In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


NOS BASTIDORES DE VILA REAL

NOS BASTIDORES DE VILA REAL

 

Mais uma série de imagens dos bastidores do circuito de Vila Real.

 

Fotos de JoFOX 9245_CopyFOX 9246_CopyFOX 9247_CopyFOX 9249_CopyFOX 9250_CopyFOX 9251_CopyFOX 9252_CopyFOX 9253_CopyFOX 9254_CopyFOX 9255_CopyFOX 9256_CopyFOX 9257_CopyFOX 9258_CopyFOX 9259_CopyFOX 9260_CopyFOX 9261_CopyFOX 9263_CopyFOX 9264_CopyFOX 9265_CopyFOX 9266_CopyFOX 9267_CopyFOX 9269_CopyFOX 9271_CopyFOX 9272_CopyFOX 9276_CopyFOX 9277_CopyFOX 9278_CopyFOX 9279_CopyFOX 9280_CopyFOX 9281_CopyFOX 9282_CopyFOX 9283_CopyFOX 9284_CopyFOX 9285_CopyFOX 9287_CopyFOX 9288_CopyFOX 9289_CopyFOX 9290_CopyFOX 9293_CopyFOX 9294_CopyFOX 9296_CopyFOX 9299_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

WTCC EM VILA REAL

WTCC EM VILA REAL

 

Outra prespectiva de ver os participantes doutra forma......

 

Fotos de JOão Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 7777_CopyFOX 7778_CopyFOX 7779_CopyFOX 7780_CopyFOX 7782_CopyFOX 7784_CopyFOX 7785_CopyFOX 7787_CopyFOX 7788_CopyFOX 7790_CopyFOX 7792_CopyFOX 7795_CopyFOX 7796_CopyFOX 7797_CopyFOX 7798_CopyFOX 7799_CopyFOX 7800_CopyFOX 7801_CopyFOX 7802_CopyFOX 7803_CopyFOX 7804_CopyFOX 7805_CopyFOX 7806_CopyFOX 7807_CopyFOX 7809_CopyFOX 7817_CopyFOX 7818_CopyFOX 7819_CopyFOX 7822_CopyFOX 7824_CopyFOX 7825_CopyFOX 7826_CopyFOX 7830_CopyFOX 7832_CopyFOX 7833_CopyFOX 7834_CopyFOX 7835_CopyFOX 7837_CopyFOX 7844_CopyFOX 7845_CopyFOX 7846_CopyFOX 7847_Copy

 

WTCC 2016 - TIAGO MONTEIRO A CAMINHO DO JAPÃO

WTCC - JAPÃO

 

TIAGO MONTEIRO A CAMINHO DO JAPÃO

 

Aí vamos nós para o Japão. 10 dias bem cheios pela frente, vou ter saudades dos meus filhos, mulher e família mas também do meu menino Honda Type R!


 

MIGUEL RAMOS

MIGUEL RAMOS

 

Fizemos 3º na corrida desta tarde.

Parti do 4º lugar da grelha e com um bom arranque subi a 3º. 
Na 2ª volta o mesmo “amigo” que me empurrou para o muro no Red Bull Ring, tocou-me empurrando-me para fora da pista novamente, caindo para o 7º posto. 
Consegui recuperar até 3º antes de entregar o carro ao meu colega de equipa, que conseguiu manter-se assim até final.

Amanhã o programa começa pouco depois das 9:00 C.E.T.
09:15 – 09:42 Race 2 “Sprint AM” ( 25’ + 1 lap ) 
12:30 – 12:57 Race 3 “Sprint PRO” ( 25’ + 1 lap )
As corridas podem ser seguidas online no: www.youtube.com/renaultsport

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

AS AVENTURAS E AS DESVENTURAS DUM PORTUGUÊS NO JAPÃO

 

Ao fim do dia cheguei à cidade de Kakegawa onde procurei um Hotel. Encontrei um de uma cadeia “Smile” que achei graça porque o emblema era mesmo um desses “smile” como os do facebook. Só deixei de rir quando cheguei ao quarto que tinha a alcatifa toda suja e um aspecto bastante desolador, mas não quis procurar outro com medo de não encontrar alternativa. De qualquer forma foi mais barato que o costume e, tal como me dizia um professor em Inglaterra, “you pay for what you get”.
Pelas nove da noite saí à procura de um restaurante onde jantar. À esquina encontrei um único onde duas simpáticas e giras miúdas pareciam esperar o primeiro cliente da noite. Pedi a ementa e um Biru (cerveja) mas a partir daí a comunicação foi mais difícil. Elas não falavam uma palavra de inglês e o menu, sendo numa cidade de província onde não há turistas, estava todo em Japonês e não tinha fotografias, como muitas vezes têm. Nem sequer havia outros clientes para eu poder escolher através do que tinham pedido e apontar para o prato deles. Estivemos uns bons minutos a rir os três com a situação até que uma delas se lembrou de procurar fotografias de pratos na internet. E assim escolhi o que queria através das fotografias no telemóvel da rapariga. Original
E já que não havia mais clientes elas sentaram-se na mesa ao lado da minha também a jantarem. Muito engraçado.
Já só estava a duzentos e poucos quilómetros de Tokyo de maneira que marquei pela internet Hotel para os dois dias seguintes na capital e fiz-me à estrada.
A zona que passa junto ao monte Fugi é linda, primeiro com uma estrada no topo da montanha com vista para o famoso monte, com o glaciar no topo, de um lado e um lago em baixo do vale do outro. Infelizmente o céu nublado do dia não me permitiu ver o Fugi mas a vista para o lago lá de cima é espetacular. Além disso, a estrada que desce até ao lago e sobe a montanha do outro lado é linda, com uma vegetação muito densa e grande variedade de árvores. O transito é que estava praticamente parado com o que parecia ser um passeio típico para as gentes de Tokyo. Lá fui eu pela faixa contrária a passar o traço contínuo, sempre que a segurança o permitia.
Ao entrar em Tokyo decidi fazer um filme com a Go pro no capacete porque é sempre engraçado a conversa que tenho com as pessoas a perguntar caminhos, comigo a falar inglês e eles a responderem invariavelmente em japonês mas, como a conversa é acompanhada por gestos, lá nos vamos entendendo. Neste caso era para encontrar o caminho para o Hotel. Ainda não vi o filme de mais de uma hora mas deve estar giro. Principalmente porque, já no final, passei uma fila de carros que estava parada no sinal luminoso para virar para a rua do Hotel e parei à frente deles. Quando arranquei estava uma mulher polícia ao lado de um alto motão, creio que uma Honda 750, a mandar-me parar. Era uma miúda giríssima, mesmo, que não teria mais de 25 anos. Fiquei embasbacado a olhar para ela, fardada e de capacete na cabeça com um enorme emblema dourado na frente. Sexy. Mas fiz um sorriso e disse-lhe que tinha toda a razão em mandar-me parar. O que vale é que ela também achou graça e falava inglês, para minha surpresa. Disse-me que eu tinha cometido uma infracção e pediu-me a carta japonesa.
-Não tenho
-Não tem?? Como??
-Não. Só tenho portuguesa.
-Não pode ser. E o que faz aqui?
-Sou turista.
-Turista, de moto?
-Sim. Tem matricula portuguesa
-Como é possível?
E para não complicar mais a conversa mudei o tema.
-Ajude-me lá. Sabe onde fica o Richmond Hotel? Disseram-me que era nesta rua.
- Sim. É ali em cima.
-Depois do cruzamento?
- Sim, no segundo sinal luminoso.
-Ah, óptimo. Muito obrigado
E resolvi a questão com mais um sorriso simpático. Apetecia-me dar-lhe um beijo mas achei que me levaria preso e desisti da ideia.

 

DISCURSO DIRECTO COM JOSÉ FRANCISCO CERQUEIRA

 

DISCURSO DIRECTO

 

COM JOSÉ FRANCISCO CERQUEIRA

 

 

A minha participação na montanha surgiu por um feliz acaso, PALAVRAS DE José Francisco Cerqueira, nosso convidado de hoje

 

Não sendo de modo algum um estranho no mundo do automobilismo em Portugal, José Francisco Cerqueira foi dos primeiros pilotos a aderir aos troféus da Feup com os Fiat Uno e Punto, onde obteve resultados de vulto. O ano de 2016, ficou marcado pelo seu regresso ao automobilismo e a escolha recaiu no Campeonato Nacional de Montanha, numa altura em que esta competição está a suscitar muito interesse por parte de participantes, quer de espectadores.

 

Assim antes de mais, deixemos o nosso entrevistado de hoje poder apresentar-se :

 

 

Falemos de Si

 

Nome completo:

 

 

 José Francisco Mendes Cerqueira

Idade e local de nascimento

 52 anos natural de Amarante

Profissão

Director de operações numa empresa do ramo automóvel

Carros dos sonhos

Porsche 911

Carro actual do dia-a-dia

Ford Focus

Carro com que compete actualmente e categoria

 SEAT Leon, categoria IV Nacional de Montanha

Pilotos/pilotos preferidos:

Nas pistas o Mário Andretti, pela paixão que sempre devotou ao automobilismo e que continua a manter, apesar dos muitos anos de carreira, nos Ralis o Walter Rohrl pela inovação que trouxe na técnica de pilotagem e pela forma rigorosa de abordar as provas, acho que foi o primeiro piloto de ralis da era moderna.

Categorias do automobilismo que habitualmente vê na televisão :

Tudo o que os meus tempos livres me permitem ver, tenho o canal Motors TV em casa e sou espectador assíduo.

 

 

Como não  poderia deixar de ser José Francisco Cerqueira visitaFOX 9458_CopyJ1 CopyJ2 CopyJ3 CopyJ4 CopyJ5 CopyJ6 CopyJ7 CopyJ8 CopyJ9 CopyJ10 Copy o www.velocidadeonline.com, mas deu-nos a sua opinião “ Consulto o site frequentemente, acho que os conteúdos são adequados mas penso que o site ganhava se fosse revisto em termos de design e funcionalidades para algo mais moderno. “Quais as razões que o levaram ao Nacional de Montanha, e não a outras categorias “A minha participação na montanha surgiu por um feliz acaso, o José Correia que já corria e corre na montanha, permitiu-me utilizar este carro e eu tenho corrido beneficiando da estrutura que ele tem (JC Group), doutra maneira não tinha possibilidades de correr em automóveis. Não quer isto dizer que não me agradem as rampas, muito pelo contrário, sempre gostei muito destas provas e desde os anos 70 que vou ver rampas com todo o entusiasmo dum apaixonado pelos carros.”

 

 

 Fale-nos um pouco da sua carreira. Como começou? Como veio para às corridas? Fez provas de karting? Nasci e cresci em Amarante e recordo-me que ainda muito pequeno tinha ali à porta o Rali Tap e as corridas em Vila Real, na altura não havia muitos eventos em Amarante e estas provas internacionais tinham um grande impacto social e despertavam muito interesse nos locais, assim desde criança que eu tive o privilégio de assistir a grandes provas de automobilismo e tornei-me um apaixonado por todos os desportos motorizados… Como praticante comecei no karting nos inícios do Cabo do Mundo (talvez em 1985), ainda não havia grande divulgação do karting no nosso país nem karts de aluguer, lembro-me que na primeira prova em que participei a minha experiencia resumia-se a um treino de meia hora no dia anterior para rodar o motor. “Fazendo um resumo da sua carreira “Apesar da minha idade tenho poucas participações em competição, desde o início nos karts que percebi que para correr ou se tem talento, formação e bons apoios e somos pagos para correr, ou então temos que ter muito dinheiro para gastar nas corridas, infelizmente não me incluía em nenhuma dessas classes e fui correndo pontualmente conforme ia conseguindo um ou outro apoio ou disponibilidade económica, mas sempre retirando muito prazer nas competições em que participei.

 

Como resultados mais relevantes posso citar no karting e já quase como veterano o terceiro lugar nas duas primeiras edições da Yamaha Cup, que foi um troféu espectacular lançado pelo Peter Peters em Évora e por onde passaram alguns dos grandes pilotos nacionais. Nos automóveis e quando pensava já ter terminado surgiu a possibilidade de regressar através do Desafio Único da FEUP onde venci a prova de estreia em Braga em 2007 e o troféu em 2009.” Sobre o seu carro actual “O carro em que estou a correr é um SEAT Leon Supercopa MK1 de 2003, foi o primeiro modelo usado pela SEAT nos seus troféus nacionais e europeu onde foi usado até 2006, altura em que foi substituído pelo MK2 (como o usado pelo Ricardo Gomes) que por sua vez foi substituído pelo actual em 2014, como o que usa o Luis Nunes.

É um carro que não podendo acompanhar o andamento dos modelos mais recentes é espectacular pois, sendo um carro de turismo, tem pormenores de preparação muito apurados que o tornam uma delícia para quem o conduz. Tem um chassis muito bom e equilibrado, com um comportamento dinâmico muito são, pelo que é relativamente acessível quando guiado nos limites de aderência. “ Em termos de qualidades do mesmo “Como já referi o melhor do carro é o conjunto chassis, suspensão e travões que permitem travar bem tarde e ter boas velocidades de passagem nas curvas e nos encadeados, como menos bom posso referir o motor e caixa de velocidades que basicamente são as do Leon Cupra de estrada e insuficientes para as qualidades do chassis que suportaria sem problemas uma mecânica bem mais potente.

 

 

 

O seu carro poderá evoluir mais? “O carro tem tido alguns problemas de motor nas provas já realizadas, fruto da idade que já tem, o pior aconteceu na última rampa da Sra. de Graça onde acabei por nem sequer alinhar, estou esperançado de poder ter o carro em boas condições para as duas últimas provas. Se conseguirmos resolver os problemas que temos tido, mesmo sem fazer alterações acho que o carro pode ter um desempenho bastante melhor do que aquele que teve até agora. Nas provas que fazem parto do calendário do Nacional de Montanha, quais as que mais e menos gosta e porquê? “É a primeira vez que estou a fazer o campeonato e até agora gostei de todas as provas, digamos que a que gostei menos foi a última porque não consegui alinhar pelos motivos já referidos e por isso nem experimentei o traçado. Acho que no geral as provas são bem organizadas e têm pontos fortes e outros a melhorar, no que respeita ao traçado aquele de que gostei mais foi o da Serra da Estrela, mas as condições para os pilotos não eram as melhores pois estava muita chuva e frio. Já no Caramulo havia óptimas condições para os pilotos mas o traçado não me seduz pois é tão curto que nem dá para aquecer… Enfim não se pode ter tudo até porque, por vezes as condições impostas pelo terreno não permitem que se faça melhor.

 

 O que acha do actual calendário do Campeonato Nacional de Montanha? Oito provas são suficientes? Mais provas vê mais interesse? A concentração da maioria no norte de Portugal, não acha que deveriam estar mais espalhadas por todo o país? Qual a sua opinião? “Acho que as oito provas são suficientes para um campeonato, aliás se comparamos com outras modalidades vemos que por exemplo a velocidade tem 5 eventos apenas e os ralis têm 8 também, acho que está bem assim. Relativamente à concentração de provas no Norte não sei porque é assim, mas admito que no Norte, porque ser mais montanhoso, existam mais locais com estradas elegíveis para a realização duma prova de montanha o que não quer dizer que não fosse salutar que surgissem candidaturas para provas a realizar no sul, até para incentivar pilotos da região para virem para a montanha que neste momento tem um plantel quase 100% nortenho.

 

 

 Em competição em algum momento sentiu que estava a arriscar demais? O que passou pela sua mente nesse momento? Levantar o pé, ou acelerar ainda mais? “Como tenho muito poucos quilómetros feitos no carro em que estou a competir tenho evitado correr riscos até porque não quero, de modo algum, estragar o material. O orçamento é curto e por isso não há disponibilidade para treinar e a evolução com a máquina tem que ser feita de forma gradual nas subidas que se fazem durante as provas. No passado, inclusive nas pistas onde se anda mais nos limites, sempre que me vi em apuros optei por “levantar”. Na minha opinião em situações limite acho que “levantar” é a opção mais sensata. “ Qual a sua opinião sobre o actual preços das inscrições para as provas do Campeonato Nacional de Montanha? Achas os preços elevados? Na sua opinião acha que deveriam haver prémios monetários para os três primeiros classificados de cada categoria? “O preço das inscrições é muito caro, acho que no geral nas corridas em Portugal se praticam taxas de inscrição muito caras. O resultado é que se realizam provas com muito menos inscritos do que aqueles que poderiam aparecer, é certo que relativamente aos anos anteriores, temos tido listas de inscritos na montanha com quase o dobro dos concorrentes o que origina uma receita muito maior para os clubes, no entanto ninguém fala em baixar o valor das taxas. Acho que há muitos carros engraçados que estão parados ou aparecem de vez em quando nas “super-especiais” e que podiam participar nas provas de montanha inclusive permitindo a participação de pilotos que jovens que não aparecem muito nas rampas. O regulamento técnico está feito de modo a que praticamente todos os carros podem correr.

Quanto a prémios monetários acho que, para já, não fazem sentido, o mais importante é fazer por baixar os custos de participação para que mais pilotos possam correr.

 

 Acha que quanto à taça que recebem, poderia ser dispensada? “Acho que os troféus fazem parte do protocolo da prova e não podem ser dispensados, quando muito podia-se rever os critérios da atribuição adoptando outros diferentes.”

 

 Qual a sua opinião sobre a actuação da APPAM nas provas do Campeonato Nacional de montanha? Acha o seu papel importante na defesa dos interesses dois pilotos de Montanha? Acha que a APPAM poderia fazer melhor?

A APPAM neste momento tem um duplo papel no campeonato, é uma associação de pilotos na defesa dos seu interesses e em simultâneo é uma das entidades promotoras do campeonato. Acho que tanto num como noutro papel tem estado bem, os interesses não sendo os mesmos não chocam, o que é bom para o campeonato acaba por ser positivo para os pilotos nomeadamente para aqueles que como eu dependem do apoio de patrocinadores para correr.

Se pode fazer melhor, é certo que pode, e acho que a APPAM já está a fazer melhor este ano do que fez no passado e vai continuar a fazer melhor pois há muita vontade da sua direção e de todos os associados em fazer da montanha um caso de sucesso no automobilismo nacional. Acho que em geral existe vontade e consenso para que o campeonato se mantenha ativo e que seja cada vez melhor em qualidade e em notoriedade e com mais pilotos a correr.

 

 Qual a sua opinião sobre a atuação da FPAK no Campeonato Nacional de Montanha? Acha que poderia fazer mais? “Pelo que me apercebo a FPAK faz o seu papel como entidade federativa aprovando os regulamentos desportivos, técnicos e os regulamentos das provas. Também faz todas as verificações e inspecções durante as provas, necessárias para que as provas corram dentro da normalidade e de acordo com os regulamentos e códigos desportivos. Acho que desempenha estes papéis normalmente e com competência suficiente, no entanto não me sinto à vontade para emitir opiniões, pois não tenho estado suficientemente envolvido nos processos da competência da FPAK.

 

 

 Somente por curiosidade, será que nos pode dar uma ideia de custos de uma época no Nacional de Montanha? “Rigorosamente não sei pois é a primeira vez que estou a correr neste campeonato, estimo gastar cerca de 2000 euros por prova fazendo tudo da forma mais económica que consigo. Não faço treinos privados, apenas uso o carro nas provas e para a época conto gastar apenas dois jogos de pneus. Neste valor não incluo despesas pessoais, como as licenças, os reconhecimentos, deslocações para as provas, dormidas etc.

Caso alguma coisa corra mal e aconteça uma avaria ou um toque que cause danos e obrigue à substituição de peças, este valor deixa de ser suficiente.

 

 

 É de opinião que se deveriam fazer regulamentos para baixar os custos de provas? Na sua opinião que medidas preconizavam para isso? “Sou da opinião que se deve fazer bastante mais para baixar os custos em todas as modalidades do automobilismo, principalmente naquelas modalidades em que os concorrentes são amadores. No caso da montanha acho que se podia perfeitamente criar categorias em que houvesse, por exemplo, limitações no número de pneus a usar ou impor o uso de gasolina comercial. “ Alguma vez sentiu medo ou insegurança quando estava em prova? “Não, quando estou em prova foco-me na realização dum bom tempo, até posso sentir insatisfação imediata se algo me corre menos bem durante uma subida, se falho uma mudança, se o carro não está bom… agora insegurança nunca senti.”

 No decorrer de uma prova, para si qual é o momento em que se sente mais nervoso? Que faz para combater esse nervoso? Tem, algum ritual quando entra para o seu carro, ou quando coloca o capacete e o Hans? “Para mim a fase mais complicada em termos de nervos e ansiedade é quando se aproxima o momento de entrar em acção, essa ansiedade vai desaparecendo à medida que me vou aproximando da linha de partida e depois quando se acende o verde os sentimentos já são outros. Normalmente o que eu faço é equipar-me e sentar-me no carro bem antes da partida de modo a chegar à linha de pré partida já bem relaxado e acomodado á baquet e aos restantes equipamentos e comandos.”

 

 Acha que as provas de rampa em, Portugal tem segurança suficiente? E as pistas? No seu ponto de vista o que se poderia fazer mais para o incremento da segurança nas rampas e pistas em Portugal”Acho que em Portugal o tema da segurança é tratado com muita seriedade, tanto nos circuitos como nas rampas, tem-se feito bastante pelo incremento da segurança dos traçados. Como melhoria acho que devia de haver uma comissão de pilotos nomeada pela APPAM que fizesse a inspecção dos traçados tal como o fazem os delegados da FPAK, ou até em conjunto com estes.” Actualmente para se poder correr tem de se ter patrocinadores? Como faz para angariar os mesmos? “Procuro muito, bato a milhentas portas e recebo uma infinidade de “nãos”, é um trabalho de muita persistência, no qual tenho, felizmente contado com muitas ajudas de amigos e conhecidos que me vão dando dicas, conselhos e apoio nos contactos com os potenciais patrocinadores.

 

 

22º Quais são os seus patrocinadores e o que fazem cada um deles – por favor mencionar sites dos mesmos, para os leitores poderem ver.

 

 

Os patrocinadores que me apoiam são:

Município de Amarante através da marca: Amarante Sinta-se Convidado

CLSL Auto – é uma empresa de serviços que se dedica à gestão de oficinas de reparação automóvel, tem sede em Marco de Canaveses.

JC Group – é um grupo empresarial de Braga constituído por empresas que operam em ramos variados com ligação ao setor de construção civil e com presença em vários países, também tem uma participação importante no circuito de Braga – www.jcgroup.pt

Centrocor – é uma empresa de Penafiel que representa e comercializa produtos, ferramentas e tecnologia para oficinas de automóveis – www.centrocor.pt

Porto Clássico Automóveis – Negócio de compra e venda de automóveis, sediado em Leça do Balio pertencente ao Joaquim Soares, também ele piloto e grande entusiasta do automobilismo - www.portoclassico.com

Reciclacar – é um centro de abate de veículos automóveis na Maia e também se dedica ao comércio de peças usadas - www.reciclacar.pt

AMC – é uma empresa metalúrgica em Amarante com grande presença internacional na concepção, fabrico, montagem e manutenção de soluções integradas para as indústrias de mineração e pedreiras - http://www.amc-lda.com

Videovisão – empresa do Porto que se dedica à instalação de salas de cinema, auditórios e domótica – www.videovisao.pt

 

23º Fala-se por vezes que em provas de montanha e pista, os comissários de pista chegam a ultrapassar debaixo de bandeiras amarelas. Na sua opinião o que se deveria fazer para acabar com estas situações de pura “batota” ”Nunca me apercebi de nenhuma situação de irregularidade com as bandeiras. Na montanha esta questão nem se coloca visto que normalmente estamos sozinhos em pista. Nos circuitos acho que havendo duvidas no que respeita à acção dos comissários se pode sempre recorrer aos vídeos dos pilotos e do controlo da pista. Acho que em geral os comissários agem correctamente. Voltando ao tema de segurança, acha que em Portugal se tenha de correr com o sistema Hans e outros sistemas de segurança? Tendo em conta a realidade económica não deveria haver por parte da entidade federativa uma maior flexibilidade? “Acho que não, em provas que são organizadas sob a chancela duma federação nacional as condições de segurança não podem ser minimamente descuradas, além disso todos sabemos que os equipamentos são caros mas compram-se uma vez e, normalmente duram uns anos, e ainda há quem os alugue o que serve para quem queira fazer algumas provas ocasionais. Acho que o que se gasta em segurança é fundamental.” Muito se tem falado da falta de promoção do automobilismo em Portugal, nas diferentes vertentes. Na sua opinião o que se poderia fazer mais, e que tipas de medidas poderiam ser implementadas, com o intuito de haver maior divulgação

Para haver mais divulgação não basta gastar mais na publicidade e promoção das provas, acho que faz muita falta encontrar soluções que tragam mais pilotos para as provas e que promovam a competição, nós por cá (Europa) achamos que o mais importante para atrair público é por a correr carros tecnologicamente muito evoluídos que custam milhões e depois vemos as provas com as bancadas vazias. Noutros continentes promovem-se corridas-espectáculo com carros muito mais baratos mas não menos espectaculares, com campeonatos que geram proveitos que sustentam planteis de pilotos profissionais, com grelhas de 30/40 carros com os 20 primeiros a rodar no mesmo segundo e com assistências de 30.000 espectadores, acho que por cá está tudo ao contrário.

 

 É a favor da criação de mais troféus monomarca em Portugal, para as diferentes categorias do nosso automobilismo? “Sou a favor da criação de troféus monomarca desde que as marcas se disponham a dar apoio económico a esses troféus, em prémios aos pilotos e na aquisição dos carros, doutra forma acho que não interessa pois apenas iria dispersar os pilotos que em quantidade são insuficientes para preencher as categorias existentes. “

 

Entrevista de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

LEGEND´S CUP EM VILA REAL

CIRCUITO DE VILA REAL - GRUPO DE IMAGENS

 

LEGEND´S CUP

 

Grupo de imagens da prova reservada aos Legend´s Cup

 

Fotos de JoFOX 7331_CopyFOX 7332_CopyFOX 7333_CopyFOX 7334_CopyFOX 7335_CopyFOX 7336_CopyFOX 7337_CopyFOX 7338_CopyFOX 7339_CopyFOX 7340_CopyFOX 7341_CopyFOX 7342_CopyFOX 7343_CopyFOX 7344_CopyFOX 7345_CopyFOX 7347_CopyFOX 7348_Copy_CopyFOX 7349_CopyFOX 7350_CopyFOX 7351_CopyFOX 7352_CopyFOX 7353_CopyFOX 7355_CopyFOX 7357_CopyFOX 7359_CopyFOX 7360_CopyFOX 7361_CopyFOX 7363_CopyFOX 7364_CopyFOX 7367_CopyFOX 7370_CopyFOX 7374_CopyFOX 7375_CopyFOX 7376_CopyFOX 7378_CopyFOX 7380_CopyFOX 7381_CopyFOX 7382_CopyFOX 7383_CopyFOX 7384_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

PAULO GONÇALVES NA LUTA PELO PÓDIO

 

Paulo Gonçalves mantém luta pelo pódio no Atacama Rally

Piloto português foi hoje o quarto mais rápido na terceira etapa, ocupando agora o quarto lugar da classificação geral da prova.

A terceira de cinco etapas etapa do Atacama Rally disputou-se em redor de Bahía Inglesa com um total aproximado de 200 quilómetros cronometrados. Paulo Gonçalves, que esta quarta-feira, na segunda etapa da prova, viria a ascender ao segundo lugar da classificação geral após uma penalização do chileno Pablo Quintanilla, foi hoje dos primeiros a partir para a exigente tirada de navegação onde foi o quarto piloto mais rápido do dia.

O piloto de Esposende cumpriu a terceira etapa com mais 8min01s do que o vencedor Pablo Quintanilla, e na classificação geral baixou ao quarto posto a 7min44s do líder Toby Price, e pouco mais de um minuto de reentrar no pódio final desta quarta prova do Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno.

A quarta e penúltima etapa do Atacama Rally tem novamente partida e chegada em Bahía Inglesa, num total de 370 quilómetros a contrarrelógio.

Paulo Gonçalves: “Hoje foi uma etapa particularmente difícil. Tive muitas dores na zona abdominal e os saltos dificultaram-me muito. Ao quilómetro 100 tive algumas dificuldades em alcançar um ‘waypoint’ no topo de uma duna, não consegui subir rápido o suficiente, ao voltar para baixo sofri uma queda e perdi algum tempo. Também me perdi numa zona bastante difícil em termos de navegação. Não foi um bom dia para mim mas o importante é continuar na luta e pressionar nos próximos quilómetros para chegar a um bom resultado.”Paulo Gonalves_Etapa_3_1_CopyPaulo Gonalves_Etapa_3_2_Copy

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

 

Contente com desenvolvimento, Di Grassi crê em maior equilíbrio na Fórmula E

Categoria dos carros elétricos encerrou nesta quinta-feira (25) uma bateria de três dias de testes visando a temporada 2016-2017 do campeonato

A Fórmula E retornou às atividades na última terça-feira (23) iniciando o primeiro de três dias de testes no circuito de Donington Park, na Inglaterra. Com algumas caras novas e muito desenvolvimento, a categoria dos carros elétricos finalizou a primeira parte da pré-temporada nesta quinta (25) e retoma os testes dentro de duas semanas, já que o terceiro campeonato da história da categoria começa no dia 9 de outubro em Hong Kong.

Atual vice-campeão da Fórmula E, Lucas di Grassi permanece com a ABT Schaeffler Audi Sport por mais um ano e conferiu de perto o desenvolvimento do ABT Schaeffler FE02 já com o novo trem-de-força, bem como pôde observar atentamente seus adversários. "Foram três dias muito produtivos, em que estivemos totalmente concentrados nos testes de resistência e confiabilidade do nosso conjunto", disse Lucas, concluindo que "até aqui estamos satisfeitos com o caminho que a equipe está seguindo no desenvolvimento".

Di Grassi destacou, no entanto, que o nível das demais equipes subiu bastante. A categoria tem a entrada de duas novas equipes - a Techeetah e a Jaguar - e de mais uma fornecedora de tecnologia, a Faraday Future, que passa a fornecer o drivetrain à Dragon Racing.

"Todo mundo está mais forte. O campeonato vai ser muito competitivo. Mahindra, DS Virgin, Dragon... Todos andaram muito bem nestes três dias e a briga, em se continuando este ritmo de desenvolvimento, vai ser muito boa durante a temporada. Quem acompanha a Fórmula E pode ter a certeza de ver excelentes corridas daqui em diante", aponta.

O brasileiro, que na última temporada subiu ao pódio sete vezes, destacou que o material fornecido pela Renault continua com uma vantagem em relação à concorrência. Até a última temporada equipando a atual campeã e.Dams, a montadora francesa também abastece agora a novata equipe Techeetah. "Todos os melhores tempos foram marcados com carros equipados pelos drivetrain da Renault", ponderou. O atual campeão Sébastien Buemi foi o mais rápido no primeiro dia; no segundo foi Jean-Eric Vergne, da nova equipe chinesa abastecida pelos franceses; e no terceiro dia a volta mais rápida foi da equipe de Lucas di Grassi, mas com Daniel Abt, embora na parte da tarde, com pista úmida, o melhor tempo foi novamente de Vergne.

Com mais outra bateria de testes por vir, Lucas di Grassi diz que o trabalho da ABT em sua sede já tem um cronograma definido e um objetivo claro: subir mais um degrau em competitividade para brigar de igual para igual pela ponta em termos de equipamento. "Não podemos parar. Nosso conjunto melhorou muito, mas sempre temos de buscar aquele algo a mais. Estou certo de que teremos boas notícias dentro de alguns dias", concluiu.

 

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Fórmula E realizou três dias de testes pré-temporada em Donington, na Inglaterra
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Lucas conversa com os engenheiros sobre o desenvolvimento do carro
Alta | Web

ABT Schaeffler Audi Sport
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Categoria volta a se reunir para treinos dentro de duas semanas
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Temporada 2016-2017 começa no dia 9 de outubro em Hong Kong
Alta | Web

 

NISSAN É NOTICIA

 

NISSAN NP300 NAVARA KING CAB: A EMOÇÃO E A RAZÃO PODEM SER CONCILIÁVEIS

 

  • A solução perfeita para os clientes profissionais, mas também para os particulares que privilegiam a evasão e o lazer;
  • A competência, a qualidade e os equipamentos tecnológicos das versões de cabina dupla, mas cerca de 7.000€ mais acessível;
  • Com versões de dois ou três lugares, a Nissan NP300 Navara King Cab está disponível a partir de 22.308,40€*.

Conciliar os interesses e os desejos dos clientes profissionais, mas também dos particulares… Esta é “só” uma das principais características da Nissan NP300 Navara King Cab.

 

Imagens Relacionadas

Imagens Relacionadas

 

MOTOS - BRASIL

 

5ª etapa da Copa Kawasaki Ninja 600 está sub judice

Resultado oficial sairá nos próximos dias

alt

Johanes Duarte/VGCOM

 O resultado da 5ª etapa da categoria Copa Kawasaki Ninja 600, prova realizada no último domingo (21), no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, passa por análise e está sub judice. Com isso, a definição do título do Campeonato Paulista poderá sofrer mudanças.

Um procedimento administrativo foi instaurado logo após imagens da transmissão oficial, resultado, mapa de prova e declaração formal de outros participantes que acompanharam os acontecimentos dentro da pista – corroboradas pelo depoimento dos bandeirinhas – comprovarem que Luiz Cerciari (#3), da equipe Cerciari Racing School, deliberadamente, dedicou sua prova a perseguir e a prejudicar o piloto Felipe Diniz "Bolinha" (#21), da MotoSchool Racing Team, que largou em segundo entre as Ninjas e precisava apenas chegar a frente de Samara Andrade, #74, para ser o campeão estadual, já que vinha na liderança por um ponto.

Devido à atitude antidesportiva provocada por Luiz Cerciari, que compete na categoria SuperSport, Bolinha encerrou a corrida apenas em sétimo, perdendo o título do Campeonato Paulista para Samara, pela diferença de apenas um ponto. A decisão de desclassificar desta prova o piloto Luiz Cerciari já foi tomada, e uma possível punição para a próxima etapa está em discussão, já que apenas a desclassificação da prova em questão tiraria apenas um ponto do piloto, não interferindo na classificação do campeonato.

O júri e a direção de provas ainda irão se reunir nos próximos dias para avaliar os indícios de uma possível violação ao regulamento do SuperBike Brasil e tomar as medidas administrativas cabíveis em relação a todos os envolvidos neste incidente.

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.  

Ingressos para ARQUIBANCADA são GRATUITOS. Informações Adicionais: Tel.: 11 5524-5684 ou pelo site: www.superbike.com.br 

Calendário do SuperBike - 2016

6° SuperBike Brasil:  11 de Setembro - Curitiba (PR) (nova data e nova praça)

7° SuperBike Brasil: 23 de Outubro - Santa Cruz (RS) ou Londrina (PR)

8° SuperBike Brasil: 13 de Novembro - Goiânia (GO)

9° SuperBike Brasil: 04 de dezembro - Curitiba (PR) (nova data e nova praça)

 

CIRCUITO DE VILA REAL - NACIONAL DE CLÁSSICOS

CIRCUITO DE VILA REAL

 

GALERIA DE IMAGENS - NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

Mais um grupo de imagens da prova do Nacional de Clássicos.

 

Fotos de JoFOX 8388_CopyFOX 8389_CopyFOX 8390_CopyFOX 8391_CopyFOX 8392_CopyFOX 8393_CopyFOX 8394_CopyFOX 8395_CopyFOX 8396_CopyFOX 8397_CopyFOX 8399_CopyFOX 8400_CopyFOX 8401_CopyFOX 8401_CopyFOX 8402_CopyFOX 8403_CopyFOX 8404_CopyFOX 8405_CopyFOX 8406_CopyFOX 8407_CopyFOX 8408_CopyFOX 8409_CopyFOX 8411_CopyFOX 8412_CopyFOX 8414_CopyFOX 8415_CopyFOX 8416_CopyFOX 8417_CopyFOX 8418_CopyFOX 8419_CopyFOX 8420_CopyFOX 8421_CopyFOX 8422_CopyFOX 8423_CopyFOX 8424_CopyFOX 8425_CopyFOX 8426_CopyFOX 8427_Copy_CopyFOX 8428_CopyFOX 8429_CopyFOX 8430_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

NO JAPÃO E A CAMINHO DE TOKYO COM ENGANO NA ESTRADA.....

 

Arranquei de Minakuchi por volta das dez e meia, como é meu costume. Não tenho mapa do Japão porque os nomes vêm todos em japonês e por isso serve-me de pouco. Costumo por isso ver na noite anterior no “google maps” o trajeto que pretendo fazer e escrevo num papel as cidades por onde tenho que passar, assim como os números das estrada a seguir. Uns e outros costumam estar escritos nos sinais de trânsito, também em Inglês.
Neste caso, a caminho de Tóquio, não havia muito que saber, porque teria simplesmente que seguir a estrada nacional nº1 que raramente tem mais que uma faixa para cada lado, de maneira que tenho feito pouco mais de 200 Km por dia.
Neste dia aconteceu uma cena caricata. Por vezes nestas estradas aparecem cruzamentos, assinalados, em que a estrada segue para a esquerda ou direita e não em frente. Tenho que ir com uma certa atenção para não me enganar.
Desta vez distrai-me e fui em frente em vez de virar à esquerda. Comecei a achar estranho a estrada estar a tornar-se estreita de mais para uma nacional 1 e o movimento baixar drasticamente. Achei que me tinha enganado mas decidi andar mais um pouco para ter a certeza. Até que... entrei pelas instalações de uma central nuclear. O portão era largo e estava aberto de maneira que nem reparei que existia. Ouvi uma voz num altifalante que até parecia em português a dizer : Onde vai?. Se calhar é parecido em japonês, como algumas outras palavras, mas achei que não era para mim.
Continuei por ali dentro até começar a ver mais porta paletes e camions na estrada que carros. Constatei que me tinha enganado e dei a volta só então percebendo que aquilo era uma central nuclear. Fiquei chocado com o que vi e tirei duas ou três fotografias, felizmente desta vez sem ser preso, como me aconteceu no Irão. No portão estava um homem à minha espera que me mandou sair com ar de mau e sem qualquer ameaça de vénia.
O que me chocou foi o estado lastimável em que se encontrava a Central Nuclear, com tubos e depósitos cheios de ferrugem.
O que se passa é que depois do desastre de Fukushima, em 2011, o governo japonês prometeu fechar todas as centrais nucleares no país. Só que é mais fácil dizer do que fazer. 30% do fornecimento de eletricidade no país estava baseado nas Centrais Nucleares e para acabar com elas tinham ou que ter barragens e outra produção limpa de energia em quantidade suficiente, o que não é o caso, ou passarem a produzir eletricidade queimando combustível, o que iria contra todos os recentes acordos internacionais a nível de poluição ambiental. Penso que sejam esses os motivos pelos quais eles mantêm uma ou outra central nuclear em funcionamento, enquanto não tiverem uma alternativa viável. O problema é que, como esta, muitas estarão em péssimo estado e não as podem renovar pois se as desmontam já não faz sentido construir novas, depois de anunciarem que as iriam eliminar. Assim vão mantendo alguns destes monos em funcionamento. Esta, pelo que li depois de lá passar, estará desativada mas continua com muito movimento pois não deve ser fácil verem-se livres dos materiais radioativos quando decidem acabar com elas.
O problema é que o país tem tremores de terra fortes a cada 5 anos e, se o de 2011 provocou aquele desastre, pelo tsunami que veio atrás, estou convencido que se calha terem um com o centro num sítio como esta central nuclear de Hamaoka aquilo desmancha-se tudo. Pelo menos é a ideia que dá ao olharmos para ela e aprendi  que uma coisa para estar em bom estado tem que, em primeiro lugar, aparentar estar em bom estado.
Neste dia passei ainda por um simpático casal, cada um na sua Harley. Quando passei por eles disse-lhes adeus e o rapaz para me corresponder o aceno quase se estampou. Parei mais à frente numa loja para comprar água e eles viram-me e também pararam. A miúda andava de moto há um ano e ele, pelo que vi, devia andar há um ano e dois dias. Bom espírito.

 

SUGESTÃO FIM DE SEMANA

HORÁRIO TELEVISIVO
E o que não falta são corridas!!

SEXTA FEIRA
9.00 - F1 - Eurosport2XTRA
13.00 - F1 - Eurosport2XTRA

SÁBADO
10.00 - F1 - Eurosport2XTRA
12.30 - FIA ETRC - MotorsTV
13.00 - F1 - Eurosport2XTRA
14.30 - FIA ETRC - MotorsTV
14.35 - GP2 Series - Eurosport2XTRA
16.00 - Blancpain Sprint Series - MotorsTV
16.05 - GP3 Series - Eurosport2XTRA

DOMINGO
7.25 - TCR Series -https://www.youtube.com/channel/UCoSlmLSprEnTz7HjmMb7HBw
9.05 - TCR Series -https://www.youtube.com/channel/UCoSlmLSprEnTz7HjmMb7HBw
10.30 - Porsche Supercup - Eurosport
10.30 - Formula Renault 2.0 - Eurosport2
11.00 - FIM CEV - SportTV5
11.15 - Blancpain Sprint Series
12.00 - FIM CEV - SportTV5
13.00 - F1 - Eurosport2XTRA
13.00 - FIM CEV - SportTV5
14.00 - FIM CEV - SportTV5
14.35 - GP2 Series - Eurosport2XTRA
15.00 - FIM CEV - SportTV5
16.05 - GP3 Series - Eurosport2XTRA
18.20 - Blancpain Sprint Series - SportTV5

 

NOVO DIRECTOR NA SOLERA

Solera contrata Amador Moreno como novo diretor-geral para Espanha e Portugal

Estará à frente da sociedade-mãe de Audatex para impulsar a transformação digital do sector segurador.

Grupo Solera contratou Amador Moreno como novo diretor-geral para Espanha e Portugal, com o objetivo, entre outros, de liderar a transformação digital por que atravessa o setor segurador. Até agora, ocupava a direção-geral de Aviva Vida y Pensiones, uma das principais companhias de seguros de vida e pensões, pertencente ao Grupo Aviva, à qual chegou em 2009.

Moreno, licenciado em Direito pela Universidade CEU San Pablo, acumula uma trajetória de quase 25 anos no sector segurador, onde ocupou postos de alta responsabilidade. Começou em 1993 na área comercial de Ocaso, assumindo três anos depois a direção comercial da região centro desta companhia. Posteriormente, em 2003, assumiu o cargo de diretor comercial na Aegon Inversión.

A trajetória profissional do novo diretor-geral de Solera España e Portugal também o levou ao mundo editorial como subdiretor do Grupo V, com más de 40 títulos, uma experiência que lhe proporcionou uma visão de 360º do mundo empresarial.

Moreno responde a um perfil de executivo muito orientado a resultados e com uma grande capacidade para abrir mercados e diversificar negócio, elementos essenciais para dirigir a transformação digital no sector segurador com a qual a Solera se encontra comprometida.

De facto, nas suas funções à frente de Aviva Vida y Pensiones, já demonstrou essa capacidade de ir um passo mais além, desenvolvendo uma aliança inovadora com Pelayo Vida, para a qual aquela contribuía com produto, tecnologia e conhecimento do mercado. Estes elementos são precisamente três dos pilares nos quais assenta o negócio de Solera e que são visíveis na multidão de soluções tecnológicas inovadoras desenvolvidas por essa seguradora.



Amador-Moreno-solera

 

TRELLEBORG É NOTICIA

TM1060» da Trelleborg Premiado «Pneu Agrícola do ano 2016» em Espanha

Trelleborg acrescenta mais um prémio para a sua coleção, levando para casa o prémio «Pneu Agrícola do ano 2016» em Espanha.

No dia 26 de Julho, Trelleborg recebeu um prémio pela sua nova gama "TM1060" com a tecnologia "ProgressiveTraction". Organizado pela revista "NMR - Pneus e Mecânica Rápida" - o prémio reconhece as contribuições excecionais para a indústria agrícola, em termos de inovação, desempenho e cuidado com o meio ambiente.
A gama "TM1060" aumenta a oferta da Trelleborg de soluções de alto desempenho para a nova geração de tratores, a partir de 80 até mais de 300 CV.

Ramon Martinez, "Country Manager" de Espanha e de Portugal da "Trelleborg Wheel Systems", comenta: "Na Trelleborg, temos um compromisso a longo prazo para ajudar os profissionais agrícolas a produzir mais com menos. O reconhecimento com grande entusiasmo nesta categoria, é a prova de que o pneu "TM1060", é capaz de ajudar os profissionais agrícolas a alcançar uma maior eficiência e produtividade, com o máximo de respeito pelo meio ambiente".

Juan Alberto de Sosa, Diretor de NMR - Pneus e Mecânica Rápida-, diz: "Nascido no ano 2000, o prémio" Pneu do Ano " em Espanha, cumpre 16 edições, consolidando-se como uma referência no sector do Pneu no nosso país. Este prémio da Trelleborg tem um especial valor para nós, porque este ano foi introduzida a categoria "Agro-industrial" pela primeira vez".



Entrega premio

 

PARENTE REGRESSA À EUROPA

 

Álvaro Parente regressa ao desafio Europeu


AParente FT_16043_Copy

Álvaro Parente disputa no próximo fim-de-semana em Hungaroring, Hungria, a quarta etapa do Blancpain Sprint Cup, conhecido também como o Campeonato Europeu Sprint de Carros de Grand Turismo, competição que lidera na companhia do seu colega de equipa, Rob Bell.

O português tem vindo a protagonizar uma temporada extraordinária, tendo estado na luta pelos lugares do pódio em Misano e em Brands Hatch, para em Nurburgring ter conquistado o segundo lugar na Corrida de Qualificação e a vitória na Corrida Principal, depois de ter assinado a pole-position na qualificação.

Com os resultados da etapa germânica, Álvaro Parente e Rob Bell, que dividem o McLaren 650S #58 da Garage 59, chegam à ronda húngara da competição na liderança do Campeonato de Pilotos, mas a natureza competitiva da Blancpain Sprint Cup significa que a sua vantagem pontual para o duo no segundo lugar é de apenas três pontos e de nove para o terceiro classificado.

Por isso mesmo, o piloto oficial da McLaren GT encara o fim-de-semana no circuito de 4,381 quilómetros e catorze curvas com naturalidade e sem pensar nas contas do campeonato. “Este campeonato é muito competitivo, tem diversas equipas com apoio oficial dos construtores e pilotos oficiais, e tudo pode mudar de um instante para o outro. Julgo que neste momento, o mais importante é trabalharmos para nos mostrarmos rápidos desde a qualificação de modo a podermos garantir bons resultados nas corridas. No domingo à noite fazemos as contas”, sublinhou Álvaro Parente com motivação.

O português conhece bem o traçado magiar graças às suas temporadas na GP2 Series, tendo ainda como momento alto a pole-position que alcançou na ronda húngara do Le Mans Series 2010 ao volante de um Ferrari F430 oficial, batendo os pilotos oficial da marca de Maranello – Giancarlo Fisichella, Gianmaria Bruni e Jean Alesi – quando realizou uma corrida pontual pela AF Corse.

O piloto oficial da McLaren GT espera uma concorrência muito forte, mas está determinado em prosseguir os bons resultados que tem exibido ao longo de todo o ano de 2016. “Depois do nosso triunfo em Nurburgring os nossos adversários não ficaram parados e certamente que se apresentarão em Hungaroring ainda mais fortes. Vamos trabalhar desde os treinos-livres para nos apresentarmos competitivos e vamos dar o nosso melhor para voltarmos a conquistar bons resultados”, afirmou confiante Álvaro Parente.

O português entra em pista na próxima sexta-feira para participar nos treinos-livres, disputando-se a Qualificação e a Corrida de Qualificação no sábado e a Corrida Principal no domingo. Tanto a sessão de treinos oficiais como as provas podem ser seguidos em directo no website oficial do Blancpain GT Series: blancpain-gt-series.com/live.

 

9º SALAO MOTOPEÇAS - BRASIL

9ª Edição do Salão das Motopeças é um sucesso e surpreende expositores

Estima-se que cerca de nove mil pessoas circularam pelo Expo Center Norte durante o evento

alt

  A 9ª edição do Salão das Motopeças, evento referência do segmento de motopeças na América Latina, cumpriu com a sua missão: antecipou tendências, mostrou novidades e lançamentos do setor. E o que é mais importante: foi o cenário ideal para a realização e geração de negócios, impulsionando os números do segmento, num momento em que o mercado começa a esboçar uma reação. O Salão das Motopeças foi, mais uma vez, o canal para que mais de 250 marcas nacionais e internacionais pudessem realizar negócios e prospe ctar novos clientes.

Na avaliação da Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças (ANFAMOTO), que é organizadora do evento, o Salão termina refletindo um setor maduro, que apoiou e veio participar deste encontro. “Acreditamos que temos boas perspectivas de crescimento para este ano, conservadoras ainda, mas com a realização do Salão deve subir em torno de 5%. Ainda não temos os números finais, mas certamente a quantidade de negócios realizadas na feira foi expressiva. O que mais ouvimos durante a feira foi que os expositores receberam a visita de muitos clientes e todos com o objetivo de realizar negócios no evento”, comenta Orlando Cesar Leone, presidente da ANFAMOTO. Para ele, o SALÃO DAS MOTOPEÇAS é fundamental para alavancar os números do setor no segundo semestre, pois possibilita a aproximação entre fornecedores e compradores. Os resultados destes encontros são ainda mais evidentes quando se observa que essa interação gera networking e negócios que ultrapassa a barreira do tempo restrito ao evento.

Estimativas preliminares indicam que cerca de nove mil pessoas circularam pelo evento durante os quatro dias da Feira. É válido lembrar que o Salão das Motopeças tem entrada exclusiva para os profissionais e empresas do setor, ou seja, é um encontro de negócios já que pessoas físicas não podem participar. “Durante os quatro dias, andando pela feira, visualizei várias reuniões acontecendo diariamente. O evento termina refletindo um setor maduro, que apoiou e veio participar da feira, e deve gerar boas perspectivas de crescimento para nosso mercado”, complementa Leone.

A maior parte dos expositores presentes elogiou o formato do Salão voltado exclusivamente a negócios e o fato dos visitantes virem de todas as partes do país e da América Latina. expositores estavam satisfeitos com o volume de público presente e oportunidades de negócios e organizadores encontravam-se felizes pela sinalização de retomada positiva para o setor.  “O Salão das Motopeças é a grande vitrine do mercado”, conclui Leone. A próxima edição do evento, o X Salão Nacional e Internacional das Motopeças, acontecerá em 2018, em São Paulo, capital.

Sobre a ANFAMOTO: A Associação Nacional dos Fabricantes e Atacadistas de Motopeças foi fundada em setembro de 1980. Sua missão é promover o aumento da competitividade, zelar e defender os interesses da classe, e de seus mais de 300 associados em busca do reconhecimento, e do respeito como instituição que promove o desenvolvimento sustentável das indústrias e empresas instaladas no Brasil.   Sediada na cidade de São Paulo, além do site da instituição, onde são veiculadas as principais noticias do setor, distribui a publicação bimestral Anfamoto em Revista.



Imagens relacionadas


Marcio Bruno de Oliveira - ANFAMOTO
baixar em alta resolução

 


Marcio Bruno de Oliveira - ANFAMOTO
baixar em alta resolução

 


Marcio Bruno de Oliveira - ANFAMOTO
baixar em alta resolução

 


Marcio Bruno de Oliveira - ANFAMOTO
baixar em alta resolução

 


Marcio Bruno de Oliveira - ANFAMOTO
baixar em alta resolução

 


baixar em alta resolução
 

TCR NA TAILANDIA

 

Fighting talk from WestCoast Racing ahead of TCR International’s Thai trip


WestCoast Racing is taking a win or bust approach into the four remaining rounds of the 2016 TCR International Series, the first of which will be held at Thailand’s state-of-the-art Chang International Circuit in Buriram (27-28 August).

The Swedish squad has emerged from a troubled start to the year as a regular visitor to the TCR International podium, with Mikhail Grachev taking his wins tally to three in the most recent instalment of the championship at Sochi Autodrom in his native Russia last month.

A combative podium result for Gianni Morbidelli ensured he remained in sixth in the Drivers’ standings with a surmountable 38-point deficit to the leader, therefore he and his WestCoast Racing team feel they have nothing to lose by pulling out all the stops and chasing victories in each of the four remaining rounds.

As in 2015, the TCR International Series holds a coveted slot on the Formula 1 Singapore Grand Prix support bill and the season will conclude with visits to Malaysia’s Sepang International Circuit and Macau’s legendary Circuito da Guia, but not before tackling Thailand’s Chang International Circuit.

“This has been a rollercoaster of a season in terms of results and I have certainly had my fair share of misfortune,” said Morbidelli. “However, that I’m still in the hunt makes me believe that we can mount a strong challenge for the TCR International title with the support of WestCoast Racing, so I'll be pushing hard to reach the top step in the four remaining rounds of the season, with the view of overhauling our rivals for the championship lead. There is a lot of racing to be done and anything can happen between now and the season finale”

WestCoast Racing Team Manager, James Nixon, said: “That we are not out of the fight with nothing to lose means we can only try to win all races from now until the end of the season in Macau. Everybody involved with WestCoast Racing has a clear aim to achieve that and all of the staff and drivers are ready to fight to the finish. This is ours to win, not lose!”

A pair of TCR International Series free practice sessions will be held from 11.00 and 13.00 on Saturday (27 August), with the two-part qualifying session later that same day at 15.30 local time and the races at 12.35 and 14.05 the following day (Sunday 28 August).

 

alt
alt

 

CHAVES PREPARADO PARA PAUL RICARD

 

Henrique Chaves preparado para jornada de Paul Ricard da Eurocup

 

 

henrique chaves_CopyEste fim-de-semana tem lugar mais uma jornada da Eurocup Formula Renault 2.0 no circuito francês de Paul Ricard. Henrique Chaves é o único piloto português em pista e vai continuar a sua luta para conseguir subir aos lugares do pódio. Os últimos dias foram para gozar umas mini férias mas Henrique já está no simulador para preparar da melhor forma, mais esta jornada da Eurocup, que espera seja mais profícua que a anterior: “A última prova não correu como esperava e por isso quero regressar aos lugares no top 5 desde o início do fim-de-semana. Já testámos em Paul Ricard e fiz tempos entre os cinco melhores, o que abre boas perspectivas”, começou por dizer. No que ao circuito diz respeito Henrique considera Paul Ricard: “Uma pista onde me adapto bem, sobretudo nas zonas mais sinuosas do traçado com curvas técnicas em apoio. Tem muitas escapatórias e eu prefiro estar mais limitado mas, ainda assim, é um circuito que aprecio e onde espero conseguir finalmente um lugar nos três primeiros. Corro atrás deste objectivo afincadamente porque sei que temos andamento para lá chegar”, rematou Henrique Chaves confiante no seu desempenho. O programa do fim-de-semana prevê treinos na sexta, qualificação 1 e corrida 1 no sábado e qualificação 2 e corrida 2 no Domingo.

 

GONÇALVES EM 3º NO CHILE

 

Paulo Gonçalves segue em terceiro no Chile

Piloto português sofreu uma aparatosa queda na fase inicial da tirada mas manteve-se na luta pelos lugares cimeiros até ao final.

Paulo Gonçalves cumpriu hoje a segunda etapa do Atacama Rally, no Chile, averbando o quarto melhor tempo por entre a lista de concorrentes ao Campeonato do Mundo da especialidade e mantém o terceiro lugar da classificação geral, a escassos 5 minutos do líder da prova.

A segunda de cinco etapas do Atacama Rally foi a mais longa desta edição da prova chilena, com um total ascendente a 460 quilómetros entre Antofagasta e Bahía Inglesa. Paulo Gonçalves sofreu uma queda na fase inicial da corrida que o deixou com algumas dores na zona abdominal, mas mesmo assim conseguiu rodar na dianteira do pelotão, tendo sido o quarto mais rápido do dia a 3min35s do vencedor do dia, o australiano Toby Price. À geral, Gonçalves mantém o 3.º lugar a 5min22s do líder chileno Pablo Quintanilla.

A terceira etapa do Atacama Rally disputa-se em “loop” em redor de Bahía Inglesa, na região de Copiapó, com um total de 200 quilómetros cronometrados onde a navegação será decisiva para a classificação final.

Paulo Gonçalves: “Terminámos a mais longa ‘especial’ deste rali, uma etapa muito completa, difícil, com muita navegação, caminhos rápidos e com muita pedra. Estou muito satisfeito com o comportamento da minha mota, o trabalho que temos vindo a fazer está a mostrar-se na prática. Ao quilómetro 14 sofri uma queda que me deixou com algumas dores na zona abdominal, ainda assim consegui chegar ao final sem contratempos.”Paulo Gonalves_Etapa_2_1_CopyPaulo Gonalves_Etapa_2_2_Copy

 

NISSAN É NOTICIA

 

NISSAN REVELA QUE AS PESQUISAS NA INTERNET PELO "MELHOR PURIFICADOR DE AR" ATINGEM MÁXIMOS A PAR DAS PREOCUPAÇÕES DOS CLIENTES COM A POLUIÇÃO

A Nissan, a empresa que concebeu e comercializa o veículo elétrico de emissões zero mais vendido no mundo, o Nissan LEAF, revelou dados que indicam que os crescentes níveis de poluição atmosférica nas cidades capitais da Europa estão a despertar um novo sentido de consciência para a saúde entre os cidadãos europeus. Os dados revelam que os clientes estão mais atentos do que nunca aos problemas de saúde e procuram cada vez mais soluções que os ajudem a "limpar" o ar que os rodeia.

 

Imagens Relacionadas

Imagens Relacionadas

 

SUGESTÃO DA SEMANA

 

Vodafone Mexefest

Novas confirmações:
Céu
Kevin Morby
Sunflower Bean


Bilhete já à venda por 40€ até 30 de setembro

Desconto para Clientes Vodafone através da App Vodafone Mexefest


25 e 26 de novembro
Avenida da Liberdade, Lisboa

 

www.vodafonemexefest.com facebook.com/vodafonemexefest

 


Em novembro, de palco em palco a música volta a invadir a Avenida da Liberdade. Depois das primeiras confirmações de Charles Bradley & His Extraordinaires, Baio e Mallu Magalhães, continua a desenhar-se o cartaz do Festival que, no final de cada ano, faz mexer a cidade. Céu, Kevin Morby e Sunflower Bean, são as mais recentes confirmações para a edição de 2016 do Vodafone Mexefest.


 

alt

Site Oficial | Facebook | Perfume do Invisível


A brasileira Céu é um dos nomes mais reconhecidos da música do país irmão. Capaz de deambular por sonoridades distintas como o hip hop, reggae, MPB ou samba-funk, a paulista tem uma obra incomparável, com um último disco surpreendente, saído este ano, “Tropix”. Este novo trabalho da paulista será o protagonista da passagem da cantora pelo Vodafone Mexefest.


 

alt

Site Oficial | Facebook | Dorothy
 

Outro grande músico que se confirma é Kevin Morby. A solo, o baixista dos Woods e um dos líderes dos Babies, já tem em carteira três discos: “Harlem River” (2013), “Still Life” (2014) e “Singing Saw” (2016). O último, confirma-o como um dos grandes cantautores da nova geração, capaz de tocar os territórios indie e folk harmonizando-os com irrepreensível qualidade.

alt
 

Site Oficial | Facebook | Come One


O trio nova-iorquino Sunflower Bean vem apresentar o seu rock-psicadélico, direto e impactante. Três dos mais reconhecidos músicos da Big Apple, Nick Kivlen (guitarrista), Jacob Faber (baterista) e Julia Cumming (vocalista e baixista) formam uma das bandas sensação do indie atual. Com o disco de estreia lançado este ano, “Human Ceremony”, apresentam música para dançar e suar e vão mostrá-la ao público português pela primeira vez no Vodafone Mexefest.

O bilhete único válido para os dois dias do Festival encontra-se já à venda nos locais habituais pelo valor de 40€ até 30 de setembro, passando para 45€ a partir do dia 1 de outubro, e 50€ nos dias do Festival. Os bilhetes também estão à venda na App Vodafone Mexefest em iOS e Android, com os clientes Vodafone a beneficiarem de um desconto de 5€.


Vodafone Mexefest. De palco em palco, a Música mexe na cidade.
 


 

Já confirmados:

Baio, Céu, Charles Bradley & His Extraordinaires, Kevin Morby,
Mallu Magalhães, Sunflower Bean

Informação de Bilhetes


Passe único dois dias

Até 30 de setembro: 40€
Até 24 de novembro: 45€
Nos dias do Festival: 50€


Troca obrigatória por pulseira colocada ao próprio no Coliseu de Lisboa a partir de 24 de novembro.


Locais de Venda

Ticketea, Blueticket - Call Center 707 780 000, lojas FNAC, lojas Worten, El Corte Inglês (Lisboa e V. N. Gaia), Centros Comerciais Dolce Vita (Amadora, Porto, Vila Real, Ovar, Coimbra e Funchal), Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Abep, Estações de Correios, lojas Media Markt, Turismo de Lisboa, Bilheteira Online, Ticketline, Coliseu dos Recreios, Festicket, Get a Fest.

 

FERODO QUEIMADO

Depois de tão bem sermos servidos no anterior repasto de Agosto vamos repetir o serviço. Assim, na próxima quinta feira dia 1 de Setembro, pelas 20:00, vamos ter jantar, no restaurante do Complexo Aquático Municipal Santarém, situado na Rua Prof. Américo Marinho, no Jardim de Cima em Santarém, agora pertença do grupo "El Galego"
Não percas tempo e confirma a tua presença até 3ª feira, p.f..

 

PAULO GONÇALVES EM TERCEIRO

 

Paulo Gonçalves foi terceiro no arranque do Atacama Rally

Piloto português fez quase toda a 1.ª Etapa sem GPS na sua Honda mas conseguiu manter-se sempre na dianteira da prova chilena.

Paulo Gonçalves disputou esta terça-feira a primeira etapa do Atacama Rally, quarta prova do Campeonato do Mundo de Ralis Todo-o-Terreno que decorre até ao próximo sábado no Chile, averbando o terceiro melhor tempo do dia numa “especial” que ascendeu aos 230 quilómetros.

Depois de ter sido igualmente o terceiro classificado no prólogo de 10 quilómetros realizado na tarde desta segunda-feira, Paulo Gonçalves escolheu sair no quinto posto para a primeira tirada do Atacama Rally, mas cerca do quilómetro 30 viria a sentir algumas dificuldades com a avaria do seu sistema de GPS que viria a comprometer o melhor ritmo do piloto português.

Gonçalves fechou o dia com a terceira melhor marca a 2min50s do vencedor, o chileno Pablo Quintanilla, que perfez a etapa num total de 2h14min56s. 

A segunda etapa do Atacama Rally, a mais longa da prova chilena, decorre entre Antofagasta e Bahía Inglesa, com um total de 400 quilómetros.

Paulo Gonçalves: “Uma primeira etapa muito boa, um dia longo com 230 quilómetros de "especial". Inicialmente tive alguns problemas com o muito pó dos pilotos que saíram na frente, além disso também perdi o GPS ao quilómetro 30 e tive alguma dificuldade em alcançar alguns "waypoints". Amanhã vai ser mais um longo dia de prova, vamos continuar focados em fazer bons quilómetros e testar sem problemas.”

Mais informação sobre o Atacama Rally, clique aqui.Paulo Gonalves_Atacama_1_CopyPaulo Gonalves_Atacama_2_Copy

 

RALI MESÃO FRIO - LISTA DE INSCRITOS

RALI MESÃO FRIO

 

LISTA DE INSCRITOS

 

 

 

1 AMOB Racing 11730 Luís Delgado 11351 André Carvalho 10714 Renault Clio RS X2 10 2 Manuel Capela Morais 12659 Manuel Capela Morais 12659 António Vieira 13384 Skoda Fabia 1.9 TDI X4 15 3 Ricardo Costa 10970 Ricardo Costa 10969 Sérgio Rocha 10970 Peugeot 206 S1600 X1 9 4 António Dias 13579 António Dias 13579 Jorge Galhardo 9312 Opel Corsa OPC P2 4 5 Veloso Motosport 10599 Pedro Almeida 11381 Justino Ferreira 10457 Renault Clio R3 X5 16 6 Emanuel Silva 11340 Emanuel Silva 11340 Nuno Carvalhosa 10525 Citroen C2 R2 Max P1 2 7 Vítor Pascoal 11495 Vítor Pascoal 11495 Pedro Alves 11496 Porsche 997 GT3 RS X5 16 8 Tiago Almeida 11722 Tiago Almeida 11722 Ricardo Pinto 11723 Mitsubishi Evo IX X5 16 9 Alberto Pereira 10061 Alberto Pereira 10061 Duarte Pereira 13828 Seat Ibiza 1.8T X2 12 10 Paulo Antunes 12295 Paulo Antunes 12295 Paulo Leones Opel Adam R2 P1 2 11 Francisco Azevedo 11248 Francisco Azevedo 11248 Diogo Matos 11901 Peugeot 205 GTI X2 10 12 Bruno Leão 11024 Bruno Leão 11024 Daniel Silva 11025 BMW E30 X2 11 14 Jacinto Torres 11318 Jacinto Torres 11318 Sérgio Igreja dos Santos 9146 Mitsubishi Lancer Evo VI X3 14 15 Jacinto Oliveira 11478 Jacinto Valentim Oliveira 11478 Sérgio Aguiar 11437 Renault Megane Turbo X2 12 16 Gaspar Pinto 10456 Gaspar Pinto 10456 Alberto Santos 10454 Mitsubishi Lancer Evo VI X3 14 17 João Vinha 10014 João Vinha 10014 Marcos Silva Mitsubishi Lancer Evo VI X3 14 18 Pedro Serôdio 10896 Pedro Serôdio 10896 Fernando Sousa 10897 Peugeot 206 RC X2 10 19 Filipe Madureira 11857 Filipe Madureira 11857 Telmo Campos Nissan Micra X1 8 20 Manuel Pereira 11211 Manuel Moreira Pereira 11211 José Soares BMW 323TI X2 11 21 Fábio Caseiro 11451 Fábio Caseiro 11451 Paulo Silva 10501 Peugeot 206 GTI X1 9 22 Victor Azevedo 12966 Victor Azevedo 12966 João Aguiar 11494 Peugeot 206 S1600 X1 9 23 Nuno Boavida 11264 Nuno Boavida 11264 José Azevedo 9196 Peugeot 106 S16 X1 9 24 Vítor Gomes 9466 Vítor Gomes 9466 Cristina Teixeira 11404 Opel Kadett GSI X2 10 25 Pedro Antunes Pedro Antunes Alexandre Rodrigues 11055 Peugeot 208 P1 2 26 Filipe Moreira 12654 Filipe Moreira 12654 Marco Campos 11510 BMW E36 320 i X2 11 27 Miguel Monteiro 9206 Miguel Monteiro 9206 Paulo Monteiro Skoda Fabia R2 P1 2 28 António Ramos 11923 António Ramos 11923 Pedro Sardinha 11923 Citroen Saxo X1 9 29 Carlos Pires Carlos Pires Edgar Pereira Peugeot 206 RC X2 10 30 Rui Pinto 11101 Rui Pinto 11101 Bia Pinto 13593 Opel Kadett C X2 10 31 Daniel Silva 12954 Daniel Silva 12954 Pedro Monteiro 12953 Renault Clio X2 10 32 Carlos Leão 10910 Carlos Leão 10910 Fernando Leão 10908 Renault Clio Maxi X2 10 33 Filipe Martins 10712 Filipe Martins 10712 Márcio Moreira 13436 Mitsubishi Colt 1.8 X2 10 34 Filipe Nogueira 10442 Filipe Nogueira 10442 NN Peugeot 206 GTI X1 9 35 Vítor Oliveira 11371 Vítor Oliveira 11371 Nuno Cardoso 11372 Peugeot 106 Rallye X1 8 36 João Alves 9222 João Alves 9222 José Rodrigues 9223 Peugeot 106 X1 9 37 José Senra 11871 José Senra 11871 Ricardo Azevedo 6970 Peugeot 106 X1 8 38 Pedro Serôdio JR 10899 Pedro Serôdio JR 10899 João Fernandes 10898 Peugeot 306 X2 10 39 Rui Figueiredo 11456 Rui Figueiredo 11456 Rui Vilaça 13523 Peugeot 206 GTI P1 2 40 André Moreira 13314 André Moreira 13314 Sílvia Carmo 13315 Citroen Saxo P1 2 41 Augusto Costa 12497 Augusto Costa 12497 Susana Silva 13478 Skoda Fabia 1.9 TDI X4 15 42 Eduardo Carneiro Eduardo Carneiro Coriolano Teixeira Citroen Saxo X1 9 43 David Correia 13237 David Correia 13237 António Correia 13236 Alfa Romeo 155 X2 10 44 Joaquim Maia 13477 Joaquim Maia 13477 Filipa Azevedo 13851 Ford Fiesta MK1 X1 9 45 Manuel Teixeira 10609 Manuel Teixeira 10609 Sérgio Moreira Citroen AX GTI X1 9 46 João Silva 13066 João Silva 13066 Sérgio Silva 13067 Toyota Corolla X1 8 47 Bruno Almeida 12656 Bruno Almeida 12656 Bruno Miguel 12658 Peugeot 206 GTI X1 9 48 Carlos Campos 13849 Carlos Campos 13849 Jorge Sousa 13850 Peugeot 205 Rallye X1 8 49 Adrião Lencastre Rui Lencastre 9039 Adrião Lencastre 9038 Renault Clio RS X2 10 50 Carlos Gonçalves 11574 Carlos Gonçalves 11574 Diogo Gonçalves 11575 Fiat Uno X1 8 51 Luís Ferrete 12631 Luís Ferrete 12631 Vanessa Ferrete 11573 BMW E36 Coupe X2 11 52 Paulo Macedo Paulo Macedo 10990 Nuno Fonte 10991 VW Polo 1.4 X1 9 53 Filipe Teixeira Filipe Teixeira Bruno Coelho Peugeot 205 Maxi X2 10 54 Ilderico Almeida Ilderico Almeida Paulo Soares Triumph Dolomite X2 10 55 Nuno Ribeiro 13826 Nuno Ribeiro 13826 José Silva 13827 Subaru Impreza

 

MIGUEL RAMOS NO RENAULT SPORT TROPHY

 

Paul Ricard no início da segunda metade do Renault Sport Trophy.

 

Miguel Ramos estará em França no RS01 da Equipe Verschuur, para disputar a 4ª prova do Renault Sport Trophy que visitará o Circuito de Paul Ricard. Prevê-se casa cheia para mais uma grande festa Francesa, ainda por cima com a marca do losango a jogar em casa.

24 de agosto de 2016.

Na ultima prova com o RS01, Miguel Ramos conquistou um 2º lugar na Race 1 e estava em muito boa posição na Race 2, para conseguir entrar na luta por um dos 3 lugares do Pódio, quando foi literalmente posto fora por um dos adversários.

Na antevisão para a corrida no Le Castellet, Miguel Ramos ainda recorda o sucedido na corrida Austríaca disputada em junho, “No Red Bull Ring o 2º lugar na Race 1 de sábado foi excelente, mas ainda pensávamos conseguir melhor no domingo. Infelizmente e quando me preparava para entrar na luta pelos lugares do pódio, empurraram-me para o muro e tudo acabou. O nosso RS01 estava fantástico e só espero ter no próximo fim de  semana em França, um carro tão eficaz como na Áustria”.

Miguel Ramos era na altura o piloto mais rápido em pista, tendo aliás ficado com a volta mais rápida da corrida, o que infelizmente tem reflexos no próximo fim de semana em França, “ Vou ter o maior handicap por ter realizado a volta mais rápida na corrida mesmo não tendo terminado por ter sido deitado fora o que é ridículo”, comentou Miguel Ramos.

A quarta prova do Renault Sports Trophy 2016, está inserida num programa que também inclui mais uma corrida do ELMS 2016 as “4 Hours of Le Castellet”.

 

Sábado 27 de agosto

09:55 – 10:15 Qualificação 1 PRO

12:10 – 12:30 Qualificação 2 AM

15:10 – 16:22 Race 1 ( 70’ + 1 lap )

 

Domingo 28 de agosto

09:15 – 09:42 Race 2 “Sprint AM” ( 25’ + 1 lap )

12:30 – 12:57 Race 3 “Sprint PRO” ( 25’ + 1 lap )

 

Calendário 2016

Spain  Motorland Aragon 15-17 de abril

Italy  Imola 13-15 de maio

Austria  Red Bull Ring 15-17 de junho

France  Paul Ricard 26-28 de agosto

Belgium  Spa 23-25 de setembro

Portugal  Estoril 21-23 de outubroimage002 Copy

 

DISCURSO DIRECTO COM RICARDO SANTOS

 

não saber que o Fiat Cinquecento Sport Abarth tinha ficha de homologação”.


DISCURSO DIRECTO COM RICARDO SANTOS

 

“ não saber que o Fiat Cinquecento Sport Abarth tinha ficha de homologação”. Palavras de Ricardo Santos ao www.velocidadeonline.com     

 

 

 

Desta feita o nosso convidado de hoje, é uma das pessoas mais multifacetadas no nosso automobilismo, embora com um palmarés curto. Ricardo Santos, este ano está a participar na Legend´S Cup ao volante dum BMW M 3, todo preto e azul. Para além disso este piloto de Gondomar, tem feito drift, tt, e outras disciplinas do nosso automobilismo.

 

Assim pedimos ao nosso entrevista do de hoje para nos falar um pouco de si :

 

 

 

Nome  completo : Ricardo Pessoa Franco dos Santos

 

Idade e local de nascimento: 46 anos/Porto

 

Profissão - Gestor de Áreas Comerciais

 

Carros dos sonhos - Datsun 240Z

 

Carro actual do dia a dia - BMW 320D 2015

 

Carro com que compete actualmente e  categoria - BMW E36 325i/LCC99

 

Pilotos/pilotos preferidos : Bruno Saby / Carlos Sainz Sr.

 

Categorias do automobilismo que habitualmente vê na televisão : Sprint & Endurance Races / Off Road

 

Como leitor de imprensa da especialidade, visita o www.velocidadeonline.com, na qual logo deu a sua opinião “Sim; Para o melhorar mais, quais as sugestões que nos poderá dar ? Grafismo e dimensionamento do site aos ecrãs onde é apresentado”. Quais as razões pela recente opção pela velocidade e não outra disciplina, que sem perder tempo logo respondeu “Uma coisa de cada vez, vimos do TT Navegação, estamos no Drift e agora na velocidade em pista. Para já não temos planos para outras modalidades, mas quem sabe…”Sobre a sua carreira traçou-nos a mesma “Comecei tarde aquilo que é um sonho de menino. Fiz a 1ª prova ao volante de um Kia Sportage de 1999 no Campeonato Nacional de Navegação de 2005.Os resultados mais relevantes - os resultados mais importantes foram no TT Navegação, nas pistas ainda temos muito para evoluir... na essência foi um top 10 com o Kia, creio que em 2006, um 1ª e 3º lugar no Grândola Aventura e um 4º Lugar no Sahara Aventura.”

 

 Fale-nos um pouco do seu carro? Nos limites é  ´fácil de se ir buscar? “Sim, porque já conduzo BMW's há algum tempo, e em drift, aquilo que aconteceu ao colega do M3 no início da descida de Mateus também me aconteceu, só que eu mantive o pé fundo e controlei com a direção até o carro estar outra vez em grip. Quanto ao carro é um E36 325i muito simples, motor e caixa completamente stock, umas pequenas melhorias na suspensão e travões, sem autoblocante e mais nada :-).” Quais as melhores e piores qualidades do mesmo?” ainda estou a descobrir :-), mas diria que trava bem, mas sai mal”Quantoa evoluções “e muito!!!!!!

 

O que acha do actual calendário do Campeonato?  “Gosto, por isso decidi experimentar; Seis provas são suficientes? Suficientes ou insuficientes, depende dos custos que acarreta para as equipas e pilotos; Mais provas vê mais interesse? Depende dos custos e apoios; A concentração da maioria no norte de Portugal, não acha que deveriam estar mais espalhadas por todo o país? Qual a sua opinião ? gostava de deixar a minha opinião de fora no que toca a este assunto “Em competição em algum momento sentiu que estava a a arriscar demais? sim; O que passou pela sua mente nesse momento? Levantar o pé, ou acelerar ainda mais? “ arriscar mais….”

 

 

 

 Qual a razão da escolha da máquina com que corre? “Era um carro de drift que readaptámos para velocidade, era o "único" para o o qual poderiamos ter ficha de homologação;” O que o levou a escolher este modelo em detrimento de outro ? “ não saber que o Fiat Cinquecento Sport Abarth tinha ficha de homologação”. Somente por curiosidade, será que nos pode dar uma ideia de custos de uma época na velocidade ? “para uma equipa low-cost como a nossa, pode andar a rondar os €12k”

 

 

Alguma vez sentiu medo ou insegurança quando estava em prova ?” sim, principalmente nas provas no deserto” NO decorrer de uma prova, para si qual é o momento em que se sente mais nervoso? Que faz para combater esse nervoso? Tem, algum ritual quando entra para o seu carro, ou quando coloca o capacete e o Hans? “- só quero que não me falem, a minha equipa já sabe que tem de afastar as pessoas de mim e falar para mim apenas quando me dirijo a eles, de resto que estar em sossego absoluto”.

 

 

 

 Fala-se por vezes que em provas de montanha e pista, os comissários de pista chegam a ultrapassar debaixo de bandeiras amarelas. Na sua opinião o que se deveria fazer para acabar com estas situações de pura “batota” “ em pista drive through e em montanha uma penalização de 10 seg”

 

Entrevista de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

 RICH1 CopyRICH2 CopyRICH3 CopyFOX 7348_CopyFOX 7493_CopyFOX 7568_Copy

 

 

SEAT ATECA NA MARINA DE CASCAIS

 

Experiência única nas Festas do Mar   

SEAT Ateca em teste “radical” na Marina de Cascais

/   Dois momentos de condução distintos à disposição do público

/   Driving Challenge SEAT Ateca em circuito específico com obstáculos “off-road” e de perícia

/   Blind Experience com condução realizada “às cegas” com recurso aos sistemas de câmara 360° do Ateca, sem visibilidade para o exterior

/   Ação inserida nas Festas do Mar em Cascais, disponível todos os dias até 28 de agosto

DSC 5756_Copy A SEAT desenvolveu um exercício único que permitirá aos visitantes das Festas de Cascais um primeiro contacto com as impressionantes características do SEAT Ateca, o primeiro SUV da marca e recém-lançado no mercado.

 

Junto à Baía de Cascais, no Parque Marina Terra, estão reunidas, até dia 28 de agosto, várias ações que mostram algumas das capacidades do novo SUV SEAT. A ação mais extensa engloba um circuito de perícia especificamente pensado para este teste de condução; enquanto numa outra área os condutores poderão ficar com a perceção das capacidades dos sistemas de ajuda à condução, nomeadamente das capacidades reais das câmaras 360º do Ateca. 

Todos os exercícios serão permanentemente acompanhados por monitores.

 

Numa primeira fase o participante terá um momento de condução que visa dar a conhecer a pista e o veículo.

Num circuito especialmente idealizado para o efeito, está criada uma zona de curvas apertadas que permitem descobrir a agilidade do SEAT Ateca.

De seguida, o participante entrará numa área com superfície molhada e escorregadia, seguindo-se um troço “off-road” constituído por plataformas de ângulos acentuados que demonstram parcialmente as excelentes capacidades do SEAT Ateca para condução fora de estrada.

Por último, o circuito termina com um exercício que coloca à prova a reação do condutor com um semáforo que indica, aleatoriamente, a direção a seguir. 

 

Numa outra secção desta área SEAT, um segundo Ateca com os vidros forrados a vinil, de forma a eliminar a visibilidade para o exterior, proporcionará uma experiência radical de condução. O condutor tem que completar um circuito de obstáculos apenas com o recurso das imagens captadas pelas câmaras 360º do veículo, que mostram no ecrã central toda a área envolvente ao Ateca.

 

Este exercício, bem como todas as restantes experiências com o SEAT Ateca são permanentemente acompanhadas por monitores qualificados e preparados para esta ação; que supervisionam e ajudam à concretização de cada exercício.

 

As experiências dinâmicas com o SEAT Ateca realizam-se numa área com cerca de 4000 m² e qualquer visitante habilitado ao exercício da condução poderá sentir as emoções ao volante do novo SEAT Ateca entre as 15 horas e as 20 horas de todos os dias até ao próximo 28 de agosto.

 

 

 

SEAT é a única companhia no seu setor com capacidade total para desenhar, desenvolver, fabricar e comercializar automóveis em Espanha. Membro do Grupo Volkswagen, a multinacional tem a sua sede em Martorell, Barcelona, exportando mais de 80% dos seus veículos, estando presente em mais de 75 países. Em 2015, a SEAT alcançou vendas mundiais de 400.000 unidades, valor mais elevado desde 2007.

 

O Grupo SEAT emprega 14,000 profissionais nos seus três centros de produção: Barcelona, El Prat de Llobregat e Martorell, onde fabrica, entre outros, os tão bem-sucedidos modelos Ibiza e Leon. Adicionalmente, a companhia produz o modelo Alhambra em Portugal, o Mii na Eslováquia e o Toledo na República Checa.

 

A multinacional espanhola tem um Centro Técnico que em 2015 celebrou o seu 40º aniversário e que se configura um “núcleo de conhecimento” que integra cerca de 1000 engenheiros que têm como objetivo contribuírem como força impulsionadora de inovação, do maior investidos industrial I&D em Espanha. Em linha com o seu compromisso declarado na proteção ambiental, a SEAT baseia a sua atividade central na sustentabilidade, nomeadamente na redução de emissão de CO2 e eficiência energética.

 

JORGE CRUZ OBRIGADO A COMPRAR UMA NOVA CARROÇARIA

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

JORGE CRUZ OBRIGADO A COMPRAR UMA NOVA CARROÇARIA

 

Jorge Cruz foi um dos pilotos envolvidos com o seu BMW 323 na carambola ocorrida no Circuito de Vila Real.A verdade é que os estragos foram de tal ordem, que o piloto da RP MOtorsport acabou por optar por comprar uma nova carroçaria para o seu BMW, estando jáFOX 8293_Copy operacional para a próxima prova.

 

DTM EM MOSCOVO

DTM EM MOSCOVO

 

ANTÓNIO FELIX DA COSTA NÃO PUNTUOU

 

Uma vez mais a sorte nada quis com António Felix da Costa que ao volante dos eu BMW nãod1 Copyd2 Copyd3 Copyd4 Copyd5 Copyd6 Copyd7 Copyd8 Copyd9 Copyd10 Copyd11 Copyd12 Copyd13 Copyd14 Copy conseguiu pontuar em mais uma jornada do DTM.

 

Assim na 1ª corrida, os lugares da frente foram sómente para a Mercedes com Wickens, Di Resta, Pafett e Gotz a liderarem os lugares da frente, tendo atrás de si o Audi de Ekstrom e Martin.António Felix da Costa terminaria na 20ª posição.

 

Na segunda corrida, seria o "reinado" da BMW a ocupar  os quatro lugares da frente com Wittm,an, Bloqvist,Spengler e Farfus, que tiveram atrás de si o Mercedses de Wickens e o Audi de Mortara.António Felix da Costa cortou a linha de chegada na 19ª posição.

 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO DE VILA REAL

 

LEGEND´S CUP

 

Grupo de imagens dos Legend´s Cup numa das corridasFOX 7298_CopyFOX 7299_CopyFOX 7300_CopyFOX 7301_CopyFOX 7302_CopyFOX 7303_CopyFOX 7304_CopyFOX 7306_CopyFOX 7308_CopyFOX 7309_CopyFOX 7310_CopyFOX 7311_CopyFOX 7312_CopyFOX 7313_CopyFOX 7314_CopyFOX 7315_CopyFOX 7316_CopyFOX 7318_CopyFOX 7319_CopyFOX 7320_CopyFOX 7321_CopyFOX 7322_CopyFOX 7323_CopyFOX 7324_CopyFOX 7325_CopyFOX 7326_CopyFOX 7327_CopyFOX 7328_CopyFOX 7329_CopyFOX 7330_Copy em Vila Real.

 

Fotos de JoFOX 7290_CopyFOX 7291_CopyFOX 7292_CopyFOX 7295_CopyFOX 7296_CopyFOX 7297_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO DE VILA REAL

 

BASTIDORES

 

Mais uma série de imagens relaticas aos bastidores do Circuito de Vila Real.

 

Fotos de JoFOX 9192_CopyFOX 9193_CopyFOX 9199_CopyFOX 9200_CopyFOX 9201_CopyFOX 9202_CopyFOX 9203_CopyFOX 9204_CopyFOX 9206_CopyFOX 9207_CopyFOX 9208_CopyFOX 9209_CopyFOX 9210_CopyFOX 9213_CopyFOX 9210_CopyFOX 9213_CopyFOX 9214_CopyFOX 9215_CopyFOX 9216_CopyFOX 9217_CopyFOX 9218_CopyFOX 9220_CopyFOX 9221_CopyFOX 9222_CopyFOX 9224_CopyFOX 9225_CopyFOX 9226_CopyFOX 9227_CopyFOX 9228_CopyFOX 9229_CopyFOX 9230_CopyFOX 9231_CopyFOX 9232_CopyFOX 9233_CopyFOX 9234_CopyFOX 9235_CopyFOX 9236_CopyFOX 9237_CopyFOX 9238_CopyFOX 9239_CopyFOX 9241_CopyFOX 9242_CopyFOX 9244_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

DISCURSO DIRECTO COM PEDRO BOTELHO

 

DISCURSO DIRECTO

 

 

“Montanha nem ralicross nunca me fascinou, fui espectador durante uns anos do Nacional de Montanha”, palavras de Pedro Botelho ao www.velocidadeonline.com

 

O nosso convidado de hoje é um “transmontano de gema”, , trata-se de Pedro Botelho que tem participado em provas do Campeonato Nacional de Clássicos, ao volante dum interessante Míni Cooper, que surge com as cores de verde e amarelo, tornando-se assim inconfundível no meio do pelotão.

 

Assim, antes de mais nada pedimos ao nosso entrevista de hoje para se apresentar :

 

Nome completo:

Pedro Botelho

Idade e local de nascimento:

 31 anos / Vila Real

Profissão:

Militar

Carros dos sonhos:

Ford Mustang Fastback Shelby GT500

Carro actual do dia-a-dia:

Renault Laguna

Carro com que compete actualmente e  categoria:

Austin Mini Cooper S, Históricos de 71 (H71)

Pilotos/pilotos preferidos:

 Ayrton Senna

Categorias do automobilismo que habitualmente vê na televisão

 

 

Visitante assíduo de sites, Pedro Botelho visita o www.velocidadeonline.com, como nos confirmou “Sou, a informação é muito bem apresentada.” As razões que o levaram a optar pelo Campeonato Nacional de Clássicos, em detrimento de outras categorias, tem uma razão de ser “Montanha nem ralicross nunca me fascinou, fui espectador durante uns anos do Nacional de Montanha assim como rallicross, mas foi algo que nunca me fascinou como simples espectador, tenciono participar em uma prova de montanha como uma experiência. “Sobre a sua carreira falou-nos um pouco “Começou por brincadeira em trackday’s com o mini que era da minha mãe, que fui preparando em casa e uma ou outra corrida de kart. Cresci a ver as corridas em Vila Real, só descer as escadas de casa e tinha logo as corridas ali à porta. E o bichinho apareceu desde miúdo. Mas só à 3 anos atrás é que realizei o meu sonho de criança…participar pela primeira vez numa prova oficial, e logo a prova rainha da velocidade em Vila Real. No ano seguinte, novamente em Vila Real, mas desta vez por um carro, home made, desta vez o Austin Cooper S.E este ano encontro-me a disputar o campeonato Nacional de Clássicos de Circuito 1300.”

 

Sobre o seu palmarés também nos descreveu o mesmo “Em 2014 3º Lugar na categoria 1300 nos Legends Cup, num Citroen Ax Sport;Em 2015 2º e 3º Lugar na Categoria H81 do Campeonato Nacional de Clássicos de Circuitos 1300;Em 2016, 4º Lugar no Estoril, 3º Lugar em Braga, e em Vila Real fiquei em 23º da geral (em 6º da categoria num total de 9 carros), com 48 carros em pista. Sobre o seu carro actual o Mini, quisemos saber qual o seu comportamento no0s limites, o que depois de reflectir um pouco disse “Sem dúvida que o Mini é muito fácil de o “ir buscar”, pois já conheço os comportamentos do carro, muitos anos a andar de Mini, mas é sem dúvida uma sensação que não sei explicar, levar o carro ao limite e conseguir domar os cavalos. “Sobre as suas melhores e piores qualidades acrescentou “As melhores qualidades são sem dúvida a sua performance em curvar. As piores, são os “abrandadores” de travão. “Evoluir mais o carro “Um carro de corrida nunca atinge um auge. Há sempre aspetos a evoluir. No caso do Mini, está sempre a evoluir aos poucos e quando se consegue a nível monetário.

Nas provas que fazem parto do calendário do Nacional de Velocidade , quais as que mais e menos gosta e porquê? “A que mais gosto sem dúvida é Vila Real, sentir o público a vibrar a incentivar é sem dúvida uma coisa única nas corridas, em comparação com os “autódromos”. O que menos gosto é sem dúvida o Estoril, a nível de público, sempre às moscas nas bancadas, mesmo com entradas gratuitas. Braga deixa muito a desejar em relação ao piso do autódromo, que podia e devia ser melhorado. “O que acha do actual calendário do Campeonato Nacional  ? Seis provas são suficientes? Mais provas vê mais interesse Qual a sua opinião ?”As seis provas são suficientes, já para fazer seis provas é um absurdo em relação a inscrições, então com mais seria só para milionários. A concentração da maioria é no norte, e essa é a prova viva que o desporto automóvel ganha vida no Norte. As gentes do Norte vivem mais as corridas. Aliás, deveriam era existir mais provas ainda no Norte.”

 Em competição em algum momento sentiu que estava a a arriscar demais? O que passou pela sua mente nesse momento? Levantar o pé, ou acelerar ainda mais? “Cada prova é um risco e quem anda lá dentro sabe disso. Há sustos e sustos, muita das vezes nem pensamos no momento, se acelerar ou levantar pé. No momento somos instintivos. Já me aconteceu acelerar ainda mais .” Qual a sua opinião sobre o actual preços das inscrições para as provas do Campeonato Nacional  ?Achas os preços elevados? Na sua opinião acha que deveriam haver prémios monetários para os três primeiros classificados de cada categoria ?”Ninguém organiza corridas por gosto, infelizmente…mas sim com o objetivo de ganharem uns euros à custa das provas, há sempre alguém que se queira aproveitar. É um preço elevado, e ridículo. Mas outros valores se levantam para os organizadores. Um dia ainda vão pedir por favor aos pilotos para irem correr. Prémios monetários? Sou contra isso, pois se nos dias de hoje já anda tudo de faca nos dentes dentro de pista, agora imagine a lutarem por valores monetários. Seria o descalabro e a loucura total, e o “vale tudo” dentro de pista. Acha que quanto à taça que recebem, poderia ser dispensada? “É sempre bom receber a taça, esta nunca deveria ser dispensada.”

Qual a sua opinião sobre a actuação da Full Eventos e outros promotores  nas provas do Campeonato Nacional  ? “Em relação à actuação do promotor da Full Eventos, remeto-me ao silêncio, que é o melhor a fazer… quem lá anda sabe o que anda a fazer ( ou não)…Pelo que vi, li e sei, a APPAM, trabalha bem melhor. Pelo menos está ao lado dos pilotos!” Qual a sua opinião sobre a actuação da FPAK na velocidade? Acha que poderia fazer mais ???”A FPAK? Essa outra entidade que só pretende ganhar com as corridas???? Dispenso também de falar sobre essa entidade. “Sobre o Mini com que corre actualmente “É um carro divertido de se conduzir, um carro bastante competitivo relação peso/potência. Sempre acompanhei a velocidade nos minis, e sempre foi um carro que me fascinou. Além de ter sido o meu primeiro carro. “O que o levou a escolher este modelo em detrimento de outro ? “Só quem gosta e vive os minis, é que entende esta escolha!” Somente por curiosidade, será que nos pode dar uma ideia de custos de uma época na velocidade ?”Eh eh eh esqueci-me da máquina de calcular e ainda bem, pois nem me quero lembrar do dinheiro gasto em apenas numa metade da época. É tudo a somar, licenças, pneus, gasolina, transporte, inscrições, alojamento. É uma alegria, para quem fica a ganhar com a organização das mesmas.

 É de opinião que se deveriam fazer regulamentos para baixar os custos de provas? Na sua opinião que medidas preconizava para isso ?”Sou da opinião que isto das corridas tinha que dar uma valente volta, para melhorar em muitos aspetos. Principalmente nos custos. Regulamentos? Pelo que vi até hoje poucos se regem pelos regulamentos.” Alguma vez sentiu medo ou insegurança quando estava em prova ?”Até hoje nunca. “No decorrer de uma prova, para si qual é o momento em que se sente mais nervoso? Que faz para combater esse nervoso? Tem, algum ritual quando entra para o seu carro, ou quando coloca o capacete e o Hans?”O momento que me sinto mais nervoso é na entrada para a grelha de partida. Depois disso é uma descontração, tudo à minha volta para por uns minutos, e sou eu e o mini, nada mais.”

 Actualmente para se poder correr tem de se ter patrocionadores?Como faz para angariar os mesmos? “Não é obrigatório existir patrocinadores, logo que haja dinheiro…é à escolha. Mas para mim, sem dúvida que os patrocinadores são a base da pirâmide, pois eles são uma ajuda fundamental a participação nas provas.
Tenho tido a sorte de ter excelentes amigos que me patrocinam com as suas empresas/firmas, como e com o que podem.”

Quais são os seus patrocinadores e o que fazem cada um deles – por favor mencionar sites dos mesmos, para os leitores poderem ver

- TRALHA, TAPAS Wine Bar  https://www.facebook.com/tralhavilareal/ 

- ZENBIO: Temos a missão de entregar ao mundo fitness produtos com a máxima qualidade e um serviço de apoio técnico rápido e eficaz. Selecionamos para nossos parceiros organizações que partilham esta mesma filosofia e são altamente especializados na conceção e construção de cada equipamento. A segurança, saúde e bem estar dos utilizadores são a nossa fonte de inspiração diária. Para nós, equipar um ginásio não passa apenas pelo fornecimento do equipamento, mas sim pelo amplo conhecimento do cliente e do utilizador do seu ginásio, pois só assim podemos apresentar uma oferta adequada a cada situação. Estamos convictos que a prestação de um excelente serviço, passa pela criação de uma relação de total confiança e transparência com os clientes, e por uma oferta de equipamentos que colocam ao serviço das pessoas as mais recentes tecnologias, segurança e qualidade. http://www.zenbio.pt/  

- FUNDIPOR: UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA. Fundada em 1979, a Fundipor sempre visou contribuir ativamente para o desenvolvimento dos sectores em que acuta, disponibilizando novas capacidades técnicas, logísticas e de serviço ao cliente. Ao longo de 30 anos de catividade, consolidámos estas vertentes e expandimos a nossa catividade sempre com os mesmos princípios. http://fundipor.pt/

 

- Barracinza é uma empresa jovem a operar no mercado da Arquitetura, Design e Artes Plásticas, criando espaços, paisagens e ambientes. https://www.facebook.com/Barracinza-495810773797496/

- Casa do Eirô – Lagar de Azeite, Sanradela – Alijó  Telefone259 918 011;

- A TECARFIL - ENGENHARIA e CONSTRUÇÃO, LDA é uma empresa de construção e engenharia, sediada em Vila Real. Detentora do Alvará, emitido pelo INCI (Instituto da construção e do imobiliário) nº 71798.  http://www.tecarfil.pt/

- PNEU BILA - Pneus usados ao melhor preço! https://www.facebook.com/PneuBilaSportRacing/

- P1 Advanced Racewear – Portugal  http://www.jsilva.pt/

  Fala-se por vezes que em provas de  pista, os comissários de pista não vêm concorrentes  a ultrapassar debaixo de bandeiras amarelas. Na sua opinião o que se deveria fazer para acabar com estas situações de pura “batota” ”Para começar um curso para poder ser comissário de Pista/ Técnicos, muitos entram apenas como voluntários, muitos que lá andam nem sabem o significado das diferentes bandeiras. Para não falar de conhecimentos não adquiridos sobre verificações técnicas! Os pilotos que sejam “apanhados” a cometer esse tipo de “artimanhas” tem de ser punidos pelos tais comissários…mas comissários que não andem lá com os olhos fechados!” Voltando ao tema de segurança, acha que em Portugal se tenha de correr com o sistema Hans e outros sistemas de segurança? Tendo em conta a realidade económica não deveria haver por parte da entidade federativa uma maior flexibilidade? “Com a segurança não se brinca, todo o investimento que seja feito para a nossa segurança é fundamental”

 Muito se tem falado da falta de promoção do automobilismo em Portugal, nas diferentes vertentes. Na sua opinião o que se poderia fazer mais, e que tipo de medidas poderiam ser implementadas, com o intuito de haver maior divulgação. “Ter alguém  nas organizações/ federações que ande por gosto à camisola, e não por gosto a interesses económicos! É a favor da criação de mais troféus monomarca em Portugal, para a s diferentes categorias do nosso automobilismo? Logo que fossem troféus acessíveis economicamente, teríamos bastantes pilotos. Pois os trofeus conseguem ser competitivos e apelativos ao público em geral. 


PEDRO1 Copy

PEDRO2 CopyPEDRO3 CopyPEDRO4 CopyPEDRO5 CopyPEDRO6 CopyPEDRO7 CopyFOX 8331_CopyFOX 8362_CopyFOX 8427_CopyEntrevista de João Raposo – www.velocidadeonline.com 

 

RALI DA ALEMANHA

RALI DA ALEMANHA

 

VOLKSWAGEN VENCE EM "CASA" COM GRANDE POSIÇÃO DA HYUNDAI

 

CAMPEONATO DO MUNDO DE RALIS

 

A Volkswagen conseguiu vencer o Rali da Alemanha, mais uma jornada do Campeonato do Mundo de Ralis, onde teve a forte oposição por parte da Hyundai.Assim, Ogier venceu  esta prova ao volante do seu Volkswagen , onde teve a forte oposição por parte do piloto espanholo Dani Sordo ao volante do seu Hyundai.A terceira posição foi para Neuville também ao volante dum Hyundai que teve atrás de si, o Volkswagen de MiR1 CopyR2 CopyR3 CopyR4 CopyR5 CopyR6 CopyR7 CopyR8 CopyR9 CopyR10 CopyR11 CopyR12 CopyR13 CopyR14 CopyR15 CopyR16 CopyR17 CopyR18 CopyR19 CopyR20 CopyR21 CopyR22 CopyR23 CopyR24 CopyR25 CopyR26 CopyR27 CopyR28 CopyR29 CopyR30 CopyR31 CopyR32 CopyR33 CopyR33 CopyR34 CopyR35 Copykkelsen, e o Hyundai de Paddon.

 

A 6ª posição foi para o Ford Fiesta de Ostberg, seguido pela "armada" Skoda com Lappi, Tidermand; Kopecky e Kremer.

 

Fotos de André Lavadinho - WORLD / www.velocidadeonline.com

 

VELOSO MOTORSPORT PRESENTE

VELOSO MOTORSPORT NO RALI DE MESÃO FRIO

 

 

Depois de umas curtas férias, a Veloso Motorsport retoma a sua actividade desportiva, preparando a sua presença no Rali Municipio de Mesão Frio, quinta jornada do Campeonato Regional de Ralis Norte – Troféu Intermunicípios CIN 2016 – FPAK, prova que se disputa no próximo fim-de-semana de 27 e 28 de Agosto.

 

Depois de uma passagem azarada por Famalicão, a dupla Pedro Almeida/Justino Reis, parte para Trás-os-Montes motivada para regressar aos bons resultados. A troca do fiável Renault Twingo R2 pelo mais potente Renault Clio R3, constitui a principal novidade para esta prova, numa aposta mais ousada por parte do jovem piloto nortenho.

 

“De facto vamos alinhar em Mesão Frio com um Clio R3, carro mais competitivo e com o qual queremos subir mais um degrau em termos de performance. Este será, no entanto, mais um capítulo, num ano de aprendizagem e por isso os objectivos permanecem os mesmos desde o início do ano, conseguir bons resultados sem arriscar em demasia e conseguir fazer o máximo de quilómetros possível. O nosso último rali foi uma desilusão, pelo que espero que em Mesão Frio tudo nos corra bem e que seja possível fazer um bom resultado, vamos dar o máximo para que isso aconteça.” Referiu Pedro Almeida.

 

O Rali Município de Mesão Frio 2016 tem o seguinte Programa/Horário:

 

Sábado - 27 de Agosto

21H09 PEC 1 – Super-Especial (1,83 Km)

Domingo - 28 de Agosto

10H34 PEC 2 – Barqueiros 1 (6,45 Km)
10H53 PEC 3 - Cidadelhe (9,90 Km)
12H07 PEC 4 – Barqueiros 2 (6,45 Km)
12H40 PEC 5 - Oliveira (4,50 Km)



NOTA DE REDACÇÃO:


O  www.velocidadeonline.com  ,  enquanto gestor desta páVMS240816 Copygina, assim como a do Facebook, é neste caso totalmente alheio quer à qualidade, quer ao teor deste artigo em termos de erros e imprecisões apresentado pelo RaceSpirit como autor deste mesmo artigo.

 

SEAT É A PRIMEIRA MARCA

 

Em estreia mundial

SEAT é a primeira marca de automóveis com uma app CarPlay para iPhone na App Store

/   A DriveApp facilita de forma marcante a conetividade e experiência de condução

/   A aplicação permite visualizar e gerir o conteúdo de um iPhone a partir do automóvel

/   A SEAT continua a desenvolver um ecossistema de mobilidade

160729BannercomunicacionB1 Copy A SEAT deu mais um passo em frente na direção da conetividade automóvel perfeita ao tornar-se no primeiro construtor automóvel a nível mundial a disponibilizar uma app compatível com CarPlay. A aplicação SEAT DriveApp para plataforma iOS está acessível na App Store permitindo visualizar e gerir o conteúdo da aplicação no iPhone a partir do ecrã e dos comandos do automóvel. A app já está disponível em Espanha e chegará aos restantes mercados onde a SEAT está presente nas próximas semanas.

 

Com a SEAT DriveApp, o condutor terá completo e detalhado acesso ao estado do veículo, o que facilita e melhora a experiência de condução. Nesse sentido, a informação inclui, por exemplo, a manutenção programada, a pressão dos pneus ou as ofertas mais tentadoras nos concessionários locais. Durante as próximas semanas a app será atualizada com mais novidades e serviços.

 

A SEAT DriveApp foi integralmente desenvolvida no Centro Técnico SEAT, o motor tecnológico da multinacional automóvel, que está a impulsionar a conetividade. A SEAT pretende liderar a criação de um ecossistema de mobilidade que fará o elo de transição entre um modelo de negócio focado no fabrico de automóveis e a atividade de fornecimento de serviços de mobilidade. 

 

A empresa já disponibiliza a tecnologia FullLink para CarPlay, compatível com os iPhones e aparelhos Android, através da gama Connect. A conetividade dos modelos SEAT garante enormes benefícios para os condutores ao permitir que conheçam o estado do veículo a partir de qualquer lugar e ao garantir que se podem manter ligados às redes sociais enquanto conduzem de forma completamente segura.

 

A SEAT foi a primeira empresa a lançar no mercado a tecnologia de Integração de Smartphones compatíveis com os sistemas operativos iOS (CarPlay), Android (AndroidAuto) e MirrorLink, e nos últimos dois anos participou no Mobile World Congress, em Barcelona.

 

 

 

SEAT é a única companhia no seu setor com capacidade total para desenhar, desenvolver, fabricar e comercializar automóveis em Espanha. Membro do Grupo Volkswagen, a multinacional tem a sua sede em Martorell, Barcelona, exportando mais de 80% dos seus veículos, estando presente em mais de 75 países. Em 2015, a SEAT alcançou vendas mundiais de 400.000 unidades, valor mais elevado desde 2007.

 

O Grupo SEAT emprega 14,000 profissionais nos seus três centros de produção: Barcelona, El Prat de Llobregat e Martorell, onde fabrica, entre outros, os tão bem-sucedidos modelos Ibiza e Leon. Adicionalmente, a companhia produz o modelo Alhambra em Portugal, o Mii na Eslováquia e o Toledo na República Checa.

 

A multinacional espanhola tem um Centro Técnico que em 2015 celebrou o seu 40º aniversário e que se configura um “núcleo de conhecimento” que integra cerca de 1000 engenheiros que têm como objetivo contribuírem como força impulsionadora de inovação, do maior investidos industrial I&D em Espanha. Em linha com o seu compromisso declarado na proteção ambiental, a SEAT baseia a sua atividade central na sustentabilidade, nomeadamente na redução de emissão de CO2 e eficiência energética.

 

AVILA NO RALLY XPERIENCE

 

Marcelo Ávila vai ter “Rally XPERIENCE”

Depois do Challenge Citroen Saxo by ACB Racing que levou Tiago Valadão a fazer o Rali Casinos do Algarve em 2014 e dos vários passatempos destinados aos adeptos dos ralis, estão de volta as iniciativas ACB RACING.

 

Marcelo Ávila foi o piloto escolhido pela organização do ACB RACING Rally XPERIENCE para beneficiar do programa de formação e competição promovido pela equipa de António Castelo Branco. A ACB RACING cede ainda o seu Citroen Saxo Cup, isto para além dos serviços de logística e assistência técnica.

O jovem Marcelo Ávila, 20 anos, é um piloto que se iniciou na pista do Centro de Desportos Motorizados da Praia da Vitória e que ao cumprir os 18 anos fez a transição para os ralis. Filho do carismático piloto Manuel Ávila, o jovem Marcelo deu nas vistas no Ilha Lilás de 2014 mas não terminou a prova do Campeonato de Ralis dos Açores na sequência de uma saída de estrada.

Candidatos ao programa ACB RACING Rally XPERIENCE eram todos os pilotos do concelho de Angra do Heroísmo com idade inferior a 25 anos. “A nossa escolha teve em conta a idade do piloto e as provas já dadas ao volante de um carro de competição” explica António Castelo Branco. “Reconhecemos o elevado potencial do Marcelo Ávila e também não ficámos alheios ao facto do Marcelo ser o mais jovem dos potenciais candidatos. Esperamos com esta iniciativa dar as oportunidades necessárias para fortalecer as capacidades do Marcelo e ajudá-lo a evoluir na sua carreira de piloto de ralis.” Para ajudar na sua evolução enquanto piloto, Marcelo Ávila vai contar com as “dicas” do conceituado e muito experiente piloto e navegador, Tiago Azevedo. Para além disso, Marcelo Ávila beneficiará de formações sobre as questões de imagem e do contacto com a comunicação social e ainda sobre a preparação física necessária para se enfrentar provas e troços de grande extensão. “Não se trata de fazer logo grandes resultados”, afirma António Castelo Branco que antes incentiva o jovem piloto a aprender o máximo possível e, sobretudo, a aproveitar o momento.

As provas que Marcelo Ávila fará ao abrigo do ACB RACING Rally XPERIENCE são o Rali Ilha Lilás e o Rali Casinos do Algarve, prova que integra o calendário do Campeonato de Portugal de Ralis. António Castelo Branco realça “a forma como fomos recebidos, de braços abertos, pelo Clube Automóvel do Algarve que compreendeu a filosofia da nossa iniciativa e nos concedeu fantásticas condições de participação no Casinos do Algarve”.

Promover os patrocinadores do ACB RACING Rally XPERIENCE e os do próprio piloto, dentro e fora da região, é também um dos objetivos principais da iniciativa. “Queremos que o Marcelo perceba que este desporto necessita das verbas garantidas pelos patrocinadores mas também que as equipas se devem esforçar ao máximo para dar o devido retorno que compense o investimento que as empresas e instituições fazem ao apoiá-las”, refere António Castelo Branco cuja estrutura sempre se destacou neste particular. “No caso do ACB RACING Rally XPERIENCE, para além do apoio direto que a própria ACB Racing dá através dos serviços prestados, não podemos deixar de agradecer aos parceiros principais do evento, a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, a Zenite Travel, o Clube Automóvel do Algarve e a Mutualista Açoreana” revela António Castelo Branco que não esquece também os apoios da “Decoracing, Milwaukee, Duravit Herock, Francisco Veloso – Design, Video & Media e Laser 2001”.1. Copy2. Copy

 

SEAT ATECA

 

26 toneladas de areia esculpida

O novo SEAT Ateca leva a praia ao aeroporto de Barcelona

/   Uma réplica do Ateca feita em areia recebe os passageiros do aeroporto de Barcelona

/   O artista Sergi Ramírez, especializado em esculturas de areia, é o responsável por esta criação

/   A réplica do Ateca está exposta no Terminal 1 do aeroporto até finais de outubro

 

O novo SEAT Ateca será o protagonista deste verão no aeroporto El-Prat em Barcelona. O artista Sergi Ramírez, especializado em esculturas de areia, criou esta réplica usando 26 toneladas de areia. O primeiro SUV da história da marca, e um dos mais inovadores do seu segmento, está a ter uma grande aceitação por parte dos clientes, e poderá ser admirado no Terminal 1 do aeroporto Catalão,  por onde passam aproximadamente 100.000 passageiros por dia.

 

Um Ateca real está colocado ao lado da réplica de areia, num stand intitulado  “Created in Barcelona”, com o vídeo do making-of da obra. A instalação poderá ser vista até ao fim de outubro.

 

A diretora global de Marketing da SEAT, Susanne Franz, explicou que “o objetivo desta obra é demonstrar a união entre arte e design de Barcelona numa escultura efémera”. Franz referiu ainda que “Barcelona tem um dos 10 aeroportos com mais tráfego da Europa, tornando-o numa localização ideal para apresentar o SEAT Ateca, ao mesmo tempo que se mostra a ligação da marca à cidade de Barcelona”.

 

Sergi Ramírez tem vindo a criar esculturas de areia nos últimos 30 anos. As suas criações artísticas já lhe valeram algumas distinções, incluindo o primeiro prémio na terceira e quarta edições do certâme na Gran Canaria, segundo lugar no Festival Internacional de Esculturas de Areia Zhoushan, na China e o terceiro lugar no Festival Tranum Strand na Dinamarca.

 

A SEAT é a única companhia no seu sector com a capacidade total de desenhar, desenvolver, fabricar e comercializar automóveis, em Espanha. Membro do Grupo Volkswagen, a multinacional tem a sua sede em Martorell, Barcelona, exportando mais de 80% dos seus veículos, estando presente em mais de 75 países. Em 2015, a SEAT alcançou um volume de negócio de mais de 8.300 milhões de euros, o mais elevado da sua história, e vendas mundiais de mais de 400.000 unidades, valor mais elevado desde 2007.

                                     

O Grupo SEAT emprega 14,000 profissionais nos seus três centros de produção: em Barcelona, El Prat de Llobregat e Martorell, onde fabrica, entre outros, os tão bem sucedidos modelos Ibiza e Leon. Adicionalmente, a companhia produz o modelo Alhambra em Palmela (Portugal), o Mii em Bratislava (Eslováquia) e o Toledo em Mladá Boleslav (República Checa).

 

A multinacional espanhola tem um Centro Técnico que em 2015 celebrou o seu 40º aniversário e que se configura como um “núcleo de conhecimento” que integra cerca de 1000 engenheiros que têm como objetivo contribuírem como força impulsionadora de inovação, do maior investidor industrial em I&D de Espanha. Em linha com o seu compromisso declarado na proteção ambiental, a SEAT baseia a sua atividade central na sustentabilidade, nomeadamente na redução de emissão de CO2 e eficiência energética.

 

GALERIA DE IMAGENS - WTCC EM VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS

 

WTCC VILA REAL

 

Nos bastidores do WTCC em VIla Real.

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 9143_CopyFOX 9144_CopyFOX 9145_CopyFOX 9146_CopyFOX 9147_CopyFOX 9148_CopyFOX 9149_CopyFOX 9150_CopyFOX 9151_CopyFOX 9152_CopyFOX 9153_CopyFOX 9154_CopyFOX 9155_CopyFOX 9157_CopyFOX 9158_CopyFOX 9159_CopyFOX 9160_CopyFOX 9161_CopyFOX 9162_CopyFOX 9163_CopyFOX 9164_CopyFOX 9166_CopyFOX 9168_CopyFOX 9169_CopyFOX 9171_CopyFOX 9173_CopyFOX 9175_CopyFOX 9176_CopyFOX 9177_CopyFOX 9178_CopyFOX 9179_CopyFOX 9180_CopyFOX 9181_CopyFOX 9182_CopyFOX 9183_CopyFOX 9184_CopyFOX 9185_CopyFOX 9186_CopyFOX 9188_CopyFOX 9189_CopyFOX 9190_CopyFOX 9191_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS

 

CIRCUITO VILA REAL

 

Grupo de imagens referentes à sessão de treinos da Legend´s Cup

 

Fotos de JOão Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 8676_CopyFOX 8677_CopyFOX 8679_CopyFOX 8681_CopyFOX 8682_CopyFOX 8683_CopyFOX 8684_CopyFOX 8685_CopyFOX 8687_CopyFOX 8686_CopyFOX 8687_CopyFOX 8688_CopyFOX 8690_CopyFOX 8691_CopyFOX 8693_CopyFOX 8694_CopyFOX 8695_CopyFOX 8695_CopyFOX 8697_CopyFOX 8700_CopyFOX 8702_CopyFOX 8702_CopyFOX 8703_CopyFOX 8704_CopyFOX 8707_CopyFOX 8709_CopyFOX 8709_CopyFOX 8711_CopyFOX 8711_CopyFOX 8711_CopyFOX 8711_CopyFOX 8713_CopyFOX 8715_CopyFOX 8715_CopyFOX 8717_CopyFOX 8720_CopyFOX 8721_CopyFOX 8723_CopyFOX 8725_CopyFOX 8726_CopyFOX 8727_CopyFOX 8730_CopyFOX 8730_CopyFOX 8731_CopyFOX 8732_CopyFOX 8732_CopyFOX 8732_CopyFOX 8734_CopyFOX 8735_CopyFOX 8736_CopyFOX 8739_CopyFOX 8741_Copy

 

PROJECTO PARA AUMENTO DA PISTA DE VILA REAL

PROJECTO PARA AUMENTO DA PISTA EM VILA REAL FOI ABANDONADO

 

Depois de aqui termos mencionado o projecto que a organização do circuito de VIla Real tinha  para o aumento da extensão do circuito citadino, tivemos conhecimento, que esse projecto foi abandonado.Isso porque iria afectar grandemente o bme star dos habitantes dessa zona da antiga recta da meta do antigo circuito de Vila Real, que se recorde nesta altura é composto por elevado numero de prédios.

 

Assim este projecto, que até seria interessante foi para já abandonado.O que não foi abandonado, foi fazer a edição de 2017 em dois fins de semana distintos, um deles com o WTCC e provas de suporte, e o segundo para os clássicos.Tivemos conhecimento, que para não afectar a forma de viver dos habitantes de Vila Real, as corridas só teriam lugar no decorrer do fim de semana, isto é, no sábado e domingo, em cada um dos fins de semana.Por isso nestes dois fins de semana não haverá treinos nem corridas no decorrer de 6ªfeira, ficando esse dia apenas para verificações técnicas e documentais.

 

STOCK CAR - BRASIL

 

Correndo onde pode até setembro... Dá pra acabar as férias?

Enquanto a principal corrida do ano do calendário do automobilismo nacional, marcada para 11/9 em Interlagos, os pilotos fazem de tudo para manter o ritmo e conseguir dar umas voltinhas no templo antes de setembro.

Se você disputa um campeonato de corridas de âmbito nacional, não há nem o que dizer: a principal corrida do ano sempre acontece no templo de Interlagos. Pode ser Stock Car, Fórmula Truck, F3 e não é diferente no Campeonato Brasileiro de Turismo. E, como a pista paulista, por conta de suas intermináveis reformas visando a F1, mal recebe corridas, os pilotos precisam se virar como podem para treinar e aquecer, pois só simulador não dá.

"Mesmo a gente conhecendo a pista de trás para a frente, cada desnível, cada zebra, ficar sem treinar lá é muito doloroso. Ficar sem correr lá é ruim demais não só para os pilotos como para os campeonatos, já que é a principal prova também na parte de publicidade e marketing. Com isso, as poucas corridas que acontecem acabam ganhando uma relevância ainda maior", conta Pietro Rimbano, um dos destaques do campeonato de acesso à Stock Car.

Ao contrário de temporadas anteriores, quando Interlagos abria, marcava a metade e encerrava os campeonatos, desde 2015 a primeira visita só acontece depois de agosto. E a outra só em dezembro. E essa primeira visita ganhou contornos mais importantes por ter sido escolhida como a Corrida do Milhão da Stock Car. "A Corrida do Milhão é benéfica para todas as categorias que correm com a Stock Car, pois geralmente é a prova mais concorrida e de maior público. Todos conseguem aproveitar muito bem a situação, mas para tudo ficar perfeito é preciso um bom resultado nas pistas, senão não adianta muita coisa", comenta Pietro, que tem uma enorme responsabilidade: ele corre na equipe júnior da Cimed, atual campeã de equipes e pilotos na Stock.

"A pressão é grande, pois apesar de estarmos aprendendo, existe uma cobrança em ter resultados bons como a equipe da Stock, por isso tracei um plano para conseguir pelo menos andar em Interlagos", explica. E, para isso, ele precisou voltar ao primeiro carro de sua carreira, o da Sprint Race, campeonato onde ele é o atual campeão. "Rolou uma corrida de convidados, fui chamado pelo piloto Vinícius Margeota e aproveitei o máximo que pude na pista. Foi uma delícia voltar ao carro da Sprint e a Interlagos. Essa pista é maravilhosa e quero andar muito bem nas corridas dos dias 10 e 11 de setembro", analisa Pietro, referindo-se às datas da rodada dupla do Brasileiro de Turismo no templo.

Pietro não foi o único a fazer isso, no entando: dezenas de pilotos, principalmente da Stock Car, participaram de provas de categorias como Porsche Cup e a própria Sprint Race para se habituarem novamente à pista. "Do Brasileiro de Turismo pouquíssimas pessoas fizeram isso, já na Stock teve gente que andou nas duas. Depende do tamanho da sua fome! Por isso vou participar também das 12h de São Paulo de kart neste fim de semana. Quero chegar tinindo em Interlagos", completa.


Pietro Rimbano tem o apoio de Grupo Cimed, Voxx Suplementos, Lavitan Vitaminas e Olympikus.

 

MOTOS - BRASIL

Paganelli recupera liderança nos metros finais para vencer a 5ª etapa da Ninja 300

alt

  Emoção do início ao fim. A disputa da 5ª etapa da Copa Kawasaki Ninja 300 teve tudo o que os espectadores mais gostam numa corrida de motovelocidade: dezenas de ultrapassagens, pegas de tirar o fôlego e recuperações incríveis. Com um clima bastante instável no início da tarde deste domingo (21) e a pista do Autódromo de Interlagos molhada, Sandro Paganelli (#64), da equipe Paganelli Racing, mostrou toda sua habilidade e controle da moto em condições pouco favoráveis e, principalmente, a calma para tomar a ponta no momento certo.

Paganelli largou na frente, porém, em nenhum momento teve vida fácil. Isso porque já nas primeiras voltas passou a ser perseguido de perto por Jeferson Souza (#707), da equipe Tecfil Racing Team, e por Fernando Santos (#234), da Tecfil Racing Team. Por sinal, Fernando fez um início de prova sensacional: pulou da 10º posição na largada para brigar pela ponta.

Estes três pilotos impuseram um ritmo intenso e disparam na frente. Na segunda metade da corrida, Sandro e Fernando protagonizaram os momentos mais emocionantes da prova. Os dois revezaram a liderança e chegaram a quase se tocar na sétima volta. Nos últimos momentos, Fernando conseguiu tomar a liderança e abrir a volta final na frente. O pelotão dos ponteiros com os três pilotos seguiu para completar a corrida e o resultado ainda estava completamente indefinido. Fernando entrou na reta dos boxes em primeiro com Sandro, praticamente ao seu lado. O piloto da Paganelli Racing conseguiu pegar o vácuo, fazer a ultrapassagem e cruzar a linha de chegada à frente, com uma vantagem mínima de três centésimos. Fernando Santos acabou ficando com a segunda posição e Jefferson Souza - vencedor da categoria Light – em terceiro no geral.

Na sequência, dois pilotos da Copa Kawasaki Ninja 300 Light receberam a bandeirada: Bruno Ribeiro (#169), da equipe Rota Baus, cruzou em quarto (2º na Light) e Gilmar Ferreira Barbosa (#45), da Paulinho SuperBikes, em quinto (3º na Light). De volta à categoria Pro, a terceira posição ficou com Bruno Cesar Borges (#51), da Gilberto Motos, seguido por Fábio Jandaia (#10), da Motocar Racing, em quarto, e por Kioman Munoz (#9), da Team Castrol, em quinto.

E completando o pódio da categoria Light, Kleber Santos (#213), da Girão Racing, faturou a quarta posição e Saulo Carillo (#621), da Atalla Escapes, o quinto lugar.  



Imagens relacionadas


baixar em alta resolução

 


Pilotos Copa Kawasaki Ninja 300
Johanes Duarte - VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio Copa Kawasaki Ninja 300
Johanes Duarte -VGCOM
baixar em alta resolução

 


Sandro Paganelli liderando o pelotão
Johanes Duarte - VGCOM
baixar em alta resolução
 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS

 

CIRCUITO DE VILA REAL

 

Mias uma série de imagens dos clássicos em pista

 

Fotos de JoFOX 8303_CopyFOX 8304_CopyFOX 8305_CopyFOX 8307_CopyFOX 8310_CopyFOX 8311_CopyFOX 8312_CopyFOX 8312_CopyFOX 8313_CopyFOX 8314_CopyFOX 8316_CopyFOX 8319_CopyFOX 8320_CopyFOX 8323_CopyFOX 8324_CopyFOX 8325_CopyFOX 8329_CopyFOX 8330_CopyFOX 8331_CopyFOX 8333_CopyFOX 8335_CopyFOX 8336_CopyFOX 8338_Copyão Raposo - www.velocidadeonline.com

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

Em Kyoto comecei por visitar Gion, o tal bairro das Gueixas. Ás vezes encontram-se na rua, todas produzidas mas, como não vi nenhuma, pedi a duas meninas vestidas com trajes tradicionais para tirarem uma fotografia ao pé da moto.
- “Não são verdadeiras gueixas? Oh, que pena”.
Deixei a moto estacionada no passeio e fui a um parque tirar umas fotografias. Quando voltei tinha dois policias de volta da moto, a olharem muito para a matricula portuguesa com cara de quem não sabiam o que fazer com aquele caso. Ficaram com um ar aliviado quando eu cheguei e puderam explicar que no Japão não se pode parar no passeio e logo me mandarem seguir, satisfeitos.
É curioso que em todo o Japão não se podem parar os carros na estrada junto ao passeio, tendo toda a gente que tem carro obrigação de ter um espaço previsto para o estacionar. Quando vão a algum lado têm sempre que o deixar em estacionamentos, normalmente pagos mas nunca junto ao passeio. Até porque a maioria das estradas só tem uma via para cada lado, com o tal traço continuo ao meio, de maneira que não há espaço para estacionamentos. O mesmo se aplica às motos que não podem ser paradas em qualquer lado. Tenho infringido algumas vezes esta regra porque eles acho que não sabem como multar uma moto ou carro com matricula estrangeira.
De Gion parti a ver o Templo dourado, que antes foi coberto a folha de ouro pelo seu proprietário mas depois do ultimo restauro está simplesmente pintado de dourado. A imagem é bonita porque o local onde está, junto a um lago, também é fantástico.
Nos restauros dos templos reparei que os japoneses não se preocuparam muito com a originalidade, aliás porque muitas vezes não sabem exatamente como era por dentro, por exemplo. Assim fazem uns restauros à sua maneira muitas das vezes utilizando pormenores como pedra cortada à moderna no chão ou outros pormenores que para quem aprecia bons restauros escandaliza um pouco.
Depois do Templo Dourado ainda fui dar um passeio pela floresta de bamboo, em Arashiyama. Muito gira.
Nesse dia deixei Kyoto pelas quatro da tarde e pus-me a caminho de Tokyo onde saberia que só chegaria dois ou três dias depois. Evitando as auto estradas aqui na ilha principal fazem-se médias muito baixas pois há semáforos a cada 300 metros, e como os carros se arrastam a 40 ou 50 Km/h por todas as estradas o transito torna-se infernal, mesmo de moto. De carro nem quero imaginar o que passam. Qualquer pequeno cruzamento tem direito a semáforos e eles, quando calculam o tempo que se demora a fazer certa distancia, é sempre a médias de 20, 25 Km/h. De moto vou mais rápido mas muitas vezes nestas estradas fiz médias que não ultrapassaram os 40 Km/h.
Assim, passadas duas horas tinha percorrido pouco mais de 70 Km e decidi instalar-me num hotel que encontrei à beira da estrada.
Quando saí para jantar já passava das oito e meia e a gerente do Hotel achou que se calhar já não me serviam. Então propôs-se vir comigo até ao Restaurante.
- Vem jantar comigo?, perguntei.
- Não, vou só acompanhá-lo até lá. É a cinco minutos de aqui.
Nunca me tinha acontecido uma cena destas. Lá veio comigo até ao Restaurante, pediu-lhes que ainda me servissem jantar, por a cozinha já estar supostamente fechada, ajudou-me a escolher a ementa e despediu-se. Único.
No dia seguinte foi a mulher que limpava os quartos que se desfez em vénias quando eu saí do quarto. Acompanhou-me até ao elevador em pequenas vénias, sempre a dizer coisas em japonês que deviam ser maravilhosas de ouvir, chamou o elevador para mim e, quando eu entrei fez uma única vénia mas em que o corpo fez um ângulo de 90º na cintura e assim ficou. Temi que se desequilibrasse e se estatelasse no chão.
Este género de cenas só se passam nestas pequenas terras de província onde, quando aparece um estrangeiro, ficam numa excitação. Nas grandes cidades são  mais comedidas e as vénias mais reduzidas, o que é uma pena.

 

NOTICIAS DOS STATES

 

Lucas Oil Racing TV - the first 24/7 On Demand motorsports network - continues to expand its library of world class motorsports with Round 8 of the MXGP season in Trentino, Italy, the Lucas Oil Summer Sizzlin Sprint Car Nationals in Sapulpa, Oklahoma, Round 6 of the Lucas Oil Drag Boat Racing Series in San Angelo, Texas, the Lucas Oil Modified Series at Orange Show Speedway in San Bernadino, California, and the Super Farm Tractors competition in Hillsboro, Wisconsin.
Lucas Oil Racing TV has 2000 plus hours of US, national and international racing, car shows, behind the scenes action and live-streaming events online without commercial breaks. 
Round 8: Italy - August 24, 2016
The 2016 MXGP season heads to Trentino, Italy for Round 8.
Welcome to the eye catching location of Pietramurata, Italy
for the FIM Motocross World Championship. AVAILABLE FOR USA ONLY


Sapulpa, OK. - August 20, 2016
The Lucas Oil Summer Sizzlin Winged Sprint Car Nationals Presented By GEICO heads to Creek County Speedway, a tight little 1/4 mile dirt track that breathes exciting racing, in Sapulpa, Oklahoma.


Round 6: San Angelo, TX. - PM, PO - August 20, 2016
The Lucas Oil Drag Boat Racing Series is in San Angelo, Texas for The GEICO Showdown in San Angelo presented by SuperClean. This show features elimination rounds from the Pro Modified & Pro Outlaw classes.


Orange Show - Modified - Live Replay - August 20, 2016
Live replay of the Lucas Oil Modified Series from Orange Show Speedway in beautiful San Bernardino, California for the LoanMart 100 Presented by E3 Spark Plugs.

Hillsboro, WI - Friday: Super Farm Tractor - August 19, 2016
Super Farm Tractors compete at the Hillsboro Charity Pull in Hillsboro, Wisconsin. Southern Wisconsin's premier charity truck and tractor pull. They pull their weight to help others in need.

If you are unable to watch a race live, all live races will be available for replay after an event... usually within 24 hours. Please check back regularly for schedule updates. We are always adding new content and will also be adding to our live event offering throughout the season.
Lucas Oil Racing TV is currently available through Roku, Amazon Fire TV, Android TV, Xbox One, Xbox 360, and LucasOilRacing.TV for computers, tablets and smartphones.
Coming Soon - LIVE on Lucas Oil Racing TV.

 

RALI DA ALEMANHA

 

Rali da Alemanha Super, Seb! Volkswagen ganha a jornada caseira no WRC

 

• Ogier / Ingrassia repetem a vitória do ano passado no Rali da Alemanha, aumentando a liderança no campeonato mundial • Final emocionante - Mikkelsen e Jæger terminam no quarto lugar, perdendo uma posição no pódio por escassos segundos

 

Volkswagen 04_Rali_da_Alemanha_2016_despedida_de_Jost_Capito_CopyVolkswagen Mikkelsen_05_Rali_da_Alemanha_2016_CopyVolkswagen Ogier_06_Rali_da_Alemanha_2016_CopyVolkswagen Ogier_07_Rali_da_Alemanha_2016_Copy• 81 pódios, incluindo 39 vitórias: mais um triunfo na prova de despedida de Jost Capito da Volkswagen Sébastien Ogier e Julien Ingrassia estão de volta ao caminho das vitórias, desta vez nas estradas asfaltadas do Rali da Alemanha, com a Volkswagen a garantir o triunfo pelo segundo ano consecutivo. À semelhança do ano passado, Ogier ganhou a nona jornada desta temporada do Campeonato do Mundo de Ralis FIA (WRC) com o Polo R WRC, tendo agora uma ligeira vantagem de abrir a estrada como, aliás, tem acontecido desde o início do ano em ralis disputados em pisos de terra. Devido às condições extremamente difíceis (desde piso seco a molhado, passando por fases com muita lama), a seleção dos pneus durante o fim-de- semana foi um grande desafio. Ogier e Ingrassia realizaram uma exibição digna de campeões mundiais ao aumentarem a sua liderança nos campeonatos de pilotos e de co-pilotos de 14 para 59 pontos. Os seus rivais mais próximos, Andreas Mikkelsen e Anders Jæger, não conseguiram assegurar o segundo lugar após um final emocionante, tendo terminado na quarta posição. Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila, no terceiro Polo R WRC, desistiram no primeiro dia com problemas na caixa de velocidades. Voltaram no dia seguinte ao abrigo do Rally 2 e ainda conseguiram marcar dois pontos com o segundo lugar assegurado na Power Stage. Também lutaram para terminar em oitavo na categoria WRC, contribuindo para a Volkswagen dar um grande passo no sentido de defender o seu título no campeonato de Construtores. Motorsport Information 2 www.volkswagen-motorsport.com www.volkswagen.pt “Ganhar novamente o ADAC Rali da Alemanha é um grande sucesso para a Volkswagen e um passo importante para defender o título no Campeonato Mundial de Ralis” disse o Dr. Frank Welsch, Membro do Conselho de Administração da Marca Volkswagen Veículos de Passageiros e responsável pelo Departamento de Desenvolvimento, que visitou a equipa na zona de assistência de Trier ao lado de Christian Eisenlohr, Secretário-Geral da Volkswagen. “O Rali da Alemanha esteve mais uma vez à altura da sua reputação, mostrando ser uma prova particularmente desafiante. Toda a nossa equipa fez um excelente trabalho perante os nossos fãs alemães e, como tal, gostaria de agradecer-lhes todo o seu empenho”, acrescentou Welsch. Mikkelsen e Jæger terminaram no quarto lugar, mas discutiram até aos metros finais um lugar no pódio Emocionante até ao final – Andreas Mikkelsen e Anders Jæger envolveram-se, mais uma vez, num duelo emocionante pelo segundo lugar até ao final do Rali da Alemanha. Perante a iminência de chuva, optaram por três pneus macios e três pneus duros da Michelin para o confronto final nos três derradeiros troços. Uma opção diferente dos seus rivais da Hyundai. A chuva não apareceu, mas mesmo assim Mikkelsen e Jæger tentaram tudo para conquistar o segundo lugar. No entanto, tiveram que “pagar” o preço do peso extra de cerca de 20 quilos e de um sobreaquecimento dos travões. Conseguiram um quarto lugar depois de um grande desempenho em todos os dias de rali. Este duo, que continua a ocupar o segundo lugar no campeonato, protagonizou um duelo emocionante com os seus companheiros Ogier e Ingrassia na sexta-feira e sábado, até que o tricampeão do mundo se destacou de Mikkelsen no lendário troço de “Panzerplatte”. Fantástica atmosfera no primeiro rali do ano em asfalto A prova ficou marcada pela presença de milhares de fãs no “Panzerplatte” e ao longo dos troços que serpenteavam as imensas vinhas desta região – a atmosfera hipnotizante marcou o primeiro rali do ano em asfalto que apresentou não só um elevado grau de condução mas também um enorme desafio técnico. O WRC completou três dias de troços em redor de Trier, verificando-se características completamente diferentes no piso de asfalto em três ocasiões. A decisão preliminar a favor de Ogier ocorreu nos pisos do “Panzerplatte” que caracterizaram o rali no sábado. Antes, na sexta-feira, nas estreitas classificativas de asfalto na zona de vinhas, verificou-se um duelo emocionante pela liderança entre Mikkelsen e Ogier. Motorsport Information 3 www.volkswagen-motorsport.com www.volkswagen.pt No domingo, os troços de “Drohntal” e de “Sauertal”, que foram escolhidos para a Power Stage pela primeira vez, proporcionaram mais ação a este espetacular rali com uma mistura de secções rápidas e de zonas a serpentear as vinhas. Ogier / Ingrassia ampliaram a liderança sobre Mikkelsen / Jæger para 59 pontos Sébastien Ogier / Julien Ingrassia deram um passo muito importante no Mundial de Pilotos e de CoPilotos, o mesmo acontecendo com a Volkswagen no campeonato de Construtores. Com a quinta vitória da temporada para a Marca (e a terceira para Ogier), a equipa ficou mais perto do triunfo final na defesa dos três títulos. Ogier / Ingrassia contabilizam agora 169 pontos, mais 59 do que Mikkelsen / Jæger que ocupam o segundo lugar na classificação geral. Latvala / Anttila estão em quinto lugar com um total de 80 pontos. Na classificação dos construtores, a Volkswagen tem uma vantagem de 55 pontos. Isto significa que Ogier e Ingrassia poderão defender com sucesso os seus títulos, no caso de vencerem o próximo rali, a Volta à Córsega. Power Stage: dois pontos de bónus para Latvala, um para Ogier O Rali da Alemanha teve um final conciliador para Jari-Matti Latvala e Miikka Anttila. Depois de terem sido forçados a abandonar na sexta-feira com problemas na caixa de velocidades no seu Polo R WRC logo no primeiro troço, voltaram no sábado ao abrigo dos regulamentos do Rally 2 e garantiram dois pontos de bónus conseguidos com o segundo melhor tempo na Power Stage. O ponto do terceiro lugar foi conquistado por Ogier e Ingrassia, que bateram a dupla Dani Sordo e Marc Martí (Hyundai) por um milésimo de segundo (a que correspondem… três centímetros!). O que disseram no final do rali Sébastien Ogier, Volkswagen Polo R WRC # 1 "É um sentimento fantástico estar de volta ao topo do pódio depois desta longa travessia. Sinto-me na lua por ter repetido o sucesso do ano passado no Rali da Alemanha. A vitória na prova caseira da Volkswagen é extremamente importante para a nossa equipa, permitindo-nos dar um grande passo em direção ao título no campeonato. Naturalmente, estamos orgulhosos por dar esta prenda ao nosso diretor Jost Capito. Motorsport Information 4 www.volkswagen-motorsport.com www.volkswagen.pt Foi maravilhoso tê-lo como diretor da equipa e desejo-lhe o mesmo sucesso na Fórmula 1 que teve com a Volkswagen no WRC. O fim-de-semana não foi fácil para mim, mas queria vencer aqui. As condições climatéricas mudaram constantemente e foi extremamente difícil fazer uma previsão na escolha dos pneus. Esperei pacientemente pela minha oportunidade, e com os tempos no troço de “Panzerplatt” em particular, construi uma vantagem fundamental sobre os meus rivais.” Jari-Matti Latvala, Volkswagen Polo R WRC # 2 “Parabéns ao meu companheiro de equipa Sébastien Ogier. Ele conquistou pontos valiosos para a Volkswagen no campeonato. Infelizmente, foi um rali demasiado curto para mim e para o Miikka Anttila. Após o problema na caixa de velocidades na sexta-feira, não poderia fazer melhor do que o oitavo lugar na classificação dos construtores. Dois pontos na Power Stage representaram apenas uma pequena consolação no final. Naturalmente estou desapontado, mas por vezes a competição automóvel é assim. Segue-se o Rali de França, onde vencemos o ano passado, e lá vamos tentar novamente terminar no pódio.” Andreas Mikkelsen, Volkswagen Polo R WRC # 9 “De um modo geral, estou muito satisfeito com o nosso desempenho mas, com um pouco mais de sorte, o resultado poderia ter sido melhor. Todo o fim-de-semana foi dominado pela difícil seleção dos pneus, em cada zona de assistência. Optámos por uma estratégia totalmente diferente em diversas ocasiões, mas nem sempre tomámos as decisões mais acertadas. Entrámos em pleno ataque novamente no domingo, já que estávamos a competir com os dois competitivos Hyundai na discussão pelo segundo lugar. Queríamos dar a Jost Capito o melhor resultado possível pela última vez, pois vai deixar a equipa no final de Agosto. Para sempre ficarão os excelentes momentos vividos nestes últimos anos. Eu e o Anders temos muito a agradecer a Jost. Ainda em relação à Power Stage na Alemanha, a nossa escolha de pneus provocou um sobreaquecimento dos travões. Não consegui melhor do que o quarto lugar final, mas são pontos importantes para o campeonato.” Jost Capito, Diretor da Volkswagen Motorsport “Foi um momento muito emocionante para mim. Hoje foi a minha última presença numa prova com a Volkswagen, antes de iniciar o meu novo trabalho em setembro ", disse Jost Capito, Diretor da Volkswagen Motorsport. "Um dia que se tornou mais agradável pois estamos a comemorar a vitória de Sébastien Ogier e Julien Ingrassia. Realizaram um magnífico rali e estou particularmente satisfeito por vê-los de volta ao mais alto degrau do pódio, depois de alguns resultados menos conseguidos, pois tiveram de sofrer bastante nos ralis anteriores disputados em pisos de terra onde Motorsport Information 5 www.volkswagen-motorsport.com www.volkswagen.pt abriram sempre a estrada. Tal significou que foram reduzidas as hipóteses de ganhar, ao contrário de agora em que usufruíram de uma vantagem ligeira neste rali disputado em estradas de asfalto, com esta ordem de partida. Mas não foi fácil: condições climatéricas instáveis tornaram complicada a seleção dos pneus, não deixando espaço para erros. Estou também orgulhoso do desempenho de Andreas Mikkelsen e Anders Jaeger, que mostraram ser rivais dignos no início do rali. Infelizmente não foi o suficiente para conseguir o segundo lugar no final. Jari-Matti Latvala não teve sorte desta vez, na sequência de danos na caixa de velocidades do seu carro que o impediu de mostrar tudo o que poderia fazer aqui. Acho que vai voltar ainda mais forte no Rali da França. Vou estar atento e continuar a assistir aos seus desempenhos à distância.” E então aconteceu... ... A vingança do bolo. Jost Capito "presenteou" Jari-Matti Latvala com um bolo no Rali da Suécia em 2014. Para comemorar as 300 vitórias em classificativas, o bolo acabou no rosto do finlandês naquela época. Após o Rali da Alemanha chegou a “vingança” de Latvala: “brindou” com um bolo bem cremoso o rosto de Capito neste momento da despedida do Diretor da Volkswagen Motorsport. Classsificação Final 1. Sébastien Ogier / Julien Ingrassia, Volkswagen, 3h 00m 26,7s 2. Dani Sordo / Marc Martí, Hyundai, a 20,3s 3. Thierry Neuville / Nicolas Gilsoul, Hyundai, a 20,4s 4. Andreas Mikkelsen / Anders Jæger, Volkswagen, a 27,2s 5. Hayden Paddon / John Kennard, Hyundai, a 3m 34,8s 6. Mads Østberg / Ola Fløene, Ford, a 4m 31,2s 7. Esapekka Lappi / Janne Ferm, ŠKODA, a 8m 36,8s 8. Pontus Tidemand / Jonas Andersson, ŠKODA, a 8m 52,5s 9. Jan Kopecký / Pavel Dresler, ŠKODA, a 9m 44,2s 10. Armin Kremer / Pirmin Winklhofer, ŠKODA, a 10m 10,6s … 48. Jari-Matti Latvala / Miikka Anttila, Volkswagen, a 36m 33,3s Power Stage – 1. Thierry Neuville, Hyundai, 7m 54,9s; 2. Jari-Matti Latvala, Volkswagen, a 2,5s; 3. Sébastien Ogier, Volkswagen, a 2,6s Motorsport Information 6 www.volkswagen-motorsport.com www.volkswagen.pt Assim vão os Mundiais – Pilotos: 1. Sébastien Ogier, 169 pontos; 2. Andreas Mikkelsen, 110; 3. Hayden Paddon, 94; 4. Thierry Neuville, 94; 5. Jari-Matti Latvala, 89; 6. Dani Sordo, 86; 7. Mads Østberg, 78; 8. Ott Tänak, 52; 9. Kris Meeke, 51; 10. Craig Breen, 25; etc. Co-Pilotos: 1. Julien Ingrassia, 169 pontos; 2. Anders Jæger, 110; 3. John Kennard, 94; 4. Nicolas Gilsoul, 94; 5. Miikka Anttila, 89; 6. Marc Martí, 86; 7. Ola Fløene, 78; 8. Raigo Mõlder, 52; 9. Paul Nagle, 51; 10. Scott Martin, 25; etc. Construtores: 1. Volkswagen Motorsport, 256 pontos; 2. Hyundai Motorsport, 201; 3. M-Sport, 122; 4. Volkswagen Motorsport II, 121; 5. Hyundai Motorsport N, 96; 6. DMACK, 64; 7. Jipocar Czech National Team, 18; 8. Yazeed Racing, 4. Próxima prova – Volta à Córsega / Rali de França (29 de setembro / 2 de outubro)

 

PRODUTOS DAYCO

Produtos de motores Dayco vencedores do prémio Motor Internacional do Ano

Pelo quinto ano consecutivo, um motor premiado é projetado com conteúdo Dayco.

A Dayco, fornecedor líder de produtos de motores e sistemas de propulsão para os setores automóvel, industrial e pós-venda, anunciou que um motor construído com produtos e sistemas Dayco foi nomeado vencedor do Motor Internacional do Ano, pelo quinto ano consecutivo. No total, sete das doze categorias foram ganhas com motores concebidos com conteúdo Dayco.

O motor Ferrari V8 biturbo de 3,9 litros, vencedor da categoria Motor Internacional do Ano de 3,0 a 4,0 litros e da categoria Novo Motor, foi projetado utilizando uma transmissão de polia intermediária com acessórios Dayco. O motor turbo de três cilindros de 999 c.c. da Ford Motor Company, projetado utilizando o sistema Dayco de correia de distribuição na bomba de óleo para a transmissão primária da bomba de óleo, venceu a categoria Menos de 1 litro pelo quinto ano consecutivo. Na categoria de 1,0 a 1,4 litros, o motor três cilindros turbo de 1,2 litros da PSA Peugeot Citroen, também projetado com o sistema de correia de distribuição Dayco da bomba de óleo, bem como o tensor da correia distribuição, polia tensora, acessórios da correia de transmissão, acessórios do tensor e correia da bomba de água, ganhou nesta categoria pelo segundo ano consecutivo. E na categoria Mais de 4,0 litros, a Ferrari ganhou com o seu motor V12 de 6,3 litros, projetado com um tensor da correia Dayco.



motor-ferrari

 

EURASIA MOTORSPORT

 

LeSports by Eurasia Motorsport seek podium repeat as ELMS regroup in France

Hot off the heels of its first podium position in the European Le Mans Series, LeSports by Eurasia Motorsport head to Circuit Paul Ricard (26-28 August, 2016) in a bullish frame of mind.
With a strong second position in the bag at the Red Bull Ring in Austria, the team regroup in the south of France for the fourth round of the championship aiming to maintain fourth position in the championship and close down further the gap to those ahead.
 
Tristan Gommendy, Pu Jun Jin and Nick de Bruijn will once again pilot the #33 Oreca Nissan in what is another four-hour endurance event, aiming to continue the recent trend that has seen the team record two strong fifth placed finished and then the runner-up spot.
 
“As I said before, podium is where we’re at and that is solid progress over the season,” said LeSports by Eurasia Motorsport Team Principal, Mark Goddard. “We’re 14 points off third position in the championship standings, so that has to be our aim as we enter the second half of the European Le Mans Series season.
 
“The car is running well and Kevin Pu Jun Jin is making really good progress as well, especially in traffic, so we’re feeling pretty confident of a good showing at Paul Ricard.”
 
Round four of the European Le Mans Series gets underway in earnest with qualification at 14.15 CET on Saturday 27 August with the headline race starting Sunday at 13.20.
alt

 

MOTOS - BRASIL

 

O Team Rinaldi teve balanço mais do que positivo na quinta e penúltima etapa do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM para motocicletas, no último final de semana (20 e 21). O grande destaque foi Júlio César Ferreira, o mais rápido da classificação geral. Ele ainda quebrou a hegemonia do líder norte-americano Ian Blythe na categoria E2, sendo que as disputas tiveram como palco a região de Honório Bicallho, em Nova Lima (MG).

Em casa, o mineiro representou a equipe Zanol Team Rinaldi ASW Honda, que contou com as vitórias de Rômulo Bottrel na classe E1 e de Michel Cechet na Over 35, além do desempenho dos pilotos Bruno Martins (4º na E1) e Tunico Miranda (3º na E2). O Team Rinaldi ainda foi ao pódio com Ripi Galileu (2º da E3) e Riago Dilan (5º da E2). Os competidores utilizaram pneus dos modelos HE 40, RW 33 e SR 39, da linha off-road da fábrica gaúcha de pneus.

“O fim de semana foi perfeito e as vitórias em casa tiveram um gostinho ainda melhor”, contou Ferreira, satisfeito pela sua melhor performance na temporada 2016 do Brasileiro. “Foi uma prova muito difícil por conta do calor, da poeira e das especiais de alto nível técnico. Eu estava muito bem preparado e consegui ser veloz e superar as dificuldades. Estou muito feliz, já que a prova foi uma das mais difíceis do ano até o momento”, comemorou o piloto. A etapa final do Brasileiro de Enduro FIM será nos dias 24 e 25 de setembro em Itatinga (SP).

Brasileiro de Enduro de Regularidade – Mesmo em recuperação de uma lesão no joelho, Emerson Loth “Bombadinho” mostrou porque é o atual campeão da Master e venceu o Enduro das Neves, em Braço do Norte, neste fim de semana (20 e 21). O evento foi válido como a 13ª e a 14ª etapas do Campeonato Brasileiro de Enduro de Regularidade.

“Deu tudo certo. A prova foi muito difícil, com trechos rápidos e extremamente técnicos nos dois dias de disputas. A chuva castigou e deixou o desafio ainda mais pesado”, disse Bombadinho, vice-líder da Master. A decisão do campeonato será nos dias 24 e 25 de setembro em Ladário (MS), com a realização da 15ª e da 16ª etapas.

Sobre a Rinaldi – A Rinaldi iniciou as atividades em 1969 com 60 colaboradores e 15 mil m² de área fabril para produção de materiais de recauchutagem em Bento Gonçalves (RS). A empresa ampliou a produção com as câmaras de ar para as linhas automotiva, transporte e industrial na década de 80, além de introduzir a fabricação de pneus e câmaras de ar para as linhas de motocicletas, agrícola, industrial (não motorizada) e charretes.

A busca pela excelência refletiu em credibilidade no mercado e fortes parcerias. Muito mais que em espaço físico, com área fabril de 35 mil m², a Rinaldi cresceu na geração de empregos diretos, atualmente com 700 colaboradores, e conquistou reconhecimento no mercado.

A fábrica conta com a Certificação da Gestão de Qualidade ISO 9001:2008 e com o aval do INMETRO nos seus produtos da linha de motocicletas. Na área ambiental, a empresa possui o Certificado de Destruição Térmica, por destinar 100% dos seus resíduos sólidos a uma cimenteira para geração de energia. Para conhecer os produtos da Rinaldi, acesse o site oficial.  


J�lio C�sar Ferreira, piloto de enduro do Team Rinaldi, no Brasileiro de Enduro FIM em Nova Lima (MG)
Cr�dito: Divulga��o/Zanol Team Rinaldi ASW Honda

R�mulo Bottrel, piloto de enduro do Team Rinaldi, no Brasileiro de Enduro FIM em Nova Lima (MG)
Cr�dito: Divulga��o/Zanol Team Rinal

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Italian Grand Prix: September 2 – 4 2016

SELECTED SETS PER DRIVER

 The FIA communicated to Pirelli each team’s tyre choices for the forthcoming Italian Grand Prix (Monza 2-4 September).

alt

 

MOTOS - BRASIL

Confira os resultados da 5ª etapa do SuperBike Brasil

Etapa aconteceu neste domingo, dia 21 de agosto, no Autódromo de Interlagos

alt

Diego Faustino (#68), da equipe Honda, fez uma corrida impecável e venceu com folga a SuperBike
Johanes Duarte/VGCOM

 A 5ª etapa do SuperBike Brasil, o maior campeonato de motovelocidade das Américas, aconteceu neste domingo, dia 21 de agosto, no Autódromo de Interlagos (SP). Confira abaixo os resultados das corridas de todas as categorias.

Sem imprevistos, Faustino vence a 5ª etapa da SuperBike em Interlagos

Diego Faustino (#68), da equipe Honda, fez uma corrida impecável e venceu com folga a 5ª etapa da SuperBike, realizada no início da tarde deste domingo (21) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. E nem a chuva e a pista molhada foram capazes de atrapalhar os objetivos do piloto de Londrina (PR). Faustino entrou confiante para disputa desta rodada. Nas sessões classificatórias, fechou a melhor volta do ano, 1m36s808, e faturou a pole position. Consideravelmente mais rápido que os adversários, nem mesmo seu principal oponente desta temporada, Danilo Lewis (#17), da Tecfil Racing Team, foi capaz de combatê-lo.

O único susto sentido foi nos momentos iniciais da prova, logo após as luzes vermelhas se apagarem. Lewis largou melhor e conseguiu tomar a ponta ainda na primeira perna do ‘S’ do Senna. Entretanto, rapidamente o piloto da Honda retomou a liderança e em seguida começou a impor seu ritmo tradicionalmente intenso. Na abertura da terceira volta já tinha aberto mais de sete segundos de vantagem sobre os adversários. Sempre constante e sem cometer erros, Faustino liderou a prova até receber a bandeira quadriculada e comemorar mais uma vitória na carreira.

As duas posições seguintes ficaram com a equipe Honda. José Luiz "Cachorrão" (#51), que largou em quinto, fez uma excelente prova e mostrou que é bom de pilotagem em pista molhada. Primeiro ultrapassou Danilo Lewis e depois partiu para cima do italiano Sebastiano Zerbo (#81), da BMW Motorrad Alex Barros Racing, que falhou em se defender das constantes investidas de Cachorrão.

Já o terceiro lugar foi para Maico Teixeira (#36), da Honda. Ainda se recuperando de uma lesão na perna, devido a um acidente sofrido na etapa passada, o piloto conseguiu manter o ritmo dos ponteiros e sustentar mais um pódio este ano. Enquanto isso, Wesley Gutierrez (#134), da equipe Kawasaki Racing Team, terminou a prova na quarta colocação logo à frente de Zerbo em quinto.

Pela categoria SuperBike Pro Amador, o vencedor foi Fabricio de Castro (#75), da equipe BH Racing. Jeferson Marchesin Friche (#6), da HG Motos Racing, ficou com a segunda posição, seguido por Daniel Toloni (#3), da Misano Racing Team, em terceiro, Thomas C. da Silva (#123), da Cerciari Racing School, em quarto, e Alex Borges (#44), da Pitico Race Team, em quinto.

Na disputa da SuperBike Pro Estreante, a primeira posição foi para Davi Lara Costa (#12), da equipe JC Racing Team, que fez uma excelente corrida e terminou a prova em oitavo no geral. Já Luciano Pokemon (#77), da Pkm Racing, ficou com a vice-liderança da categoria.

E completando as disputas, o vencedor na SuperBike Pro Master – com pilotos acima de 45 anos – foi Jirios Semaan Abboud (#100), da BH Racing, com Elson Tenebra Otero (#2), da Suzuki/Econs/Best Riders, em segundo.

Edson Luiz supera favoritos e vence 5ª etapa da SuperBike Light

Edson Luiz (#99), da equipe Pitico Race Team, voou baixo e venceu a 5ª etapa da SuperBike Light, prova realizada na tarde chuvosa deste domingo (21) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. O piloto fez uma brilhante corrida de recuperação, largando da 9ª posição para alcançar os ponteiros somente nas voltas finais.

Ninguém esperava a vitória de Edson Luiz. Enquanto os dois líderes, Rodrigo Calmon Dazzi (#146), da Giro Moto, e Leandro Lopes (#58), da equipe No Limite R12, protagonizavam uma belíssima disputa pela ponta, o piloto da Pitico cerrou o punho e cravou contínuas voltas rápidas. E a distância de mais de 10 segundos para os dois não abateu o piloto. Visivelmente mais veloz, Edson quebrou o recorde da prova diversas vezes, alcançando a marca de 1m59s593, enquanto os dois líderes vinham numa pegada de 2m03s. E assim não deu outra. Na nona volta, Edson passou voando pelos adversários e já começou a abrir vantagem. Ninguém foi capaz de alcançá-lo. Edson Luiz cruzou a linha de chegada em primeiro para vencer a prova. Leandro Lopes sofreu uma queda nos momentos finais e a segunda posição ficou para Rodrigo Dazzi.

Outro piloto que obteve um ótimo desempenho foi Marcos Ramalho (#9), da equipe Pitico Race Team, que compete pela categoria Master. Ele largou em quinto, ganhou uma posição e sustentou o quarto lugar por praticamente toda a prova. Nos momentos finais, beneficiou-se de abandono de Leandro e ficou com a terceira posição no geral e a vitória na Master.

De volta ao resultado final de categoria Pro, Guto Figueiredo (#18), da equipe KT5/A2/Passaredo, faturou a terceira posição – 4º no geral. O piloto, que alinhou apenas na 13ª marca do grid, ganhou inúmeras posições e conseguiu faturar um importante lugar no pódio. Felipe Comerlatto (#186), da equipe Pro Racing Team, encerrou a prova em quarto, logo à frente de Alexandre Fernandes (#111), da Pitico Race Team, em quinto.

Pela categoria Master, o vencedor foi Marcos Ramalho, o terceiro no geral. Antonio Telvio (#5), da equipe Qatar Racing Team Brasil, faturou a vice-liderança e encerrou a prova logo à frente de Sergio H. Hidani (#135), da Misano Racing, em terceiro. Nelson de Oliveira (#145), da equipe Os impossíveis, foi o quarto a receber a bandeirada e Michel Abboud (#8), da BH Racing, completou o pódio na quinta posição.

Eric Granado vence com tranquilidade a 5ª etapa da SuperSport

Eric Granado (#51), da equipe Granado Sport Team, não deu bola para a pista molhada e nem para o tempo chuvoso da tarde deste domingo (21) em São Paulo. A fera do motociclismo nacional acelerou forte a sua Honda CBR 600R para vencer com facilidade a 5ª etapa da categoria SuperSport, realizada no Autódromo de Interlagos.

Visivelmente mais rápido que os adversários, Eric Granado fechou volta após volta com tempos dignos de sessões classificatórias e encerrou a corrida com incríveis 44 segundos de vantagem, ou seja, quase quatro segundos por volta, em média, mais veloz que o então vice-líder. Sem imprevistos durante toda a prova, a única ameaça à vitória de Granado ocorreu logo na largada. Maximiliano Gerardo (#41), da equipe Motonil Motors, começou melhor e tomou a ponta, porém, temporariamente. Já na Reta Oposta, o piloto da Granado Sport Team retomou a posição para não mais deixá-la.

Sem conseguir alcançar o ponteiro, o piloto uruguaio também fez uma corrida solitária. A vice-liderança de Gerardo não foi ameaçada em nenhum momento e ele recebeu a bandeirada em segundo. Enquanto isso, a principal disputa da prova ocorreu nas posições seguintes. Um pelotão formado por cinco competidores protagonizou uma série de belas ultrapassagens. Lucas Torres (#77), da Pitico Race Team, acabou levando a melhor.

O piloto não começou muito bem a prova e acabou perdendo posições logo após a largada. Porém, apertou o ritmo e conseguiu recuperar o tempo perdido. Lucas ultrapassou o atual campeão Matheus de Oliveira Dias (#70), da Motom, e o então líder do Campeonato Paulista, Alex Schultz (#22), da Dynel's Racing Team, e pulou para a terceira posição. Já nas voltas finais, brigou intensamente com seu xará Lucas Bittencourt (#202), da Paulinho SuperBikes, que para sua sorte acabou sofrendo uma queda e abandonando a prova. Resultado: caminho aberto para Lucas Torres receber a bandeirada em terceiro. Na sequência, Schultz foi o quarto a cruzar a linha de chegada e Pedro Sampaio (#28), da Tecfil Racing Team, o quinto.

Pela categoria SuperSport Pro Amador, o vencedor da 5ª etapa foi Diego Viveiros (#231), da equipe Tecfil Racing Team. Cristiano Aquino Nogueira (#26), da equipe MCW Racing Team, ficou com a segunda posição na prova, seguido por Rafael Dadario (#86), da Viana Racing, em terceiro. Leandro Ramos Esposito (#32), da Pitico Race Team, chegou logo atrás, em quarto, e Luis Ferraz (#13), da Tecfil Racing Team, completou o pódio em quinto.

Em disputa emocionante, Renzo vence a 5ª etapa da Honda CBR 500R

Renzo Ferreira (#13), da equipe Team Rabid Transit, venceu a 5ª etapa da Copa Honda CBR 500R, realizada no final da manhã deste domingo (21) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Com o tempo bastante fechado e a pista molhada, a briga pelas primeiras posições foi intensa e a vitória definida somente na última volta. Renzo começou bem a corrida e já na abertura da segunda conseguiu ocupar a ponta. Porém, o piloto enfrentou adversários de alto gabarito como Leonardo Tamburro (#53), da equipe Honda MotoSchool de Talentos, e Arthur Costa (#99), da Alemão Pneus, e liderança acabou pulando de mãos em mãos.

Estes três pilotos seguiram na ponta e as maiores emoções ficaram resguardadas para os momentos finais. Praticamente lado a lado, Renzo e Arthur protagonizaram uma bela série de ultrapassagens na abertura da última volta, quando Renzo tomou a ponta na Reta dos Boxes e Arthur deu o troco na curva ‘S’ do Senna. Em seguida, a presença de um retardatário apimentou ainda mais a disputa. Porém, Arthur acabou errando, ao forçar uma ultrapassagem, e passou reto numa curva – conseguindo voltar para a pista, mas dando adeus à vitória.

Com isso, Renzo e Tamburro entraram na reta final completamente sozinhos. Renzo recebeu a bandeirada em primeiro e o adversário da equipe Honda MotoSchool de Talentos, logo atrás, em segundo. Já Arthur Costa conseguiu se recuperar do erro cometido e finalizar a prova na terceira posição.

Seguindo a ordem dos primeiros colocados, Davi Gomide (#31), da equipe MotoSchool Racing Team, ficou com a quarta colocação, logo à frente de José Duarte (#97), da Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, que encerrou a corrida em quinto.

Pela Copa Honda CBR 500R Light, o vencedor foi Rafael Rigueiro (#52), da equipe MotoSchool Racing Team. A vice-liderança ficou com Alexandre Dal' Olio Franca (#82), da Fullmann SuperBike, seguido por Maria Fernanda Rocha (#22), da Fullmann SuperBike, em terceiro.

Na categoria Teen, Renzo somou mais uma vitória, com Davi Gomide em segundo e Rafael Rigueiro em terceiro. Guilherme Brito (#19), da equipe Team Estrella Galicia 0,0 by Alex Barros, foi o quarto colocado e Maria Fernanda Rocha fechou o pódio na quinta posição.

Meikon Kawakami vence com facilidade a 5ª etapa da SuperStreet

Meikon Kawakami (#83), da equipe Playstation Yamaha, fez uma corrida consistente e venceu a 5ª etapa da categoria SuperStreet, realizada na manhã chuvosa deste domingo (21) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Já pela Yamaha R3 Cup – que participou do mesmo grid – a primeira colocação foi para Rafael Gomes Traldi (#128), da equipe Motonil Motors.

Com poucas surpresas na decorrer das 10 voltas da corrida, Meikon fez uma prova bastante segura e regular. O piloto, que largou na ponta, chegou a ser ultrapassado por Sandro Paganelli (#64), da Paganelli Racing, logo após a largada, mas rapidamente retomou a posição. Na terceira volta já havia começado a abrir vantagem sobre os adversários. Meikon seguiu na ponta e o maior risco que sofreu não veio de nenhum competidor e sim do céu: o recomeço da chuva já nos momentos finais de prova. Porém, a vitória estava em suas mãos e o piloto recebeu a bandeirada com uma vantagem tranquila de 12 segundos.

Já o seu irmão, Eliton Kawakami (#27), da equipe Playstation Yamaha, ficou com a segunda posição na prova. Logo nas primeiras voltas, o garoto assumiu a vice-liderança e chegou a tentar a aproximação do ponteiro. Porém, com a pista molhada e o risco de uma possível queda, Eliton diminuiu a pegada e ficou logo atrás.

O terceiro lugar no geral foi para Rafael Gomes Traldi (#128), da equipe Motonil Motors. O piloto enfrentou um verdadeiro duelo com Niko Ramos (#822), da Tecfil Racing Team, pela posição que representava a liderança na Yamaha R3 Cup. Os dois revezaram a ponta na categoria e entravam sempre na Reta dos Boxes com uma distância mínima entre eles. A definição saiu apenas na volta final, quando Niko acabou cometendo um erro e abandonando a disputa. Com isso, Traldi foi o terceiro a cruzar a linha de chegada e o vencedor da Yamaha R3 Cup. O deslize de Niko custou caro. Ficou com a vice-liderança entre as Yamahas, porém, caiu para quinto no geral.

Na sequência, Sandro Paganelli, que chegou a vislumbrar a liderança logo após a largada, não conseguiu manter o ritmo forte e acabou perdendo posições. O piloto encerrou a prova em quarto no geral e terceiro na SuperStreet. Seguindo a ordem dos mais bem colocados na categoria de 300 cm³ multimarcas, Gilmar Ferreira Barbosa (#45), da Paulinho SuperBikes, ficou com a quarta posição no pódio, encerrando a prova à frente de Diogo Moreira (#20), da Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros, em quinto.

Pela Yamaha R3 Cup, a terceira posição foi para Humberto Turquinho Jr (#12), da equipe Estrela Gallicia 0,0 by Alex Barros, seguido por Flávio Brito de Souza (#76), da Playstation Yamaha, em quarto, e por Ricardo Matiussi (#1), da Tocha Racing Team, em quinto fechando o pódio. 

Paganelli recupera liderança nos metros finais para vencer a 5ª etapa da Ninja 300

Emoção do início ao fim. A disputa da 5ª etapa da Copa Kawasaki Ninja 300 teve tudo o que os espectadores mais gostam numa corrida de motovelocidade: dezenas de ultrapassagens, pegas de tirar o fôlego e recuperações incríveis. Com um clima bastante instável no início da tarde deste domingo (21) e a pista do Autódromo de Interlagos molhada, Sandro Paganelli (#64), da equipe Paganelli Racing, mostrou toda sua habilidade e controle da moto em condições pouco favoráveis e, principalmente, a calma para tomar a ponta no momento certo.

Paganelli largou na frente, porém, em nenhum momento teve vida fácil. Isso porque já nas primeiras voltas passou a ser perseguido de perto por Jeferson Souza (#707), da equipe Tecfil Racing Team, e por Fernando Santos (#234), da Tecfil Racing Team. Por sinal, Fernando fez um início de prova sensacional: pulou da 10º posição na largada para brigar pela ponta.

Estes três pilotos impuseram um ritmo intenso e disparam na frente. Na segunda metade da corrida, Sandro e Fernando protagonizaram os momentos mais emocionantes da prova. Os dois revezaram a liderança e chegaram a quase se tocar na sétima volta. Nos últimos momentos, Fernando conseguiu tomar a liderança e abrir a volta final na frente. O pelotão dos ponteiros com os três pilotos seguiu para completar a corrida e o resultado ainda estava completamente indefinido. Fernando entrou na reta dos boxes em primeiro com Sandro, praticamente ao seu lado. O piloto da Paganelli Racing conseguiu pegar o vácuo, fazer a ultrapassagem e cruzar a linha de chegada à frente, com uma vantagem mínima de três centésimos. Fernando Santos acabou ficando com a segunda posição e Jefferson Souza - vencedor da categoria Light – em terceiro no geral.

Na sequência, dois pilotos da Copa Kawasaki Ninja 300 Light receberam a bandeirada: Bruno Ribeiro (#169), da equipe Rota Baus, cruzou em quarto (2º na Light) e Gilmar Ferreira Barbosa (#45), da Paulinho SuperBikes, em quinto (3º na Light). De volta à categoria Pro, a terceira posição ficou com Bruno Cesar Borges (#51), da Gilberto Motos, seguido por Fábio Jandaia (#10), da Motocar Racing, em quarto, e por Kioman Munoz (#9), da Team Castrol, em quinto.

E completando o pódio da categoria Light, Kleber Santos (#213), da Girão Racing, faturou a quarta posição e Saulo Carillo (#621), da Atalla Escapes, o quinto lugar.  

Bruno Gonzalez se dá bem com pista molhada e vence 4ª etapa Junior Cup

Bruno Gonzalez (#98) venceu a disputa da 4ª etapa da categoria-escola Honda Junior Cup, realizada na manhã deste domingo (21) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Com o céu bastante encoberto e com períodos de chuva, o jovem piloto teve um grande desempenho com sua moto Honda CG Titan 160 acelerando em pista molhada.

Bruno largou em primeiro e logo nas voltas inicias disparou na frente, mantendo a liderança segura e sem a ameaça dos adversários em momento algum. Com o controle total da corrida, o piloto chegou a abrir uma vantagem de 11 segundos para o então vice-líder. Sem sustos – exceto ao subir na zebra durante ultrapassagem em um retardatário – Bruno Gonzalez completou as oitos voltas da prova e comemorou sua primeira vitória no campeonato logo após receber a bandeirada.

A segunda posição ficou com Léo Marin (#46). O jovem piloto aproveitou a queda de Lincoln Lima Melo (#29) – que abandonou a etapa ainda na primeira volta – e em seguida passou a disputar a vice-liderança da corrida com Felipe Macan (#2). Marin venceu essa briga, e ao entrar na quinta volta já ocupava a posição que sustentou até cruzar a linha de chegada. Com o resultado, Léo Marin ultrapassou Lincoln na tabela classificatória e agora é o novo líder do campeonato.

Alexandre Gonzalez (#89) ficou com o terceiro lugar no pódio. O piloto fez uma excelente prova. Largou da oitava colocação e aos poucos foi ultrapassando os adversários e ganhando posições. Felipe Macan (#2), que largou em quinto, encerrou a prova na quarta posição. Já Leopoldo Manella (#53) completou o pódio da categoria com o quinto lugar.

Este resultado é extraoficial e está sujeito a verificações técnicas. 

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.  

Ingressos para ARQUIBANCADA são GRATUITOS. Informações Adicionais: Tel.: 11 5524-5684 ou pelo site: www.superbike.com.br 

SuperBike Brasil 

6° SuperBike Brasil:  11 de Setembro - Curitiba (PR) (nova data e nova praça)

7° SuperBike Brasil: 23 de Outubro - Santa Cruz (RS) ou Londrina (PR)

8° SuperBike Brasil: 13 de Novembro - Goiânia (GO)

9° SuperBike Brasil: 04 de dezembro - Curitiba (PR) (nova data e nova praça)

Siga-nos também nas redes sociais: 

Facebook: facebook.com/Superbikeoficial

Twitter: //correio.portugalmail.pt/imp/@SuperBikeBrasil" target="f5ATBPYRo99XvES7MNGQXBA">@SuperBikeBrasil

Youtube: www.youtube.com/superbikebrasil

Instagram: instagram.com/superbikebrasil

alt


 


Bruno Gonzalez (#98) venceu a disputa da 4ª etapa da categoria-escola Honda Junior Cup
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Bruno Gonzalez (#98)
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Sandro Paganelli (#64), da equipe Paganelli Racing, recupera liderança nos metros finais para vencer a Ninja 300
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Meikon Kawakami (#83), da equipe Playstation Yamaha, vence com facilidade a SuperStreet
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Renzo Ferreira (#13), da equipe Team Rabid Transit, venceu a Copa Honda CBR 500R
Naty Schultz
baixar em alta resolução

 


Diego Faustino (#68), da equipe Honda, fez uma corrida impecável e venceu com folga a SuperBike
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Eric Granado (#51), da equipe Granado Sport Team, vence com tranquilidade a 5ª etapa da SuperSport
Paulo Henrique Cruz/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Edson Luiz (#99), da equipe Pitico Race Team, voou baixo e venceu a 5ª etapa da SuperBike Light
Paulo Henrique Cruz/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio da categoria principal SuperBike | 5ª etapa SuperBike Brasil
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio da SuperBike Light | 5º etapa SuperBike Brasil
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio da categoria SuperSport | 5ª etapa SuperBike Brasil
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio da categoria SuperStreet | 5ª etapa SuperBike Brasil
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução

 


Pódio da Copa Kawasaki Ninja 300 | 5ª etapa do SuperBike Brasil
Johanes Duarte/VGCOM
baixar em alta resolução
 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

CAMPEONATO NACIONAL DE CLÁSSICOS

 

CIRCUITO DE VILA REAL

 

Grupo de imagens  referentes a uma das curtas corridas de clássicos em VIla Real.

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 9090_CopyFOX 9091_CopyFOX 9092_CopyFOX 9093_CopyFOX 9094_CopyFOX 9095_CopyFOX 9097_CopyFOX 9098_CopyFOX 9099_CopyFOX 9100_CopyFOX 9100_CopyFOX 9101_CopyFOX 9102_CopyFOX 9103_CopyFOX 9104_CopyFOX 9104_CopyFOX 9110_CopyFOX 9111_CopyFOX 9112_CopyFOX 9113_CopyFOX 9111_CopyFOX 9112_CopyFOX 9113_CopyFOX 9114_CopyFOX 9116_CopyFOX 9118_CopyFOX 9123_CopyFOX 9126_CopyFOX 9127_CopyFOX 9128_CopyFOX 9129_CopyFOX 9130_CopyFOX 9132_CopyFOX 9133_CopyFOX 9133_CopyFOX 9134_CopyFOX 9135_CopyFOX 9135_CopyFOX 9137_CopyFOX 9139_CopyFOX 9140_CopyFOX 9141_CopyFOX 9142_Copy

 

RAMPA DE MURÇA JÁ EM SETEMBRO

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA 

 

RAMPA DE MURÇA JÁ EM SETEMBRO

 

 

A fantástica Vila de Murça, terra de tradições no automobilismo nacional aposta mais uma vez no Campeonato Nacional de Montanha Valvoline que se realizará nos dias 10 e 11 de Setembro. As conhecidas curvas de Murça que ligam a Vila até ao Miradouro, serão o palco da Rampa Porca de Murça. Um traçado dos mais técnicos e exigentes das provas de Montanha em Portugal.

Com a responsabilidade organizativa do CAMI Motorsport, os homens do CAMI têm a responsabilidade de organizar uma prova de excelência e proporcionar aos pilotos publico e entidades que apoiam o evento um espectáculo de excelência. As várias edições da Rampa Porca de Murça sob alçada do CAMI, obriga a uma atenção redobrada, para isso, o CAMI em articulação com a Câmara Municipal de Murça implementou melhorias significativas na organização da Rampa Porca de Murça.

“Atendendo ao facto de a prova este ano se desenrolar obrigatoriamente em 2 dias, obrigou-nos a alterar significativamente a parte logística do evento. O que, resultará num salto qualitativo para todos. Basicamente estamos a criar uma maior proximidade durante o evento entre organização, pilotos, entidades e imprensa. O que, originará um maior impacto mediático da Rampa Porca de Murça”. CAMI Motorsport

As inscrições estão a decorrer a bom ritmo e encerram a 2 de Setembro

Programa: 

Sábado dia 10

14.30hrs Fecho de PistaCARTAZ-RAMPA-PORCA-DE-MURCA Copy
15.30hrs 1ª Subida de treinos
16.30hrs 2º Subida de Treinos
17.30hrs 1º Subida Oficial

Domingo dia 11

09.45hrs Fecho de Pista
10.30hrs Treino livre
11.30hrs 2ª Subida Oficial
12.30hrs 3ª Subida Oficial
16.00hrs Entrega de Prémios (Parque urbano de Murça)

 

JOSÉ PEDRO GOMES EM 2º EM FAMALICÃO

JOSÉ PEDRO GOMES NO PÓDIO EM FAMALICÃO

 

José Pedro Gomes ao volante do seu Ford Escort WRC com que participa habitualmente no Campeonato de Montanha, ficou em segundo lugar na Super Especial Nocturna de Famalicão.Segundo José Pedro Gomes " participei sómente com o intuito de me divertir, de estar com os amigos, sem pretensões a grandes posições.Fiz o meu melhor, e acabei na 2ª posição " disse-nos.FOX 4479_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

ANTEVISÃO GRANDE PRÉMIO PIRELLI DA BELGICA

13ª Ronda de 21

Spa-Francorchamps, Belgica, 25-28 Agosto 2016

 

 

Após um pequeno interregno de verão, a Fórmula 1 regressa a um dos mais épicos circuitos de todos; Spa-Francorchamps na Bélgica. Os compostos P Zero Médio, Macio e Supermacio  foram os nomeados para o circuito mais longo da época com 7.004 quilómetros,  que coloca elevadas cargas aerodinamicas sobre os pneus. De facto,  Spa-Francorchamps proporciona um desafio multi-facetado para os pneus, também extensível aos pilotos e equipes. Este histórico circuito no sopé de Ardennes é reconhecido pelas condições meteorológicas variáveis, devido ao microclima existente, fornecenddo um parâmetro adicional para as estratégias a considerar.

 

O CIRCUITO DO PONTO DE VISTA DOS PNEUS:

  •  As longas e rápidas curvas, contribuem para que as cargas sob os pneus sejam as maiores da época.
  •  Variadas elevações da pista provocam forças verticais nos pneus através da compressão, como por exemplo a Eau Rouge.
  •  A chuva é provável, mas é frequente chover numa parte do circuito e não chover na outra.
  •  O Set-up não é facil, uma vez que é o compromisso entre uma baixa resistência para as retas e uma eficaz aerodinâmica para as curvas.
  •  Existem muitas opções e pontos de ultrapassagem, o que significa que as opções de estratégia são múltiplas.
  •  A F1 regressa, e após Spa segue diretamente para o circuito da casa Pirelli – Monza.

 

 

OS TRÊS COMPOSTOS NOMEADOS:

  •  Médio branco: um conjunto obrigatório que deve estar disponível para a corrida pela sua versatilidade, desempenho e durabilidade.
  •  Macio amarelo: outro conjunto obrigatório que deverá aparecer na corrida, não sendo ideal para grandes turnos.
  •  Supermacio vermelho: será usado para a qualificação com o intuito na performance e desempenho e não na durabilidade..

 

 

COMO FOI NO ANO PASSADO:

  •  Lewis Hamilton venceu confortavelmente com uma estratégia de duas paragens, trocando pneus nas voltas 13 e 30.
  •  A melhor estratégia alternativa: Max Verstappen que partiu da 18ª posição da grelha e terminou na oitava posição. Utilizou uma estratégia com três paragens e ultrapassou inúmeros carros na pista.

 

PAUL HEMBERY, PIRELLI MOTOSPORT DIRECTOR:

 

“Spa-Francorchamps não precisa de apresentações como um dos circuitos mais icónicos. Para os pneus, é uma pista exigente com diversas cargas e pressões que a fazem como uma experiência única em condução. Não é fácil achar o Set-up ideal, mas com a sua longa distância e inúmeras zonas de ultrapassagem, existem muitas e diferentes estratégias possiveis. Durante a paragem de verão iniciámos os testes para as medidas dos pneus 2017, e estamos ansiosos para uma movimentada segunda parte de temporada, bem como  continuamos com os nossos testes e também seguiremos diretamente para a corrida na nossa casa no fim de semana seguinte à Belgica.”

 

O QUE HÁ DE NOVO?

  •  Não houve alterações significativas à pista e infraestruturas de Spa-Francorchamps neste ano.
  •  Esteban Ocon torna-se piloto de Fórmula 1, assumindo o lugar de Rio Haryanto na Manor.

 

 

OUTROS ASPETOS QUE NOS CHAMARAM A ATENÇÃO RECENTEMENTE:

 

  •  A Pirelli esteve em primeiro plano em Spa no passado mês, com as prestigiantes 24 horas. Foi o maior evento de sempre da empresa Italiana, equipando um total de 65 carros, mais de 10.724 pneus e 29,269 voltas realizadas.

 

  •  Os testes aos pneus de 2017 com os carros modificados, tiveram inicio no começo do mês com a Ferrari em Fiorano (com os Pilotos Sebastian Vettel e Esteban Gutierrez com pneus de chuva) e a  Red Bull em Mugello (com o piloto Sebastian Buemi em Slicks).

 

A NOMEAÇÃO DOS COMPOSTOS DE PNEUS ATÉ À DATA:

 

 

Roxo

 

Vermelho

 

Amarelo

 

Branco

 

Laranja

Austrália

Supermacio

Macio

Médio

Bahrein

Supermacio

Macio

Médio

China

Supermacio

Macio

Médio

Rússia

Supermacio

Macio

Médio

Espanha

Macio

Médio

Duro

Mónaco

Ultramacio

Supermacio

Macio

Canadá

Ultramacio

Supermacio

Macio

Azerbaijão

Supermacio

Macio

Médio

 

Austria

Ultramacio

Supermacio

Macio

GreatBritain

Macio

Médio

Duro

Hungria

Supermacio

Macio

Médio

Alemanha

Supermacio

Macio

Médio

Bélgica

Supermacio

Macio

Médio

Itália

Singapura

Ultramacio

Supermacio

Macio

Malásia

Macio

Médio

Duro

Japão

Macio

Médio

Duro

Est. Unidos

Supermacio

Macio

Médio

México

Supermacio

Macio

Médio

Brasil

Macio

Médio

Duro

Abu Dhabi

Ultramacio

Supermacio

Macio

 

 

OFFICINE PANERAI

 

OFFICINE PANERAI: dois novos relógios com função Equação do Tempo

 

LUMINOR 1950 EQUATION OF TIME 8 DAYS GMT TITANIO – 47mm

 

As úteis funções dos dois novos modelos Luminor 1950 combinam-se com uma das complicações mais poéticas da alta relojoaria:

a Equação do Tempo, com um indicador linear no mostrador.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Imagens PAM00656 https://we.tl/EoLzBZ8I0u | Imagens PAM00670 https://we.tl/IK6eulJfBz

 

Na relojoaria, existem funções que são extremamente úteis e existem também funções que, por outro lado, conseguem fazer com que um relógio de pulso estimule a imaginação e proporcione prazeres subtis que os entusiastas têm oportunidade de experienciar ao estar em contato com a alta relojoaria de alta qualidade. Os dois novos modelos Luminor 1950 Equation of Time 8 Days GMT combinam estes aspetos com uma mestria digna do estilo autêntico Panerai.

 

O segredo destas duas novas criações, que se distinguem pela cor azul ou castanha do mostrador e da  correia, é o movimento P.2002/E, um calibre de corda manual com uma reserva de marcha de oito dias, desenvolvido e produzido inteiramente pela Manufatura da Panerai em Neuchâtel. Com um diâmetro de 13 3/4 linhas e 329 peças, o calibre P.2002/E possui muitas funções úteis: a função GMT, com um ponteiro central para o segundo fuso horário e indicador am/pm no pequeno mostrador dos segundos às 9h; a data com indicação do mês no contador às 3h; uma reserva de marcha de mais de oito dias, graças a três barriletes, com indicação do tempo remanescente no fundo; o mecanismo que detém o balanço e repõe os segundos a zero para sincronizar com precisão o relógio com um sinal de referência; e o dispositivo para mudar o ponteiro das horas rapidamente sem interferir com o funcionamento do relógio.

 

Mas a diferença entre o P.2002/E e a versão básica P.2002 é a equação do tempo que consiste na medição da diferença entre o tempo atual e o tempo convencional usado no quotidiano. Trata-se de uma complicação clássica de Alta Relojoaria, que remete para a ligação ancestral entre a medição do tempo e a astronomia. Devido à órbita elíptica da Terra à volta do Sol e da inclinação do eixo do planeta em rotação em relação ao equador, um dia tem uma duração exata de 24 horas apenas quatro vezes no ano, enquanto nos outros dias existe uma diferença entre o tempo aparente (dia solar) e o tempo convencional que pode variar até 15 minutos antes ou depois, dependendo da altura do ano. Esta diferença é medida e apresentada no mostrador dos dois novos modelos do Luminor 1950 Equation of Time 8 Days GMT através de um indicador linear no mostrador às 6h.

 

O calibre P.2002/E pode ser admirado através do vidro de safira no fundo da caixa do Luminor 1950, que é em titânio escovado, um material hipoalergénico com excelentes qualidades de leveza, robustez e resistência à corrosão. O design e as dimensões da caixa (47 mm) são as dos relógios mais clássicos da Panerai com o icónico dispositivo de ponte com alavanca que protege a coroa contra choques acidentais e, ao mesmo tempo, assegura uma hermeticidade até 10 bares (equivalente a uma profundidade de cerca de 100 metros).

 

As duas versões do novo Luminor 1950 Equation of Time 8 Days GMT distinguem-se pela cor da correia em pele de crocodilo e do mostrador, que podem ser ou castanho intenso (PAM00656) ou um fascinante azul metálico (PAM00670), obtido por um processo especial de deposição física de vapor (PVD - physical vapour deposition). Os mostradores de ambos os relógios têm a estrutura sandwich com o sofisticado acabamento escovado e estão protegidos por um vidro de safira ligeiramente convexo em perfeita harmonia com o design do bisel.

 

Luminor 1950 Equation of Time 8 Days GMT é apresentado numa elegante caixa em madeira de pereira, e contém também uma segunda correia de borracha, uma ferramenta para alterar a correia e uma chave de fendas em aço inoxidável.

 

 

OFFICINE PANERAI

Fundada em Florença, em 1860, como laboratório, loja e escola de relojoaria, a Officine Panerai abasteceu a Marinha italiana em geral durante muitos anos, assim como os seus agentes especiais de mergulho em particular, com instrumentos de precisão. Os designs concebidos pela Panerai nessa altura, incluindo o Luminor e o Radiomir,

foram abrangidos pela Acta de Segredo Militar durante muitos anos e foram apenas lançados no mercado internacional após a marca ter sido adquirida pelo Grupo Richemont em 1997. Hoje em dia, a Panerai desenvolve e

produz os seus movimentos e relógios na sua manufatura em Neuchâtel. Os últimos modelos são uma mistura perfeita entre design italiano com conhecimento de relojoaria suíço. Os relógios Panerai são vendidos em todo o mundo através de uma rede exclusiva de distribuidores e boutiquesPanerai.

 

Equation of_Time_Pam656_CopyEquation of_Time_PAM670_Copy
 

SAVA APRESENTA

 

Sava apresenta novo tamanho de pneu de atrelado

 

Novo tamanho complementa a gama de pneu de direção Avant 4Plus e gama de pneus de tração Orjak 4Plus

 

A Sava, uma das principais marcas de pneus do Sudeste Europeu, acaba de lançar um novo tamanho da gama de pneus de atrelado Cargo 4, dirigida ao mercado de mega atrelados, cada vez mais utilizados. A baixa altura do atrelado, obtida com o tamanho 435/50R19.5, permite às frotas operarem atrelados com 100 m3 de capacidade de volume.

Sava Cargo 4_435-50 R195_view4_Side_LRO novo Cargo 4 435/50R19.5 da Sava é um pneu de atrelado com qualidade europeia, a preços competitivos. Com altos níveis de versatilidade e aderência em piso molhado, para além de boa durabilidade e alto nível de recauchutagem, o novo pneu complementa as gamas de pneu de condução Avant 4Plus e pneu de direção Orjak 4Plus, lançadas recentemente.

Os pneus de camião Sava satisfazem as necessidades de operadores de veículos comerciais mais conscientes dos custos e o novo pneu de atrelado alarga a escolha”, esclareceu Benjamin Willot, Diretor de Marketing de Pneus para Veículos Comerciais da Goodyear Europa, Médio Oriente e África. “Os mega atrelados com 100 m3 de capacidade são cada vez mais importantes no transporte europeu e requerem pneus de camião especiais. Estamos muito satisfeitos por lançar este pneu que não só oferece qualidade europeia, como também contribui para manter os custos operacionais baixos e tem um preço acessível”.

A inclusão do pneu de atrelado de baixo perfil 435/50R19.5, na já extensa gama de pneus de estrada para camião Sava proporciona ainda mais opções aos operadores de veículos que procuram qualidade a preços acessíveis. O novo Cargo 4 435/50R19.5 com classificações da etiqueta de pneu UE de B na Resistência de Rolamento, C na Aderência em Piso Molhado e 70 dbA e uma onda no Ruído Exterior, já está disponível e pode ser reesculpido e recauchutado.

 

Gama de Pneus de Camião Sava

A gama de pneus de estrada para camião Sava oferece às frotas atentas aos custos, uma ampla variedade de tamanhos muito usados. A gama atual inclui o pneu de condução Avant 4Plus, o pneu de direção Orjak 4Plus e o pneu de atrelado Cargo 4, e abrange tamanhos de baixa relação largura/altura cada vez mais usados, de que o novo tamanho é prova. Para veículos de serviços mistos que operam na estrada e fora desta, a Sava dispõe da gama MS e para veículos municipais o pneu para todas as posições City U4 é uma boa opção. Todos os pneus de camião Sava podem ser reesculpidos e recauchutados.

 

Acerca de Sava

Sava é uma das marcas líder dentro do portefólio de produtos Goodyear e um dos fabricantes de pneus mais reconhecidos do centro e Sudeste da Europa. O seu nome é originário da Eslovénia onde a Goodyear conta com uma fábrica e oferece uma ampla gama de pneus para veículos comerciais e de turismo. Os pneus Sava são vendidos por toda a Europa e exportados para outras partes do mundo. Dentro do mercado são reconhecidos como produtos de qualidade com tecnologia Goodyear.Sava Cargo_4_435-50_R195_view4_Side_LR_Copy

 

TCR WORLD &LIFE

 

TCR World & life
Issue #5 is online !
The e-magazine dedicated to all the TCR series and championships worldwide
In this issue:
- Guest columnist: Neil Hudson
- International Series lands in Asia
- Feature: car sharing to cut the budget
- Reports: a global round-up
- TCR World wide news
- Standings of Regional and National series
- What's next: event calendar
READ 'TCR World & life' now!
alt

 

FERNANDO XAVIER COMPROU NOVA CARROÇARIA

FERNANDO XAVIER COMPROUFOX 8291_Copy NOVA CARROÇARIA

 

Depois da Carambola ocorrida na prova do Nacional de Clássicos, Fernando Xavier que se viu envolvido neste incidente, teve de comprar uma nova carroçaria caomo nos confirmou " os danos no meu Volkswagen Scirocco foram mais extensos do que eu pensava, por isso tive de adquirir uma nova carroçaria.Tive medo de não encontrar o que precisava, mas fewlizmente nos arredores do Porto havia um sucateiro com aquilo que precisava.Nesta fase, já estamos a montar o carro, com vista à próxima prova ", disse-nos

 

SPRINT RACE - BRASIL

 

Vitória na 30ª Cascavel de Ouro vai valer também participação na Sprint Race Brasil

Corrida de longa duração mais tradicional do Paraná anuncia vaga no grid da categoria fundada por Thiago Marques como prêmio adicional

A parceria da Sprint Race Brasil com o Automóvel Clube de Cascavel na 30ª edição da prova Cascavel de Ouro vai além da junção dos dois eventos na programação de 23 de outubro no Autódromo Internacional Zilmar Beux, em Cascavel (PR). Além de cumprir sua sétima etapa na mesma programação da corrida mais tradicional do automobilismo paranaense, a categoria criada em 2012 também premiará os participantes da prova longa disputada desde 1967.

Além dos troféus tradicionais e da premiação em dinheiro já anunciada quando da divulgação dos regulamentos técnico e desportivo da 30ª Cascavel de Ouro, um dos pilotos inscritos será contemplado com a participação em uma corrida da Sprint Race Brasil. O prêmio caberá a um dos integrantes da dupla ou do trio vencedor da 30ª Cascavel de Ouro, que terá duração de quatro horas e grid formado por carros da categoria Marcas & Pilotos 1.6.

"A Cascavel de Ouro é um grande evento, que ressurgiu há dois anos de uma forma legal, com um bom trabalho de mídia, isso é muito interessante para o automobilismo", observa Thiago Marques, promotor da Sprint Race Brasil. "Incentivar o automobilismo regional é um dos princípios do nosso campeonato. Premiar o vencedor da Cascavel de Ouro é uma oportunidade positiva", diz Marques, que é piloto e disputa a Copa Petrobras de Marcas pela RZ-Toyota.

O prêmio oferecido pela Sprint Race Brasil contempla isenção de todos os custos técnicos para um dos pilotos vencedores da 30ª Cascavel de Ouro disputar a primeira etapa do campeonato de 2017, cujo calendário de eventos está em fase final de elaboração. "O prêmio viabilizado pelo Thiago Marques é um incentivo que vai motivar os pilotos e elevar ainda mais o nível da Cascavel de Ouro", considera o presidente do ACC, Juraci Massoni.

Uma das características que mais têm chamado atenção dos pilotos de automobilismo para a Sprint Race Brasil é a relação custo-benefício, apontada por Marques como "a mais convidativa do automobilismo brasileiro". Os carros têm chassi tubular, pneus slick aro 18", posição central de pilotagem e motor V6 de 260 cavalos, que desenvolvem velocidades finais de até 250 km/h. As etapas são exibidas na televisão pelos canais Bandsports e PlayTV.

A Sprint Race Brasil têm patrocínio da Alpina, Pirelli, Ecopads, Vaz, Fremax e Rio Custom.

 

Sprint Race desembarca em Cascavel em outubro (Luciano Santos/SigCom)

Sprint Race desembarca em Cascavel em outubro (Luciano Santos/SigCom)
Alta  | Web

Etapa de Cascavel será a sétima da temporada 2016 (Luciano Santos/SigCom)

Etapa de Cascavel será a sétima da temporada 2016 (Luciano Santos/SigCom)
Alta  | Web

Sprint Race terá etapa na preliminar da 30ª edição da Cascavel de Ouro (Luciano Santos/SigCom)

Sprint Race terá etapa na preliminar da 30ª edição da Cascavel de Ouro (Luciano Santos/SigCom)
Alta  | Web


 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO DE VILA REAL

 

Grupo de imagens referentes a uma das "curtas"corridas ocorridas no circuito de vIla Real

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 8247_CopyFOX 8248_CopyFOX 8250_CopyFOX 8251_CopyFOX 8253_CopyFOX 8256_CopyFOX 8257_CopyFOX 8258_CopyFOX 8262_CopyFOX 8264_CopyFOX 8265_CopyFOX 8266_CopyFOX 8267_CopyFOX 8268_CopyFOX 8269_CopyFOX 8270_CopyFOX 8271_CopyFOX 8272_CopyFOX 8273_CopyFOX 8274_CopyFOX 8275_CopyFOX 8276_CopyFOX 8277_CopyFOX 8278_CopyFOX 8279_CopyFOX 8280_CopyFOX 8282_CopyFOX 8283_CopyFOX 8284_CopyFOX 8285_CopyFOX 8285_CopyFOX 8287_CopyFOX 8288_CopyFOX 8291_CopyFOX 8292_CopyFOX 8293_CopyFOX 8294_CopyFOX 8295_CopyFOX 8295_CopyFOX 8296_CopyFOX 8297_CopyFOX 8299_CopyFOX 8301_CopyFOX 8302_Copy

 

DISCURSO DIRECTO COM FLÁVIO SAINHAS

 

DISCURSO DIRECTO

 

Mas infelizmente, a comunicação social, em Portugal, só se recorda se existem provas de desporto automóvel no nosso país quando acontece alguma desgraça.

flaVIO1 Copy

FLAVIO2 CopyFLAVIO3 CopyFLAVIO4 CopyFLAVIO5 CopyFLAVIO6 CopyFLAVIO7 CopyFLAVIO8 CopyFLAVIO9 CopyFLAVIO10 CopyPALAVRAS DE Flávio Sainhas, um dos melhores valores no Nacional de Montanha

 

O ditado é vem velho e antigo, “sem ovos, não se fazem omeletes”, e é infelizmente isso que se aplica a Flávio Sainhas, que com muitos sacrifícios, vai participando no Campeonato Nacional de Montanha, onde em cada prova que participa, a vitória em termos de categoria é sua pertença. Assim sendo Flávio Sainhas é um grande valor no Nacional de Montanha, não entrando em exageros, dando o seu espectáculo em cada prova e que participa.

 

Desta feita fomos conversar com o piloto da Covilhã, que curiosamente já é  a segunda geração ao volante deste competitivo Ford Escort, como nos começou por explicar “ quem começou a correr com este carro foi o meu Pai, que chegou a uma certa alturas me passou o “testemunho” e cá estou eu……”

 

 

 

 

 

 

Falemos de Si

 

Nome  completo: Flávio Nascimento Sainhas

 

Idade e local de nascimento: 28 anos, nascido na Covilhã

 

Profissão: Mecânico Automóvel

 

Carros dos sonhos: Ford Mustang GT500

 

Carro actual do dia a dia: BMW 330  E90

 

Carro com que compete actualmente e  categoria: Ford Escort MK1 RS2000, categoria 5

 

Piloto/pilotos preferidos: sem duvida alguma, o meu pai. Depois posso acrescentar o lendário Niki Lauda e ainda Simon Mckinley e Tiago Monteiro

 

Categorias do automobilismo que habitualmente vê na televisão: Formula 1,  GT, Spor Protótipos

 

É visitante do www.velocidadeonline.com ? Sim, visitante assíduo. Gosta da informação apresentada? Gosto bastante. Para o melhorar mais, quais as sugestões que nos poderá dar ?  Maior divulgação de provas regionais .

 

 

 

 

Quais as razões que levaram Flávio Sainhas para o Nacional de Montanha em detrimento doutras categorias, o que logo o jovem piloto respondeu Para já, estou a competir no Nacional de Montanha porque o meu carro, que outrora foi guiado pelo meu pai neste mesmo campeonato, está feito para provas de montanha. No entanto, não descarto de possibilidade de vir a competir noutros campeonatos”. Sobre a sua curta carreira “A minha carreira começou aos 20 anos quando acabei de preparar um ford Escort mk1 1300cc que o meu pai me havia dado aos 12 anos . A minha estreia foi num Troféu Regional de Autocross com esse carro, e permaneci no autocross durante cerca de 4 anos.  O gosto pelas corridas veio, obviamente, por influência do meu pai que correu durante alguns anos no Nacional de Montanha e que desde cedo me incentivou e me proporcionou as condições necessárias para que eu pudesse entrar em corridas.”Por isso pedimos para nos fazer um pequeno resumo do seu palmarés”Iniciei-me em 2008 com o Ford Escort MK1 1300cc e até 2012 realizei diversas provas do Troféu Regional de AutoCross, como já havia referido. Em 2012 deixei as provas na terra e fiz algumas alterações no carro para poder correr no asfalto. Nesse mesmo ano participei na Super Especial de Gouveia e na Rampa Sprint Cidade da Covilhã (Canhoso).Em 2013, com o mesmo carro, fiz a Rampa de Sobral da Serra, a Rampa da Faia e novamente a Super Especial de Gouveia e a Rampa Sprint Cidade da Covilhã (Canhoso).No ano de 2014, com 25 anos, o meu pai deu-me o Ford Escort MK1 RS2000 (o carro com que corro actualmente) e a minha estreia no CNM foi na Rampa da Serra da Estrela onde obtive o 4º lugar da Categoria. No mesmo ano realizei ainda a Rampa de Porca de Murça (2º lugar da Categoria), a Rampa do Caramulo (1º lugar da Categoria) e, fora do CNM particiei no Rally Cidade da Covilhã (1º lugar da geral, 1º da categoria e 1º da classe), a Super Especial de Gouveia e a Super Especial de Aveiro. Em 2015, e no que diz respeito ao CNM, participei na Rampa da Serra da Estrela (2º lugar da Categoria), na Rampa de Santa Marta de Penaguião (2º lugar da Categoria), na Rampa Porca de Murça (2º lugar da Categoria) e na Rampa do Caramulo (2º lugar da Categoria).Este ano e até ao momento, participei em 3 provas do CNM (Serra da Estrela, Santa Marta de Penaguião e Caramulo) e obtive o 1º lugar da categoria em todas elas.

 

 

 

Pedimos ao nosso entrevistado de hoje para nos dar a sua opinião sobre o seu carro, o que depois de meditar um pouco disse-nos “O Ford Escort é um clássico de tracção traseira, onde não existem as ajudas com as quais contamos nos carros de hoje em dia e, por isso, a sua condução torna-se mais difícil principalmente quando é levado aos limites.”Sobre as qualidades e defeitos desta carro continuou “As melhores qualidades do meu carro são a nível de fiabilidade, segurança e rapidez. A pior qualidade é mesmo a falta de ajudas que o tornam um pouco "falso" quando é levado aos limites. “Mas a verdade é que este Escort está longe do seu nível máximo de preparação como nos confirmou “Sem dúvida. Existem muitas alterações que ainda é possível fazer no carro para o tornar ainda mais competitivo. A seu tempo lá chegaremos...

 

 

 

Nas provas que fazem parto do calendário do Nacional de Montanha, quais as que mais e menos gosta e porquê? Gosto muito da Rampa da Serra da Estrela, não só por "correr em casa" mas também pelo próprio traçado da prova. É uma Rampa que exige muita técnica e reflexos muito rápidos. Outra Prova que gosto muito de fazer é Santa Marta de Penaguião, essencialmente porque tem uma parte muito sinuosa. Relativamente à que menos gosto, posso mencionar a Rampa do Caramulo. É uma prova muito curta e rápida, com curvas pouco acentuadas. “Sobre o actual calendário de provas do Campeonato Nacional de Montanha deu-nos a sua opinião “Acho que este ano, o CNM está mais interessante. Categorias novas, provas novas e concorrentes novos acabaram por trazer mais competitividade ao Campeonato.  Considero que 8 provas é o suficiente mas as mesmas deveriam ser melhor distribuídas pelo país. Portugal, felizmente, tem estradas incríveis e com excelentes condições para a realização de provas de montanha.”

 

 

 Em competição em algum momento sentiu que estava a a arriscar demais? O que passou pela sua mente nesse momento? Levantar o pé, ou acelerar ainda mais? “Aconteceu-me isso este ano, na Rampa da Serra da Estrela, mais precisamente na curva das Sete Fontes. Na última subida de prova de domingo, o asfalto aparentava já se encontrar seco e por isso, resolvi arriscar e levar o meu carro ao limite em todas as curvas. No entanto, e inesperadamente, na zona das Sete Fontes a pista ainda estava húmida e eu só que me apercebi disso quando entrei na curva. Senti o carro a deslizar e a sair de controle. Nesse momento senti que tinha arriscado demais e a única solução era manter o acelerador a fundo para não perder a tracção.”

 

 

 

Mudando de assunto,  qual a sua opinião sobre o actual preços das inscrições para as provas do Campeonato Nacional de Montanha ?Achas os preços elevados? Na sua opinião acha que deveriam haver prémios monetários para os três primeiros classificados de cada categoria ?”Apesar de os preços de algumas inscrições estarem mais baixos este ano, continuo a achar que o automobilismo português, nomeadamente o Campeonato Nacional de Montanha, é pouco "acessível" em termos monetários. Prémios monetários para, pelo menos, os três primeiros lugares seria uma excelente forma de atrair ainda mais participantes e aumentaria, em grande escala, a competitividade no CNM.”Acha que quanto à taça que recebem, poderia ser dispensada? “Não. Na minha opinião, a taça que recebemos e a ida ao pódio acaba por ser a recompensa por todo o esforço e dedicação.”

 

 

 

Qual a sua opinião sobre a actuação da APPAM  nas provas do Campeonato Nacional de montanha ? Acha o seu papel importante na defesa dos interesses dois pilotos de Montanha ?Acha que a APPAM poderia fazer melhor ?” Sou sócio da APPAM desde o ano de 2015 e é notável o trabalho que esta Associação tem vindo a desenvolver. Considero que tem um papel importantíssimo na defesa dos nossos interesses e na nossa representação junto da FPAK. Claro que existem sempre aspectos que podem ser melhorados mas tudo a seu tempo...Qual a sua opinião sobre a actuação da FPAK no Campeonato Nacional de Montanha? Acha que poderia fazer mais ???”Há ainda muito a fazer para tornar o CNM num campeonato mais competitivo, mais justo e mais aliciante não só para quem participa como para quem assiste e para quem patrocina. Este ano, as alterações feitas ela FPAK já vieram melhorar em alguns aspetos o CNM mas há ainda muito mais a fazer.”

 

O que o levou a escolher este modelo em detrimento de outro ?”Este é o carro com que o meu pai corria e com o qual foi campeão na categoria Clássicos nas épocas de 2008 e 2009. Cresci a vê-lo conduzir Escort's e desde cedo, esta foi também a minha paixão.” Somente por curiosidade, será que nos pode dar uma ideia de custos de uma época no Nacional de Montanha ? Até ao momento, ainda não fiz nenhum CNM completo mas posso dizer que, em média, gasto por prova 1300,00€. Claro que a este valor ainda temos de somar o desgaste do carro. “É de opinião que se deveriam fazer regulamentos para baixar os custos de provas? Na sua opinião que medidas preconizava para isso ?”Sou da opinião que baixar os custos das provas iria ajudar e muito, ao desenvolvimento do desporto automóvel no nosso país.” 

  Alguma vez sentiu medo ou insegurança quando estava em prova ?Medo acho que nunca senti... mas insegurança senti, sem dúvida, na primeira vez que conduzi o Escort na chuva com pneus slick. É uma experiência a não repetir….”

 

 

 

 No decorrer de uma prova, para si qual é o momento em que se sente mais nervoso? Que faz para combater esse nervoso? Tem, algum ritual quando entra para o seu carro, ou quando coloca o capacete e o Hans? Não tenho nenhum ritual quando entro para o carro. O momento de maior nervosismo é quando estou na linha de partida a aguardar o sinal verde e até hoje, não encontrei nenhuma forma de combater esses segundos de nervosismo que desaparecem mal arranco.

 

 

 

 Acha que as provas de rampa em, Portugal tem segurança suficiente ?E as pistas? No seu ponto de vista o que se poderia fazer mais para o incremento da segurança nas rampas e pistas em Portugal “Em Portugal, tanto em rampas como em pista, as regras de segurança existem, estão regulamentadas mas são muitas vezes descuradas. Obviamente existem muitos aspectos que podem e devem ser melhorados como a formação dos comissários e as próprias condições das estradas/pistas onde são realizadas as provas. “Actualmente para se poder correr tem de se ter patrocionadores?Como faz para angariar os mesmos? Sim... para conseguir suportar os custos que este deporto implica, é essencial poder contar com alguns apoios financeiros.Esta época, para conseguir angariar novos patrocinadores, redigi um projeto desportivo com toda a informação pertinente e entreguei em algumas organizações/instituições que prontamente se dispuseram a apoiar-me.”

 

Quais são os seus patrocinadores e o que fazem cada um deles

 

Câmara Municipal de Belmonte: 

 

- Sildicons: 

 

- JRanito Design: 

 

- Fio de Azeite Taberna: 

 

- Tacofrota: 

 

- MXC: 

 

- Salsicharia

 

- Fuchs: 

 

- Interprev: 

 

- VCR BMW: 

 

- Desafio dos Números: 

 

Fala-se por vezes que em provas de montanha e pista, os comissários de pista chegam a ultrapassar debaixo de bandeiras amarelas. Na sua opinião o que se deveria fazer para acabar com estas situações de pura “batota”. A forma mais fácil de acabar com estas situações seria a aplicação de castigos/punições aos infractores.” Voltando ao tema de segurança, acha que em Portugal se tenha de correr com o sistema Hans e outros sistemas de segurança? Tendo em conta a realidade económica não deveria haver por parte da entidade federativa uma maior flexibilidade? “Se há aspecto em que considero que não de deve poupar, é na segurança. Efetivamente, o hans  e os restantes equipamentos representam custos muito elevados mas considero-os imprescindíveis para a nossa segurança.”

 

 

Muito se tem falado da falta de promoção do automobilismo em Portugal, nas diferentes vertentes. Na sua opinião o que se poderia fazer mais, e que tipo de medidas poderiam ser implementadas, com o intuito de haver maior divulgação. “Se os jornais nacionais e os canais de televisão nacionais dessem mais importância ao automobilismo e aos pilotos portugueses, a divulgação deste desporto seria mais e melhor. Mas infelizmente, a comunicação social, em Portugal, só se recorda se existem provas de desporto automóvel no nosso país quando acontece alguma desgraça.

 

Entrevista de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

 

 

TCR NA TAILANDIA

TCR NA TAILANDIA

 

 

Rounds 15 & 16 – Buriram, Thailand – 27 / 28 August 2016

PREVIEW

 

TCR’s Asian leg begins this week in Thailand


The TCR International Series will resume this weekend at Buriram’s Chang International Circuit, following an eight-week summer break after the meeting in Sochi. The Thai event also marks the beginning of the Asian leg that will later call at Singapore, Sepang and Macau, where the season will come to an end on November 20.

The series raced at Buriram last year, when all the drivers and teams members were amazed to discover the state-of-the-art Chang International Circuit designed by Hermann Tilke that had been inaugurated in 2014.

The track layout is well-suited to Touring Car competition, providing several overtaking places and corners where three or four cars can run abreast.

In last year’s event Pepe Oriola and Stefano Comini took a win apiece, in a weekend that saw the SEAT cars dominate their rivals. The Craft-Bamboo Lukoil team posted a 1-2-3 in Race 1 (Oriola, Gené and Afanasyev) and Target Competition then returned a 1-2 in Race 2 with Comini and Hezemans. It was a weekend to forget for the Honda and Volkswagen cars, all victims of technical issues or race incidents; notably Gianni Morbidelli who saw his hopes to stay in contention for the title washed away by a drive-through for jump-start in Race 1 and an engine failure in Race 2.

The TCR International Series will hit the track on Saturday, with two 30-minute Practice sessions and Qualifying, split into Q1 (20 minutes) and Q2 (10 minutes, for the twelve fastest in Q1).

The two races will then be run back-to-back on Sunday, in the early afternoon.

 

TCR in Buriram – the event at a glance

 

Lap distance: 4.54 km

Race distance: 14 laps

Start: standing

Grids: determined by the Qualifying results (Q1+Q2) with top-10 reversed for Race 2

 

Timetable:   
Saturday, 11:00/11:30            Free Practice 1

Saturday, 13:00/13:30            Free Practice 2

Saturday, 15:30/16:05            Qualifying (Q1 + Q2)

Sunday, 12:35                          Race 1

Sunday, 14:05                          Race 2

 

all times: GMT +7

 

 

Maximum success ballast for Comini in Thailand

 

It will be the Leopard Racing Volkswagen Golf Gti driven by Stefano Comini that will carry the 30 kilos of maximum success ballast in the next race meeting of the TCR International Series that will take place in Thailand, at Buriram’s Chang International Circuit.

The reigning champion emerged as the best scorer in the latest event at Sochi, Russia; the Swiss collected 40 points (pole position, victory in Race 1 and fifth place in Race 2) that propelled him on top of the standings once again.

WestCoast Racing’s Mikhail Grachev – the winner of the second race in his home country’s event – scored 37 points, meaning that his Honda Civic will be laden by 20 kilos of success ballast, while Comini’s teammate Jean-Karl Vernay (31 points for him in Russia) will carry 10 extra kilos.

With these success ballasts added to the BoP, the running weights of the three cars will be: 1315 kg for Comini’s Golf, 1335 kg for Grachev’s Civic and 1295 kg for Vernay’s Golf.

The SEAT cars of the other title contenders – Pepe Oriola, James Nash and Mat’o Homola – will run on 1315 kilos.

 

 

Six drivers will be engaged in a close fight for the title

 

Over a third of the season still lies ahead before the 2016 TCR International Series will crown its second champion ever. And the title fight is red-hot, with six drivers covered by 37 points when a possible 220 are still at stake.

Stefano Comini and Pepe Oriola, the 2015 champion and runner-up respectively, are on top of the standings once again; the Swiss and his Leopard Racing Volkswagen Golf have regained the leadership after Sochi, but Oriola lies only one point behind in the Craft-Bamboo Lukoil SEAT Le ó n.

A further six points adrift is Oriola’s teammate Janes Nash, while Comini’s Leopard Racing colleague Jean-Karl Vernay is currently fourth with a gap of 22 points. Only one further point behind him is another SEAT driver, B3 Racing Team’s Mat’o Homola.

And although Gianni Morbidelli (WestCoast Racing Honda Civic) has declared himself out of contention after a string of disappointing results, he can’t be ruled out as a change of luck might put the former F1 racer in the position to significantly cut his 37-point gap.

The rest of the field has only theoretical chances, beginning with Sergey Afanasyev (Craft-Bamboo Lukoil) who is seventh, 51 points behind the leader .

 

 

Top Run Motorsport re-joins from Buriram with new Subaru

 

Top Run Motorsport will re-join the TCR International Series for the Asian rounds, starting with the next event in Thailand. The Italian engineering company took part in the first two race meetings of the season, in Bahrain and Portugal, before electing to temporarily suspend racing to focus on the technical development of the Subaru WRX TCR car.

Team manager Renato Russo explained: “Following the meeting we had in Tokyo with Subaru STi, we have built a brand new car that features a number of technical improvements and some new parts that are better suited to the TCR regulations. The new car successfully went through an intensive testing programme and was later shipped to Thailand where our technical staff will be assisted by David Rowe of MoTec for the engine management and Hiroshi Nakagawa of TEIN for the dampers.”

All the testing was conducted by the official tester Luca Rangoni, who was also joined by Luigi Ferrara; the latter drove the Subaru in Barhain and will be at the wheel again in Buriram.

“We have also upgraded our first car to the same specifications – the one that was raced in the last events of 2015 and in the first two of the current season – and that has been shipped to Singapore. We will run both cars there, in Malaysia and at Macau,” Russo added.

 

 

A strong Thai contingent enhances the field to 26 cars

 

The TCR International Series field will reach a season high of 26 cars in Buriram, thanks to the addition of a strong Thai contingent.

Thailand was one of the first countries to embrace the TCR concept and launch its own racing series. Promoted by Racing Spirit within the frame of the popular Thailand Super Series, TCR Thailand has already completed two race meetings (both at Buriram), featuring about ten cars. Some of its competitors will take part in the TCR International Series event at Buriram, eager to show off themselves against the international stars.

Vattana Motorsport will field a couple of young drivers who are among the fastest in the national series: Narasak Ittiritpong (Honda Civic) and Jack Lemvard (SEAT León). Three other SEAT cars will be run by the Kratingdaeng Racing Team for Grant Supaphongs, Alexander Mies (a 24-year old German with a solid Touring Car experience) and Taipei’s Chen Jian Hong.

Nattachak Hanjitkasen and Kanthadee Kusiri will be at the wheel of Honda Civic cars for the TBN MK Ihere Racing Team and the Eakie BBR Kaiten respectively, while Paritat Bulbon (Sloth Racing) and Rattanin Leenutaphong (Yontrakit Racing Team) will race SEAT cars. Leenutaphong will be the fourth lady driver to join the series in the current season after the Italian trio of Michela Cerruti, Alessandra Neri and Carlotta Fedeli.

Munkong Sathienthirakul will provide the icing on the cake, driving a Volkswagen Golf for the Liqui Moly Team Engstler. He had already made a one-off appearance last year at Buriram, winning the TCR Asia class in a SEAT run by the Craft-Bamboo Racing.

 

ENTRY LIST

 

 

Rafaël Galiana’s return with WestCoast Racing

 

Rafaël Galiana has a soft spot for Asia. After taking part in last year’s events at Singapore, Buriram and Macau, the French driver returns to the TCR International Series and will drive a WestCoast Racing Honda Civic in Thailand.

An amateur racing driver, Galiana is also known as ‘Mr Tecpro’; in fact after several years of research and development, in 2000 he launched a safety barrier that proved much more effective than the tyre walls that were previously used in most of the circuits. Today Tecpro collaborates with FIA, FIM, and a number of National Sporting Authorities and works together with renowned racetrack designers and architects.

 

 

Live streaming and timing from Thailand and Russia

 

The TCR International Series event in Buriram will be covered live on the web with streaming and timing, as well as the TCR Russia from the Smolensk Ring, according to the timetable here below:

 

TCR International Series, Buriram www.tcr-series.com and www.tcr-series.tv )

Saturday, 11:00 (06:00 CET) – Free Practice 1, timing

Saturday, 12:55 (07:55 CET) – Free Practice 2, timing and streaming

Saturday, 15:25 (10:25 CET) – Qualifying, timing and streaming

Sunday, 12:25 (07:25 CET) – Race 1, timing and streaming

Sunday, 13:55 (08:55 CET) – Race 2, timing and streaming

 

(all times local, GMT +7)

 

TCR Russia, Smolensk www.tcr-series.tv and www.smp-rskg.tv )

Saturday, 09:30 (08:30 CET) – Free Practice, timing

Saturday, 11:25 (10:25 CET) – Qualifying, timing

Saturday, 14:10 (13:10 CET) – Race 1, timing and streaming

Sunday, 15:15 (14:15 CET) – Race 2, timing and streaming

 

(all times local, GMT +3)


Click to Download
DOWNLOAD down_pdf.jpg
Click to Download
DOWNLOAD down_pdf.jpg
Click to Download

 

2016 FIA HILL CLIMB MASTERS

 

2016 FIA HILL CLIMB MASTERS

REGISTRATION FOR THE “MASTERS” IS OPEN – AND FREE!

 

The second edition of the FIA Hill Climb Masters is coming up soon and registration is now open for this exceptional event that will take place in Šternberk (CZE) on 8 and 9 October.

 

In less than 7 weeks, the top hill climb competitors will invade the small Czech town of Šternberk, in the Olomouc region of the Czech Republic, to compete in the second edition of the FIA Hill Climb Masters on a 3.3 km course. This biennial competition is of a different variety that aims to place the spotlight on this challenging discipline and its expert drivers.

In addition to the classic individual time trial race, where the winners will be awarded gold, silver or bronze medals, there is the Nations Cup, where team spirit and pride will prevail for the four drivers chosen by each federation to represent their country. The winners of the 2014 Nations Cup were the Italians.

The Hill Climb Masters has specific eligibility criteria. The parameters were established in order to guarantee that the event was both one of quality and variety: quality as only drivers who are ranked at the top in several championships of the current year are eligible; variety because the criteria are not only based on the absolute best classifications. Group classifications, including groups specific – and unique – to certain national championships, are also able to register. In that way, certain cars, ineligible for the European Championship but recognised in a national championship, can enter the Masters – in Category 3 which is intended for them – and measure themselves against the top competitors of the FIA Championship and Cup. This makes the competition even more attractive and this element undeniably adds a little spice to it!

REGISTRATION IS NOW OPEN, AND FREE 

Most international and national Championships are now coming to a close and the names of drivers eligible for a spot in the Masters start cropping up. Registration can therefore open. It is open as of today and will remain open until midnight on 21 September. As was the case in 2014, it is free of charge to all participants! All drivers benefit from this offer thanks to the joint effort of the club organiser (AMK Ecce Homo), the Czech ASN (ACCR) and the FIA.

Without going into the details related to the eligibility conditions set out in Article 6 of the Sporting Regulations governing the competition (available here), the criteria to be fulfilled in order to be included on the entry list for the Masters are:

  • be classified in the first 12 of one of the two categories of 2016 FIA European Hill Climb Championship;
  • be classified in the first 12 of one of the three intermediate classification categories (as of 19 September) of the 2016 FIA International Hill Climb Cup;
  • be classified in the first 5 in a general classification of a 2016 national Championship (by category) or in the first 3 in the group classification of a 2016 national Championship;
  • be classified in the first 3 of a 2016 FIA zone Championship.

A few additional places could be granted, such as to the top Junior driver (under 25 years) and top female driver chosen by their ASN, as well as some wild cards, special invitees who have performed remarkably well, of whom the candidate dossiers will need to be supported by the ASN and selected by the FIA Hill Climb Commission.

Together, all these criteria and conditions ensure that the FIA Hill Climb Masters will bring together a field that is varied in terms of cars, cosmopolitan in terms of its drivers and definitely of high quality.

 

 Banner Poster_2016_FIA_Masters_Copy

 

MOTOS - BRASIL

 

Pedro Sampaio conquistou posição de destaque na corrida da categoria SuperSport, válida pela quinta etapa do SuperBike Brasil. Mesmo com chuva e asfalto molhado, o piloto gaúcho foi o quinto mais rápido e alcançou o pódio no Autódromo Internacional de Interlagos, em São Paulo (SP), neste domingo (21).

O SuperBike Brasil, principal campeonato de motovelocidade do país, reuniu grandes feras para as disputas. Sampaio largou na quarta posição e esteve no grupo de elite em todos os momentos da prova. “Choveu bastante e a pista ficou escorregadia, o que causou muitas quedas. As condições estavam complicadas para todos os pilotos”, contou o representante da equipe Tecfil Racing Team.

Sampaio está na briga direta pelo título da classe para motos de 600 cilindradas. Com o resultado na quinta etapa, ele deixa a liderança da SuperSport escapar por apenas um ponto (78 contra 79 pontos ganhos do uruguaio Maxiliano Gerardo). “Fui agressivo no início da corrida e depois resolvi ser mais conservador, já que o principal foco é o campeonato”, continuou.

A sexta etapa do SuperBike Brasil está marcada para o dia 11 de setembro em Curitiba (PR). Sampaio retorna à pista já no próximo fim de semana (27 e 28) para a quarta etapa do SBK Gaúcho de Motovelocidade no Velopark, em Nova Santa Rita (RS). Ele é o atual líder da SuperSport e luta pelo sexto título estadual da carreira.

Pedro Sampaio tem patrocínio de Anker Acessórios, Pastorello Estruturas Metálicas, Pirelli, Tecfil Racing e Havoline. O piloto conta com o apoio de Garage das Motos, Extreme By Xiru e Moto Clube Bento Gonçalves.

Resultado da corrida da SuperSport – 5ª etapa do SuperBike Brasil 2016
1º - Eric Granado
2º - Maximiliano Gerardo
3º - Lucas Torres
4º - Alex Schultz
5º - Pedro Sampaio (#28, equipe Tecfil Racing)


Pedro Sampaio acelera pela SuperSport na quinta etapa do SuperBike Brasil 2016
Cr�dito: Gilmar Rose/Mundo Press

Pedro Sampaio no p�dio da SuperSport na quinta etapa do SuperBike Brasil 2016
Cr�dito: Naty Schultz/Mundo Press

 

ESPIMODEL 2016 EM ESPINHO

 

Aproximam-se a passos largos as duas primeiras semanas de Setembro, o que, como já todos sabem, é para nós, Núcleo de Modelismo de Espinho, motivo de alegria mas também tempo de muito trabalho, sobretudo nos últimos dias do mês de Agosto e nos primeiros do mês de Setembro. Como tem sido hábito ao longo dos anos, as primeiras semanas de Setembro são sempre dedicadas à realização da ESPIMODEL.

      Para a ESPIMODEL 2016 (de  03 a 11 de Setembro - http://www.espimodel.com)

 

NISSAN É NOTICIA

 

AS PESSOAS POR DETRÁS DA TECNOLOGIA PROPILOT: UMA ANTROPOLOGISTA E A CONDUÇÃO AUTÓNOMA

 

Projetar o veículo autónomo do futuro implica reunir os melhores talentos técnicos disponíveis: engenheiros mecânicos e de software, peritos em inteligência artificial e tecnologia de sensores, cientistas informáticos, especialistas em produção, entre tantos outros.

Mas um profissional que provavelmente não esperaria ver na mesa de projetos – o antropologista – está a desempenhar um papel fundamental no desenvolvimento do veículo autónomo de próxima geração da Nissan, analisando as interações da condução humana para garantir que esse veículo estará preparado para ser um "bom cidadão" na estrada.

 

Imagens Relacionadas

Imagens Relacionadas

 

KARTING NO BRASIL

 

Pilotos renomados e competidores de dez estados disputam Norte Brasileiro de Kart, no Pará
Um dos principais campeonatos do país acontece nesta semana em Castanhal, com 90 pilotos na lista de pré-inscritos. Inscrições ainda estão abertas, e também podem ser feitas pessoalmente no Kartódromo
A cidade de Castanhal, localizada a cerca de 70 quilômetros da capital paraense Belém, se prepara para receber nesta semana a 3ª edição do Campeonato Norte Brasileiro de Kart, uma das principais competições do país. São esperadas grandes disputas em todas as categorias, que terão em seus grids pilotos de destaque do automobilismo nacional e competidores de dez estados diferentes, que vão à pista do Kartódromo Bené Maranhense a partir desta quarta-feira (24). As inscrições para o Campeonato ainda estão abertas e podem ser feitas pelo email  Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar ou pessoalmente na secretaria de provas na pista.

Representante do Maranhão na Stock Car, Rafael Suzuki competirá em duas categorias no campeonato, a Graduados e a Sênior 2T. Há 15 dias, ele participou da etapa do Campeonato Paraense, que serviu como Open da disputa, e aprovou o circuito paraense.

Assim, Suzuki convidou seu adversário nas pistas da Stock Car, o curitibano Ricardo Zonta, que também correu na Formula 1 entre 1999 e 2001 e 2004 e 2005, e vai disputar a categoria Sênior 2T, assim como seu conterrâneo Thiago Marques, piloto do Campeonato Brasileiro de Marcas e fundador da Sprint Race Brasil - categoria nacional de Turismo, na qual os dois melhores colocados das categorias Sênior 2T e da Novatos/Super Sênior 2T terão a oportunidade de participar de uma etapa.

Na categoria Junior, três jovens pilotos se dividem entre competições no Brasil e na Europa. Com apenas 13 anos, Gianluca Petecof é um dos principais nomes da nova geração do kartismo, e com diversos títulos no Brasil e Estados Unidos, ele acabou de voltar da disputa do Campeonato Europeu de Kart. Além disso, Petecof já esteve no Kartódromo de Castanhal, com apenas 8 anos, quando acompanhava seu pai à uma reunião de trabalho na cidade. Victor Schoma e Henri Forest também competem no Velho Continente, o Troféu Academia da FIA, e logo após disputarem o Norte Brasileiro, viajam para Suécia, para a última etapa do campeonato.

No total, já são 90 pilotos garantidos na disputa, e a expectativa é que sejam superadas as 100 inscrições, já que muitos competidores costumam assegurar sua participação apenas no início dos treinos. Dez estados diferentes estarão representados no Campeonato, que cresce e se consolida mais a cada edição.

Os treinos para o Norte Brasileiro de Kart acontecem entre quarta e quinta-feira, enquanto no dia seguinte, serão realizadas a tomada de tempos e a 1ª bateria. No sábado, a 2ª bateria classificatória será disputada antes da grande final, que define todos os campeões, que levam troféus e muitas premiações, que somam mais de R$ 250 mil.

A 3ª edição do Campeonato Norte Brasileiro é organizada pela FAEM (Federação de Automobilismo do Estado do Maranhão) e pela FEPAUTO (Federação Paraense de Automobilismo), e tem supervisão da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA), com patrocínio de Kart Mini, Governo do Estado do Pará, SEEL - Secretaria de Esporte e Lazer, Salles Entretenimento, e apoio de Sprint Race e RBC.

Confira a lista atualizada de pilotos inscritos até agora:

CADETE / MIRIM
Diogo Ferrari Lopes (MA)
João Lopes (MA)
Julia Lopes (MA)
Valdir Neto (SP)

JUNIOR / JUNIOR MENOR
Antonio Neto (MA) - JM
Gianluca Petecof (SP)
Henri Forest (MA)
Victor Schoma (SP)
Vinicius Kauan (DF) - JM

GRADUADOS / SUDAM
Bruno Martins (PI)
Bruno Max (MA)
Carmo Neto (MA)
Gabriel Silva (AM)
Gaetano di Mauro (SP)
Joao Victor Martins (PA)
Junior Pinto (MA)
Marcelo Medeiros (MA)
Rafael Suzuki (MA)
Rezende Neto (MA)
Roberto Saraiva Filho (PA)
Sergio Crispim (PB)
Victor Schoma (SP)

SÊNIOR
Alexandre Martins (PA) 
Antonio Canedo (SP)
Bruno Martins (PI)
Bruno Max (MA)
Carlos Eduardo (MA)
Flavio Carminatti (PA)
Geoberg Abdalla (MA)
Gilberto Martins (PA)
Junior Pinto (MA)
Keiji Harima (PA)
Macelio Cangussu (MA)
Marcelo Medeiros (MA)
Rafael Suzuki (MA)
Renato Russo (SP)
Ricardo Zonta (PR)
Roberto Saraiva Filho (PA)
Rodrigo Piquet (DF)
Thiago Marques (PR)

NOVATOS 2T / SUPER SÊNIOR 2T
Carmo Neto (MA) 
Du Salles (PA)
Felipe Branco (PA)
Flavio Menezes (CE) - SS
Francisco Carlos (PA) - SS
Guilherme Guerra (DF)
João Victor Martins (PA)
Kleber Palheta
Nivaldo Rodrigues (MA) - SS
Pedro Henrique (MA)
Raimundo Serra Neto (MA) - SS
Ricardo Ferraz (PA)
Yhury Sipauba (MA)
Zinho Prezotto (MA)

F4 GRADUADOS
Du Salles (PA)
Felipe Braga (PA)
Felipe Branco (PA)
Flavio Carminatti (PA)
Gilberto Martins (PA)
Manoel Araujo (PI)
Marco Babu Farah (PA)
Marcos Borges (CE)
Osvaldo Ferreira (PA)
Roberto Saraiva Filho (PA)
Rodrigo Campolina (MA)
William Camizão (MA)

F4 NOVATOS / F4 SUPER SÊNIOR
Alexandre Pinto - SS
Anderson Rampazzo (TO)
Andre Nascimento (PA)
Augusto Santin (PA) - SS
Edson Schimdt (MA)
Emerson Araujo (PA) - SS
Ene Pires (MA) - SS
Fabio Monteiro (TO) - SS
Fabio Tarja (PI)
Fabricio David
Felipe Batista 
Felipe Paulino (PA)
Gabriel (PI)
Guilardo (PI)
Jack Ribeiro (PA)
Jardel Lopes (PA)
Kleber Palheta (PA) - SS
Mauricio Alves (PA)
Mauro Folha (PA)
Nivaldo Rodrigues (MA) - SS
Paulo Melo (MA) - SS
Ricardo Alvim (PI) 
Ricardo Ferraz (PA)
Ricardo Sousa (PA)
Roberto Saraiva (PA) - SS
Valdeci Dias (DF) - SS
Vitor Faleiro (TO)

Norte Brasileiro de Kart receberá pilotos renomados e competidores de 10 estados
Antônio Brilhante
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Grandes disputam são esperadas em todas as categorias do Campeonato
Antônio Brilhante
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Representante maranhense na Stock Car, Rafael Suzuki compete em 2 categorias
Vicar
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Ricardo Zonta, piloto da Stock Car e ex-piloto de F1, também correrá no Pará
Vicar
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Piloto do BR de Marcas, Thiago Marques compete na categoria Sênior 2T
Fernanda Freixosa/Vicar
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Kartódromo de Castanhal foi recém-reformado e receberá mais de 100 pilotos
Antônio Brilhante
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Treinos livres começam na quarta-feira e a grande final será no sábado
Antônio Brilhante
Clique na imagem para fazer o Donwload...

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

 

PIRELLI BELGIAN GRAND PRIX PREVIEW
Round 13 of 21
Spa-Francorchamps, Belgium, 25-28 August 2016

Following a short summer break, Formula 1 resumes at the one of the most epic drivers’ circuits of them all: Spa-Francorchamps in Belgium. The P Zero medium, soft and supersoft tyres have been nominated for the longest lap of the year at 7.004 kilometres, which places high-energy loads through the tyres. Spa-Francorchamps in fact provides a real multi-faceted challenge for the tyres, and by extension for the teams and drivers as well. The historic circuit at the foothills of the Ardennes is renowned for its changeable weather, meaning that there is a true microclimate to provide a constant additional parameter for the strategists to consider.

THE CIRCUIT FROM A TYRE POINT OF VIEW:

  • Loads through the tyres are among the biggest of the year due to the long and fast corners.
  • Elevation changes also create vertical forces for tyres through compressions like Eau Rouge.
  • Rain is quite likely, but it frequently rains just on one part of the circuit and not on another.
  • Set-up is a compromise between low drag for straights and downforce for corners: not easy.
  • There are plenty of overtaking opportunities, which mean that strategy options are quite open.
  • F1 returns with yet another back-to-back: after Spa it’s straight to Pirelli’s home race at Monza.

THE THREE NOMINATED COMPOUNDS:

  • White medium: a mandatory set that must be available for the race, low working range.
  • Yellow soft: again a mandatory set, should feature in the race but not ideal for long stints.
  • Red supersoft: will be used for qualifying with a focus on performance rather than durability.

HOW IT WAS A YEAR AGO:         

  • Lewis Hamilton won comfortably with a two-stop strategy, changing tyres on laps 13 and 30.
  • Best alternative strategy: Max Verstappen finished eighth from 18th on the grid, having adopted a three-stop strategy and passing several cars on track.

PAUL HEMBERY, PIRELLI MOTORSPORT DIRECTOR:                      

“Spa-Francorchamps needs no introduction as one of the most iconic circuits out there. For the tyres, it’s a demanding track with the sort of high-energy loads that make it absolutely thrilling to drive. It’s not easy to find the right set-up but with such a long lap and plenty of overtaking opportunities, there are a number of different strategy permutations possible. During the summer break we’ve started testing the 2017-size tyres, and we look forward to a busy second half of the season as we continue the testing campaign and also move straight on to our home race the weekend after Belgium.”

WHAT’S NEW? 

  • There are no significant changes to the Spa-Francorchamps circuit and infrastructure this year.
  • Esteban Ocon becomes a full-time Formula 1 driver, taking over from Rio Haryanto at Manor.

OTHER THINGS THAT HAVE CAUGHT OUR EYE RECENTLY:

  • Pirelli was at the forefront in Spa last month with the famous 24 Hours. It was the Italian firm’s biggest-ever event with a total of 65 cars fitted and 10,724 tyres over 29,269 cumulative laps.
  • The 2017 tyre tests with modified mule cars got underway at the beginning of the month, with Ferrari at Fiorano (driven by Sebastian Vettel and Esteban Gutierrez on wets) and Red Bull at Mugello (driven by Sebastien Buemi on slicks).

TYRES NOMINATED SO FAR:

Purple Red Yellow White Orange
Australia Supersoft Soft Medium
Bahrain Supersoft Soft Medium
China Supersoft Soft Medium
Russia Supersoft Soft Medium
Spain Soft Medium Hard
Monaco Ultrasoft Supersoft Soft
Canada Ultrasoft Supersoft Soft
Azerbaijan Supersoft Soft Medium
Austria Ultrasoft Supersoft Soft
Great Britain Soft Medium Hard
Hungary Supersoft Soft Medium
Germany Supersoft Soft Medium
Belgium Supersoft Soft Medium
Italy Supersoft Soft  Medium
Singapore Ultrasoft Supersoft Soft
Malaysia Soft Medium Hard
Japan Soft Medium Hard
United States
Supersoft Soft Medium
Mexico Supersoft Soft Medium
Brazil Soft Medium Hard
Abu Dhabi Ultrasoft Supersoft Soft

 

alt

 

GT NA ALEMANHA

 

VLN 6: pole position and crashing bad luck at the 39th RCM DMV frontier race

 with a premature exit after a collision in the 40th minute, probably one of the most exciting races of the 2016 VLN season so far for the RaciNGK team drew to a close.

Even qualifying provided an adrenaline rush for both the team and their fans. In the qualifying session the Weiland Porsche led the SP8 class for a long time, and it was only in the last lap that the RaciNGK Team Ferrari 458 with Mike Jaeger at the steering wheel could push past and win pole position with a half-second lead. Today, however, this brought the team only a little luck, which ran out thanks to a small collision with a GT3 Cup Porsche on the bend at the end of the start-finish straight in the 40th minute of the regular race. This demolished the right side of the Ferrari and forced it into the pit for an unexpected technical check-up. With a consistent effort the team fought back from their now seventh position up to second place, but had to head into the pit on several further occasions due to accident-caused chassis problems and then, around half an hour before the end of the race , dropped out for safety reasons. "The whole team demonstrated real fighting qualities today. An awful lot happened along the entire route, right from the start in terms of accidents and unfortunately this time we got caught up in it. We were able to continue after the collision and come back fighting again to the front of the field. However, after that the driving experience became continually worse, until finally we couldn't go on. Luckily there's a rematch in two weeks' time, after we've been able to complete a full technical check, at the ROWE 6 hours ADAC Ruhr Cup Race", said RaciNGK Team spokesperson Per Baar.

About NGK:
NGK is the world’s leading manufacturer of spark plugs, glow plugs and lambda sensors. The Company runs production plants and sales organisations all over the world. With a total of 13,000 employees, the Company generates an annual turnover of around 2.7 billion euros. NGK is represented on all continents and has 43 group companies, 24 production plants and 5 technical centres.
 


alt
RaciNGK Team’s red and black Ferrari 458

 

GT EM INGLATERRA

HIGH EXPECTATIONS AT TF SPORT AS GT3 LE MANS CUP RECONVENES AT PAUL RICARD

 

 

TF Sport are riding high in the Michelin GT3 Le Mans Cup as the series reconvenes in the south of France at Circuit Paul Ricard for round four of the championship (26-28 August, 2016).

Euan Hankey and Salih Yoluc will be back behind the wheel of the #34 Aston Martin V12 Vantage GT3 entry as they continue to reign at the top of the Drivers’ Championship standings. With victory at Imola, a strong showing Le Mans and a podium last time out at the Red Bull Ring, the team enjoy a one-point lead at the head of the standings.

“We know we’re in a tight fight at the top of the table and we know it will be tough to beat our rivals, but we’re getting the results we deserve,” stated TF Sport Director, Tom Ferrier. “We deserved the podium in Austria, but we did lose a few points to our main rival and that’s something we need to turn around in France.

“Austria was a bit of an unknown as Euan and Salih had never raced there before and with no testing it was a tough weekend that gave us a decent result. At Ricard we’re aiming higher but you just never know what’s going to happen. We have expectations, we have a plan, but in racing you can never predict.

“In saying that, we’re in with a good shout and the aim is to retain the lead heading to Spa Francorchamps next month.”

Michelin GT3 Le Mans Cup free practice gets underway on Friday 26 August at 11.20 CET, with a second session at 16.35. Qualifying takes place Saturday at 11.15, with the two-hour race itself at 17.15.image1 800x600_Copy

 

 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENSFOX 8612_CopyFOX 8613_CopyFOX 8614_CopyFOX 8615_CopyFOX 8617_CopyFOX 8619_CopyFOX 8620_CopyFOX 8621_CopyFOX 8622_CopyFOX 8624_CopyFOX 8627_CopyFOX 8629_CopyFOX 8631_CopyFOX 8633_CopyFOX 8635_CopyFOX 8638_CopyFOX 8639_CopyFOX 8640_CopyFOX 8641_CopyFOX 8643_CopyFOX 8646_CopyFOX 8648_CopyFOX 8651_CopyFOX 8652_CopyFOX 8653_CopyFOX 8654_CopyFOX 8655_CopyFOX 8656_CopyFOX 8657_CopyFOX 8658_CopyFOX 8659_CopyFOX 8660_CopyFOX 8661_CopyFOX 8662_CopyFOX 8664_CopyFOX 8666_CopyFOX 8668_CopyFOX 8669_CopyFOX 8670_CopyFOX 8671_CopyFOX 8673_CopyFOX 8675_Copy

 

LEGEND´S CUP

 

Grupo de imagens das sessões de treinos dos Legend´s Cup em Vila Real.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

SURF NO BRASIL

 

Mais novo esporte olímpico retoma atividades nesta sexta-feira no paraíso

Elite do surf mundial volta à ação com a sétima etapa do WCT nas deslumbrantes ondas de Teahupoo, dando início à metade final do campeonato de 2016

Os Jogos Olímpicos já estão no fim e uma das novidades para a edição de 2020 farão com que as emoções vividas nas últimas semanas no Rio de Janeiro se prolonguem mais um pouco a partir desta sexta-feira, quando o Mundial de Surf retoma suas atividades com a tradicionalíssima etapa de Teahupoo, no Taiti.

E, aproveitando que todos os holofotes estavam virados para a Cidade Maravilhosa, os surfistas "se internaram" nos treinos visando a reta final da temporada: restam cinco etapas e qualquer infelicidade pode eliminar suas chances - seja de título, como no caso de Adriano de Souza, o Mineirinho; ou pelo posto de estreante do ano, como é a situação de Caio Ibelli.

"Agora o funil começa a fechar", conta Adriano, que ocupa a quarta posição no ranking com 24.400 pontos, 9.850 atrás do líder Matt Wilkinson, o nome a ser batido neste ano. Já Caio está em 12º com 19.450 pontos, mas com uma boa vantagem para o estreante mais próximo, Conner Coffin. "Consegui ter uma boa sequência no começo do ano e espero repeti-la agora enquanto aprendo mais sobre os picos", destaca o atual campeão do WQS, a divisão de acesso.

Cada um fez um tipo de preparação: atual campeão mundial, Mineirinho disputou o ÜS Open de Surf - chegando às semifinais -, se mandou para pegar um swell na Indonésia, voltou aos EUA para pegar a bagagem e se mandou para o Taiti há algum tempo, preparando corpo e mente. "Aqui é um bom lugar para botar a cabeça no lugar. É tranquilo e dá para desligar do mundo. No ano passado fiz a mesma coisa e foi muito bom. Agora repeti isso e estou recarregado para a sequência do campeonato".

Caio também disputou o US Open e seguiu treinando nos EUA, já que mora na Califórnia, e também foi cedo para o Taiti, pois ele quer curtir cada pedacinho de Teahupoo. "É a primeira vez que vou competir lá. Acho um lugar de sonho. Tenho treinado bastante, pois ja acompanhei vários campeonatos aqui com ondas lindas e gigantes. Pena que a previsão sera de ondas não tao grandes, mas sera divertido."

Como o fuso do Taiti é sete horas a menos em relação ao do Brasil, as chamadas acontecerão a partir das 14h30 de Brasília. Adriano de Souza está na terceira bateria, enquanto Caio Ibelli entra na 11ª. Tudo será exibido ao vivo no site oficial do campeonato (a href=www.worldsurfleague.com>www.worldsurfleague.com). Na TV brasileira, o canal ESPN+ transmitirá ao vivo a partir das quartas-de-final.


Clique aqui para acessar a página da etapa e ver as baterias da primeira rodada
Clique aqui para ver a previsão do tempo e de ondas para Teahupoo
Clique aqui para acessar o ranking atualizado da temporada 2016


Adriano de Souza tem o apoio de HD, Red Bull, Oakley, Oi, G-Shock, Mitsubishi do Brasil, XP Investimentos, Banana Wax, JBL, Nossolar e Estácio.

Caio Ibelli tem o apoio de Oakley e Furnas.

 

OLIVEIRA EM 9º

 

Migue Oliveira satisfeito na nona posição

 

01 Copy02 Copy Miguel Oliveira terminou hoje o Grande Prémio da República Checa na nona posição sob condições climatéricas adversas. Frio e chuva foram as condições que equipas e pilotos encontraram hoje pela manha na chegada ao Autódromo de Brno, na República Checa, condições bastante diferentes daquelas em que se disputaram todas as sessões de treinos durante o fim-de-semana e onde apenas no warm-up tiveram a oportunidade de poder rodar com a pista molhada.

 

Num traçado com características diferentes da sua última corrida, o piloto português encontrou diversas dificuldades de afinação na sua Kalex que lhe permitissem sentir confortável na pilotagem, e acabou por conseguir qualificar-se na nona posição após ver o seu companheiro de equipa desqualificado por alegadamente utilizar mais pressão de ar nos pneus que a permitida.  

 

A ultima corrida em chuva o jovem da Charneca de Caparica caiu logo nas primeiras voltas e por isso optou, nesta corrida,  avançar com calma conforme explica:

“ Esta corrida foi muito difícil, com muita água na pista. Nas primeiras voltas onde o grupo era bastante grande era também perigoso porque não se conseguia ver a linha devido ao spray levantado pelos pneus. Quando comecei a ter a visibilidade comecei a progressar, e também ganhei o ritmo da corrida, depois disso tentei ficar calmo porque sabia que a corrida iria ser bastante longa. O Danny passou-me no final, eu estava confortável atras dele, fiquei à espera das duas ultima voltas para atacar, mas comecei a sentir a roda da frente a fechar em diversas curvas, por isso decidi não arriscar. Terminar dentro do top 10 é o objectivo, por isso saio deste GP satisfeito.”

 

A próxima corrida realiza-se em Silverstone, no Reino Unido, no dia 4 de Setembro.

 

NOVO BMW 2002

NOVO BMW 2002

 

Este poderá ser o substitudo do "velhinho" BMW 2002, que muita fama bmw2002-1 Copybmw2002-2 Copybmw2002-3 Copybmw2002-4 Copytrouxe para a marca alemã.Pelos vistos este BMW, demonstra a raça....

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

TCR EM ZOLDER

 

EQUIPA PORTUGUESA NA 3ª POSIÇÃO

 

Grupo de imagens da prova de TCR que esteve este fim de semana na prova belga de Zolder, onde a equipa de Francisco Mora-José Rodrigues subiu2016 photo_news_282_Copy2016 photo_news_283_Copy2016 photo_news_285_Copy2016 photo_news_286_Copy2016 photo_news_287_Copyt1 Copyt2 Copyt3 Copyt4 Copyt5 Copyt6 Copyt7 Copyt8 Copyt9 Copyt10 Copyt11 Copyt12 Copyt13 Copyt14 Copyt15 Copyt16 Copyt17 Copyt18 Copy ao pódio.

 

TT NO BRASIL

 

Helena Deyama participa da programação de comemoração dos 60 anos da Scorro

Evento acontece no dia 28 de agosto, na Escola Panamericana, em São Paulo

Um grande evento para um momento histórico e marcante, acontece no próximo dia 28 de agosto, na Escola Panamericana, de 11h às 16h, a Scorro irá comemorar seus 60 anos com funcionários, amigos e parceiros. E a piloto Helena Deyama é uma das convidadas para as ações que irão compor a celebração, como o vídeo que conta a trajetória da empresa.

"A Scorro tem um papel importante na minha carreira de piloto. Corri 10 anos com Rodas especialmente desenvolvidas para rali, em Silício 7, material de grande resistência para suportar os impactos que as rodas sofrem durante as competições. Eu me lembro de como estas rodas aguentaram muitos saltos, buracos, pedras, barro, areia e tudo em alta velocidade. E, inesquecível também, sempre foi o carinho e a parceria que a Scorro dedicou a mim, o apoio deles foi muito importante para todo o sucesso que conquistei ao longo destes anos. Meu agradecimento especial à Vera e ao Roberto!", declara Helena Deyama.

"Hoje já acumulo muitas vitórias, inclusive sendo a primeira mulher a conquistar um título de um campeonato brasileiro de rali cross country e um Campeonato Brasileiro de Baja. Já consegui registrar o meu nome na história do rali, graças a empresas que como a Scorro acreditaram em mim!", enaltece a piloto.
O evento, aberto ao público, contará com uma exposição de carros antigos no estacionamento, uma exposição de fotografias feitas pelos alunos da escola e fotos do fotógrafo Claudio Laranjeira. Às 12h30, no auditório da escola, em evento fechado para convidados, a Scorro apresentará seu livro digital "Scorro - 60 anos, das pistas para as ruas", de autoria dos jornalistas Claudio Laranjeira e Nunes Ferreira e o vídeo comemorativo de seus 60 anos.

Além de Helena Deyama participaram deste projeto, grandes nomes do automobilismo brasileiro, como os pilotos Wilson Fittipaldi, Maurizio Sala, Gabriel Marazzi, Anatole Cirello Jr., Caca Clauset, Thomas Kühne - e Silvio Novembre, do Corpo Diretivo da F1600, Washington Luis Bezerra, ex-piloto e Chefe de Equipe e Fernando Baptista, customizador e preparador de carros, da BTS Performance, que inclusive foi o local das filmagem dos depoimentos.

"Tenho muito orgulho e alegria de fazer parte desta história vitoriosa que a Scorro escreveu durante estes 60 anos. Todos os meus carros são equipados com Rodas Scorro, marca que confio e admiro. E espero continuar fazendo parte da bela história da Scorro nas ruas e nas competições por muitos anos!", conclui Deyama.

Sobre a marca

A Scorro está presente na vida do brasileiro há mais de 60 anos, com produção de rodas, traduzida em paixão.

Paixão pelo carro novo, pelo carro antigo, pelo carro modificado, de performance, pelo esporte, pelas pistas e pelas ruas.

É uma marca que conta com um acerto significativo na história do automobilismo brasileiro e é lembrada e cultuada pelos apaixonados por rodas, por pilotos e mecânicos.

A SCORRO é uma marca emblemática, sinônimo de design e performance e que marcou, pra sempre a história do Automobilismo brasileiro.

Em 2016, Helena Deyama compete no Campeonato Brasileiro de Rally Baja e Polaris Cup a bordo do UTV Polaris RZR 900 e, conta com patrocínio da Polaris e apoio da Academia Bio Ritmo, Motul, Luart Rally, Brasil Off Road e Fontoura Dias Stands.

 

Helena Deyama durante a gravação do vídeo dos 60 anos da Scorro (Divulgação)

Helena Deyama durante a gravação do vídeo dos 60 anos da Scorro (Divulgação)
Alta  | Web

Helena Deyama ladeada com grandes nomes do automobilismo brasileiro (Divulgação)

Helena Deyama ladeada com grandes nomes do automobilismo brasileiro (Divulgação)
Alta  | Web

Piloto Helena Deyama em disputa do Campeonato Brasileiro de Rally Baja (Luciano Santos/SigCom)

Piloto Helena Deyama em disputa do Campeonato Brasileiro de Rally Baja (Luciano Santos/SigCom)
Alta  | Web

A parceria de Helena com a Scorro permanece por mais de uma década (Foto: Ricardo Leizer)

A parceria de Helena com a Scorro permanece por mais de uma década (Foto: Ricardo Leizer)
Alta  | Web

Helena Deyama durante prova a bordo do Mitsubishi L200 RS com as Rodas Scorro (Foto: Márcio Machado)

Helena Deyama durante prova a bordo do Mitsubishi L200 RS com as Rodas Scorro (Foto: Márcio Machado)
Alta  | Web


 

DELECOUR NO MOTORSHOW

 

De 7 a 9 de outubro na Exponor François Delecour vai abrilhantar Motorshow Porto 2016

 

 

O Motorshow Porto 2016 assegurou a participação da estrela francesa de ralis, François Delecour, que venceu várias provas do Campeonato do Mundo, Rali de Portugal incluído. O piloto junta-se ao rol de estrelas internacionais que já passaram pelo evento, como os míticos Markku Alen (duas vezes), Timo Salonen, Didier Auriol, Miki Biasion, Stig Blomqvist, Marc Duez e Juha Kankkunen. Inserido no Salão Autoclássico, a 14ª edição do Motorshow Porto terá lugar nos dias 7, 8 e 9 de outubro, com a ação a concentrar-se na pista desenhada no interior e exterior dos Pavilhões 4 e 5 da Exponor, onde nem faltará um espectacular salto.Um verdadeiro desafio para pilotos e uma atração extra para os espectadores. E, em 2016, é precisamente François Delecour que vem dar ainda mais brilho ao evento, associando a sua bem conhecida garra e forte personalidade ao carácter e dinamismo que, reconhecidamente, o Motorshow Porto tem vindo a ganhar ao longo dos anos. O piloto gaulês conta no currículo com 103 participações em provas do Mundial de Ralis, em representação oficial de três construtores - Peugeot, Ford e Mitsubishi -, com os quais averbou 4 vitórias, 19 pódios e 214 triunfos em provas especiais, o que dá bem conta da sua tenacidade com um volante nas mãos. Regressar a Portugal, onde conseguiu, de resto, em 1993, ao volante de um Ford Escort Cosworth da equipa oficial Ford Motor Company, o seu primeiro triunfo no Campeonato do Mundo de Ralis, significa, para o piloto “uma enorme satisfação que certamente trará boas recordações. Conheço bem os adeptos portugueses, que sempre vibraram com as minhas atuações, pelo que espero poder agora retribuir-lhes essa dedicação com excelentes momentos de condução no Motorshow Porto em que agora me estrearei”. Com 54 anos e 35 de carreira, Delecour continua no ativo, tendo, ainda em 2015, vencido, num Porsche 997 GT3 Cup RGT, a FIA RGT CUP, competição de extrema popularidade no Campeonato do Mundo de RalisFranois Delecour_1_CopyFranois Delecour_2_Copy

 

WTCC JAPÃO

 

Néstor Girolami’s pace and perseverance have been rewarded with a great opportunity to stake his claim for a full-time drive in next year’s FIA World Touring Car Championship.

The back-to-back Súper TC2000 champion from Argentina will pilot a factory Volvo S60 Polestar TC1 at FIA WTCC JVCKENWOOD Race of Japan next month, replacing Robert Dahlgren in representing the Swedish make alongside Thed Björk.

Girolami’s inclusion in the Polestar Cyan Racing line-up at Twin Ring Motegi from 2-4 September comes after he impressed team chiefs during a specially arranged test at Circuito Termas de Río Hondo earlier this month, and in light of his determination to compete in the fastest pan-continental touring car series.

While the agreement is currently for Japan only, the 27-year-old will be eager to impresses sufficiently and secure a long-term WTCC future. “It’s wonderful to be part of the WTCC again and I am very grateful to Polestar Cyan Racing for this opportunity to race in Japan when I will give all my best to have a great weekend,” he said. “I feel very well in this world of World Touring Cars. It’s my objective to be part of the WTCC next year and I will fight for it.”

He continued: “I shared the Argentina race weekend with the team and I learned a lot about the car before the test. I felt very comfortable during the test, the team worked hard to improve the performance and develop the car. The test was very, very good for me and a good opportunity to show what I can do. I did 30 laps and the conclusions were very good. I felt a great potential in the Volvo S60. My goal for Japan is to take this one step further and, above all, demonstrate that I have the speed, engineering skills and race craft to become a part of the team in the future.”

Girolami, who narrowly lost the 2013 Súper TC2000 title to double World Touring Car champion José María López, made two appearances in last year’s WTCC, scoring a point on his debut in Slovakia and finishing eighth in Vila Real. However, he opted for a switch to the Stock Car Brasil series for 2016 when hopes of a season-long world championship campaign diminished.

François Ribeiro, Head of Eurosport Events, the WTCC promoter, welcomed Polestar Cyan Racing’s decision to recruit Girolami for WTCC Race of Japan. “Argentina has so many talented touring car drivers to offer. Néstor ran José María López so close in the Súper TC2000 championship in 2013 before going on to clinch the title in 2014 and 2015. He now has the perfect shop window to deliver on his potential for Polestar Cyan Racing.”

Dahlgren, meanwhile, will now focus on his Scandinavian Touring Car Championship bid. With two events remaining, the Swede is 11 points off the title pace.

Alexander Murdzevski Schedvin, Head of Motorsport at Polestar, said: “We have chosen to let Robert focus his efforts on the STCC as he is in a competitive position for the title and at the same time utilise the unique opportunity to test Néstor during a race weekend, something that will be different next year when our championship title challenge phase begins.”

Polestar Cyan Racing will announce Thed Björk’s team-mate for the season-closing WTCC races in due course.

 

WTCC Nestor Girolami 01.jpg
WTCC Nestor Girolami 02.jpg

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Mais um grande nome que nos deixou. Não será conhecido de todos, mas os que seguiram a F.2 e a F. Atlantic nos anos 70/80 do século passado recordam-se de Fred Opert. Deixo o adeus para a prosa de Marcus Pye (Autosport GB).

 

DANI SORDO MAIS DOIS ANOS NA HYUNDAI

DANI SORDO MAIS 2 ANOS NA HYUNDAI

 


Depois do excelente resultado no Rali da Alemanha Dani Sordo e o navegador foram convidados a manter-se na Hyundai até finais de 2018.
Hoje de manhã a equipa e o piloto assinaram assim por mais duas épocas, com o espanhol a ver assim a sua presença garantida nas provas do Mundial, com a equipa coreana.

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

NO JAPÃO

 

Kyoto, que foi capital do Japão por mais de mil anos, até 1869, é uma cidade fantástica. Tem um ambiente descontraído para uma cidade com um milhão e meio de habitantes. Avenidas largas, com espaço, um transito que não é caótico, apartamentos espetaculares sobre o rio, cultura, gastronomia e … Gion, o ultimo bairro japonês onde ainda há Gueixas.
Fiquei encantado com o ambiente e alegria da cidade e tive uma cena curiosa:
Os táxis em Kyoto são quase todos de um modelo Toyota dos anos 70, grande, de tração traseira. São todos pretos e sempre impecavelmente limpos, a brilhar. Provavelmente fabricaram-nos até tarde, tal como os táxis londrinos. Os chauffeurs são uns senhores, vestidos de fato e gravata, discretos e educados. Alguns até andam de boné, como usavam nos anos sessenta em Lisboa.
Serão milhares destes táxis a circularem na cidade.
No dia em que cheguei parei numa bomba de gasolina onde estava um a abastecer enquanto o taxista dava uns retoques de limpeza no porta bagagens.
Perguntei-lhe o caminho para o Hotel que tinha reservado e, muito simpaticamente explicou-me, não sem antes se concentrar para contar quantas ruas eu teria que passar antes de virar à esquerda ou direita para depois explicar com firmeza: one, two, three, four, FIVE, LEFT. One, two, THREE, RIGHT. E assim me indicou o caminho, com convicção. Muito engraçado.
Agradeci-lhe e segui viagem. No dia seguinte, quando procurava o caminho para Gion, já longe de ali, seguia por entre os carros numa enorme fila e decidi parar junto a um dos muitos táxis para perguntar o caminho ao taxista. Era o mesmo do dia anterior. Inacreditável. Ele achou tanta graça quanto eu e desatámos os dois a rir com ele a dar-me palmadas no depósito da moto antes de me explicar o caminho da mesma forma. One, TWO, RIGHT. Extraordinário.
 Na noite anterior tinha saído do Hotel para procurar um restaurante onde jantar. Na esquina de uma movimentada rua vi um “steak house” com bom aspecto. A parte onde me sentei era uma pequena sala mas com janelas largas, a dar para duas ruas, só com meia dúzia de mesas pequenas e altas e bancos para nos sentarmos. Tinha boa onda e boa música a tocar. Sentei-me na única mesa livre. Pedi o menu e uma cerveja à menina gira que me atendeu. Recomendou-me a carne de lombo. Avisou-me que os pratos traziam só 100 gramas de carne, uma batata, um tomate e grelos. Junto trazia outro A4 plastificado onde recomendavam o Kobe beef. Olhei para o menu. O lombo na carne normal custava 1890 yenes, o equivalente a 17 euros. Do Kobe, que vinha por cima, pareceu-me ver 1200.
Pedi-lhe que me trouxesse então carne do lombo mas desse mais barato, de Kobe. Ela só ouviu essa parte e confirmou:
- “so it’s a Kobe beef Sirloin”
- “yes, that’s right”
Passado um bocado trouxe-me um prato rectangular, com uns vinte centímetros de comprimento e dez de largura onde estavam os tais 100 gramas do lombo de Kobe, cortado às fatias, uma rodela de batata, grossa, um mini tomate e um reduzido cacho de grelos. Pedi faca e garfo mas não precisava. Quando provei o primeiro bocado de carne não queria acreditar. Em sessenta anos de vida nunca tinha comido uma carne tão boa, de longe. Era muito tenra mas ao mesmo tempo não se desfazia, o sabor era extraordinário, estava grelhada no ponto exato e tinha a pequena e certa quantidade de gordura. Inexplicável. A primeira coisa que pensei foi que estaria ali caído no dia seguinte ao almoço.
Saboreei bem aquela carne maravilhosa mas despachei os 100 gr mais a rodela de batata, o tomate e os grelos em cinco minutos. Pensei em pedir uma segunda dose mas, como sou rapaz de pouco alimento, achei que por hoje chegava.
Dirigi-me ao bar para pagar a conta, um costume no Japão onde nunca se deixa gorjeta porque eles não estão à espera e até consideram uma ofensa. A menina que me serviu apresentou-me a conta: 13.340 Yenes.
- “Desculpe mas enganou-se. Não são 13.000 mas 1300”.
- “Não. São 13.000. O senhor pediu “Kobe beef”.
- “Mas no menu”.
- “No menu vem lá Kobe beef a 12.000 Yenes”. E foi buscar o menu.
Onde eu, á primeira vista tinha visto 1.200 até por parecer o mais lógico, estavam 12.000. Ou seja, aquele jantar, composto por 100gr de carne, uma rodela de batata, um mini tomate, 10gr de grelos e uma cerveja custou-me a módica quantia de 120 euros. Rir foi o melhor remédio.
Quando regressava ao Hotel pensei: ainda bem que isto me aconteceu. Se tenho sabido o preço antes nunca tinha passado por esta experiencia de comer uma carne que nem sabia existir e sei que é uma coisa que nunca irei repetir na vida pois, mesmo que um dia seja rico, nunca vou pagar 120 euros por cem gramas de carne porque, simplesmente, acho um desperdício. Esta deve ser a tal carne de que tinha ouvido falar de vacas a quem fazem massagens e põem a ouvir música clássica enquanto não vão para o tacho. 

 

RALI DA ALEMANHA

 

SIMONE TEMPESTINI GANHA TAMBÉM NO ASFALTO!

 

IMG CopyApós as vitórias na terra de Portugal e da Polónia, Simone Tempestini e Giovanni Bernacchini demonstraram a sua polivalência, ao ganharem o Rali da Alemanha. A equipa italiana soube evitar as armadilhas da prova para se oferecer uma vitória que lhes permitirá visar o título no FIA Junior WRC já a partir da Volta à Córsega. Vencedor na Finlândia, Ole-Christian Veiby relançou-se da melhor forma na corrida ao título FIA Junior WRC. O norueguês não tinha mais que 18 pontos de atraso antes da partida para o ADAC Rallye Deutschland e parecia estar em condições de lutar com Simone Tempestini. Decidido a atacar forte desde o início, Veiby saiu no entanto de estrada logo na PEC1 e perdeu 12 minutos num declive. Autor de dois melhores tempos na sexta-feira, Martin Koci ascendeu ao comando após a PEC3. Mas depois Tempestini desferiu o seu ataque no final do dia e tomou as rédeas do FIA Junior WRC. Terry Folb, terceiro da geral e autor do melhor tempo na PEC4, perdeu um minuto na última Especial do dia. À entrada para a assistência de Trèves, Simone Tempestini tinha um avanço de 12,1s sobre Martin Koci. Terceiro, Terry Folb estava na frente de Romain Martel, Vincent Dubert e Mohamed Al-Mutawaa, vítima de um furo na PEC4. No sábado, foi de novo Ole-Christian Veiby o mais rápido em ação, com o primeiro « scratch » do dia. Infelizmente, o norueguês saiu de novo de estrada na PEC7 e teve que abandonar. Na PEC6, Vincent Dubert colocou-se por sua vez em evidência, com o seu primeiro « scratch » no FIA Junior WRC. Terry Folb voltou a sorrir com o melhor crono na dupla passagem pela Arena Panzerplatte, mesmo antes da longa Especial no campo militar de Baumholder ser anulada, por causa da saída de estrada de Stéphane Lefebvre, o Campeão FIA Junior WRC de 2014. Na classificação geral, Simone Tempestini conservava agora 5,4s de avanço sobre Martin Koci. Após o almoço, o italiano assinou três melhores tempos em quatro Especiais. Graças à sua escolha de pneus cautelosa, fez a diferença em Panzerplatte Lang (40,80 km), ganhando dez segundos de uma só vez ao seu rival : «Percebi em que sítio tinha que atacar e em que sítio tinha que levantar o pé», explicou Tempestini. «Ataquei mantendo sempre uma pequena margem de erro e então ficámos com 17s de vantagem sobre o Martin.» Na manhã de domingo, Simone Tempestini acabou com as esperanças dos seus adversários, mostrando-se logo o mais rápido no primeiro sector. Depois Terry Folb confirmou a sua progressão, assinando os dois melhores tempos na Especial de Sauertal. Pela terceira vez em quatro ralis, Simone Tempestini subiu ao pódio final como vencedor. Com 37 pontos de vantagem sobre o seu principal perseguidor, basta-lhe um terceiro lugar na Volta à Córsega para garantir o título FIA Junior WRC, ganhando um programa de seis provas em WRC2 para a temporada de 2017. Martin Koci terminou em segundo na frente de Terry Folb, autor de cinco melhores tempos ao longo do fim-de-semana. Romain Martel, que acreditava ainda num lugar no pódio durante a Primeira Etapa, terminou em quarto, na frente de 2 Vincent Dubert, vítima de um furo na última ronda. Mohamed Al-Mutawaa garantiu os pontos do sexto lugar, diante de Ole-Christian Veiby, que regressou em Rali2 para a última etapa. «Estou satisfeito com o resultado, mas sobretudo com a nossa abordagem da prova», declarou Simone Tempestini à chegada. «Fizemos sempre boas escolhas ao longo do fim-de-semana, quer se tratassem de afinações ou de pneus. Soubemos mostrar-nos prudentes, para evitarmos as maiores armadilhas e atacámos quando as condições o permitiam. Durante os reconhecimentos, não podia imaginar a que ponto as estradas iriam ficar sujas com a continuação das passagens dos carros. Após algumas curvas na PEC1, percebi que era preciso ter muita atenção a cada curva. Marcámos pontos muito importantes na óptica do Campeonato e podemos agora virar-nos para a Córsega. Este é um rali em que já participei e é um dos meus favoritos.» PIERRE-LOUIS LOUBET QUINTO NO WRC2 Como na Polónia, Pierre-Louis Loubet e Vincent Landais realizaram uma performance sólida, resultado de uma grande regularidade ao longo de toda a prova. Suplantaram a sua melhor classificação no WRC2, terminando desta vez em quinto da categoria, na sua primeira participação no Rali da Alemanha. Yoann Bonato teve que abandonar na PEC3 a seguir a um duplo furo, antes de retomar a prova à tarde e terminá-la em 12º lugar. Quentin Gilbert, por sua vez, bateu num muro na PEC. O pilotos dos Vosges não voltou em Rali2, preferindo concentrar-se nos seus desafios de final de temporada. CLASSIFICAÇÕES ADAC RALLYE DEUTSCHLAND 1º Tempestini / Bernacchini, 3h21m12,4s 2º Koci / Kostka, + 38,9s 3º Folb / Le Floch, + 2m12,8s 4º Martel / Lemoine, + 3m05s 5º Dubert / Coria, + 6m17,1s 6º Al-Mutawaa / McAuley, + 11m38,1s 7º Veiby / Skjaermoen, + 1h12m05s CLASSIFICAÇÃO GERAL 1º Simone Tempestini, 93 pontos 2º Ole-Christian Veiby, 56 3º Terry Folb, 48 4º Vincent Dubert, 44 3 5º Martin Koci, 42 6º Romain martel, 40 7º Mohamed Al-Mutawaa, 26 8º Juuso Nordgren, 15 9º Lukas Pieniazek, 9 10º Frédéric Hauswald, 8 11º Andrea Crugnola, 2

 

GALERIA DE IMAGENS - CIRCUITO VILA REAL

GALERIA DE IMAGENS

 

WTCC E ETCC EM VILA REAL

 

Nos Bastidores

 

Grupo de imagens dos bastidores das boxes em Vila Real, onde muitos dos leitores não têm acesso, pelas mais diferentes razões.Assin tentamos levar estaFOX 9038_CopyFOX 9039_CopyFOX 9040_CopyFOX 9041_CopyFOX 9042_CopyFOX 9043_CopyFOX 9044_CopyFOX 9046_CopyFOX 9048_CopyFOX 9050_CopyFOX 9051_CopyFOX 9052_CopyFOX 9053_CopyFOX 9054_CopyFOX 9055_CopyFOX 9057_CopyFOX 9058_CopyFOX 9059_CopyFOX 9065_CopyFOX 9066_CopyFOX 9067_CopyFOX 9068_CopyFOX 9069_CopyFOX 9070_CopyFOX 9071_CopyFOX 9073_CopyFOX 9074_CopyFOX 9075_CopyFOX 9076_CopyFOX 9077_CopyFOX 9078_CopyFOX 9079_CopyFOX 9080_CopyFOX 9081_CopyFOX 9082_CopyFOX 9083_CopyFOX 9084_CopyFOX 9085_CopyFOX 9086_CopyFOX 9087_CopyFOX 9088_Copys imagens para assim ficarem com uma ideia do que é um paddock do WTCC e ETCC.

 

Fotos de JOão Raposo em Vila Real - www.velocidadeonline.com

 

RALI DA ALEMANHA

 

Volkswagen's Sébastien Ogier returned to the top step of the WRC podium at ADAC Rallye Deutschland as he successfully brought an end to his six-event winless streak.
 

The Frenchman’s 20.3s victory was the third of his WRC career on Germany’s challenging asphalt roads and extended his lead at the top of the drivers’ championship standings by 14 points, while VW remained in command of the manufacturers’ championship, thanks to a 55-point lead.

Having endured a difficult start to the rally on leg one when he overshot a hairpin, Ogier carefully guided his Polo R towards the top of the leaderboard. When the event moved into the infamous Baumholder military proving ground on Saturday, the world champion’s experience shone through and he easily swept rally leader – and team-mate – Andreas Mikkelsen aside.

With a 20.3s lead, Ogier was able to control his pace at the front on the final leg and emerged from the ninth round of the championship with a precisely-crafted 20.3s advantage over Hyundai’s Dani Sordo.

“This is great,” Ogier said at the finish. “I haven’t had a chance to win on the recent rallies and I was missing that feeling for sure. It’s been really exciting and a long time since I was battling like this for a win. I really had to push to beat the guys around me.”

The highlight of the final day was the battle that ensued behind Ogier for second place. Mikkelsen held the position until Sunday's first stage, but he was steadily reeled in by the Hyundai i20 WRC pair of Sordo and Thierry Neuville as their superior speed told.

With only 4.1s separating all three drivers entering the 14.84km Power Stage, success would need to be earned.

Although Neuville topped the Power Stage times with a determined drive and scored an extra three championship points for his efforts, Sordo’s fourth fastest time was just enough to guarantee second place overall – by a margin of just 0.1s!

Neuville therefore claimed the final podium spot, while a disappointed Mikkelsen – who narrowly avoided a couple of Power Stage spins as he lost the brakes on his Polo R – had to settle for fourth.

 

Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt

 

RALI DA ALEMANHA

 

Sébastien Ogier took a commanding lead into the final leg of ADAC Rallye Deutschland after giving his rivals another lesson in how to drive in the Baumholder military proving ground on Saturday.


The three-time world champion started the second day trailing Volkswagen team-mate Andreas Mikkelsen by 4.3s. But nine stages later – five of which were run on the tricky Baumholder asphalt – Ogier emerged with a 33.4s advantage at the top of the leaderboard.

Previous results show that the Frenchman is a big fan of the Panzerplatte stages – and he didn’t disappoint this time around. After trading seconds with Mikkelsen on the first four tests, he obliterated his rival on the first run through the 40.80km Panzerplatte Lang – a stage that was later halted by Stéphane Lefebre’s accident – by going 13.5s faster.

And the trend continued on the second loop in the afternoon. As Mikkelsen gambled by taking hard tyres for the second run through Panzerplatte Lang, Ogier opted for soft rubber as he expected a wetter road. The Frenchman’s decision proved to be the right one and he duly added another 13.1s to his overall advantage.

“We had a difficult tyre choice for these last two stages but I think we managed the soft tyres pretty well and had a clean stage,” Ogier said. “I’m happy and I hope it’s a comfortable gap for tomorrow. But we have vineyard sections which can be tricky and almost 60kms to race on Sunday. I will have to push.”

After starting the day in the lead of the rally, Mikkelsen’s lack of pace on Saturday meant he ended the day facing the prospect of defending his second place from the hard-charging Hyundai duo of Dani Sordo and Thierry Neuville [below] on the final leg.

Sordo leapt past his team-mate on Saturday’s last stage and finished the day only 3.6s behind Mikkelsen. Neuville, meanwhile, was just 0.4s behind his Spanish team-mate in fourth.

Referring to his decision to gamble on hard tyres in the afternoon, Mikkelsen said: “I had to try something different. In some places the car was quite stable but in some areas it was really hard to get confidence with the lack of grip.”

Sordo was thrilled with his day’s work and the fact that he completed a last-gasp move into third place, while Neuville was all too aware how tough the battle between himself, Sordo and Mikkelsen was likely to be on the final day. With a wry smile on his face, Neuville just said: “It’s going to be tight.” That was an understatement.

Finding more and more asphalt confidence, Hayden Paddon completed the day in fifth place after a clean run of stages, while M-Sport World Rally Team driver Mads Østberg guided his Ford Fiesta RS WRC to sixth place after a lacklustre day that was rounded off by the frustration of him not being able to push in the last stage due to his brakes overheating.

With the top six filled by World Rally Cars, the top performers in the R5 category occupied the four remaining points scoring positions. Esapekka Lappi led home fellow Skoda Fabia drivers Pontus Tidemand, Jan Kopecky and Armin Kremer.



Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt
Download
alt

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

 

CONTINUA A EPOPEIA NO JAPÃO

 

Na tarde em que me despedi dos meus amigos ainda fiz uns 200 Km. Cheguei à conclusão que tanto as estradas como a paisagem nestas ilhas são mais interessantes para o interior de serra que na costa pois a construção japonesa não faz jus aos antigos pagodes e é muito feia, de um modo geral. O interior das ilhas tem muito pouca construção e muita vegetação com grandes declives resultando em paisagens fantásticas.
Pelas quatro e meia da tarde comecei a procurar um Hotel mas, ainda por causa do Obon, em que os japoneses tiram uns dias de férias, estavam todos cheios. Num dos vários em que parei ainda veio a menina a correr cá fora quando eu estava a arrancar dizer que tinha acabado de falar uma pessoa a cancelar mas era caro para o meu orçamento e segui viagem. Era quase noite quando finalmente encontrei um quarto. Entretanto tinha ficado sem dinheiro porque naquela ilha os cartões estrangeiros não funcionam nas máquinas multibanco, onde me abasteço em todos os países. Felizmente nos hotéis e bombas de gasolina deixavam-me pagar com cartão de crédito e, como levo comigo uns dólares de reserva, no dia seguinte, ao terceiro banco lá consegui trocar 100.
Continuei perto da costa oriental sem mapa e portanto evitando afastar-me muito. Pelas quatro da tarde fui a um hotel perguntar se tinham vagas mas como estava cheio optei por acampar num parque de campismo junto à praia, só o segundo que vejo no Japão.
Encontrei um americano que tinha estado três anos a dar aulas de inglês na ilha e partira, estrada fora, numa viagem de bicicleta até Tokyo. Foi bom poder mais uma vez falar com alguém pois para além do Servio e da mulher passei a semana toda só a comunicar por gestos ou, em muitos casos, eu a falar inglês e eles, sem perceberem patavina, a responderem em japonês, como se eu percebesse perfeitamente.
Choveu a noite toda, felizmente já depois de ter montado a tenda. Mesmo assim dormi bastante bem e só acordei perto das oito. Tomei um grande banho de mar e depois um duche nos balneários da praia que funcionava com moedas de 100 yenes. Quando pus a primeira não reparei que não tinha mais de maneira que me vi naquela situação tipo Mr Bean em que tive que voltar a vestir o fato de banho com o corpo coberto de sabão e a cabeça de shampoo, para ir à loja local trocar dinheiro.
Nesse dia deixei a ilha de Shikoku e voltei à confusão de Honshu, a maior e onde estão as principais cidades japonesas. Fui direito a Nara, a mais antiga capital, antes de Kyoto e Tokyo, que um japonês me tinha recomendado visitar. Chegado lá fui direito ao parque da cidade que tem a curiosidade de ter centenas de pequenos veados à solta, que se passeiam tranquilamente pelo parque, por vezes vindo para as estradas, alimentados por bolachas dadas pelos turistas. Criam um ambiente giro. No dia seguinte voltei lá para visitar o templo Todai Ji onde está uma das maiores estátuas de Buda e certamente a mais valiosa. Tem quinze metros de altura e para a construir foram utilizadas 437 toneladas de bronze e 130 de ouro. Fantástico.
Fui ainda visitar o Kofuku Temple que, com cinco andares, foi transferido de Kyoto em 710 d.c. para residência da família Fugiwara, a mais influente da época.
Da parte da tarde, antes de partir para Kyoto  passei a ver o mais antigo templo Japonês, o Horyu-Ji, fundado no ano de 607.

 

JOSÉ RODRIGUES EM ZOLDER

 

José Rodrigues com experiência positiva no TCR Benelux em Zolder na Bélgica

 

F.Mora-J. Rodrigues_-_Zolder_1_1_CopyF.Mora-J. Rodrigues_-_Zolder_1_CopyExperiência positiva é que se pode dizer da presença de José Rodrigues na jornada do TCR Benelux, que pontuou também para o Campeonato Europeu, no circuito belga de Zolder este fim-de-semana. O piloto bracarense fez equipa com Francisco Mora, seu adversário no Campeonato Nacional de Velocidade Turismo, e não esteve aos comandos do seu habitual Honda Civic TCR, mas de um Seat Leon TCR Com as dificuldades inerentes ao desconhecimento do carro e do circuito, José Rodrigues conseguiu superá-las da melhor forma possível: “Julgo que o regulamento belga não beneficia, em nada, os pilotos de fora, pelo facto de só haver 20 minutos de treino para cada piloto. Mas, mesmo assim, acho que tive uma adaptação muito rápida ao Seat TCR (DSG) e ao traçado”, explicou o piloto, prosseguindo: “Na sessão de treinos livres, e na corrida de qualificação, aproveitei para me adaptar, ainda sem rodar com pneus novos. Na primeira corrida, arranquei do 11º lugar, e logo consegui recuperar algumas posições. Estive a rodar grande parte do tempo no grupo dos 6 da frente, logo atrás do Matt Neal, mas um pequeno erro, fez-me perder uma posição e terminei depois em oitavo”. Para a segunda abordagem à pista, agora com partida lançada, o azar bateu-lhe à porta: “Saindo mais à frente e, cada vez mais adaptado ao carro e á pista, poderia ter atacado os primeiros lugares, mas um despiste de um adversário logo na primeira curva, retirou-me da corrida. Mesmo com muito cuidado, não consegui evitar o toque”, explicou José Rodrigues, que considerou esta participação no geral: “Uma experiência positiva, onde consegui ganhar ritmo competitivo e andar rápido com condições diferentes das que estou habituado. Agora o foco é a próxima prova em Jerez La Frontera (Espanha), onde quero continuar na senda dos bons resultados no Campeonato Nacional de Velocidade”, concluiu o piloto com o apoio do Sport Lisboa e Benfica, BP Ultimate, Aurecom, McDonald`s Braga, Inimigo, Inpressionante, General Autocentro, Pronto - Lojas de Conveniência, Rodareas, e Camac. Acrescente-se ainda que Francisco Mora, que disputou a terceira e quarta corridas, conseguiu ser sexto na primeira, obtendo depois na derradeira um lugar no pódio, ao ser terceiro classificado.

 

NOVAS HONDA CRF 450 R

 

Novas Honda CRF450R e CRF450RX para 2017

CRF450R com renovação integral e, em simultâneo, lançamento de novo modelo CRF450RX que, partilhando o mesmo motor e quadro do modelo R,  representa uma nova e importante presença para o mercado de modelos de enduro.      

·        Novo motor de inspiração HRC oferece um aumento de 11% no pico de potência, com binário mais forte em toda a faixa de rotação  
·        Novo quadro de alumínio com centro de gravidade mais baixo e geometria revista, oferece tracção fantástica na roda traseira e maneabilidade ainda mais ágil
·        Arranque eléctrico disponível de origem
·        Novo modelo CRF450RX com depósito de maiores dimensões, roda traseira de 18 polegadas, descanso lateral, arranque eléctrico, suspensões revistas e novos mapas do motor para performances orientadas para o enduro

 


 

NOVA GERAÇÃO DO MAZDA 6

 

Geração 2017 do Mazda6 lançada na Europa no Outono

 

• Estreia europeia do G-Vectoring Control, novo sistema do pacote tecnológico SKYACTIVVEHICLE DYNAMICS

 

• Nova tecnologia diesel, sistemas de segurança activa e maior funcionalidade interior

 

. Integrando novos refinamentos premium e continuando a redefinir a noção de que não é necessário comprometer o prazer de condução para obter mais conteúdos práticos e de requinte, a geração 2017 do Mazda6 chega ao Mercado europeu no próximo Outono, nas variantes sedan e wagon. Há muito que o Mazda 6 tem vindo a ser considerado como um dos melhores automóveis em termos de maneabilidade e com maior ligação ao condutor do seu segmento. Estas características vêm-se agora e de novo elevadas, fruto da primeira aplicação em solo europeu do sistema G-Vectoring Control (GVC). O GVC é a primeira de uma série de novas tecnologias do pacote SKYACTIV-VEHICLE DYNAMICS, fornecendo um controlo integrado do motor, transmissão e chassis, aprofundando o conceito Jinba Ittai (“cavalo e cavaleiro como um todo”) de ligação entre o automóvel e o seu condutor, algo que diferencia os modelos Mazda dos restantes veículos da concorrência. Baseado na ideia revolucionária de melhoria da performance do chassis com o motor nele aplicado, o GVC é a primeira tecnologia do mundo a permitir o ajuste do binário do motor em função dos inputs vindos da direcção. O leque de motores desta nova geração 2017 do Mazda6 divide-se entre três propostas SKYACTIV-G a gasolina, de 145 e 165 cv no bloco SKYACTIV-G 2.0 e de 192 cv no motor SKYACTIV-G 2.5, acrescendo-lhes duas variantes diesel de 150 e 175 cv, inerentes ao motor SKYACTIV-D 2.2, propondo-se caixas de seis velocidades automáticas ou manuais. Acrescente-se que o bloco diesel common-rail SKYACTIV-D 2.2 integra três novos sistemas que permitem o aumento da capacidade de resposta e uma redução do ruído do motor: HighPrecision DE Boost Control, solução que aumenta o controle de pressão do boost para permitir melhor resposta às solicitações do acelerador; Natural Sound Smoother, sistema que utiliza um amortecedor para abafar a tradicional batida dos blocos diesel; e Natural Sound Frequency Control, que adapta o timing do motor para neutralizar as ondas de pressão, suprimindo três bandas de frequência críticas, em que os componentes do motor normalmente vibram de uma forma mais audível. Esta evolução na sonoridade do motor é complementada por uma melhoria global em matéria de isolamento a bordo da geração 2017 do Mazda, através da adoção de selagens de portas melhoradas, tolerâncias mais apertadas entre os painéis de carroçaria e materiais de isolamento acústico que foram adicionados ao fundo do modelo, na consola traseira, tejadilho e portas, para além dos vidros dianteiros laminados para supressão do ruído do vento. Entrando a bordo, as evoluções no design implementadas nesta nova geração aumentam o carácter exclusivo do Mazda6, sendo na sua maioria direccionadas ao condutor, num ambiente2017 Mazda6_Sedan_Action_01_Copy2017 Mazda6_Wagon_Action_03_Copy que inclui um volante de novo design, um novo sistema Active Driving Display (denominação do heads-up display da Mazda) de maior resolução, com um grafismo totalmente a cores para maior legibilidade sob diferentes condições de luz, tudo enriquecido por um novo ecrã multiinformação de 4,6 polegadas, TFT LCD a cores e com gráficos evoluídos. No exterior destacase a nova cor Machine Grey a partir de agora disponível para o modelo. Por fim, apoiado por níveis excelentes de segurança passiva, a geração 2017 do Mazda6 está disponível com uma gama completa de tecnologias de segurança activa i-ACTIVSENSE. Nelas incluem-se, em estreia na Europa, o novo Traffic Sign Recognition (TSR, de reconhecimento de sinais de trânsito) que identifica sinais de Entrada Proibida e de Limite de Velocidade, fornecendo alertas caso o condutor exceda esses limites, para além do sistema Advanced Smart City Brake Support (Advanced SCBS), que os anteriores lasers de infravermelho por uma câmara frontal com sensores, ampliando o intervalo de velocidade permitido pelo sistema na detecção de outros veículos.

 

EXTREME SAILING

 

Gazprom Team Russia to stage a wildcard comeback

Fresh from a victory in the World Match Racing Tour, the ‘million dollar man’ himself, Phil Robertson, will head up the Extreme Sailing Series™ comeback for Gazprom Team Russia. The team will return to the waters of the Neva River as the wildcard entry for Act 5, St Petersburg, presented by SAP, from 1 – 4 September 2016.

With a crew of familiar faces, Robertson is joined by his World Match Racing Tour teammate, and former GAC Pindar Extreme 40 skipper, Will Tiller. Shane Diviney, who competed onboard CHINAOne for three Acts of the 2016 season, and accomplished Russian RC44 sailors Alex Kulakov and Victor Serezhkin, will also join the team.

The crew, who are supported by the St Petersburg Yacht Club and join the Series as it launches into the second half of the season, have all competed in the Extreme Sailing Series™ in the past and are no strangers to the uniquely tight and tactical Stadium racecourses.

But a new challenge will be taming the hydro-foiling GC32, which replaced the older Extreme 40 catamaran at the start of the season.

“We are shaking in our boots!” laughed Robertson. “All the teams have quite a few races under their belts but hopefully we get some puff and can get up on the get away sticks, and teach the old dogs of the Extreme Sailing Series some new tricks!”

In an interesting shift in dynamic Robertson and Tiller now become rivals with Oman Air’s James Wierzbowski and Red Bull Sailing Team’s Stewart Dodson, having just last month stood on the World Match Racing Tour podium as their teammates. A confident Robertson remains unfazed by this however, with plans to use it to his advantage.

“They are both great guys and really fun to sail with. I have raced against both of them in the past so nothing really changes there,” said Robertson. “I now know their weaknesses though and hopefully they didn’t pick up on mine.”

With Kiwis, Russians and an Irishman onboard, Robertson emphasised the importance of communication.

“With a multi-cultural and multi-language boat, communication is the key to success. This Series is all about communication and teamwork so a big emphasis is put on this.”

“It is an added challenge for us, some of the crew have very strong accents, but we are working on it!” added Kulakov.

Kulakov, who raced alongside Robertson onboard Gazprom Team Russia in the 2015 Series, hopes that the home water advantage will work in their favour.

“As a Russian-flagged team we will have the support of the crowds and we know the racecourse very well,” said Kulakov. “It will make our lives easier, but this year it is a different story; we are new to foiling, we have a new crew and it is our first event of the season, we will see what happens on the first day of racing!”

The action in St Petersburg will begin on 1 September with the free-to-enter Race Village, located in front of the Peter and Paul Fortress, providing the perfect spot to view the high-speed Stadium Racing action and cheer on the home team, as they take on the fleet of world-class sailors.

Find out more about the crews who will be competing in the Act here.

Gazprom Team Russia (RUS)

Skipper/Helm: Phil Robertson (NZL)
Mainsail Trimmer: Will Tiller (NZL)
Headsail Trimmer: Shane Diviney (IRL)
Floater: Victor Serezhkin (RUS)
Bowman: Alex Kulakov (RUS)


Photos

 

 

 

 

TESTES DUNLOP

 

European Le Mans Series avançam no circuito Paul Ricard

 

  •  Oito das doze equipas da categoria LMP2 equipadas com pneus Dunlop

O circuito francês de Le Castellet acolherá a quarta corrida, de um total de seis, das European Le Mans Series, no próximo dia 28 de agosto. A corrida conta com oito equipas, de um total de doze, equipadas com pneus Dunlop na categoria LMP2. Por sua vez, na categoria LM GTE, as oito equipas participantes também foram equipadas com pneus Dunlop. O circuito de Castellet é conhecido por oferecer umas condições variáveis em pista, o que torna fundamental a configuração do veículo.

 

66_Dunlop_ELMS_Red_Bull_Ring_2016 (2)No fim da primeira metade da competição, três equipas destacaram-se das restantes em LMP2: G-Drive Racing (Gibson) lidera com 58 pontos, seguido a uma distância de sete pontos por Thiriet by TDS Racing Ligier. O AF Corse-run BR01, em terceiro lugar, é também um candidato promissor pelo título. Com três corridas renhidas esta temporada, é possível que assistamos ainda a alguns movimentos na classificação. A Dunlop apresenta fortes probabilidades de ficar no pódio esta temporada, com o seu rival mais próximo em quinto lugar.

 

A Dunlop elegeu as especificações de pneu médio e médio-plus em LMP2, que são conhecidos por funcionar na perfeição a altas velocidades, em circuitos abrasivos. A marca pretende conservar o seu recorde de conquistar o pódio completo em ELMS, mantendo-o assim desde as primeiras corridas, Silverstone e Imola.


Os compostos desta temporada, médio e médio-plus, foram utilizados na categoria LM GTE, atualmente liderada por AT Racing (Ferrari). O carro #99 da equipa Aston Martin Racing encontra-se com apenas um ponto a menos, e o Ferrari de JMW Motorsport posiciona-se em terceiro.

 

No que diz respeito à estratégia de pneus, a estrada possibilita várias alternativas. No entanto, o principal problema para as equipas é a dificuldade nas configurações de ajuste. Apesar dos testes de circuito realizados em março, as condições serão diferentes, não apenas pelas temperaturas mais elevadas, mas também pelas caraterísticas mutáveis da pista, que representam um desafio para o desempenho ótimo do carro.

 

Mike McGregor, Diretor de Provas e Apoio em Pista da Dunlop

“Paul Ricard apresenta um grande número de incógnitas para as equipas, apesar dos dados retirados dos testes. Há muitas teorias sobre o motivo, incluindo o vento de Mistral, mas, quaisquer que sejam as causas, é de extrema importância ajudar as nossas equipas com a sintonização.

Os dados que temos desde o início do ano já são um bom começo, mas com as temperaturas muito mais elevadas e a imprevisibilidade da pista, todas as equipas têm muito trabalho de preparação nos testes. É uma tarefa muito mais complicada para os engenheiros do que qualquer outra pista do calendário, e estaremos por lá a apoiá-los durante o fim-de-semana”.

 

As 4 Horas de Le Castellet, pertencentes à European Le Mans Series, começam no domingo, dia 28 de agosto, às 13 horas.

 

A lista de participantes, incluindo as equipas Dunlop, pode ser consultada aqui.


Pneus Dunlop para as European Le Mans 2016

 

LMP2 – Especificação do conjunto (macio, médio, médio-plus, intermédio e chuva):

 

  •  Competição aberta de pneus;
  •  Para cada evento, serão selecionadas duas de cada três especificações para seco;
  •  Opções macio e médio para clima seco;
  •  Número de pneus permitido para um evento de 4 horas: 5 conjuntos mais 2 pneus simples.

LMGTE - Categoria monomarca Dunlop (médio, médio-plus, intermédio e chuva):

 

  •  Pneus de marca única/ controlada para os três fabricantes representados;
  •  Número de pneus permitido para um evento de 4 horas: ilimitado;
  •  Em 2016, introduziram-se os pneus intermédios;
  •  Gama de pneus confidencial para 2016: utilização supervisionada com rendimento superior.

A gama ELMS LMGTE Pro é completamente nova para 2016, concebida especialmente para as ELMS, com especial ênfase na melhoria de rendimento e consistência. A introdução do pneu intermédio Dunlop reduzirá os custos da equipa e aumentará as opções estratégicas durante corridas com condições climáticas variáveis.


66 Dunlop_ELMS_Red_Bull_Ring_2016_2_Copy

 

 

TT NO BRASIL

 

A Sacramento Racing acelera na quarta etapa do Campeonato Gaúcho de Enduro FIM, marcada para este sábado (13) no Parque Municipal de Eventos de Marau (RS). A equipe das motocicletas KTM dita o ritmo da competição, que tem Gustavo Pellin na liderança da classificação geral e da categoria E2. Outro destaque é Diego Colett, na briga direta pelo título da E1.

Anderson Vieira “Sorvetero” (E1), Maurício Rizzon (E2) e Cassiano Tebaldi (Over 40) também estão confirmados no desafio. A largada do primeiro competidor está prevista para as 10h. “Está tudo certo e a moto, 100% para a prova”, comentou Pellin, que compete com a KTM EXC 300 dois tempos. “O objetivo é seguir na liderança. Esta será a segunda vez que corro em Marau, que possui trilhas lisas e muito rápidas”, continuou.

O campanheiro de equipe Colett também conhece a região. Ele conta com a moto KTM 250 EXC-F. “Estou bem animado, o local onde vai ser a etapa é muito divertido. Quero conquistar a liderança isolada da E1 e melhorar a minha posição na geral”, concluiu o piloto, quinto colocado na tabela que inclui todos os participantes do campeonato estadual. O Gaúcho 2016 é formado por sete etapas, com a decisão marcada para o dia 6 de novembro.

Sobre a Sacramento MotorSports – A Sacramento MotorSports traz os melhores equipamentos e produtos para quem encara a trilha ou a estrada como estilo de vida. O conceito da marca foi criado em fevereiro de 2008 pelo empresário e piloto Fábio Wolf Campos, após uma viagem que teve no roteiro a cidade de Sacramento, na Califórnia.

Influenciado pela cena do motociclismo nos Estados Unidos, Campos inaugurou um restaurante e uma boutique temáticos no Shopping SerrAzul, do qual é administrador desde 1994. O local, construído sobre a Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva (SP), é o único shopping aéreo do mundo e logo tornou-se um dos principais pontos de encontro de motociclistas do Brasil, além de sediar renomadas competições off-road.

De lá para cá, com restaurante e boutique ampliados, a Sacramento MotorSports ganhou força com a inauguração das concessionárias KTM Sacramento em Curitiba (PR), uma das quatro revendas “FlagShip” da marca austríaca de motocicletas no país, e Polaris Sacramento, com os UTVs e quadriciclos norte-americanos na loja do Shopping SerrAzul. A Sacramento ainda expandiu no modelo híbrido franchising, com sua primeira unidade no Outlet Premium Brasília.

A empresa ainda incentiva o esporte por meio da equipe Sacramento Racing, criada em 2013 e hoje chefiada pelo piloto e multicampeão off-road Nielsen Bueno. Para saber mais sobre a Sacramento MotorSports, acesse o site oficial.  


Gustavo Pellin, piloto da Sacramento Racing
Cr�dito: Janj�o Santiago/Mundo Press

Diego Colett, piloto da Sacramento Racing
Cr�dito: Janj�o Santiago/Mundo Press

 

f 1600 NO BRASIL

 

Humberto da Silva

Claudio Daniel venceu
na Light
Download
Humberto da Silva

Piloto teve ótimo final
de semana em Interlagos
Download
Humberto da Silva

Claudio Daniel no lugar
mais alto do pódio
Download

F1600: Claudio Daniel leva decisão do título para a última etapa

Vitória e um segundo lugar somados à problemas do principal adversário mantém o piloto Claudio Daniel vivo na disputa pelo título da temporada 2016.

 O piloto Claudio Daniel Rodrigues Filho saiu do Autódromo de Interlagos (SP) no último sábado (13) mais vivo do que nunca na disputa pelo título de 2016 da categoria Light do Campeonato Paulista de Fórmula 1600.

Na primeira corrida do final de semana (17ª etapa), o piloto do carro n° 47 da equipe Thomaz Racing cruzou a linha de chegada na segunda colocação atrás apenas do carioca José Gabizo, piloto que conquistou sua primeira vitória na categoria.

Já na segunda corrida do final de semana (18ª etapa), o experiente piloto não deu chance aos adversários e chegou a sua quarta vitória na temporada 2016, levando a decisão do título para a última etapa. Atual líder da temporada, André Moraes Jr. sofreu com problemas e não terminou nenhuma das duas corridas.

"Estamos com um problema no motor, mas devido à proximidade entre a última etapa com essa, decidimos não mexer em nada e vir do mesmo jeito”, explicou Claudio Daniel Rodrigues Filho. "O final de semana foi muito bom para nós, e o André (Moraes Jr.) sofreu com problemas no seu carro, o que nos coloca mais vivo do que nunca na disputa pelo título, e vamos acreditar até o fim”, finalizou o piloto.

A diferença entre os pilotos agora é de 39 pontos, e a decisão do título da categoria Light do Campeonato Paulista de Fórmula 1600 será decidido nos dias 17 e 18 de dezembro, quando a categoria retornará após o autódromo receber o GP Brasil de F1.

Confira o resultado da 17ª etapa do Campeonato Paulista de F1600:

1) Bruno Leme (Alfia) – 12 voltas em 24min10s089
2) Renan Guerra (Della Barba Racing) à 0.055
3) Thomaz Soubihe (Alfia) à 10.671
4) José Gabizo (San Race) – Light – à 11.020
5) Marcos Pimentel (Thomaz Racing) à 13.593
6) William Zaza / Marco Vale (Zaza Racing / EF Preparações) à 15.703
7) Claudio Daniel Rodrigues Filho (Thomaz Racing) – Light – à 26.850
8) Rafael Seibel (RS Racing) – Light – à 46.489
9) Edu Dias (San Race) à 48.226
10) Fabio Farias (Thomaz Racing) – Light – à 52.269
11) Douglas Pecoraro (San Race) – Light – à 55.587
12) André Millan Rodrigues (San Race) – Light – à 1:09.736
13) Marc Flammia (San Race) – Light – à 1:09.750
14) Deni Sandor (RS Racing) – Light – à 1:25.756
15) Dudu Peirão / André Leal (Peirão Racecar Engennier) – Light – à 1 volta
16) Alexandre Bonilha (Thomaz Racing) à 2 voltas

Melhor volta: Bruno Leme (Alfia) em 1:59.527 na 11ª volta

Não completaram:

André Moraes Jr. (Juka Motors) – Light – à 10 voltas
Alvaro Paes (San Race) – Light – à 10 voltas
Marcelo Casellato (RS Racing) – Light – não largou

Confira o resultado da 18ª etapa do Campeonato Paulista de F1600:

1) Bruno Leme (Alfia) – 12 voltas em 24min10s191
2) Renan Guerra (Della Barba Racing) à 0.102
3) Edu Dias (San Race) à 9.666
4) William Zaza / Marco Vale (Zaza Racing / EF Preparações) à 9.950
5) Thomaz Soubihe (Alfia) à 23.919
6) Claudio Daniel Rodrigues Filho (Thomaz Racing) – Light – à 24.028
7) Marcos Pimentel (Thomaz Racing) à 27.626
8) José Gabizo (San Race) – Light – à 28.990
9) Rafael Seibel (RS Racing) – Light – à 33.163
10) Alexandre Bonilha (Thomaz Racing) à 48.773
11) Fabio Farias (Thomaz Racing) – Light – à 48.894
12) Deni Sandor (RS Racing) – Light – à 55.303
13) André Millan Rodrigues (San Race) – Light – à 1:13.929
14) Douglas Pecoraro (San Race) – Light – à 1:21.169
15) Dudu Peirão / André Leal (Peirão Racecar Engennier) – Light – à 2:00.924

Melhor volta: Bruno Leme (Alfia) em 1:58.764 na 6ª volta

Não completaram

André Moraes Jr. (Juka Motors) – Light – à 7 voltas
Alvaro Paes (San Race) – Light – à 10 voltas

Sobre a Ecko:

Presente em mais de 60 países, a Ecko segue a filosofia Unlimited em todos os lugares em que está. Isso quer dizer que, independente do seu estilo, a Ecko tem alguma coisa pra você. Ecko Red é para as meninas, Ecko Boys&Girls veste os menores, Marc Ecko é a linha mais fina e requintada, composta principalmente por peças de alfaiataria. A Ecko Unltd. é para todos. Por que escolher só um estilo, quando podemos ser ilimitados?

 

EXTREME SAILING

 

Extreme Sailing Series™ appoints new Race Director

Extreme Sailing Series™ organisers OC Sport have appointed Canadian John Craig as the new Race Director for the global Stadium Racing circuit.

A world-renowned International Race Official, Craig was the Principal Race Officer for the 34th America’s Cup that took place in San Francisco, USA as well for the America’s Cup World Series. He also oversaw the development of World Sailing’s (formerly ISAF) Sailing World Cup and most recently was Race Director for the Red Bull Foiling Generation.

“The direction of the sport is foiling and with the change in boats for the Extreme Sailing Series, I am really excited about the opportunity to fill Phil’s boots and bring some of the elements I’ve learnt through the America’s Cup and the Foiling Generation to help here,” commented Craig, who is a former coach to the Canadian Olympic sailing team.

“I think the product is really good – the event set up, the TV product the stadium element are all key to moving the sport forward. I’ve followed the Series since I was a guest at the Boston event in 2011 and I have watched as it’s grown. It really is the professional side of the sport.”

Craig will work closely with current Race Director Phil Lawrence for the remainder of the 2016 Series before taking the reigns in 2017. Lawrence has held the position of Race Director for six years, during which time he has delivered 56 events and has been pivotal through several key evolutions in the Series, including most recently, the transition to the GC32.

Andy Tourell, Event Director, said: “Phil has made an extraordinary contribution to the Series over the last six years and, as a friend and colleague, I wish him well with his next challenge as Race Director at the Volvo Ocean Race.

“We are thrilled to now welcome John as his replacement and I am confident that he has the right combination of race management and commercial expertise to help us continue to drive innovation in our race format, and to maintain the Series’ impeccable safety record.

“We have an extremely strong Race Management team who have a huge amount of experience in delivering the fast-paced and unique Stadium Racing. John will join us at an exciting time, with the transition to foiling complete, and I want to take advantage of this new chapter to strengthen our product further.”

The 2017 calendar is set to include a mix of existing and new venues, where some of the stadiums will be opened up to really embrace the foiling boats. “It’s a balancing Act,” commented Craig. “My job is to make sure all parties are happy: sailors, spectators, media and sponsors.

“It’s about finding great sailing venues that have a bit more space, enough to show the boats in the best conditions and to see their potential. With less physical confines, we will be able to open and diversify the sporting format, whilst remaining true to our core stadium sailing format, which is often emulated but never matched and I’m looking forward to the challenge.”

The Notice of Race for the 2017 Extreme Sailing Series™ will be available in September, with at least eight venues across three continents on the schedule for the eleventh year of competition.


 

 

DUNLOP TRAILSMART

 

Dunlop TrailSmart obtém nota máxima em seco e molhado

 

  •  O único pneu de trail a conseguir 5 estrelas em testes de condução em pisos secos e molhados *
  •  “Quase invencível” na travagem em piso molhado **

 

443522O setor do trail é um segmento do mercado de motos em rápido crescimento. Para além de proporcionar aos mais ousados a oportunidade de explorarem o todo-terreno, permite aos pilotos que optam pelas motos de trail sentirem a confiança resultante de uma posição de condução mais elevada, que proporciona uma excelente visibilidade.

 

Para a Dunlop, este aumento de procura e crescente diversificação no uso das motos de trail,significa um investimento considerável em recursos de projeção e desenvolvimento, de forma a garantir que os pneus de trail oferecem o melhor desempenho possível em todas as ocasiões.

 

O TrailSmart foi lançado o ano passado pela Dunlop, e este mês foi distinguido em dois testes independentes, pela excelente prestação em piso molhado.

 

Sem exceções

 

O pneu TrailSmart foi o único testado pela MotoMag que recebeu a classificação máxima de cinco estrelas para a condução em piso molhado e seco.

Em condições de piso seco, a MotoMag comparou o pneu a um desportivo, afirmando: “Curvar é particularmente fácil, com uma condução muito leve”.

No que diz respeito ao rendimento em piso molhado, os juízes elogiaram “a excelente resposta e aderência” do TrailSmart.

 

TrailSmart brilha no teste de travagem em piso molhado

 

A revista Motorrad ficou igualmente impressionada com outro elemento importante do TrailSmart. Num teste de travagem de emergência em piso molhado, a revista deu-lhe a elevada classificação de 90%, graças à sua capacidade de parar a altas velocidades em condições muito adversas. A Motorrad descreveu o TrailSmart como “quase insuperável no teste de travagem de emergência em piso molhado a 100 km/h”.

 

Andy Marfleet, Diretor de Marketing da Dunlop Moto para a Europa, Médio Oriente e África, afirmou que os resultados vieram confirmar os valores obtidos pela própria Dunlop: “O novo TrailSmart possui algumas das nossas avançadas tecnologias como a Tecnologia de Cinta sem Juntas (Jointless Belt Construction), que proporciona uma melhor condução nas condições mais variadas. Os pilotos de trail procuram esta estabilidade e confiança na estrada, mas continuando a permitir aos mais ousados aventurarem-se pelo caminho original das trails. Estamos muito satisfeitos pelo reconhecimento atribuído à elevada prestação do TrailSmart em pisos secos e molhados. O nosso objetivo era construir um pneu que respondesse às exigentes e variadas necessidades dos motociclistas de trail”.

 

**Teste Motorrad, maio de 2016. Estradas públicas e Pista de Testes de Mireval   BMW R1200GS Dianteiro 120/70R19, Traseiro 170/60R17

 

*Teste MotoMag publicado em julho de 2016  Pista de Testes de Fontage BMW R1200GS Dianteiro 120/70R19 Traseiro 170/60R17

 443522 Copy

 

TT NO BRASIL

 

Em terras paulistas, Otávio e Allan Enz, disputam a etapa de Itupeva do Mitsubishi Motorsports

Equipe de Apucarana (PR) participa nesta sexta-feira (19) do briefing no Hotel Quality Resort & Convention Center Itupeva

A cidade de Itupeva (SP) será sede da sexta etapa do Mitsubishi Motorsports - rali de regularidade da marca - da temporada 2016, em sua 22ª edição deve reunir aproximadamente 200 duplas divididas em quatro categorias: Graduados, Turismo, Turismo Light e Turismo Light ASX. A largada será no sábado (20), a partir das 8 horas, rumo às belas trilhas da região das cidades paulistas de Vinhedo, Itupeva e Indaiatuba.

A programação teve início nesta sexta-feira (19) com as vistorias e briefing no Hotel Quality Resort & Convention Center Itupeva, localizado na Rodovia dos Bandeirantes, no sentido São Paulo, ao lado do Shopping Serra Azul, a apenas 80 km da capital paulista. Com presença confirmada, Otávio Enz e Allan Enz, a dupla parte com o intuito de buscar a vitória em mais uma prova disputadíssima na Graduados (principal da competição, para pilotos e navegadores experientes).

Otávio e Allan, da equipe Zenz Rally Team, irão para a disputa com a mesma determinação que na primeira etapa, como também utilizarão a etapa como treino para ao Rally dos Sertões 2016. "A expectativa é a melhor possível, precisamos melhorar os tempos e brigarmos pelas primeiras posições na categoria. A estratégia é pisar fundo e correr atrás de chegar perto da pontuação dos líderes, e isso é perfeitamente viável", declarou o piloto Otávio Enz.

A categoria Turismo Light, ideal para quem está começando, terá um trajeto de 140 km. Já a Graduados, para os competidores mais experientes, e Turismo, para quem tem experiência intermediária, percorrerão cerca de 180 km. Podem competir nessa aventura veículos da linha L200 e Pajero. Na Turismo Light, as versões 4×4 do crossover ASX também podem ir para trilha.

Ainda, para Otávio, a integração da dupla faz a diferença. "Na temporada queremos superação a cada etapa. É importantíssimo o conjunto dar certo, piloto, navegador e carro, tem que haver um sincronismo. A experiência e a preparação que estamos fazendo ao longo das etapas também ajudam no resultado", explicou o piloto de Apucarana (PR) que na última etapa disputada em Curitiba conquistou a terceira colocação.

Allan reforça que estão preparados para o certame. "Vamos tentar usar com maior eficiência o motor do Pajeto Full para obtermos um melhor desempenho do carro e assim crescer na classificação da prova", completou o navegador de Apucarana (PR).

Otávio e Allan Enz contam com o patrocínio da Via Jap (concessionária Mitsubishi-Curitiba), Zenz Western, Baterias Eletran, FD Stands-Displays, Sfi Chips e Rancho Faria, além do apoio oficial da montadora Mitsubishi do Brasil.
Classificação do Mitsubishi Motorsport:
Piloto
1º) Paulo Roberto Goes, Joinville-SC, Pajero Full, 155 pontos
2º) Fabio Carvalho Belo Horizonte-MG Pajero Full, 147
3º) Flavio Roberto Kath Blumenau-sc Pajero Full, 142
4º) Otávio Enz Marreco, Apucarana-PR, Pajero Full, 128
5º Fernando Luis Possetti Ribeirao Preto-SP Pajero Full, 118

Navegador
1º) Jhonatan Ardigo, Joinville-SC, Pajero Full, 155 pontos
2º) Gustavo Schimidt, Belo Horizonte-MG, Pajero Full, 147
3º) Rafain Walendowsky, Blumenau-SC, Pajero Full, 142
4º) Allan Enz, Apucarana-PR, Pajero Full, 128
5º) Cristina Starling Possetti, Ribeirão Preto-SP, Pajero Full, 118

Programação da Etapa de Itupeva (SP)
Sexta-feira, 19 de agosto
Entrega de kits, vistoria, briefing e aula de navegação - das 17h às 22h
Local: Hotel Quality Resort & Convention Center Itupeva
Endereço: Rod. dos Bandeirantes, s/n - Rio Abaixo, Itupeva - SP, 13295-000 - Ao lado do Shopping Serra Azul

Sábado, 20 de agosto
A partir das 8h - Início das largadas
A partir das 14h - Chegada, almoço e premiação
Local: Hotel Quality Resort & Convention Center Itupeva
Endereço: Rod. dos Bandeirantes, s/n - Rio Abaixo, Itupeva - SP, 13295-000 - Ao lado do Shopping Serra Azul

Calendário 2016 - Mitsubishi Motorsports - próximas etapas*
20/08 - Itupeva (SP)
03/09 - Goiânia (GO)
17/09 - Fortaleza (CE)
08/10 - Ribeirão Preto (SP)
05/11 - João Pessoa (PB)
26/11 - Campos do Jordão (SP)

Dupla de Apucarana estarão na etapa deste final em busca do pódio (Foto: Ricardo Leizer)

Dupla de Apucarana estarão na etapa deste final em busca do pódio (Foto: Ricardo Leizer)
Alta  | Web

Otávio e Allan Enz a bordo do Mitsubishu Pajero Full (Foto: Márcio Machado)

Otávio e Allan Enz a bordo do Mitsubishu Pajero Full (Foto: Márcio Machado)
Alta  | Web


 

STOCK CAR - BRASIL

 

E Brasília fica fora do calendário da Stock Car. De novo...

Circuito segue fechado e sem data para reabertura, dando espaço para Curitiba, cuja pista não será mais desativada. Isso que a cidade é uma das que mais revelam pilotos.

A notícia já circulava na chamada "rádio paddock", mas agora é oficial: o Autódromo Internacional de Curitiba não será mais fechado e a pista retornará ao calendário da Stock Car ocupando o espaço que estava reservado para Brasília. Agora é a Capital Federal que sofre com a pista fechada e inacabada.

É aquela história: inaugurada em 1974 com uma prova extra-campeonato de Fórmula 1, a pista nunca havia visto uma reforma. Os guard-rails, os boxes e o asfalto todo rachado eram os mesmos daquela época. Porém, funcionava, e recebia a Stock Car mais de uma vez por ano, mesmo que somente no anel externo e não no deslumbrante traçado de mais de 5km.

No entanto, resolveram reformar a pista para receber uma corrida de Fórmula Indy em 2015. A categoria não veio e a reforma não acabou. E, no fim, quem sofre são seus pilotos - incrivelmente, ela é uma das que mais revelam pilotos: Felipe Nasr corre na F1; Lucas Foresti foi o primeiro brasiliense a vencer na Stock Car e hoje ele tem a companhia de outros dois pilotos, que são Felipe Guimarães e Guga Lima, além de Pedro Cardoso na F3.

"Estou na Stock Car desde 2013 e só consegui correr uma vez lá, na minha estreia. Sinto uma falta danada da pista, pois ela tem um dos melhores traçados do Brasil e agora a gente usa Goiânia como 'corrida de casa', mas a gente quer a nossa pista. Sem contar que era um belo", conta Lucas Foresti.

"Para os pilotos de Brasília fica complicado também na hora de obter patrocínios locais, pois a gente não tem mais o evento. Mas no geral quem perde é o automobilismo como um todo. As corridas de Stock sempre foram com a casa cheia, por exemplo", completa Lucas. A Stock Car não corre no Distrito Federal desde abril de 2014 - dois anos e quatro meses já.

Com isso, o calendário da Stock Car até o fim do ano segue da seguinte forma:

11 de setembro - etapa 7 - Corrida do Milhão - Interlagos (SP)
25 de setembro - etapa 8 - Londrina (PR)
16 de outubro - etapa 9 - Curitiba (PR)
6 de novembro - etapa 10 - Goiânia (GO)
20 de novembro - etapa 11 - Curvelo (MG)
11 de dezembro - etapa 12 - São Paulo (SP)


- Veja mais notícias de Lucas Foresti: www.lucasforesti.com.br
- Curta a fanpage de Lucas Foresti no Facebook: www.facebook.com/pilotolucasforesti
- Siga Lucas Foresti no Twitter @pilotolucasforesti
- Acompanhe Lucas Foresti no Instagram: @pilotolucasforesti
- Veja vídeos exclusivos no canal do Lucas Foresti no YouTube
- Baixe o app de Lucas Foresti para IPhone ou Android

Lucas Foresti tem o apoio de CVC ViagensHarry's BrinquedosPrettynew e Caruana.

 

DUNLOP AMERICAN ELITE

 

Dunlop American Elite com equipamento original em Moto Guzzi, Victory e Indian

 

  •  Marca consegue que os fabricantes montem os pneus como equipamento original

No início deste ano, a Dunlop lançou o novo American Elite com tecnologia Multi-Tread™, que apresenta uma combinação de composto central resistente ao desgaste, com evoluídos compostos de aderência lateral na área do ombro do pneu traseiro.

 

American Elite_HighRes_80575Desde então, um grande número de fabricantes de motos testaram o American Elite, e a Dunlop foi aprovada pela Moto Guzzi, Victory e Indian para os seus modelos mais recentes.

 

A Moto Guzzi escolheu o American Elite dianteiro e traseiro para o modelo California 1400 Eldorado, a Victory para o High-Ball e a Indian para o Chief Vintage.

 

“A mudança da Dunlop para a tecnologia MultiTread no American Elite traduz-se numa maior durabilidade, maior ângulo de inclinação, melhor estabilidade e aderência em piso molhado. É com orgulho que vemos este desempenho ser reconhecido com aprovações para equipamento original, por um conjunto variado de grandes fabricantes de motos”, comentou Dmitri Talboom, Diretor de Produtos, Dunlop Moto EMEA.

 

O Dunlop American Elite já está disponível nos concessionários Dunlop Motorcycle em toda a Europa.

 American Elite_HighRes_80573_CopyAmerican Elite_HighRes_80575_Copy

 

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt