de De Villiers, seguido pelo Mini de Holowczyc, ficando o "top six" completo com o Renault de Spataro.O melhor português em prova é Carlos Sousa, que terminou na 12ª posição.

 

Desta 1ª etapa, os destaques vão para a paragem forçada do Mini de Nani Roma, vencedor da edição do ano passado com o motor partido, ficando o piloto á espera da assistencia, para ver o que se poderá fazer.Finalmente muito apagada a prestação por parte dos Peugeot 2008, com Carlos sainz no "top ten".DAK300 CopyDAK301 CopyDAK302 CopyDAK303 CopyDAK304 CopyDAK306 CopyDAK308 CopyDAK309 CopyDAK310 CopyDAK311 CopyDAK312 CopyDAK313 CopyDAK316 CopyDAK317 CopyDAK318 CopyDAK319 CopyDAK320 CopyDAK321 CopyDAK322 CopyDAK323 CopyDAK324 CopyDAK350 CopyDAK351 CopyDAK352 CopyDAK400 CopyDAK401 CopyDAK402 CopyDAK403 CopyDAK406 CopyDAK407 CopyDAK408 CopyDAK409 CopyDAK410 CopyDAK420 CopyDAK421 CopyDAK422 CopyDAK423 CopyDAK424 CopyDAK426 CopyDAK427 CopyDAK428 CopyDAK429 CopyDAK430 CopyDAK431 CopyDAK432 CopyDAK433 CopyDAK434 CopyDAK436 CopyDAK437 CopyDAK438 CopyDAK439 CopyDAK450 CopyDAK451 CopyDAK452 CopyDAK453 CopyDAK454 CopyDAK455 CopyDAK456 CopyDAK457 CopyDAK458 CopyDAK459 CopyDAK501 CopyDAK502 CopyDAK503 CopyDAL106 Copy_Copy

 

PROJECTO BAMP

 

Projeto BAMP envolve apoio de universidades

Numa altura em que falta apenas um dia para o arranque de mais uma edição do Dakar Argentina Bolívia Chile, destaque ainda para os últimos preparativos que a Equipa BAMP (Brasil Angola Moçambique Portugal) esteve a implementar na Nissan Navara V8, um projeto cuja iniciativa do Desafio Universitário envolve a colaboração de universidades dos quatro países lusófonos, dos quais se destaca, em Portugal, o apoio técnico do Instituto de Engenharia do Instituto Politécnico de Coimbra.

Professores e alunos daquela instituição têm trabalhado, juntamente com empresas e tecnologias, no desenvolvimento da Nissan Navara V8, destinada às principais competições internacionais de todo-o-terreno e com a qual a equipa BAMP vai disputar o Dakar Argentina Bolívia Chile.

O piloto e dinamizador do projeto Ricardo Leal dos Santos destaca o papel da equipa numa prova tão exigente como o Dakar. “O carro está embarcado e conseguimos despachar a mecânica, e quanto mais tempo tivéssemos disponível mais se conseguia evoluir. A equipa é constituída por dez pessoas e precisa de um nível de coesão muito grande, de se conhecer em ritmo de cansaço e de stress, porque é precisamente isso que vai acontecer no Dakar”.

O Professor Doutor António Simões, do Instituto de Engenharia de Coimbra, salienta que “a participação no Projeto BAMP surgiu no âmbito de aproximação do Instituto Politécnico de Coimbra às empresas, do qual resultou uma parceria com a Newspeed, mais concretamente com este projeto, no qual participo juntamente com os alunos do Instituto de Engenharia de Coimbra”.

No próximo dia 4 de Janeiro, Domingo, inicia-se mais edição do Dakar Argentina Bolívia Chile, competição que se disputa até dia 17 do mesmo mês.Equipa BAMP_Dakar2015_Copy

 

CARLOS SOUSA NO DAKAR

 

Piloto português inicia este domingo, em Buenos Aires, a sua 16ª participação num Dakar, quinta no atual formato sul-americano, fazendo dupla com o compatriota Paulo Fiuza

 

 

Carlos Sousa aponta ao top-7 da classificação na sua estreia com o ASX Racing da Mitsubishi Brasil

 

 

 Um ano após a vitória na etapa inaugural, Carlos Sousa está de regresso ao Dakar, apresentando-se este domingo à partida do maior rali do mundo aos comandos de um ASX Racing inscrito pela equipa Mitsubishi Petrobras.

Nesta que será já a sua 16ª participação na prova – quinta na América do Sul –, Carlos Sousa terá a seu lado o compatriota Paulo Fiuza, formando a única dupla portuguesa a competir na corrida automóvel. Os dois cumpriram em outubro passado, no Chile, uma estreia de sonho com a Mitsubishi Brasil, vencendo o Atacama Rally, naquele que constituiu o último grande teste de preparação da equipa para o Dakar.

Dirigida pelo experiente Thierry Viardot, antigo diretor técnico da equipa MMSP e um dos principais responsáveis pelo recorde de 12 vitórias alcançado pela Mitsubishi no Dakar, a equipa Mitsubishi Petrobras terá ainda um segundo ASX Racing entregue à dupla brasileira Guilherme Spinelli e Youssef Haddad.

Vencedor da última edição do Rally dos Sertões, em agosto último, Guiga Spinelli cumpre em 2015 o seu sétimo Dakar. Em 2010, chegou a fazer equipa no Dakar com Carlos Sousa, quando ambos disputaram a prova nos Mitsubishi Racing Lancer inscritos pela JMB Stradale.

“É um desafio novo que estou a encarar com muito entusiasmo. Trabalhamos muito nos últimos meses para desenvolver o ASX Racing e prepará-lo para o grande desafio que constitui o Dakar. Sabemos que ainda não temos carro para lutar pelos primeiros lugares, mas acreditamos que há potencial e margem para podermos discutir um lugar no top-7, embora sempre na expetativa de conseguirmos um resultado no top-5 final”, perspetiva Carlos Sousa.

Recorde-se que em 15 participações no Dakar, Carlos Sousa soma já 10 presenças no top-10 da classificação, com dois quintos lugares (2001 e 2002), três sextos (2010, 2012 e 2013), três sétimos (2005, 2006 e 2007) e um décimo em 1997, exibindo como melhor resultado 4º lugar alcançado em 2003, além de seis vitórias em etapas – a última delas em janeiro passado.

“A concorrência será fortíssima, bastando lembrar que estarão presentes os últimos cinco vencedores do Dakar, num pelotão onde se incluem nada menos do que 10 MINIS, outros tantos Toyota, vários buggys de duas rodas motrizes e ainda os três Peugeot oficiais… Ou seja, há seguramente dezena e meia de candidatos com legítimas aspirações aos lugares cimeiros da classificação e acredito que a luta vai ser tremenda logo desde o primeiro dia. Vamos fazer o nosso melhor, procurando ser regulares ao longo de toda a prova, embora sabendo que o nosso carro não está ainda ao nível do que ambicionamos, sobretudo ao nível das suspensões, enquanto a nova caixa de velocidades é talvez a grande incógnita, por ser a primeira vez que uma equipa a utiliza num Dakar ”, salienta o português.

Juntando 414 equipas de 53 nacionalidades, distribuídas por 164 motos, 134 carros, 64 camiões e 48 quads, a 37ª edição do Dakar arranca oficialmente este domingo em Buenos Aires. Após quatro anos de ausência, a capital argentina volta a ser o ponto de partida para uma aventura de mais de 9 mil quilómetros, metade dos quais disputados ao cronómetro, repartidos por 13 etapas na Argentina, Chile e Bolívia, país onde os automóveis vão cumprir este ano a sua estreia no salar (deserto de sal) de Uyni.

Tal como aconteceu em 2009, 2010 e 2011, a competição terá partida e chegada no mesmo local, estando o regresso a Buenos Aires agendado para o dia 17. O tradicional dia de descanso acontece a 12 de janeiro, após a caravana automóvel enfrentar a mais longa especial desta edição, num total de 781 km, entre Uyuni e Iquique.

O penúltimo dia terá a etapa mais longa da história do rali, com 1.024 km entre as cidades de Termas Rio Hondo e Rosário, na Argentina, se bem que as maiores dificuldades estarão reservadas para a Etapa Maratona – outra novidade este ano! – na transição entre o Chile e a Argentina. Será um dia crítico para as mecânicas, já que a assistência estará interdita à chegada ao Bivouac.

Domingo, a primeira etapa do Dakar levará os concorrentes desde Buenos Aires a Vila Carlos Paz, num total de 833 km. O setor cronometrado de 170 km será maioritariamente disputado em pistas rápidas e com bom piso, num primeiro teste que servirá já para medir o pulso às ambições das várias equipas. ASX Racing_02_CopyCarlos Sousa_Atacama_Rally_CopyCarlos Sousa_Paulo_Fiuza_CopyDAK200 CopyDAK201 CopyDAK203 CopyDAK203 CopyDAK204 CopyDAK205 CopyDAK207 CopyDAK208 CopyDAK209 CopyDAK211 Copy

 

MERCEDES COM NOVO EMBAIXADOR

 

Garrett McNamara, novo embaixador da Mercedes-Benz a nível mundial

 

Em 2013, a Mercedes-Benz Portugal e a BBDO desenvolveram o projeto MBoard, uma campanha de marketing que teve por base a produção de várias pranchas para Garrett McNamara surfar as ondas gigantes da Nazaré.

 

A principal ideia foi espelhar a estrela de três pontas do logótipo icónico da Mercedes, que representa terra, ar e mar segundo o seu criador Gottlieb Daimler, em várias pranchas de surf. A campanha foi extremamente bem-sucedida, tendo ganho vários prémios publicitários e de comunicação, um total de 20 em 2014, demonstrando o sucesso e a recetividade que este projeto teve a nível nacional e internacional. Com o sucesso mundial do Projeto Mboard foi natural a união que veio a acontecer entre McNamara e a Mercedes-Benz, tornando Garrett parte da sua campanha de marketing a nível global em 2015.

 

O projeto MBoard expandiu-se, produzindo pranchas em diferentes materiais. A primeira foi uma homenagem a Portugal, tendo sido produzida em cortiça 100% Portuguesa proveniente da Corticeira Amorim. A segunda, a partir de espuma de alta densidade fornecida pela Varial Surfboards, um material que o próprio Garrett trouxe da Califórnia, permitiu dar grande flexibilidade à mesma e obter uma maior capacidade de absorção das vibrações quando se surfa ondas acima dos 20 metros.

 

Em dezembro de 2014 um swell gigante atingiu a costa Portuguesa, gerando ondas enormes e uma oportunidade perfeita para McNamara testar o desempenho da sua nova prancha de espuma de alta densidade.

 

MERCEDES -_MBOARD_2014_2_CopyMERCEDES -_MBOARD_2014_3_Copy

 

Segundo Garrett McNamara: “Quando fui contactado pela primeira vez pela Mercedes-Benz, com o fim de desenvolver a melhor prancha do mundo para tow in, foi um sonho tornado realidade. Nos últimos vinte anos da minha carreira tudo tenho feito para incorporar tecnologia e segurança da melhor maneira possível num desporto que adoro. Agora, em conjunto com a Mercedes-Benz, uma referência mundial em tecnologia, aerodinâmica e sistemas de assistência, podemos aplicar todo esse conhecimento para desenvolver pranchas únicas e enfrentar ao mais alto nível as ondas gigantes da Nazaré.”

 

“Surfar estas ondas é o equivalente a descer uma montanha gelada com a diferença que a montanha se move constantemente. A espuma de alta densidade da nova prancha é capaz de absorver todas as vibrações provocadas pela onda como um amortecedor. Com ondulação acima dos 20 metros na Nazaré, a nossa única opção é seguir sempre em frente e descer a onda a alta velocidade. Agora, com as novas pranchas de cortiça e de espuma de alta densidade, é possível aproveitar cada momento enquanto descemos estas montanhas de água a grande velocidade e desfrutarmos deste modo a onda ao máximo.”

 

Nas palavras de Jorge Aguiar, Diretor de Marketing da Mercedes-Benz: “O Projeto MBoard é uma abordagem de marketing único e inovador para estabelecer uma verdadeira parceria com um grande ser humano - Garrett McNamara - permitindo à Mercedes-Benz fazer parte da sua intensa vida, dentro e fora de água. Esperamos contribuir positivamente para que deste modo seja possível encontrar as melhores tecnologias para uma performance cada vez melhor do Garrett.”

 

CAMIÃO DE JACINTO FUROU

 

Furo ao quilómetro 30 penalizou Elisabete Jacinto

 

No arranque do Africa Eco Race a equipa portuguesa composta por Elisabete Jacinto, José Marques e Marco Cochinho foi penalizada devido a um furo logo ao quilómetro 30 tendo terminado a primeira etapa a escassos 4m50s do terceiro lugar dos camiões que, neste momento, é ocupado pelo KAMAZ de Anton Shibalov, o vencedor da edição de 2013 desta corrida. A formação OLEOBAN® alcançou, em virtude dessa situação, a sexta posição da categoria camião e o 12º posto da classificação conjunta auto/camião, tendo gasto 1h51m56s a cumprir a especial de 117 km que ligou Nador a Errachidia.

O sector seletivo, composto por trilhos acidentados e muito cascalho, mostrou-se bastante complicado para o trio português: “Esta primeira etapa foi difícil. Apesar de não ser longa o traçado estava cheio de pedra e a navegação tinha que ser feita de forma muito cautelosa e atenta. Havia muitas armadilhas ao longo do percurso e qualquer desconcentração poderia colocar em causa todo o nosso desempenho. O furo que tivemos no início da etapa fez-nos perder cerca de 10 minutos e acabámos por ser ultrapassados por alguns camiões incluindo o KAMAZ que partiu atrás de nós” disse Elisabete Jacinto que acrescentou: “apesar de tudo, temos a noção que ainda estamos no princípio e muito pode acontecer. As nossas expetativas continuam elevadas e vamos trabalhar arduamente para alcançar mais um pódio nesta corrida”.

Amanhã cumpre-se a segunda etapa do Africa Eco Race 2015 que decorrerá entre Errachidia e Tangounite. Esta região de Marrocos é conhecida por ser muito tradicional em termos dos seus costumes culturais e é comum encontrar as mulheres vestidas de negro e com a cara coberta. O sector seletivo terá 377 quilómetros e será composto por uma grande variedade de terrenos sendo um dos pontos altos do dia a travessia do oued Draa.   man tgs_da_equipa_oleoban_nas_paisagens_ridas_de_marrocos_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

DAKAR JÁ ESTÁ NA ESTRADA

 

 

Foi esta manhã, que foi dada a aprtida de Buenos Aires na Argentina para mais uma edição do Dakar, que ao que parece poderá ser dos mais dificieis, depois de percorrer tres pai´sis da América do Sul.DAK28 CopyDAK29 CopyDAK30 Copydak31 Copydak33 Copydak34 Copydak35 Copydak36 Copydak38 Copydak39 Copydak40 Copydak41 Copydak42 Copydak43 Copydak44 Copydak45 Copydak46 Copydak47 Copydak48 Copydak49 CopyDAK69 CopyDAK70 CopyDAK71 CopyDAK72 CopyDAK73 CopyDAK74 CopyDAK75 CopyDAK76 CopyDAK77 CopyDAK79 CopyDAK100 CopyDAK103 CopyDAK104 CopyDAK105 CopyDAK106 CopyDAK108 CopyDAK109 CopyDAK110 CopyDAK111 CopyDAK112 CopyDAK113 CopyDAK115 CopyDAK116 CopyDAK117 CopyDAK118 CopyDAK119 CopyDAK120 Copy

 

JORGE AMORTECEDORES FESTEJA TRES DECADAS

JORGE AMORTECEDORES FESTEJA TRÊS DECADAS DE EXISTENCIA

 

O conhecido Jorge dos Amortecedores, festejou há uns dias atrás, o seu trigésimo aniversário do seu espaço situado na Rua Alexandre Herculano no Porto, desde que abriu as portas da sua primeira oficina.Segundo o reputado técnico da cidade do Porto " tem sido trinta anos de muita luta, com um pouco de tudo, mas felizmente continuamos a crescer de forma sustentada e acima de tudo sólida, mesmo com a crise que afectou Portugal nos ultimos anos", disse-nos.

 

 

O conhecido Jorge dos Amortecedpres, recentemente alargou o seu raio de acção profissional, tendo já feito um inverstimento no ramo da restauração, como nos explicou " é verdade há cerca de uns meses atrás retomei um restaurante situado na Rua dos Caldeireiros na cidade do Porto, onde a minha mulher tem a gestão do mesmo.A verdade é que tem corrido muito bem, aliás este espaço é pequeno, não leva mais do que vinte e cinco pessoas, e graças a Deus tem estado sempre cheio.Por outro lado, há dois meses recebi uma proposta para abrir ums egundo espaço na mesma rua, um pouco acima, e agora é este projecto que me tem ocupado o meu tempo, pois estamos numa fase final de obras e em breve espero poder abrir portas, para assim podermos receber e acolher todos os nossosJORGEAMORTECEDORESCOMEMORA30ANOS Copyjorgeamortecedores Copy clientes".

 

Dinamismo e arrojo nestes tempos, é o lema do conhecido Jorge dos Amortecedores.

 

MICHAEL SCHUMACHER MOSTRA SINAIS DE RECUPERAÇÃO

MICHAEL SCHUMACHER MOSTRA SINAIimages CopyS DE RECUPERAÇÃO

 

No dia do seu aniversário, Michael Schumacher tem mostrados melhorias no seu estado, pois segundo alguma imprensa internacional, o piloto alemão, que se recorde teve um acidente quando esquiava em Dezembro de 2013, nesta fase quando ouve os filhos, ou a voz da mulher, e mesmo dos cães começa a chorar.

 

Recentemente o ex piloto de Fórmula 1, Phillipe Streiff visitou Michael Schumacher, e acabou por confirmar estas melhoras por parte do piloto alemão.

 

JOANA BARBOSA DEVERÁ CONTINUAR NA MONTANHA

JOANA BARBOSA DEVERÁ CONTINUAR NO NACIONAL DE MONTANHA

 

Tudo indica que Joaana Barbosa em 2015, faça toda a época do Campeonato Nacional de Montanha, como nos confirmou " para já todos os projectos apontam nesse sentido, para fazer todas as provas do calendário do Nacional de Montanha, em principio será de novo com o Fiat Abarth 500".Neste momento ainda é cedo para poder confirmar isto na integralidade, pois ainda estamos em conversações com patrocionadores, e há ainda algumas decisões a serem tomadas em breve"JO1 CopyJO2 CopyJO3 Copy, , disse-nos.

 

JACINTO COM MUITOS ADVERSÁRIOS

 

Elisabete Jacinto enfrenta comitiva de peso no Africa Race 2015

A equipa OLEOBAN® cumpriu hoje em Motril, no sul de Espanha, as habituais verificações técnicas e administrativas do Africa Race 2015 e parte para esta edição da maior maratona de todo-o-terreno da atualidade com o número 403. Amanhã disputa-se a primeira etapa da corrida que se realizará entre Nador e Errachidia.

 A formação portuguesa está a postos para iniciar mais um rali onde vai enfrentar algumas das melhores equipas do mundo. Ao todo são dez equipas que vão competir na categoria camião da 7ª edição do Africa Race e todos eles têm o objetivo comum de chegar ao Pódio.

A equipa russa Kamaz apostou em força neste Rali Africa Eco Race e terá uma das suas maiores comitivas de sempre: são dois camiões de competição, entre os quais um hibrido que será uma das novidades da corrida.

Além dos russos, Elisabete Jacinto vai ainda enfrentar Tomas Tomecek, que compete mais uma vez com o seu potente Tatra e Miklos Kovacs, que participa de novo num SCANIA: “este lote de adversários vai animar a corrida pelo elevado nível de competitividade de pilotos e camiões, mas também a torna numa das mais difíceis dos últimos anos”, revela Elisabete Jacinto.

O histórico de Elisabete Jacinto nesta prova é notável. A portuguesa alcançou, desde 2011, quatro lugares de pódio e é a única mulher no mundo a aventurar-se nesta prova sempre em camião. A piloto conseguiu ainda um feito histórico na edição do Africa Race de 2012 quando venceu uma etapa à geral, à frente não só dos camiões como dos automóveis, entre os quais figurava o buggy de Jean-Louis Schlesser.      

A etapa de amanhã leva a caravana de Nador a Errachidia. Os participantes vão cumprir um total de 645 quilómetros, dos quais cerca de 117 são cronometrados.elisabete jacinto_inicia_amanh_a_sua_sexta_participao_no_africa_race_Copyequipa oleoban_est_de_partida_para_o_africa_race_2015_Copyequipa oleoban_j_realizou_as_verificaes_tcnicas_e_administrativas_do_africa_race_2015_Copy

 

VOLVO OCEAN RACE

VOLVO OCEAN RACE

 

 

FROTA PARTIU ESTA MANHA DE ABU DHABI

 

 

Foi esta manhã que as seis embarcações largaram de Abu Dhabi para dar inicio a mais uma etapa à volta do Mundo, onde nesta terceira etapa vai ligar Abu Dhabi à China.Neste momento a classificação é a seguinte :

 

1º Abu Dhabi -  4531,5 Milhas por percorrer

 

2º Dongfeng Racing Team - 4531,9 milhas por percorrer

 

3º Team Brunel - 4532,3 milhas por percorrer

 

4º Team Alvimedica - 4533,7 milhas por percorrer

 

5º Mapfre - 4533,8 milhas por percorrer

 

6º Team SCA - 4535, 7 milhas por percorrerVOLVO1 CopyVOLVO2 CopyVOLVO3 CopyVOLVO4 CopyVOLVO5 CopyVOLVO6 CopyVOLVO7 CopyVOLVO8 CopyVOLVO9 CopyVOLVO10 CopyVOLVO11 CopyVOLVO12 CopyVOLVO13 CopyVOLVO15 CopyVOLVO16 CopyVOLVO17 CopyVOLVO18 CopyVOLVO19 CopyVOLVO20 CopyVOLVO21 CopyVOLVO23 CopyVOOLVO45 CopyVOLVO60 CopyVOLVO59 CopyVOLVO58 CopyVOLVO57 CopyVOLVO56 CopyVOLVO55 CopyVOLVO24 CopyVOLVO25 CopyVOLVO26 CopyVOLVO27 CopyVOLVO28 CopyVOLVO29 CopyVOLVO30 CopyVOLVO31 CopyVOLVO32 CopyVOLVO33 CopyVOLVO34 CopyVOLVO35 CopyVOLVO36 CopyVOLVO37 CopyVOLVO38 CopyVOLVO39 CopyVOLVO40 CopyVOLVO41 CopyVOLVO42 CopyVOLVO43 CopyVOLVO44 CopyVOLVO46 CopyVOLVO47 CopyVOLVO48 CopyVOLVO49 CopyVOLVO50 CopyVOLVO51 CopyVOLVO52 CopyVOLVO53 CopyVOLVO54 CopyVOLVO55 CopyVOLVO56 CopyVOLVO57 CopyVOLVO58 CopyVOLVO59 CopyVOOLVO45 Copy

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

2 de janeiro de 2015

Barco Flores - Timor

 

Parecem cadáveres espalhados pelo chão depois de uma batalha.
Estou no barco que me leva da ilha de Flores para a de Timor. Uma viagem de 17 horas que começou antes das nove da manhã. É um ferry com uma parte de baixo onde carregam carros, motos, camiões, cavalos e cabras e um andar superior onde vão a maioria das pessoas. Outras preferem viajar deitadas em cima dos tejadilhos dos camiões que conduzem ou, como um grupo de mulheres que estenderam umas esteiras no espaço reservado aos veículos e ali fazem a viagem, algumas deitadas, a dormir, outras em amena cavaqueira e outras a tratarem de filhos pequenos. Alguns maridos também dormem por perto, junto aos dois carros, quatro camiões, umas dezenas de scooters, a Cross Tourer e uma quantidade de sacos de arroz que ali foram descarregados em carrinhos de mão nas primeiras horas da manhã. Na parte da frente, junto à rampa de saída, depois dos camiões, três cavalos alimentam-se da palha que o dono espalhou na zona, transformada em pequena cavalariça, enquanto do lado contrário quatro cabras comem ervas que penduraram numas escadas e um porco preto dorme no chão.
Fui dos últimos a subir para o andar de cima porque, sabendo como o mar pode ser bravo nesta zona, quis certificar-me que a moto era bem atada ao convés.
O espaço para passageiros é escasso para as necessidades. Para além dos que viajam no reservado aos veículos e animais, há quem prefira ficar pelas escadas de acesso ao piso superior. A sala única, que funciona como dormitório, bar, sala de estar e de jantar não tem mais que vinte por dez metros. Quando chego as cadeiras já estão todas ocupadas, algumas por homens e mulheres deitados ao longo de três a dormir. No chão desta sala, felizmente com janelas abertas para o calor e o bom tempo, colchões forrados a plástico que o barco disponibiliza acomodam mais homens e mulheres atacados pela doença do sono. Alguns preferem esteiras próprias.
Pouco depois de partirmos já há quem almoce um arroz trazido de casa, embrulhado em papel pardo ou comprado a vendedoras que antes do barco arrancar cá vêm dentro comercializar embalagens plásticas de refeições que confeccionaram essa madrugada compostas de arroz, legumes e ovos fritos.
A alternativa à sala é um dormitório com quarenta beliches colados uns aos outros e todos eles ocupados.
Mas antes de subir para o primeiro andar, enquanto esperava que atassem a moto, estava descansado. Quando comprei o bilhete tinham-me dito que, já no barco, poderia comprar o acesso a uma cabine VIP, por pouco mais de seis euros, talvez o mesmo que paga um passageiro sem veículo, tendo em conta que o meu bilhete com a moto custou 23.
Fui à procura da cabine. Era outra sala com beliches idêntica à primeira. A diferença é que esta tinha ar condicionado, as pessoas e camas um ar um pouco mais limpo e os lugares eram reservados. À falta de alternativa pedi um. As camas de baixo são no chão e preferi uma de cima, a pouco mais de um metro de altura. Os colchões estão encostados uns aos outros em grupos de cinco. Pousei em cima o blusão e capacete, a guardar o lugar, e fui procurar um sítio onde me sentar a ler, de preferência junto a uma janela. Na sala principal, ultra congestionada, foi impossível e acabei por colocar três dos colchões plásticos junto a uma das janelas do dormitório VIP. Extraordinário como não é só na Europa que esta sigla se banalizou. Zona VIP hoje em dia é um espaço ligeiramente melhor que o restante onde os amigos dos porteiros se misturam com atrizes de novela. Aqui não há atrizes mas há amigos de porteiros. Pouco depois de me ter instalado tive o azar de dois deles, sem lugar nos beliches, se virem deitar a dormir colados a mim, enquanto lia. O que estava ao meu lado não só ressonava como rangia os dentes de uma forma que fiquei com a ideia que se iam partir a qualquer momento.
Tanta gente a dormir fez-me sono e decidi ir até ao meu beliche. Já tinha um vizinho de cada lado, tão perto como se tivesse duas mulheres na minha cama. Quando acordei e hesitava em voltar ao meu lugar junto à janela, o do lado direito virou-se na cama e encostou a cabeça ao meu ombro. O meu “Hey”, mais alto que a conversa de fundo da televisão ligada ininterruptamente, foi suficiente para que se virasse para o outro lado, sem sequer abrir os olhos.
Pela uma e meia da tarde, ainda sem fome, decidi ir almoçar para passar o tempo. Sentei-me no bar e pedi um esparguete fininho com tofu que vêm numa embalagem plástica, idêntico ao que tinha comido na ultima viagem de barco.
Voltei para o meu lugar junto à janela para me distrair a ler e escrever e pelas cinco e meia da tarde desci à parte de baixo e, através de uma escada metálica, subi para um dos cantos do navio junto às amarrações e que são o único lugar ao ar livre que o barco tem disponível, reservado à tripulação. Fiquei, durante perto de uma hora, com dois dos marinheiros, a ver os golfinhos que saltavam à volta do barco, não em grupo como os costumamos ver, mas separados uns 20 a 50 metros uns dos outros, um ou outro a atreverem-se junto ao barco.  

29 de dezembro de 2014

Flores

A Ilha de Flores foi uma colónia portuguesa desde que aí desembarcámos no século XVI mas, em 1851, o governador Lima Lopes, a atravessar dificuldades financeiras e sem apoio da casa real, vendeu grande parte da ilha aos Holandeses que, três anos mais tarde, ocuparam a totalidade do território.
Durante  a segunda guerra mundial a ilha foi invadida pelos japoneses mas, com o fim da guerra, passou a fazer parte da Indonésia.
Os portugueses, ao contrário dos holandeses, misturavam-se com as populações locais e deixaram por lá não só nomes de famílias como a religião católica. Quase todos os perto de dois milhões de habitantes da ilha são católicos.
A estrada que apanhei para sair do porto de Labuan Bajo começava por subir uma serra num trajeto muito sinuoso e traiçoeiro, com várias partes em obras, pequenos troços em terra, desníveis no alcatrão e zonas a escorregarem muito. Já não chovia mas o alcatrão ainda estava encharcado. Passava pouco das quatro da manhã e não se via ninguém nem um único carro. Durante a primeira hora só me cruzei com um camião e duas “scooters”, que rodavam juntas. Fui andando devagar e achei graça ver algumas casas muito humildes com iluminações de Natal.
Quando o dia começou a nascer, pelas cinco e meia, fiquei encantado com a beleza da paisagem que me rodeava. Muita vegetação e vales lindos. Um grande lago lá em baixo, com as margens a ziguezaguearem pela serra, produzia uma imagem de autentico bilhete postal.
Pelas sete da manhã parei num pequeno restaurante que tinha um ar mais limpo que os outros e tomei um pequeno almoço de arroz com grelos e um ovo cozido.
Segui depois até Ruteng. Cerca das dez da manhã começou a dar-me o sono e voltei a parar  para beber uma laranjada. Eram onze quando cheguei a Aimere, a vila onde embarcaria para o próximo destino. Comecei por ir ao porto saber quando tinha barco para West Timor, a parte da ilha que pertence à Indonésia. Disseram-me que sairia um no dia seguinte às oito da manhã.
Fui então à procura de sítio onde ficar e indicaram-me um pequeno “resort” com cabanas junto à praia, a meia dúzia de quilómetros.
O dono, descendente de portugueses embora não falasse a língua, chamava-se Francisco Rosário.
Instalei-me e fui para o bar, junto à praia deserta, onde fiquei a ler e tomei vários banhos naquela água morna durante o resto do dia. Era o único cliente mas ao fim da tarde chegou uma simpática italiana que explora uma empresa de mergulho na ilha e com quem jantei um excelente peixe apanhado no dia e cozinhado pelo Francisco.
Deitei-me cedo e acordei às seis da manhã. Tomei o pequeno almoço no bar da praia e segui para o porto. Comprei o bilhete e enquanto esperava no meio de gente e tralha para embarcar apareceu o Francisco, na sua moto, que me disse para eu o seguir que me ajudava a passar à frente da confusão. Parecia dono do porto. Fui atrás dele até à rampa de acesso e aí deu indicações para mandarem a minha moto entrar. Despedi-me e embarquei.

 

TUDO PRONTO PARA O DAKAR

TUDO PRONTO PARA O DAKAR

 

 

Será amanhã que os participantes do Dakar 2015, irão partir de Buenos Aires na capital argentina, para mais uma edição da maior maratona do mundo, cujas fotos que hoje apresentamos são bem elucidativas disso.DAK1 CopyDAK2 CopyDAK3 CopyDAK5 CopyDAK6 CopyDAK7 CopyDAK8 CopyDAK9 CopyDAK10 CopyDAK11 CopyDAK12 CopyDAK14 CopyDAK15 CopyDAK16 CopyDAK17 CopyDAK18 CopyDAK19 CopyDAK20 CopyDAK21 CopyDAK22 CopyDAK23 CopyDAK24 CopyDAK25 CopyDAK26 CopyDAK27 CopyDAK29 CopyDAK30 Copydak31 Copydak33 Copydak34 Copydak35 Copydak36 Copydak38 Copydak39 Copydak40 Copydak41 Copydak42 Copy

 

VOLVO OCEAN RACE- TEAM VESTAS VAI VOLTAR

VOLVO OCEAN RACE

 

TEAM VESTAS VAI VOLTAR

 

Depois do acidentado encalhe do barco do Team Vestas que está a participar na Volvo Ocean Race, hoje o porta voz da equipa afirmou que a equipa irá retomar a competição, a parti da 4ª etapa, que iráligar a China à Nova Zelandia.Os estragos foram muito grandes, e o barco está a ser transportado para a Europa, para ser todo reconstruido, podendo estar a tempo de fazer a largada para a 4ª etapa.VESTAS1 CopyVOLVO-VESTAS1 CopyVOLVO-VESTAS2 Copy

 

RED BULL AIR RACE COM CALENDÁRIO DEFINITIVO

RED BULL AIR RACE COM CALENDÁRIO DEFINITIVO

 

 

O Red Bull Air Race tem já definido todo o calendário para 2015, que é o seguinte :

 

13- 14 Fevereiro - Abu Dhabi

 

16-18 Maio - Chiba - Japão

 

30-31 Maio - Sochi - Russia

 

4-5 Julho - Budapeste - Hungria

 

15-16 Agosto - Ascott - Inglaterra

 

5-6 Setembro Spielberg - Austria

 

26-27 Setembro - Fort Worth - Estados Unidos

 

17-18 Outubro -Las Vegas - Estados UnidosAIRRACE-VERCALENDARIO CopyREDBULLAIRRACE Copy

 

VOLVO OCEAN RACE - GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

VOLVO OCEAN RACE EM ABU DHABI

 

volvo107 Copyvolvo108 Copyvolvo109 Copyvolvo110 Copyvolvo120 Copyvolvo121 Copyvolvo122 Copyvolvo123 Copyvolvo124 Copyvolvo130 Copyvolvo131 CopyVOLVO132 CopyVOLVO133 CopyVOLVO134 Copyvolvo150 Copyvolvo152 Copyvolvo153 Copyvolvo154 Copyvolvo155 Copyvolvo156 Copyvolvo157 Copyvolvo158 Copyvolvo159 Copyvolvo160 Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

VOLVO OCEAN RACE

 

Grupo de imagens relativas á regata de hoje, onda a equipe feminina da SCA, foi a brilhante vencedora, de forma surprendente.volvo-hoje1 Copyvolvo-hoje2 Copy_Copyvolvo-hoje3 Copy_Copyvolvo-hoje4 Copyvolvo161 Copyvolvo160 Copyvolvo159 Copyvolvo158 Copyvolvo159 Copyvolvo158 Copyvolvo157 Copyvolvo156 Copy

 

TEAM SCA VENCEU REGATA DE HOJE

 

2015 começa com o pé direito para as meninas do Team SCA na Volvo Ocean Race


O Team SCA, equipe 100% feminina na Volvo Ocean Race, venceu, nesta sexta-feira (2), a Regata Local ou In-Port Race de Abu Dhabi. A prova antecede a largada da terceira etapa e é realizada em todas as cidades-sede da Volta ao Mundo. O time da Suécia escolheu a melhor estratégia para os ventos fracos do dia - média de 5 nós, fez manobras limpas e surpreendeu os adversários do começo ao fim. Na montagem da primeira boia, as meninas já estavam em primeiro lugar. A equipe teve a holandesa quase brasileira Carolijn Brouwer como timoneira. A velejadora, que aprendeu a modalidade em Niterói (RJ) com a família Grael, foi fundamental na disputa.

"Foi um trabalho em equipe bem feito", disse a holandesa, que fala perfeitamente o português por ter morado tanto tempo no Brasil. "A vitória nos dá mais confiança para as próximas etapas".

O Team SCA dedicou a vitória a tripulante Sophie Ciszek. A proeira está de repouso após fazer uma cirurgia de hérnia de disco. "O ambiente está muito bom a bordo e essa vitória nos dá moral para a largada da terceira etapa", explicou a comandante Sam Davies. A segunda posição da In-Port Race ficou com o Team Brunel, seguido pelos donos da casa, o Abu Dhabi Ocean Racing e Dongfeng. Team Alvimedica e MAPFRE fecharam a prova em quinto e sexto lugares, respectivamente.

No início da manhã deste sábado (3), a flotilha larga para a terceira etapa da Volvo Ocean Race, entre Abu Dhabi e Sanya. O percurso será de 4.670 milhas náuticas e vai passar pelo Estreito de Malaca, um dos mais complicados do mundo. Os fãs da Volta ao Mundo poderão assistir a largada no canal oficial da Volvo Ocean Race do Youtube.

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

BLANCPAIN

 

Pequeno grupo de imagens da época de 2014 da Blancpain.bla1 Copybla2 Copybla3 Copybla4 Copybla5 Copybla6 Copybla7 Copybla8 Copybla9 Copybla11 Copybla12 Copybla13 Copybla14 Copybla15 Copybla16 Copybla17 Copybla18 Copybla19 Copybla20 Copybla21 Copybla22 Copybla23 Copybla24 Copybla25 Copybla26 Copybla27 Copybla28 Copybla29 Copybla30 Copybla31 Copybla32 Copybla33 Copybla34 Copybla35 Copybla36 Copybla37 Copybla38 Copy

 

JACINTO DE PARTICA PARA O AFRICA RACE

Elisabete Jacinto de partida para o Africa Race de 2015


A piloto Elisabete Jacinto e os restantes membros da equipa OLEOBAN® já estão na estrada em direção a Motril, no sul de Espanha, onde vão realizar amanhã as verificações administrativas e técnicas para o Africa Eco Race 2015. Como é habitual os participantes portugueses e espanhóis cumprem esta etapa imediatamente antes do embarque para Marrocos, uma exceção que a organização do rali concede aos pilotos ibéricos para que estes possam festejar o Natal em família.

Enquanto os portugueses ainda estão na estrada, os restantes participantes do Africa Race já deram início às formalidades do rali uma vez que se realizam hoje, em Saint Cyprien, as verificações administrativas e técnicas desta prova. Esta bela cidade costeira do Sul de França, localizada junto ao Mar Mediterrâneo, vai acolher mais uma vez a partida daquela que é a maior maratona africana de todo-o-terreno da atualidade e que este ano conta com cerca de 70 participantes. Nesta edição serão cerca de 30 os pilotos que vão cumprir na prova em moto, 30 equipas em automóvel e 10 em camião.

Para Elisabete Jacinto, o momento da partida para esta corrida é sempre envolto em grandes expectativas. O objetivo principal da equipa consiste em alcançar um lugar de pódio contudo, devido ao enorme nível de competitividade das formações que participam em camião, a piloto sabe que terá pela frente um rali difícil: “Como é costume, o meu entusiasmo é proporcional ao nível de competitividade das equipas presentes. Embora saiba que as probabilidades de ter bons resultados são menores não há dúvida que o prazer é muito maior. Vou para competir. É isso que me anima!”, revelou a piloto Elisabete Jacinto.

A noite do dia 29 será passada no barco pois toda a comitiva atravessará o mediterrânico em direcção a Nador, já em Marrocos, onde o Africa Eco Race cumprirá a sua primeira etapa a qual decorrerá entre esta cidade e Errachidia.jacintojaemafrica Copyman tgs_da_equipa_oleoban_a_postos_para_mais_um_africa_eco_race_Copy
 

TEMPORADA RESISTENCIA DUNLOP

 

A TEMPORADA DE RESISTÊNCIA DA DUNLOP EM NÚMEROS

 

A temporada de 2014 foi positiva para as equipas Dunlop de Resistência. As European Le Mans Series foram muito disputadas: quatro das nove equipas Dunlop que participaram foram as que lutaram pelo título na última prova em que a Signatech Alpine foi finalmente consagrada campeã. O FIA World Endurance Championship (WEC) foi disputado, embora num sentido diferente. Quando duas das equipas Dunlop de LMP2 no WEC se retiraram em Le Mans, a temporada tornou-se numa longa batalha para superar o défice de 50 pontos que os concorrentes conseguiram nessa prova, apesar de terminar em 11.º lugar na categoria.

 

Conquistas da Dunlop na temporada 2014:

  • No WEC, a G-Drive Racing e KCMG conseguiram sete das oito vitórias, oito poles e oito voltas mais rápidas na prova. A Jota Sport conseguiu a vitória na prova das 24 Horas de Le Mans com pneus Dunlop.
  • As equipas Dunlop conseguiram todas as pole positions das ELMS (quatro para Jota Sport e uma para Murphy Prototypes) e quatro das cinco vitórias.
  • Em Le Mans, as 17 voltas mais rápidas de toda a prova, em nove carros diferentes, foram estabelecidas com pneus Dunlop.
  • Durante as ELMS cinco pilotos Dunlop, em quatro carros diferentes, estabeleceram as voltas mais rápidas. No WEC, Olivier Pla conseguiu sete das oito voltas mais rápidas (Nelson Panciatici/Signatech conseguiu a volta mais rápida em Le Mans com a Dunlop).
  • A Dunlop liderou as nove voltas mais rápidas de Le Mans 2014 em carros com seis combinações diferentes de chassis/motor.
  • As equipas Dunlop lideraram 2102 voltas das 2305 que totalizam as ELMS e o WEC, o que implica 91,2%.
  • As cinco especificações de pneus deram um bom rendimento tanto em velocidade como em duração, conseguindo realizar sessões múltiplas até chegar a sessões quádruplas em Le Mans.
  • A estratégia da Jota em Le Mans de realizar sessões quádruplas foi essencial para a sua recuperação após um problema no começo da prova para acabar vencendora (muitas das equipas da Dunlop fizeram sessões triplas e quádruplas com os slicks). A Jota usou apenas 11 conjuntos de slicks para a prova completa das 24 Horas.

 

Mike McGregor, Dunlop Motorsport

"Já estamos a trabalhar bastante nas especificações para 2015, desenvolvendo-as a partir da sólida base dos pneus de 2014. Ainda que gostemos de conseguir vitórias e títulos para demonstrar o nosso rendimento, esperamos ter mais concorrência em 2015. Esse facto não só ajuda a que melhoremos o rendimento, mas também a manter a tecnologia num avanço contínuo no desporto em geral, facto que só pode ser positivo para os diferentes campeonatos monomarca em todo o mundo. Estamos a procurar uma vantagem operacional otimizada e ampla para os pneus de piso molhado e intermédios. Além disso, todos os componentes da gama de slicks vão ser melhorados para assegurarmo-nos que mantêm o rendimento mas melhoram a capacidade para realizar várias sessões.”

 

 

Sobre a Dunlop

A Dunlop é um dos principais fabricantes mundiais de pneus de altas e muito altas prestações, com um impressionante historial de êxitos em desportos motorizados. A Dunlop é o parceiro técnico de BMW Motorsposrt e AMG Customer Motorport.

A vasta experiencia da Dunlop em corridas deu lugar a tecnologias inovadoras aplicadas a pneus desenhados para a condução diária. 2013 foi o 125º aniversário da Dunlop e a introdução do nosso fundador de pneus.

Depois dos seus primeiros recordes a alta velocidade, Dunlop celebrou o seu primeiro triunfo nas 24 horas de Le Mans em 1924 e atualmente é o fabricante de pneus com mais êxitos nessa corrida com 34 vitórias. Os campeões de GT e LMP1 da American Le Mans Series de 2011 estavam equipados com Dunlop assim como os vencedores em LMP2 dos Campeonatos Europeus e Internacionais.

Os penus Dunlop também estão presentes nas Top Touring Car Races de todo o mundo, incluindo o campeonato mundialmente conhecido Australian V8 Supercar e o Campeonato britânico Touring Car.

Os últimos pneus de corrida da Dunlop são o equipamento original de muitas marcas líderes do mundo das duas rodas como Jaguar, Audi, Mercedes, Volkswagen, Renault e BMW.

Para mais informações sobre a Dunlop e os seus produtos, visite www.dunlop.eu ou as nossas contas de Twitter e Facebook.

 38 2014LM211_2_Copy

 

PEUGEOT PORTUGAL ESCLARECE

 

PEUGEOT PEUGEOT PEUGEOT PORTUGAL AUTOMÓVEISPORTUGAL AUTOMÓVEIS PORTUGAL AUTOMÓVEIS PORTUGAL AUTOMÓVEISPORTUGAL AUTOMÓVEIS PORTUGAL AUTOMÓVEISPORTUGAL AUTOMÓVEIS PORTUGAL AUTOMÓVEISPORTUGAL AUTOMÓVEIS PORTUGAL AUTOMÓVEIS


 PEUGEOT PORTUGAL ESCLARECE

 


A Peugeot Portugal Automóveis refuta as notícias veiculadas hoje em vários órgãos de comunicação social, nos termos da qual a “Concorrência obriga Peugeot a mudar contratos de garantia”. De igual forma é falso que “A Peugeot assegurava a cobertura de garantias apenas aos donos de viaturas que fizessem as revisões nas oficinas da marca”, sendo que tal conclusão não resulta da nota de Consulta Pública emitida pela Autoridade da Concorrência publicada hoje.
Com base nas investigações realizadas pela Autoridade da Concorrência (Proc.2013/5) e que são de público acesso, entendeu a entidade supervisora que não foi demonstrado que a Peugeot condicionasse o accionamento da garantia legal (dois anos após a aquisição) à realização de serviços de manutenção e/ou reparação na sua rede de Reparadores Autorizados.
Em resultado das preocupações notificadas pela Autoridade da Concorrência em sede de “Apreciação Preliminar” ao nível de um contrato de extensão de garantia (garantia alargada), a Peugeot Portugal Automóveis optou por, voluntariamente, apresentar um conjunto de compromissos (publicados na íntegra em www.concorrencia.pt), com vista a demonstrar publicamente e assegurar a manutenção do escrupuloso cumprimento da Lei da Concorrência. Tratam-se de medidas que a Peugeot Portugal Automóveis voluntariamente assumiu e não de medidas impostas pela entidade supervisora.

 

RALI FIM DE ANO

 

Excelente fecho de ano para equipa da Freixianda

Paulo Ferraz  e Luís Pegas terminaram o  Rali de Fim de Ano da ECB na 13 º posição da geral e em 7º lugar da categoria IV. Excelente forma de terminar o ano para a dupla da Freixianda.

O piloto referia no final que " o rali correu bem , o resultado foi o menos importante pois com apenas 2 passagens de reconhecimentos não estávamos a espera de melhor,mesmo assim com a saída de estrada na primeira passagem não fizemos mau tempo,já na segunda passagem ficamos sem travões e pressão de turbo o que levou a piorar o tempo ,mas isso foi o menos importante, acabou por ser um rali que serviu para ganhar experiência e habituação ao carro ,acabamos por ter um enorme susto quando na saída de estrada vimos alguém no meio da vegetação ,pois temi o pior ,apenas fiquei mais descansado quando cheguei ao parque de assistência e me ligaram a dizer que não tinha tocado nessa pessoa. Para o ano vamos ver como vai ser, pois como já tive a oportunidade de dizer , sem apoios será só para fazer duas ou três provas.

Um abraço e um bom 2025 para todos e que tudo corra como desejam."

Quanto a Hélder Salvador não alinhou a partida.

Fernando Teotónio foi o vencedor do Rali .

O Colégio de Comissários desportivos decidiu cancelar a derradeira especial, depois de três despistes, fazendo com que Nelson Trindade e Herlander Trindade ocupassem as duas restantes posições do pódio.

Gil Antunes venceu as duas rodas motrizes, depois de terminar no 4º lugar da geral.

Este Rali fechou as comemorações dos 50 anos, a Escuderia Castelo Branco, homenageou os pilotos e navegadores seus sócios que ao longo dos anos, têm participado em provas de campeonatos nacionais.10402488 892848627412348_8801148709122054101_n_Copy

 

CAMPEONATO NACIONAL DE TRIAL APRESENTA-SE

 

Campeonato Nacional de Trial 4x4 2014CNTrial 4x4: Apresentação a 10 de janeiro
2015 começa com a apresentação do Campeonato Nacional de Trial 4x4, umacompetição a cargo do Clube Todo-o-Terreno Trilhos do Norte em parceria com os clubesassociados e, sob a égide da Federação Portuguesa de Todo Terreno Turístico Trial eNavegação 4x4. Depois de uma época muito positiva com um campeonato muito bemdisputado, a estreia e a confirmação de clubes de excelência na organização de provas e ocrescente mediatismo do CNTrial 4x4, já se começa a alinhavar uma nova temporada.
No próximo ano, e à semelhança do que aconteceu em 2014, o Campeonato Nacional deTrial 4x4 será composto por 6 provas: Valongo, Torres Vedras, Chaves, Penafiel, Mação eParedes.
Antes da competição começar, a edição de 2015 do CNTrial 4x4 será formalmenteapresentada, com novidades ao nível do regulamento e mais pormenores de cada prova. É a10 de janeiro, pelas 18horas, no Fórum Cultural de Ermesinde. Um evento que, a exemplodos anteriores, contará com a presença da comissão organizadora, Clubes, Federação,pilotos, navegadores, comissários, mecânicos, amigos, aficionados e comunicação social.Não falte!!!
Calendário desportivo para 2015:
10 janeiro: Apresentação do CNTrail 4x4 2015, Fórum Cultural de Ermesinde
25 janeiro: Formação comissários e diretores de prova, Paredes
08 fevereiro: Formação comissários e diretores de prova, Paredes
01 março: CNTrial 4x4 Valongo, Clube Trilhos do Norte
12 abril: CNTrial 4x4 Torres Vedras, Clube Ecomotor
10 maio: CNTrial 4x4 Chaves, Moto Clube Chaves
21 junho: CNTrial 4x4 Penafiel, Clube Pena Trilhos
27 setembro: CNTrial 4x4 Mação, Mac TT – Clube TT de Mação
18 outubro: CNTrial 4x4 Paredes – Clube TT Paredes Rota dos Móveis
15 novembro: Gala de entrega de prémios, Lisboa

 

EQUIPA BAMP TREINOU EM ÁFRICA

 

Equipa BAMP treinou em África com muito “Speed”

Neste final de 2014 oportunidade para continuar a apresentar o Projecto BAMP que vai estar presente na próxima edição do Dakar Argentina Bolivia Chile 2015. Terminada a montagem do veículo na África do Sul nos primeiros dias de Dezembro, foi altura de testá-lo, bem como de criar o entrosamento da própria equipa.

Com elementos provenientes do Brasil, Angola, Moçambique e Portugal, foi crucial o encontro que ocorreu em terras africanas, onde foi possível o cruzamento de experiências, perspetivas, conhecimentos e técnicas das diferentes culturas.

O programa de team building contou com várias atividades de preparação física,  apoiadas pela bebida energética Nº1 em Angola, SPEED®. Para além da preparação física ainda houve tempo para algumas experiências marcantes envolvendo o contacto com animais selvagens, nomeadamente leões e chitas.

Para Izilda Mussuela esta “foi a minha primeira experiência  todo-o-terreno. Depois de tratadas algumas questões logísticas, treinámos intensivamente em equipa, preparando-nos para as dificuldades do Dakar, sob um calor abrasador. Nesta experiência, ter o apoio de uma marca como Speed é fundamental. Para além de ser uma marca da qual somos muito próximos, é uma bebida que nos dá a energia para enfrentar esta tão dura prova."

Agora a equipa está de partida, oriunda dos quatro países, rumo à Argentina, para dar início à maior prova de todo-o-terreno do mundo, o Rali Dakar.BAMP Dakar2015_01_CopyBAMP Dakar2015_02_CopyBAMP Dakar2015_03_CopyBAMP Dakar2015_04_CopyBAMP Dakar2015_05_Copy

 

HELDER QUER VENCER NO DAKAR

 

Hélder Rodrigues no Dakar 2015: Objectivo vitória

Piloto português terminou sempre no Top 10 e subiu ao pódio por duas vezes

 

Aos comandos de uma Honda CRF450 Rally, Hélder Rodrigues inicia dentro de dois dias a sua nona participação na mais importante competição mundial de todo-o-terreno. O piloto português integra a equipa oficial do construtor nipónico e parte apostado em ser um dos protagonistas na luta pela vitória no Dakar 2015

 

Hélder Rodrigues é o piloto com melhor palmarés de entre os que vão participar nesta edição da prova, logo a seguir a Marc Coma, registando uma sucessão de resultados que lhe permitiram terminar sempre dentro do Top 10 e por duas vezes subiu ao pódio. Para este Dakar 2015 está apostado em fazer ainda melhor.

 

“O meu objectivo é melhorar o que eu já fiz. Já fiz dois pódios e, neste momento, quero fazer melhor do que isso. O meu objectivo principal é vencer. Foi com esse intuito que trabalhei todos estes anos e para o qual me preparei ao longo desta temporada. Quero começar mais forte logo desde o início, para conseguir estar na frente da corrida ate ao final”, salientou Hélder Rodrigues que acrescenta:

 

“Foi muito positivo ter feito todo o Campeonato do Mundo, composto por corridas duras onde testamos todo o tipo de terreno, trabalhado durante todo o ano. Em Julho comecei a trabalhar, apostando no treino físico, duro e, a partir daí, a focar-me exclusivamente no Dakar.

 

 

 

 

 

 

Estou muito contente com o trabalho que fiz com o meu treinador que englobou inclusive treino de altitude. Ao longo de dois meses, treinava três vezes por semana. Começámos aproximadamente nos 2500m e fomos progredindo até chegarmos aos 4600m, que era o nosso objectivo. Todo este trabalho foi muito importante e tenho a certeza que nos vai ajudar bastante nesta corrida”

 

Hélder Rodrigues destaca ainda que “os pontos-chave deste Dakar vão ser os dias mais duros em que há uma nota de road book que não está bem explícita e em que temos de tomar uma decisão que, por vezes, é diferente da decisão que os outros tomam. As etapas maratona também são decisivas. Existem duas e, nessas alturas, temos de saber gerir bem a mota, os pneus e os outros componentes, mas também temos que atacar para fazer um bom tempo. Durante todo o rali há ainda a preocupação constante para tudo esteja bem: eu, a mota e a sua mecânica”.

 

Integrado numa estrutura oficial Hélder Rodrigues faz parte de uma equipa que lhe proporciona um enorme apoio: “No terreno somos cerca de 32 pessoas só da Honda HRC, porque há outros Teams com pilotos que também nos podem ajudar. Estou a referir-me ao

 

 

 

 

 

 

 

Laia Sanzantes de partir para a Argentina.

 

Mais informações sobre a prova em: www.dakar.com 6117 MAR14_Shakedown_Rodrigues_9919_rz_w_CopyP-20141118-01539 HiRes_JPEG_24bit_RGB_CopyP-20141118-01541 HiRes_JPEG_24bit_RGB_Copy

 

O NATAL DE TIAGO MONTEIRO

O NTAL DE TIAGO MONTEIRO

 

Foi esta a imagen do Natal de Tiago Monteiro com a sua familia unida, numa mesa repleta de familiares.TIAGOMONTEIRO-FESRTEJOSNATAL Copy

 

PORTUGAL FIGURA NOS CALENDÁRIOS INTERNACIONAIS

PORTUGAL FIGURA NOS CALENDÁRIOS INTERNACIONAIS

 

Para este ano, Portugal até nem se pode queixar muito, pois faz parte de grande parte dos calendários de provas internacionais.Assim no mês de Jsaneiro, Fevereiro, e Março tudo calmo, mas em Abril começas as "hostilidades".O calendário está sassim definido :

 

25-26 Abril - Mundial de Ralicrosss - Portalegre

 

MAIO

 

9- 10 - GT Open - Autódromo do Estoril + TCR International Series - Autódromo de Portimão

 

10 Maio - Euroepu de karting - Algarve

 

15-17 - Rampa da falperra - Europeu de Montanha

 

22-24 WRC - rali de Portugal

 

JUNHO

 

6-7 Rali dos Açores

 

 

Julho

12 - WTCC em Vila Real

 

 

Agosto

 

1 - Rali da Madeira - European Rali Trophy

 

Setembro

 

5-6 Blancpain - Autódromo do Algarve

 

Outurbo

 

17-18 Eurpean Le Mans Series - Autódromo do Estoril

 

22-24 - Taça Mundo TT - Baja Portalegre

 

24 - 25 Fia Lurani Trophy - Autodromo de Portimão

 

24- 25 Algarve Classical Festival

 

Novembro

 

7- 8 Vde V - Autódromo do Estoril

 

 

VOLVO OCEAN RACE

VOLVO OCEAN RACE

 

Nas duas semanas em que a frota eesteve em Abu Dhabi, que marcou o final da 2ª etapa, nestes ultimos dias, foi para as equipas de manutenção, fazerem revisão a todas as seis embarcações que ainda estão em prova(6).Nestas duas ssemanss muitos eventos tiveram lugar no paddock da Volvo Ocean Race, conforme as imagens anexas.volv105 Copyvolvo1 Copyvolvo2 Copyvolvo3 Copyvolvo4 Copyvolvo5 Copyvolvo6 Copyvolvo7 Copyvolvo8 Copyvolvo9 Copyvolvo10 Copyvolvo11 Copyvolvo101 Copyvolvo102 Copyvolvo103 Copyvolvo132 Copyvolvo133 Copyvolvo140 Copyvolvo141 Copyvolvo142 Copyvolvo143 Copyvolvo145 Copyvolvo146 Copyvolvo147 Copyvolvo200 Copy

 

CIRCUITO DA BOAVISTA PODIA TER RECEBIDO O DTM

CIRCUITO DA BOAVISTA PODIA TER RECEBIDO O DTM

 

No ano passado, quando  a Câmara Municipal do Porto debatia o tema da organização do Circuito da Boavista, chegou a transbordar para o exterior, os valores que o WTCC pediu para se deslocar à cidade do Porto, falva-se na altura de cerca de 650 mil euros.Depois de toda a atrapalhação com as verbas, soubemos que a FPAK, chegou a propor à Câmada do Porto, a vinda do DTM, por cerca de 300.000 euros, o que como toda a gente sabe, acabou recusado, de forma lamenável, para todos os adeptos.cpaa 05-logo-circuito_b_Copy

 

TCR INTERNATIONAL QUASE CO0MPLETA

TCR INTERNATIONAL SERIES QUASE COM LOTAÇÃO COMPLETA

 

O objectivo da entidade organizadora da 1ª edição da TCR International Series era atingir as duas duzias de participantes, mas pelos rumores e projectos existentes a nível internacional, o numero de participantes poderá ser ultrapassadoo.Assim nesta fase apenas nove marcas estão avalizadas para poderem participar, com a os seguintes modelos :

 

- Alfa Romeo Giulietta

 

- Seat Loen Rcae

 

- Volkswagen Golf GTI

 

- Ford Focus ST

 

- HOnda CXivic TC

 

- Opel Astra OPC

 

- Audi A 3

 

- Hyundai

 

- Mercedes Class C

 

Assim quando parece que o novo projecto de Marcelo Lotti( ex WTCC), vai ter na realidade pernas para andar, já disse já estarem assegurado na totalidade a participação de duas dezenas de carros, mas os pedidos de participação orçam em mais de duas dezenas de participantes, o que vem atestar o interesse nesta competição para carros de turismo, mas com custos mais baixos, em comparação com outras categorias.

 

Em termos de calendáriotcr1 CopyTCR2 CopyTCR3 Copy, estão já asseguradas 11 provas, faltando apenas saber qual será a ultima corrida do calendário.Portugal irá recber uma prova, que terá lugar no autódromo de Portimão.

 

O calendário para 2015 está assim definido :

 

 

-29 Março - Sepang International Circuit - Malásia

 

- 12 Abril - Circuito de Sangai - Shangai - China

 

- Circuito Ricardo Tormo - Valencia - Espanha

 

-10 Maio - AUTÓDROMO DE PORTIMÃO - ALGARVE - PORTUGAL

 

- 24 Maio - Autódromo de Monza - Itália

 

31 Maio - Sazlburing - Austria

 

21 Junho - Sochi - Russia

 

26 Julho - Autódromo Juary Oscar Galvez - Buenos Aires - Argentina

 

9 Agosto - Auto dromo Internaciolan Codegue - Chile

 

20 Setembro - Marine Bay Street - Singapura

 

25 Outurbo - Burinam International Circuito - Tailandia

 

22 Novembro - Prova a anunciar

 

TRES NOVOS CLUBES FILIADOS NA FPAK

TRÊS NOVOS CLUBES FILIADOS NA FPAK

 

A Federação Portuguesa de Automobilismo e karting, recebeu no passado mês de Dezembro três novoas associados, a APPAM - Associação POrtuguesa dos PIlotos de Automóveis de MOntanha, a ACOR - Associação dos Clubes Organizadores de Ralis, e finalemnte a ACAAN - Asspciação dos Clubes de Automóveis Antigos do Norte.

 

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt