CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS - PORTIMÃO

 

CNCC + CNCC 1300

João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) partiu como uma bala, da sexta posição da grelha e na curva cinco, o gancho, já estava a discutir o primeiro posto com Joaquim Jorge (Ford Escort) e Rui Alves (Ford Escort). Ainda na primeira volta o Porsche ditou a lei e Macedo e Silva colocou-se na frente. Depois ganhou vantagem e a corrida estava decidida no que à vitória entre os H75 e geral dizia respeito.

Joaquim Jorge e Rui Alves ficavam a discutir o segundo posto, Jorge ia ganhando vantagem, mas Alves nunca o deixou fugir.

Mais para trás, à terceira volta, Jorge Cruz (BMW 323i) comandava os H81, e liderava também um grupo animado, em que Alexandre Guimarães lutava com Joaquim Soares e levava a melhor, numa luta de Lotus Elan. Guimarães era o líder do Grupo 5 e Joaquim Soares era o melhor dos H71

Pouco depois, na curva três o motor do Lotus de Soares “calava-se” e perdia várias posições, já só lhe restava tentar recuperar. Conseguiu chegar a 13º

Alexandre Guimarães subia para quarto por troca com Jorge Cruz que ainda ia perder mais um lugar para Duarte Fraga, que viria a vencer o Grupo 5, depois de ultrapassar Alexandre Guimarães.

Problemas de autoblocante do BMW de Cruz explicavam o desempenho menos bom na segunda metade da corrida, mas mesmo assim, não perdia o primeiro lugar dos H81. Fernando Xavier (WV Sirocco) era segundo dos H81.

No Grupo 1, Pedro serrador (BMW 323i) era o homem do momento e João Vieira (Karmann Ghia) ganhava nos H65.

Francisco Pinto perdeu uma roda do BMW 2002 e isso motivava a entrada do Safty Car. A prova terminou sem que o veículo de segurança saísse da pista.

portimao cncc macedo porsche João Macedo e Silva (Porsche 911 RSR) portimao cncc fraga Duarte Fraga (Ford Escort)  

CNCC 1300

Filipe Nogueira (Morris Mini 1275 GT) foi o homem do início da corrida. Colocou-se na frente e deixou  Arnaldo Marques (Datsun 1200) e Luís Alegria (Datsun 1200) a discutirem o segundo posto.

À quinta volta Arnaldo Marques subiu para primeiro, por troca com Filipe Nogueira e de seguida era a vez de Luís Alegria apanhar Nogueira e passá-lo.

A partir de meio da corrida era o tempo de Luis Alegria lançar o ataque. Começava a cobiçar a liderança de Arnaldo Marques e depois passava para primeiro, posição em que viria a terminar a prova. Simultaneamente era o vencedor dos H75.

Arnaldo Marques, a nove décimas de Alegria, era segundo, melhor dos H71 e trazia Nogueira a duas décimas.

Em termos de classificação seguiam-se: João Braga (Datsun 1200), Fernando Charais (Datsun 120Y) e José Fafiães que com um motor que não andava montado no Datsum 1200, não conseguia ir mais além. Recorde-se que na sexta-feira partiu e nas corridas nunca teve o motor verdadeiramente competitivo.

portimao cncc1300 alegria Luís Alegria (Datsun 1200) portimao cncc1300 arnaldo Arnaldo Duarte (Datsun 1200) portimao cncc1300 nogueira Filipe Nogueira (Morris